Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




26_Aechmea_fasciata

A aechmea é uma das plantas que fazem parte da família das bromeliáceas e entre elas é considerada uma das maiores. A maioria delas apesar de não ser parasita, vive em árvores e apresenta hábitos de plantas epífitas.

A planta que tem como característica grandes folhas que formam uma roseta, são consistentes e possuem algumas manchas cinzentas têm origem na América do Sul nas suas florestas úmidas. Essas folhas formam um tipo de calha e essa leva a água para um “copo” central. E essas folhas para manter a planta sadia devem sempre estar cheio e a água que enche esse “reservatório” é aquela da chuva.

Quando a aechmea fasciata chega na idade adulta ela exibe um longo pendão cheio de flores, porém, isso acontece uma única vez e logo elas morrem. Antes dessa floração, crescem rebentos e são eles que garantem que a espécie se reproduza.

A aechmea deve ser planta com uma mistura de areia, não muita, e composto orgânico e esse cultivo deve acontecer durante a primavera. Ela deve ser colocada de forma bem firme na terra e deve ficar em um lugar que receba bastante luz natural, porém, nunca diretamente sob o sol. A temperatura ideal para essa planta é acima de 15 graus.

Outro detalhe importante para manter bonita a aechmea é que a terra esteja sempre úmida, mas nunca colocar água demais e acabar encharcando a terra.

Observe que é necessário fazer a troca da água do reservatório de vez em quando para evitar que ela fique estagnada. A cada 15 dias use adubo líquido na terra.

O momento de cultivo é durante a primavera, mas a aechmea precisa muito da umidade do inverno. Você poderá observar que em agosto as flores murcham e esse é o ciclo natural da planta. O correto é cortá-las na base com cuidado. Depois disso surgirão os rebentos bem em volta do corpo da planta.

Os rebentos da aechmea fasciata crescerão rápido e nesse mesmo momento a planta-mãe estará passando pelo estágio de murchar até morrer. Espere então que os brotos estejam fortes e corte a planta-mãe. O corte deverá ser feito acima da camada de terra. Depois você decide se deixar os brotos no mesmo vaso ou replantá-los em um outro. As flores voltam a aparecer entre 12 a 18 meses depois desse processo.

A propagação por sementes da Aechmea fasciata
A terra ideal para germinar essa fascinante bromélia é de uma parte de areia para duas partes de composto orgânico. Depois a sementeira deverá ser protegida com um plástico transparente e a temperatura do local deve ficar entre 20 e 26 graus, mas na sombra.

Essa mistura deverá ser umedecida e quando se observar que as mudas estão fortes é hora de colocá-las em vasos, cada uma em um.

Quando o cultivo é feito através de sementes, as primeiras flores apareceram só 5 anos depois e os rebentos podem ser passados para outro vaso em qualquer momento do ano. Mas, não se esqueça de usar um bom composto orgânico.

As folhas da aechmea podem ficar descoloridas se elas forem expostas ao ar seco. Outro detalhe importante é sempre ter um prato embaixo do vaso da planta com água e nos dias de muito calor as folhas deverão receber água através da pulverização.

Vale ressaltar que o tempo muito frio, estamos falando de temperatura abaixo de 13 graus e as correntes de ar podem danificar as folhas. Nesses casos, procure colocá-las em um ambiente com a temperatura mais alta.

Hábitos da família da Aechmea – As Bromeliáceas
1 – Hábitos
Os hábitos das plantas que pertencem a família das bromeliáceas, em geral, são herbáceo, com alguns casos de lenhoso.
* A maioria das plantas fazem parte da família de pequeno a médio porte.
* As plantas da família podem ser: rupícolas, terrestres ou epífitas. Normalmente, os caules são contraídos.

2 – Sobre as folhas e raízes
*
As raízes de qualquer planta que pertença a família da bromeliáceas têm a função fixá-las e mais nada.
* A “alimentação” para obter nutrientes e água é feita através de escamas absorventes.
* As folhas formam uma roseta porque se apresentam em espiral, em alguns casos podem ser tubulares muito abertas.
* As margens das folhas podem ser de espinescentes a lisas e é isso que torna fácil o reconhecimento das plantas da mesma família.
* Cada escama foliar tem duas unidades que são: escudo e pedículo.

3 – Sobre as flores e a inflorescência das plantas da família das bromeliáceas
*
A época das flores das plantas dessa família é muito bonita graças ao seu grande colorido.
* As flores aparecem nas laterais, são terminais ou aparecem composta ou simples em racemo, panícula ou capítulo e dificilmente são isoladas.
* As flores se apresentam em corola ou cálice e são trímeras, são hermafroditas.
* As sépalas são concrescidas na base ou livres, podem se apresentar simétricas, mas prevalece as assimétricas, as pétalas são parcialmente soldada.

4 – Frutos, sementes, polinização e reprodução
*
Os frutos normalmente são carnosos, em baga e seco e as sementes dos mesmos possuem apêndices aliformes ou plumosos. Pode acontecer de algumas plantas das espécie terem frutos com sementes sem apêndices.
* A polinização acontece graças aos beija-flores e os morcegos também fazem a mesma função durante à noite, assim como besouros, abelhas e borboletas. Outro modo de polinização é feito através do vento e com a ajuda de outros animais, quando as sementes não possuem apêndices.
* Aechmea fasciata e as outras plantas dessa espécie fazem a sua reprodução através de duas maneiras: sexuadamente e assexuadamente. Nesta segunda, também chamada de vegetativa, o processo acontece com a produção dos brotos que saem da planta mãe. Já no caso da reprodução sexuada ou que se dá através das sementes é mais comum em uma parte das plantas da família. É quando a germinação acontece partindo da planta mãe.
* Os grãos de pólen das plantas da família das bromeliáceas são: monocolpados típicos, porados ou monocolpados.

Seguindo todas as instruções e conhecendo melhor a família dessa espécie de planta você terá grandes chances de tê-la sempre bonita e saudável. Vale ressaltar que para isso é preciso dar atenção à ela e seguir todas as regras.

janel354

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


Gerânio

O Gerânio é uma planta muito utilizada no paisagismo, devido à beleza de suas flores em formato de mini-buquês coloridos, e à sua folhagem recortada, bastante ornamental.

Os gerânios compões um grande grupo hortícola de arbustos de textura semi-herbácea, abrangendo inúmeras variedades hortícolas.

As plantas possuem aroma forte típico, alcançando 60 a 90 cm de altura, com ramos suculentos, às vezes com uma mancha na folha chamada de “zona” ou “ferradura” de contorno, ou com variegação.

Suas flores surgem na primavera-verão, e possuem diversas colorações. A planta tolera climas mais frios.

Os Gerânios ficam muito bem nos jardins públicos e residenciais. Trata-se de uma planta bastante popular, porém, nem todo mundo sabe que a sua origem é a África do Sul e pertence à família Geraniaceae.

Outro nome popular pelo qual os Gerânios são conhecidos é Pelargônio em referência ao nome científico. A palavra pelargonium vem do grego pelargos que significa cegonha devido ao bico da ave que parece bastante com o fruto do gerânio.

O gerânio é uma planta herbácea que possui aparência de arbusto e cujo caule é ereto. Uma planta que possui muitas ramificações e as suas folhas arredondadas são alternadas e tem um pecíolo longo. Podemos dizer que as folhas dessa planta lembram bastante uma ferradura, a textura das folhas é bastante macia.

Pelargonium-x-hortorum-Wilhelm-Langguth-L.H.Bailey

Algumas dessas folhas possuem manchas circulares marrons, amarelas, vermelhas ou num tom de ver mais escuro. O visual da planta com as suas folhas é bastante interessante e bonito para compor o jardim. Uma planta que possui um odor bastante agradável, uma das características mais acentuadas do gerânio.

