Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Salgueiro[

As árvores, além de embelezar, são especiais e fundamentais nas ruas e avenidas, pois, elas possuem um importantíssimo papel no equilíbrio térmico, refrescando onde quer que estejam.

Além dessa importante característica, elas também colaboram com a redução da poluição sonora e do ar e ainda fornecem sombra, refúgio e alimento para as aves. São inúmeros benefícios que não param por aqui, pois ainda poderia citar a produção de oxigênio, proteção contra ventos, fixação de carbono, etc.

Mas não podemos esquecer que a escolha correta da espécie para o plantio em calçadas é fundamental.

Primeiramente, se há o desejo de plantar uma árvore na sua calçada, deve procurar a prefeitura. Muitas delas têm um plano de arborização urbana, com espécies de árvores indicadas por profissionais capacitados. Normalmente, o plantio pode ser solicitado à prefeitura, ou buscar as mudas você mesmo no viveiro municipal.

Mas é muito importante prestar atenção na escolha da árvore. O plantio da árvore errada pode provocar muita dor de cabeça no futuro, como por exemplo: tubulações de água e esgoto estourados; calçadas levantadas; problemas na rede elétrica; galhos que ameaçam cair a qualquer momento; frutos pesados que caem sobre carros; ramos espinhentos que atrapalham os pedestres; sujeira e mal cheiro advindo de frutos; folhas ou flores caídos; entre muitas outras situações desagradáveis e perigosas.

E o pior é que geralmente não podemos fazer muita coisa. Na maioria dos casos o corte ou poda é permitido apenas à prefeitura e companhia elétrica.

Cortar uma árvore sem autorização pode lhe render multas pesadas e, dependendo da espécie, ser considerado crime ambiental. Você terá que solicitar o serviço e aguardar que aprovem. Então escolha bem. Uma árvore é para além da vida toda.

Confira uma lista com algumas espécies que são indicadas para calçadas. As espécies que alcançam até 10 m são boas para calçadas com fiação elétrica, enquanto as maiores podem ser plantadas em calçadas sem fiação.

Euphorbia leucocephala )

a) Noivinha (Euphorbia leucocephala)
Ela também é conhecida por outros nomes populares como: mês de maio; neve da montanha; cabeça branca; leiteiro-branco; cabeleira-de-velho; flor-de-criança e chuva-de-prata.

Durante o mês de maio, suas folhas verdes, ficam brancas, tornando-a linda e encantadora. Em junho suas folhas já voltam a coloração verde. É uma árvore de porte pequeno, que não atinge 3 m. Não agride a calçada e nem prejudica a fiação elétrica.

Tabebuia sp

b) Ipê (Tabebuia sp)
Os ipês são árvores de grande porte, com raízes profundas que não danificam as calçadas e exigem poucos cuidados. É muito usado como árvore decorativa devido à sua florescência colorida e anual. O Ipê, é um gênero de árvores, em sua maioria nativas, decíduas, de tronco e ramagem elegantes.

Sua madeira é resistente e o florescimento exuberante nas cores, amarelo, branco, rosa e roxo. Os ipês atingem de 10 a 35 m, dependendo da espécie. São adequados para calçadas sem fiação elétrica.

Jacarandá mimosaefolia

c) Jacarandá mimoso (Jacarandá mimosaefolia)
Um verdadeiro clássico. Árvore decídua, de floração exuberante. Ideal para arborização de ruas, praças e avenidas. Sua altura é de 8 a 15 m. Suas raízes são profundas, não danificam calçadas e nem redes subterrâneas. Por atingir 15 m, melhor ser plantada contra a rede elétrica.

Lagerstroemia indica

d) Extremosa ou Resedá (Lagerstroemia indica)
É uma linda arvoreta muito utilizada na arborização urbana. Tem florescimento esplendoroso, é decídua e tolerante a podas drásticas. Atinge até 8 m de altura.

Tibouchina mutabilis

e) Manacá-da-serra (Tibouchina mutabilis)
O Manacá é uma belíssima árvore que nos proporciona admirar suas flores em três cores diferentes simultaneamente: brancas, rosas e roxas, de acordo com a idade da flor. Atinge até 6 m de altura.

