Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




LigustrumLucidum árvore

O Ligustrinho é uma espécie vegetal arbustiva bastante conhecida por ser utilizada na arte da topiaria, que nada mais é que a arte de podar plantas de maneira ornamental.

Essa espécie vegetal pode ser encontrada tanto na forma de arbusto, como em forma de árvore (Ligustrum Lucidum).

A planta Ligustrinho é cientificamente denominada de Ligustrum Sinense (quando se apresenta na forma de arbusto), e é popularmente conhecida por Alfeneiro, Ligustro Arbustivo, Ligustrinho, Ligustro, Ligustro Chinês e Alfeneiro da China.

A planta é oriunda do continente asiático, sendo nativa da China e bastante encontrada em países como a China, a Coréia do Norte e Coréia do Sul, e pertence a família botânica Oleaceae, que é bastante utilizada na composição de decoração de ambientes residenciais.

A família Oleaceae
As espécies vegetais que compõem a família botânica Oleaceae, ou as plantas Oleáceas, estão divididas em 30 diferentes gêneros que abrigam aproximadamente 600 diferentes espécies. No Brasil são encontrados apenas 04 gêneros e cerca de 15 espécies.

Uma das principais características das espécies vegetais Oleáceas é que as suas flores são actinomorfas, isto é, se dividem de diversas formas e a divisão apresentará o mesmo resultado, partes iguais.

As espécies vegetais Oleáceas apresentam importância na área do paisagismo (as espécies que pertencem aos gêneros Ligustrum e Jasminum), assim como importância econômica, pois da espécie mais conhecida desta família, a Oliveira, é possível extrair óleos e azeite, e das outras espécies pode se extrair madeiras finas e outros tipos de suprimentos como as apreciadas azeitonas. Das folhas das espécies vegetais Oleáceas podem ser extraídos chás de cunho medicinal.

Ligustrum Sinense (arbustivo)

As características do Ligustrinho
O Ligustrinho se caracteriza por ser um arbusto com muitas ramificações, sendo uma planta bastante compacta e que apresenta certo grau de rusticidade, isto é, a planta consegue se desenvolver sem a tomada de tantos cuidados da parte de quem a cultiva.

Ela é uma espécie vegetal que apresenta ciclo de vida perene, isto é, o seu tempo de vida tende a ser maior que 2 anos quando a planta é cultivada nas condições adequadas e corretas, inclusive devido a esse fato ele pode ser usado para compor as chamadas cercas vivas, que quando realizadas através da arte da topiaria, causam um efeito ornamental muito bonito e que acaba chamando a atenção das pessoas devido a grande beleza que ficará no local que possui uma cerca viva repleta de Ligustrinho.

O Ligustrinho é uma espécie vegetal de médio porte, que atinge uma altura média de 3 a 4 m.

As folhas se caracterizam por apresentarem um tamanho pequeno. Outra característica desta espécie vegetal, é que ela acaba ocorrendo em muitas variedades (espécies variegatas) o que acaba gerando plantas com ramos relativamente eretos e com folhas com uma cor variada, tendendo para o azul (um verde azulado). Nos jardins é mais fácil encontrarmos as espécies variegadas da planta. Na verdade as folhas da planta é que concedem a característica ornamental dessa espécie vegetal.

Ligustrum_sinense_Variegatum2

As inflorescências se caracterizam por serem curtas e geralmente se formarem na primavera. As flores são de cor branca e possuem pequena importância com relação a ornamentação e paisagismo. As formas variegadas da se caracterizam por dificilmente conseguirem florescer.

O Ligustrinho é utilizado de forma ampla na arte da topiaria e na composição de cercas vivas, além disso, essa espécie vegetal gera um grande contraste quando cultivada junto de outras plantas de coloração verde.

Cultivo
O Ligustrinho é uma espécie vegetal que pode ser encontrada em locais que apresentam climas: temperado, mediterrâneo, tropical, sub tropical e oceânico.

Deve ser cultivado sob o sol pleno, tanto de forma isolada como em grupos, ou combinadas com outras espécies vegetais. Como é uma planta típica de locais que apresentam clima mais ameno e frio, consegue tolerar o frio e até mesmo as geadas.

O Ligustrinho se caracteriza por ser uma planta que possui um alto grau de resistência, tanto que mal apresenta problemas com relação a temperatura, tanto que as suas folhas possuem um certo grau de resistência de exposição ao sol e não sofrer queimaduras devido a esse fator.

Essa espécie vegetal se caracteriza por necessitar ser cultivada em local que apresenta solo fértil e com boa capacidade de drenagem.

O solo pode ser mantido fértil com a aplicação de adubo ou através de fertilizações realizadas de maneira periódica.

Inflorescência Ligustrum

Com relação a drenagem, é importante que o solo apresente uma boa capacidade de absorção da água, principalmente a utilizada para irrigação, pois o solo não deve ficar encharcado, pois essa situação pode causar o apodrecimento das raízes da planta.

A rega deve ser feita sempre que o solo se encontrar seco, para que a planta aproveite e absorva a água de uma maneira melhor.

Para melhor aproveitamento das utilidades do Ligustrinho (tanto na arte da topiaria quanto na formação de cercas vivas), é importante que seja realizada a poda de forma periódica para que a planta se mantenha constantemente bonita e o crescimento da planta acabe sendo controlado da maneira que a pessoa deseja.

Multiplicação do Ligustrinho
A espécie vegetal se multiplica de 2 maneiras: por dispersão de suas sementes e por estaquia.

A multiplicação por meio da dispersão das sementes consiste em colocar as sementes da planta em locais apropriados para o cultivo e gerar as condições necessárias (rega, adubação, iluminação e etc.) de forma que a semente consiga germinar e gerar uma nova planta.

A multiplicação por estaquia consiste em realizar a formação de estacas nas pontas dos ramos do Ligustrinho. As estacas serão formadas e cortadas para serem colocadas em local apropriado para cultivo, por isso essa estaca precisa possuir folhas, raízes e ramos, de forma que quando transportadas para um novo local, a planta tenha condições de conseguir se desenvolver e crescer.

O período ideal para a preparação das estacas é no inicio do inverno, e para que as estacas tenham melhor rendimento na propagação da planta, elas podem ser enraizadas em estufas para ficarem melhor acomodadas.

natureza

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


REGANDO
Todos que cultivam plantas há muito tempo sabe da importância e da atenção que deve ser dada a elas na hora de regá-las. E quem ainda está começando a plantar e cuidar das plantas não deve dar a missão de molhá-las como fácil, pelo contrário, é uma tarefa que exige muita atenção.

Saibam que é mais comum uma planta morrer pelo excesso de água do que pela falta dela. Com o medo de deixá-las sem água, normalmente, os principiantes acabam é colocando água de mais. Porém, verdade seja dita não é nada complexo regar as plantas, basta saber como fazer, não tem erro.