As flores do gerânio podem aparecer simples ou dobradas em cores como rosa, branco, vermelho, escarlate, carmim ou então com manchas mais claras. Essas flores são reunidas em racemos que podem ser pequenos ou grandes formando assim uma cabeça que tem um pecíolo longo ereto e com um aspecto bastante ornamental.

O florescimento do gerânio acontece em especial durante a primavera e pode se dar até o final do verão. O cultivo dessa planta pode ser feito em regiões mais frias ou com temperaturas mais amenas desde que não hajam geadas. Em geral o gerânio prefere um clima mais puxado para o tropical.

Como cultivar Gerânios
O gerânio é um tipo de planta de fácil cultivo, dentre as suas principais necessidades estão à luz direta para que possa crescer e se desenvolver bem como para o seu período de florescimento. A luz é muito importante uma vez que quando falta a planta começa um processo de se esticar procurando por ela o que faz com que gaste energia e assim pode acabar não conseguindo florescer.

O cultivo dos gerânios deve ser feito em canteiros que sejam bem arejados, ou seja, não pode ter muitas plantas amontoadas. O solo deve ser permeável e profundo, uma boa drenagem é essencial para evitar problemas como raízes afogadas, por exemplo.

Substrato
O substrato ideal para o cultivo de gerânios é aquele composto por húmus de minhoca, areia, farinha de ossos e adubo granulado do tipo NPK com formulação de 4-14-8. Para que a planta se desenvolva melhor o pH mais indicado é de 6,1 a 7,0.

No caso de quem vai cultivar os gerânios em vasos a dica é usar o mesmo tipo de substrato, porém, com a proporções de 4 porções de húmus para cada 1 porção de areia, 2 colheres de adubo e 3 colheres de farinha de ossos. Uma dica importante é resolver bem num balde antes de empregar no cultivo de plantas.

Pelargonium-

A propagação de Gerânios
A melhor forma de fazer a propagação dos gerânios é por meio do uso de estacas de ponteiro. Essas estacas devem ter até 10 cm de comprimento e precisam ser colocadas na areia, casca-de arroz carbonizada ou então em vermiculita. O local em que essas estacas serão mantidas deve ser úmido.

Uma forma de garantir que não irão perder a umidade é usar um saco plástico sobre o recipiente em que se encontram os gerânios. O período do ano mais indicado para realizar estaquia é o inverno, o resultado pode ser obtido em aproximadamente 15 dias. Para isso prepare o vaso colocando cacos de tijolos, brita ou manta geotêxtil no fundo, em cima você deverá colocar areia úmida, isso vai contribuir para que a drenagem seja bem feita.

Na sequência é necessário colocar o substrato que indicamos acima e então realizar o transplante para vasos que tenham a mistura recomendada. Esse procedimento deve ser feito com muito cuidado para que as raízes não sejam danificadas. Para garantir que o processo seja bem sucedido é necessário preencher usando mais substrato e apertar levemente para que seja feita a fixação, para terminar regue.

Pelargonium-x-hortorum-Wilhelm-Langguth-L.H.Bailey

Local de cultivo
Os gerânios deverão ser deixados num local arejado e bem iluminado, mas cuidado para não deixar num local com incidência direta do sol, pois isso pode causar danos a planta. Assim que perceber que o florescimento irá começar leve as suas plantas para canteiros previamente preparados.

Os canteiros devem ter um espaçamento de 0,50 m, isso vai garantir que cada gerânio tenha o espaço adequado para se desenvolver e crescer.

O uso no Paisagismo
Durante muito tempo os gerânios não foram vistos como plantas passíveis de fazer parte de projetos paisagísticos modernos, trata-se de uma planta identificada como do jardim da vovó. Aos poucos essa imagem foi mudando e os gerânios passaram a integrar o paisagismo em regiões em que o inverno é mais ameno ou então em regiões de clima mais quente.

O mais interessante em relação aos gerânios é que eles podem ser usados tanto em projetos de grandes canteiros formando renques como também de forma mais simples junto a muros. Também pode ser cultivada como uma planta de vaso para quem prefere. Os gerânios tem muita graciosidade quando empregados como parte do paisagismo do jardim.

Atualmente, os gerânios fazem parte de uma lista de plantas que são utilizadas com frequência em jardins. Quem está em busca de um colorido diferenciado e com um visual único para o seu jardim não pode deixar de considerar cultivar gerânios. Uma planta que tem belas flores e cuja delicadeza acrescenta ao visual final do jardim.

janela 321

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


suculentas

Ninguém pode discordar que ter plantas em casa traz uma sensação boa e até mesmo uma energia positiva. Mas muita gente não leva jeito com as plantinhas e acaba deixando-as morrer de sede.

As suculentas são uma boa opção para quem é um pouco esquecido, pois elas precisam de pouca água e poucos cuidados.
São plantas lindas com diversas formas, cores e texturas. Depois de se apaixonar por elas, muita gente começa a colecionar.

Você pode reservar um cantinho na sua casa e colocá-las em uma mesa, ou em prateleiras. Elas precisam de pouca água, mas precisam de muita luz. Então, mantenha-as perto de janelas, em lugar bem iluminado.

Também é importante manter qualquer planta em lugar arejado, pois quando não existe ventilação, o ambiente fica propício para o aparecimento de doenças e pragas.

Com as dicas corretas e atenção às necessidades individuais dessa espécie das plantas suculentas você terá o resultado perfeito.

O cultivo das suculentas em vasos
1- Prepare: vaso com drenos, cascalho e a terra apropriada para as suculentas.

O bacana das plantas suculentas é que você pode estar com temperaturas à 40ºC ou com 10ºC,  que olhando para elas dá a sensação de estamos no deserto. É isso que elas fazem em qualquer lugar que sejam plantadas.

Dentro de casa, cultivadas em vasos, as suculentas dão um ar exótico para a decoração. E a boa notícia é que depois de cultivadas como se deve são bem fáceis de cuidar. Duas coisas essenciais para qualquer tipo de planta e exigidos ao mínimo pelas suculentas são: poda e água, elas gostam de pouca.

Para uma pessoa que ainda não está com os dotes de jardineiro aprimorado, começar o cultivo pelas suculentas é uma boa opção.

1 – Pegue o vaso com os drenos e acrescente o cascalho que deve ficar na altura, mais ou menos, de 2, 5 centímetros. Ele é fundamental para que não se crie nas raízes uma umidade excessiva que causaria doenças e poderia até fazer com que elas apodrecessem.

Com o cascalho a água da rega escoará como se deve e jamais acontecerá o encharque da terra.

Sobre o vaso, os de barro são aconselhados para o cultivo de suculentas, sem falar que são lindos e o contraste com a planta fica perfeito para sua decoração.

Lembre-se que as raízes da suculenta são grandes e por isso, o vaso deve ter um tamanho que não comprometa o crescimento delas, principalmente, se você optar por plantar mais de uma muda.

Não tem problema caso você queira plantar em um vaso pequeno as suas suculentas e quando elas crescerem transportá-las para um vaso maior, desde que isso seja feito com cuidado e observando as “regras”.

2 – Depois do cascalho é hora de colocar a terra para as suas plantas e lembre-se que ela deverá ocupar  3/4 de todo o volume do vaso.

Há também a opção de preparar um substrato especial para as suculentas, que normalmente são feitas com escória vulcânica, perlita e areia.

Vale ressaltar que as suculentas podem morrer pouco depois do cultivo, quando estão crescendo, porque o substrato em que foram colocadas não era adequado. Até mesmo o substrato fértil demais pode interferir de forma negativa no crescimento das suculentas.

Antes de prepara a terra para a sua suculenta se informe do que é necessário para ser 100% adequado.

