Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




planta-murcha

As plantas como todos os seres vivos em geral, necessitam de certos cuidados para permanecerem saudáveis, bonitas e vistosas, sejam elas criadas em jardins externos, em vasos ou até mesmo em ambientes internos.

As plantas podem ser cultivadas com vários objetivos, mas os principais são para decoração de um ambiente e aproveitamento dos inúmeros benefícios medicinais que as mais variadas plantas possuem. As plantas trazem ao local onde são cultivadas um novo ar, alegrando e dando um colorido especial, isto é trazem mais vida ao ambiente, além de purificar o ar e ajudar na decoração do local onde são cultivadas.

E o cultivo das plantas podem se tornar uma terapia para as pessoas que as cultivam, pois elas exigem uma série de cuidados para que não fiquem doentes, murchas e morram.

Mesmo cuidando com atenção, eventualmente poderemos nos deparar com nossas plantas completamente secas, com folhas e flores murchas. Isso deve-se, muitas vezes, ao ressecamento da terra, luminosidade, localização, regas, adubação, etc… Daí, uma ação rápida é necessária, para não perdermos nossas plantas.

Cuidados a serem tomados com as plantas
As plantas possuem uma gama de necessidades básicas  que são essenciais para o seu desenvolvimento e por consequência para a sua vida. Cada planta precisa ter cuidados especiais de acordo com as suas características individuais, porém, existe uma série de atividades que precisam ser realizadas de uma maneira geral nas plantas, mudando apenas a intensidade de sua realização de acordo com a espécie.

02.planta-murcha

Vejam agora alguns cuidados tomados no cultivo das plantas;
* Tipo de Planta:
é de fundamental importância que você saiba qual é a planta que você está cultivando, pois é através disso, que você conhecerá as características da planta para realizar o tratamento e os cuidados corretos para que a planta fique sempre saudável;

Local Ideal: é necessário saber se a planta está colocada no local ideal para cultivo, pois existem plantas especificas para serem cultivadas em ambientes fechados, outras que não podem ser cultivadas em jarros, etc.;

Luminosidade: luz é vida para todos os seres vivos, inclusive para as plantas. Por isso a luminosidade é um dos pontos chaves para o desenvolvimento de uma planta. A planta só irá crescer corretamente, se receber a quantidade luz necessária para a sua espécie. É importante saber que todas as plantas necessitam de luz para realizar a fotossíntese, processo vital para a sua sobrevivência;

* Rega Correta: a rega necessita ser adequada, pois ela é fundamental para a sobrevivência da planta. O excesso ou a falta de água pode causar vários problemas para as plantas, inclusive levar a planta a morrer. Por isso verifique constantemente a umidade da terra onde sua planta está sendo cultivada, e não deixe nem que falte água (pode causar desidratação) e nem que acumule água em excesso, além dos cuidados com o mosquito da dengue, evita que a planta seja sufocada e apodreça;

* Adubação: as plantas precisam de nutrientes para o seu desenvolvimento, e acontece do solo não conseguir fornecer de forma adequada a quantidade de nutrientes que a planta está precisando. Para que o solo recupere ou conserve a sua fertilidade e supra a necessidade de nutrientes das plantas é necessário que se faça a adubação (fornecimento de fertilizantes e adubo) de forma correta;

* Poda: a poda é o corte de partes da planta para que o seu tamanho seja controlado, e além disso, a planta mantenha um aspecto bonito e jovem;

* Temperatura: a temperatura ambiente é fundamental para o desenvolvimento das plantas. Pois a temperatura age diretamente na transpiração e respiração das folhas, assim como, interfere na capacidade de absorção de água pela planta;

* Umidade do Ar: a umidade do ar é a quantidade de vapor de água que existe no ar de determinado ambiente (por isso é chamado também de umidade relativa do ar). Para que as suas plantas continuem sempre bonitas, verdes e exuberantes é importante que você conheça a umidade relativa do ar média do local em que você vive e a planta será cultivada, para ver se a sua planta se adequa as características do ambiente.

planta-murcha-0x500

Plantas murchas
Quando as pessoas que cultivam plantas, não tomam os devidos cuidados, deixando de lado alguns dos aspectos que foram citados, as plantas podem ficar doentes.

Para evitar que isso ocorra é importante que a planta seja observada se possível de maneira diária, assim será fácil notar algum sintoma de doença em sua planta (exemplos: Falta de floração, As folhas estão amareladas, o crescimento da planta está lento, a planta está murcha e etc.).

As plantas que são afetadas pela doença e ficam murchas, tem o inicio de dessa doença pela parte do seu eixo central e os sintomas (as folhas ficam amareladas, secam e caem da planta) vão se espalhando por toda a planta.

recuperar planta murchas e ressecadas

Como recuperar plantas murchas
Apesar de serem tomados todos os cuidados, as plantas acabam adoecendo, e quando a sua planta mostrar sinais que algo está errado com o seu desenvolvimento, e ficar murcha, é importante que você tome algumas atitudes para tentar recuperar a saúde, beleza e vigor de sua planta, como:
* Com o auxílio de uma tesoura apropriada para a poda, corte todas as folhas e flores que estiverem murchas, ressecadas ou queimadas. Essa tesoura pode ser adquirida em qualquer loja de artigos para jardinagem ou em floriculturas;

* Faça a limpeza do solo onde a sua planta está sendo cultivada, elimine todos os matos e ervas daninha que cresceram (elimine os matos e ervas daninhas pela raiz para que não nasçam novamente) e limpe as folhas da planta com um pano ligeiramente úmido;

* Depois de realizar a limpeza das folhas, chega o momento de dar água a planta. Porém não é simplesmente colocar água na planta, o ideal é que seja colocada uma mistura de água com vitaminas para cada tipo de planta, desta maneira a sua planta voltará a ficar bonita e vigorosa com maior velocidade.

Não se esqueça de que a água tirada direto da torneira tem alta concentração de cloro, o que pode ser prejudicial para plantas mais sensíveis, por isso, é sugerido que essa mistura seja feita com água filtrada;

* Cuidado com as regas, pois a baixa quantidade de água resulta em plantas murchas e secas, portanto verifique se a planta e o solo não estão secos e providencie a rega com a quantidade de água apropriada;

* Cuidado com o excesso de água, que também pode causar a murcha da planta. Verifique se a o solo não está encharcado, e caso necessite, pare com as regas por um determinado período. Verifique se o solo não está com dificuldades de drenagem;

* Cuidado com a exposição a luz solar, verifique quais são as necessidades da planta cultivada, e caso esteja havendo excessos ou ausência da exposição ao sol, mude a planta de lugar;

* Cuidado com o excesso de calor, pois cada planta tem uma temperatura média ideal. A temperatura elevada causa a murcha de folhas e caules.

Agora que já sabe como cuidar melhor de suas plantas, ajude o planeta a ter mais um pouco de verde.

janel30

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


Cleome hassleriana

A cleome é uma planta adaptada a qualquer clima presente da América do sul, incluindo todos os seus países de origem como a Argentina e o Paraguai, por exemplo. Há indícios de que ela tenha se originado em outros locais como o Uruguai e até mesmo o sudeste do Brasil.

