Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Tabernaemontana divaricata

Planta da família Apocynaceae, originária da Ásia. Trata-se de um arbusto o perene, lenhoso, florífero e bastante ramificado. Apresenta folhagem compacta, com folhas grandes, verde escuras e brilhantes. Seus ramos tendem a crescer paralelamente ao solo, dando à planta um interessante formato horizontal.

Como em muitas outras espécies da família Apocynaceae, seus ramos vertem uma seiva leitosa quando partidos. Floresce esporadicamente o ano todo, mas com mais intensidade na primavera, despontando inflorescências em cachos terminais, com flores brancas, perfumadas e cerosas.

As flores têm as pétalas levemente torcidas, lembrando um catavento. Ocorre ainda uma variedade de flores dobradas, conhecida como ‘Flore Pleno’

No paisagismo, o jasmim-café é um arbusto ideal para emoldurar cenários e dividir espaços. Com sua folhagem espessa, pode ser plantado isolado, em conjunto com outras espécies, mas especialmente em renques, formando cercas-vivas informais ou formais, de acordo com o estilo do jardim. É usual também conduzi-lo como arvoreta, com tronco único.

Tabernaemontana divaricata1

Apresenta baixa manutenção que se restringe a adubações semestrais e podas anuais, que lhe garantem a forma e simetria. Também pode ser plantado em vasos, adornando pátios e varandas.

Seu cultivo deve ser sob sol pleno ou meia sombra, em solo fértil, profundo, drenável e irrigado regularmente no primeiro ano de implantação.

Aprecia o clima tropical e deve ser resguardado do frio intenso ou geadas. Não tolera longos períodos de estiagem, mas pode resistir à salinidade de áreas litorâneas. Em regiões de clima temperado pode ser conduzido em estufas.

Para um arbusto mais compacto, cultive sob sol pleno e faça podas anuais de formação. Sua multiplicação é feita por estaquia dos ramos e por sementes.

Importante:
Todas as partes dessa planta são tóxicas. Maneje com cuidado e mantenha longe do alcance de crianças pequenas e animais domésticos.

Casa-na-floresta_663

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


Euphorbia leucocephala

Trata-se de uma belíssima planta que se cobre de flores apresentando um maravilhoso espetáculo para quem a vê.

Também conhecida popularmente como Cabeleira-de-velho, a planta à família Euphorbiaceae e originária da América Central (da Costa Rica até o Sul do México). Talvez seja por isso que a sua adaptação é melhor em climas: tropical, subtropical e equatorial.

Ela não é uma árvore de grande porte e sim um arbusto de caule com muitos ramos, semi-lenhoso. Quando ela cresce naturalmente, sem estar podada, apresenta uma forma arredondada. A casca de seu caule tem uma cor que vai de acinzentada a marrom claro e sua altura pode variar entre 2 a 3 m. Porém, com podas organizadas seu tamanho pode ser diminuído. Deixando sua copa e sua altura bem menores, adequando-a ao tamanho necessário ao seu jardim.

A planta possui características bem diferentes de outras plantas mais comuns. Sua folhagem é verde e suas flores são brancas em forma de estrelas. Durante os meses de outono e inverno ela perde suas folhas, fica completamente branca com uma florada abundante.

Por ser uma planta perene (planta de longa duração) seu cultivo é fácil. Veja o que você precisa saber para ter uma planta Neve-da-montanha enfeitando o seu jardim:

- O solo precisa ser sempre do tipo areno-argiloso, com excelente drenagem e enriquecido com bastante matéria orgânica.  Não tenha medo de abusar no adubo orgânico. Quanto mais usar esse tipo de adubo mais ela lhe retribuirá com flores. Quando ela está bem cuidada, apresenta floradas de causar fascinação. Porém, no caso de você não ter um solo desse tipo, você pode fazer essa composição em seu jardim  usando bastante areia e argila no local escolhido para fazer o seu plantio. Ela não se adapta em solos comuns.

- Você pode também acrescentar um adubo com elevada concentração de fósforo que é o NPK e fazer um reforço do adubo orgânico aumentando a dosagem no final do verão. É muito importante que você nunca deixe que lhe falte nutriente. A planta é forte e de longa duração, porém se o solo onde ela estiver plantada ficar empobrecido, ou seja com carência de nutriente, ela é afetada em seu crescimento e em sua floração. Porque ela depende basicamente que o solo esteja nutrido para que ela se desenvolva bem mostrando todo o seu esplendor.

- Sua multiplicação e feita através de mudas ou sementes.

- Melhor época para se fazer a adubação dessa planta é na primavera e no verão.

- Regue-a duas vezes por semana, porém, se perceber que o solo está seco, faça mais regas. O solo não pode ficar encharcado, mas deve estar sempre ligeiramente úmido.

- Lógico que você vai querer que a sua planta fique cheia de flores, então plante-a em local onde ela receba bastante luminosidade. A Neve da Montanha gosta de sol pleno. Ela floresce menos, caso receba pouca luz. Porém, existe uma curiosidade em relação à luminosidade e a planta Neve da Montanha: Durante a noite se ela ficar exposta a iluminação artificial seu florescimento pode ser inibido ou ficar atrasado.

- Embora prefira bastante luminosidade, essa planta adapta-se melhor em lugares de clima ameno. E, em regiões com maior altitude ela floresce mais, e detalhe importante: Não suporta geadas.