3 – Depois da terra é hora de clocar a suculenta dentro do vaso e a maneira correta de pegá-la é com cuidado pelo caule e depois dentro do vaso fazer com que ele fique ao nível da boca do mesmo. Em seguida, vá colocando com as mãos mais substrato até preencher toda área que ficou em volta da planta e de modo que ela esteja firme dentro do vaso.

4 – Agora é hora de regar. Assim que terminou de plantar a sua suculenta comece a colocar água até que você veja que está saindo pelo dreno. Atenção: faça isso somente se o substrato que foi colocado estiver seco, caso já esteja úmido não faça a rega.

Quando comprar a planta veja se ela precisa de regas semanais ou mensais e também o que o clima influencia nisso. Existe uma diferença entre uma espécie e outra de suculentas.

5 – A suculenta deverá receber adubo uma vez ao mês e de preferência com produto rico em fósforo e com menor quantidade de nitrogênio. Veja qual a dose recomenda o rótulo e dilua metade dela na água antes de aplicá-la. O produto deverá ser aplicado diretamente na terra.

O cultivo de suculentas no jardim
Apesar de se tratar de flores que amam o clima seca, elas se desenvolvem em qualquer jardim, sem problemas. Nem a diferença climática impede que elas sejam cultivadas em qualquer região. Podemos dizer que as suculentas são irmãs dos cactos, porém, elas podem ser encontradas com uma grande variedade de tamanhos, cores e formatos.

Você vai precisar para cultivar suculentas no jardim de: mangueira, pá de jardinagem e uma boa área na parte externa de casa.

1 – O primeiro passo é preparar a parte do terreno do seu jardim que será usada para fazer o cultivo. Escolha aquele canto em que o sol atinge de cheio e de preferência que seja arenoso. Não se esqueça de fazer de forma com que o solo seja bem drenado.

Retire grama e ervas daninha caso tenham e depois faça o arado do solo. Retire também pedras e quebre qualquer torrão que encontrar pelo caminho.

2- O segundo passo é fazer a escolha das espécies de suculenta você gostaria de plantar. Misture formas, cores e tamanhos e na hora de cultivar faça “arranjos”, agrupe as que são do mesmo tipo. As suculentas mais usadas em projetos de paisagismo são: seduns, cacto, aloé e planta-jade.

3 – Antes de cultivar as suculentas, olhe o jardim e planeje como irá colocá-las, de que forma, com que espaço entre cada uma delas. Faça tudo da forma mais harmônica possível e claro, que deixe o seu jardim ainda mais bonito.

4 – A pá de jardinagem servirá para fazer as covas. Considere o tamanho ideal de cada uma, que sejam maiores do que as raízes juntas. E lembre-se que a base da planta não deve superar muito a borda do solo.

5 – Depois de colocar as mudas é hora de cobri-las com a terra. Faça esse processo com as mãos e delicadamente, mas certifique-se de que as plantas estão bem firmes no solo.

6 – E chegou a hora de irrigar. Sendo no jardim e muitas, use a mangueira. A irrigação nesta fase serve também para ajudar que as raízes fiquem firmes dentro do solo. Porém, a rega não deverá ser repetida nos dias seguintes.

Quando comprar as mudas procure informação sobre a rega que cada uma delas precisa, normalmente varia entre uma vez por semana ou somente uma vez por mês. Observe essa diferença também na hora de plantá-las uma próxima da outra. Coloque perto aquelas que exigirem o mesmo tipo de rega.

Com reproduzir as plantas suculentas
Plantas consideradas como suculentas são todas aquelas o talo, a raiz ou as folhas apresenta uma aparência mais gordinha, permitindo que haja o armazenamento de água em suficiente quantidade para manterem-se bem, independente se forem regadas ou não com frequência, por isso se mostram bem diferentes das plantas comuns.

Esta forma de adaptação faz com que essas plantas possam ter reservas de líquido por prolongados períodos, sobrevivendo assim a ambientes secos e áridos, lugares que para qualquer outro tipo de planta seria impossível de se desenvolver.

Exemplo de suculenta
O exemplo mais comum que temos de planta suculenta é o cacto, nos quais seus talos possuem uma capa grossa de tecido parenquimatoso. Além deles há muitas outras famílias de vegetais que apresentam as mesmas características.

Cactus monstruoso - Cereus peruvianus var. monstruosus

A facilidade de adaptação das suculentas faz com que possam desenvolver muito bem em ambientes quase sem habitação, e com isso possuem quase nenhuma competição por parte das demais espécies, sendo que nesses locais há grande escassez de indivíduos herbívoros. Para auxiliar na apreensão da pouca umidade contida no local, muitas dessas plantas são pubescentes, com isso mostram uma superfície cheia de pelos que seguram o orvalho que se forma nas primeiras horas do dia.

Outras formas usadas para aumentar a retenção da umidade é a diminuição da superfície em contrapartida ao volume da planta, restringindo o número de raízes e o tamanho das mesmas bem como, a ampliação de partes de cera na parte de cima de talos e das folhas. Desta forma diminuem o processo de perda d’água por meio da evaporação.

Reprodução de plantas suculentas
1 – A primeira coisa a se fazer para conseguir uma reprodução adequada de suculenta é escolher uma folha que esteja bonita e saudável.
2 – Assim que a mesma for escolhida deve ser removida com bastante cuidado, diretamente na ligação que tem com o caule da planta.
3 – Deixe a folha ou as folhas escolhidas repousarem durante aproximadamente 03 dias no mínimo e no máximo uma semana, num recipiente. Saibam que esse é o segredo para que a reprodução seja um sucesso. Fazendo desta forma, a ponta da folha irá cicatrizar, e formará uma espécie de calo, e não correrá o risco de apodrecer e acabar morrendo. Entretanto, se quiser, pode deixar a planta ali por mais tempo, de forma que ela repouse e surjam raízes e, em determinados caso, até mesmo brotos.
4 – Depois de processo de espera e descanso é só partir para o plantio da muda. Assim que o broto começa a aparecer e crescer a folha primeira passa a secar até chegar a morrer, a partir desse momento é possível fazer o transporte da muda para o vaso que achar melhor.

Dicas Importantes
Entretanto, veja bem sem as raízes estão prontas e as folhas novas desenvolvidas e firmes antes de partir para a remoção. Uma ideia interessante é já plantar a folha em um lugar definitivo, para que elas possam preencher todo o vaso e haja a preocupação com o transporte da planta. Também é necessário regar a planta de vez em quando, já que muda precisa de rega para poder se desenvolver de maneira plena.

Finalmente, seja paciente com a natureza, já que todo o processo de reprodução é como se fosse magia, devagar, mas ali, debaixo da terra as coisas estão acontecendo, no tempo das plantas e não no seu. Caso já plante a folha com a raiz desenvolvida e o brotinho em processo, todo o desenvolvimento da planta acontece com maior rapidez. Por isso, se for apressado, plante tudo já assim.

Lembre-se que apenas retirar a folha mãe da planta original e sair plantando na terra não funciona. É preciso que se tenha paciência e que aguarde a folha cicatrizar e até mesmo, como já foi dito, criar raízes e brotos e somente depois colocá-la num solo apropriado.

Às vezes esse tipo de reprodução vem a surgir por acaso, quando se pega as folhas caídas do chão, se deposita num potinho e logo as mesmas criam brotos e raízes.

Há ainda a possibilidade de as suculentas se propagarem de forma natural, podendo ser isso facilmente observado em jardins e até mesmo em vasos grandes onde as suculentas acabam tomando conta de quase todo ele.

Muitos insistem em mencionar que as plantas suculentas não são chegadas a água, mas quem tem uma delas em casa sabe que elas gostam sim, mas preferem não ficar encharcadas como muitas outras plantas. Todos os seres vivos gostam de água e precisam dela para manterem-se saudáveis e até mesmo felizes.

