Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Cactos e Suculentas’

rabo-de-burro-1

As suculentas são conhecidas como plantas bonitas e muito fáceis de cuidar. Elas são ótimas para as pessoas que adoram trazer a natureza para dentro de casa, mas não conseguem se atentar muito para cuidados trabalhosos.

Caso você seja fã de suculentas ou esteja pensando em decorar a sua casa com elas, aqui vão algumas dicas.

1. Evite vasos de plásticos
Apesar de serem muito baratos, os vasos plásticos não são a melhor opção para a saúde da sua suculenta. Na dúvida, opte pelas opções de barro. O plástico limita o crescimento das raízes e dificulta a secagem da água. Já os potes de argila ajudam na drenagem e na circulação de ar.

No solo úmido, a chance das raízes apodrecerem é maior. Ao adquirir uma suculenta, procure colocá-la em um vaso pelo menos dois centímetros maior do que o seu original, para melhorar a entrada e saída do ar, a absorção da água e ajudar no crescimento.

avelós1

2. Ajude a terra a secar
O solo seco é mais saudável para o crescimento das suculentas. Para ajudar nesse processo, misture a terra com areia ou perlita, um mineral originário da lava vulcânica. Você também pode comprar substrato para plantar cactos, que oferece um sistema de drenagem ideal.

3. Aprenda a quantidade de água necessária
Você não precisa umedecer a terra com frequência, mas quando for fazê-lo, adicione água até que o líquido escorra pelos os buracos no fundo do vaso. Depois disso, não molhe mais até o solo estar completamente seco.

Não se preocupe muito em regar continuamente. A falta da substância é melhor do que o excesso, no caso das suculentas. A terra pode levar até um pouco mais de uma semana para secar, dependendo do tamanho da planta.

4. Esqueça os borrifadores e molhe com um regador ou copo
Com sprays borrifadores, o líquido tende a ficar muito mais na superfície, não escorrendo para as raízes, que realmente precisam de água. Quando as folhas acumulam água, elas tendem a ficar moles e achatadas.

senecio-rowleyanus

5. Sua suculenta precisa de sol
Encontre a janela que mais recebe sol na sua casa e deixe sua suculenta desfrutar de uma boa quantidade de luz natural. As plantas alaranjadas, roxas e de cores mais fortes são as que mais precisam de sol.

Caso você queira mantê-las dentro de casa, opte pelas versões verdes, como zebra, jade e panda.

6. Escute a natureza
As suculentas mostram se estão tristes ou felizes, por isso, preste atenção nos sinais que indicam a saúde das plantas. Não se assuste com folhas mortas no fundo do vaso, isso é normal e não significa que ela está morrendo.

Basta aparar os pedaços não saudáveis com cuidado, sem se aproximar das raízes ou mexer na terra. Porém, se as folhas estão caindo no topo ou estão com a aparência amarelada e transparente, com uma textura mole, você, provavelmente, exagerou na quantidade de água.

Deixe o regador de lado até que o solo esteja inteiramente seco. Bolinhas pretas também podem sinalizar o excesso de água. Nesse caso, é necessário cortar o topo da planta e retirar os pontos pretos. Por outro lado, se as folhas parecem enrugadas e ásperas, é melhor oferecer mais água.

em-dois-minutos1

crassula ovata

Ótimas opções para jardineiros inexperientes, as suculentas são versáteis, resistentes e podem enfeitar tanto o interior da casa quanto o jardim. Saiba mais:

1. São plantas que apresentam a raiz, o talo ou as folhas engrossadas. Essa característica permite o armazenamento de água durante períodos prolongados e em quantidades muito maiores do que nas plantas normais.

2. Originárias da África, elas são classificadas em nove famílias. Facilmente adaptáveis a diferentes climas, existem quase 10 mil espécies catalogadas pelo mundo. Só de echeverias, um dos gêneros mais comuns é mais de 200 espécies.

3. As suculentas gostam de um solo bem drenado. Misturar duas partes de areia para uma parte de terra vegetal é uma boa solução. Para montar os vasos, adicione primeiro uma camada de pedriscos. Cubra com uma manta de poliéster e só então acrescente o substrato. Os vasos não precisam ser fundos porque elas possuem raízes curtas.

4. O ideal é regá-las uma vez por semana no verão e a cada 15 dias no inverno. Ao perceber que as plantas estão murchando, aumente gradativamente a quantidade de água; se as folhas da base começarem a apodrecer, diminua.

suculentas

Não use pratinhos e jamais deixe a terra encharcada, porque a umidade excessiva apodrece as raízes. A água deve ser direcionada na terra, e não sobre as folhas.

