Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Cultivos e Cuidados’

beaucarnea-recurvata

Saber mais sobre o local de origem e habitat natural desta planta irá ajudá-lo a entender que tipo de ambiente e cuidados você deve proporcionar a ela.

É uma variedade nativa do México. Cresce em regiões semiáridas, onde fica exposta a pleno sol e tem à sua disposição solos bem drenados.

Não é incomum que cresça em zonas rochosas e com pouca vegetação, o que nos fala da sua grande capacidade de adaptação a ambientes difíceis.

Pertence à família Asparagaceae, que inclui uma grande variedade de plantas, muitas das quais muito apreciadas na jardinagem e horticultura.

Características físicas da beaucarnea recurvata
A pata de elefante tornou-se uma das mais populares. É facilmente identificável pelas suas características físicas:

Base inchada
Sem dúvida, o que mais chama a atenção nesta espécie é que sua base tem um aspecto inchado e bulboso. Esta base é conhecida como caudex e pode atingir um tamanho considerável quando a planta cresce em seu habitat natural.

Aqui a água se acumula e é isso que permite que esta variedade sobreviva mesmo em condições de seca extrema.

O aspecto inchado da base, aliado ao seu aspecto áspero, é o que rendeu à Beaucarnea recurvata o apelido de pata de elefante.

Tronco
O tronco é muito mais estreito que a base e pode ramificar-se à medida que a planta amadurece. Sua aparência costuma ser lisa e a cor pode variar entre o cinza e o marrom claro.

Folhas
Esta espécie caracteriza-se pelas suas folhas longas, finas e arqueadas. Na verdade, seu nome “recurvata” refere-se à curvatura de suas folhas.

São estreitos, coriáceos, com textura um tanto rígida e bordas que podem ser lisas ou levemente serrilhadas. Sua cor é verde brilhante e podem medir até 1,5 m de comprimento.

Inflorescências
Não é comum que esta espécie floresça quando cultivada em ambientes fechados. As flores aparecem em exemplares já maduros, de cor branca ou creme, agrupadas em panículas eretas que se desenvolvem durante os meses de primavera ou verão.

Sistema radicular
Esta variedade caracteriza-se por possuir raízes rasas mas extensas, o que lhe permite absorver água e nutrientes mesmo em solos pobres, e também estabilizar em solos rochosos como os encontrados no seu habitat natural.

Altura
Esta é uma planta de crescimento lento. No interior pode atingir entre 1,5 e 2 metros de comprimento se sobreviver por muitos anos. Porém, ao ar livre, pode atingir 9 metros de altura e ter um caudex muito espesso.

beaucarnea-recurvata-3

Cuidados da beaucarnea recurvata
A pata de elefante requer cuidados específicos para crescer forte e saudável, mas não é complicada. Na verdade, é uma variedade bastante resistente, então Não é uma má escolha para quem é novo no cuidado de plantas de interior.

Condições de luz
Esta variedade prefere luz indireta brilhante, embora também possa tolerar alguma luz direta. Portanto, o local perfeito é próximo a uma janela ensolarada, mas onde os raios solares são previamente filtrados por uma cortina.

Se não receber luz suficiente, você notará que seu crescimento fica ainda mais lento e que suas folhas ficam mais finas e perdem densidade.

Irrigação
O pé de elefante é muito resistente à seca, por isso a rega deve ser moderada. Temos que deixar o substrato secar completamente entre as regas, pois é possível que as raízes apodreçam se receber muita água.

Você pode regar uma vez por semana ou a cada dez dias, e no inverno pode espaçar ainda mais a frequência de rega, pois a planta está em fase de repouso.

Para regar, aplique água uniformemente ao redor da base da planta, de forma que alcance todas as raízes. E lembre-se de retirar a água que escoa após a irrigação.

Beaucarnea recurvata

Meio de plantio Beaucarnea recurvata
O melhor para esta variedade é utilizar um substrato bem drenado. Você pode sem problemas usar uma mistura especial para cactos e suculentas, pois tem muito em comum com essas plantas.