Como regar as planta suculentas
As regas ideias para as suculentas devem acontecer sempre que se percebe a necessidade das plantas, ou seja, algo em torno de uma vez durante a semana nos meses mais frios e nos mais quentes no máximo duas por semana e até uma, depende do comportamento da planta.

Mas, da mesma forma que as pessoas, as plantas também apresentam um comportamento único, com isso, o que vale para uma delas pode não valer para as demais. Por isso é aconselhável que se consulte sites com informações sobre os possíveis cuidados a serem tomados com vários tipos de suculentas.

Além disso, muitas delas preferem ficar completamente no sol outras, no entanto, preferem ser colocadas a meia sombra, já que se desenvolvem melhor nessas condições. Então, fique atento ao tipo de suculenta que irá reproduzir e veja qual o melhor local para abrigá-las, sem correr o risco de perdê-las.

É importante também que as suculentas sejam plantadas numa terra adubada, e que possua uma drenagem adequada, para que ao final do vaso ela não fique encharcada, senão, pouco a pouco as raízes acabarão apodrecendo e, quando você notar, já não terá mais suas queridas plantas. Por isso, é fundamental que, no fundo do vaso sejam colocados alguns pedregulhos ou cacos de telha para permitir que o excesso de água colocado possa sair livremente e não fique acumulado na terra. Lembre-se de por a água somente na terra e não diretamente na planta, para não encharcar demais.

Aproveite as dicas e tenha muitas suculentas para embelezar sua casa.

bird11

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


Lírio-tocha (Kniphofia Uvária)

O lírio tocha faz parte da família das Asphodelaceae e como categoria é classificada em duas: como flores perenes e como bulbosas.

Como toda espécie de planta, ela também tem o seu clima preferido. No caso do lírio-tocha ela pode se adaptar bem a 5 climas, que são eles: oceânico, mediterrâneo, tropical, temperado e subtropical. Sendo assim, dá para saber que é uma planta que pode ser perfeitamente cultivada em solo brasileiro com grandes chances de sucesso, graças ao clima.

Essas plantas saíram da África e da África do Sul. E deve ser por esse motivo, levando-se em consideração o clima desses lugares é que o lírio tocha ama o sol pleno, mas também fica bem quando tem meia sombra.

Sobre a medida da sua altura fica entre 0.6 e 0.9 m e possui um ciclo de vida classificado como perene.

Ser uma planta perene significa que a espécie tem uma ciclo de vida que supera os dois anos, considerado longo.

É uma planta de aspecto exótico, pois essa herbácea é entouceirada e dá a ela esse tipo de aspecto.

Suas folhas são bem verdes e possui um “acabamento” que merece destaque. As margens delas são longas, serrilhadas e mais afiladas e glabras.

Apesar da particularidade da forma exótica do lírio-tocha e de suas folhas serem particularmente belas, o que realmente atrai a atenção para esse tipo de planta é a sua  inflorescência.

É um verdadeiro espetáculo o período de inflorescência, onde as flores tubulares crescem dando um aspecto perfeito, graças a sua densidade e o quanto são altas. Sem falar que são muitas flores, que aparecem “presas” a hastes fortes e também compridas.

Outra parte bela da inflorescência da lírio-tocha é o colorido das flores, que se apresentam em um degradê perfeito. E se não bastassem tanta beleza, dá para observar que as flores crescem de baixo para cima e com isso vai se criando um efeito de cores particularmente belo. As flores que são mais coloridos, que tem a cor mais forte ficam na parte de cima e as demais vão clareando de acordo com a proximidade da base. Até chegar embaixo bem clarinha.

Líriotocha

As variedades de Lírio-tocha
Outra grande surpresa que as plantas lírio-tocha nos oferecem é o fato de contar com uma grande variedade. A diferença entre uma e outra está no colorido das flores. Em geral, todas elas são de cores quentes como vermelho, laranja, amarelo ou creme. O porte dessas flores e a variedade no colorido se dá de acordo coma época da florescência.

O período de florescência de qualquer uma das variedades do lírio-tocha é entre a primavera e o verão.

Elas atraem os beija-flores e normalmente, no paisagismo são usadas tanto em plantações em grupos ou também no plantio isolado. Com elas são formados maciços ou bordaduras, por exemplo.

Cultivo do lírio-tocha
As características ideias para se fazer o cultivo de qualquer uma das variedades do lírio-tocha são:
* O cultivo da planta deve ser feito durante o sol pleno ou também pode ser cultivada a meia sombra;
* O solo para receber o lírio-tocha deve ser leve e muito fértil, mas primeiramente ele deverá ser enriquecido com matéria orgânica;
* As regas devem ser feitas todos os dias de manhã cedo ou no fim da tarde durante o verão;
* Vale lembrar que as regas deverão ser feitas com menos frequência durante o frio e que o lírio-tocha suporta tanto geadas quanto o frio;
* E o principal, para multiplicá-lo poderá ser usado dois métodos: as sementes ou também através da divisão a touceira.
* O lírio tocha não suporta solos arenosos e com pouco nutrientes, além daqueles encharcados.

Preparação do canteiro para cultivar o lírio tocha
a – A terra deverá ser revolvida várias vezes para que isso permita a entrada de ar e depois dessa etapa é necessário enriquecê-la com adubos orgânicos, de preferência animal e também um pouco de areia no fundo para ajudar no escoamento da água.

b – É aconselhável colocar composto orgânico bem particulado.

c – Considere a seguinte quantidade para cada metro quadrado de adubo: deve ser bem curtido de gado, 1 quilo. A mesma quantidade também pode ser substituída por aquele de aves. Depois misture bem com a terra e nivele.

d – Se você comprou uma muda, provavelmente ela estará dentro de um saco plástico ou dentro de um balde, e em ambos os casos, com os rizomas. Neste caso, considere 8 centímetros como a profundidade necessária para plantá-la.

e – As mudas deverão ser retiradas do lugar em que foram compradas fazendo um corte com o podão. É muito importante que os rizomas saiam perfeitos para o cultivo. Depois é só abrir a cova e usando as mãos colocá-la e ir arrumando a terra. Aperte ao redor, mas não com muita força.

f – A rega depois do cultivo deve ser feita todos os dias até completar 10. Passado esse período deverão acontecer com intervalo de 2 a 3 dias. Observe se a terra está precisando de água.

g – Fique atento ao espaço necessário entre as  mudas que deve ser de pelo menos 0,70 até 1,20. As fileiras devem ser feitas de forma desencontrada.

Reprodução ou propagação do lírio-tocha
* A técnica usada para propagar o lírio-tocha é das touceiras e deve ser feito depois que passar o período de florescência.
* Abra em torno da muda para ficar aparente os rizomas.
* A faca que será usada para fazer a limpeza deve ser afiada e esterilizada para não ferir o caule e não deixar a planta doente.
* A vantagem é que a planta não apresenta problemas com doenças tão cedo. Passam anos e ele está sempre saudável.
* Na primavera é necessário adubar e o ideal é que seja feita uma mistura de adubo animal com orgânico. Proporção: 4 por 1. Coloque em volta da planta e depois regue.

janel30

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


plumbagoauriculata

A bela-emília faz parte da família das Plumbaginaceae e quando o assunto é categoria, ela está presente em três delas, que são: cercas vivas, arbustos tropicais e arbustos. É originária da África do Sul e da África e por isso, a sua preferência pelos climas tropical, oceânico e subtropical.

É uma planta que gosta de sol pleno ou no máximo, de meia sombra. Apesar de ser uma planta rústica, a bela-emília é também muito versátil e por isso é muito usada por paisagistas em projetos de jardins e outros.

Uma das características marcantes da planta é o fato de ela ser muito ramificada, por isso, é uma das espécies escolhidas quando é necessário criar uma cerca viva em um projeto. É muito comum que a planta seja tratada como uma trepadeira, mesmo não sendo uma característica original dela.

