Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts com tag ‘cultivo’

Begonia-6

Sempre coloridas e vistosas, as begônias compõem uma família de 1500 espécies. É uma planta perene que pode compor lindos vasos, jardineiras. A novidade é que após vários cruzamentos e melhoramentos esta maravilhosa flor poderá também invadir os jardins.

Elas são plantas muito apreciadas pela grande maioria das pessoas graças às suas bonitas e coloridas flores e ao verde das suas folhas. Cultivar e propagar begônias não é uma tarefa difícil uma vez que não são necessários grandes cuidados.
As begônias pegam bem de estaca sendo por isso muito fácil de transplantar. Outra forma de propagá-las pode ser através da divisão dos seus rizomas ou ainda pelas sementes.
Alguns cuidados para cultivar as suas begônias podem aqui ser encontrados.

Begônias são um clássico favorito dos jardineiros, por sua facilidade de cultivo e bela coloração. Considere plantar begônias se deseja ter uma nova planta dentro de casa para adicionar à coleção, para colocar em vasos suspensos ou se quiser aumentar seu jardim externo. Embora sejam plantas anuais que exigem replantio uma vez por ano, elas valem o esforço.

As begônias são fáceis de manter, produzem grandes e bonitas flores, e vêm em diversas cores e variedades, que podem decorar jardins e espaços interiores, acrescentando um toque elegante e colorido à sua casa. As begônias podem ser cultivadas a partir de sementes ou compradas já plantadas. Independente da opção que escolher, você terá lindas begônias, que serão uma parte impressionante e vibrante de sua paisagem interior ou exterior.

Escolha a cor das flores de begônia que você preferir. Se você quer plantar sementes, tenha em mente que elas levam cerca de quatro meses para chegar ao estágio de florescimento. A begônia prefere luz filtrada e, portanto, você deve escolher um local em seu jardim que tenha sombra durante a parte mais quente do dia.

Begonia grandis ssp. evansiana

Estas plantas são nativas do Brasil e preferem tempos mais quentes. No entanto, elas crescem em quase todos os climas do ano. Durante os meses mais quentes do verão, podem permanecer dormentes, da mesma forma que durante os meses mais frios.

Selecione uma variedade de begônia para plantar
Existem dois tipos gerais de begônias: aqueles cultivadas a partir de sementes e aquelas cultivadas a partir de batatas/bulbos. Begônias cultivadas a partir de sementes tendem a ser um pouco menores e seu desenvolvimento é complicado, enquanto os bulbos dão origem a plantas mais resistentes e maiores.

Ambas as variedades vêm em muitas opções de cor, incluindo tons de rosa, branco, roxo, amarelo e vermelho. Begônias de sementes e bulbos são anuais, embora os bulbos possam ser salvos e replantados em anos seguintes. Se você não estiver a fim de aborrecimentos com bulbos e sementes, visite o viveiro local e escolha uma begônia pequena envasada para transplantar.

* Raramente, é possível encontrar um tipo de begônias perenes, mas essas não são comuns;

* Você também pode escolher começar a cultivar begônias a partir de podas.

Escolha um local
Begônias são uma das flores mais comuns que podem crescer com sucesso tanto dentro quanto fora de casa. Elas gostam de muita sombra, o que faz delas uma perfeita aquisição para um jardim interno. Se plantá-las em um vaso, escolha um local em sua casa onde haja uma janela voltada para o leste, oeste ou sul.

Você também pode colocá-las em uma varanda sombreada, que receba bastante luz do dia. Se for plantar begônias no jardim, coloque-as num ponto sombreado sob outras plantas maiores ou no lado norte de seu jardim.

* Begônias suportam luz solar parcial, mas evite deixá-las receber luz do sol diretamente;
* Se você não tiver nenhum espaço interno com janela para begônias de vaso, será necessário usar uma lâmpada a fim de proporcionar-lhes um pouco de luz.

Prepare a terra
Ou melhor, não prepare terra alguma, pois as begônias podem se desenvolver melhor em um jardim sem terra do que na típica ‘sujeira’. Prepare uma mistura de ⅔ turfa e ⅓ de mistura para vasos sem terra (disponíveis em lojas especializadas em jardinagem e também em viveiros).