Trata-se de um arbusto semi-herbáceo, pertencente à família Capparaceae, muito florífero, de ramagem ereta, ramificada e espinhenta, que pode alcançar de 0,6 a 1,5 m altura, possuindo muitas flores ao longo do seu desenvolvimento como planta.

Folhas
Em geral, as folhas são palmadas e possuem cinco  folíolos cada. Chamam bastante a atenção dos jardineiros especialistas, por terem características bastante peculiares. Apresentam em sua totalidade uma textura bastante rugosa e membranácea que, por isso, costumam exalar um cheiro bem forte e quem sabe até característico, permitindo que qualquer botânico especialista reconheça a espécie até de longe.

Flores
As inflorescências acontecem de forma terminal e costumam se desenvolver em épocas como a primavera ou o verão em si. As flores são delicadas e possuem um formato  globuloso. Seus longos estames contribuem para toda a beleza das flores, mas os tons diversos que podem ocorrer é o que mais impressionam botânicos e paisagistas. As inflorescências podem aparecer nas seguintes cores: rósea, branca ou creme.

Atualmente, depois de cruzamentos e hibridizações, as flores da cleome podem possuir algumas variantes no que diz respeito a sua coloração. Uma delas é um tom diferente do rosa, mas que lembra muito esta mesma cor. Na verdade, ela passou a apresentar diferentes tons de rosa, como o rosa pink e até mesmo o rosa bebê.

Cleome_1

Aparecimento de pequenos frutos
Há quem diga que a Cleome possui alguns frutos dependendo da espécie em questão. Na verdade, com o seu desenvolvimento sadio, podem surgir algumas vagens que se dependuram dentre as flores. Esses frutos começam a surgir após a polinização das florações e é possível observá-los na parte inferior das hastes florais.

Ornamentação
O arbusto pode ser usado para ornamentação sem maiores problemas, já aquele pode ser cultivado de diversas maneiras diferentes. A espécie Cleome, por exemplo, pode formar belos maciços e grupos no geral, gerando bordaduras ao longo de paredes e muros. Além disso, elas podem ser plantadas e grandes vasos ou jardineiras.

Por gostar de muita umidade, ela pode ser usada ainda como planta palustre, além de deixar um clima bem romântico ao longo dos jardins.

Por exigir pouca manutenção, muitos optam pela espécie para colocá-la em pequenos quintais. Apenas uma adubação simples e mensal, além das regas constantes, é suficiente para manter este arbusto de pé por um longo tempo, sem precisar se preocupar com pesticidas e outros produtos de cultivo.

Se o terreno for naturalmente úmido, evite plantar a Cleome ali. Essas plantas não suportam a alta umidade e provavelmente não irá se desenvolver bem neste tipo de solo. É bom também evitar a rega exagerada, de forma que não encharque o solo ao longo do cultivo.

cleome-hassleriana-

Podas regulares
Um aspecto importante e que não pode ser deixado de lado são as podas regulares da Cleome. Elas devem ser podadas regularmente, pois estimulam o adensamento da mesma, além de proporcionar a sua maior compactação ao longo do desenvolvimento.

Assim, com as podas feitas da forma correta, o tamanho e o crescimento da espécie poderão ser devidamente controlados sem maiores problemas até mesmo porque em pequenos quintais ela não deverá se espalhar muito. Lembre-se que é muito importante podar principalmente os galhos e ramos mais altos.

Assim como a poda constante é importante para a planta, a remoção de flores velha também será. Essa ação poderá estimular de vez as novas brotações que virão a cada dia, mais resistentes a qualquer clima ou temperatura. Com isso, o período de floração poderá se estender a cada novo ciclo.

Curiosidade
A folhagem da cleome é realmente um dos fatos principais que podem transforma-la em uma mero arbusto para a ornamentação. Porém, ela pode ser confundida por alguns desavisados.

Cleome hassleriana1

O plantio
A espécie é uma daquelas que adora o sol pleno e a combinação de solo fértil e matéria orgânica aos montes. As terras deverão estar permanentemente úmidas e deverá ser irrigada regularmente. É facilmente adaptável a terrenos alagadiços e pode ser  plantada no entorno de lagos e espelhos d’água, embora o seu desenvolvimento não permita este fato.

Em locais em que o calor é constante, a espécie pode tolerar a meia-sombra. Porém, neste caso, a floração da cleome será menos exuberante, não chamando tanta a atenção no quesito coloração e quantidade.

Apesar de ser uma espécie perene, as variantes dadas como comerciais podem ser tratadas como anuais e vão perdendo a sua beleza com o tempo, mesmo que as podas e a remoção de flores velhas sejam feitas de forma adequada a qualquer uma de suas variedades. Sua forma de multiplicação é através de sementes.

janela e borboleta

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


calandivas001

A calandiva é chamada de Híbrido da Kalanchoe blossfeldiana, sendo uma planta com origem na Holanda, da Ilha de Madagascar, mas muito cultivada em diversas regiões do mundo inteiro. Ela não possui um porte grande, não chegando a mais de 25 cm de altura. É uma planta com flores muito belas e, pode ser cultivada tanto em ambientes internos como externos.

Apesar de ter uma aparência bem delicada, a calandiva é uma planta bem resistente. Ela apresenta uma folhagem bem grossa e sempre na cor verde, com as bordas onduladas. As flores da planta sempre aparecem no final do outono e permanecem vivas até o final do inverno e quando começa a primavera, ela já inicia um novo ciclo e as flores brotadas começam a serem trocadas.

Apesar de ter esse ciclo natural, muitos agricultores acabam induzindo a floração da calandiva em outras épocas do ano para que ela se mantenha no mercado sempre, já que existe uma busca muito grande por essa espécie durante o ano inteiro.

Já que falamos do ciclo da planta, essa espécie tem um ciclo maior que pode chegar até 2 anos de duração, mas tudo vai depender dos cuidados dispensados à planta. Após o término de um ciclo, ela não brota naturalmente pela segunda vez, vai ser necessário você realizar o replantio da espécie.

No Brasil, dependendo de onde a calandiva vai ser cultivada, ela vai receber diferentes nomes populares sendo os mais comuns o flor-da-fortuna , kalanchoe e flor-do-papai. Também pode ser encontrada em uma diversidade incrível de cores das flores. Elas variam entre o vermelho, o laranja, o amarelo, o rosa e o branco.  As pétalas são bem simples e podem ser duplas ou triplas, dependendo da formação da planta.

calandivas

Cultivo da calandiva
A melhor forma de cultivar a calandiva é utilizando floreiras ou então bordaduras em jardins. Pode-se ainda criar uma diversidade incrível de plantas combinando as cores da espécie ou cultivando uma única cor. Elas reagem bem umas às outras, independente da sua formação.

Regas
Todas as plantas precisam de alguma frequência para regas, pois elas precisam manter-se hidratadas principalmente se forem cultivadas em ambientes externos onde existe um contato direto e maior com a luz do sol. No caso da calandiva, o ideal é regar de 2 a 3 vezes por semana nos meses mais quentes e 1 vez por semana nos meses mais frios.