Ligustrum lucidum

f) Alfeneiro (Ligustrum lucidum)
Uma das espécies mais cultivadas na arborização urbana do sul do Brasil. Oferece boa sombra, mas a floração de muitos exemplares ao mesmo tempo pode intensificar os casos de alergia à pólen. Atinge aproximadamente 3 m de altura.

Magnólia spp

g) Magnolia (Magnólia spp)
A linda Magnólia, além de bela e perfumada faz lembrar os ipês rosas. Elas são muito interessantes para arborização urbana devido à seu porte pequeno. Decíduas e próprias para o clima subtropical e temperado. Alcançam de 5 a 10 m de altura.

Bauhinia foficata

h) Pata-de-vaca (Bauhinia foficata)
Árvore brasileira, nativa da Mata Atlântica, de porte médio com uma das mais belas flores e folhagens. Possuem raízes profundas que não estouram as calçadas. Uma ótima opção para ser usada como decoração e em regeneração de matas degradadas.

Tibouchina granulosa

i) Quaresmeira (Tibouchina granulosa)
É uma árvore de pequeno porte e raízes profundas. Elegante e bela, apresenta uma linda floração roxa que ocorre duas vezes por ano. Possui um fruto bem pequeno e é uma das principais árvores utilizadas na arborização urbana no Brasil.

Murraya paniculata

j) Dama-da-noite (Murraya paniculata)
Também conhecida como murta-de-cheiro; jasmim-laranja; murta; murta-da-Índia e murta-dos-Jardins, a dama-da-noite é um arbusto grande (ou arvoreta) que pode alcançar até 7 m de altura. É muito utilizada para a formação de cercas-vivas. A dama-da-noite apresenta ramagem lenhosa e bastante ramificada.

Suas folhas são pinadas, com 3 a 7 folíolos pequenos, elípticos, glabros e perenes. Durante todo o ano produz inflorescências terminais, com flores de coloração branca.

Stenolobium stans

k) Ipê-mirim (Stenolobium stans)
Conhecido popularmente como Ipê-de-jardim, é uma arvoreta muito ramificada. As folhas compostas são serreadas, as flores amarelas em forma de campânula e formam inflorescências vistosas. É muito usada em arborização urbana, podendo chegar a 7 m de altura. Sua floração acontece entre os meses de janeiro e maio.

Erythrina speciosa

l) Candelabro (Erythrina speciosa)
É uma das mais belas árvores brasileiras. Apresenta inflorescência em forma de candelabro, daí seu nome popular. É composta de flores de coloração vermelho-vivo, muito atrativa para os beija-flores.

Tem excelente efeito paisagístico, pois além da beleza singular, produz boa sombra no verão e permite a passagem de luz no inverno. A altura varia de 4 a 6 m e sua floração acontece entre junho e setembro (final do inverno/começo da primavera).

Caesalpinia pulcherrima

m) Flamboyanzinho (Caesalpinia pulcherrima)
É uma árvore (alguns consideram arbusto lenhoso) de pequeno porte da família das leguminosas. De rápido crescimento, suas folhas são recompostas com folíolos pequenos e permanentes. Sua copa tem um formato arredondado e pode atingir de 3 a 4 m de altura. Suas flores são vermelhas, alaranjadas, amarelas, rosas ou brancas dependendo do cultivar, dispostas em cachos paniculares. Sua época de floração é entre setembro e maio.

Licania tomentosa

n) Oiti (Licania tomentosa)
É muito usada na arborização de várias cidades brasileiras, como Rio de Janeiro e Campo Grande. O seu fruto é uma drupa elipsoide ou fusiforme, de casca amarela mesclada de verde quando madura, com cerca de 12 a 16 cm de comprimento e polpa pastosa, pegajosa, amarelada, de odor forte, com caroço volumoso e oblongo. Pode atingir entre 8 e 15 m de altura.

Callistemon ssp

o) Escova-de-garrafa (Callistemon ssp)
As escovas-de-garrafa apresentam porte arbustivo ou de arvoreta, alcançando de 3 a 7 metros de altura. Suas folhas são em geral pequenas, lanceoladas a lineares, verdes, sésseis, perenes e aromáticas, que vão se tornando bronzeadas com o tempo.

