Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Azulzinha-Evolvulus-glomeratus

Que as plantas estão em alta, não é novidade. As propostas estilo urban jungle invadiram os projetos de arquitetura e design, ditando a tendência: melhor do que ter uma planta é ter várias.

Para criar o efeito de abundância, as plantas de forração se apresentam como a melhor opção. O termo denomina todas as plantas que podem cobrir superfícies, seja de forma horizontal, como a grama amendoim e a grama preta, seja na vertical, como as trepadeiras.

Sua principal característica é a capacidade de multiplicação. “São plantas mais herbáceas, mais espontâneas. Elas vão se propagando de forma vegetativa, ou seja, vão criando mudas, novas brotações.

As forrações não precisam estarem contato direto com o solo. Também são ótimas candidatas para vasos grandes ou pequenos, em ambientes internos ou externos. Elas só precisam se adaptar bem às condições do ambiente.

gota de orvalho

Fora de casa
No lado externo, elas são aliadas estratégicas para proteger o solo de erosões e manter a umidade. Mas, diferentemente das gramíneas, as forrações não são resistentes ao pisoteio e têm uma estatura baixa, geralmente de até 30 cm de altura. Dessa forma, são perfeitas para compor com pedras e madeiras na criação de caminhos no jardim.

O caminho evitará que elas sejam pisoteadas, enquanto elas vão garantir que você não precise fazer nada além de regá-las. No lado de fora, é interessante brincar com as alturas das diferentes forrações e criar desenhos, orientar as pessoas de acordo com o que você coloca no seu jardim. A diversidade de cores, texturas e espécies é prato cheio para a criatividade.

Já nas paredes, geralmente são usadas as trepadeiras, como hera e a unha-de-gato, que podem fechar muros inteiros. No verão e na primavera elas crescem muito rápido, então o problema é fazer a poda.

Outro destaque é a jiboia, que com seus longos caules pendentes pode compor jardins verticais junto a outras espécies, desde que se preste a devida atenção para que ela não domine todo o espaço.

epscia

Dentro de casa
A jiboia também pode ficar dentro de casa. A grande vantagem é que ela se adapta bem até ao ar-condicionado. Julia aponta que, quando o solo é rico em substratos, o crescimento é muito rápido e, em semanas, ela pode crescer e seguir o roteiro que você desejar.

Basta colocar uma estrutura na parede ou fincar pregos enrolados com fios de nylon, criando o caminho que a planta deverá fazer. Outra dica é usar a forração como elemento para integrar ambientes.

Em espaços pequenos, você consegue plantar na cozinha e dar um caminho para que ela chegue até a sala. Quem se preocupa com a sujeira e a manutenção das plantas internas, a profissional reforça: pode ficar tranquilo. A maioria das plantas são perenes e, se cair alguma folha, elas costumam ser grandes. Então você não vai ter problemas com sujeira e manutenção.

Em vasos, as forrações podem tanto acompanhar outras plantas quanto serem as protagonistas da decoração. Podem, ainda, ter suas mudas colocadas diretamente na água, o que vai comprometer a durabilidade devido à escassez de nutrientes.

Mas tudo é válido, basta estar atento às necessidades de cada espécie, como luminosidade e tempo de rega.

planta de forração

Cuidados
As plantas de forração costumam ser bem resistentes – uma característica que combina com a propagação rápida e espontânea. Por isso, são mais fáceis de lidar, demandando apenas alguns cuidados gerais.

Cada planta tem sua proposta de rega, mas no geral elas gostam de ter o solo um pouco úmido, nunca encharcado. É bom regar entre uma a duas vezes por semana. Quanto à adubação, é interessante fazê-la a cada dois meses.

Além disso, fique atento à resposta da planta ao ambiente – caso ela não esteja se desenvolvendo como o esperado, faça testes para ver sob qual tipo de luz ela se adequa melhor.

É importante priorizar as espécies nativas. Além de já estarem adaptadas ao clima da região, elas contribuem para manter a biodiversidade local. Temos muitas espécies com potencial ornamental que poderiam ser mais exploradas. Elas contribuem para a biodiversidade, atraem abelhas nativas e impedem a propagação de espécies exóticas.

Conheça as espécies:

Hedera canariensis


* Hedera canariensis
Espécie de hera nativa da costa atlântica. Cresce como uma trepadeira, prefere meia-sombra ou pleno sol. É bem tolerante ao frio, pode ser plantada de forma rasteira ou em paredes, pilares e outros.