Se nos meses mais quentes existir alguma frequência de chuvas, principalmente nos dias de rega, as regas podem ser suspensas para não encharcar demais a planta.

Os cuidados ao cultivar a calandiva
Como já foi mencionado acima, a calandiva é uma planta bem resistente e isso é um fato, mas esse detalhe não significa que a planta poderá sei deixado ao léu e sem dispensar alguns cuidados, pois mesmo aquela planta mais rústica vai precisar de atenção de vez em quando.

calandiva1

No caso da calandiva, atentem-se para:
* Cultivar a calandiva sempre em solo que estejam bem drenados, que sejam férteis e ricos em matéria orgânica;
* A capacidade de drenagem do solo é importante porque a planta não gosta de ambiente encharcados, então o solo precisa conseguir absorver bem e rápido as regas;
* Cultive sempre à meia sombra. A planta precisa de muita luz para se desenvolver, mas no verão ela não vai suportar o sol direto, principalmente entre as 10 da manhã e as 17 horas;
* Sempre que for observado algumas hastes velhas na planta retire todas à medida que elas vão murchando. Isso faz com que a planta abra espaço para flores novas;
Durante as regas, evite molhar as flores e as folhas, pois isso vai causar o apodrecimento das mesmas e se ela estiver sob o sol, deixará manchas amareladas o que tira a beleza da sua calandiva;
* O espaçamento ideal entre uma planta e outra é de pelo menos 20 cm.

Adubação e fertilização
Esse processo é bem delicado e vai exigir muita atenção de você, já que a aplicação excessiva reduzida de adubo e fertilizante na sua calandiva vai comprometer diretamente no seu crescimento.

O melhor fertilizante para se usar nessa espécie é o mineral NPK com fórmula de 04-14-08. Para que o seu solo fique sempre úmido, o que vai ser muito bom para a sua planta, você pode misturar ao solo onde a calandiva está plantada um pouco de grama seca ou então palha de arroz.

Elas absorvem o calor e evita que o solo fique totalmente seco. Dessa maneira a sua calandiva não sofrerá com seca de solo.

calandiva4
Como plantar a calandiva
O cultivo da calandiva é simples, porém requer um pouco de atenção. Siga o nosso passo a passo para que não passe nenhum detalhe.

Passo 1: Em um vaso ou canteiro misture fertilizante NPK de formulação que já indicamos mais acima junto com a terra que receberá a calandiva;

Passo 2: Nessa primeira fase da planta, regue com frequência deixando sempre a terra um pouco umedecida, principalmente se estiver no verão. Cuidado apenas para não deixar muito encharcada, pois isso vai ajudar na proliferação de fungos na planta;

Passo 3: Até os 21 primeiros meses observe a planta e mantenha cuidados como a temperatura ideal, exposição à luz, os níveis de fertilizante e também a quantidade de retenção de água, pois isso pode matar a planta.

janel354

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


dendobrium

As orquídeas Dendróbio são muito bonitas, porém, apresentam algumas dificuldades para quem deseja cultivá-las. A origem dessas orquídeas é o sudoeste asiático e se destaca por ter uma grande quantidade de flores bem como pelo seu crescimento rápido.

Algumas dicas interessantes, para que elas cresçam bonitas e saudáveis, serão dadas neste post.
Uma delas é saber escolher o local em que serão cultivadas bem como observar as condições como clima e temperatura, isto é muito importante para um bom resultado, então vamos lá.

Clima e temperatura
O clima mais indicado para fazer o cultivo de uma orquídea Dendróbio é o ameno temperado. Vale lembrar que essa planta é originária de regiões em que há muita chuva e estiagem, é relevante saber disso para que se tente reproduzir ao máximo o seu habitat natural.

Nesse ambiente durante as épocas de chuva o clima é mais quente apresentando média de temperatura de 25°C. Durante os períodos de estiagem o clima se torna mais ameno tendo como média 19°C no seu início e no final desse período as temperaturas sobem um pouco. A floração dessa orquídea se dá no final do inverno, pois ela necessita de temperaturas mais baixas para florescer.

Ventilação
A Dendróbio é uma espécie de orquídea que necessita de grande ventilação, em alguns casos pode ser necessário usar até mesmo ventiladores para ajudar a secagem das raízes.

Regas
Para que a Dendróbio cresça saudável e bonita é interessante dividir a sua rega em duas fases e em uma fase preparatória seguindo os períodos da planta como crescimento, repouso e começo da fase de crescimento.

dendrobium

Fase de crescimento
A fase de crescimento se caracteriza por ser a fase em que surgem novos brotos e novas raízes na planta. Durante essa etapa a orquídea necessita de muita água no começo do dia, porém, quando chegar o final da tarde essa água já deve estar seca nas raízes ou pelo menos quase seca.

Para que isso seja possível procure por um local em que haja boa ventilação, se for necessário utilize um ventilador para te auxiliar nessa tarefa. Nessa fase a quantidade de regas será maior, pois a planta absorverá mais água do que durante o seu período vegetativo. Isso fará com que o substrato seque mais rápido.

É importante que antes de regar mais a planta você verifique se as raízes já estão secas. Se perceber que as raízes ainda estão úmidas ou então ficar em dúvida espere um pouco antes de regar.

Fase de repouso
Nessa fase os pseudobulbos já estão desenvolvidos e com isso começa a fase de repouso em geral entre o fim do verão e o outono. Ressalto que nessa fase a quantidade de água que a planta irá absorver é menor do que a quantidade da fase de crescimento. Durante os três primeiros meses dessa fase é importante que o vaso permaneça seco por pelo menos 7 dias depois da rega.

Todo cuidado também para não encharcar a planta quando for regar, pois como já mencionei ela está absorvendo menos água. Depois desses três primeiros meses do período vegetativo as regas deverão parar uma vez que a mesma não suporta passar os dias mais frios do inverno com as raízes úmidas. O máximo que pode-se fazer é utilizar um pulverizador respeitando um espaçamento de dias.

A planta pode não precisar de rega nessa fase, mas é essencial que a umidade do ar esteja alta. Uma forma de manter a umidade no ambiente alta é manter vasos de bromélias perto da planta. Uma boa tática é umedecer o chão para deixar o ambiente úmido.

dend

Inicio da fase de crescimento
Depois de a planta passar um longo período na estiagem é necessário ter bastante cuidado para voltar a regá-la. No começo dessa fase você deverá ir apenas pulverizando a planta de forma que o substrato da mesma fique apenas um pouco úmido, mas com muito cuidado para não encharcar.

A partir do momento em que as raízes estiverem bem desenvolvidas é possível voltar a regar em abundância a planta. Siga novamente os cuidados da fase de crescimento que já citamos.

Umidade
A umidade é tão importante para a Dendróbio pelo fato de que no seu local de origem a umidade é bastante alta. Para ter-se uma ideia durante os períodos de chuva a planta recebe de 70 a 80% de umidade. Até mesmo durante a estiagem (período sem chuva e clima mais frio) a umidade permanece alta com uma média de 50 a 60%.