Se as folhas concedem uma beleza única para a bela-emília o mesmo podemos dizer das flores. São tão lindas quanto a folhagem. Com total delicadeza, as flores formam buquês de pequena dimensão. E entre as espécies, encontramos algumas com flores em tonalidade azul. Porém, a maioria das plantas que encontramos é de flores brancas e delicadas.

A bela-emília adora sol e isso deve ser levado em consideração também na hora do cultivo. A sol pleno ou a meia sombra é que ela deve ser cultivada. Não importa se sozinha ou para formar cerca viva.

Não é uma planta exigente. A poda com regularidade pode ser o suficiente para que as flores apareçam sempre, assim como as folhas se renovem, exigindo pouco em relação a fertilidade.

E já que estamos falando de cultivo, vale ressaltar que na hora de multiplica-la podem ser usados os seguintes métodos: sementes, estacas ou mergulhia. E um detalhe importante, a planta não tolera frio.

Foi dito que podemos encontrar a bela-emília em relação a altura, porém, vale ressaltar que é mais comum encontrá-las com a medida entre 1,8 a 3 m de altura. Ressaltando que são muito ramificadas porque é uma planta categorizada como arbusto e isso faz parte das suas características.

Brancas ou azuis as flores cobrem esse arbusto praticamente o ano inteiro, claro, que estamos falando de quando elas são cultivadas em regiões mais quentes, que conhecem pouco o frio.

O frio suportável para a bela-emília não pode ser inferior a 10ºC. Porém, pode ter certeza de que a planta é uma espécie bem fácil de cultivar e também de cuidar. O essencial é que ela esteja em um ambiente propício em relação ao clima e as flores e as folhas estão garantidas praticamente o ano todo.

Bela Emília alba

Aprenda o passo a passo como cultivar a planta Bela-emília e veja como é fácil tê-la florida e com folhagem verdinha.
1- Como qualquer planta é necessário escolher uma terra fértil para o cultivo, além disso, preocupe-se com a drenagem da água. São fatores que fazem toda a diferença de um cultivo bem sucedido de um mal sucedido.

O cultivo deverá ser feito durante o sol pleno ou a meia sombra. Você perceberá que quando ela está sob o sol as flores aparecem. Porém, a meia sombra o efeito também é conseguido.

A terra se for levemente ácida, a plumbago agradece, e caso as folhas começarem a amarelar quando crescerem é por que o pH está alto demais. E mais um detalhe, quando for plantar mais de uma muda da bela-emília é necessário ter um espaço de no mínimo 90 cm entre cada uma delas. Se puder chegar a 1,5 m de distância, melhor ainda. Lembre-se que esses espaços é que garantem que a planta cresça forte, sem que uma prejudique a outra.

2- Depois de plantar é hora de regar o arbusto. A espécie deve ser regada  frequência. É muito importante que a terra esteja sempre úmida até que a raiz ganhe força e daí por diante ela conseguirá seguir o crescimento necessário.

A bela-emília é daquelas plantas que suporta ficar com a terra seca, obviamente não é para esquecer de colocar água sempre. Mas, se isso acontecer ela é capaz de sobreviver, mas cuidado para não colocar água demais.

3- Outro ponto importante para dar uma força para planta é a fertilização. É aconselhável fazê-la duas vezes por ano, uma na primavera e a outra durante o verão. É um modo de fazer com que as flores cresçam cada dia mais fortes e bonitas.

Fique atento a cor das folhas que podem ser sempre um sinal de que alguma coisa não está indo bem. Caso elas comecem a ficar amareladas, “cure” a sua planta aplicando sulfato de manganês nela. Faça isso seguindo as instruções da embalagem.

4- E para completar, para garantir a beleza da planta é necessário que as podas sejam realizadas. O momento certo de fazê-las é quando você percebe que os galhos cresceram demais. O tamanho também pode ser definido de acordo com a sua vontade, de como prefere. Não tem um tamanho correto que seja necessário seguir.

É muito comum que você plante a bela-emília e perceba que ela está ultrapassando os “limites” de onde foi cultivada. Se ela estiver sendo cuidada como se deve será vigorosa e passará o espaço em que foi plantada. Então, nada de pânico, use a tesoura de poda para apará-la. E sempre retire os galhos que morreram, quebrados e também aqueles que você percebe que estão enfraquecidos.

peixe

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


Yucca elephantipes

A Yuca-elefante também pode ser chamada de yuca-pé-de-elefante ou yuca-gigante. Essa planta é originária de muitos países vizinhos do Brasil, aqueles da América Central, Guatemala, Costa Rica, El Salvador, Honduras e México. A planta faz parte de um grupo cujo nome do gênero é o mesmo do seu primeiro nome Yucca, com a diferença da repetição de uma das consoantes na hora de escrever.

Trata-se de uma espécie de planta que pode atingir uma boa altura, ela pode chegar a media 8 m, porém, somente quando plantada ao ar livre e diretamente no solo. As outras plantas do mesmo gênero não conseguem atingir a mesma altura, a média é bem menor do que os 8 m que podem ser alcançados pela yuca-elefante.

Apesar dessa altura toda, a planta, pode ser cultivada dentro de um vaso e usada como planta ornamental de decoração de interiores.

Características da Yuca-elefante
Os troncos da yuca-elefante são pouco ramificados e são eretos. Suas folhas aparecem em grande quantidade, são pontiagudas e apresentam forma de espada. São folhas perenes e não apresentam espinhos na ponta. Para completar, se observa nas laterais da planta serrilhas, porém, vale ressaltar, que existe uma diversidade de folhas. Algumas delas são matizadas e a planta, neste caso, é chamada de yucca elephantipes variegata.

As flores da Yuca Elefante aparecem somente durante o verão e as suas principais características são: são sempre na cor branca, possuem forma de campânula e são cerosas. A curiosidade é que as flores dessa espécie são consideradas as flores nacionais de El Salvador.

Não é a toa que as flores da yuca-elefante aparecem no verão, na verdade, elas gostam mesmo é de sol pleno e no máximo, de meia sombra, elas precisam sempre se encontrar sob sol pleno.

O solo perfeito para o cultivo da yuca-elefante é aquele que possui um substrato com uma excelente drenagem. Quando a drenagem não é de boa qualidade, as raízes acabam apodrecendo e a planta morre.

Outra observação importante é em relação a rega, que não pode ser em excesso de jeito nenhum. A planta só pode ser molhada novamente depois que o substrato estiver seco. O que faz com que a yuca-elefante seja uma planta que tolera muito bem a falta de água.

Detalhes sobre a planta
O nome da yuca-elefante, mas precisamente, o nome yuca-pata-de-elefante, tem a ver com uma das suas principais características, é ter o tronco mais largo que a base o que faz parecer muito com a pata de um elefante.

Por ter uma presença marcante, a yuca passou a ser muito usada para ornamentação da parte interior da casa, mas atenção as medidas. Para se ter a espécie enfeitando a sala é necessário ter espaço. As folhas da yuca-elefante, por exemplo, podem chegar a ter 75 centímetros de comprimento, sem falar que as suas extremidades são pontiagudas, fazendo parecer ainda mais longa. Além disso, elas se apresentam com um tufo na parte superior porque são agrupadas. Também ficam em grupos nos troncos.

Além da beleza, uma outra vantagem da yuca-elefante é que ela é ótima para combater a poluição, porque é eficaz contra o benzeno, o amoníaco e o monóxido de carbono.

Se as características dessa planta animaram você a ter uma na sua casa, veja a seguir os cuidados necessários.