Cuidados necessários na hora de regar as plantas
Não importa se as plantas estão no jardim ou em vasos na parte interna da casa, dos dois modos, elas devem receber os mesmos cuidados, incluindo, principalmente, a rega. Lembrando que as espécies diferentes exigem um tipo de cuidado diferente uma das outras.

Porém, o horário para que as plantas recebam água é sempre o mesmo, não importa de qual espécie ela é, molha-se na parte da manhã, bem cedinho, e depois no fim da tarde, sempre superando 15 horas.

Mas, muita atenção em relação ao tempo, que não anda muito certinho e pode ser que às 15 horas o sol ainda esteja quente demais, neste caso, regue a planta às 17 horas. E o horário de meio-dia não deve ser usado para molhar as plantas de maneira nenhuma.

Esse também é um detalhe importante que deve ser observado na hora de regar as plantas, as mudanças inesperadas de tempo. Verdade seja dita, não é que o tempo anda muito certinho, pelo contrário, dias quentes demais, dias frios demais, verão estendido, enfim, uma grande confusão. Para evitar que as suas plantas sofram com isso, você deve ficar alerta para regar de acordo com as necessidades delas.

Caso você se esqueça de molhar as suas plantas à tardinha, não faça isso à noite. Nesse período, elas não absorverão bem a água, o que fará com que as folhas fiquem por um período mais longo molhadas e isso pode acabar fazendo aparecer fungos.

O primeiro passo antes de fazer a primeira rega das plantas é avaliar quais as condições do dia. O clima pode diferenciar para que seja necessário aumentar a quantidade de água ou diminuir a quantidade.

Alguns dias podem estar muito frio, em outros, muito quente. E claro, se um dia faz muito calor a planta precisa de mais água e no dia que faz frio, precisa de menos água. Por isso, não dá para não considerar o clima.

Porém, existe um modo de saber se a sua plantinha está precisando de água, sem erro. Usando os dedos ou um palito basta mexer na terra e observar se ela está seca ou úmida. No primeiro caso, é hora de regar, no segundo, não precisa, deixe para o dia seguinte.

Além de seguir as instruções anteriores, claro, não se esqueça de se informar sobre o tipo de rega que é necessário para espécie de planta que você escolheu.

regas
Quantidade de água usada na rega
Pode ter certeza que é melhor pecar pela falta do que pelo excesso. Se você encharcar a terra tem grandes chances de acabar fazendo morrer as suas plantas, claro, que algumas espécies gostam disso.

Por isso, é muito importante conhecer bem como cuidar da sua. Porém, aquelas que não gostam acabam sofrendo porque a raiz se “afoga” não conseguindo ter o ar que precisa. Esse processo gera fungos e doenças na planta.

Quando for regar a planta vá colocando água lentamente e dê pequenas pausas caso perceba que a água está entrando muito devagar na terra ou quando perceber que ela já está saindo nos buracos do fundo do vaso.

A rega feita nas folhas
As folhas podem e não podem ser molhadas. Isso vai depender da espécie de planta que você tem em casa, algumas podem ter as folhas molhadas enquanto as outras não podem. Principalmente, aquelas que possuem folhas muito sensíveis, como é o caso, por exemplo, das violetas. Porém, caso você molhe as folhas por acidente não precisa ficar preocupado, não tem problema, mas não deixe que isso se repita outras vezes.

Também dá para evitar esses “acidentes”. Ao invés de regar jogando a água diretamente na planta, água nos pratinhos poderá ser colocada ou na base que fica embaixo dos vasos. Além de ter certeza de que as folhas ficarão sequinhas, será possível evitar várias doenças que acabam atingindo as plantas por causa de regas que não são feitas corretamente.

Regar-as-Plantas
Dicas para regar as plantas da maneira correta
Se a sua plantinha ficou sedenta e murchou não pense que agora fazendo a rega e encharcando ela estará tudo resolvido. Pelo contrário, essa água em excesso depois de um período sem o líquido provocará um estresse ainda maior no metabolismo da planta.

Na prática, esse processo acarretará a perda total da capacidade de se reidratar da planta e isso fará com que ela sofra com a falência funcional das raízes e em sequência grande parte dos tecidos celulares irão morrer.

A rega não deve ser feita com um jato muito forte de mangueira, o correto é fazer por aspersão, isto é, usando uma forma de chuveiro, com chuviscos, que caiam poucas gotas pouco a pouco. A planta quando recebe água dessa forma tem menos chances de ter as suas folhas lesionadas, principalmente, aquelas mais frágeis. Além disso, com a água controlada não acontecerá de se formarem buracos na parte de cima do substrato.

Lembre-se sempre que a rega não deverá ser feita de maneira nenhuma em um único ponto. A água deve ser distribuída em toda a área do substrato. Atenção dobrada, como foi dito anteriormente, se a planta não pude receber água nas folhas.

Se quiser usar mesmo a mangueira, faça isso com bico aspersor, outras opções são o pulverizador manual, o regador de bico fino ou o regador com crivo.

janel15

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


mini+suculanta+planta_3

Rolhas de garrafas de vinho e champagne podem ser reutilizadas para montar um mini jardim e decorar ambientes da casa e do trabalho. Ele ocupa pouco espaço e é simples de fazer. Com o ímã na lateral do vaso você pode colocá-lo num painel de metal ou até mesmo na geladeira.

As rolhas de garrafa de vinho podem ser reutilizadas para montar um mini jardim e decorar ambientes da casa e do trabalho, tornando-se assim mais um item na decoração da sua casa.

A proposta de hoje é fazer vasinhos de planta suculenta. Fica muito charmoso e podem ser fixadas ou apoiadas em qualquer lugar que tenha um pouco de Sol.

vasinhoderolha
Para fazer o mini-vasinho para plantar a mini suculenta, você vai precisar dos seguintes materiais:
* Rolhas em cortiça;
* Ímãs (Se colar um Ímã na rolha, os mini-vasinhos poderão ser fixados sobre metais compondo um pequeno jardim vertical na sua varanda ou como ímã de geladeira, é também uma ótima idéia para presente e lembranças de casamentos);
* Terra com adubo;
* Mini suculenta (pode-se usar folha de outras suculentas);
* Perfurador e faca;
* Cola quente.

VASINHO-DE-ROLHAS

Como montar:
*
Selecione algumas rolhas e um canivete ou faca para perfurá-las;
* No centro da rolha marque um ponto que servirá de apoio para ser perfurado;
* A partir do ponto determinado escave seu interior. Para facilitar você pode deixar a rolha pernoitar em água fria para que ela fique mais maleável;
* Com a cola quente cole um ímã na lateral da rolha para poder afixar o vasinho na vertical;
* Plante uma muda de suculenta,  regue com um conta-gotas. As plantinhas suculentas são de fácil manutenção, precisam de regas regulares (use um conta gotas) e exposição ao sol (4hrs diárias).