- Na hora de fazer a poda, você pode deixá-la com formato redondo, assim ela fica mais compacta. Pode também fazer com que ela fique como uma arvoreta. Contudo não se esqueça que a poda nunca deve passar de 1/3 da planta e só deve ser feita após a sua florada. É fundamental que se utilize luvas sempre que estiver fazendo a poda porque a sua seiva que é tóxica, pode causar irritação na pele. É bom observar também, que por ser tóxica é melhor que ela não esteja em lugar onde circulem crianças e animais. O perigo com relação à sua toxidade está em ingerir a sua folha e não em tocá-la propriamente, porque a toxidade da planta Neve da Montanha se encontra em sua seiva.

- A planta Neve da Montanha tem sido muito usada em paisagismo onde ela é muito valorizada. Pode ser vista em grandes jardins, jardins de pequeno porte, em praças,  em plantio isolado ou plantada em grupos de três a quatro árvores ou até como cerca viva.

- Apesar de ela precisar estar em solo meio úmido, a planta tolera períodos de estiagem, porém floresce menos. Na verdade, ela sempre floresce menos em qualquer situação que seja diferente daquela que é adequada a ela. Deve ser por isso, que no clima frio subtropical ela apresenta uma floração bastante intensa.

- Durante os meses em que faz mais calor, o ideal é que as adubações sejam bimestrais.

Essa planta fantástica tem suas folhas decíduas e elípticas. Suas belas flores brancas têm ao redor vistosas brácteas que possuem cor branco-creme.

Quando se faz podas bem conduzidas (sempre com muito cuidado e moderação), mexendo no formato de sua copa, você pode  conseguir belíssimos efeitos visuais.

É no inverno que a planta fica mais bonita. Carregadinha com as suas maravilhosas flores brancas e exalando um delicioso perfume.

e4d337ec

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


orquidario

As orquídeas são flores que sempre causam uma grande paixão em colecionadores e ainda das demais pessoas, tanto que é tida como uma das principais opções de presentes, e pode ser oferecida tanto a mulheres quanto a homens, já que diferentemente de um ramalhete de rosas, que com o passar dos dias se tornarão feias e murchas, as orquídeas podem durar anos e anos e trarão sempre alegria ao ambiente, com bonitas flores.

Muitos desavisados acreditam que dá muito trabalho cuidar de orquídeas, mas a verdade é que o trabalho é o mesmo que cuidar das demais flores, carecendo de paciência e informação. Como as orquídeas são uma grande paixão, muitos optam por ter um orquidário em casa, já que não é necessário um grande espaço para isso.

Para montar um orquidário em casa você não vai precisar ter uma área gigante para cultivar suas orquídeas, basta que este espaço seja bastante iluminado e muito carinho com as flores. O primeiro passo é encontrar este local adequado, pode ser no quintal ou mesmo dentro de casa. É que orquídeas vão bem tanto em ambiente interno quanto em externo. Quem mora em casa pode deixar os vasos no quintal, sobre uma tábua apoiada em tijolos (no chão, eles atraem lesmas). Mas se você mora em apartamento, aproveite o parapeito de uma janela: vale o da sala, do quarto, da cozinha e até mesmo da área de serviço.

orquidário1

O orquidário
Agora, se o quintal é grande pode-se montar um lindo orquidário. O empreendimento pode até custar um pouco mais, porém é simples ter um eficiente orquidário a baixo custo. Importante é ficar atento a determinados pontos.

Quando for colocar suas orquídeas opte por um lugar que tenha o sol da manhã, para que a iluminação seja a mais adequada para a planta. O tamanho certo do orquidário vai ser de acordo com a quantidade de orquídeas que você possui. Por exemplo, num ambiente de 20 metros quadrados é possível que se monte um orquidário com capacidade para aproximadamente 200 plantas.

Para compor a estrutura do orquidário, uma solução muito boa solução é utilizar ripados de bambu ou madeira, cobertos por sombrites ou telhas, que conseguem fazer a filtragem dos nocivos raios solares. É fundamental que o local seja bem protegido e ventilado livre de animais e insetos. Em lugares com bastante vento, use um sombrite ou uma lona transparente inclusive na parte lateral.

Outra coisa que não pode ser esquecida é que as orquídeas não são iguais, por isso precisam de adequações diferentes. As plantas maiores e que precisam de mais aeração  próximo das raízes devem ficar dependuradas. Além disso, uma bancada é um excelente local para deixar as mudas plantadas recentemente ou aquelas que estão em fase de crescimento. Já embaixo o melhor é colocar as orquídeas que preferem a sombra.
orquidario
Material necessário para se fazer um orquidário
Usar ripados ou pérgula para orquídeas
Além dos convencionais, outras formas de ripados podem ser usadas, com estruturas que usam madeira para compor as prateleiras onde serão dispostos os vasos que assim não precisarão ficar pendurados.

Uma dica prática para se montar um ripado caseiro é usando ripas de madeira, com fechamento nos lados sem ou com porta. A parte coberta pode ser feita com o uso de um plástico branco que possua a proteção UV, sem se esquecer do sombrite para minimizar a luz solar direta, especialmente em locais do Norte do Brasil.

A parte sombreada desta forma de ripado é de no máximo 60%.

Em locais de altitude ou ainda na parte Sul do país, o ripado que não possua a adequada proteção contra os ventos frios deve receber cobertura no lado Oeste e Sul usando plástico na estação mais fria, para evitar estragas as plantas.