Os cuidados com a Yuca-elefante em casa
As plantas precisam de cuidados especiais, cada uma seguindo as suas próprias características e não seria diferente com a yuca-elefante. A seguir dicas para mantê-la bonita no interior.
* Para começar, quando tiver uma planta dessa dentro de casa, certifique-se de que o ficus dela esteja em um lugar com ótima luminosidade.
* A planta precisa de luminosidade, mas não deve ser colocada atrás de um vidro que esteja exposto ao sol. Os raios que passam entre ele e chegam até a planta podem acabar queimando as folhas.
* Quando tiver uma temperatura moderada fora de casa, coloque o vaso com a planta na varanda ou no terraço.
* A yuca elefante deve ser regada com moderação, nem muita água e nem esquecer de molhar. A atenção deve ser redobrada no inverno, para não exagerar. Normalmente, é necessário esperar que a terra da parte de cima esteja seca para regar novamente.
* Em dias de muito calor é aconselhável a nebulizar as folhas da yuca-elefante.

Os possíveis problemas com as folhas da Yuca-elefante e o motivo
Se de um dia para o outro as folhas da sua planta ficarem na cor branca. Fique atento! Esse é um sinal de que a rega está sendo feita em excesso. Quando isso acontece as raízes são sufocadas e por isso, a cor branca nas folhas. Tem como reverter, diminuindo a quantidade de água e o intervalo entre uma rega e outra.

As folhas da yuca-elefante também podem aparecer na cor amarela e também tem um motivo. Quando as folhas da sua planta apresentam essa coloração é porque ela está fazendo a renovação da folhagem. O que significa que está passando por um processo natural. A única coisa que deve ser feita, neste caso, é esperar que as folhas que ficaram amarelas sequem, arrancar e pronto.

Não é simples de cultivar a planta yuca-elefante. Se você pretende ter uma em casa é melhor comprá-la já em um determinado tamanho. Essa espécie é facilmente encontrada em lojas especializadas em venda de plantas e material de jardinagem. Antes de adquirir uma, tire as medidas do espaço que você tem em casa para colocá-la e considere as folhas longas, não coloque a sua planta em lugar de circulação para evitar que ela sofra danos.

lu

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


garden
Vários fatores podem ser determinantes para que um jardim seja menos ou mais bonito. A quantidade de vento que as plantas recebem, a intensidade do sol, a rega feita corretamente, o solo, enfim, detalhes todos eles importantíssimos. Mas, é claro que existem também os truques que os jardineiros usam que podem deixar qualquer jardim mais bonito. Veja algumas dicas!

1 – Tudo depende do planejamento que é fundamental para que o seu jardim fique mais bonito. O exagero na quantidade de plantas pode comprometer a qualidade. Sem falar que a quantidade deve ser baseada no espaço e nas espécies que foram escolhidas.

O bom jardineiro sabe que deve comprar as plantas de acordo com os metros quadrados que ele tem para cultivá-las.

Então, esqueça a ideia de grande quantidade e pense em qualidade, menos pode ser melhor e mais fácil de conservar, garantindo um jardim mais bonito.

2 – Não é só sair plantando em pronto. Você só terá a garantia de um jardim mais bonito se conhecer bem o solo para escolher as plantas certas para ele e “regulá-lo” o quanto será necessário.

E não é só isso, saber onde ele sofre com mais sombra ou mais sol também é determinante para saber onde poderá ser plantado o que.

Algumas plantas gostam mais de sol e outras não, então, conhecer cada pedacinho do seu jardim é a garantia de dar para cada uma delas o que elas precisam.

3 – Não dá para sair comprando as plantas para o jardim se ter certeza de que elas são adequadas a sua realidade. Tempo, tipo de solo, os vasos que serão escolhidos, se devem ser mais resistentes. Tudo isso deverá ser levado em consideração na hora de escolher flores e planta.

Outra atenção especial que deverá ser observada é em relação ao tipo de raiz das plantas que você está escolhendo. Esse ponto é fundamental para separar e distanciar uma da outra e garantir um jardim mais bonito e saudável.

4 – Não basta comprar mudas, plantá-las, regar e pronto. Dessa forma você nunca terá um jardim bonito.

Cuidar de um jardim requer trabalho e também alguns gastos, que não terminam com a compra de sementes e mudas. Coloque na sua lista: herbicidas, fertilizantes, adubo e mais utensílios para cuidar do jardim. As ferramentas garantem que as plantas sejam tratadas como se deve.

Também seja um jardineiro amigo da natureza, nada de mangueira na hora de regar as plantas, use baldes e aproveita a água da chuva também.

5 – As plantas precisam da luz solar, menos ou mais, elas devem receber os raios do sol. Mas, nem sempre temos uma posição privilegiada, neste caso, tem que “criar”. E fique de olho nas plantas que fazem sombra a outras. Pode os galhos e ramos se for necessário.

Na hora de cultivá-las deixe na melhor posição as que dependem mais do sol do que as outras.

Outra alternativa é cultivar em vaso, quando possível, aquela que precisa muito do sol, assim será possível retirá-la alguma horas por dia e deixá-la exposta ao sol. Depois ela volta mais bonito para compor o jardim.

6 – A água é fundamental para se ter um jardim mais bonito e deve ser usado da forma correta. Água demais também mata as plantas.

Um modo de não errar na hora de molhar as plantas é na hora do cultivo já pensar nesse detalhe e colocá-las juntas de acordo com a necessidade de cada uma de quantidade de água.

Quando o sol está forte não é hora de molhar as plantas. O horário ideal é de manhã cedo e no fim de tarde. Horários mais frescos.

7 – Na hora de comprar as plantas peça ajuda ao vendedor para agrupar aquelas que uma ajuda a outra. Um exemplo: os tomates podem ser defendidos de pragas por malmequeres. Plante um junto ao outro.

8 – O leite pode ser um ótimo fungicida. Isso mesmo. Coloque o líquido em um borrifador e aplique nas flores e nas folhas. Ele pode ser usado diluído em água ou puro.

Outra ideia alternativa para ajudar as plantas a ficarem mais bonitas é a criação da camada protetora com material orgânico. Use relva cortada, madeira, palha, folhas e até mesmo jornal picado. Isso vai garantir a umidade para as plantas e afastar as ervas daninhas.

9 – As ferramentas de jardineiro são necessárias se você quer ter um jardim ainda mais bonito. Esses objetos ajudarão na tarefa desde o cultivo até os cuidados. Porém, não esqueça que elas merecem atenção. Se preocupe em deixá-las sempre limpas para evitar que elas sejam a “ponte” de fungos e bactérias para as suas plantas.

Depois de usar as ferramentas de jardinagem, lave-as com sabão e água e enxugue antes de guardar.

10 – Na falta de espaço não se acanhe, faça um jardim em vasos. Use os utensílios grandes, que estão na moda e vão deixar o seu pequeno espaço mais bonito ainda.

Uma dica é plantar algumas espécies que podem estar juntas em dois, três vasos e colocá-los um do lado do outro. Pronto! O seu jardim está criado.

Se preferir use jardineiras, em caso de espaços muito reduzidos. Não esqueça de que a circulação do ar e o solo drenado da forma correta são de extrema importância para o seu jardim ficar mais bonito, isso conta também para vasos.

11 – Um jardim para ser bonito de verdade precisa ter a alegria das flores. Procure cultivar espécies que estão abertas quase o ano todo. Tente também equilibrar uma planta com a outra em relação ao tempo em que as flores aparecem. Assim, você terá um jardim sempre florido, se não for uma será outra.

Um jardim também pode ganhar o incremento de alguns objetos de decoração. Nada de exagero, porque as plantas é que devem ser as protagonistas.

janela e castelo

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


Gaura Lindheimeri

Há inúmeras plantas que podem ser cultivadas em nossos jardins, desde as menores até as maiores que ocupam quase todo o espaço disponível. Dentre as menores, bonitas e elegantes está a Gaura-rosa, que ainda pode ser chamada de Vela-esplendor e Vela-da-pradaria.