Begônias gostam de ambientes ácidos e bem drenados, o que a mistura com turfa provê facilmente. Se você precisar usar terra do lado de fora, adicione uma grande quantidade de turfa e matéria orgânica à terra para fornecer o melhor ambiente para suas begônias.

*Se você utilizar mistura de turfa, encharque a turfa com água fervida e deixe esfriar antes de plantar as begônias;

* Você pode usar um fertilizante líquido NPK 20-20-20 na terra ou no substrato, provendo assim mais nutrientes às begônias.

begonia-12
Saiba quando plantar
Begônias são plantas anuais, então elas não voltarão a crescer a cada ano. Portanto, a cada ano replante-as no meio da primavera. Begônias não suportam muito bem temperaturas baixas e geadas, por isso espere até uma semana, pelo menos, após a última geada do inverno para plantá-las. Seja como for, plante-as antes em um vaso dentro de casa e depois as transplante no jardim quando a temperatura subir.

Prepare seu jardim
Se você estiver plantando suas begônias ao ar livre, cave um buraco com poucos centímetros de profundidade para sementes e bulbos, ou grandes o bastante para cobrir a raiz de uma planta envasada. Begônias que serão plantadas em solo elevado ou vasos precisam de um espaço ligeiramente maior que sua raiz ou em meio a outras plantas num recipiente maior. Begônias não precisam de um espaço muito grande, na verdade, então sinta-se livre para plantá-las perto de outras plantas em seu jardim, ou perto da beirada do vaso.

Plante suas begônias
Remova bulbos e sementes ou transplante e coloque-as no buraco que você cavou. Cada begônia deve ser posta em seu próprio buraco, embora possam ser dispostas juntas. Cubra o topo da raiz, o bulbo ou sementes com um pouco de terra/substrato. Se for plantar uma begônia pequena, quebre um pouco a raiz antes de colocar a planta no buraco.

Regue a planta
A maioria das plantas precisa de água extra após ser plantada pela primeira vez, a fim de evitar o que é conhecido como ‘choque por transplante’. Regue bastante sua planta de modo que a terra fique úmida, mas não encharcada. As flores precisarão de rega a cada poucos dias desde o plantio, seja manualmente ou via um sistema de irrigação. Begônias não toleram regas intensas, então não se preocupe com manter o solo constantemente molhado. Na verdade, se chover intensamente na sua região, você pode ter que deslocar suas begônias para uma varanda ou dentro de casa, para evitar que a planta se afogue.

Conserve seu jardim
Se você plantou suas begônias em um vaso na varanda ou dentro de casa, não será preciso lidar muito com ervas daninhas. Contudo, se suas plantas estão ao ar livre, verifique se há ocorrência de ervas daninhas de vez em quando, e retire-as. Adicione fertilizante líquido NPK 20-20-20 cerca de uma vez por mês, ou misture um pouco de composto e turfa para mais nutrientes. Você pode cobrir o solo com folhas secas, se preferir, pois isso prende a umidade (o que significa regas menos frequentes) e impede que novas ervas daninhas brotem.

foto-begonia-10
Pode as begônias
Com o tempo, você perceberá que as flores das begônias começarão a apodrecer e morrer. Nesse ponto, você deve iniciar o processo de poda, o que envolve cortar e remover as flores mortas para promover o crescimento de novos botões e desviar os nutrientes para outras partes da planta.

Ao final da temporada de florescimento, remova todos os botões mortos e deixe a planta verde. Desse modo, os nutrientes que a planta obtém serão estocados no bulbo para a próxima temporada de crescimento, em vez de sustentar os botões que já estão mortos.

Proteja suas plantas contra pragas
Muito embora plantas de exterior estejam sempre correndo risco de abuso da natureza, plantas de interior também podem ser atacadas por pragas. Mantenha suas begônias a salvo de lesmas e caramujos moendo cascas de ovo e espalhando-as ao redor da base da planta.

Plantas de interior são frequentemente infestadas de cochonilhas, insetos que podem ser eliminados com spray de álcool isopropílico comum. É possível se livrar de outras pragas com inseticida leve usado para jardinagem. Converse com um funcionário do viveiro local para saber mais sobre o melhor método para proteger suas begônias.

