Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




samambaia_havaiana

A mini-samambaia havaiana e da espécie Nephrolepis e ela faz parte da família das Davalliaceae.

Possui pelo menos 30 espécies e dessas, são tão comuns que passaram a ser tratadas como ervas daninhas. Pois não precisa de muito para que elas se espalhem no solo, basta que ele seja ligeiramente ácido e tenha boa concentração de umidade. Outro requisito que faz com que esse crescimento seja acelerado é que ela esteja em meia sombra, mas o sol pleno e sombra total não impede que elas cresçam.

A mini samambaia-havaiana é na verdade, uma variação da Marisa, porém, ela tornou-se mais popular que a espécie da qual é originária e no Brasil, entre as samambaias miniatura é mais cultivada.

A mini samambaia-havaiana precisa ficar em um substrato entre 30 a 60 cm para que se desenvolva bem e que seja um solo com composto orgânico e boa terra. A sua propagação poderá ser feita através de semente ou por muda. Ela gosta de meia sombra e precisa de muita água. Adianto que a mini-samambaia-havaiana pode ser plantada em qualquer época do ano e não possui flor e nem perfume.

Nephrolepis_exaltata

A reprodução
As plantas da família da qual faz parte a mini-samambaia-havaiana se reproduzem através da divisão dos rizomas, que se apresentam como caules bem “peludos” ou que às vezes possuem muitos esporos. Eles são aqueles pontinhos na cor marrom que estão bem embaixo das folhas. Quando são colocados em solo úmido, rico em nutrientes e fofo, em bem pouco tempo surgem as mudas.

A mini-samambaia-havaiana é excelente para colocar em ambientes internos ou fora, em lugares com meia sombra, porém, é importante que ela esteja em lugares sem correntes de vento. O lugar também deve ser ventilado e de preferência que entre muita luz natural, mas nunca deve ficar exposta ao sol direto.

Outro detalhe importante é que essa samambaia gosta de adubo orgânico, como saquinhos usados de chá, borra de café, casca de ovos trituradas, entre outros. O ideal é usar uma vez por semana qualquer tipo de adubo caseiro e em seguida, regar a planta.


samambaia-havaiana

O cultivo dentro de apartamentos
Quem não tem jardim e mora em apartamento sabe como não é fácil encontrar plantas que fiquem bem nesse tipo de ambiente. Mas, a mini-samambaia-havaiana é uma boa opção, ela tem uma aparência bem bacana é pequena e fica bem sob o ambiente do apartamento.

Além disso, é uma ótima opção para quem tem pouco tempo, pois exige menos cuidados. Para ela crescer bonita é só deixá-la em um lugar bem iluminado. O que não quer dizer que os cuidados básicos que se deve ter com uma planta podem ser ignorados.

A rega é de extrema importância, como é para qualquer planta, pois através da rega é que ela fará o processo e terá os nutrientes que precisa. A frequência é garantir que a terra permaneça úmida sempre. O vaso deve ter terra orgânica e não deixe a sua samambaia exposta diretamente aos raios solares, que acabam queimando as folhas.

Como cuidar da mini-samabaia-havaiana
*
Deixe a sua mini-samambaia em um lugar que seja bem iluminado.
* O vaso ideal para se cultivar a mini-samambaia deve ser largo e raso, para que ela cresça sem problemas.
* A terra tem que ser rica em material orgânico.
* A rega deve garantir que ela ficará com a terra úmida sempre.

* A mini-samambaia deve ficar longe de crianças e animais domésticos e longe de local de passagem para não ser danificada.

Nephrolepis-exaltata

Sobre a iluminação correta
Quem gosta de plantas sabe que elas necessitam de luz para crescerem fortes e saudáveis, porém, algumas precisam dela diretamente e outras não, a mini-samambaia entra no segundo caso. Deixe-a dentro de casa sempre perto da janela, mas onde os raios do sol não alcancem.

Os melhores lugares são aqueles abertos e cobertos, como as varandas de apartamento.

Cuidado somente para que não se trate de um lugar que chegue muito vento, ela também não gosta de corrente de ar. Além de não tolerar mudanças de temperatura muita bruscas.

Falando sobre a rega e solo
A planta precisa de muita água, mas temos que tomar cuidado para não colocar demais e a melhor maneira de ter certeza se é necessário mais água é testando a terra com o dedo. Se ela estiver úmida não é necessário molhar novamente.