Se você usar substrato universal, adicione um pouco de areia grossa ou perlita para melhorar a drenagem. E, em qualquer caso, use uma panela que tenha furos que ajudem a expelir o excesso de água após a rega.

A cada dois ou três anos troque a planta por uma um pouco maior para dar mais espaço às raízes, e use sempre um novo substrato.

Umidade e temperatura
É uma variedade acostumada a ambientes quentes. A temperatura ideal é entre 15º e 26º C, Portanto, não recomendamos plantá-la como planta ao ar livre em regiões com invernos frios.

No que diz respeito à umidade, não é exigente neste assunto. Adapta-se bem à umidade típica de casa. Porém, se o ambiente estiver muito seco, pode-se borrifar esporadicamente suas folhas com um pouco de água.

Fertilização
Recomenda-se o uso de fertilizante balanceado a cada dois ou três meses durante a primavera e o verão, período em que a planta está em fase de crescimento ativo.

Não obstante, Tenha sempre em mente que esta é uma variedade cujo crescimento pode ser muito lento, então você pode não notar grandes mudanças após a fertilização. Mesmo assim, não hesite em fornecer nutrientes com a frequência que indicamos, porque a planta vai gostar.

Como você viu, cuidar da beaucarnea recurvata não é nada difícil. Depois de encontrar o local perfeito e a frequência de rega, você estará pronto para aproveitá-lo nos próximos anos.

wisterias

vasos de plantas

As plantas demandam uma atenção especial, principalmente se tiverem sido adquiridas recentemente. Antes que possam se juntar às plantas veteranas, é importante que todas as plantas compradas em feiras e supermercados passem por um período de quarentena.

Além disso, devemos tomar os mesmos cuidados de higienização adotados em relação a qualquer outra compra realizada fora do ambiente doméstico. Ainda que flores, folhagens, cactos e suculentas não possam transmitir doenças aos seres humanos, suas embalagens e vasos, geralmente confeccionados em material plástico, podem estar contaminados.

Portanto, ao recebermos um aparentemente inofensivo bouquet de flores de corte, corremos o risco de entrarmos em contato com o vírus através dos invólucros plásticos ao redor do ramalhete, que foi manipulado por diversas outras pessoas, desde o produtor, passando pelo comerciante, até o entregador.

Para driblarmos esta possibilidade de contaminação, precisamos tratar este belo presente como uma compra comum de supermercado. Assim como estamos adquirindo o hábito de higienizar frutas, legumes, laticínios e todas as embalagens, ao chegarmos do supermercado, ou ao recebermos as mercadorias através do delivery, convém adotarmos os mesmos procedimentos com as flores e plantas que compramos ou ganhamos.

No caso das flores de corte, todos os invólucros e enfeites, como laços, fitas e celofane, devem ser higienizados com um pano umedecido em álcool 70%.

No caso de flores plantadas, folhagens, cactos e suculentas, os vasos, em sua maioria feitos de plástico, também devem passar por este processo. Sempre lembrando que há substâncias alternativas ao álcool 70%, como soluções de água e detergente ou água sanitária. Não precisa ser nada muito caro ou elaborado para neutralizar a ação infectante do vírus, bastam os procedimentos básicos de higiene.

Caso as flores sejam colocadas em um vaso com água, é necessário que esta seja trocada com frequência, para que não apodreça, atacada pela proliferação de bactérias.

É importante evitar que folhas e resíduos de tecidos vegetais fiquem submersos nesta água, já que o material orgânico favorece o desenvolvimento de fungos e bactérias, que causam a turbidez da água, fazendo com que seu cheiro se torne desagradável.

Existem produtos específicos para serem diluídos nesta água, que são próprios para a conservação de flores de corte, evitando que este turvamento ocorra. Em época de quarentena, com isolamento social e o comércio fechado, pode ser impossível encontrar esta substância.

vasos_plantas webp

Neste caso, basta trocar a água do vaso todos os dias. Um pequeno corte na base dos caules, na diagonal, ajuda a seiva a fluir melhor e mantém as flores bonitas por mais tempo.