Caso você ainda queira enfeitar outras partes da casa com os vasinhos de rolha, ainda é possível colocar um arame em volta deles e pendurá-los na parede.

janela florida

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


Dichorisandra_thyrsiflora031

A Cana-de-macaco é também conhecida popularmente como Marianinha, Dicorisandra, Gengibre-azul e Trapoeraba-azul.

Trata-se de um arbusto da família Commelinaceae, encontrada em estado silvestre, nas capoeiras úmidas a partir do sopé da Cordilheira de Salamanca, na Costa Rica, até a Serra do Mar na região Sudeste, do Brasil, estendendo-se até o Paraguai e Norte da Argentina.

Cresce encostada nos troncos das árvores, chamando a atenção por causa dos cachos florais de cor violeta.

É uma planta com flores exóticas que aparecem o ano inteiro. Normalmente é cultivada compondo maciços, enfeitando cercas, dando cor a gramados planos e emprestando sua beleza verde envernizada a jardins sem muito brilho.

Essa flor é bem típica do clima tropical: gosta de sol pleno (crescer, no máximo, em ambiente de meia sombra), precisa ser regada de duas a três vezes por semana e detesta passar frio. O solo ideal para a cana-de-macaco é mais arenoso, composto por areia terra vegetal em partes iguais. Se plantada em canteiros, ultrapassa os 1,20 m de altura, mas seu crescimento cai pela metade quando cultivada em vasos.

Cana-de-macaco (Dichorisandra thyrsiflora)

Caso a planta esteja em vaso, passe-a para um vaso maior anualmente, de preferência nas primeiras semanas de setembro.

Para que a planta cresça e atinja todo seu potencial, evite cultivá-la em cidades onde o inverno atinge temperaturas abaixo de 16ºC. Da primavera até o outono, regue uma vez a cada dois dias, mas diminua a oferta de água durante os meses de frio, esperando que o solo fique completamente seco antes de regar novamente.

É fácil de multiplicar através de estacas, portanto é uma boa solução para situações sombreadas, em regiões livres de geadas.
Quando combinada com espécies que florescem em tons de amarelo, o impacto visual é aumentado.

Cana-de-macaco (Dichorisandra thyrsiflora)5

Essa flor tem um inimigo: a podridão-vermelha (Colletotrichum dichorisandra) – um fungo que ataca principalmente a cana-de-açúcar, mas que também adora as folhas da cana-de-macaco, daí herdar seu “sobrenome” dessa planta. Sua presença é facilmente revelada por folhas cheias de manchas negras ou pardas em baixo relevo.

Caso sua planta sofra desse mal, remova as folhas atacadas e trate sua planta com calda bordalesa, um excelente fungicida natural que pode ser preparado até mesmo em casa (basta seguir a receita apresentada, passo a passo, logo abaixo)

Uma forma de prevenir doenças fúngicas é manter o vaso ou canteiro limpo de folhas mortas e monitorar o surgimento de lesmas e caracóis, que sempre trazem “amigos” indesejados.

Dichorisandra_thyrsiflora01

Como preparar a calda bordalesa
A formulação a seguir, é para o preparo de 10 litros; para obter outras medidas, é só manter as proporções entre os ingredientes.
a) Dissolução do sulfato de cobre – No dia anterior ou 4 horas antes do preparo da calda, dissolver o sulfato de cobre. Colocar 100 g de sulfato de cobre dentro de um pano de algodão, amarrar e mergulhar dentro de um vasilhame plástico com um litro de água morna.

b) Água e cal – Colocar 100 g de cal em um balde para capacidade para 10 litros. Em seguida adicionar 9 litros de água, aos poucos.

c) Mistura dos dois ingredientes – Adicionar, aos poucos, e mexendo sempre, o litro da solução de sulfato de cobre dentro do balde de água com cal.

d) Teste da faca - Para ver se a calda não ficou ácida, pode-se fazer um teste, mergulhando uma faca de aço comum bem limpa, por 3 minutos na calda. Se a lâmina da faca sujar, isto é, adquirir uma coloração marrom ao ser retirada da calda, indica que está ácida, devendo adicionar mais cal na mistura; se não sujar, a calda está pronta para uso.

kjlki

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


PRÍMULAS
Não se pode e nem deve usar o mesmo método que usa para plantar flores no jardim quando as for plantar em vasos. Não pense que se trata de nenhum tipo de técnica complicada, porém, sim, é diferente.

A seguir como se faz para plantar flores em vasos e quais são as mais indicadas para esse tipo de plantio.

1 – Primeiro passo é escolher a planta (busque flores que são adequadas para vasos). Em geral, podemos dizer que as flores de vasos são as suculentas, pois elas conseguem “guardar” água no caule, nas raízes ou nas folhas e isso faz com que as regas não precisem ser em curtos espaços de tempo. Mas, não somente as suculentas são mais indicadas para serem plantadas em vasos, flores com lobélia, gerânio, petúnia, prímula e amor-perfeito se adaptam bem a esse tipo de cultivo.

2 - Não é qualquer vaso que serve para plantar flores.
É importante entre as variedades de vasos disponíveis, saber escolher o que é melhor para sua planta. Os materiais mais comuns e recomendados são: barro, cerâmica, plástico, amianto, fibra e cimento. Confira um pouco sobre cada um deles:
a) Plástico: destaca-se pelo preço baixo e porque é leve, mas por outro lado, sendo um material sem nenhum porosidade, merece maior atenção no que diz respeito ao sistema de drenagem.

b) Cerâmica ou barro: ambos materiais são considerados os melhores para o cultivo de plantas, pois são bem porosos e isso ajuda tanto na drenagem quanto na ventilação necessária. Porém, as regas deverão acontecer com um espaço de tempo maior porque o escoamento é mais rápido.

c) Cimento ou amianto: o problema é que assim como o plástico, ambos materiais possuem pouca porosidade e isso faz com que seja necessário caprichar na drenagem no fundo do vaso, com argila, cacos de telhas ou seixos. Por outro lado, a irrigação deverá ser feita com menos frequência.

3 - Adubação é outra parte importante para ser levada em consideração por quem está querendo flores de vaso. A primeira coisa que você precisa saber é que ela NÃO deve acontecer logo após a compra das plantas. O momento de adubá-las deve esperar pelo menos duas semanas depois que o cultivo foi feito. Além disso, não se esqueça da fertilização mensal e dependendo da planta, ela vai precisar de um reforço nos meses da primavera e do verão. São informações sobre as necessidades das plantas que você deve ficar sabendo logo no momento em que as mudas foram compradas.

4 - Quando falamos de vasos e drenagem, queremos dizer que esse é um ponto muito importante para quem está cultivando flores em vasos. No fundo, além de furos para o escoamento da água, é necessário criar uma cada de drenagem que pode ser feita com: pedregulho, cacos de telha, argila ou seixo. Além disso, é aconselhável colocar uma camada de manta geotêxtil.