Plantas pendentes podem ser colocadas no alto
As orquídeas que possuem suas partes pendentes, tais como a Stanhopea oculata, quando no início e ainda aquelas que estão em fase de florescimento pode-se utilizar ripas postas no alto da estufa e cultivá-las dependuradas.

Para fazer o cultivo das orquídeas em vasos que serão colocados no alto, é necessário que se faça um tripé com arame galvanizado fino preso ao vaso e montando uma argola no centro.

Compor um gancho com um arame mais grosso ou com o mesmo que se une a ripa para conseguir a regulagem adequada de altura, conforme o tamanho da planta, sendo que assim pode-se aumentar a quantidade de recipientes cultivados.

O uso das treliças
Próximo de uma bancada para trabalho poderá ser colocada uma treliça em madeira ou ainda feita de tela de galinheiro, para dependurar as orquídeas em troncos e placas.

Também é importante fazer uma separação das orquídeas cultivadas, fazendo a adequada separação daquelas doentes que foram atacadas por fungos, fazendo a adubação na ocasião adequada e fazendo a rega de forma correta, proporcionando uma floração diferenciada das orquídeas em cada estação do ano.

Dicas para deixar as orquídeas sempre lindas
Ainda que você saiba que as plantas gostam de água, usar os pratos para aparar a água é a mesma coisa que passar o dia todo com sapatos molhados, as plantas em geral não gostam disso.

Orquídeas se dão bem quando plantadas diretamente na terra?
É melhor que esse procedimento seja evitado, pois poucas espécies dessa planta são terrestres. Se tiver dúvida, faça o cultivo no substrato conseguido a partir de uma mistura de casca de coco, carvão e tronco de árvore, que pode ser conseguida em floriculturas.

É necessário basicamente apenas aguar?
Se formos ver, teoricamente é isso mesmo, porém se você fizer a borrifação de sua orquídea uma vez durante o mês com o adubo NPK 20-20-20, ela ficará mais forte e menos susceptível a doenças e terá flores mais bonitas e maiores.

Todas as qualidades de orquídeas precisam ser cultivadas presas às árvores?
Essa ideia somente se aplica a determinadas espécies de orquídeas, como as epífitas, que já se dão melhor sobre os galhos, como Chuva-de-ouro (Cymbidius) e Phalaenopsis.

Orquídeas produzem flor durante todo o ano?
Assim como muitas outras plantas, as orquídeas não passam os 12 meses do ano produzindo flores. Mas, ainda assim, se você cultivar diversos tipos de orquídeas, terá flores por muitos meses no ano.

cacho1

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


bromelias2

Quando ouvimos falar da Mata Atlântica não há como não pensar nas plantas que lá habitam e nos animais ameaçados de extinção. A Mata Atlântica é ecossistema rico que se estendia por 17 estados (do Rio Grande do Sul ao Piauí, atingindo territórios centrais, como Minas Gerais), mas hoje apenas 8% de remanescentes florestais acima de 100 hectares restam em todo o país.

O bioma  de Mata atlântica oferece exemplares exuberantes de flora que podem ser aproveitados em paisagismos. Mas lembrem-se de que as variedades de plantas devem ser compradas apenas de viveiros controlados ou de produtores regulamentados. Pois retirar exemplares da mata, é crime, e comprar de forma ilegal, pode ser considerada biopirataria.

Antes de pensar um montar um jardim com espécies nativas da Mata Atlântica você deve conhecer do que é composta a mata. Basicamente essa mata é composta por árvores altas, e muitas epífitas que são as bromélias, samambaias e orquídeas, e grande variedade de palmeiras e arbustos que são ótimas para fazer sombra. Com exceção das árvores todas as outras plantas podem ser adaptadas à vasos ou jardineiras.

Para garantir ainda pouca manutenção e pouco tempo, o ideal é ir atrás de mudas que apresentem fácil manejo. É possível fazer um jardim de médio porte com exemplares da Mata Atlântica, pois grande parte dela é de fácil adaptação em qualquer parte do território nacional.

Plantas ornamentais
Podem-se encontrar plantas ornamentais na Mata Atlântica já que ela é riquíssima. Nela encontramos o gigante da floresta, o Jequitibá-rosa, flores roxas da Quaresmeira, e até o Pau-brasil. Abaixo da floresta remanescente existem ainda, pequenas árvores, arbustos e palmeiras, que estão cobertos de Orquídeas e Bromélias.

É óbvio que as plantas da Mata Atlântica se adaptariam melhor se estiverem em alguma região pertencente a esse bioma, mas tudo vai depender do espaço disponível para montar o jardim.

Cuidados
Como e onde plantar?
Com exceção das árvores que têm maior porte, todas as plantas podem ser cultivadas em jardim, até mesmo em vasos e jardineiros.

Rega
Como o bioma de Mata Atlântica fica em uma região de alta pluviosidade, suas espécies precisam ser regadas regularmente.

Solo
O solo é bastante rico em matéria orgânica, nesse caso é importante manter a terra sempre adubada. Húmus de minhoca é uma das melhores opções, mas esterco, tanto de curral quanto de aves, também é uma boa opção.

Como cuidar?
A forma de cuidar não é muito diferente do que estamos acostumados, afinal de contas muitas vezes plantamos espécies desse bioma e nem sabemos. Todos os cuidados básicos devem ser tomados de acordo com a espécie plantada, para isso informação é essencial.