Hemigraphis alternata

* Hemigraphis alternata:
Hera crespa horizontal. Pela coloração roxa, a dica é utilizá-la como detalhes em jardins, como acabamento para plantas mais altas ou arbustos de cor verde escuro. Deve ser plantada em sol pleno.

Syngonium angustatum

*  Syngonium angustatum:
Chamada de Segônia, tem folhas grandes que mesclam verde escuro e verde claro. Pode ser usada como forração horizontal, com boa aceitação soba copa das árvores, ou para compor paredes verdes, desde que comum a estrutura para que ela se agarre. Prefere luz difusa e solo úmido.

Fittonia albivenis

* Fittonia albivenis:
Típica do Brasil e de outras florestas tropicais, é uma herbácea notável por suas veias que podem ser brancas ou cor-de-rosa intenso. Gosta de umidade, calor e luz difusa.

Soleirolia soleirolii

* Soleirolia soleirolii:
Conhecida por lágrimas-de-bebê, a planta, delicada, pode ser plantada em vasos no chão ou pendentes, além de fazer acabamento em vasos com outras plantas. Precisa de luz difusa e regas regulares para manter a umidade do solo. No verão, demanda mais água.

peperomia-caperata-1

* Peperomia caperata:
É uma folhagem que, dependendo da espécie, pode ser verde com off-white, mais escura ou ainda roxa. Horizontal, é ideal para ser plantada sozinha em vasos ou compor paredes verticais. Deve receber luz difusa e ter o solo sempre úmido.

olhodeágua

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


crassula-capitella-thyrsiflora

Essa suculenta é, sobretudo uma planta para colecionadores iniciantes, pois tem fácil cultivo, necessitando apenas de alta luminosidade, de preferência sol pleno, e poucas regas, para que se matenha sempre compacta e não perca seu formato exuberante.

Forma uma bela moita de até 8 cm de altura, suas folhas são morrom-avermelhadas dispostas em 4 direções, característica principal de uma Pagoda. Essa suculenta  não suporta altas temperaturas, sendo assim indicada principalmente para cultivo na região no sul do Brasil.

Só no Brasil contamos com mais de 100 tipos de suculentas, plantas cuja característica mais marcante é o fato de armazenarem boa quantidade de água nas raízes, no talo ou nas folhas, o que varia de acordo com a espécie.

Essa adaptação lhes permite manter reservas por períodos prolongados e mesmo viver em locais áridos, secos e de temperatura elevada, como onde surgiram: principalmente em regiões da África e da América.

Embora cactos e agaves sejam considerados suculentas, essa designação costuma ser feita apenas para as variedades de folhas miúdas, gordinhas e cerosas.

São ótima opção para quem tem vontade de cultivar plantas ornamentais mas não dispõe de tempo e dedicação para cuidados minuciosos.

crassula-capitella-thyrsiflora

Ficam muito bem em pequenos vasos tanto em ambientes internos (vasos ou diretamente no solo em jardins de inverno), quanto externos como beirais de janelas, jardineiras, sacadas, pequenos jardins, vasos largos, etc.

Algumas espécies conforme crescem tendem a ficar pendentes ou preencher completamente o vaso onde estão, criando belos efeitos!

Como são extremamente ornamentais, podem ser arranjadas de inúmeras maneiras, seja compondo um ambiente com várias espécies, seja sozinhas num singelo vasinho!

Não exigem cuidados específicos, apreciam pouca água, ficam bem tanto ao sol quanto à sombra, estão sempre bonitas e possuem ciclo de vida perene!

chuva de flores

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


vasi de barro

Nesta matéria  será mostrado como cuidar de mini cactos que estão com tudo e vão dar um charme extra em qualquer cantinho. Por sua facilidade de cuidado e manutenção, os cactos têm sido os escolhidos da vez pelos moradores de grandes cidades, com vidas corridas, para dar um toque de verde e trazer a natureza para dentro de casa. E mesmo para quem mora em pequenos espaços, é possível apostar nesta tendência.

Mantê-las sob o sol
A primeira coisa a levar em consideração é que os cactos, do grupo das suculentas, gostam de lugares ensolarados. Como são plantas de deserto, apenas a claridade intensa não é suficiente.

O ideal são pelo menos 2 a 3 dias de sol por semana. Muita gente costuma colocar seus mini cactos no banheiro. O problema de como cuidar de mini cactos nesse ambiente, é que normalmente não há incidência de sol direto, o que é prejudicial para as plantinhas.