Sendo assim é bem importante manter o ambiente úmido mesmo na fase em que a rega é suspensa. Durante a fase de crescimento é importante aumentar a quantidade de umidade do ar.

dendrobium22

Adubação
Nos meses em que a planta está passando pela fase de crescimento é importante investir numa boa adubação.

Luminosidade (Luz natural)
Durante a fase de crescimento a planta precisa de muita luz, porém, cuidado com o sol direto. Para melhores resultados procure por um local em que haja uma boa luminosidade natural, porém, sem exposição direta aos raios solares.

Local de cultivo e substrato
Essa orquídea pode ser cultivada em árvores, vasos de barro, placas e também em cachepôs. Quando o cultivo for feito em vaso o substrato deve ser mais grosso para tornar mais fácil a aeração, isso significa permitir que a secagem aconteça de forma mais rápida. Assim se evita que as raízes permaneçam úmidas por muito tempo. É muito importante que as raízes sequem completamente no intervalo de uma rega e outra.

Ter paciência é um fator necessário
Uma das coisas mais importantes para quem deseja fazer o cultivo de qualquer tipo de planta é ter paciência para aguardar o seu crescimento e a resposta aos cuidados. No caso da Dendróbio é importante ser paciente para com as suas fases respeitando os cuidados necessários inclusive os períodos sem rega.

Trata-se de uma planta muito bonita que pode ser um toque excelente na sua decoração. Quando for fazer o cultivo da Dendróbio lembre-se de seguir essas dicas e assim aproveite o bom resultado que irá enfeitar a sua casa.

luar cheia

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


Saintpaulia_'Pink'_02

As violetas são espécies vegetais muito bonitas e de pequeno tamanho que pertencem à família botânica Violaceae. A violeta é uma flor muito bonita, considerada barata e muito utilizada para dar como um presente.

Essas flores bonitas e vistosas se adaptam com bastante facilidade para serem cultivadas em ambientes internos e, quando cultivadas sob as condições apropriadas, elas conseguem ficar floridas por muito tempo, chegando a florir durante todo o ano.

As características da violeta
A violeta é uma espécie vegetal herbácea, isto é, possui um caule sem a presença de lignina – substância que concede caráter lenhoso ao caule – por isso o seu caule é flexível.

O caule da violeta é curto e ramificado e apresenta cor verde escura. As folhas possuem formato cordiforme (coração), oval ou arredondado, apresentando pecíolos carnudos de coloração verde clara.

As flores são muito bonitas e singelas, compostas por uma camada de pétalas. No entanto, existem algumas espécies híbridas que possuem muitas camadas de pétalas. As flores da violeta podem se apresentar em diversas cores, como: azul (nas mais variadas tonalidades), branco, rosa e vermelha.

Geralmente, na parte central da flor existem bolsas douradas que são repletas de pólen, que são os chamados estames. A violeta floresce geralmente no final do inverno, durando até o final do verão. No entanto, se bem cuidadas, as violetas conseguem ficar floridas durante todo o ano.

A violeta é uma espécie vegetal que deve ser podada quando as flores estiverem murchas e quando as folhas estiverem machucadas ou secas. A poda realizada de forma adequada ajuda a aumentar o período de floração da violeta.

A espécie se multiplica através da propagação de suas sementes e por divisão da espécie vegetal, que deve ser feita no período da primavera ou no outono. Atualmente, graças ao grande número de espécies híbridas de violeta, existe em torno de 18 espécies e 6.000 variedades, que acabam gerando espécies vegetais com tamanho, formato e cores bem diferentes com relação às flores.

As violetas são espécies vegetais com características ornamentais muito apreciadas e bastante cultivadas em ambientes interiores, principalmente a espécie denominada de Saintpáulias, que é uma espécie de violeta de fácil cultivo.

Saintpaulias

Os cuidados a serem tomadas no cultivo das violetas
Existem uma série de cuidados a serem tomados no cultivo das violetas, para que elas possam ficar floridas por todo o ano:
a) Temperatura do ambiente - as violetas são plantas que conseguem se desenvolver de forma plena quando são cultivadas em ambientes que apresentam temperaturas que oscilam dos 18 24ºC. Quando essas espécies vegetais são cultivadas em locais que apresentam temperaturas fora dessa oscilação, podem ter o seu desenvolvimento prejudicado. Por isso, procure colocar a planta em lugares mais frescos e amenos durante o dia e em lugares mais quentes no período noturno;

b) Umidade - as violetas são espécies vegetais que apreciam a umidade, no entanto a violeta é uma espécie sensível ao excesso de umidade, por isso elas vivem bem em locais úmidos, mas não pode ser extremamente úmido.

Por isso é interessante colocar os vasos onde suas violetas são cultivadas em tabuleiros que sejam molhados e colocados pratos com água na parte de baixo dos vasos, mesmo que sejam suspensos, para manter a condição de umidade ideal para o bom desenvolvimento da planta.

Os vasos de barro são uma excelente solução para manter as condições ideais de umidade, pois eles conseguem absorver a água e por consequência a umidade em excesso, fazendo com que a planta respire de forma correta e adequada;

c) Luminosidade – as violetas são espécies vegetais que apreciam serem cultivadas expostas a uma boa condição de luminosidade, no entanto a planta não deve ficar exposta à luz solar direta, pois essa condição pode queimar as flores e as folhas. O ideal é que a violeta seja cultivada próxima às janelas que estejam voltadas em direção ao nascente do sol.

Para garantir o crescimento pleno e simétrico da violeta, pode-se girar o vaso a cada 07 dias, de forma que seja obedecido um sentido. A violeta é uma planta que consegue se desenvolver mesmo quando iluminada por luz artificial. A questão da luminosidade é importante para a violeta ficar sempre florida, por isso, se essa planta for exposta de forma correta e adequada ao sol, ela conseguirá florir sempre;

d) Irrigação - as violetas são espécies vegetais que necessitam ser regadas de maneira moderada, colocando a quantidade de água necessária para manter o substrato ou a terra umedecida. Para saber o momento adequado de regar a sua violeta, basta verificar o estado (se está seco ou molhado) da parte superior da terra ou do substrato.

A irrigação excessiva pode causar o sufocamento e a podridão das raízes que podem levar a violeta à morte. De uma maneira geral, os especialistas em cultivo de violetas indicam que a planta deve ser regada 1 vez nos períodos mais frios (inverno) e 2 vezes nos períodos mais quentes (verão).

Nos períodos mais frios é interessante que a água utilizada para regar a violeta seja morna. Um cuidado a ser tomado na irrigação é que deve ser evitado o fato de molhar as flores e folhas, pois isso favorece as condições para surgimento de doenças e fungos;

e) Adubação - as violetas devem ser adubadas quinzenalmente. O adubo aplicado deve ser rico em fósforo e potássio. Contudo, deve-se ter atenção para colocar o adubo apenas ao redor da violeta. A quantidade de adubo aplicada deve ser igual a 1 colher de café.

villeta africana

Os cuidados com as doenças que acometem as violetas
As violetas são espécies vegetais vistosas e bastante sensíveis, por isso, elas facilmente contraem algumas doenças que precisam ser tratadas de forma adequada para que a sua planta continue bonita e florida por um bom tempo.