Onde comprar com segurança?
É recomendado que se procure produtores certificados que podem fornecer mudas enxertadas, principalmente das árvores de grande e médio porte. Para plantas menores, é mais fácil encontrá-las na forma de mudas pequenas, em alguns lugares até em caixinhas com 15 mudas. Caso compre mudas muito pequenas, não se preocupe afinal essas plantas têm crescimento rápido e vigoroso.

A maioria delas pode ser cultivada dentro de casa, mas toda planta precisa de luz, nem que forem apenas algumas horas por dia, a meia sombra é o mais indicado. No caso das Samambaias, Filodendros, Marantas e Bromélias a sombra é mais indicada, enquanto que as plantas de grande porte precisam de mais sol, como as Helicônias.

Espécies nativas da Mata Atlântica
- Árvores –
Guapuruvu (Shizolobium parayba), Ipê-roxo (Tabebuia heptaphylla), Jequitibá rosa (Cariniana legalis), Ipê branco (Tabebuia róseo-alba), Pau-brasil (Caesalpinia echinata), Manacá da serra (Tibouchina mutabilis), Quaresmeira (Tibouchina granulosa), Araucária (Aracucaria angustifólia);
- Frutíferas – Goiabeira (Psidium guajava), Jabuticabeira (Myrciaria cauliflora), Pitanga (Eugenia uniflora), Ingá (Inga vera) e Maracujá (Passiflora alata);
- Epífitas – Filodendros, orquídeas e bromélias;
- Palmeiras – Coco (Cocos nucifera) e Jerivá (Syagrus romanzoffiana);
- Forrações – Semânia (Seemania sylvatica), Sálvia (Salvia splendens), Falso-íris (Neomarica caerulea) e diversos tipos de marantas.

Outras plantas ornamentais
Peixinho (Nematanthus wettsteinii), Helicônia (Heliconia rivularis) e Helicônia-papagaio (Heliconia psittacorum), Avenca (Adiantum raddianum), Alamanda (Allamanda cathartica), Amarilis (Hippeastrum hybridum), Samambaia xaxim (Dicksonia sellowiana), Samambaia de metro (Polipodium persicifolum), Samambaia gigante do brejo (Acrostichum danaeifolium) e Guaimbê (Philodendron bipinnatifidum).

O crescimento das árvores difere bastante de acordo com a espécie e o recipiente de cultivo. Para o Aquino, por exemplo, é ideal realizar o plantio das mudas com um grau de rustificação maior, pois elas necessitam de uma manutenção menor e uma probabilidade de morte menor também. O plantio de sementes é mais complexo, por causa do processo de dormência das sementes. Sendo assim, algumas espécies precisam de técnicas específicas para que aconteça a germinação.

Existem muitas espécies com cultura facilitada, como os Ipês, o filodendro, pau-brasil, jabuticabeira, embaúba, pitangueira, goiabeira, orquídeas, bromélias, samambaias, begônias, manacás da serra e bromélia.

Várias dessas variedades são usadas no paisagismo brasileiro e não requer muitos cuidados específicos, o que dá grande vantagem adaptativa de espécies que são exóticas.

De um modo geral, não existem muitas diferenças entre os tratos cultivares de espécies ornamentais ou nativas, porém elas tendem a apresentar um maior porte, sendo assim a escolha correta da área onde será feito o jardim e o tratamento da terra são importantes. Quando cultivadas em vaso, estes devem ser resistentes o suficiente para suportar a força das raízes.

Muitos especialistas recomendam que o cultivo deva acontecer a partir do que chamamos de muda padrão, que são quando as mudas nativas produzidas em viveiros dentro de tubetes com substrato florestal e adubação adequada com fertilizantes inteligentes podem propiciar um desenvolvimento maior da parte aérea da planta com as folhas bem nutridas.

Os adubos possibilitam que as mudas rustificadas que tem um maior indica de pegamento criem resistência a pragas e doenças. E a irrigação dessas plantas tende a ser mais abundantes, já que o bioma de Mata Atlântica é mais chuvoso e têm um índice de umidade mais alta, embora cada espécies apresenta regras diferentes em relação a quantidade de água.

riach

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


jardim florido

Quando se começa um cultivo o que mais nós queremos é que ele floresça e se torne uma linda e atrativa plantação. Quando essa história acontece com um jardim repleto de lindas flores, principalmente, já que a beleza está justamente em ter um jardim charmoso e não aquele onde as flores são secas e sem vida.

Para que consigamos isso não é preciso muito material, mas é preciso muita atenção e cuidado, pois como as plantas são seres bem delicados, uma rega diferente, um adubo não apropriado ou até mesmo a posição que ela é colocada no seu jardim afeta e muito o seu desenvolvimento.

Então que tal conhecer um pouco sobre o que você precisa para ter um lindo e florido jardim? Saber não somente as etapas de cuidado, como materiais e dicas infalíveis que farão com que o seu jardim chame a atenção de todos os seus amigos que familiares quando visitarem a sua casa. Vamos conhecer mais sobre como cuidar melhor das suas plantas, principalmente em estações com climas aos quais elas não estão habituadas. Claro que cada planta exige um cuidado diferenciado, porém existem cuidados que você pode tomar de uma forma geral que ajuda bastante todo o seu jardim.

1 – Orçamento
Como vocês já devem saber, para qualquer projeto você tem que fazer orçamentos, esses cálculos devem sempre incluir os grandes e os pequenos  e estes últimos raramente são atentados e podem causar um pouco de dor de cabeça, pois apesar de serem pequenos gastos, se não forem feitos, podem fazer a diferença nos gastos.