O solo deve ser rico em matéria orgânica, neste ambiente ela se desenvolve melhor. Compre uma muda e plante, lembrando do tamanho do vaso, largo e fundo e use uma boa mistura de materiais orgânicos.

A mini-samambaia não gosta de mudanças
Não fique trocando a sua planta de lugar, ela não gosta. Depois que ela estiver por um tempo em um determinado lugar, evite de trocá-la, esse tipo de planta não gosta disso.

Para o adubo, use sempre aqueles apropriados para samambaias e deve ser sempre aplicado diretamente no substrato.

pombos

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


cocovedeliano

O coco vedeliano é uma espécie vegetal pertencente a família das plantas conhecidas como palmeiras. Essa planta é popularmente conhecida por Palmeira wedeliana e coqueiro miniatura, no Brasil ela também é popularmente chamada de Palmeira de Petrópolis.

Esta esbelta palmeira é bastante ligada ao coqueiro, no entanto ela é uma planta de menor porte que os coqueiros. Devido a essa similaridade com o coqueiro é que a planta recebeu esses nomes populares acima citados.

O coco vedeliano é uma planta nativa da América do Sul, sendo endêmica do Brasil, onde essa espécie vegetal é largamente encontrada, principalmente nas florestas tropicais existentes no país. É uma espécie vegetal pertencente à família botânica Arecaceae, sendo membro do gênero Lytocaryum.

As Características do Coco vedeliano
O coco vedeliano se caracteriza por ser uma espécie vegetal do tipo palmeira, que apresenta estrutura semi-herbácea, se caracterizando por ser uma planta delicada, exótica e que transmite bastante elegância ao ambiente onde é cultivada.

É uma espécie vegetal que apresenta ciclo de vida perene, isto é, vive um período maior que 2 anos, o que é considerado longo no reino vegetal. Se o coco vedeliano for cultivado de forma correta e adequada a planta irá conseguir viver por vários anos.

O coco vedeliano é uma espécie de pequeno para médio porte, apresentando uma altura que varia de 1 a 2,5 m. De uma forma geral, o coco vedeliano fica com altura média de 2 m.

weddelliana

O caule ou tronco apresenta um diâmetro consideravelmente reduzido, que varia de 2 a 3 cm, o que acaba caracterizando a planta como semi herbácea, isto é o caule não possui estrutura completamente lenhosa.

As folhas possuem cor verde escura. Essas folhas formam uma espécie de coroa, apresentando um arqueamento de grande harmonia, que concede grande beleza a planta. Elas são pinadas e muito finas, por isso é cuidado necessário com os ventos mais fortes, pois podem causar danos a essa espécie vegetal.

As flores do coco vedeliano são de cor branca, e devido a grande beleza das folhas, elas acabam possuindo pouca importância com relação a característica ornamental da planta. Quando o coco vedeliano é cultivado em ambientes fechados, é normal que as flores não se desenvolvam na planta.

Seus frutos surgem após a floração da planta, esses frutos são de tamanho pequeno e se caracterizam por serem comestíveis. O gosto dos frutos é bastante parecido com o gosto do coco.

O coco vedeliano é uma planta bastante popular entre as pessoas que cultivam palmeiras, pois é uma espécie que possui uma excelente atratividade e por isso ela é uma planta que atrai bastante a atenção das pessoas, devido a sua grande beleza.

Cultivo
O coco vedeliano é uma espécie vegetal típica de clima tropical, que aprecia um clima típico e úmido, tanto que o habitat natural da planta são as florestas úmidas das regiões de clima tropical.

Devido a essa característica, o coco vedeliano aprecia ser cultivada em locais que possuam uma boa condição de claridade. O ambiente ideal é aquele que seja sombreado ou meia sombra que apresente uma boa claridade.

A planta precisa de uma boa luminosidade, no entanto ela é uma espécie vegetal que não deve ser exposta diretamente a luz solar.

Por ser uma planta típica de cultivo em regiões sombreadas, consegue apresentar uma pequena resistência a temperaturas mais baixas, no entanto a planta não suporta clima intensamente frio ou em casos extremos de geadas.

Com relação à rega, aprecia que o solo para o cultivo seja mantido ligeiramente úmido, no entanto, isso não quer dizer que o mesmo deva ficar encharcado, pois essa situação pode causar o apodrecimento das raízes da planta, o que pode levar a planta à morte.

lytocaryum

Por isso, é importante que o solo onde seja cultivado o Coco Vedeliano possua uma boa capacidade de drenagem para que absorva bem a água, de forma que as possibilidades de encharcamento sejam diminuídas.

