Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts com tag ‘curiosidades’

enraizador

Enraizador de plantas é um produto que vai estimular o crescimento das raízes nos galhinhos ou raminhas das plantas que queremos multiplicar. É  um hormônio natural  ou sintético que estimula o crescimento radicular das plantas.

Você pode se surpreender ao saber que a maioria dos cortes de plantas produzirão naturalmente seus próprios hormônios de enraizamento após um curto período de tempo. De fato, muitas plantas podem ser facilmente clonadas simplesmente colocando um raminho em alguma água limpa.

No entanto, algumas plantas são bem mais sensíveis  e não crescem bem com este método e outras plantas podem levar muito tempo para desenvolver raízes sem o uso de um hormônio enraizador.

Por via das dúvidas, caso não saiba se uma planta é mais fácil ou não de produzir por meios próprios suas raizes, o uso de um hormônio enraizador de plantas irá geralmente fornecer resultados mais consistentes do que as ramas colocados em apenas água.

Este produto  podemos encontrar em lojas especializadas de jardinagem e vem na forma de pó ou líquido. Mas também podemos fazer em casa de uma forma caseira com excelentes resultados.

hormônio-enraizador-em-pó

Como usar o enraizador de plantas
Hormônio enraizador em pó
Hormônio enraizador em forma de pó tem sido usado por vários anos por produtores comerciais e amadores (hobbies). A maior vantagem destes produtos é a sua longa vida útil.Quando mantidos secos, os hormônios enraizados em pó podem durar muitos anos.

Devido à sua estabilidade, os hormônios enraizados em pó ainda são usados por muitos produtores comerciais. O procedimento para  usar este produto em forma de pó é submergir a ponta do caule cortado uns 3 cm e em seguida, bater levemente para remover o excesso.

hormonio-liquido

Hormônio enraizador líquido
Hormônio enraizador líquido vêm em duas formas: pronto para uso e concentrado. Os hormônios de enraizamento líquidos prontos para uso são convenientes e geralmente contêm a porcentagem apropriada de hormônio sintético para o rápido desenvolvimento da raiz.

Certifique-se de sempre despejar uma pequena quantidade de líquido em um recipiente separado, em vez de mergulhar as mudas diretamente na garrafa de hormônio enraizamento líquido.Isto irá evitar de espalhar  doenças e de contaminar  todo o conteúdo da garrafa.

Hormônios enraizador concentrado necessitam ser diluídos antes do uso. Isto quer dizer que  você pode determinar a concentração de um hormônio de enraizamento sintético na solução final.

Isso pode ser vantajoso se você está multiplicando uma grande variedade de espécies de plantas.

Algumas espécies de plantas requerem concentrações mais elevadas do que outras. Por exemplo, uma planta de casca mais lenhosa pode necessitar de uma concentração duas vezes mais forte do que a necessária para as variedades de plantas de casca mais flexível.

Geralmente têm uma vida útil mais curta do que a versão em pó e podem até mesmo precisarem de ser mantidos em refrigeração.

riozinho

esporos
Já viu algum chifre-de-veado com as pontas marrons, como se estivessem enferrujadas? Antes de pegar uma tesoura para cortar as partes escuras ou, borrifar algum produto milagroso, entenda o que são essas marcas.

As pontas marrons do chifre-de-veado não é uma doença, fungo ou queimado de sol na planta. São seus esporos, ou seja, as “sementes” dessa espécie. Como são plantas muito antigas, a sua reprodução não se dá através de flores, frutos e sementes, e sim, por esporos.

Sabe aquelas bolinhas nas folhas da samambaia? Ou então, as pontinhas marrons nas bordas da delicada folhinha da avenca? São esporos também, assim como as linhas nas longas folhagens do asplênio.

Como reproduzir avencas e chifres-de-veados
As samambaias são plantas bem antigas, e estão em nosso planeta há muitos anos. São de uma época tão longínqua que, “naquele tempo”, os vegetais não se reproduziam através de flores.

Então, como fazer para reproduzir um chifre-de-veado ou uma avenca? O método mais comum é a divisão de touceira, conhecido como reprodução vegetativa. A gente vai lá e, onde tem um montão de caules, separamos um pouco, com raiz e tudo, para plantar em outro vaso.