Por menor que seja o seu jardim, não é tão barato mantê-lo se você quiser fazer isso corretamente. Claro que sempre existirão produtos e ferramentas com custo menor, porém o efeito é em grande parte na mesma equivalência. Você basicamente terá um gasto inicial com sementes, flores, plantas em geral, fertilizante, pesticidas, herbicidas e produtos para rega.

Para economizar nessas compras você deve atentar principalmente a época. Tente comprar as flores e sementes assim como as plantas decorativas ou não fora da estação em que floresce com certeza nesse caso você comprará mais barato. As lojas online também são uma ótima saída para quem busca economizar, pois elas vendem bem mais barato, além de você ter a facilidade maior de encontrar sementes daquela planta que não tem no nosso país ou é difícil de encontrar.

2 – Conheça o seu terreno
Conhecer cada centímetro da terra do seu jardim é indispensável para mantê-lo florido, pois você terá com certeza de escolher a localização certa para plantar algumas flores. Saber qual a área que recebe mais luz do sol, o período que isso acontece saber também onde tem mais vento, quantas horas por dia cada espaço recebe luz forte, média e baixa do sol é importante na hora de escolher onde ficará cada espécie de flores que você irá plantar.
Teste também sempre o pH da terra para saber exatamente quais espécies tem e não tem chances de florescer.

3 – Quantidade x qualidade
Essa é uma questão que deve ser muito discutida juntamente com o orçamento do seu jardim. Temos a tendência sempre de querer comprar aquela semente da espécie que mais gostamos e nem sempre isso faz um jardim bonito e saudável. Tente variar as espécies de flores para dar uma harmonia maior e também para mesclar os componentes naturais dessas plantas, que melhoras o desempenho de outras. Conhecer bem cada espécie que você planta é o correto para não plantar nenhuma semente de forma errada. Então prefira sempre plantar a qualidade e não a quantidade em seu jardim.

4 – Luz
Outro fato muitíssimo importante tanto quando você vai montar como na manutenção do seu jardim. Como já sabemos muito bem, algumas plantas precisam de mais luz do que outras, e a falta desse componente pode prejudicar na florescência e até mesmo fazer com que algumas plantas morram.
Como foi falado mais acima, conhecer cada espécie de planta que existe no seu jardim é importante para que você saiba exatamente do que ela precisa e direcionar um cuidado maior. Conhecer também o terreno e prepará-lo quanto a incidência da luz é o ideal. Se você não em como construir toldos ou tendas para controlar o acesso da luz, estude e anote todos os locais do seu jardim, a quantidade de luz que cada um deste recebe. Fazendo isso, você saberá exatamente o que plantar e onde plantar.

5 – Água
Muita gente não se importa com essa questão, porém uma rega pode acabar com seu jardim inteiro.  Primeiro separe o seu jardim por grupos que precisam de mais ou menos água, dessa forma, você poderá regar coletivamente e não individualmente, pois algumas plantas precisarão de água todo dia e outras apenas 2 ou 3 vezes na semana. Evite ao máximo regar o seu jardim quando o dia estiver com picos de temperatura. Evite por exemplo, regar ao meio dia, onde o sol é mais forte e a incidência dos seus raios bem maiores. Isso é indicado, porque nesse horário, devido a temperatura ser mais alta, as plantas automaticamente irão absorver água mais rápido. O ideal é que você faça a rega de manhã bem cedo e a noite.

6 – Usando leite nas plantas
Poucas pessoas sabem, mas o leite é um potente fungicida para as plantas e pode ser sempre utilizado em forma de spray. Muitos profissionais indicam o uso do leite mais do que esses compostos que podemos encontrar em lojas para planta, pois estes vêm repletos de compostos químicos que podem estragar a planta ou não deixá-la com o aspecto tão natural e saudável. Você pode aplicar o leite natural ou diluído em água potável, contanto que nesse segundo caso, a concentração de leite seja maior que a da água. Com um borrifador você vai aplicando o leite em cada planta para que esta absorva.

Evite excessos, fazendo isso periodicamente é o ideal para manter sua planta bonita e saudável.

ouvindo-a-chuva

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


Cissusrhombifolia1

O Cipó-uma é uma planta da família Vitaceae e tem origem na América do Sul. Trata-se de uma trepadeira perene, própria para a decoração de ambientes internos.

Seu caule é caule ramificado, com ramos delgados, de cor castanha, recobertos de pelos e dotados de gavinhas para fixação.

As folhas são compostas e margens denteadas. Algumas variedades possuem margens quase inteiras enquanto outras têm margens profundamente denteadas, praticamente lobadas. Quando jovens, os folíolos são claros, revestidas de tricomas e à medida que amadurecem adquirem uma cor verde-escura e brilhante.

É uma planta excelente para crescer em locais semi-sombreados e até mesmo em interiores.

Seu crescimento é moderado e sua folhagem muito exuberante, tornando-a uma opção interessante para pendurar na sala, em cestas suspensas ou mesmo em jardineiras, é uma trepadeira rústica, ela é rústica.

Há duas principais formas de conduzi-la: como trepadeira, oferecendo-lhe suporte para que se fixe com suas gavinhas, ou como planta pendente, plantada em vasos ou cestas suspensas. Seja qual for o modo escolhido, vale à pena plantá-la, pois é uma espécie muito ornamental.