Já quando ganhamos um vaso plantado, sempre existe a possibilidade de uma nova floração ocorrer. Além disso, temos o privilégio de nos ocuparmos com os cuidados de um ser vivo, que demandará muito mais do que água e adubo. Neste caso, além da planta, ganhamos alguns meses de terapia. No entanto, neste contexto, alguns cuidados adicionais tornam-se necessários.

Sempre que uma nova planta for comprada, é importante que seu vaso seja mantido em um local separado das demais integrantes da coleção. Este procedimento visa a segurança de todas as plantas da casa, que podem ser contaminadas por diversos agentes patológicos, que frequentemente chegam com a nova moradora.

Neste período de isolamento, é importante observar se a planta não está trazendo consigo algumas pragas, como pulgões, ácaros ou cochonilhas. Também é aconselhável dar uma inspecionada no substrato, dentro do vaso, para verificar se não há formigas, caramujos ou lesmas.

Geralmente, quando algum bichinho está escondido no vaso, podemos ver pequenas bolinhas escuras saindo pelos furos, no fundo do recipiente.

Infelizmente, as plantas também são acometidas por viroses. Geralmente, estas infecções são detectáveis apenas através de exames laboratoriais. No entanto, agrônomos experientes conseguem fazer um diagnóstico, baseados em padrões de manchas características nas folhas da planta acometida.

Submeter as plantas compradas recentemente a um período de quarentena é particularmente eficaz para quem cultiva suas meninas dentro de casas e apartamentos.

Este tipo de ambiente interno é mais blindado contra o surgimento de determinadas pragas, como formigas, lesmas e caramujos, que costumam chegar através do solo. Uma infestação por estes organismos só é possível quando eles são trazidos de fora, por outros vasos contaminados.

bouquet-

Já pulgões e cochonilhas, que costumam chegar através do ar, atacam com bastante frequência as plantas cultivadas em varandas de apartamento, principalmente em andares mais altos, onde venta muito.

Neste caso, o principal cuidado a ser tomado é quanto à inspeção visual frequente, com a erradicação manual precoce de qualquer sinal de início de infestação. Mesmo neste caso, a quarentena é eficaz para evitar que estas pragas sejam transferidas de uma planta para outra, através do vento ou do contato muito próximo entre os exemplares da coleção.

Por ser um ambiente artificial, com baixos índices de umidade relativa do ar e luminosidade deficiente, o interior de casas e apartamentos torna-se mais inóspito aos seres vegetais, por serem mais sensíveis, de forma que qualquer infestação pode acabar levando estas plantas ao óbito, em um curto espaço de tempo.

Sendo assim, da mesma forma que o pequeno cuidado de higienizar o vaso plástico da planta recém-comprada pode nos proteger da infecção pelo coronavírus, o ato de colocá-la em quarentena pode, igualmente, salvar-lhe a vida.

Neste contexto, tanto plantas como humanos beneficiam-se enormemente dos apregoados comportamentos desta nova era, de distanciamento e isolamento social.

Além disso, plantas não são meros enfeites ou objetos de decoração. São seres vivos que conosco interagem, trazendo-nos calma, proporcionando-nos uma ocupação, além de, de quebra, purificarem o ar poluído que respiramos.

agua xzO

petúnias

Poucos produtos são tão versáteis dentro de casa como a água oxigenada. Apesar de ser mais conhecida por sua função antisséptica, a substância também é grande aliada na hora da faxina. Mas, para além da limpeza, a água oxigenada também pode te ajudar a cuidar das suas plantas.

A água oxigenada ajuda a deixar as plantas mais saudáveis e resistentes ao estresse e a doenças causadas por fungos. Estudos também mostram que ela auxilia no enraizamento e germinação das sementes.

