Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Frutíferas’

mangueira

É comum encontrar árvores frutíferas em chácaras, sítios e fazendas, mas e se fosse possível cultivar estas mesmas espécies dentro de casa? Pois é, saiba que este sonho pode se tonar realidade.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, é possível cultivar algumas espécies de árvores frutíferas em vasos, em locais pequenos.

Logo, se você deseja trazer um pouco mais de verde para sua casa e de quebra poder saborear uma fruta retirada diretamente do pé, então este post foi feito especialmente para você. Conheça agora algumas espécies de árvores frutíferas que podem ser cultivadas em vasos.

Nomes de árvores frutíferas brasileiras
Considerado um dos países mais ricos em biodiversidade do mundo, o Brasil é sem dúvida um dos principais centros de origem e diversidade de árvores frutíferas, abrigando ao longo de sua extensão territorial mais de uma centena de espécies nativas cujos os frutos servem para alimentação humana.

Nesta direção, a biodiversidade do país além de influenciar nos hábitos dos brasileiros que utilizam muitas dessas frutas na alimentação diária, os frutos se tornam uma importante fonte de renda para as regiões. Confira abaixo alguns nomes de árvores frutíferas tipicamente brasileiras.

Conheça 10 nomes de árvores frutíferas brasileiras
Cajueiro (Anacardium Occidentale) – Caju
Cerejeira (Cerasus) – Cereja
Pitangueira (Eugenia uniflora) – Pitanga
Pereira (Pyrus communis) – Pera
Jabuticabeira (Plinia cauliflora) – Jabuticaba
Cajazeira (Spondias mombin) – Cajá
Mangueira (Mangifera indica) – Manga
Macieira (Malus) – Maça
Goiabeira (Psidium guajava) – Goiaba
Pessegueiro (Prunus persica) – Pêssego

macieira

Árvores frutíferas em vasos
Engana-se quem pensa que precisa ter um quintal grande para poder cultivar árvores frutíferas em casa. Saiba que é possível sim saborear a fruta diretamente do pé mesmo morando em casas ou apartamentos pequenos.

Algumas árvores frutíferas em vasos quando cultivadas com carinho e atenção são capazes de oferecer frutos suculentos. Confira abaixo nove espécies de árvores frutíferas em vasos que podem ser cultivadas no seu ambiente.

limoeiro

Limoeiro
O limoeiro é resiliente e se adapta facilmente quando plantado em qualquer tipo de recipiente de jardinagem. E, mesmo se tratando de uma fruta tropical, várias pessoas que residem em regiões mais frias pelo país conseguem cultivar também essa planta.

Vale comentar, que quase todas as espécies de limoeiro são adequadas para plantio em vasos, contudo, a espécie que mais se destaca para esse tipo de cultivo é o limão siciliano amarelo.

laranjeira

Laranjeira
Todas as espécies cítricas podem ser cultivadas em vasos. E, se você reside em regiões onde os invernos são suaves, as laranjeiras são realmente fáceis de cultivar.

Agora, caso você mora em locais com clima frio, alguns cuidados especiais serão necessários para manter a planta saudável. Em vasos e jardineiras é possível cultivar laranjinhas, cidra e vários tipos de mexerica.

jabuticabeira

Jabuticabeira
A jabuticabeira é uma árvore frutífera extremamente saborosa. Seu fruto pretinho que nasce ao longo do seu tronco é suculento e rico em antioxidantes, os quais são responsáveis por prevenir até doenças de câncer.

As jabuticabeiras são árvores frutíferas que apresentam crescimento rápido e sua estrutura pode ser cultivada em lugares amplos ou até como bonsai.

româzeira

Romãzeira
Suculenta e saudável, a romãzeira é considerada uma das árvores frutíferas mais fáceis de cultivar em vasos. Isso porque, a romãzeira apresenta um sistema radicular superficial quando comparado com outras árvores frutíferas.

Sua folhagem é verde brilhante e conta flores em formato de cálice com pétalas alaranjadas. A romãzeira quando cultivada em vaso não ultrapassa 1 m de altura.

acerola

Acerola
A acerola é uma das árvores frutíferas que se desenvolvem bem, mesmo quando seu cultivo é realizado em vasos ou jardineiras com profundidade.

No mercado é possível encontrar inclusive versões da acerola em bonsai. Nas versões de bonsai, a frutinha avermelhada fica proporcional ao tamanho da árvore.