Seu cultivo deve ser sob sol pleno, meia-sombra ou luz abundante difusa, em substrato bem drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente.

Sendo uma planta típica de clima subtropical, viceja melhor em locais de verão não muito quentes e aprecia o frio invernal para hibernar.

As fertilizações bimestrais durante o crescimento vegetativo estimulam o desenvolvimento de uma folhagem brilhante e saudável. Sua multiplicação é feita por estacas postas a enraizar em local protegido, no período da primavera.

bird12

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


images

A cebola é um vegetal popular no jardim caseiro, pois tem uma ampla variedade de uso, seu cultivo é fácil e requer muito pouco espaço. Além disso, elas têm uma fase vegetativa de crescimento curta, que significa que você pode começar a colher no outono ou primavera e então secá-las e armazená-las para uso no inverno.

O que será necessário: terra de jardim, bulbos de cebola, colher de pedreiro, garfo para jardinagem e água.

- Esses vegetais não são tão exigentes quando se trata de condições de cultivo, mas eles têm, sim, algumas preferências. Escolha um lugar com bastante espaço e luz solar diária. As cebolas crescem muito se lhes for dado espaço suficiente, então se lembre de que quanto maior a área que você reservar para o seu cultivo, maiores ficarão as cebolas. Evite plantar em locais onde plantas ou árvores maiores façam sombra.

A cebola cresce bem em canteiros elevados, por isso, se você não tiver um espaço adequado no jardim, é possível construir um canteiro elevado separado para sua plantação de cebola.

- O solo para a plantação dos bulbos de cebola devem ser preparados no outono. Em seguida, faça linhas que podem ser longas mas que a distância entre elas seja de 30 centímetros e a profundidade deve ser de 10 centímetros.

- Depois cubra com ráfia de solo a cama de cebola. É um modo para manter bem longe as ervas daninhas e também facilita na hora de tirar detritos e folhas.  Também pode ser um problema o gelo das geadas achatando os sulcos. Use o garfo para soltar o solo e quebre e vire a terra na profundidade de 10 centímetros.

- No meio de cada sulco cave uma trincheira e medida deverá ficar entre 1,25 a 5 cm. O bulbo da cebola deverá ter o lado pontudo par cima. A distância entre eles deve ser de 5 centímetros e se for usar cebola madura, essa distância deverá aumentar para 15 centímetros.

- A cebola é uma planta relativamente delicada, pois tem raízes frágeis que podem ser facilmente prejudicadas por ervas concorrentes. Use uma enxada para remover as ervas-daninhas que emergem, em vez de arrancá-las; puxar essas plantas pode danificar a raiz da cebola e complicar seu crescimento.

- Regue as cebolas todas as tardes e complemente com fertilizante à base de nitrogênio uma vez por mês, para nutrientes. Uma me após o plantio, cubra o vão entre cada sulco com folhas secas, para armazenar umidade e afastar ervas concorrentes.

- É necessário ficar de olho na manutenção e as ervas daninhas devem ser retiradas regularmente. Durante o período vegetativo a planta deve ser molhada com 2,5 centímetros de água. Se as ervas daninhas tomarem conta das cebolas elas hibernarão porque estarão sobrecarregadas. O resultado será a colheita de cebolas pequenas.

- Se quiser que suas cebolas tenham um sabor um pouco mais suave, regue com mais água do que você faria normalmente.

- Se alguma cebola florescer, ela deve ser recolhida. Essas cebolas floresceram prematuramente, provavelmente devido ao stress (causado tanto pelo calor, quanto pelo frio excessivo), e não continuarão a se desenvolver em tamanho ou sabor. Para impedir que isso aconteça, proteja suas cebolas do frio repentino cobrindo-as com uma tela, e regue-as bastante durante ondas de calor.

- Escale com intervalo de duas semanas, as plantações dos bulbos de cebolas, durante o período da primavera. Isso ajudará aumentar a safra das cebolas maduras.

Quando as cebolas plantadas estiverem maduras é possível misturar com fertilizante e dar mais força a raiz. Isso ajudará na hora da colheita no início do verão.

por do sol

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


petúnias

Planta ornamental é toda planta cultivada por sua beleza. São muito usadas na arquitetura de interiores e no paisagismo de espaços externos.

As espécies ornamentais foram selecionadas pelos humanos a partir de caracteres visualmente atraentes, como flores e inflorescências vistosas, coloridas e perfumadas, folhagens de cores e texturas distintas, formato do caule, ou por seu aspecto geral.

Ao longo do tempo, os homens perceberam que poderiam aprimorar qualidades desejáveis em uma planta a partir de cruzamentos entre indivíduos particularmente bem dotados.

Assim começaram a surgir novas variedades, com novas cores, flores maiores e mais duráveis, mais resistência ao clima ou a predadores. As rosas, por ecemplo, cultivadas há milênios no Oriente Médio, já não se apresentam mais em seu estado original, mas a imensa variedade de formas e híbridos obtidos ao longo de todos esses anos de cultivo são sintomáticos da capacidade humana de transformar a natureza para atender suas necessidades.

A descoberta da América em 1942 trouxe ao Velho Mundo uma nova fonte de plantas ornamentais completamente diferentes das que se cultivava havia milênios.

Bromélias, orquídeas, aráceas e muitas outras foram prontamente levadas à Europa e se tornaram extremamente populares. As expedições ao Sudeste asiático a partir do século XVI revelaram aos europeus outra grande fonte de espécies desconhecidas e exóticas, que até hoje concorrem com as espécies americanas em popularidade nas estufas e jardins tropicais.