Entre as doenças mais comuns que atacam as violetas estão: os ácaros (devem ser eliminados através da aplicação de acaricidas), pulgões e insetos (devem ser eliminados através do uso de inseticidas).

As violetas podem sofrer ataques de outras pragas (exemplo: as cochonilhas), mas para esses problemas você pode fazer uso do chá de alamanda. É necessário cuidado com a quantidade de remédio a ser utilizada, pois a aplicação inadequada pode prejudicar a saúde de sua violeta.

Animation10

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


adubação-verde

A adubação verde é uma técnica agrícola desenvolvida a milhares de anos, que permite que o solo utilizado para o cultivo de espécies vegetais aumente a sua capacidade de produção.

A prática visa realizar a recuperação dos solos que foram estragados pelo cultivo de alguma espécie vegetal; melhorar a qualidade nutricional dos solos que são de natureza pobre quanto a nutrientes; e procura manter a qualidade dos solos que se encontram produtivos.

O nome adubação verde vem pelo fato do processo consistir em cultivar espécies vegetais, fazendo uma rotação entre as culturas cultivadas, de forma que as propriedades biológicas, físicas e químicas do solo tenham o seu potencial aumentado e melhorado.

As plantas usadas como verdadeiros adubos verdes possuem características:
* De recuperar o solo;
* De proteger o solo;
* De melhorar o solo;
* E condicionar o solo com nutrientes para serem fornecidos as espécies vegetais a serem cultivadas no local;

Existem diversas espécies vegetais que podem ser usadas como adubo verde, como por exemplo: as espécies vegetais gramíneas e as espécies vegetais leguminosas, que são uma boa alternativa, pois as leguminosas possuem uma grande capacidade de captar nitrogênio da atmosfera através da simbiose ajudando sobremaneira as condições do solo.

Os benefícios da adubação verde
Segue abaixo uma série de benefícios ocorridos para o solo e as espécies vegetais cultivadas com a adoção do adubo verde:
* Permite que o solo consiga ter uma maior condição de armazenar água no próprio solo;
* Faz o controle da presença de nematoides junto a espécies hospedeiras e antagônicas;
* Faz com que o solo seja descompactado, estruturando e arejando o mesmo;
* Reduz a extensão da variação térmica tanto diurna como noturna existente no solo;
* Consegue fornecer nitrogênio fixado da atmosfera;
* Estimula a realização da atividade biológica por parte do solo;
* Ajuda a aumentar a eficiência e o próprio aproveitamento dos adubos e corretivos aplicados no solo;
* Fornece ao solo material orgânico para manter o mesmo rico em nutrientes;
* Realiza a produção de fitomassa para ser usada pela cobertura que s encontra morta;
* Realiza a proteção das mudas e das plantas contra a ação dos raios solares e do próprio vento;
* Realiza a recuperação dos solos que se encontram em estado de degradação;
* Diminui a possibilidade do solo e das plantas serem infestados por ervas daninha e da ação das pragas;
* Ajuda a reduzir a quantidade de alumínio e realiza a liberação de fósforo fixado;
* O adubo verde se torna matéria prima para a realização da compostagem;
* Realiza a proteção do solo com relação aos agentes causadores da erosão;
* Realiza a proteção do solo com relação a radiação do sol;
* Faz a cobertura do solo com massa verde em pouco tempo;
*Realiza a desintoxicação do solo (metais pesados, resíduos defensivos e etc.);
* Realiza a reciclagem dos nutrientes que se encontram lixiviados de forma profunda.

adubo-verde-7

Resultados conquistados com a adubação verde
O uso da adubação verde para tratar o solo, traz diversos benefícios para o solo e o meio ambiente, e isso geram alguns resultados que podem ser vistos tanto no aspecto econômico quanto no aspecto ambiental.
Segue abaixo alguns dos resultados que são obtidos com a adoção da adubação verde:
* A adubação verde gera um aumento da produtividade do solo;
* A adubação verde gera uma melhoria na qualidade do produto obtido pela atividade agropecuária;
* A adubação verde diminui os gastos de adubação, pois diminui o consumo de adubo nitrogenado;
* A adubação verde diminui os gastos para controlar ervas daninhas e demais pragas;
* A adubação verde consegue recuperar e estabilizar a capacidade de produção do solo.

Como fazer à adubação verde.
A adubação verde consiste em realizar um processo de fertilização do solo fazendo uso reduzido de fertilizantes que possuam origem mineral.

Esse tipo de adubação é uma forma de gerar uma economia financeira ao produtor, além de ser uma alternativa sustentável para o meio ambiente, pois a adubação verde consiste em fazer a utilização de espécies vegetais (leguminosas – exemplo: amendoim, soja, feijão e outras), que atraem nutrientes para o solo, entre os quais: nitrogênio, fosfato e carbono, de forma que ocorra o crescimento de material orgânico no lugar, que auxilia a reter agua, a diminuir a erosão e melhorar a conservação daquele terreno.

Abaixo segue as instruções de como fazer a adubação verde:
* O produtor precisa fazer a escolha de uma espécie vegetal para adubo verde, que seja adaptada ao clima do local em que ele vive. Procure escolher uma espécie vegetal que possua boa resistência a pragas, produzir massa seca para se transformar em material orgânico e sementes para ter um menor tempo de crescimento;

* Antes de iniciar o cultivo do adubo verde, o solo precisa ser preparado: é interessante que o solo seja arado e sofra adubação, com a aplicação de húmus ou algum adubo orgânico que seja rico em nitrogênio;

* A leguminosa precisa ficar localizada perto das outras plantas, essa atitude é para que as raízes das demais plantas absorvam os nutrientes que as leguminosas já absorveram;

* Caso o produtor deseje, ele pode cultivar uma nova espécie vegetal sobre o húmus que foi gerado pelas leguminosas cultivadas;

* Como vai ser realizado o corte das leguminosas determinará a melhor condição da adubação verde. As espécies vegetais cortadas antes, de forma precoce, serão muito úteis no processo de decomposição, tornando este mais rápido, pois haverá uma massa vegetal menor.

Quando o corte é feito de forma tardia, a decomposição se torna mais lenta, no entanto existe uma maior quantidade de massa vegetal sendo gerada, o que permitirá uma geração maior de húmus. O corte tardio das leguminosas também protegem as outras espécies vegetais na época da chuva, segurando a agua, reduzindo assim as enxurradas e a própria erosão;

* Desta maneira, a adubação verde se torna uma técnica, simples, viável economicamente e que ainda é sustentável, gerando benefícios diversos ao lugar onde ela é feita, pois o solo ganha em nutrientes e em material orgânico, passa a ser mais poroso, consegue reter mais agua, entre outros benefícios.