Figo-em-Vaso

Figueira
As figueiras são árvores frutíferas ótimas para serem cultivadas em recipientes de jardinagem. Exóticas e resistentes mesmo sendo cultivadas em vasos é possível obter frutos deliciosos.

No entanto, é preciso manter a poda em dia para que sua estrutura folicular sempre esteja bem limpa e arejada, mantendo a saúde da espécie e estimulando assim a produção de frutos.

goiabeira

Goiabeira
As goiabeiras são árvores frutíferas que se adaptam a diferentes tipos de solos. Tanto suas folhas quanto seus frutos apresentam características fantásticas que auxiliam na saúde.

A goiabeira é uma das opções de plantas que podem ser cultivadas em forma de bonsai. A espécie é marcada pela presença de folhas verde e pelo tronco lenhoso.

pitangueira

Pitangueira
As pitangueiras são árvores frutíferas que podem ser cultivadas em vasos. Logo, se você não dispensa cultivar plantas, mesmo morando em locais pequenos deve apostar nessa espécie.

As pitangueiras são árvores frutíferas que crescem delimitadas pelo tamanho do recipiente, mas nem por isso deixam de dar frutos doces e saudáveis.

manga-em-vaso

Mangueira
Na contramão do que muitas pessoas pensam, é possível cultivar mangueiras em recipientes de jardinagem. Na verdade as mangas se desenvolvem muito bem em vasos, principalmente em se tratando das espécies anãs.

As mangueiras são árvores frutíferas que em vasos crescem atingem de 2 a 3 m de altura. Para que as mangueiras cresçam saudáveis precisam estar plantadas em um solo bem drenado e ficar expostas no sol ao menos 6 horas por dia.

Mudas de árvores frutíferas
Dentre os diferentes métodos de propagação de mudas de árvores frutíferas, a estaquia é considerada uma das técnicas mais eficientes. Mas, afinal, o que é a técnica de estaquia?

A estaquia consiste no plantio de um ramo ou folha da planta, a qual com o tempo se desenvolve em uma nova planta por meio do enraizamento da mesma.

Grande parte das árvores frutíferas podem ser propagadas com facilidade por meio dessa técnica. E, em meio as vantagens desse método é possível comentar que se trata de uma técnica econômica, rápida e simples se comparada até mesmo com a enxertia, a qual exige uma mão de obra especializada.

poda

Como realizar a poda de árvores frutíferas
Durante a manutenção das plantas, uma dúvida frequente que muitas pessoas tem em comum é sobre como realizar a poda de árvores frutíferas. E, mesmo parecendo um processo simples saiba que alguns cuidados devem ser levados em conta para que a planta não seja danificada.

Mas, afinal, por que é importante realizar a poda de árvores frutíferas? A poda de árvores frutíferas traz vigor para a planta, mantém a espécie com um porte adequado ao seu manuseio, elimina ramos doentes e mortos, além de regular a alternância das safras, de modo a obter frutos com regularidade.

Segundo especialistas na área existem quatro tipos diferentes de poda de árvores frutíferas que podem ser realizadas. Confira abaixo os quatro tipos de podas que podem ser realizadas em árvores frutíferas e quais os benefícios que cada uma proporciona ao crescimento e desenvolvimento da planta.

Confira quatro tipos de poda de árvores frutíferas
*
Poda de formação: esse tipo de poda serve para orientar o crescimento da planta e é feita principalmente quando a muda está ganhando corpo;

* Poda de limpeza: essa poda é feita ao longo de toda a vida da árvore e tem como objetivo revigorar a planta antes de cada safra;

* Poda verde: a poda verde é feita após o terceiro ano de vida, quando a árvore já se mostra bem vistosa e no auge do crescimento;

* Poda de frutificação: esse tipo de pode é direcionada somente nas árvores frutíferas de clima temperado e feita quando as plantas estão em repouso. Sua função é eliminar ramos antigos, permitindo que ramos novos cresçam com mais força.

Por fim, recomenda-se podar as árvores frutíferas no período de inverno. Isso porque, neste período a planta não estará em processo de produção de frutos e folhas, mas sim em profunda dormência.

E aí, gostou deste post sobre árvores frutíferas? Então, aproveite sua leitura e confira agora nossa galeria de fotos com mais espécies de árvores frutíferas que podem ser cultivadas em casa.

janela-flor

Árvores-frutíferas

As plantas frutíferas são uma excelente opção para decoração de áreas externas e até mesmo dentro das residências, criando um ambiente mais fresco e eliminando parcialmente a concentração de compostos nocivos como o monóxido de carbono que é absorvido durante o processo de fotossíntese..