Flor-Cacto

Flores de mini cactos
Alguns mini cactos vêm com florzinhas coloridas acopladas. Elas são lindas, sim, porém são de mentira! E acredite: são muito prejudiciais aos cactos. Para colocar essas flores, é preciso furá-los com uma agulha ou alfinete.

Se você tem um desse em casa, o ideal é tirar a flor para que a planta cicatrize essa região e continue crescendo normalmente. Mas não pense que nunca verá uma flor no seu mini cactos – eles podem dar flores de verdade! Geralmente elas duram poucos dias, de 3 a 4, e são bem fininhas e delicadas.

Como o crescimento se dá
Se você alimentar o seu mini cactos com substrato, tomar todos os cuidados, e colocar em vasos maiores, ele pode crescer (e deixar de ser mini). Às vezes, ele pode crescer desordenadamente por falta de luz. Pode começar a ficar torto, ou mais fino.

Para mantê-lo num tamanho mais enxuto, é preciso deixá-lo em vasinhos menores com pouca terra e pouco substrato.

rega-1

Rega dos mini cactos
Em um vaso com furo embaixo, a rega deve ser feita a cada 15 ou 20 dias. Caso ele fique no sol direto, a água vai evaporar mais rápido e esse intervalo precisará ser menor. Mas a dica é checar quando a terra estiver seca: aí sim seus cactos estão precisando de água. É um ponto primordial de como cuidar de mini cactos com excelência!

Como cuidar de mini cactos e criar lindos arranjos
Para combinar com outras plantas em um arranjo, é preciso escolher espécies de ambientes parecidos (que precisam de sol e de pouca água).

O mais comum é combinar cactos com outros tipos de suculentas. Desta forma tem como Cuidar de Mini Cactos e criar um arranjo lindíssimo.

Alguns Tipos de Cactos

Mammilaria decipiens
1. Almofada de alfinetes
Nome científico: Mammilaria decipiens
País de origem: Nativo das Américas
Características: São pequenos cactos que se aglomeram; existem mais de 200 espécies deste tipo. Seus espinhos são esbranquiçados e ele floresce no verão. Cultivado em Sol pleno.

Rhipsalis baccifera

2. Cacto macarrão
Nome científico: Rhipsalis baccifera
País de origem: Nativo da África
Características: O cacto macarrão é um cacto diferente e exótico, e tem esse nome popular graças ao seu formato. Não possui espinhos e chega a medir até 90cm. É cultivado em meia sombra.

Rhipsalidopsis gaertneri Regel

3. Flor de outubro
Nome científico: Rhipsalidopsis gaertneri Regel
País de origem: Brasil e América do Sul
Características: Esse cacto chega a uma altura de 40cm e também não possui espinhos. Cultivado em meia sombra com regas regulares, apenas quando seca o substrato.

Echinopsis chamaecereus

4. Cacto amendoim
Nome científico: Echinopsis chamaecereus
País de origem: Argentina
Características: Tem esse nome porque suas hastes têm diâmetro do tamanho de um amendoim. É uma planta ramificada de 30 cm, que floresce na primavera e suas flores são vermelhas. Cultivado em meia sombra.

Epiphyllum Ackermannii

5. Cacto orquídea
Nome científico: Epiphyllum Ackermannii
País de origem: Nativo da América central e América do Sul
Características: Cresce entre 60cm até 1m, floresce entre o verão e a primavera e suas flores são vermelhas. Cultivado em meia sombra.

Schlumbergera truncata

6. Flor de maio
Nome científico: Schlumbergera truncata
País de origem: Nativo da América do Sul
Características: É um dos cactos mais apreciados e difundidos e mais uma espécie que não possui espinhos. Floresce no outono e sua altura chega a 40cm. Cultivado em meia sombra com regas.

Echinocactus-grusonii4

7. Cadeira de sogra
Nome Científico: Echinocactus grusonii
País de origem: México
Características: Grande e redondo, esse cacto chega a medir 60cm de diâmetro. Seus afiados espinhos são longos e amarelados e ele produz grandes flores isoladas de cor amarela.

Epithelantha micromeris

8. Cacto botão
Nome Científico: Epithelantha micromeris
País de origem: Texas, Arizona e norte do México
Características: O cacto botão tem altura de 6 cm, floresce nos meses quentes e, após a floração, produz um fruto vermelho comestível. Se propaga por divisão de planta e por sementes. É cultivado em Sol pleno com regas esporádicas.