5 – Na hora de plantar lembre-se que as raízes devem ser bem colocadas dentro do vaso e se for o caso, faça a poda, quando estão grandes demais. A planta deve ficar na posição reta e a terra deve ser colocada sem amassar a muda e deixando 1 cm para a borda. Aperte levemente a terra em volta da planta depois de terminar para ter certeza de que ela ficará firme dentro do vaso.

Flores de vaso – Dicas
Podemos dizer que os exemplos abaixo são flores que se relacionam muito bem com os vasos. Veja algumas dicas:

onze-horas-jpg
1- Onze-horas: além de ser muito fácil de plantá-la no vaso, ela não exige muito tempo para manutenção. Sem falar que as suas pétalas fazem da onze-horas uma ótima flor para decoração dos ambientes.

Ela dá flores o ano todo, mas gosta muito do sol, por isso, o ideal é deixá-la perto da janela ou na varanda.

violetas
2- Violetas: podem ser encontradas em várias cores. São bem pequenas, mas lindas para decoração. As folhas têm uma textura especial e as flores fazem um show a parte.

São bem simples na hora do cultivo e também fáceis na hora de cuidar. Elas são mais cultivadas em vasos de plástico e por terem raízes curtas, são melhores ainda. A principal atenção com as violetas é em relação a irrigação. É muito comum colocar muita água e acabar apodrecendo as raízes.

Gerberas
3- Gérbera: é uma flor muito usada para decoração pois as suas cores são marcantes, de um brilho intenso. Assim como a violeta é bem fácil de ser cultivada em vasos e além disso, dispensa muitos cuidados.

Ela suporta terra seca e até mesmo dias sem água. Na verdade, o ideal é regá-las somente duas vezes na semana. Porém, ela precisa da luz do sol e para cultivá-la em vasos é necessário comprar os exemplares compactos.

Crisantemo-
4- Crisântemo: ele floresce no inverno e também se adapta muito bem aos vasos. Por isso, a fase que a planta fica mais bonita é quando os dias são mais curtos.

Lisianthus roxo
5- Lisianto: o problema dessa flor, apesar de se adaptar muito bem ao cultivo em vasos é o fato de ser muito vulnerável ao ataque de doenças e pragas. Neste ponto, merece atenção. Fora isso, é muito fácil de cuidar dela.

mini-margarida
6- Mini margarida: é muito usada para o plantio em vasos, delicadas e bem pequenas elas fazem o maior sucesso na decoração. Sem falar as pétalas, em várias tonalidades. Para ela se desenvolver bem, o segredo é usar material orgânico e não esquecer de uma boa drenagem no fundo do vaso.

azaléia3

7- Azaleia: vermelha ou rosa, até mesmo branca ou em uma mistura de cores, é uma planta perfeita para vasos que ficarão dentro ou fora de casa. Elas são bem resistentes ao ataque de pragas e exigem pouco, na hora da manutenção.

As regas devem ser feitas de forma irregular e elas suportam baixa umidade e falta de luz, por outro lado, isso acaba fazendo com que pragas ataque a sua planta.

begonia-semperflorens2
8- Begônia: é fácil de cultivar e de cuidar. Ela pode chegar a altura de 30 centímetros e suas folhas verdinhas as fazem especiais na hora de ornamentação.

Ela pode ser cultivada como uma planta anual. Observe na hora de escolher a muda, pois se trata de uma planta com diversas variedades, umas que se adaptam melhor aos vasos e outras aos jardins.

Na decoração
Se você deseja fazer uma mudança na decoração de sua casa ou, até mesmo, decorá-la pela primeira vez, aqui vai uma dica bastante interessante: arrase na decoração colocando nos ambientes da casa alguns vasos de flores, pois, com certeza, sua casa ficará linda e com um clima super legal. Isso porque as flores têm o poder de passar boas vibrações ao local onde estão.

Você pode utilizar vasos com flores artificiais ou naturais, isto fica a seu critério. Porém, uma casa com flores naturais é muito mais chique, pois as flores naturais exalam um perfume maravilhoso e são incrivelmente lindas.

Confira, a seguir, algumas dicas de flores que são indicadas para serem plantadas em vasos.
Azaleia:
Uma dela flor que pode ser cultivada em vasos. Porém, é importante que o vaso tenha pelo menos 30 cm de profundidade para comportar bem a raiz.

Bromélia: Trata-se de uma planta que não precisa de muitos cuidados e é bastante resistente. Na hora de escolher a planta, leve em consideração o tamanho do vaso, que precisa ser proporcional ao da espécie de bromélia.

Orquídea: Uma planta bastante apreciada, a orquídea é bem mais fácil de ser cultivada do que parece. Entretanto, tenha o cuidado de escolher uma espécie que combine com o local onde você pretende deixar o vaso, se tem incidência de sol ou não.

Brinco-de-Princesa: Por ser uma flor que cresce de forma pendente, é ideal para o cultivo em vasos suspensos.

Gardênia: Trata-se de uma planta muito bonita e resistentes. Entretanto, uma de suas características mais marcantes é o perfume, por isso não é indicado colocar o vaso em lugares fechados se você não quer que o cheiro fique ainda mais forte.

Moreia: Uma flor delicada, porém fácil de ser cultivada. Combina com ambientes decorados em diversos estilos e também perfuma.

ouvindo-a-chuva

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


lycaste-aromatica-0011

O fascínio pelas orquídeas torna a procura pelas diversas espécies uma das mais agradáveis missões na jardinagem. A popularidade de algumas delas deve-se principalmente a dois fatores: durabilidade da floração e diversidade de matizes coloridas. Graças a esses elementos, a orquídea Lycaste encontrou entre os amantes das orquídeas um espaço cada vez mais nobre nos jardins.

Oriunda das florestas das Américas Central e do Sul, provavelmente derivada de orquídeas endêmicas da Colômbia, a Lycaste foi, por muito tempo, considerada uma flor de difícil cultivo, equívoco originado da confusão que se fazia com as orquídeas Maxillaria, gênero da qual foi separada por John Lindley, renomado botânico inglês. Hoje se conhece melhor as idiossincrasias de tão cultuada flor e pode-se dizer que a Lycaste possui um cultivo de média dificuldade.

A espécie possui cerca de 30 espécies, a maioria delas epífita (desenvolve-se nos troncos de árvores), mas com ocorrências terrestres. Pode chegar a 15 cm de tamanho e desenvolve-se de forma entouceirada com raízes curtas ladeadas por pseudobulbos. As folhas são grandes, lanceoladas com nervuras aparentes e nascem de três em três em cada bulbo e são na maioria das espécies caducas (elas caem após a floração e durante o período de dormência da flor).

A flor da orquídea Lycaste nasce sozinha em cada bulbo, mas raramente crescem duas inflorescências em algumas espécies. As três sépalas abrem-se plenamente dando um formato triangular ao cálice. As pétalas e o labelo semicerram-se, menores que as sépalas, fixando-se diretamente ao suporte, sem pecíolo.