Os frutos produzidos podem ser usados em uma série de atividades, seja para a alimentação familiar ou sua comercialização, escolher a melhor espécie entre as plantas frutíferas é vital para garantir a total eficiência na produção e evitar que as plantas sofram com as variações do clima.

Como adquirir Plantas Frutíferas
O melhor modo de se adquirir plantas que foram cultivando métodos que não causam impactos negativos ao ecossistema da região é através de fornecedores especializados que contam com uma grande variedade de opções tanto para o cultivo doméstico quanto comercial.

A quantidade de tempo necessária para transportar as mudas até a localização do cliente pode variar conforme uma série de fatores, o que torna recomendado contar com uma empresa localizada em uma região próxima do cliente para evitar problemas e longas esperas.

Além de estarem disponíveis em uma grande variedade, as plantas podem ser adquiridas com um excelente custo-benefício, além de uma produção renovável em grande parte dos casos, onde com a aquisição de apenas uma muda é possível cultivar uma quantidade massiva de plantas no longo-prazo.

Como plantar frutíferas em vasos
*
Para cada árvore de frutos você precisará de um vaso que contenha 20 litros de terra, pelo menos e, é importante que haja espaço para as raízes se expandirem (vasos bojudos são bem adequados). Prepare a terra para estes vasos com uma mistura de 50% de terra orgânica, preta, pesada, e 50% de areia média de construção (areia de rio lavada).

No fundo do vaso, até uns 15cm da altura, faça a cama de drenagem com pedriscos, cacos de telha ou tijolo (não se esqueça de que o vaso deverá ter alguns furos no fundo, para escoamento da água).

* Escolha de vasos em áreas grandes – A planta necessita de uma área considerável para desenvolver suas raízes, e contar com vasos extremamente pequenos pode causar sérios problemas e até mesmo impedir que as plantas deem frutos na quantidade adequada.

arvores-frutiferas

* Combine as cores dos vasos com os frutos – Uma excelente opção para pessoas que adquirem plantas com o principal objetivo de decorar uma área, a escolha de um vaso com cores e desenhos que ressaltam as qualidades das plantas é uma excelente opção.

* Insira compostos orgânicos da terra – Os compostos orgânicos são essenciais para o bom desenvolvimento das plantas, de modo que escolher um tipo que melhor se encaixe com a espécie de planta que será colocada no vaso pode dar resultados excelentes mesmo em áreas onde há uma menor incidência de sol.

* Atente-se para as características das plantas – Cada planta possui necessidades diferentes, o que torna necessário alterar os horários de rega bem como o posicionamento do vaso para que ela possa usufruir ao máximo dos cuidados do proprietário.

* Evite colocar vasos em áreas de grande fluxo – Um fluxo intenso de pessoas pode causar acidentes e outros transtornos, isto torna recomendado que o proprietário das plantas coloque os vasos em áreas onde há um menor risco de ocorrer acidentes ou outros tipos de problemas.

* Regue as plantas diariamente – Por contar com uma menor quantidade de terra para absorção de água bem como a alocação das plantas em áreas fechadas, é necessário que elas recebam quantidades abundantes de água todos os dias, isto acelera seu crescimento e evita problemas e garante a sua saúde.

frutíferas

* Verifique a integridade do vaso – Em muitos casos os vasos podem sofrer danos sem que o proprietário esteja ciente, o que pode levar a graves acidentes e até mesmo a perda da planta devido a rompimentos do vasos, o que torna necessário que o proprietário da planta cheque em intervalos regulares o estado do vaso.

* Evite colocar vasos em quartos e áreas de repouso – Durante a noite, as plantas liberam parte do monóxido de carbono que foi absorvido durante o dia, isto pode comprometer a respiração das pessoas que estão no local, especialmente em casos onde há uma grande ocupação de uma determinada área.

* Insira hastes de madeira em plantas com caules longos – As hastes de madeira servem um importante propósito: Não deixar que o caule das plantas entorte e se quebre, de modo que colocar uma haste dentro do vaso para acompanhar o crescimento da planta é um requisito para o seu bom crescimento.

* Não use agrotóxicos – O uso de produtos químicos podem causar sérios problemas à saúde das pessoas que aplicam os compostos e quem irá consumir estes alimentos, o que torna o uso de outras alternativas para o controle de pestes e insetos uma opção melhor para qualquer espécie de planta frutífera.