A demanda por plantas ornamentais americanas abriu brecha para a coleta indiscriminada e o tráfico de plantas, que, quando não extinguiu, reduziu drasticamente as populações naturais de tais espécies. Algumas, por outro lado, adaptaram-se perfeitamente aos novos ambientes em que foram introduzidas e tornaram-se ´çantas daninhas;.

Apesar da coleta ilegal ser ainda praticada, as plantas ornamentais são hoje cultivadas em fazendas, e movimentam um mercado bilionário no mundo inteiro, cuja demanda só faz crescer. Algumas cidades brasileiras, como Holambra ou Suzano, vêem na produção de plantas ornamentais uma de suas principais atividades econômicas.

As plantas ornamentais foram selecionadas pelos humanos a partir de características como flores, cores, aromas, folhagem, texturas, formato de caule entre outros, que formam caracteres visualmente atraentes.

Novas variedades de plantas ornamentais surgiram a partir do cruzamento entre espécies, como por exemplo, as rosas, que foram cultivadas há milênios no Oriente Médio, não se apresenta em sua forma original, fruto da capacidade humana de transformar a natureza de acordo com suas necessidades.

As plantas ornamentais podem ser divididas em várias categorias, conforme seus aspectos morfológicos, hábitos de crescimento e usos mais frequentes:

Árvores
As árvores são vegetações de características lenhosas, copas definidas e sua forma adulta atingem mais de seis metros. Como ornamento as árvores produzem sombras, diminuem a amplitude térmica, amenizam a poluição sonora e do ar, atrai pássaros e os abrigam, formando belas paisagens. Existem várias espécies como o chorão (Salix babilonica), flamboiã (Delonix regia), espatodea (Spathodea campanulata), entre outros.

Arbustos
São vegetações geralmente lenhosas e possuem bifurcação de baixa estatura ou perto do solo, e sua forma adulta é inferior a seis metros. Como ornamentos os arbustos servem para delimitar superfícies, contemplam linhas arquitetônicas, esconde ou destaca vistas pouco estéticas, entre outros. Algumas espécies como espirradeira (Nerium olander), Azaléias (Rhododendron), Hortênsias (Hydrangea macrophylla) são bastante utilizadas.

Trepadeiras
São vegetações lenhosas que necessitam de suportes para se desenvolverem. São classificadas em: Volúveis, Samentosas, Cipós e Arbustos escandentes. Como ornamentos são apreciadas para cobrir muros, separa um ambiente de outro, substitui arbustos em locais estreitos. Espécies como cipó-de-são-joão (Pyrostegia venusta), Alamanda (Allamanda cathartica) e Glícinia (Wisteria sinensis), são bastante utilizadas.

Palmeiras e cicadáceas
Este tipo de planta possui variados portes e aspectos característicos de tronco e copa. Suas folhas são pinadas, coriáceas e flabeladas, organizadas em hélice e possuem uma silueta esbelta. Como ornamento serve para caracterizar regiões, complementar linhas arquitetônicas, atrair pássaros, entre outros. Como exemplo pode-se citar o Açaí (Euterpe oleracea), Butiá (Butia eriospatha), etc.

Plantas herbáceas
As herbáceas se caracterizam por possuírem caules lenhosos ou semi-lenhosos e variados tipos de porte. São cultivadas em locais com ou sem sombra. Como ornamento, plantas deste tipo servem para criar paisagens atrativas dependendo de suas cores e floração.

Plantas de forração
Essas plantas se caracterizam por possuírem crescimento horizontal e geralmente cobrem superfícies do solo. Como ornamentos servem para proteger o solo contra erosões, formam desenhos ou emblemas em paisagismos, entre outras. Exemplos: Trapoeraba (Tradescantia sp.).

Gramados
Os gramados são formados por famílias de gramíneas e são utilizadas em ornamentos para forrar solos funcionando com um tapete, são usadas em campos de futebol, diminui o brilho do sol, entre outras. Exemplo: Grama coreana (Zoysia matrella).

Plantas aquáticas
São plantas que vivem em locais aquáticos podendo ser flutuantes, emergentes, submersas e palustres. Como ornamentos servem para enfeitarem lagos artificial, diminuem o brilho da água parada, entre outros. Exemplo: Aguapé (Eichornia crassipes).

Plantas suculentas
Este tipo de planta habita regiões áridas e possuem como características tecidos carnosos ricos em água. Como ornamento as plantas suculentas servem para caracterizar regiões. Exemplo: avelós (Euphorbia tirucalli).

ouvindo-a-chuva

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


1280px-Samambaia_

O primeiro passo para ter as samambaias bem verdinhas no jardim é dar a elas o que elas gostam: sol fraco e solo úmido. Por isso, é importante, ao regá-la escorrer a água que fica no prato logo em seguida. Elas não podem ficar muito tempo molhadas para se desenvolverem bonitas e fortes.

Escolha bem o lugar onde você irá plantar a sua samambaia no jardim
A samambaia não gosta de sol direto, prefere meia sombra, principalmente, que garanta que os raios solares do meio-dia não irão incomodá-la. Procure colocá-la em um lugar que tenha um teto ou qualquer outra coisa que faça a  sombra que ela precisa. Fique atento também em deixá-la longe de correntes de vento, porque elas provocam a desidratação das folhas e as fazem cair.