A paleta de cores pode variar entre a monocromática – a mais conhecida espécie, Lycaste cruenta, é amarela – e as matizes coloridas entre o branco e o roxo.

Como suas irmãs epífitas vindas das florestas tropicais, a orquídea Lycaste aprecia alta umidade relativa do ar e um sombreamento que permita ao mesmo tempo proteção contra o sol inclemente do meio do dia e a luminosidade matinal ou vespertina. Uma área com sombra a 50 por cento é o ideal, mas se o verão for inclemente recomenda-se um acréscimo de sombra nos horários mais quentes.

Pode-se fixar a orquídea nas árvores ou plantá-las em vasos com substrato leve como carvão vegetal, casca de pinheiro, musgo, fibra de coco ou perlita. Atenção aos ventos e à circulação do ar, pois a orquídea Lycaste pede boa movimentação aérea durante o florescimento. A adubação e seus reforços devem ser feitos com regularidade semanal ou quinzenal, com fertilizantes orgânicos auxiliados por nitrogênio e potássio. As regas devem ser abundantes sem encharcamento, diretamente no rizoma.

É possível encontrar vários tipos de orquídea Lycaste. Conheça as dicas de cultivo das 4 principais, do gênero:

Lycaste-cruenta-

1 – Lycaste cruenta
Essa espécie de orquídea tem suas origens nas Américas do Sul e Central, estudos revelam que ela possa ser derivada de orquídeas da Colômbia, as endêmicas. Durante muito tempo essa espécie entrou para lista das plantas de um alto grau de dificuldade de cultivo, o que não era verdade. O que aconteceu é que ela era confundida com a orquídea Maxillaria, essa sim, um tipo difícil de plantar. A separação foi possível graças a um botânico inglês, John Lindley. Uma vez desfeito o engano, se sabe que não está entre as mais fáceis de cultivo, a Lycaste cruente, porém, não é tão difícil, sendo assim, pode ser considerada de nível médio de dificuldade de cultivo.

Lycaste-Macrophylla-

2 – Lycaste Macrophylla
A verdade é que são catalogadas exatamente 30 espécies de orquídea Lycaste, sendo que quase todas elas são epífitas, isto é, se desenvolvem em tronco de árvores, o que não impede que sejam cultivadas diretamente no solo.
O tamanho da Lycaste Macrophylla não superar os 15 cm e o seu modo de desenvolvimento é entouceirada com raízes curtas. Essas raízes além de curtas são ladeadas por pseudobulbos. Outra característica dessa planta que merece destaque são as suas folhas, grandes e vistosas, as nervuras são aparentes e em cada bulbo, nascem de 3 em 3. As folhas são chamadas de caducas porque caem logo depois que as flores aparecem.

Lycaste-Deppei

3 – Lycaste Deppei
A flor desse tipo de orquídea nasce solitária em cada um dos bulbos, pode acontecer de nascerem no máximo duas juntas, mas é muito raro que isso aconteça. Depois elas têm as suas sépalas, que são três, que se abrem e o formato que se vê é de um cálice triangular. As sépalas são maiores que o labelo e que as pétalas e as fixam sem pecíolo junto ao suporte diretamente. São bem coloridas podendo variar entre branca, roxa ou amarela.

Lycaste Lasioglossa1

4 – Lycaste Lasioglossa
Elas podem ser plantadas em vasos e também serem fixadas no tronco das árvores. No caso dos vasos, elas precisam de  um substrato que contenha casca de pinheiro, carvão vegetal, fibra de coco, musgo ou perlita.

É necessário dar uma atenção especial à quantidade de vento que chega até esse tipo de orquídea Lycaste, ela precisa de uma boa movimentação de ar, principalmente quando chega o momento das suas flores surgirem. O adubo deverá ser feito a cada 15 dias ou no máximo a cada semana e devem ser usados fertilizantes orgânicos enriquecidos com potássio e nitrogênio. Deve-se cuidar para não encharcá-las durante a rega, mas ao mesmo tempo a água deve ser abundante e colocada no rizoma diretamente.

A orquídea Lycaste, falando de um modo geral, isto é, de todos os tipos, gostam de muita umidade relativa do ar e ao mesmo tempo em que o solo chegue até elas com um pouco de sombra, principalmente se for àquele forte do meio dia. Também aprecia a luminosidade da manhã e vespertina. O ideal é deixá-la em uma área que tenha sombra em mais ou menos 50% e quando chegam os dias de calor forte do verão, nos horários de maiores temperaturas é recomendado colocá-las na sombra.

Dicas para não errar no cultivo da orquídea Lycaste
As orquídeas Lycastes são plantas decíduas, um bom exemplo é a aquela aromática com flores amareles, a Lycaste skinneri. As flores desse tipo de orquídea, por exemplo, são cerosas, formam grandes triângulos e duram por muito tempo. Sem falar que uma das principais características dessas plantas são as folhas, normalmente plissadas e os pseudobulbos arredondados.
* O tipo de luminosidade que as orquídeas Lycaste precisam: para cultivá-las é necessário prestar atenção na luz que chegará até elas. As que são decíduas precisam ficar no sombreamento que pode variar de 50% a 70%. As que estão sempre verdinhas podem ficar num sombreamento que varia entre 60% a 80%.

* É necessário também observar a temperatura para o cultivo desse tipo de planta: aquelas que estão sempre verde podem ficar durante o dia em temperaturas que variam 24 a 27ºC e durante à noite 16ºC. No caso das decíduas, elas suportam e pedem mais calor, 35ºC durante o dia e 10ºC durante a noite.

* Atenção a rega: Durante todo o período de desenvolvimento da planta depois do cultivo a rega deve ser abundante, mas cuidado para não encharcá-la. Observe se o substrato está começando a secar e esse é o sinal verde para regar novamente. Outro detalhe é que as orquídeas Lycaste decíduas devem ter a terra seca quase por completo quando elas estão sem folhas, enquanto as que estão sempre verdinhas, o período de quase seca é quando se formam os pseudobulbos. As folhas não devem ser molhadas nunca.

* Umidade: Elas gostam de umidade e o nível ideal pode variar entre 40% a 70% e é importante que estejam em um lugar que exista uma boa circulação de ar para que elas não fiquem com fungos que destroem as folhas.

*Adubo: É muito necessário e deve ser intenso enquanto a planta está crescendo. A recomendação é usar a fórmula 30-10-10 no verão e no outono 10-30-20.

* Replantio: Ele deverá ser feito durante a primavera e não esqueça que é importante manter alta umidade e substrato seco esperando as novas raízes.

por do sol

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


Mimo-de-vênus -hibiscus-rosa-sinensis
A planta também conhecida como Hibisco ou Graxa-de-estudante (devido ao efeito mucilaginoso das folhas, podendo lustrar sapatos), é um arbusto lenhoso, fibroso, com até 5 m de altura, originário da Ásia tropical e do Havaí, onde é considerado a flor nacional.