Enfim, a adubação verde é um processo totalmente ligado com as tendências de um mundo sustentável que procura preservar o meio ambiente. O uso da adubação orgânica gera alimentos produzidos de forma mais natural, pois terá a redução da aplicação dos fertilizantes e adubos de origem química, o que acaba gerando benefícios para a qualidade de vida das pessoas.

branquinhas

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


Coelogyne_cristata_103

Talvez haja alguém que não conheça a orquídea branca-de-neve, mas pode ser que já tenha ouvido falar em orquídea-anjo, orquídea-branca ou pelo nome científico Coelogyne, o que é bem menos provável. Trata-se de uma entre tantas espécies de orquídea, neste caso, epífita, cuja suas origens são registras das montanhas do Himalaia. Esse tipo de orquídea é uma das que são mais cultivadas no mundo inteiro entre todas as espécies dessa planta.

Suas flores são um espetáculo à parte porque suas sépalas são de um branco branquíssimo, o mesmo pode-se falar das pétalas franjadas com uma mancha amarelo ouro no labelo. Falando nas belas flores, para vê-las é preciso esperar o fim do inverno e o início da estação das flores, a primavera.

É dentro desse período que os pseudobulbos velhos e pendentes começam a ganhar flores na base, bem no plural, cada um pode receber até 10 delas. As flores da orquídea branca-de-neve podem ser perfumada ou não, dependerá do tipo de cultivo que foi feito. Além do perfume o seu charme faz com que ela seja usada para decorar vasos suspensos.

É um tipo de planta que não exige sol direto e por isso, pode ser perfeitamente usada para enfeitar os ambientes da casa, até mesmo o banheiro, bastando somente que fique próximo a uma janela com boa luz natural.

Porém, se queremos falar de um lugar verdadeiramente apropriado a uma orquídea branca-de-neve devemos pensar em um local bem protegido de ventos fortes, pois ela não os suporta e que possa usufruir do ar fresco das noites.

Coelogyne cristata

Outro detalhe sobre a orquídea branca-de-neve é se comparada com outras espécies de orquídea é uma daquelas que se mantém com flores por pouco tempo e é muito usada em buquês ou arranjos. Ela pode ser cultivada sem muitos cuidados particulares, precisa: de um substrato feito com materiais porosos, que o cultivo seja feito sob luz difusa, que solo tenha excelente drenagem e que consiga reter bem os nutrientes e a água.

Ela exige regas com frequência de modo que o solo sempre esteja úmido e nunca encharcado. Outro detalhe importante é que ela exige fertilização a cada semestre na primavera e no outono e para isso devem ser usados somente os fertilizantes próprios para elas, consultar o florista.

Quando a branca-de-neve se vê em um lugar que faz muito frio é importante, sempre que possível, fazer com que ela tenha a luz direta do sol. Os momentos mais apropriados são à tarde e pela manhã bem cedo. No caso de orquidários se usa deixá-la em local com 70% de umidade. Enquanto a sua multiplicação se faz deixando 4 pseudobulbos por muda, através de multiplicação.

Como proteger a orquídea Branca-de-neve
Ao contrário do que muita gente imagina as orquídeas não são sensíveis, são robustas e resistentes. Mas, como é normal a qualquer ser vivo podem morrer ou adoecer. Elas também estão sujeitas a ataques de insetos e parasitas, que podem gerar infecções e acabar levando-as à morte.

Para combater as pragas e as doenças, o principal hábito que devemos observar é a higiene, por exemplo, que usa telas na estufa para proteger as plantas deve mantê-la sempre muito bem limpa.
Não se deve também cuidar das orquídeas ao mesmo tempo e no mesmo espaço que está se cuidando de outra planta.  E mais, acabe com os desníveis do solo quando esses existirem, tampe os furos, acabe com frestas ou buracos nas paredes no local onde elas estão e não deixe que se acumule lixo perto das plantas. Todas as dicas citadas acima “ajudam” as pragas a chegarem mais próximo da sua planta e gerarem doenças perigosas.
Coelogyne_cristata_-_kew_2
Limpeza é fundamental para garantir o bem-estar da Orquídea
Considere essa uma daquelas dicas que servirá para usar com qualquer espécie de planta você tenha em casa. O lugar onde elas serão mantidas deve sempre ser muito bem limpo.

Limpe o chão com água e sabão, além disso, utilize produtos com cloro, que ajudam a desinfetar o ambiente. Essa é uma forma de prevenir a entrada de insetos e fungos. Além disso, não se esqueça de aplicar os inseticidas e fungicidas. O ideal é que esses produtos sejam usados a cada 3 meses.

Falando um pouco das pragas que podem atacar a sua orquídea e que por isso, você deve estar sempre atento para defendê-la, a mais comum é o percevejo da orquídea. Podemos dizer que essa praga faz aquele estrago porque suga a seiva da sua planta e depois de “colocar o seu veneno”, consegue matá-la em pouco tempo.

Outro grande vilão contra a boa saúde das orquídeas são os pulgões porque eles conseguem se espalhar muito rapidamente e também as levam à morte. Sempre, porque como os percevejos, sugam a seiva e a planta acaba desnutrida. Esse tipo de praga é levado até a planta pelas formigas.

Também não menospreze o “pode de destruição” das cochonilhas, que são capazes de não acabar com uma única orquídea, mas com uma plantação inteira, e isso em bem pouco tempo. Porém, essa praga é mais fácil de ser combatida, basta lavar a área que ela atacou com sabão neutro e água com a ajuda de uma escova macia.

Fique de olho também na vespinha negra que prefere atacar os bulbos, enquanto os caracóis, outro problema para as orquídeas, elas devoram exatamente o lugar onde as flores da planta deveriam nascer.

E não para por aí, além dessas pragas que foram citadas, vírus, fungos e parasitas também podem criar problema para o seu cultivo de orquídeas. Então, use o ditado que diz “antes prevenir do que remediar”, cuide bem das duas plantas, principalmente observando a questão higiênica.

Olhando-pela-janela_

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


Cym-1

A orquídea Cimbídio é nativa do continente asiático, da região onde se localiza o Himalaia (Nepal), sendo encontrada na China, no Japão, na Austrália e na Indonésia. Esse tipo de orquídea se caracteriza por apreciar viver em locais com altitude e clima frio.

É uma espécie vegetal pertence a família botânica Orchidaceae, famosa por abrigar um dos mais belos grupos de flores existentes que são as orquídeas. A orquídea Cimbídio tem flores muito bonitas, e é considerada uma das maiores existentes no reino vegetal, pois existem mais de 25.000 diferentes espécies de orquídeas em todo o planeta. Encontramos orquídeas sendo cultivadas nos mais diversos tipos de clima, desde o tropical (onde existem uma boa parte das espécies e os principais países produtores) ao clima temperado.

Características da Orquídea Cimbídio
Esta belíssima flor é típica de regiões que possuem clima temperado, se adaptando melhor aos locais que apresentam clima ameno, tanto que o seu florescimento acontece de melhor forma em locais que possuem climas ligeiramente frios. As cimbídios são  orquídeas de ciclo de vida perene, isto é, são plantas que possuem tempo de vida maior que 2 anos.

Essa espécie vegetal é de pequeno porte, e atinge uma altura média de 90 cm. A cimbídio é uma das poucas espécies de orquídea que se caracterizam por serem terrestres. Essa planta possui crescimento de forma simpodial, pois forma rizomas e falsos bulbos de forma horizontal.