Colha suas begônias
Elas não são tipicamente usadas em arranjos florais porque não têm hastes longas, mas você pode colhê-las paras usos decorativos como arranjos de flores prensadas. Arranque a flor de cima da folhagem, evitando tirar muitas folhas e caule. Você pode colher quantas flores quiser durante a temporada de crescimento, pois elas deverão crescer de volta após muitos dias.

Proteja as plantas do frio
Se suas plantas não estiverem mortas quando começar a esfriar, você pode salvá-las levando-as para dentro. Porém, isso só funciona mesmo com plantas externas envasadas. Coloque os vasos em uma janela que receba bastante sol. Nas primeiras duas semanas dentro de casa, as begônias deixarão cair muitas folhas, mas isso é normal devido ao transplante. Elas devem ficar bem como se fossem novas após se adaptarem ao novo ambiente.

begônia1
Salve os bulbos
Quando suas plantas estiverem todas preparadas para o inverno, você pode salvar os bulbos de suas begônias para replantar na primavera seguinte. Espere até que a planta esteja completamente seca, e então tire os caules/folhas maiores do bulbo. Coloque-os sobre uma grelha ou tela em uma área fresca e seca, para secar por 5-7 dias. Quando estiverem totalmente secos, eles podem ser armazenados.

Os bulbos devem então ser colocados em uma caixa de papelão cheia de turfa seca até estarem prontos para o replantio na primavera.
* Em primeiro lugar prepare o vaso onde vai plantar a begônia. A preparação do vaso de forma adequada vai ser decisiva no crescimento e na beleza da sua begônia.
Coloque no seu fundo a tela (esta vai permitir uma correta drenagem da água e não vai permitir que a terra assim como os nutrientes saiam do vaso juntamente com a água). Depois adicione uma camada de cascalho de mais ao menos 5 cm de altura. Em seguida coloque a terra até metade da altura do vaso;

* Agora, coloque a begônia escolhida dentro do vaso bem no seu centro.
Em seguida acrescente a terra (deixando cerca de 2 cm do vaso sem terra).
Com as mãos aperte e aconchegue a terra junto à planta, pressionando um pouco para que esta se mantenha direita durante o crescimento e as regas;

* Coloque um pouco de adubo orgânico na superfície da terra, mas distante da begônia e em seguida regue-a com um pouco de água (não exagere na quantidade de água).
Se necessário acrescente um pouco mais de terra. Coloque o vaso dentro do prato e coloque-o no local da casa escolhido para a sua planta.

Dicas
* As begônias adaptam-se muito bem a ambientes de interior não muito quente. Devem ser colocadas em espaços com bastante luz, mas não com luz direta;

* Tenha atenção à rega, esta vai depender do local onde a planta se encontra, da temperatura da casa e do material do vaso escolhido;

* No entanto regue-a com mais frequência enquanto se encontra na primeira semana após o transplante, ou seja na primeira fase de crescimento diminuindo a sua frequência à medida que o tempo passa. No inverno regue-a com menos frequência.

rosas balançando

Begônia Illumination

As begônias são plantas são plantas favoritas dos jardineiros e muito apreciadas pela grande maioria das pessoas graças às suas bonitas e coloridas flores e ao verde das suas folhas. Cultivar e propagar begônias não são uma tarefa difícil uma vez que não são necessários grandes cuidados.

Considere plantar begônias se deseja ter uma nova planta dentro de casa para adicionar à coleção, para colocar em vasos suspensos ou se quiser aumentar seu jardim externo. Embora sejam plantas anuais que exigem replantio uma vez por ano, elas valem o esforço.

As begônias são fáceis de manter, produzem grandes e bonitas flores, e vêm em diversas cores e variedades, que podem decorar jardins e espaços interiores, acrescentando um toque elegante e colorido à sua casa. As begônias podem ser cultivadas a partir de sementes ou compradas já plantadas. Independente da opção que escolher, você terá lindas begônias, que serão uma parte impressionante e vibrante de sua paisagem interior ou exterior.

Escolha a cor das flores de begônia que você preferir. Se você quer plantar sementes, tenha em mente que elas levam cerca de quatro meses para chegar ao estágio de florescimento. A begônia prefere luz filtrada e, portanto, você deve escolher um local em seu jardim que tenha sombra durante a parte mais quente do dia.