Possui 5 000 variedades e é muito difundido no mundo pelas propriedades ornamentais, possui diversas variedades e formas, com flores grandes ou pequenas, geralmente vermelhas, com pétalas lisas ou crespas.

As folhas, variegadas ou não, podem ser largas ou estreitas. Muito cultivado no Brasil, com vários híbridos e variedades, é utilizado com muito sucesso na arborização urbana abaixo da rede elétrica, devido ao pequeno porte, necessitando condução e poda, além de enfeitar jardins, praças e servir de cercas-viva.

O que encontramos hoje em dia com mais frequência são as hibiscus que chamamos de hibisco tropical moderno. Uma planta cujas cores são consequência de uma mistura de cruzamento dos tipos da espécie. Observa-se uma seleção variada não só nas tonalidades das pétalas, mas também nos formatos e na ornamentação. Porém, a sua morfologia básica é sempre com as características das plantas asiáticas originais.

mimode-venus-15
Como se dá o crescimento do mimo-de-vênus
O mimo-de-vênus quando adulto se desenvolve na vertical, porém, ganhando uma forma arredondada. Ainda existem centenas de cultivares da planta e por isso, quando adulta a planta pode apresentar um crescimento com uma ramificação densa, de silhueta baixa ou arredondada, onde se formam montículos e se observa que alguns ramos se espalham. Essa variação dependerá do tipo de cultivo que foi reservado a planta.

A cor da casca planta é marrom acinzentada e quando elas crescem e ficam velhas, essa casca ganha uma aparência de cortiça.

_Hibiscus_rosa-sinensis
As Características da flor da mimo-de-vênus
* Pode florescer o ano todo se: encontrar umidade adequada no solo e se as temperaturas forem altas.
* Floresce os 12 meses do ano.
* A planta ganha botões de flores em todas as pontas dos ramos.
* Na ponta de cada um dos ramos pode ser contemplada uma flor. Porém, elas aparecem uma única de cada vez.
* Em cada botão de flor é possível ver abrir 5 sépalas na cor verde e isso acontece sob outras 5 pétalas que mais parecem um papel.
* As pétalas são ovais e dependendo do tipo de cultivo que foi escolhido uma fica sobreposta sobre a outra ou simplesmente acontece uma toca.
* Bem dentro, no centro de uma larga abertura que a  mimo-de-vênus possui, característica da sua floração afunilada é possível ver uma coluna longa que tem a medida variando entre 5 a 10 cm de comprimento. Na parte externa da extremidade de cada uma dessas colunas saem as anteras que vertem o pólen.
* Bem na ponta se vê o que é chamado de estilo e dele brotam 5 ramificações do órgão sexual da planta que é feminino.

(Hibiscus_rosa-sinensis)
Dicas de plantio do mimo-de-vênus
* As sementes da planta ainda não estão à venda. Para tê-las para plantio é necessário recorrer a matrizes em hortos, que podem ser encontrados até mesmo em grandes centros urbanos como Rio de Janeiro e São Paulo.

* O substrato para plantar o mimo-de-vênus deve ser composto de 10 partes, sendo elas divididas da seguinte forma: 5 partes devem ser de terra preta, 3 partes devem ser de esterco de gado, 1 parte deve ser de terra vermelha e a mais uma de areia de rio. Sendo que o solo precisa ter o pH entre 6,8 e 7,2.

* Porta-enxertos devem ser feitos com os galhos da própria planta seja ele creme ou vermelho e as flores pequenas são as mais adequadas para se obter um canteiro entorno do cultivo. Coloque uma grande quantidade de enxertos porque nem todos eles produzirão raízes e não se esqueça de cortar cada um deixando a medida de 25 centímetros. Já com a espessura não precisa se preocupar com a medida.

* Os sacos plásticos deverão receber terra comum, não se deve adicionar adubo e eles devem com a terra ter a medida de 15 cm de comprimento e 10 de largura.

* Já no chão coloque os saquinhos em filas ou fileiras formando grupos de 10 por 30 ou 40 ou 50.

* O tamanho ideal de cada uma das covas é de 40×40 e coloque bem lá no fundo o substrato que foi dito anteriormente. Coloque a planta com toda a terra que estiver em volta e não cubra a parte que foi enxertada. Caso observe brotos embaixo do enxerto, retire-os.

* O espaço entre cada um das plantas é de 40 cm e o momento correto de fazer o cultivo é quando se tem sol pleno, nas horas da manhã cedo ou ao entardecer. Depois de plantá-la, faça a primeira rega.

Flor-_Hibiscus_rosa-sinensis
Alguns cuidados:
*
Fique de olhos nos insetos como borboletas e grilos são eles que destroem a planta.
* Os insetos colocam ovos nas flores ou nas folhas e nascem lagartas que atacam a planta.
* A poda deve ser feita a cada ano no mês de maio.
* O galho deve ser cortado sempre na diagonal pela metade.
* A cada 2 meses é necessário colocar ao redor da planta uma colher de sopa da seguinte mistura: torta de mamona e farinha de osso, partes iguais.
* Alternando os meses, sim e não, coloque esterco na superfície.
* Durante o verão molhe a planta à tarde e cuidado para não encharcar o solo.
* No inverno, coloque água somente quando perceber a terra seca.

floresbrancas

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


Falsa_erica

A Érica pertence à família Lythraceae, que é também chamada de Falsa-érica ou Cuféia  e têm origem brasileira. Esta planta duradoura herbácea tem um bonito porte, sempre dá muitas flores e seu tamanho pode chegar até os 30 cm de altura.

As folhas possuem a forma de lanças pequenas, são permanentes e verdes. Além disso, a planta ainda apresenta flores pequenas que surgem em todas as épocas do ano, e, quase sempre possuem cor branca ou lilás e por misturar as cores, passa a impressão de as mesmas possuem tonalidade rosa claro. É um excelente planta para se ter em casa, pois está sempre florida e traz uma maior alegria ao ambiente, mantendo-o sempre festivo por causa de suas flores.

Em razão do tamanho, ela é perfeita para ser plantada em bordaduras, jardineiras, canteiros, nas lindas floreiras e até mesmo entre as pedras do jardim. Mas para que floresçam com saúde é importante que o solo seja fértil, tenha uma drenagem adequada, fazendo com que a terra esteja sempre molhada e uma boa adubação, o que pode ser alcançado com a adição de matéria orgânica.

A Érica se adapta muito melhor nos climas quentes, o local ideal para colocar a planta é na luz direta do sol, ou no máximo a meia sombra. Senão corre o risco de murchar e morrer por falta de calor.

Como plantar
Esta planta não precisa de um cuidado específico, por isso, qualquer um pode tê-la em casa, porém, há algumas coisas que precisam ser esclarecidas, como por exemplo: ela não suporta o frio rigoroso, precisa de rega regular e não gosta de poda, se podá-la pode ser que não aguente. Para plantá-la há duas formas, através de estacas com mudas já prontas ou por meio de sementes, sendo que seu ponto máximo de floração acontece no litoral da região sudeste..