A Gaura-rosa é uma espécie originária do sul do Texas e da Louisiana, ambos pertencentes aos Estados Unidos.

É uma planta que apresenta grande durabilidade e que pode crescer até atingir uma altura aproximada que varia entre 50 e 1,50 cm, possuindo um caule grandemente ramificado e que faz seu desenvolvimento a partir de um rizoma subterrâneo. As folhas apresentam áreas lanceoladas e pilosas, e seu tamanho pode variar entre 01 e 09 cm de comprimento e mais ou menos até 13 mm de largura, ainda contando com uma lateral dentada grosseira.

Suas primeiras flores costumam aparecer entre as estações da Primavera até a o Outono, gerando flores cuja coloração é um misto bastante harmonioso de branco e cor-de-rosa, com medida variando entre 02 e 03 cm de diâmetro, e cada um apresenta apenas quatro pétalas.

Cultivo e uso da Gaura-rosa
Esta espécie de planta é bastante cultivada como planta para enfeitar, ou seja, ornamental. Com o passar do tempo passaram a ser selecionadas e cultivadas as mais variadas cores, que vão desde o branco mais puro, até o rosa bem escuro. Em determinadas plantas, as pétalas apresentam um efeito bastante inusitado, logo de manhãzinha, de madrugada, elas apresentam a cor brancas e com o entardecer do dia a cor começa a mudar e se torna cor-de-rosa.

Essas plantas são bastante utilizadas nos canteiros das áreas verdes ou são cultivadas em vasos para melhorar a textura e cor delicada. Ela se desenvolve mais e melhor quando está no sol pleno e pode viver por inúmeros períodos sem que haja uma rega regular.

A Gaura-rosa é também chamada por Moita-borboleta, uma comparação à forma de suas lindas flores, que fazem lembrança a antenas e asas do inseto. Ela se transforma em pequenas touceiras e pode ser cultivada em floreiras, vasos ou ainda formando bordaduras e maciços no jardim, em um local com bastante sol.

Gaura Lindheimeri1

Sempre ao final do verão, as flores começam a perder suas lindas cores. Ela é bonita, fresca, e torna o ambiente mais alegre e arejado, e passou a assumir o papel de outras plantas, a medida que é cultivada para trazer um toque de leveza para as laterais de um canteiro.

A hora de plantar essa planta é próximo ao mês de julho, especialmente num vaso não muito fundo e largo para que possa crescer de maneira bonita e saudável. Além disso, ela é uma planta perfeita para ser usada nas fronteiras dos canteiros, nos lugares mais ensolarados e quentes, pois ali que mais se desenvolve.

As flores da Gaura-rosa podem atrair muitos insetos, entre eles as borboletas que ajudarão a enfeitar mais e mais um jardim. A planta pode ser usada para formar cercas vivas, ou cercas de arbusto baixo, para deixar tudo mais bonito e ao mesmo tempo proteger o lugar. Para o jardim aproveite da coloração para fazer a mistura de flores entre a Gaura e outras que sejam também, floridas e coloridas.

É possível preencher os vãos de jardins usando a Gaura, mas é importante lembrar que a mesma necessita de espaço. A mistura da cor rosa e branco fica perfeita em muitos lugares, basta que faça uma poda adequada. As flores vão crescer durante vários meses e sua durabilidade é grandiosa, não necessitando de muitos cuidados e nem de regas diárias, sobrevivendo por longo tempo na seca.

Cultivo: ela pode ser cultivada sob o sol ou sob um pouco a sombra. Ela pode se desenvolver no interior dos imóveis, desde que o local tenha uma iluminação adequada e uma ventilação boa também.

Temperatura Ideal: Ela consegue resistir bem desde que seja sob temperaturas moderadas. Se desenvolve muito bem em climas secos.

Adubação: Seu solo deve ser rico em matéria orgânica para que haja um crescimento adequado, bem como com uma drenagem certa.

Regas: não há a necessidade de se regar continuamente ou diariamente essa planta, basta uma vez por semana. É preciso que durante o período de crescimento seja regada a cada 20 dias.

Podas: Com a chegada do verão e a diminuição das flores, é o período ideal para se fazer  a poda, sendo que a mesma não pode ser muito rente, sob pena de acabar matando os galhos e, consequentemente, os futuros brotos.

A primavera é a melhor época para se fazer a multiplicação das mudas, o tempo está quente e um tanto seco, perfeito para as Gaura-rosa. Sendo que as flores aparecem com maior abundância desde o final da primavera até o começo do outono.

As doenças e pragas aparecem com maior facilidade quando a terra dos vasos ou canteiros permanece úmida por muito tempo, por isso, é importante que a rega não seja feita com muita frequência, senão o solo encharca propiciando o surgimento de invasores indesejáveis.

riach

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


Dianella tasmanica 'Variegata'

A espécie, que é ornamental, isto é, é usada para decoração de jardins, no paisagismo, pertence a família Xanthorrhoeaceae e sua origem é da Tasmania, da Oceania e da Austrália.

Essa espécie se inclui em pelo menos quatro categorias, que são: gramados, forrações, folhagens e forrações ao sol pleno. Então ela gosta de só pleno e no máximo, de meia sombra. Tem o ciclo de vida perene e pode atingir de 0.3 a 0.4 m de altura.

Graças ao clima brasileiro a dianela, foi “importada” para cá e se dá muito bem nos nossos jardins. Os paisagistas usam muito a planta para fazer forrações, que alguns garantem, não há planta melhor para fazer esse tipo de efeito.

Ela possui os rizomas muito carnosos e deles saem as folhas de cor verde escura e as suas características são largura estreita e bastante longas com as margens em forma de serrinha.  Quando crescem chegam a medir 80 cm de comprimento e a largura não supera 5 cm.

A inflorescência da dianela, acontece no que é classificado como tipo espiga. Na prática significa que as flores ficam no ápice. Apesar das lindas flores pequenas azuis, falando de ornamentação, elas vem em segundo plano. O efeito visual da planta é muito superior ao causado pelas flores.

Os frutos da dianela são na cor violácea e em forma de bagas, além de muito brilhantes e globulares. Não superam 1 cm  de diâmetro de medida. Normalmente, o tipo de dianela mais cultivado no Brasil é a que forma variegata, isto é, com as folhas verde escuro, porém, com bordas brancas.

Dianella Tasmanica2

O uso da Dianela variegada no paisagismo
Uma das maneiras preferidas dos paisagistas para usar a dianela no projeto de um jardim é criando maciços sob sol pleno. Estamos falando de lugares cujo clima que prevalece é temperado ou subtropical. Outra possibilidade para usar a planta dessa forma é sob meia-sombra, neste caso, é necessário que se trate de uma localidade cujo clima seja tropical, o caso do nosso país.

Não é por acaso que os paisagistas elegem a dianela para criar os maciços sob sol pleno e sim pela textura única que ela oferece. É possível criar com a planta partes mais claras nas partes mais escuras do jardim. Porém, ela também pode ser usada separadamente, ou criando grandes maciços ou fazendo uma pequena touceira. Outras formas de usar a dianela na ornamentação é criando forrações com ela ou fazendo um misto com outras folhagens e outras flores.

Podemos dizer que a dianela é considera uma planta “coringa” porque é possível usá-la nos mais diversos estilos de jardim, do oriental ao tropical, passando pelo contemporâneo e muito mais. E não é só isso, é uma espécie que pode ser plantada em jardineiras ou vasos, e levam para dentro de casa um pouco de “luminosidade”.