5. As suculentas precisam de, no mínimo, quatro horas diárias de sol para sobreviver. Naturais de regiões secas – quase desérticas –, elas morrem na sombra. Se ela ficar pálida e estiolada, ou seja, fina e com muita perda de folhas, é porque não está tomando a quantidade necessária de luz.

Algumas espécies mudam de cor quando recebem sol direto. As echeverias, por exemplo, costumam ficar com as pontas em tom avermelhado.

6. Montar tinas com exemplares diferentes é uma ótima maneira de expô-las. Mas tome o cuidado de agrupar espécies com as mesmas necessidades de luz. Atente também para que as plantas mais altas não façam sombra nas menores. Para proporcionar o crescimento por igual, vire o vaso de tempos em tempos.

moinho

cactos

Seja pela beleza exótica, versatilidade ou pela facilidade de cultivo, uma coisa é certa, diferentes tipos de cactos passaram a ser cultivados dentro e fora de casa. E, por mais que essas espécies necessitem de poucos cuidados de cultivo, por se tratar de um ser vivo, essas plantinhas precisam de atenção, principalmente quanto a luminosidade e rega.

Logo, se você quer trazer mais verde para dentro do seu ambiente e deseja decorar diferentes tipos de cactos em casa, no escritório ou estabelecimento comercial, atente-se aos próximos tópicos. Nesse post, há informações e dicas de. Confira.

Cactos – Características
Os cactos são nativos das Américas, pertencentes à família Cactaceae. Na natureza eles podem ser encontrados em diferentes formatos e tamanhos e estão adaptados a ambientes extremamente quentes e áridos.

Por isso, que na maioria das vezes, um dos grandes cuidados que você deve se atentar para o desenvolvimento da plantinha é quanto a luminosidade, já que essa espécie necessita de muita luz para crescer.

Tipos de cactos brasileiros
Os cactos são plantas que se desenvolvem muito bem em ambiente secos. E, apesar de serem nativos do continente americano, com o passar do tempo, se espalharam para diversos lugares do mundo. Já foram catalogados aproximadamente mais de 100 tipos de cactos brasileiros diferentes. Confira abaixo três tipos de cactos brasileiros descobertos em nosso país.

Melocactus ernestii

Coroa-de-frade – Melocactus ernestii
A coroa-de-frade é um cacto típica do bioma Caatinga. Sua estrutura apresenta formato arredondado, pequeno e achatado, podendo alcançar até 12 cm de altura. Possui espinhos e flores em tons de rosa e vermelho.

Durante sua fase adulta desenvolve o cefálio – uma espécie de coroa que se forma no topo da sua estrutura folicular. Daí o nome dessa planta, cujo formato de assemelha a uma coroa de frade.

Cacto Mandacaru – Cereus jamacaru

Cereus jamacaru
O mandacaru, também conhecido como jamacaru e cardeiro, se trata de uma cactácea nativa do Brasil e adaptada aos climas do semiárido. Muito utilizada para a restauração de solos degradados, o mandacaru serve também como cerca de natural e alimento para os animais. Suas flores são brancas e desabrocham durante à noite, murchando com o nascer do sol.

Pilosocereus magnificus

Pilosocereus magnificus
A Pilosocereus Magnificus (deriva da palavra grega: “pilosus”- cabeludo e “cereus” – cactos) é uma cactácea que cresce de forma arbórea, podendo formar um tronco claro que alcança até 5 m de altura.

Suas flores são estreitas e aumentam gradualmente com o passar do tempo, podendo chegar a 6 cm de comprimento.

Tipos de mini cactos

mini-cactos
Quer trazer mais verde para sua decoração? Então, você precisa investir no cultivo de diferentes tipos de mini cactos. Lindos, pequeninos e resistentes, os mini cactos são a aposta certa para você que não dispõe de muito tempo para cuidar de plantas em casa.

Isso porque, os diferentes tipos de mini cactos existentes no mercado além de serem vendidos em tamanhos reduzidos, facilitando a sua inserção em diversos cômodos da casa, eles também exigem poucas regas ao longo da semana, uma vez que sua estrutura folicular pode armazenar água por bastante tempo.