Estas plantas são nativas do Brasil e preferem tempos mais quentes. No entanto, elas crescem em quase todos os climas do ano. Durante os meses mais quentes do verão, podem permanecer dormentes, da mesma forma que durante os meses mais frios.

Selecione uma variedade de begônia para plantar
Existem dois tipos gerais de begônias: aqueles cultivadas a partir de sementes e aquelas cultivadas a partir de batatas/bulbos. Begônias cultivadas a partir de sementes tendem a ser um pouco menores e seu desenvolvimento é complicado, enquanto os bulbos dão origem a plantas mais resistentes e maiores. Ambas as variedades vêm em muitas opções de cor, incluindo tons de rosa, branco, roxo, amarelo e vermelho. Begônias de sementes e bulbos são anuais, embora os bulbos possam ser salvos e replantados em anos seguintes.

Se você não estiver a fim de aborrecimentos com bulbos e sementes, visite o viveiro local e escolha uma begônia pequena envasada para transplantar.
* Raramente, é possível encontrar um tipo de begônias perenes, mas essas não são comuns;
* Você também pode escolher começar a cultivar begônias a partir de podas.

Escolha um local
Begônias são uma das flores mais comuns que podem crescer com sucesso tanto dentro quanto fora de casa. Elas gostam de muita sombra, o que faz delas uma perfeita aquisição para um jardim interno. Se plantá-las em um vaso, escolha um local em sua casa onde haja uma janela voltada para o leste, oeste ou sul. Você também pode colocá-las em uma varanda sombreada, que receba bastante luz do dia.

Se vai plantar begônias no jardim, coloque-as num ponto sombreado sob outras plantas maiores ou no lado norte de seu jardim.
* Begônias suportam luz solar parcial, mas evite deixá-las receber luz do sol diretamente;
* Se você não tiver nenhum espaço interno com janela para begônias de vaso, será necessário usar uma lâmpada a fim de proporcionar-lhes um pouco de luz.

Prepare a terra
Em primeiro lugar prepare o vaso onde vai plantar a begônia. A preparação do vaso de forma adequada vai ser decisiva no crescimento e na beleza da sua planta.

Coloque no seu fundo manta bidim (esta vai permitir uma correta drenagem da água e não vai permitir que a terra assim como os nutrientes saiam do vaso juntamente com a água).

Depois adicione uma camada de cascalho de mais ao menos 5 cm de altura.
Em seguida coloque a terra até metade da altura do vaso.

Agora, coloque a begônia escolhida dentro do vaso bem no seu centro. Em seguida acrescente a terra (deixando cerca de 2 cm do vaso sem terra).
Com as mãos aperte e aconchegue a terra junto da begônia pressionando um pouco para que esta se mantenha direita durante o crescimento e as regas

Coloque um pouco de adubo orgânico ou NPK 20-20-29 na superfície da terra (provendo assim mais nutrientes às begônias), mas distante da raiz da planta, em seguida regue-a com um pouco de água (sem muito exagero). Se necessário acrescente um pouco mais de terra.
Coloque o vaso no local da casa escolhido para a sua planta.

Saiba quando plantar.
Begônias são plantas anuais, então elas não voltarão a crescer a cada ano. Portanto, a cada ano replante-as no meio da primavera. Begônias não suportam muito bem temperaturas baixas e geadas, por isso espere até uma semana, pelo menos, após a última geada do inverno para plantá-las. Seja como for, plante-as antes em um vaso dentro de casa e depois transplante-as no jardim quando a temperatura subir.

Prepare seu jardim
Se você estiver plantando suas begônias ao ar livre, cave um buraco com poucos centímetros de profundidade para sementes e bulbos, ou grandes o bastante para cobrir a raiz de uma planta envasada. Begônias que serão plantadas em solo elevado ou vasos precisam de um espaço ligeiramente maior que sua raiz ou em meio a outras plantas num recipiente maior.

As begônias não precisam de um espaço muito grande, na verdade, então sinta-se livre para plantá-las perto de outras plantas em seu jardim, ou perto da beirada do vaso.

Plante suas begônias
Remova bulbos e sementes ou transplante e coloque-as no buraco que você cavou. Cada begônia deve ser posta em seu próprio buraco, embora possam ser dispostas juntas. Cubra o topo da raiz, o bulbo ou sementes com um pouco de terra/substrato. Se for plantar uma begônia pequena, quebre um pouco a raiz antes de colocar a planta no buraco.