Mas é nas inflorescências que reside o encanto desta árvore. Elas tem um formato cilíndrico com numerosos estames, semelhantes às escovas utilizadas para lavar garrafas. São muito resistentes à seca.

Melia azedarach

p) Cinamomo (Melia azedarach)
É uma árvore bastante utilizada na arborização urbana. Indicada para clima subtropical. De floração ornamental e frutos atrativos para avifauna, ela alcança até 20 m de altura.

Plumeria rubra

q) Jasmim-manga: (Plumeria rubra)
A Jasmim-manga é uma árvore que pode atingir um porte entre quatro e oito metros. É muito usada como planta ornamental e seus caules são grossos e lisos, de cor cinzenta ou bronzeada, de forma escultural. Seus galhos têm um aspecto suculento e secretam um látex quando feridos.

As folhas têm cerca de 30 cm, são verde-escuras e nascem nas extremidades dos ramos e no inverno e na primavera elas caem. Suas flores formam grandes inflorescências terminais e têm coloração rosas ou vermelhas, havendo variantes brancas e amareladas. Floresce durante o verão e o outono. Suas flores exalam um odor suave, semelhante ao das flores de jasmim, o que lhe atribui seu nome popular. Ideal para calçadas, praças e parques.

cerejeira-do-japão

r) Cerejeira-do-japão (Prunus serrulata)
É uma árvore decídua, de grande valor ornamental, devido seu florescimento espetacular. É própria para clima subtropical e temperado. Alcança até 6 m de altura e deve ser cultivada sob sol pleno ou meia-sombra, em solo fértil, neutro, bem drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. Necessita de estações bem marcadas para florescer de forma satisfatória.

Por este motivo não é indicada para regiões equatoriais e tropicais, salvo em regiões de altitude elevada. Seu crescimento é moderado e a floração é precoce. Não tolera encharcamento e podas drásticas. Resiste ao frio, geadas e curtos períodos de estiagem. Multiplica-se por enxertia, estaquia e mais facilmente por sementes.

Schinus terebinthifolius

s) Aroeira  (Schinus terebinthifolius)
De porte pequeno a médio, é uma planta plantas dióica, de folhas compostas, aromáticas e atinge de 8 a 10 m de altura. Suas flores são pequenas em panículas e seu fruto tipo drupa, vermelho-brilhante, aromático e adocicado. Reproduz-se por sementes ou estacas.

Senna spectabilis (Small)

t) Cássia-do-nordeste (Senna spectabilis)
É uma árvore da família das fabáceas, conhecida por diversos nomes populares como: cássia; cássia-do-nordeste; cássia-macranta; habú; fedegoso-do-rio e macrantera. De crescimento rápido, atinge um porte de até 4 m de altura, para 4 m de diâmetro da copa arredondada.

árvore-da-china

u) Árvore-da-china (Koelreuteria bipinnata)
Floresce no outono, despontado inflorescências eretas com flores amarelas, que em seguida são tomados por frutos papiráceos, duráveis, de cor salmão. Para clima subtropical. Atinge até 12 metros – plantar em calçadas sem fiação.

As folhas são pequenas e caducas. A floração decorre entre março a abril e origina flores de cor amarela. A frutificação é do tipo vagem e decorre de abril a maio. É uma planta com origem no Brasil.

Este foi apenas uma prévia das diversas espécies que podem ser utilizadas, existem também as espécies coníferas, que são ornamentais e largamente utilizadas no paisagismo devido ao seu formato que segue desde a base ate o ponteiro de forma cônico.

Já as palmeiras, também são muito utilizadas para calçadas, avenidas, parques, praças porem seu uso deve ser cauteloso pois dependendo da palmeira suas folhagens são pesadas e geralmente altas e, na sua queda poderá causar transtornos.

A diversidade de árvores é enorme e você pode gostar justamente de uma que viu em algum lugar. Na calçada de um amigo, de uma praça, de um consultório…

No entanto é muito importante se atentar para as características que uma árvore para arborização de calçadas deve ter.

Segue abaixo as características essenciais que as espécies recomendadas para calçadas devem possuir.