Com relação à poda, no caso do Coco Vedeliano, não é necessária a sua realização, bastando apenas que a pessoa que cultive esta espécie vegetal faça o corte das folhas que se encontrem secas para que a planta se mantenha sempre bonita e saudável.

O coco vedeliano é uma espécie vegetal que se caracteriza por apresentar um crescimento até certo ponto lento. Para ajudar a planta a crescer de forma saudável, é interessante que o solo passe por processo de adubação e fertilização, sendo aplicado o adubo NPK de 3 a 4 vezes por ano. É importante frisar que o adubo não deve ser colocado próximo ou junto ao caule do coco vedeliano.

O coco vedeliano é cultivada em vasos tanto em ambientes externos como ambiente internos, no entanto neste caso, ela é uma espécie vegetal que requer uma boa iluminação de forma a se manter bonita e saudável.

No cultivo em ambientes internos, é necessário tomar cuidado com o acumulo de poeira e deve ser evitada a aplicação de produtos químicos para que o coco vedeliano fique mais brilhante.

A forma correta de limpar a planta é fazendo uso de uma esponja úmida, ou aproveitar as chuvas de pequena intensidade de forma que a planta consiga ser limpa pela água da chuva.

Propagação
A espécie vegetal se propaga por meio da dispersão das sementes, que é o método mais comum de multiplicação das plantas.

Esse método consiste em colocar as sementes geradas pela planta, em covas que ficam localizadas em ambientes propícios ao desenvolvimento da semente. Com as condições apropriadas de rega, adubação e iluminação, a semente irá germinar e formar uma nova planta.

O coco vedeliano é uma planta que se propaga com bastante facilidade nas sombras úmidas que são encontradas nas florestas tropicais.

janela-brisa

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


Lamprocapnos-Spectabilis-9

Essa espécie cresce facilmente em solo médio, com boa drenagem. Não é uma planta que goste de sol. Ela prefere lugares que tenham uma parte de sombra, ou com sombra total. Gosta de solo úmido e também úmido em parte da sombra.

A Lamprocapnos spectabilis não tolera solo seco no verão e nem solo úmido no inverno. A sua folhagem pode ficar inativa em meio ao verão, na região de St. Louis. Se o solo secar, elas podem morrer mais cedo.

A origem do nome comum “coração sangrando”, é porque ela tem uma pétala branca saliente em cada uma das flores, em formato de coração. Essa pétala dá à flor uma suposta aparência de um “coração sangrando”.

coração sangrento

Características importantes da Lamprocapnos spectabilis
Trata-se de uma das plantas preferidas em jardins antigos. É uma espécie nativa do Japão. As suas flores são semelhantes a coração, de cor rosa e com pétalas internas brancas projetadas. A sua floração começa na primavera, antes mesmo de as folhas surgirem.

Suas folhas são verdes compostas e suas flores pendem para baixo, sempre em intervalos regulares, sob hastes longas e arqueadas. Antes, essa planta era conhecida como Dicentra spectabilis.

Como usar a planta no jardim
O Lamprocapnos spectabilis sobrevive melhor em locais com sombras e em jardins da floresta. Com a sua folhagem permanece dormente, o melhor mesmo é plantá-lo debaixo de uma cobertura, ou em meio a plantas perenes cujo desenvolvimento acontece posteriormente, como é o caso de samambaias.

Elas serão preenchidas logo que a folhagem do coração sangrando começar a morrer. O coração sangrando pode ser cultivado tanto em jardins, como em vasos, para enfeitar varandas. As áreas de sombra plena são as mais recomendadas para essa planta.

Transplante do Lamprocapnos spectabilis
Se for preciso realizar um transplante dessa planta, o ideal é que seja feito após a floração. Escava-se um buraco para onde será transplantada. O solo precisa estar arenoso e misturado a compostos.

Após, deve-se levantar a planta sem que as raízes sejam danificadas. Retira-se o solo solto, dando uma leve sacudida. Se houver alguma parte das raízes que ficou danificada, esta deve ser retirada antes de replantar a muda. A planta é colocada em seu novo local, o solo é reposto e regado completamente.

coração sangrento

Poda do Lamprocapnos spectabilis
O coração sangrando não deve ser podado. Retira-se somente as flores murchas. A poda poderia enfraquecer a planta. Logo que a folhagem estiver seca por completo, pode também cortar o caule.