Não é o meio mais comum na natureza, já que essas plantinhas vivem na Terra antes mesmo de jardineiros saírem por aí, separando touceiras para aumentar a coleção de samambaias.

esporos samambaia

Reprodução por esporos na natureza
A forma que essas plantas se reproduzem na natureza é através de esporos. Os esporos seriam o equivalente às sementes “modernas” das plantas, mas é uma forma bem mais antiga de reprodução. Musgos, que também são plantas “tataravós”, também usam os esporos para criar uma nova geração de sua espécie.

Depois de um certo tempo, os esporos ficam “maduros” e se desprendem das plantas, se espalhando através do vento. Em condições certas de umidade e calor, em algum tempo, surgem novas plantas.

esporos avencas

Como tirar mudas de chifre-de-veado ou de asplênios?
O jeito mais fácil e garantido é através de divisão de touceiras. Separe uma parte da planta, garantindo que tenha folhas, caules e raízes e, transplante para um novo vaso. Com o chifre-de-veado é um pouquinho diferente, já que suas raízes são aquelas largas placas que ficam bem aparentes.

Escolha uma placa com folhas, e que tenha um tamanho aproximado de um palmo ou uma laranja. Com uma faca, destaque essa placa e prenda-a em uma árvore. Preste atenção para escolher um bom lugar, sem sol forte o dia todo, já que essa família de plantas gosta de lugares úmidos.

Um bom indicador é escolher uma árvore onde já existam outras plantas em seu tronco. Se nascem líquens, musgos, tillandsias ou até mesmo orquídeas, esse é o lugar que o chifre-de-veado vai curtir e crescer feliz.

esporos asplênio

Como prender um chifre-de-veado numa árvore
Depois de escolhida a árvore, amarre com cuidado a placa do chifre-de-veado no tronco. Pode usar uma linha de algodão, uma corda fina de sisal ou até mesmo, um truque comum de orquidófilos: redinhas, daquelas que são vendidas com limões ou ainda, uma meia-calça velhinha.

Prenda a placa de uma forma que ela encoste bem no tronco, sem apertar e machucar a planta. Não precisa esfagno ou outro tipo de substrato.

Com o tempo, a planta começa a se agarrar ao tronco e logo você poderá remover as amarras, para que o chifre-de-veado cresça e se desenvolva bem.

floresta

vasi de barro

Potes de argila ajudam manter o solo úmido, mas não encharcado, eles isolam as raízes das plantas contra o superaquecimento no verão, e sua cor avermelhada quente combina com diversas cores de flores e folhagens.

A sua natureza porosa permite-lhes assegurar os benefícios do ar e da água para as plantas que estão no vaso, mas também fornece espaço para o acúmulo de cálcio, minerais e sais de fertilizantes. Quando a umidade evapora do vaso de barro, estes resíduos começam a aparecer em estria e faixas esbranquiçadas.

Alguns jardineiros apreciam e até mesmo incentivam o envelhecimento dos vasos, mas muitas pessoas não gostam de usar vasos manchados na decoração de suas casas e jardins.

Planta fica velha, assim como todos os seres vivos. Dá para perceber quando isso acontece em seres humanos e animais, o cabelo ou pelo vai ficando branco. Pois saiba o que causa esse aspecto esbranquiçado é o acúmulo de sais das adubações.

Nitrogênio, fósforo, potássio, molibdênio, magnésio e outros elementos químicos da tabela periódica que compõem os adubos e fertilizantes são aos poucos acumulados no vaso, já que nem todo componente é absorvido pela planta.

Mesmo que grande parte não aproveitada desses sais são expelidas na água das regas e chuvas, enquanto uma parcela acaba evaporando, muito ainda acaba ficando “dentro” do vaso de cerâmica. Esses sais acabam desidratando mais rapidamente a planta, exigindo mais regas e dificultando a vida da verdinha.

potes-de-barro

O que fazer quando o vaso fica branco
O ideal é trocar o vaso quando isso acontece, já que retirar o sal é um processo que envolve várias lavagens e muito tempo de molho.

Se o vaso é uma herança de família, tudo bem, mas se não é o caso, é muito mais inteligente quebrar o recipiente e usar os caquinhos como camada de drenagem em um novo vaso, de preferência, grande.

Vai economizar bastante água, tempo e manterá suas plantas mais saudáveis. Para livrar os vasos dos resíduos e limpá-los para futuros ocupantes, basta seguir as dicas de como limpar vasos de barro, em uma combinação de limpeza e imersão.

* Primeiro, use um pincel para remover o máximo de sujeira da superfície do vaso. Uma escova de lavar roupas vai funcionar bem também.