Há determinadas plantas que pertencem ao gênero Cuphea ou Cufeia que são chamadas de “sete sangrias”, fazendo menção de que o tratamento dispensado a estas plantas fosse semelhante àquele usado em tempos idos.

A Érica pode ser adquirida em qualquer floricultura ou ainda em lojas de sementes, jardinagem ou em estacas. Ela também é bastante usada pelas pessoas que praticam a arte do bonsai, já que possui pequenas flores de maneira natural, sem que seja necessária sua modificação.

Curiosidades sobre a Érica
Atualmente há aproximadamente 700 espécies deste gênero, sendo que grande parte delas são originárias da África do Sul, recebendo o nome de Cape Heaths. As demais, mais ou menos 70 espécies são oriundas das demais partes de África, bem como da Europa e ainda do Mediterrâneo.

Entre elas estão:

Erica_arborea

Erica ArboreaUrze: Um arbusto que chega a medir 3 m, oriundo da zona mediterrânea seguindo até mais ou menos as montanhas tropicais da África. Comumente suas raízes são usadas na fabricação de cachimbo. Suas folhas são verticiladas, tem flores cheirosas e brancas, e parte delas são usadas na indústria de perfumaria. Também e conhecida por queiroga, estorga, torgo, torga, ou urze-branca.

Erica_ciliaris

Erica Ciliaris, Queiró: É um subarbusto que mede aproximadamente 80 cm, sendo originário da Europa Ocidental, tem folhas verticiladas, flor vermelho púrpura, que são dispostas em cachos espiciformes e são conhecidas como carapaça.

Erica_cinerea_(2)_1

Érica Cinerea: Arbusto com medida de 60 cm, vindo da Europa, possui folhas lineares, ramos cinzentos, com flores vermelho-violeta.

Erica_lusitanica1

Érica Lusitanica, Torga: Planta bastante ramificada, com medida aproximada de 0,30 m, que possui forma arredondada.

Características comuns das Éricas brasileiras
* Possuem folhas sempre verdes, pequenas e estreitas As flores têm formato campanulado, com pétalas livres, de tamanho pequeno e coloração branca, lilás e rosa.
* Ela pode ser plantada em qualquer região do país, menos naquelas que possuem um clima frio demais durante muito tempo, pois elas não gostam de climas frios.

Maneira de plantar a Érica
A planta gosta de lugares bem ensolarado e cujo solo seja pleno de matéria orgânica, e possua drenagem boa.

Para começar, é preciso fazer a preparação do solo, revolvendo o mesmo e adicionando de composto orgânico com esterco animal e folhas, tudo já bem decomposto. Se, por acaso, o solo do canteiro possuir consistência pesada, argilosa, e com problemas no escoamento da água, coloque ainda um pouco de areia. O espaço entre as plantas deve ser de mais ou menos 0,20 m.

Para conseguir as mudas para o plantio, pode catar as sementes e depois semear as mesmas em bandejas próprias ou em caixotes para sementeiras, que contenham substrato de terra e areia. É importante que o substrato se mantenha sempre bem úmido e o recipiente fique à sombra.

Depois do surgimento das mudas é necessário passa-las para vasinhos ou sacos quando alcançarem o tamanho menor que 10 cm. É melhor usar saco plástico para que a umidade seja mantida e as raízes cresçam com maior força e durabilidade.

A melhor época do ano para se fazer a muda ou plantio é durante o fim do inverno, para o clima mais quente, exceto no inverno, se não for durante esse período em qualquer tempo.

Uso no paisagismo e decoração
A Érica é bastante ornamental e possui vários usos no paisagismo e na decoração. Seu uso em jardineiras e canteiros, juntamente com outras plantas pode ser usado se obtendo grande sucesso, já que está sempre linda e florida.

folhasaovento

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


hibiscos800
Hibiscus é um gênero botânico, com cerca de 300 espécies, inserido na família das Malvaceae, com flores e folhas exuberantes.

Trata-se de um arbusto perene que teve a sua origem na China, em geral produz grandes flores em tons que vão do branco ao vermelho. São encontradas flores de hibisco em tons de rosa, laranja e até amarelo. Além de serem flores lindas podem se adaptar muito bem em qualquer jardim.

Para que o plantio de hibiscos seja bem feito a dica é tomar alguns cuidados essenciais para o crescimento da planta e também saber como fazer o plantio. Saiba exatamente como garantir que os hibiscos germinem e cresçam perfeitamente.

O hibisco mais comum de se ver no Brasil é a espécie Hibiscus rosa-sinensis, pelo fato de a flor dessa planta ter sido usada durante algum tempo para engraxar sapatos ganhou alguns nomes populares interessantes como “graxa-de-soldado” e “graxa-de-estudante”.

As flores dessa planta tem vida curta, sendo que aquelas que têm forma simples podem durar apenas 24 h, já aquelas que têm forma dobrada podem resistir cerca de dois dias. Essa planta pode florescer o ano todo, o ambiente que ela mais gosta é aquele que é quente e úmido.

Tem facilidade de adaptação em terrenos arenosos o que a torna uma planta boa para se ter em regiões próximas a praia. Uma espécie de planta que é bastante utilizada como cerca viva porque tem um crescimento e desenvolvimento bastante rápido.

hibisco dobrado
Composição de substrato para o plantio do hibisco
Abaixo uma sugestão de composição, mas pode ser substituído elementos como o esterco de gado por fertilizante.
* 10% serragem grossa;
* 10% barro vermelho ou amarelo;
* 30% Terra;
* 50% Esterco de gado.

Como Plantar Hibiscos
Uma coisa importante é plantar os hibiscos logo depois de comprá-los. Além disso, saiba que os cuidados começam já na hora de retirá-los da embalagem. Não retire o esfagno que envolve a raiz, retire somente o saco plástico que envolve a raiz.

Comece plantando os hibiscos em vasos ou sacos plásticos que fiquem a meia sombra, durante um período de uns 20 dias. Regue as plantas diariamente se estiver num período de muito calor.

Depois desses 20 dias é importante plantar os hibiscos num local definitivo, pode ser a meia sombra ou mesmo no sol total. Uma dica importante para quem pretende plantar o hibisco em jardineiras ou vasos é garantir uma profundidade de uns 40 cm.

hibisco-flor-2
Poda
A poda é muito importante para o hibisco, uma dica é fazer uma poda anual no final do mês de maio ou então dos meses que não tenha R no nome. Corte os galhos no sentido diagonal reduzindo pela metade o seu tamanho.

Vale ressaltar que se forem realizadas podas assertivas durante o crescimento do hibisco evitando a bifurcação de tronco, essa planta pode crescer com uma forma de arvoreta.

Clima e ambiente
O hibisco precisa de locais com boa luminosidade para conseguir crescer. A iluminação pode ser direta da luz do sol. Caso queira deixar os hibiscos num local com pouca iluminação deixe-os pelo menos nos primeiros dias em exposição ao sol.