Mas, enquanto as folhas estiverem verdes, isso não pode ser feito, pois é das folhas que a planta retira os nutrientes que precisa para o inverno.

Problemas com insetos ou doenças
Não há relatos de nenhum inseto que possa causar sérios problemas a essa espécie. Como também não se tem relatos de problemas causados por doenças. Ela apresenta certa suscetibilidade a infecções por anfíbios. A sua folhagem adormece no verão. Para a sobrevivência dessas plantas, é fundamental que o solo seja bem drenado.

Dicentra-spectabilis

Características principais
* Nome comum: coração sangrando
* Nomes populares: coração sangrando, coração sangrando asiático
* Origem: florestas montanhosas da Ásia Oriental
* Tipo: perene herbácea
* Gênero: Lamprocapnos
* Família: Papaveraceae
* Nativa: Sibéria, Japão, norte da China, Coréia
* Crescimento: perene, herbáceo, suspenso
* Altura de crescimento: 60 – 150 cm
* Período de florescimento: dependendo da tensão entre maio e agosto, com menor frequência a partir de abril
* Descrição: Branco / rosa
* Folhas: composta, cinza-verde
* Usos: cama e vaso de plantas, flores de corte
* Toxicidade: todos os componentes da planta são tóxicos
* Sol: parte sombra a sombra total
* Água: média
* Manutenção: baixa
* Flor: vistosa, bom corte, em forma de coração, pendendo de um lado, rácemos, principalmente rosa, menos frequentemente branco

A disposição das suas flores em seus galhos confere um efeito decorativo ainda mais belo para a planta.

banquinho

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


Platycerium coronarium

Habitando a terra há mais de 360 milhões de anos, as samambaias são conhecidas como fetos da natureza. Há cerca de 18 espécies de Platycerium, alguns são muito raros e bastante exigentes, outros são comuns e fáceis de cuidar.

Herbácea epífita, pertence à família polipodiaceae, é nativa da áreas tropicais e temperadas da América do Sul, África, Sudeste da Ásia, Austrália e Nova Guiné, perene, acaule e muito ornamental.

Habitando a terra há mais de 360 milhões de anos, as samambaias são conhecidas como fetos da natureza.

Há cerca de 18 espécies de Platycerium, alguns são muito raros e bastante exigentes, outros são comuns e fáceis de cuidar.

Cultivadas especialmente em jardins tropicais, fixam-se em árvores, pedras e placas de madeira.

O Platycerium consiste basicamente em 3 partes: as raízes, frondes estéreis ou basais e frondes férteis.

Raízes são pequenas e às vezes difícil de ver.

Folhas do platycerium são chamadas de “fronde”.

Frondes estéreis ou basais são em forma de escudo ou de rim, laminada fechando-se contra a árvore, para proteger as raízes da samambaia de danos e dessecação.

Em algumas espécies de Platycerium a margem superior desta fronde, forma uma coroa aberta. Esta fronde é responsável pelo desenvolvimento da planta, uma vez que retira água e nutrientes do ar e servem para reter a queda de detritos, como insetos mortos e pedaços de material vegetal; é neste ponto que a samambaia obtém seus minerais e outros nutrientes. Quando envelhece, uma nova fronde logo aparece para substituí-la.

Frondes férteis são grandes, pendentes, verde-escuras, com textura de couro e revestidas por uma camada fina, esbranquiçada, que lhe dá um aspecto aveludado, de cor verde-prateado.

São profundamente recortadas, bifurcadas, formando verdadeiras armações parecidas com chifres de veado. Nas extremidades inferiores desses recortes surgem densos esporângios, estruturas produtoras de esporos, em faixas ou agrupados.

Platycerium_bifurcatum

Cuidados com o Chifre-de-veado
Clima: Tropical e Subtropical

Para fixar um Platycerium, é preciso embrulhar a massa de raízes esponjosas em uma mistura de partes iguais de turfa e sphagnum, amarrar este pacote de forma segura na árvore, usar de preferência um cordão feito de algodão, evitar o de nylon. Mantenha a planta e o suporte úmidos, até que tenham aderido ao suporte.

Na fase de crescimento, regar duas vezes por semana no verão, deixando a fibra ficar bem umedecida e permitir que que o substrato fique quase seco, antes da nova rega. No inverno, apenas uma rega por semana. Quando adulta, ter mais moderação, dando apenas água suficiente para que o substrato fique levemente úmido.