* Depois de tirar a sujeira superficial, mergulhe o vaso de barro em uma mistura de 20 a 25 por cento de vinagre (1 xícara vinagre branco em 3 ou 4 copos de água) durante 20 a 30 minutos. Durante a imersão o vaso na mistura você poderá ouvir sons crepitantes ou ver bolhas subindo. Não se preocupe, isso é o vinagre fazendo seu trabalho de dissolver os resíduos.

* Depois de deixar algum tempo de molho pegue a escova e esfregue os potes. Para resíduos realmente difíceis, como ao redor da borda do vaso, use vinagre não diluído para esfregar, assim eles se soltarão com mais facilidade.

Depois de limpos, coloque seus vasos na pia para uma lavagem rápida com água e sabão, antes de enche-los com substrato novo e plantar uma nova planta.

Vasos de barro novos também ficam esbranquiçados
Essa camada branca e salgada que cobre alguns vasos podem ocorrer até mesmo quando em recipientes mais novos, principalmente se a quantidade de adubo da planta é excessiva, ainda mais se usar fertilizantes do tipo mineral, como o NPK.

Quem mora em região litorânea também pode notar vasos com essa pátina natural com mais facilidade, já que a maresia acaba levando mais sal pelo ar.

folhas_1

cattleya labiata

É comum associarmos as orquídeas a aromas inebriantes e inconfundíveis. Frequentemente, estas plantas entram na composição de diversos perfumes famosos. A Cattleya labiata, por exemplo, é bastante conhecida pelo odor exalado por suas flores, o que torna esta orquídea única.

Há, no entanto, um seleto grupo de orquídeas cujos aromas distanciam-se daqueles clássicos perfumes florais. As flores destas curiosas espécies costumam exalar odores que nos remetem ao mundo da gastronomia. Por mais incrível que possa parecer, há orquídeas com cheiros de frutas, doces ou especiarias como veremos na seleção a seguir.

catlleya walkeriana

A famosa e cobiçada orquídea brasileira, Cattleya walkeriana, por exemplo, é conhecida pelo inconfundível perfume de suas flores, cuja característica mais marcante é sua semelhança com o aroma da canela.

Outra especiaria bastante utilizada na culinária, a baunilha, é extraída das cápsulas de sementes de uma orquídea pertencente ao gênero Vanilla.

Oncidium Twinkle

Também há uma orquídea cujas flores exalam um aroma bastante adocicado, que pode nos remeter à baunilha. Trata-se do Oncidium Twinkle, que costuma ser encontrado em diversas colorações, branca, amarela ou vinho.

Oncidium Sharry Baby

Não por acaso, esta orquídea é parente da famosa orquídea chocolate, apelido comumente dado ao Oncidium Sharry Baby. Esta é uma orquídea de longas hastes florais, com abundantes flores pequenas, em tons de vinho, que exalam um pronunciado perfume que lembra o chocolate branco.

Oncidium pumilum

Já a orquídea Oncidium pumilum, também conhecida como Lophiaris pumila, por sua vez, caracteriza-se por suas cascatas de minúsculas flores amarelas, cujo aroma característico nos remete ao mel.

Spathoglottis unguiculata

Há, ainda, aquelas orquídeas cujos perfumes estão associados aos exalados pelas frutas. É o caso da Spathoglottis unguiculata, uma orquídea terrestre, que pode ser cultivada sob sol pleno, em jardins, ao contrário de suas parentes epífitas. Esta planta costuma ser chamada de orquídea grapete, graças ao aroma de uva exalado por suas flores.

gomesa-crispa

Gomesa recurva

As orquídeas Gomesa crispa e Gomesa recurva, por sua vez, são conhecidas por suas flores com cheiros cítricos, muito parecidos com o aroma do limão.

Maxillaria tenuifolia

Nesta lista, podemos ainda incluir a Maxillaria tenuifolia, orquídea bastante apreciada pelos colecionadores graças ao odor de coco queimado de suas flores.

Por fim, vale lembrar que nem todas as orquídeas, necessariamente, apresentam perfumes agradáveis e apetitosos. A função do odor emitido pelas flores é a de atrair os agentes polinizadores, geralmente insetos ou aves, que garantem a reprodução da planta.

Neste sentido, há casos extremos em que a orquídea exala odores bastante estranhos, como o de carne em decomposição.

Neste caso, o objetivo é atrair as moscas varejeiras, que se encarregam de efetuar a polinização deste grupo particular de orquídeas.

lagoinha