* Adubação – Você deverá fornecer à terra de cada vaso os nutrientes necessários – nitrogênio, fósforo, potássio deverão ser incorporados à terra algumas semanas antes de você instalar a muda frutífera – e os micronutrientes que cada planta requer e que você identifica pela coloração das folhas.

Um “plus” de fertilização deverá ser feito antes da época de frutificação, quando as flores começam a abrir, e você poderá usar composto orgânico bem curtido, torta de mamona e cinzas, ou líquido fertilizante que se faz com restos orgânicos batidos com água.

limão siciliano

* Irrigação – Dependendo do clima da sua região, uma frutífera em vaso precisará de até 3 regas por semana. Você pode fazer as regas em dias fixos reduzindo a quantidade em períodos de chuva e aumentando em época de muita seca.

Também pode fazer a rega com o líquido fertilizante de que falei acima e para o qual existem diversas fórmulas.

Mas, é importante que você escolha suas frutíferas de vaso de acordo com o clima da sua região.

folhas_1

cagaiteira

A cagaiteira é uma árvore típica do cerrado encontrada nos estados brasileiro de Goiás, Piauí, Tocantins, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Bahia e Minas Gerais,

O outro nome pelo qual é conhecida – cagaita-do-cerrado – já deixa claro de qual bioma brasileiro essa fruta é típica, certo? Também pode ser conhecida por orvalha-do-campo ou uvalha-do-cerrado, de acordo com a região em que é encontrada.

Produz um fruto chamado cagaita. Pertence à família Myrtaceae, a mesma da jabuticaba, goiaba, jambo, araçás e eucaliptos.

A cagaiteira floresce entre os meses de agosto e setembro e frutifica nos meses de setembro e outubro. Seu uso pode ser alimentar, medicinal e, por ser muito bonita na época de floração, também é utilizada para arborização.

Flor_da_cagaiteira

Características gerais
A árvore de cagaita se chama cagaiteira e pode atingir até 10 m de altura, embora comumente alcance 8 m. Apresenta copa densa de formato variado. O tronco é tortuoso, assim como os ramos, e possui uma casca grossa e fissurada.

A madeira da cagaiteira é muito utilizada em construções, pois possui uma casca grossa e resistente. No paisagismo apresenta estonteante beleza ornamental, com todas as suas fases marcantes. Na época de floração, a copa fica completamente florida e praticamente sem folhas.

cagaita

Após esta fase, a copa se colore de cor chocolate, cor de suas novas folhas. E no período de frutificação, um amarelo intenso e vibrante contagia a paisagem.

As folhas são utilizadas no preparo de chás que são eficazes contra diarreias e até mesmo podem ser usadas no tratamento de diabetes e icterícia.

A floração acontece entre os meses de agosto e setembro, época em que flores brancas muito perfumadas podem ser apreciadas. A frutificação acontece entre setembro e outubro.

mata mexendo

frutífera

As frutíferas podem ser plantadas em vasos e produzir belos e deliciosos frutos da mesma forma que acontece no plantio no solo. A única diferença é que no plantio em vasos o solo deverá ser mais estruturado nutricionalmente do que no cultivo tradicional. E a reposição nutricional deverá acontecer durante várias vezes no ciclo de cultivo da planta.

1 – Escolha do vaso
A importância de selecionar o vaso certo para plantar a sua frutífera é muitas vezes subestimado. O vaso (bem como as adições: seixos, casca de pinus, biobric) são elementos importantes na composição, e devem ser escolhidos cuidadosamente para manter a umidade do solo e ornamentar o vaso.

As árvores que apresentam tamanhos grandes na natureza devem ser colocadas em recipientes maiores, proporcionando às raízes espaço suficiente para que se desenvolvam ajudando a árvore a lidar com a limitação do vaso.

2 – Tratos Culturais
* Drenagem do vaso
A drenagem do fundo do vaso é uma das partes mais importantes do plantio. Vasos com drenagem ruim propiciam acúmulo de água, consequentemente, apodrecimento radicular.

Em contrapartida, vasos sem elementos drenantes propiciam o crescimento de minhocas que entram pelos furos dos vasos. As minhocas em áreas fechadas, como os vasos, formam torrões que compactam o solo, prejudicando a aeração e o crescimento radicular.

Como forma de drenagem, sugerimos: Seixos, Argila expandida, manta Bidin, brita, cacos de telhas, etc.

solo

* Preparo do solo de plantio
Para ter sucesso no crescimento das plantas é importante utilizar produtos que sejam capazes de reter umidade, que tenham nutrientes em sua composição e que sejam produtos orgânicos.