Os diferentes tipos de cactos transmitem personalidade ao ambiente. E essa personalidade inclusive é transmita por meio dos recipientes onde estão expostos. Por isso, use e abuse de vasos decorativos, suportes ou utensílios domésticos criativos e engenhosos para cultivar seus cactos.

Tipos de cactos grandes

cactos grandes

No natureza, os cactos podem ser encontrados em diferentes tamanhos e formatos. Por esse motivo, caso você disponha de um quintal que recebe muita luz solar durante o dia, pode investir no cultivo de diferentes tipos de cactos grandes.

Afinal, os cactos adoram receber luminosidade direta e podem passar horas nesse ambiente sem que sua estrutura folicular seja prejudicada.

O cacto semáforo, por exemplo, é um tipo de cacto grande que cresce em forma de árvore, podendo atingir alturas de 3 a 5 m. Seus espinhos são longos e chegam até 3 centímetros de comprimento.

Suas flores amarelas chegam a um comprimento de 4 a 5 cm. Já seus frutos apresentam formato esférico, em tons brancos e roxos.

Tipos de cactos que dão flores
Mas, afinal, os cactos dão flores? Sim, todos os cactos florescem! Algumas espécies podem levar mais tempo do que outras, mas nas condições certas todos os cactos de fato florescem.

No entanto, alguns cuidados especiais devem ser levados em consideração para que a floração ocorra de forma constante.

E, dentre os muitos cuidados de cultivo para incentivar o seu cacto florescer, cultive os cactos em pequenos vasos pequenos e só transfira de vaso quando suas raízes preencherem o espaço; procure expor seu cacto sob luz solar direta; realize pouca rega; respeite o repouso invernal dos cactos; utilize um substrato com terra apropriada para fertilizar o solo; adicione potássio (K) nos meses da Primavera e Verão.

Os que dão flores podemos mencionar
Opuntia Violácea; Rebutia; Mammillaria; Cereus; Echinopsis; Sianinha; Ferocactus; Chlumbergera truncata (Flor de Maio); Dentre outras espécies.

flor-de-maio

A flor de maio, por exemplo, é um cacto que oferece beleza em vez de espinhos. No seu habitat natural, a Mata Atlântica, a flor de maio apresenta um comportamento muito similar a uma epífita (bromélias e orquídeas), ou seja, plantas que vivem sobre outras plantas sem que ocorra o parasitismo.

Caso você seja fã de suculentas ou esteja pensando em decorar a sua casa com elas, aqui vão algumas dicas.

1. Evite vasos de plásticos
Apesar de serem muito baratos, os vasos de plásticos não são a melhor opção para a saúde da sua suculenta. Na dúvida, opte pela opção de barro. O plástico limita o crescimento das raízes e dificulta a secagem da água.

Já os potes de argila ajudam na drenagem e na circulação de ar. No solo úmido, a chance das raízes apodrecerem é maior. Ao adquirir uma suculenta, procure colocá-la em um vaso pelo menos 2 cm maior do que o seu original, para melhorar a entrada e saída do ar, a absorção da água e ajudar no crescimento.

2. Ajude a terra a secar
O solo seco é mais saudável para o crescimento das suculentas. Para ajudar nesse processo, misture a terra com areia ou perlita, um mineral originário da lava vulcânica. Você também pode comprar substrato para plantar cactos, que oferece um sistema de drenagem ideal.

suculenta rega

3. Aprenda a quantidade de água necessária
Você não precisa umedecer a terra com frequência, mas quando for fazê-lo, adicione água até que o líquido escorra pelos os buracos no fundo do vaso. Depois disso, não molhe mais até o solo estar completamente seco. Não se preocupe muito em regar continuamente.

A falta da substância é melhor do que o excesso, no caso das suculentas. A terra pode levar até um pouco mais de uma semana para secar, dependendo do tamanho da planta.

4. Esqueça os borrifadores e molhe com um regador ou copo
Com sprays borrifadores, o líquido tende a ficar muito mais na superfície, não escorrendo para as raízes, que realmente precisam de água. Quando as folhas acumulam água, elas tendem a ficar moles e achatadas.

5. Sua suculenta precisa de sol
Encontre a janela que mais recebe sol na sua casa e deixe sua suculenta desfrutar de uma boa quantidade de luz mineral. As plantas alaranjadas, roxas e de cores mais fortes são as que mais precisam de sol. Caso você queira mantê-las dentro de casa, opte pelas versões verdes, como zebra, jade e panda.