Fique atento na hora de regar as samambaias, elas devem receber água regularmente
A samambaia não gosta de ficar “mergulhada” na água, mas a sua terra deve estar sempre úmida. A melhor maneira de saber se está na hora de molhar de novo a sua planta é colocando o dedo na terra, se ele sair sujo, não precisa regar. Se sair limpo está na hora de colocar mais água e não esqueça de tirar o excesso do pratinho, faça-o escorrer. Não molhe as folhas, muitas espécies nesta situação “abortarão” aquelas que estiverem muito encharcadas.

Capriche no adubo, faça a mistura correta para que a sua samambaia cresça bem e forte
Para que você tenha samambaias tão lindas e verdinhas no seu jardim, como aquelas que se veem na floricultura é bom caprichar no adubo. Veja como fazê-lo! Uma receita direto da floricultura para o seu jardim: 1 colher (de sopa) de farinha de osso, 2 colheres (de sopa) de torta de mamona, coloque na terra a cada 40 dias. Uma vez por mês, aplique nas folhas, borrife – NPK 20 20 20 misturado com NP 15 05 30. Siga as orientações da embalagem.

Característica dos principaos tipos de samambaias
- Samambaia-americana (Nephrolepsis exaltata):
se você quer ter pouco trabalho para cuidar da sua planta, essa é a melhor espécie. De todas é a mais resistente.

nephrolepsis exaltata
- Samambaia-de-metro (Polypodium subauriculatum): as folhas desse tipo de samambaia podem ficar enormes, chegando a metros de comprimento.

polypodium subauriculatum
- Renda-portuguesa (Davallia fejeensis): é linda durante a primavera, mas sofre durante o inverno, as folhas ficam queimadas.

DavalliaFejeensis
- Avenca (Adiantum sp): é uma das espécies mais delicadas dessa planta, odeia o frio e é mais adequada para o litoral.

Adiantum sp
- Samambaia-prata (Pteris cretica): as folhas desse tipo de samambaia são diferente de todas as outras, elas têm manchas prateadas no centro.

Pteris cretica
- Paulistinha (Nephrolepsis pectinata): muito comum, pode ser encontrada até mesmo no meio do mato.

Nephrolepsis pectinata

Se necessário, transplante-a
Ao longo do tempo, as samambaias ficarão maiores que o vaso onde foram originalmente plantadas. O tempo entre os transplantes variará dependendo da saúde da planta, mas talvez você precise replantá-la em um vaso maior após seis meses

Para dividir uma samambaia grande em várias samambaias menores, cave cuidadosamente a planta e suas raízes. Separe a planta em partes; a samambaia costuma crescer em montes, o que facilita sua divisão. Replante cada parte da planta e regue-as bem.

riacho

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


Hibiscussabdariffa-Roselle
A vinagreira. é um arbusto perene da família das Malváceas que pode atingir cerca de 2 a 3 m de altura. É uma planta pertencente gênero Hibiscus, que compreende cerca 200 espécies de plantas.

De origem africana e asiática, é conhecida popularmente como hibisco, hibiscus, rosela, groselha e quiabo-de-angola.

Seu caule possui poucas raízes e com tonalidade mais avermelhada. Suas folhas apresentam aspecto simples sendo que as da parte de baixo e de dentro são ovadas e as de cima lobadas, com longo pecíolo e de cor roxa. As folhas são bastante suculentas e apresentam um gosto ácido, um pouco até adstringente. Enquanto que as flores xiliares, têm cor rosada, cujo pedúnculo possui cor vermelha.

O conjunto formado pela corola e pelo cálice é a parte fundamental da planta, sendo reconhecido como fruto, com aparência de uma cápsula ovalada, contendo cinco lóbulos, cobertos com pelos picantes e finos, que guarda muitas sementes.

Nas plantas novas, as folhas são inteiras e simples, mas depois, com o seu crescimento, as novas folhas são recortadas, formando de 3 a 5 lóbulos. Existem seleções com maior ou menor quantidade e tamanho de folhas, nas cores verdes ou avermelhadas.

Vinagreira-Hibiscus-sabdariffa
As flores apresentam os dois sexos na mesma flor (hermafroditas), são axilares, formadas ao longo da haste da planta e podem ser amarelo-pálidas, rosa-arroxeadas ou purpúreas. Os cálices são carnosos e vermelhos, com mais ou menos 2 centímetros de comprimento, e recobrem os frutos ovais onde estão as sementes.

Vale lembrar que este hibisco não é o hibisco ornamental tão comum nos jardins do Brasil, conhecido popularmente como hibisco-da-china ou rosa-sinensis.

Cultivo
Por se tratar uma planta adaptada ao clima quente, se desenvolve bem em temperaturas superiores a 21ºC. O solo ideal para o cultivo deve ser bem drenado, profundo e com alto teor de matéria orgânica.

Quanto à adubação, recomenda-se apenas adubo orgânico, sendo indicado colocar 2 litros de composto orgânico ou húmus de minhoca por cova antes do plantio. À medida que a planta for se desenvolvendo, pode-se fazer adubações de cobertura utilizando os mesmos adubos, só que desta vez colocando-os a 10 cm do colo da planta. Não há necessidade de usar agrotóxicos em nenhuma fase do cultivo.

A África é um dos maiores produtores de Vinagreira, e o país que mais a importa é a Alemanha, agregando valor aos cálices vindos da África. Já sua flor é muito utilizada na preparação de geleias, doces e xaropes.

riach

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.