Escobaria sneedii

9. Rabo de raposa
Nome científico: Escobaria sneedii
País de origem: México
Características: Seus espinhos são brancos e contrastam com suas flores, que podem ser rosas, laranjas ou amarelas. Floresce nos meses quentes e cresce até 27cm. Cultivado em meia sombra.

Opuntia humifusa

10. Língua do diabo
Nome científico: Opuntia humifusa
País de origem: Nativa de países do leste da América do Norte
Características: Tem muito espinho e floresce na primavera em Sol pleno. Tem flores amarelas e frutos comestíveis. Sua altura chega a 45 cm.

Sulcorebutia rauschii

11. Mil cores
Nome científico: Sulcorebutia rauschii
País de origem: Argentina e Bolívia
Características: São pequenos cactos globulares coloridos que se aglomeram. Floresce no verão e suas flores são de cor magenta. Cultivado em meia sombra.

Hatiora salicornioides

12. Rhipsalis de flor amarela
Nome científico: Hatiora salicornioides
País de origem: Brasil
Características: Essa é uma das poucas espécies de cactos que não possui espinhos. Cresce até 1m, floresce entre o verão e a primavera e suas pequenas flores são amarelas ou alaranjadas. Cultivado em meia sombra.

Cephalocereus senilis

14. Barba de velho
Nome científico: Cephalocereus senilis
País de origem: Nativo da América Central
Características: Seu nome popular é devido a grande quantidade de pelos brancos que a planta possui. Só floresce após 20 anos de plantio e suas flores são vermelhas. Cultivado em sol pleno.

Echinocereus reichenbachii

15. Cacto ouriço
Nome científico: Echinocereus reichenbachii
País de origem: México
Características: Floresce no verão e cresce até 1,5m. Deve-se cultivar em Sol pleno.

folhasaovento9

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


coleus

Cóleus ou coração-magoado. Os nomes são muitos, mas o cóleus é uma planta de personalidade, com uma imensa variedade de formas de folhas e cores e que deixa qualquer jardim muito mais feliz e colorido.

Cóleus tem muitas variedades
Típica planta vintage, daquelas que nossos avós tinham no jardim de suas casas, o cóleus ou coração-magoado tem tanta variedade que fica difícil escolher um só.

Desde a “versão clássica”, que dá o nome de “coração magoado” pelas manchas avermelhadas, as opções de cores e formas das folhas dessa querida planta são tantas que dá trabalho até para colecionadores.

Com folhagens de vários tamanhos, as bordas das folhas podem ser bem marcadas ou com contornos mais suaves, mas sempre com seus recortes característicos.

Quando o assunto são cores, você encontra folhas de cóleus com manchas totalmente roxas, vermelhas, lilases, amarelas, tons de verde e até mesmo uma de uma cor tão profunda, que é quase negra, a “Dark Chocolate”. Existem mais de 300 variedades e cultivares de cóleus.

coleus0-

Cultive a planta no sol ou meia sombra
De origem asiática, o cóleus gosta de clima úmido e bastante sol. Se você vai cultivar numa região brasileira onde o sol é bem intenso, plante o cóleus em meia sombra (4 horas de luz solar). Agora, se os raios solares não são tão forte durante o ano, pode colocar a planta em sol pleno (8 horas) que ela agradece.

Como reproduzir o cóleus
Reproduzir o cóleus é bem fácil. Basta cortar algumas ponteiras da planta, escolhendo sempre as de folhas mais bem formadas e sem manchas ou sinais de pragas e doenças. Como as plantas matrizes estavam no sol, é preciso “refrescar” as ponteiras cortadas.

Basta mergulhar as ponteiras em um balde com água. Depois de resfriadas, as folhas são cortadas pela metade, descartando as pontas.

Com menos superfície de folha, a planta não desidrata. A parte final é passar enraizador no caule e colocar as ponteiras no substrato. Em cerca de 2 ou 3 meses, as plantas estão com o tamanho ideal para serem transplantadas para vasos maiores ou seu jardim.

coleus0-

Enraizador em pó ou líquido?
Tanto faz, vai depender de quem usa. Normalmente, por causa do grande volume, produtores usam a versão em pó, comercializada em sacos. Já quem vai fazer suas mudinhas em casa, a versão do enraizador líquido é mais fácil de encontrar e vem na quantidade certa.

Dilua uma tampinha do enraizador em meio copo de água (cerca de 150 ml). Em 10 dias, as ponteiras já começam a enraizar.

florlago

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.