Essa espécie de orquídea é bastante conhecida no Brasil, e caiu no gosto popular devido a sua grande beleza e por ser uma planta rústica, isto é, não necessita de maiores cuidados da parte de quem a cultiva para se desenvolver. As folhas da cimbídio possui aspecto coriáceo, possui textura similar ao couro.

As folhas são longas e os falsos bulbos possuem forma ovoide. As raízes da cimbídio são grossas, no entanto possuem aspecto delicado que são facilmente quebradas se forem manuseadas sem maiores cuidados. Possui possui diversas espécies híbridas, que possuem aspecto comercial.

Essas espécies vegetais possuem diversas cores, entre as quais: amarela, rosa, vinho, branco e outras cores e combinações. Uma das diferenças é que esta orquídea tem o labelo com cores vibrantes e diferenciadas.

A inflorescência da orquídea cimbídio normalmente se forma na época da primavera, de tamanho grande e tem muitas flores em sua composição. A floração se caracteriza por ser duradoura, ocorrendo apenas uma vez por ano, mas chegando a durar por cerca de 75 dias.

Cymbidium spp.

Cultivo da cimbídio
A orquídea cimbídio é uma espécie vegetal típica de clima temperado, no entanto ela é encontrada sendo cultivada em locais que apresentam climas: tropical, subtropical e mediterrâneo.

Por ser uma espécie vegetal que aprecia o clima frio e ameno, e é cultivada em locais que possuem climas mais quentes, ela se torna uma planta apropriada para o cultivo sob meia sombra. No entanto, é necessário cuidado com a questão da luminosidade, pois quando essas plantas são cultivadas em locais que apresentam baixas condições de luminosidade, conseguem apresentar folhagem bonita e exuberante, contudo elas não florescem.

Uma dica dos especialistas para que o florescimento seja incentivado, é fazer com que a orquídea cimbídio receba a luminosidade solar no período da manhã, contudo não deixe a orquídea exposta diretamente ao sol.

Cymbidium spp.1

Essas plantas podem ser cultivadas em vaso, inclusive, normalmente a cimbídio é comercializada neste tipo de recipiente. Os vasos precisam ser preparados com a aplicação de substrato, composto por areia e terra vegetal, com boa capacidade de drenagem, para absorver bem a água aplicada na rega.

O substrato pode ser adubado, contudo deve ser evitado o uso excessivo de adubo, pois essa situação pode ocasionar a morte de sua orquídea cimbídio. O substrato indicado para o cultivo da orquídea cimbídio são os fabricados com a fibra do xaxim e a fibra de coco.

A orquídea cimbídio é uma planta que aprecia uma ligeira umidade, por isso ela deve ser regada com regularidade. Contudo, é importante frisar que a planta não aprecia a água em excesso, preferindo o solo seco ao extremamente úmido.

Para gerar o ambiente úmido ideal para o cultivo da cimbídio, pode ser realizado uma  pulverização de água sobre as folhas da planta. Para avaliar se a planta está precisando ser regada, é indicado que seja colocado o dedo no substrato e verifique o estado em que este se encontra.

Estando seco, pode regar novamente sem nenhum problema para as raízes da planta. A irrigação com água bastante gelada quando se inicia a primavera ajuda a orquídea cimbídio a florescer. É importante que os vasos para o cultivo da orquídea sejam colocados em locais com boa condição de proteção, como por exemplo, as estufas e os orquidários.

É indicado que seja evitado o cultivo da orquídea cimbídio em locais que apresentem ventos muito fortes. Ela se caracteriza por apresentar grande beleza o que a torna muito vistosa, por ser bastante resistente e conseguir sobreviver e florescer mesmo que a planta não seja bem cuidada, isto é, o cultivo seja negligenciado por parte da pessoa que aprecia essas belas flores.

No entanto, quando a orquídea cimbídio é cultivada de forma correta e adequada, ela consegue gerar belíssimos cachos florais que chamam bastante atenção das pessoas. Graças a sua grande resistência, essa planta consegue resistir à ocorrência de pragas. Uma das que atacam a orquídea cimbídio é o ácaro vermelho, que acontece se o ambiente se encontrar seco ou no caso da orquídea não ser regada por muito tempo.

Multiplicação da orquídea cimbídio
A espécie vegetal se propaga por meio da divisão da planta após a ocorrência da floração.

floresaovento

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


hortensias-de-jardim

As hortênsias são plantas de origem asiática, Japão e China, muitas vezes é comum chamá-las de rosa-do-japão. Elas pertencem à família Hydrangeaceae.

Pesquisas revelam que existem mais de 600 cultivares de hortênsias. São plantas arbustivas, possuem o ciclo de vida perene, podendo chegar a altura de 1,5 m.

Suas florescências acontecem em duas épocas do ano, nas estações da primavera e do verão. As flores podem variar entre vermelho, branco, lilás, azul, branco, rosa e violeta. São plantas que preferem o frio ou climas amenos. Calor nem pensar.

estacas de hortênsia

Só é possível fazer mudas de hortênsias através dos galhos, estacas que devem ser retirados ainda quando estão bem, normalmente, o período é aquele de florescimento da hortênsia principal.

Outro ponto importante é fazer o corte das estacas com atenção, além de cortá-las em bisel, a medida deve ficar em torno de 1 cm de diâmetro e 20 cem de comprimento.

Fique atento a esses outros detalhes:
*
É recomendado na hora de fazer mudas de hortênsias usar o hormônio enraizador;

* A parte que será aquela enterrada é que deverá ser mergulhada no produto;

* Não espere que surjam raízes antes de dois meses mesmo usando o hormônio enraizador;

* Plante as estacas em pequenos balaios e durante o processo de enraizamento elas devem ficar sob a sombra;

* Você pode usar para fazer a sombra que as estacas precisam: estufas, embaixo de árvores ou em ripados;

* O sol não pode bater direto na sua muda de hortênsia;

* Como fazer o solo do pequeno balaio: areia fina misturada com terra vegetal, na seguinte proporção: terra duas partes e areia uma parte igual. Deve ser bem misturada;

* Outro detalhe importante é o corte na parte inferior da estaca. Porém, ele deverá ser feito abaixo de uma gema ou de um nó. O mesmo deve repetir-se na parte de cima da estaca;

* Faça o desbaste das folhas na parte de baixo com muito cuidado, mas não retire todas elas, deixe entre 2 ou 3 pequenas que estão posicionadas na parte superior;

* O modo correto de fazer as mudas de hortênsias é no outono. Sendo que é uma planta fácil de ser cuidada não exige muito;

* A dica para deixar as hortênsias mais bonitas é colocar sempre uma boa quantidade de material orgânico. As flores serão mais bonitas;

* O solo deve ser mantido úmido.

hortensia-rosa-1024x768

Como ter hortênsias com cores deferentes:
O que faz com que uma hortênsia tenha uma cor e não outra é o PH do solo. Veja então a diferença de cada um e as cores que eles “produzem”.
* O solo ácido faz com que a hortênsia seja azul.
* O solo com sulfato de alumínio em grande quantidade faz com que a hortênsia seja azul violáceo.
* O solo alcalino faz com que a flores sejam rosas.
* Quando é muito alcalinizado o solo as flores nascem brancas.
* A dica para conseguir uma diversidade grande de cores de hortênsias é colocar carbonato de sódio no solo.