São elas:
* Não ser tóxica;
* Não possuir raízes superficiais ou agressivas;
* Não possuir espinhos;
* Não ser invasora;
* Não possuir espinhos;
* Não ter frutos ou flores grandes;
* Não possuir madeira frágil, suscetível à quebra ou ataque de cupins (evite árvores de crescimento muito rápido).

folhasaovento9

azalea-lilas

As plantas são seres vivos capazes de obter sua energia através da luz do sol graças ao seu conteúdo em clorofila, é por isso que muitas pessoas decidem decorar sua casa com plantas para garantir assim uma adequada harmonia no ambiente.

No entanto, também são inúmeras as plantas que nos deslumbram pela sua beleza extraordinária, sendo também muito apreciadas como elementos decorativos.

As azaléias são uma das plantas decorativas mais bonitas, já que suas flores, que se produzem na primavera, podem chegar a atingir os 7 cm de diâmetro e podem-se encontrar em diversas cores: jaspe, violeta, rosa ou branco.

Esta planta é tipicamente de exterior, no entanto, durante a época de floração podem ser mantidas no interior, sempre que uma vez finalizada esta etapa, voltem a se localizar no exterior de casa. Se está pensando em plantar uma azaléia, você deve saber que para um ótimo resultado, deve cuidar de todo o processo desde o princípio.

Azaleia00010

A melhor época para plantar a azaléia
Fazer o plantio da azaléia no exterior escolhendo a melhor época possível garantirá bons resultados, mas isto vai depender do clima e do tipo de planta. Obviamente que, não basta só realizar um plantio adequado, já que é importante manter os cuidados da azaleia ao longo de todo o ano.

Existem inúmeras espécies (mais de 10.000 contando todos os híbridos), portanto, o melhor momento para plantar a azaléia dependerá principalmente do clima existente na região que habitemos:

Princípios da primavera: Quando nos referimos ao início da primavera nunca devemos nos precipitar, pois a época de geadas (na sua região) deve ter finalizado já com toda segurança.

Esta época é ideal para plantar a azaléia em clima continental e clima de montanha, já que permitirá que a planta se desenvolva adequadamente aproveitando a luz solar e as temperaturas quentes até finais de outono.

Azaleia00011

Final do verão e princípios do outono: Vive em um clima mediterrâneo? Então esta transição entre estações é o melhor momento para plantar sua azaléia, desta forma, durante o outono e o inverno as chuvas contínuas permitirão que as raízes se enraízem adequadamente na terra e cresçam em profundidade. Desta forma, a planta também adquire uma maior resistência ao verão e à seca.

Princípios do outono e princípios da primavera: Devemos escolher estas épocas do ano quando estivermos em um ambiente de clima atlântico ou oceânico, além disso, esta época favorece especialmente aquelas azaléias que são de folha caduca.

O plantio neste clima pode ser realizado desde finais do outono até princípios da primavera, no entanto, deverá ser evitado nos dias de maior frio.

azaleiadobrada

Como plantar adequadamente a azaleia
Se já foi determinado, em função do seu clima, vamos ao melhor momento para plantar a azaleia, então deve prestar atenção em como levar a cabo este processo de forma adequada:
* As azaléias precisam de uma localização onde recebam luz solar direta, mas também sombra; isto denomina-se em termos de jardinagem “sombra manchada”. Uma das melhores localizações para a azaléia é a sombra de uma árvore não muito densa.

* Este tipo de plantas requer um solo com boa drenagem, a forma de averiguar a drenagem da terra é cavar um buraco de 30 cm de profundidade e observá-lo após ter chovido, se a água ficou estancada, a terra não drena bem. Neste caso, será necessário realizar uma mistura de materiais orgânicos para favorecer a drenagem.

* Deve cavar a terra em uma profundidade suficiente para dar espaço a todas as raízes da azaléia e a base da planta.

* Introduza a azaleia no buraco e jogue terra ao redor do buraco de maneira a que a planta fique bem fixa, pressionando suavemente a terra para ficar bem compactada.

* Regue a terra de forma lenta e abundante, não só quando plantar, mas também no dia seguinte. Pulverize as folhas da azaléia com um pouco de água.

É possível que deseje plantar mais de uma azaleia, neste caso deve respeitar uma distância mínima entre os buracos, aproximadamente 30 cm.

Azaleia00001

Vamos aos cuidados com a azaléia
Os cuidados da azaleia não são complexos, além disso seu cultivo é relativamente simples. Um conselho que permitirá a você realizar o processo com sucesso é umedecer a azaléia antes de plantá-la.

