Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Ficus lyrata

A figueira-lira é uma árvore, pertencente à família Moraceae, nativa da África ocidental, perene, de caule ramificado, com 12-15m de altura. É cultivada no mundo inteiro por suas qualidades como ornamental. Popularizou-se recentemente por seu uso em interiores de casas, escritórios, varandas e sacadas.

Em seu habitat é comum iniciar sua vida como uma planta epífita, crescendo sobre outras árvores, de forma que com o tempo as plantas hospedeiras são sufocadas pela falta de luz e pela pressão das raízes e podem morrer.

Não possui raízes aéreas, ao contrário de muitas outras espécies do mesmo gênero. O caule geralmente ramifica-se desde a base ou à pouca altura. A copa é arredondada e bem fechada, oferecendo sombra farta.

Suas folhas verde-escuras, brilhantes, coriáceas, grandes, com 38 cm de comprimento e 22 cm de largura, com nervuras bem marcadas, margens onduladas e formato de lira – o instrumento musical – o que lhe valeu o nome científico “lyrata“.

As flores e frutos, surgem apenas em seu habitat natural e ao ar livre. Os frutos são pequenos pequenos, esverdeados e com manchinhas claras, que dificilmente conterão sementes fora do seu habitat, devido à ausência da vespa polinizadora específica da espécie.

frutos

É comum sua utilização na arborização urbana, embora as árvores do gênero Ficus não sejam muito indicadas para passeios ou canteiros centrais, devido ao porte adulto e crescimento superficial do sistema radicular, que acaba destruindo a pavimentação. No entanto ela é perfeita para parques, praças e áreas amplas, onde pode se desenvolver livremente e oferecer sombra fresca aos frequentadores.

A figueira-lira também é considerada uma árvore excelente para absorver e bloquear a poluição sonora. Assim, é interessante plantá-la na forma de renques para isolar áreas barulhentas.

Contudo, a última tendência é seu uso em interiores, sendo bem valorizada em vasos de cerâmica vietnamita, que pode adornar salas de estar, banheiros, quartos, escritórios, halls de entrada, varandas, sacadas, etc.

Neste locais seu crescimento tende a ser mais lento, e sua folhagem mais esparsa, mas muito decorativa. Para manter a árvore com porte adequado a estes ambientes, pode o topo de tempos em tempos.

Seu cultivo deve ser sob sol pleno ou meia sombra, sendo que mesmo em interiores, prefere locais bem iluminados, como próximo a janelas onde bate sol.

Ficus lyrata

O solo para o cultivo deve ter boa capacidade de retenção de umidade, enriquecido com matéria orgânica, arejado e drenável. Irrigue regularmente, sem encharcar. Evite deixá-la em ambientes com ar condicionado constante, pois o ar seco deixará suas folhas com os bordos queimados.

Plantas envasadas se beneficiam de aplicações quinzenais de adubos foliares. Costuma ser bastante resistente a pragas e doenças, mas pode ser acometida por cochonilhas.

Árvores plantadas diretamente no jardim necessitam de irrigação suplementar no primeiro ano de implantação e em períodos de estiagem. É uma planta que não resiste a geadas ou frio intenso e sua multiplicação é feita por estaquia e alporquia.

jardim florido

iris_pseudacorus

O íris-amarelo é uma planta conhecida por ser umas das raras espécies de íris com flores amarelas. É uma planta herbácea, rizomatosa, entouceirada, É originária da África, Ásia e Europa e pertence à família Iridaceae.

Ele atinge em média 1,2 m de altura, e apresenta folhas longas e planas, como espadas, de coloração verde-acinzentada. Estas folhas partem do rizoma, de medula rosada, e deixam marcas semelhantes a escamas.

As inflorescências surgem na primavera e verão, e são compostas por cerca de 2 flores, sustentadas em longas hastes cilíndricas. As flores são típicas do gênero Iris, com três sépalas caídas e três pétalas eretas.

Cada pétala e sépala são de uma coloração amarelo-ouro, com veias amarronzadas ou violáceas. Ocorrem ainda variedades de flores cor creme-pálido, de folhas variegadas de amarelo, e de porte gigante, ultrapassando 2 metros de altura.

Tall Yellow Iris  700467

No paisagismo, as íris podem ser utilizadas em maciços e bordaduras, como uma excelente opção perene e de baixa manutenção, com florescimento muito vistoso e nobre. As íris também podem ser plantadas em vasos e jardineiras.

Ele é adequado para locais permanentemente úmidos, como ambientes palustres na beira de lagos, rios e áreas baixas do terreno, onde além de embelezar, oferece abrigo à vida aquática e controla a erosão e o assoreamento.

Também pode ser plantado em solos drenáveis, mas neste caso é melhor que seja irrigado regularmente e que permaneça à meia-sombra.

Também pode ser plantado em solos drenáveis, mas neste caso é melhor que seja irrigado regularmente e que permaneça à meia-sombra.