A hortênsia no jardim
A hortênsia é usada de várias formas pelos paisagistas para compor um jardim, do solo a plantada em vasos. Também é usada em grupos chegando a criar uma cerca viva ou é colocada um pouco mais isolada, tendo um lugar somente seu.

Outro uso comum das hortênsias em jardins é para fazer maciços ou bordas e vale ressaltar que também podem ser cultivadas em vasos e enfeitarem a parte externa da casa.

Cuidados necessários com as hortênsias
Como citado anteriormente elas exigem poucos cuidados porque são consideradas plantas rústicas. Porém, é recomendado que o solo para plantá-las tenha bastante matéria orgânica.

As hortênsias preferem um solo ácido, neste tipo de terra ela cresce mais vistosa, com flores bem mais coloridas e flores em maior quantidade.

Não descuide da rega diária das hortênsias no período seco, se ela estiver no período do aparecimento das flores, se torna mais importante ainda.

Assim como no cultivo ela precisa ficar à meia sombra, o mesmo se repete quando a planta já se desenvolveu. O contato direto com o sol não é recomendado em momento nenhum, pior ainda durante o verão.

Somente no sul durante o período mais fresco é que a hortênsia pode ficar exposta ao solo da manhã.

Outra dica é não plantá-las perto de árvores. É comum nestes casos, que elas percam um pouco da umidade para as árvores. O que é péssimo para o crescimento delas.

Hortensias-41

Outras dicas sobre a reprodução e cultivo das hortênsias:
* A transposição pode ser feita em qualquer momento do ano, preferível evitar o calor em excesso;
* A cova que irá receber a muda deve ser duas vezes maior que o tamanho da raiz da hortênsia;
* O nível do chão é o lugar certo que planta deve ficar depois de cultivada;
* Tenha o cuidado de evitar bolsões de ar apertando o solo que está em torno da planta;
* A primavera é o período ideal para adubar a hortênsia. Prefira os produtos que tenham fósforo e nitrogênio. Ou escolha aqueles que devem ser usados a cada 15 dias;
* O adubo é preferencialmente feito durante o inverno e serve para ajudar no crescimento saudável e mais rápido, mas lembre-se, sem exageros. Se perceber que as flores e folhas são poucas pode ser que você tenha errado para mais;
* A poda deve acontecer logo depois do fim da floração. Os galhos que ficarem sem flores dessa vez darão na próxima, preserve-os;
* O transplante também é melhor que seja feito durante o outono;
* E você pode usar os galhos que foram retirados da poda para fazer novas mudas.

Não esqueça que a água é essencial para que a planta cresça e fique bonita e saudável, mas é mais fácil uma espécie morre pelo excesso do líquido do que pela falta. Antes de regar confira se a terra ainda está úmida ou seca.

janel40

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


jardimlitoral

Muitas pessoas podem acreditar que o jardim na casa de praia é difícil de implantar e manter. Realmente, como passamos a maior parte do ano longe do litoral, o jardim fica praticamente abandonado durante este tempo.

Da mesma forma não queremos desperdiçar o tempo das férias como jardineiros, bem pelo contrário, estamos mais propensos a admirar a natureza e curtir as flores e frutos que ela nos dá.

Além do abandono durante o ano, o jardim está sujeito às adversidades climáticas comuns ao litoral. Como altas temperaturas no verão, chuva, vento e maresia constantes, solos arenosos e com salinidade excessiva, além do frio durante o inverno.

Todos estes detalhes devem ser levados em consideração durante o planejamento do jardim, que também deve apresentar flores ou frutos no verão e ser de baixa manutenção. Afinal, de nada adianta plantarmos uma flor belíssima e adaptada ao litoral se ela floresce apenas no inverno, quando não estamos lá para admirá-la.

Planejar o jardim à beira-mar exige mais do paisagista, pois além dos fatores acima listados, a paisagem deve ser harmônica e não contrastar com a beleza natural da orla marítima. É como uma complexa orquestra que precisa ser conduzida com cuidado para que tudo dê certo e os moradores fiquem satisfeitos.

Um regra que vale muito nestes casos: observe atentamente as plantas que ocorrem naturalmente no local, elas estão adaptadas e em condições de suportar as adversidades, uma vez que o litoral gaúcho não é o mesmo que o capixaba; e assim por diante.

Outro cuidado importante é em relação ao relevo. Terrenos muito baixos podem ser invadidos pela maré alta, capaz de destruir o jardim. Caso seu terreno seja à beira-mar, pode ser uma solução elevá-lo um pouco para prevenir o problema.

A maioria dos paisagistas opta por jardins tropicais para adornar as construções litorâneas. As plantas deste jardim são as mais adaptadas às intempéries e combinam bastante com a paisagem da praia. Alternativamente jardins de estilo mediterrâneo ou contemporâneo podem ser executados sem problemas.

É importante que as plantas não bloqueiem a vista para o mar, pelo contrário elas devem valorizá-la e emoldurá-la com harmonia.

Após análise adequada, o solo deve ser corrigido em pH e nutrientes, de forma que possa receber as novas plantas. Normalmente, por serem muito arenosos, devem ser condicionados com terra mais argilosa e muita matéria orgânica.

Não poupe esforços e dinheiro nesta fase, o solo convenientemente preparado pode prevenir futuras dores de cabeça, pois esta etapa é muito difícil de remediar após a implantação do jardim.

Enfim, não esqueça de que você não vai querer passar o verão trabalhando pesado no jardim, use a sua criatividade e conhecimento para criar o seu paraíso particular, lugar de descanso e contemplação.

Obs: Reserve um lugarzinho especial para colocar uma rede e contemplar a vista do mar.

Dicas de plantas para litoral

amendoeira
Árvores e Palmeiras:
Amendoeira (Terminalia catappa); Coqueiros variados (Cocos nucifera); Palmeiras variadas

bougainvillea-praia

Trepadeiras
Buganvílea (Bougainvilla spectabilis); Glicínia (Wisteria floribunda)

Ixora coccínea

Arbustos
Hibisco (Hibiscua rosa-sinensi); Espirradeira (Nerium oleander); Clusia (Clusia fluminensis); Alamanda-arbustiva (Allamanda laevis); Iuca (Yucca elephantipes); Ixora (Ixora coccínea)

jardimabeiramar

Folhagens e Flores
Bromélia Imperial (Alcantarea imperialis);  Onze-horas-da-praia (Lamptranthus zeyheri); Onze-horas (Portulaca grandiflora);  Gardênia (Gardenia jasminoides)
* Girassol-de-jardim (Helianthus laetiflorus); Helicônias; Bromélias variadas; Orquídeas; Caetés; Biris.

cactos

Cactos
Cacto-brasil (Cereus hildmannianus); Cacto-palma (Opuntia fícus-indica).

palhoça

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.