6. Escute a natureza
As suculentas mostram se estão tristes ou felizes, por isso, preste atenção nos sinais que indicam a saúde das plantas. Não se assuste com folhas mortas no fundo do vaso, isso é normal e não significa que ela está morrendo. Basta aparar os pedaços não saudáveis com cuidado, sem se aproximar das raízes ou mexer na terra.

Porém, se as folhas estão caindo no topo ou estão com a aparência amarelada e transparente, com uma textura mole, você, provavelmente, exagerou na quantidade de água. Deixe o regador de lado até que o solo esteja inteiramente seco. Bolinhas pretas também podem sinalizar o excesso de água.

Nesse caso, é necessário cortar o topo da planta e retirar os pontos pretos. Por outro lado, se as folhas parecem enrugadas e ásperas, é melhor oferecer mais água.

lago

Aeoniuns

Quem não ama suculentas? Elas são bonitas, fofinhas, são encontradas em vários formatos, são fáceis de cuidar e ficam bem na maioria dos ambientes. Se você também é fã delas e acha que sabe tudo sobre esse tipo de planta, confira essas 08 curiosidades sobre as suculentas que você, provavelmente, nunca ouviu falar:

1 – As suculentas mais acinzentadas não ficam bem dentro de casa
Apesar de muitos afirmarem que qualquer espécie se adapta facilmente em qualquer lugar, as de tons acinzentados são as menos recomendadas para manter no interior. Quanto mais esverdeadas forem as folhas, maior a chance de sobrevivência da planta.

As suculentas mais acinzentadas precisam da luz do sol.

graptopetalum-paraguayense

2 – Seu vaso é mais importante do que você imagina
Muita água e muito sol podem atrapalhar o crescimento das suculentas. Potes de plástico não são os mais recomendados e um bom sistema de drenagem é necessário, mesmo em se tratando de plantas que precisam de menos água que outras.

Também tome cuidado para não subestimar o tamanho do vaso, uma vez que raízes saudáveis precisam de espaço para crescer bem.

3 – Não se culpe por não conhecer as espécies de suculentas
Ao contrário do que muitos pensam, o nome “suculenta” é a descrição do tipo de planta, não uma família ou gênero.

Há milhares de espécies de diferentes grupos, as quais dividem uma única característica: ter um estoque de água em suas folhas carnudas. Caules, folhas e raízes variam muito entre os modelos dessas plantinhas.

rabo-de-burro-6

4 – A suculenta rabo-de-burro é muito frágil
Se você conhece essa espécie, sabe que suas folhas gordinhas tendem a cair com um leve passar de mão. Para mantê-las vivas, é preciso de muita pouca água, temperaturas amenas, sol parcial e uma boa drenagem.

5 – Suculentas ficam ótimas em trios
Curiosamente, o nosso cérebro presta mais atenção nos vasos e nas plantas que estão em números ímpares, do que nas que estão em pares.

Nesse caso, você não precisa  necessariamente descombinar as espécies porque há simetria, já que você pode conseguir esse efeito irregular também se usar vasos de diferentes larguras, alturas e formatos.

6 – Ao invés de comprar novas plantas, troque-as com um amigo
Cuide bem da sua suculenta e, se quiser uma aparência nova para sua casa, troque a sua planta com a de um amigo que também goste do assunto. Novos vasinhos vão dar uma aparência nova a sua casa, sem que você gaste dinheiro.

Vocês podem, inclusive, revesar o cuidado delas, como um clube de plantas. Vai parecer que você contratou um especialista para fazer o paisagismo da sua casa.

avelós

7 – O avelós ou cacto lápis é a primeira suculenta que você precisa ter
Adicione um detalhe sinuoso e assimétrico na decoração com o avelós, um tipo de suculenta que parece um arbusto e cresce bastante para cima.

Seu cuidado é simples: bom sistema de drenagem, solo arenoso e uma janela banhada de sol. Regue a cada duas ou três semanas no verão e uma vez por mês no inverno.

Colar De Perolas - Senecio Rowleyanus

8 – Deixe a espécie colar de pérolas para os experts
Conhecidas como colar de pérolas ou terço, essas suculentas são as mais difíceis de cultivar. Apesar de ser uma planta bonita, se você trocar o vaso de lugar várias vezes, é provável que sua casa fique cheia das pequenas bolinhas espalhadas pelo chão.

Exagerar ou deixar faltar água também faz com que as folhas redondas, que se assemelham a ervilhas, se soltem facilmente – e todo o charme é perdido quando seu caule está nu.

ouvindo-a-chuva20