Essa planta prefere um clima tropical, mas pode se adaptar bem a outros climas desde que tenha boa iluminação. Um hibisco que não tem contato com o sol é um hibisco que não cresce de forma saudável.

Drenagem
Quando os hibiscos são plantados em vasos ou jardineiras precisam de drenagem para que haja um bom desempenho das plantas. Uma forma de fazer uma boa drenagem é com a ajuda de pedra brita. Coloque a pedra brita nuns 5 cm como forração do fundo da jardineira ou vaso.

Multiplicação
A multiplicação dos hibiscos deve ser feita por estaca durante a primavera ou no fim de fevereiro.

hibisco-flor-1
Solo e rega
O solo onde estão os hibiscos precisa estar sempre úmido, porém, tome muito cuidado para não encharcar as raízes da planta. A rega durante o verão é muito importante, uma boa dica se na sua região faz muito calor é regar uma vez pela manhã e outra no final da tarde. Nos meses mais frios do ano basta uma rega diária.

No caso de plantar os hibiscos no jardim de casa, mantenha o solo sempre úmido e coloque adubo mensalmente. Mantenha a planta sempre adubada para ajudar a protegê-la de problemas como o ataque de pragas. A adubação ideal para hibiscos costuma ser uma composição de NPK 10-10-10.

Prepare o adubo de acordo com as indicações da embalagem, geralmente esse tipo de adubo deve ser aplicado no começo da primavera. Repita o processo de adubação de 40 em 40 dias.

Ainda vale a ressalva de que os hibiscos sofrem muito mais por excesso de água do que por falta da mesma.

Cultivo
O cultivo do hibisco pode ser feito como cerca-viva ou isoladamente em vasos, canteiros, jardineiras e jardins. A grande dificuldade de cultivo do hibisco é não tolerar geada, se você mora numa região em que acontecem muitas geadas pode não ser indicado ter hibiscos em casa.

flor 43 3333

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


Eucharis Grandiflora2
A estrela-de-belém faz parte da família. A origem dessa planta é a América do Sul e ela suporta três diferentes climas, que são: tropical, subtropical e equatorial.

Além do nome estrela-de-belém, também é conhecida popularmente estrela-d’alva, lírio-do-amazonas e estrela-da-anunciação.

A altura média da planta fica entre 0.1 e 0.3 m e ela gosta de dois tipos de luminosidade diferentes: meia-sombra e luz difusa. Já o seu ciclo de vida é perene.

Características da estrela-de-belém
Planta bulbosa e herbácea, muito florífera que no Brasil, pode ser encontrada na floresta amazônica em grande quantidade.

As suas folhas são ovais e bem grandes, além de ter um bonito verde-escuro. Também são coriáceas, brilhantes e pecioladas. Quando chega o período da inflorescência se vê as flores que se sustentam em um longo escapo floral, elas ficam muito parecidas com a umbela.

Suas flores aparecem em quantidades que varia de 3 a 10 unidades e são bem grandes, cerosas, brancas e muito perfumadas. As flores da estrela-de-belém são muito parecidas com as flores de narciso. Elas surgem durante a primavera.

Eucharis Grandiflora
Uso na decoração
Esta é uma espécie perfeita para usar em ambientes internos e também em varandas de apartamentos. É uma rara exceção de planta que mesmo sem a luz do sol consegue florescer e as flores são bonitas e saudáveis.

Mas, mesmo quando ela não está com flores, é uma planta bonita de se ver, porque as folhas fazem um espetáculo a parte. Por esses motivos, que ela se torna uma ótima espécie para o uso na decoração.

As flores podem aparecer até três vezes, em momentos distantes, a cada ano. A estrela-de-belém deve ser cultivada, de preferência, em vasos grandes e durante a fase de cultivo deve receber a claridade do sol, além de exigir boa adubação e irrigação.

O lugar perfeito para a estrela-de-belém é um canteiro adubado sob uma copa de árvore, pois é o lugar que ela receberá luz difusa e se desenvolverá da melhor maneira possível.

Cultivo
Essa espécie deve ser cultivada sob sombra ou meia-sombra. O substrato ideal para o cultivo da estrela-de-belém é drenável, fértil e leve. Importante: que seja enriquecido com matéria orgânica. É necessário que ela receba irrigação frequente. É uma planta que gosta muito do calor dos lugares tropicais, mas em estufas, podem sobreviver as temperaturas mais baixas.

A cada dois anos é necessário fazer as reforma dos canteiros, caso a plantação tenha sido no jardim. Uma das suas desvantagens é que se trata de uma planta muito sensível a fungos, lagartas e ácaros. Sua multiplicação pode ser feita através de separação dos bulbos.

Eucharis Grandiflora5
Características da planta
*
Ela possui bulbos arredondados que chegam a medir 6 cm de diâmetro.
* As folhas que também são bem grandes, podem chegar a mediar 40 cm de comprimento.
* As flores são brancas e perfumadas e surgem em racemos, medindo cada uma delas 10 cm de diâmetro. Além disso, suas pétalas, seis, são distribuídas quase que formando uma estrela.
* A haste floral onde surgem as flores pode chegar a medir 70 cm de altura.
* Aprecia locais bem iluminados apesar de não gostar da luz direta do sol.
* Precisa ficar em lugares com boa ventilação.
* No interior dos ambientes, os vasos devem ser colocados em lugar que tenha boa iluminação. Já nos canteiros, onde tenha sombra, ajudando a criar ótimo efeito de forrações e folhagens baixas.

Solo ideal para seu cultivo
*
Argilo-arenoso.
* Tem que ser rico em matéria orgânica.
* A mistura ideal do solo é de 2 partes de terra argilosa com 1 parte de areia e mais uma parte de composto orgânico.
* Para que as flores cresçam bonitas e rápido é melhor colocar farinha de ossos na mistura.

Eucharis Grandiflora1
Como plantar
* O espaço entre os bulbos na hora do cultivo deve ser entre 40 ou 50 cm entre eles.
* Não coloque terra demais para cobrir os bulbos. Basta uma fina camada de terra.
* Pressione, sem fazer força, o substrato em volta dos bulbos para firmá-los.
* Quando se cultiva em vaso, o ideal é que ele tenha pelo menos 20 cm de diâmetro.

Dicas para cuidar da planta
* Não se deve regar a estrela-de-belém demais para evitar que os bulbos terminem podres.
* Ao sinal da haste floral é hora de colocar fertilizante líquido e esperar que as flores apareçam. A diluição na água deve ser aquela recomendada pelo fabricante.

Reprodução da planta
*
A propagação é feita através da divisão dos bulbos mais velhos.
* Normalmente, esse processo acontece entre o fim do inverno e o início da primavera.
* O primeiro passo é retirá-las do canteiro ou do vaso e os bulbos devem ser retirados com cuidado para remover a terra.
* Em seguida, se separa os bulbos com muito cuidado para que não se quebrem.

54

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.