Deve saber que a temperatura ideal para poder cuidar desta planta oscila entre 12 e 22ºC, por este motivo, se o inverno é muito frio onde vive, o recomendável é colocá-la dentro de casa e evitar as zonas de aquecimento direto, pois poderia danificar a planta.

Também deverá prestar atenção à irrigação, já que esta planta precisa de grandes quantidades de água, sobretudo, quando já tiverem florescido. Deverá regá-la 1 vez por dia durante a floração e, no verão, inclusive 2 vezes por dia.

correnteza_1

Dianthus

A cravina é uma planta herbácea, pertencente à família Caryophyllaceae e sua origem é da Ásia. Possui flores solitárias, simples e nas cores róseas, vermelhas, brancas, arroxeadas e com cores mescladas. A principal característica dessas flores são ter as pétalas largas com as bordas serrilhadas.

Essa planta é considerada uma planta anual, ou seja, completa o seu ciclo de vida em um ano. Apesar disso é possível manter a cravina viva por mais um de um ano, mas é importante tratá-la essencialmente como uma planta anual. É interessante renovar os canteiros todos os anos para que ela fique sempre bonita.

Geralmente as flores dessa planta surgem no verão e são plantas ideais para ter no jardim. Uma planta que é bastante utilizada em jardins, bordaduras, maciços porque ajudam a criar um efeito campestre. Pelo fato de ser uma planta que precisa de incidência intensa do sol dificilmente é cultivada em ambientes internos.

Dianthus chinensis var heddewigii

Como cuidar das Cravinas
A cravina cresce bem quando conta com o sol pleno, mas em locais mais frios. Essa planta prefere locais com sombra a tarde nos locais mais quentes. O sul do Brasil é um dos melhores locais para cultivar cravina.

Em relação à rega a cravina não gosta de muita água, pois ela não absorve tudo e as suas raízes acabam se “afogando”. É importante manter o solo úmido, mas sem exageros de água. A dica é sempre tocar no solo e sentir se ele está úmido, no caso de estar seco pode regar novamente.

Multiplicação
A multiplicação da cravina é feita por sementes, elas devem ser postas para germinar no período do outono-inverno. O florescimento acontece nos meses inverno e primavera.

A germinação deve acontecer em torno de 7 dias, depois é importante transplantar a Cravina para o local definitivo. Esse transplante deve ser feito em torno de 18 a 25 dias após a germinação.

A cravina é uma planta bastante utilizada nos jardins sulinos por gostar das baixas temperaturas dessa região. Essa planta é uma miniatura do cravo e as suas flores tem como principal característica serem solitárias e simples.

As folhas dessa planta são lanceoladas e afiladas na coloração verde clara. Trata-se de uma planta que pode ser um lindo enfeito campestre. Para que cresçam de forma saudável devem ser cultivadas a sol pleno e num solo fértil. A dica é que o solo seja composto de terra de jardim e terra vegetal que é drenável.

Dianthus_chinensis_(2)

A origem da Cravina
A China é um dos países que mais conta com a existência de cravinas, de várias cores. Toda e qualquer combinação entre as cores dessa planta se misturam e dão origem a uma nova cor.

Uma coisa interessante sobre essa planta asiática é que ela cresce tanto em jardins quanto em vasos. A floração dessa planta acontece o ano todo, um espetáculo lindo principalmente na primavera. Durante a estação mais florida do ano as cravinas formam um tipo de tapete colorido no qual é quase impossível ver as folhas que acompanham as flores.

Uma planta conhecida por se adaptar bem aos climas mais frios, mas que também vai super bem nos climas mais quentes. É importante destacar que essa é única espécie de Dianthus que se adapta ao clima quente.

Confira as dicas de como usar a cravina como uma planta ornamental. Saiba como cuidar e como obter os melhores resultados.

dianthuschinensis

O cultivo da Cravina para paisagismo
Pelo fato de ser uma planta que resulta em lindas flores a cravina é bastante utilizada no paisagismo, ou seja, na composição de belos jardins. Uma planta que tem cultivo relativamente fácil e ajuda a deixar qualquer ambiente verde muito mais colorido e bonito.