Ainda assim, nestas condições ele crescerá e florescerá menos do que se estivesse próximo à água. Também pode ser plantado em vasos e jardineiras.

Por sua rusticidade, não exige cuidados especiais, a não ser umidade constante durante a fase inicial podendo ser plantado durante o ano todo, em terra comum, numa distância média de 15 cm entre plantas e 5 cm de profundidade.

Iris pseudacorus

Ao plantar, deve-se evitar enterrar demasiadamente os rizomas, pois ficam suscetíveis às doenças e produzem menor quantidade de flores.

Manter o solo limpo de ervas daninhas. Os rizomas vêm tratados com defensivos que os tornam resistentes à maioria das doenças de solo.

Seu cultivo deve ser sob sol pleno ou meia-sombra, num solo fértil, rico em matéria orgânica e mantido constantemente úmido.

O íris-amarelo é uma planta muito rústica, sendo capaz de tolerar solos ácidos, salinos e anóxicos, submersão completa e até mesmo curtos períodos de seca.

Em invernos rigorosos, ele pode perder as folhas, o que é normal, na primavera elas voltam a brotar com força. Prefere o clima temperado ao tropical. Sua multiplicação é feita por sementes e por divisão das touceiras e rizomas.

casinha na chuva

Cuphea gracilis

A cuféia é uma planta herbácea perene de altura até 0,30 m muito ramificada, Sua forma é arredondada e é muito apreciada por florescer o ano todo e exigir pouca manutenção. Pertence família Lythraceae e originária da América do Sul – Brasil.

Sua folhagem é delicada, porém rija e composta de ramificações com folhas bem pequenas. As flores também são pequenas, porém numerosas, e podem ser de coloração roxa ou branca.

Devido às suas qualidades e pequeno porte a cuféia é excelente em vasos e jardineiras, assim como em canteiros adubados e bordaduras.

Pode ser cultivada em todo o país, menos em regiões de inverno muito frio, pois não é tolerante a temperaturas muito baixas nem aprecia podas.

O cultivo deve ser a pleno sol ou meia sombra, num solo bem drenado, fértil e enriquecido com matéria orgânica, com regas regulares.

As flores são campanuladas de pétalas livres, bem pequenas em rosa, lilás e brancas.

Cuphea gracilis rosa

Como plantar a cuféia
O canteiro deve ser preparado com o revolvimento do solo e a adição de composto orgânico de folhas e esterco animal, bem decomposto. Se o solo original do canteiro for do tipo argiloso, pesado e com problemas de drenagem, adicionar também areia.
O espaçamento entre plantas e entre linhas deve ser de 0,20m de distância.

Para obter mudas desta planta, pode recolher as sementes e semear em caixotes ou bandejas próprias para sementeiras, com substrato feito de terra de canteiro e areia.
Mantendo o substrato levemente úmido e a bandeja na sombra. Só transplantar para sacos ou vasinhos unitários quando a muda tiver pelo menos 10 cm.

Também pode utilizar a técnica da estaquia, retirando ramos de plantas sadias e colocar em substrato com terra e areia.
Usar um saco plástico para manter a umidade para propiciar o desenvolvimento das raízes.

A melhor época é no final do inverno, para climas mais frios, nos demais em qualquer época do ano.

12-Cuphea-gracilis lilás

Uso no paisagismo
A cuféia é muito ornamental e tem inúmeros usos no paisagismo. Podemos fazer grandes maciços sob palmeiras ou árvores de sombra mais rala, pois também se desenvolve bem com sombra na parte da tarde, desde que receba muito sol até o meio dia.

Pode servir para bordadura de grandes canteiros, fazendo o acabamento de grandes maciços de arbustos verdes ou coloridos.

Seu uso em jardineiras em conjunto com outras plantas também pode ser utilizado com sucesso.

gaivotas

commelina_erecta1

A trapoeraba é planta herbácea florífera originária da América Central, América do Norte e América do Sul, mas que possui grande capacidade de adaptação e hoje em dia pode-se vê-la em climas subtropicais e temperados. Pertence `família Commelinaceae.

A planta apresenta folhas lanceoladas ou lineares, verdes, macias e de margens arroxeadas, onduladas e com cílios brancos. As hastes são eretas a ascendentes, com cerca de 40 cm de altura e facilmente enraizam quando os nós tocam o solo.

Commelina

As flores são axilares e apresentam duas pétalas azuis, grandes e vistosas e uma terceira pequena, branca e discreta. A floração ocorre na primavera e no verão.

É uma planta muito rústica, mas que não tolera períodos muito secos. Adequada para a formação de maciços e renques junto a muros, sendo excelente para cobrir o solo em torno do tronco das árvores, como forração de meia-sombra.

Pode ser plantada em vasos e jardineiras também. Seu cultivo deve ser sob sol pleno ou meia-sombra, em solo fértil, leve e enriquecido com muita matéria orgânica, mantido úmido.

Por ter grande capacidade de adaptação e multiplicação, por estaquia e por sementes, a trapoeraba pode se tornar uma planta invasiva.

entardecernolago