Como cultivar a Dianela
A dianela não exige muitas particularidades para o seu cultivo, basicamente, para plantá-la é necessário seguir as regras básicas, usadas para uma boa parte das plantas. Para começar, é necessário observar quando deve acontecer o plantio, que no caso da dianela fica limitado a dois momentos: sob o sol pleno ou a meia-sombra.

O próximo passo é preparar o solo para receber a planta, que deve ser enriquecido com matéria orgânica, deve ser fértil, com ótima drenagem e ser irrigado com regularidade.

Para se ter uma idéia do tipo de solo e ambiente que gosta a planta, o seu ambiente natural é aquele de florestas úmidas, e fica nos lugares que são sombreados. Ela gosta de um lugar para vicejar.

Se você seguir todas as regras para plantá-la, tire as dúvidas com o jardineiro que te vender a muda, se ela ficar no lugar onde receba sol suficiente, com certeza, ela irá resistir por longos períodos de estiagem.

Podemos dizer que a dianela é rústica e por isso, é muito resistente a quase todas as doenças e pragas que possam atacar as plantações. E melhor ainda, não é uma espécie que necessita de  muita manutenção, na verdade, você se quer precisa podá-la.

Para que a sua dianela fique sempre viçosa e bonita, o único trabalho que você terá é de fazer a cada semestre, fertilizações. E também é indicado fazer replantios, mas neste caso, os períodos são bienais.

Para fazer a multiplicação da dianela se usa dos “métodos”, o plantio com as sementes ou através da divisão das touceiras. E vale ressaltar que os frutos da dianela não são comestíveis.

O que é touceira?
A chamada touceira na verdade se trata de um arranjo natural que é feito com um conjunto de vegetais e dessa forma, os troncos de cada um deles está compartilhado pelo mesmo sistema de raízes.

Como técnica de multiplicação consiste em cortar os rizomas subterrâneos e deles fazer nascer outras plantas. Várias plantas são multiplicadas através desse sistema, é considerado um dos mais usados. A orquídea é uma das espécies que são multiplicada pela touceira.

Para quem não está acostumado com jardinagem, o cultivo através de sementes é considerado o mais adequado. Outra opção é já adquirir a planta com um determinado tamanho.

janel5

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


portulavagrandiflora

O Brasil é um país tão abençoado pela natureza abundante, que temos aqui inúmeras espécies de flores e plantas, desde as maiores até as menores e coloridas, como a Onze-horas.

A for onze-horas, pertence à família das Portulacaceae, que tem origem na América do Sul, estando presente a partir do sudeste do Brasil até a Argentina e o Uruguai.  Além disso, ainda pode ser observada na parte sul da Ásia, por isso, em Bangladesh é chamada de “Time Fool”, cuja tradução pode ser algo em torno “bobo do tempo”, em razão de suas flores aparecerem conforme o horário, sempre entre as onze horas e o meio-dia, daí o seu nome.

É uma planta bastante pequena e que cresce rapidamente, chegando a medir no máximo 30 cm de altura. Suas folhas apresentam uma aparência carnuda e espessa, medindo aproximadamente 02 cm de comprimento, e, distribuídas de forma alternada, em grupos pequenos. Suas flores têm tamanho de mais ou menos 03 cm, contendo cinco com colorações variadas, como rosas, laranjas, vermelhas, amarelas e brancas.

Em muitos lugares ela é chamada de Beldroega, o que pode incluir outras diferentes espécies de flores. Em nosso país ela é chamada mesmo de onze-horas, pois esse é horário que ela inicia a abertura de suas flores.

Formas de cultivo
Esta planta tem seu crescimento muito mais ativo se estiver em climas temperados, precisando de um solo com boa drenagem e bastante luz do sol para ficar bonita e saudável. Ela é bastante usada para enfeitar os ambientes, especialmente em solos planos em razão de ser bem baixa, com cores vibrantes e muitas flores.

Possui as folhas bastante carnudas, ganhando destaque especialmente pela beleza de suas flores, que florescem o ano todo e numa quantidade grande, apresentando uma enorme variedade de cores, fazendo dela uma planta perfeita para trazer mais alegria ao jardim.

Plantas como as onze-horas possuem uma grande vantagem frente as demais, já que se adaptam melhor aos extremos do clima, sobrevivendo por bastante tempo sem água ou nutrientes, se nutrindo apenas do que já está armazenado.

Entretanto, a ideia de montar um jardim e conseguir as mais belas plantas, só é possível se for cumprida algumas regras básicas, como aquelas que seguem abaixo:

Dicas de Plantio
Antes de partir para o plantio das onze-horas, faça uma mistura da terra do solo com uma quantidade de adubo orgânico, e, quando a planta atingir certo desenvolvimento, o que se dá com a produção de flores, junte à terra vez ou outra o adubo NPK rico em fósforo, para que seja feita a estimulação no florescimento, reforçando também a dosagem do fertilizante orgânico.

Faça a irrigação de maneira a nunca permitir que o solo fique totalmente seco, já que não é porque a flor possui a capacidade de ficar sem água que se deve fazer com que a mesma passe por essa privação. Também é importante que se tenha equilíbrio, já que a terra não pode ficar encharcada nem mesmo os botões das flores, pois isso pode ajudar no desenvolvimento de doenças.

O melhor local para cultivo é aquele em que mais bata sol, já que ela não tem restrições quanto às radiações em excesso, pois o sol ajuda no florescimento e abertura das flores. Ao contrário do que se possa pensar, essa não é planta difícil de ser cuidada, basta que se tenha os cuidados básicos e certamente o resultado será o melhor possível.

Outro ponto que deve ser levantado é que, as pessoas que não estão habituadas a cultivas tal planta vão se assustar quando as flores da mesma se fecharem no período da noite, é normal, e, no outro dia, assim que o sol nascer elas começarão novamente a se abrir.

Materiais necessários para o plantio da Onze-Horas
* Pá para jardinagem;
* Fertilizantes;
* Mudas;
* Espátula para jardinagem.

Observações Importantes
*
Se preferir compre as mudas que estejam recém-cultivadas, já que as mesmas permanecerão abertas por um tempo maior durante o dia. As mudas já crescidas se abrem no período da manhã e se fecham quase sempre à tarde, e, em dias nublados também ficam fechadas.
* Opte por um lugar que receba diretamente a luz do sol. Ao contrário de outras flores, a onze-horas se desenvolve muito melhor em climas secos e quentes. Lugares perfeitos incluem jardins rochosos, ao longo de pistas e calçadas, por entre pavimentos, ou ainda em pequenos nichos em passeios e pátios.
* Faça o plantio das mudas com espaços aproximados de até 60 cm, isso tudo conforme as instruções dadas pelo florista.
* Não se esqueça de regar as mudas de forma periódica. Deixe que o solo seque um pouco entre uma rega e outra.
* Faça a remoção das flores secas para dar maior força ao reflorescimento e assim a planta irá se manter num estado de saúde adequado.
* Faça a fertilização das plantas entre uma e duas vezes no fim do verão.
* As pessoas que moram no sul do Brasil, não cultivem a planta em períodos de frio intenso ou geada.

Mais Dicas
As onze-horas devem ser plantadas primeiramente em potes, os mesmos que se faz o cultivo inicial do morango, ou ainda em potes de argila juntamente com as bolsas próprias para o plantio. É complicado de se manter outras plantas com a hidratação adequada em potes para morangos, porém, essa planta em particular está habituada a sobreviver bem em condições áridas.

A onze-horas é uma flor bastante forte e que pede uma drenagem adequada, tornando-se uma excelente opção para encostas e solos arenosos. Além disso, ela precisa de muito sol para que se mantenha saudável, sendo preciso de 06 a 08 horas de luz solar direta.

Todos que moram do sudeste ao norte de nordeste do Brasil podem cultivar sem medo a onze-horas, pois certamente terão jardins floridos e convidativos o ano todo.

janel8

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.