Uma planta que pode ser cultivada como bordadura de canteiro e que tende a formar densas touceiras. Pode ser usada como uma planta ornamental para preenchimento de maciços a pleno sol ou mesmo em vasos e em conjunto com lobélias e alissos em vasos do tipo bacia.

O efeito ornamental que essa planta ganha em gramados é indescritível, os jardins de locais mais frios ou com temperaturas mais amenas tem muito a ganhar com esse colorido.

Dicas para cuidar de Cravinas no inverno
A rega no inverno

Quando o inverno chega parece que as pessoas têm receio de regar as suas plantas e acabam deixando que várias morram sem água. No inverno as plantas também precisam de água e devemos destacar que nos dias mais frios é que elas têm mais necessidade.

O clima seco que é característico do inverno acaba deixando as plantas ressecadas. A melhor forma de saber se está na hora de regar as suas plantas no inverno (e em qualquer momento do ano) é tocar a terra. No caso de a terra estar úmida é sinal que ainda tem água nela, mas no caso de a terra estar seca é importante fazer uma rega.

Observe também se as suas plantas estão caidinhas, isso é um sinal que elas têm sede. Nessa situação é importante regar as suas plantas para que elas não morram.

Dianthus-chinensis

Adubação
Mesmo que durante o inverno boa parte das plantas esteja com o organismo lente é importante adubá-las. Os nutrientes são essenciais para que ela possa crescer saudável, sendo assim é importante fornecer a ela os nutrientes necessários.

Em lojas especializadas em jardinagem ou mesmo nos mercados é possível encontrar adubos para aplicar em casa de forma simples. Os adubos têm composições com NPK (nitrogênio, fósforo e potássio), em geral existe uma boa variedade com porcentagens diferentes de cada nutriente.

O Nitrogênio é mais importante no começo do cultivo para que as raízes cresçam, já o Fósforo ajuda no florescimento da planta e o Potássio faz o equilíbrio entre os dois primeiros.

Elas gostam de bastante sol e devem ser cultivadas em solo fértil com regas constantes.

passarinho

sobralia

A sobrália pertence ao gênero das Orchidaceaes. Nativa da América do Sul, a orquídea é originária do México, mas se estende por quase toda a costa sul-americana, podendo crescer não só em baixas altitudes mas também em encostas.

A planta possui um caule fino e flexível que pode chegar até aos 2 m de altura. As suas folhas são rígidas e as flores, virtuosas, são únicas e solitárias.

As flores da sobrália são donas de um perfume inconfundível, mas duram cerca de dois dias. Dependendo da sua região, podem florescer ao longo de todo o ano de forma esporádica.

Como plantar Sobrálias
A sobrália é uma orquídea terrestre, por isso, precisará de apoio próximo ao solo, que pode ser tanto uma árvore ou uma planta maior e mais resistente para aguentá-la, como algumas pedras e até muros.

Quanto ao recipiente ou local de plantio, a sobrália pode ser plantada tanto diretamente no solo como em vasos e jardineiras, mas estes devem ser rasos e espaçosos, para não prejudicar o seu crescimento ou o seu aspecto entouceirado.

A adubação deve ser frequente enquanto a sobrália se encontra em fase de desenvolvimento, o mesmo vale para a rega; ela pode ser adubada com NPK 5-5-5 que proporcionará a saúde necessária para produzir boas flores; quanto à rega, deve ser suficiente para deixar o substrato úmido, mas não encharcado.

r_sobralias_20

Quando a planta se encontrar em fase adulta, tanto a rega como a adubação pode ser regularizada, diminuindo a frequência e quantidade.

Para preparar um bom terreno para as sobrálias terrestres, adicione ao canteiro uma boa quantidade de composto de folhas, areia (para drenagem) e sfagno.

As epífitas podem ser cultivadas com um bom substrato para orquídeas normais. Este tipo de orquídea aprecia o solo neutro ou levemente alcalino, solos ácidos devem ser evitados no cultivo de sobrálias.

Apesar de ser indicado o sol pleno, deve-se evitar as horas mais quentes do dia. Como sabemos, as orquídeas costumam crescer sob alguma árvore, planta, muro, cerca viva, etc. Por isso, a meia-sombra pode ser o mais recomendado em locais com alta incidência de luz solar.

escada