Colecionadora de suculentas, a botânica conta que utiliza a substância em todas suas espécies, tanto para tratamento quanto para ajudar na recuperação depois do transplante. Orquídeas e demais plantas ornamentais também ganham esse cuidado especial vindo da especialista, mas outros tipos de flores e folhagens também podem receber o tratamento.

Como usar água oxigenada nas plantas
Você pode utilizar o produto para cuidar de suas plantinhas contaminadas por fungos ou para reforçar a saúde das espécies. Mas fique atento: para se obter os resultados esperados, é preciso utilizar a água oxigenada de 10 volumes, em formato líquido (não é a cremosa!).

Utilize uma colher de água oxigenada para cada 250 ml de água. Misture bem, coloque em um borrifador e espirre nas plantas. Se a planta estiver contaminada, utilize nas folhas uma vez por semana, até acabar com o fungo.

agua-oxigenada-nas-suas-plantas

Você também pode borrifar no substrato, se as raízes da planta estiverem podres. Ao liberar O2, o peróxido de hidrogênio da água oxigenada mata os microrganismos anaeróbicos, como algumas bactérias e fungos que poderiam causar doenças nas raízes, e ainda estimula o enraizamento.

Caso sua planta esteja saudável, a frequência da aplicação pode cair para uma vez por mês. Além disso, sempre borrife a água oxigenada no finalzinho da tarde, evitando que a planta tome sol na sequência e suas folhas possam ficar queimadas.

folhasaovento9

morangos

O morango é uma fruta saborosa e saudável, repleta de vitaminas e minerais. E a boa notícia é que é possível cultivá-la em casa, mesmo em espaços pequenos. Quem já provou morangos colhidos diretamente no jardim sabe a diferença de sabor em relação aos comprados no mercado.

O primeiro passo para cultivar morangos em casa é adquirir mudas de qualidade. Geralmente, encontradas em floriculturas, é essencial escolher mudas saudáveis e vigorosas para garantir o sucesso no cultivo em casa.

Além de comprar mudas, também é possível fazer novas mudas a partir de estolões de um morangueiro estabelecido. Basta plantar esses rebentos em vasos separados para que se desenvolvam e se tornem novas plantas.

Época ideal para plantio
O morango deve ser plantado no outono e inverno, entre março e julho. Isso porque neste período, as temperaturas amenas favorecem o desenvolvimento da planta.

O espaçamento entre as plantas deve ser de 25 a 35 cm para garantir um bom crescimento e circulação de ar adequada.

morangos_em_casa

Condições climáticas
O morangueiro prefere climas com temperaturas entre 15 e 25°C, não se adaptando bem a climas muito quentes ou muito frios. Portanto, escolha um local que ofereça essas condições para o cultivo.

Tipo de solo
O solo mais indicado para o cultivo de morangos é o arenoso-argiloso, bem drenado e rico em matéria orgânica. Além disso, deve ter boa capacidade de retenção de umidade, sem ficar encharcado, o que poderia prejudicar as plantas.

Adubação
É importante adubar o solo antes do plantio com composto orgânico e durante o cultivo com adubos específicos para morangos, conforme as instruções do fabricante.

Rega
A rega é essencial para manter o solo úmido, sem encharcar. O excesso de umidade pode prejudicar as raízes e favorecer doenças. Assim, regue com moderação, evitando que o solo fique encharcado.

Exposição ao sol
O morangueiro precisa de pelo menos 6 horas diárias de luz direta. Então, escolha um local ensolarado para plantar seus morangos.

Cuidados adicionais
Além dos cuidados mencionados, é importante que os vasos tenham furos na parte inferior para uma boa drenagem, evitando solos encharcados que podem prejudicar as plantas. Ademais a poda, realizada no final do verão e início do outono, é essencial para promover mais de um ciclo de produção.

morangos

Colheita
Por fim, cerca de 60 a 90 dias após o plantio, os primeiros morangos estarão prontos para a colheita. Observe a cor e o tamanho dos frutos para determinar o momento ideal. Os morangos devem estar bem vermelhos e firmes antes de serem colhidos.

janela-brisa