Se a planta estiver murcha, mergulhe a parte que contém as raízes num recipiente largo com água. No verão, deixar a planta mergulhada durante uns 15 min. e no inverno, apenas 2 min. Espere escorrer todo o excesso de água antes de pendurá-la novamente. Evite molhar as folhas com frequência.

O Platycerium possui uma película que reveste suas folhas, a remoção dessa capa protetora, implica na rápida desidratação das folhas. Se houver necessidade de limpar a planta, recomenda-se que coloque a planta sob chuva suave, com temperatura amena ou pela névoa de pulverização, nunca usar jatos de água, esponja ou pincéis.

Adubo
Fertilizar o Chifre de veado, irá promover um crescimento vigoroso, em plantas mais jovens. É recomendado o uso de adubo líquido, misturado com a água de regar, pelo menos uma vez ao mês durante a primavera-verão, muitos usam a metade da dose de fertilizante para orquídeas ou Osmocote, adubo de liberação lenta e uma vez a cada dois meses no outono-inverno. Quando adulto, adubar apenas 2 vezes ao ano.

Alguns cultivadores usam adubo orgânico, colocando pequenos pedaços de casca de banana e até pequenos insetos na coroa da planta.

Sobre o Chifre de veado
Platycerium tem sido estudado por sua capacidade de remover alguns poluentes químicos do ar.

Propagação
Multiplica-se por esporos e principalmente pelas mudas pequenas que as raízes formam na superfície do substrato. Se as condições forem adequadas, como nos trópicos úmidos, onde nunca faz frio ou raramente seca, os esporos germinam naturalmente em árvores circundantes.

Algumas das espécies mais cultivadas:

Platycerium bifurcatum

Platycerium bifurcatum-1

Suas folhas basais nascem verde e com o tempo tornam-se amarronzadas, são de fina espessura e se aderem ao substrato. As folhas férteis, são verde-acinzentadas, duplamente bifurcadas de até 0,90 cm de comprimento. Resistente ao frio. Nativa da Austrália e da Polinésia.

Platycerium grande

Platycerium grande

As folhas basais são enormes, verde-clara e lobadas. A folhas férteis possuem dois lóbulos, de onde saem várias frondes bastante pendentes, bifurcadas atingindo até 2 metros de comprimento. Na parte inferior desse lóbulo há uma grande mancha de esporos. Nativa das Filipinas.

Platycerium holtomii

Platycerium holtomii

Folhas basais recortadas, a parte de cima vegeta solta e avança para frente, a parte de baixo é arredondada e presa firmemente ao suporte. São de cor verde, tornando-se com o tempo amarronzadas. As folhas férteis são de cor verde claro, levemente reclinadas e possuem muitas bifurcações. Nativa da Ásia.

Platycerium vassei

Platycerium vassei

É o único platycerium que tem a folha basal naturalmente marrom. Os escudos tornam-se muito densos e duros, como textura de couro. As folhas férteis são verde-acinzentadas, nascem eretas e tornam-se ascendentes. Nativa de Madagascar.

Platycerium willinckii

Platycerium willinckii

Possui folhas basais bem altas, com uma bifurcação basal irregular, se envolvem em torno da árvore ou suporte em que esta fixada. As folhas férteis são muito parecidas com um chifre-de-veado e apresentam uma leve penugem prateada. Resistente ao frio. Nativa da Austrália.

Platycerium superbum

Platycerium superbum

Folhas basais amplas, redondas em forma de rim, de até 1,50 m, com a margem superior em forma de leque. Folhas férteis são inclinadas, de até 1 m, geralmente crescendo em pares e com tamanhos iguais. Resistente ao frio. Nativa da Austrália.

Platycerium veitchii

Platycerium veitchii

Folhas basais longas, finas, na cor azul-cinzento, devido a grande quantidade de penugem prateada. Crescem na vertical, acima da folha estéril. Resistente ao frio, a seca e ao sol. Nativa da Austrália.

Platycerium elephantotis

Platycerium elephantotis

A parte superior da folha basal é bastante alta, grande, ereta, ondulada e de cor verde-limão. As folhas férteis são arredondadas em suas extremidades. Este platycerium tem a fama de ser difícil de crescer, mas o motivo é que o elephantotis, se diferencia um pouco dos outros platycerium, por precisar estar sempre úmido e em local mais sombreado. Nativa da África.

folhasaovento9

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.