Substratos são produtos utilizados apenas para substituir a terra por um curto período de tempo, pois não conseguem reter umidade, dessa forma as plantas poderão definhar por desidratação rapidamente.

É importante ter nutrientes no solo de plantio da muda, para que a mesma absorva-os durante o seu ciclo. Serão estes nutrientes que irão garantir a produção dos frutos e saúde das plantas.

Misture ao condicionador de solo os seguintes produtos: cinzas de churrasqueira peneirada, casca de ovo moída no liquidificador, húmus de minhoca, Formulação NPK 04-14-08, borra de café, calcário, etc.

* Plantio da muda
A planta ideal deve possuir tamanho médio, estar ereta, possuir galhos e boa quanidade de folhas, caule com grossura de 1 dedo, sistema radicular desenvolvido, pode ou não ter frutos e deve estar saudável (ausência de doenças – manchas foliares).

No plantio deve-se retirar o saco plástico e manter o torrão intacto. O vaso escolhido deve ser no mínimo 3 vezes maior que o torrão da muda para propiciar o enraizamento e crescimento saudável da planta.

Após a montagem do vaso (drenagem e camada de solo no fundo do vaso), coloca-se o torrão da muda e completa as laterais com o solo, apertando ao redor do torrão, para que a planta fique bem firme. Deve-se cobrir o torrão até a altura de 2 cm acima do torrão inicial.

Após o plantio da muda deve-se fazer a irrigação do vaso. É importante tomar cuidado para não lesionar o caule da planta, caso isso aconteça, pincele um pouco de canela em pó umedecida em água para que aconteça a assepsia do lugar machucado.

irrigação

* Irrigação do vaso
Após o plantio o vaso deve ser irrigado até que a água escorra pelo fundo. A irrigação deverá ocorrer sempre que o solo do vaso estiver seco. E, sempre da mesma forma, com a água escorrendo no fundo do vaso.

* Nutrição vegetal
O ideal para o desenvolvimento da planta é utilizar adubos foliares que, após a aplicação nas folhas, escorram para o solo e possam ser absorvidos pelas raízes. A adubação deve ser com produtos completos na sua formulação, não apenas o NPK, mas macronutrientes secundários (magnésio e enxofre) e micronutrientes (boro, cobre, cobalto, ferro, manganês, molibdênio e zinco), para garantir o maior desenvolvimento das plantas.

Com o uso do condicionador de Solo, no solo e outros produtos na mistura, o fornecimento de nutrientes para as raízes já é suficiente. É importante que a adubação foliar seja feita durante os processos de crescimento da planta (época de crescimento: primavera e verão, florescimento e frutificação) com um produto que possua maior teor de Nitrogênio na sua formulação.

Na época de produção, a formulação ideal deve ter mais nitrogênio, potássio e boro em sua composição. A ausência de nutrientes propicia amarelecimento foliar e abortamento de flores e frutos.

morango em vaso
* Controle de pragas e doenças
As plantas em geral, estão susceptíveis ao ataque de pragas e doenças. Estes danos podem ocorrer toda vez que a planta estiver em condições de stress, seja hídrico (falta ou excesso de água), luz (sombra ou excesso de sol) ou metabólico (falta ou excesso de nutrientes). Estes fatores podem ser facilmente contornados se buscarmos no mercado produtos orgânicos e de fácil aplicação.

Para pragas, em nosso site, temos disponíveis produtos para insetos, lesmas, caracóis e armadilhas amarelas que garantem o controle do inseto.

Para doenças, a simples poda de manutenção, esterilização da tesoura e aplicação de canela em pó (condimento – cicatrizante natural) no galho cortado e sulfato de cobre (fertilizante) nas folhas, são suficientes para o controle.

3 –  Colheita dos frutos
Os frutos devem ser colhidos com o auxílio de uma tesoura de poda, cortando-se o pecíolo. Deve-se tomar o cuidado para não necrosar o caule. Cada ferida na planta é um risco para a entrada de doenças que irão definhar o seu crescimento saudável.

fertilizando

4. Adubação de manutenção
Após a colheita dos frutos é importante fornecer à frutifera todos os nutrientes gastos na produção dos frutos. Este fornecimento deve ser via adubação radicular com o uso da formulação NPK 10-10-10 (formulação de manutenção) e via adubação foliar com uma formulação o mais completa possível.

janela-brisa