Regue a planta
A maioria das plantas precisa de água extra após ser plantada pela primeira vez, a fim de evitar o que é conhecido como ‘choque por transplante’. Regue bastante sua planta de modo que a terra fique úmida mas não encharcada. As flores precisarão de rega a cada poucos dias desde o plantio, seja manualmente ou via um sistema de irrigação. Begônias não toleram regas intensas, então não se preocupe com manter o solo constantemente molhado. Na verdade, se chover intensamente na sua região, você pode ter que deslocar suas begônias para uma varanda ou dentro de casa, para evitar que a planta se afogue.

Conserve seu jardim
Se você plantou suas begônias em um vaso na varanda ou dentro de casa, não será preciso lidar muito com ervas daninhas. Contudo, se suas plantas estão ao ar livre, verifique se há ocorrência de ervas daninhas de vez em quando, e retire-as. Adicione fertilizante líquido de 20-20-20 cerca de uma vez por mês, ou misture um pouco de composto e turfa para mais nutrientes. Você pode cobrir o solo com folhas secas, se preferir, pois isso prende a umidade (o que significa regas menos frequentes) e impede que novas ervas daninhas brotem.

Pode as begônias
Com o tempo, você perceberá que as flores da begônias começarão a apodrecer e morrer. Nesse ponto, você deve iniciar o processo de poda, o que envolve cortar e remover as flores mortas para promover o crescimento de novos botões e desviar os nutrientes para outras partes da planta. Ao final da temporada de florescimento, remova todos os botões mortos e deixe a planta verde. Desse modo, os nutrientes que a planta obtém serão estocados no bulbo para a próxima temporada de crescimento, em vez de sustentar os botões que já estão mortos.

Proteja suas plantas contra pragas
Muito embora plantas de exterior estão sempre correndo risco de abuso da natureza, plantas de interior também podem ser atacadas por pestes. Mantenha suas begônias a salvo de lesmas e caramujos moendo cascas de ovo e espalhando-as ao redor da base da planta. Plantas de interior são frequentemente infestadas de cochonilhas, insetos que podem ser eliminados com spray de álcool isopropílico comum. É possível se livrar de outras pragas com inseticida leve usado para jardinagem. Converse com um funcionário do viveiro local para saber mais sobre o melhor método para proteger suas begônias.

Colha suas begônias
Elas não são tipicamente usadas em arranjos florais porque não têm hastes longas, mas você pode colhê-las paras usos decorativos como arranjos de flores prensadas. Arranque a flor de cima da folhagem, evitando tirar muitas folhas e caule. Você pode colher quantas flores quiser durante a temporada de crescimento, pois elas deverão crescer de volta após muitos dias.

Proteja as plantas do frio
Se suas plantas não estiverem mortas quando começar a esfriar, você pode salvá-las levando-as para dentro. Porém, isso só funciona mesmo com plantas externas envasadas. Coloque os vasos em uma janela que receba bastante sol. Nas primeiras 2 semanas dentro de casa, as begônias deixarão cair muitas folhas, mas isso é normal devido ao transplante. Elas devem ficar bem como se fosse novas após se adaptarem ao novo ambiente.

Salve os bulbos
Quando suas plantas estiverem todas preparadas para o inverno, você pode salvar os bulbos de suas begônias para replantar na primavera seguinte. Espere até que a planta esteja completamente seca, e então tire os caules/folhas maiores do bulbo. Coloque-os sobre uma grelha ou tela em uma área fresca e seca, para secar por 5-7 dias. Quando estiverem totalmente secos, eles podem ser armazenados. Os bulbos devem então ser colocados em uma caixa de papelão cheia de turfa seca até estarem prontos para o replantio na primavera.

Dicas e avisos
* As begônias adaptam-se muito bem a ambientes de interior não muito quentes. Devem ser colocadas em espaços com bastante luz, mas não com luz direta;

* Tenha atenção à rega, esta vai depender do local onde a planta se encontra, da temperatura da casa e do material do vaso escolhido.
No entanto regue-a com mais frequência enquanto se encontra na primeira semana após o transplante, ou seja, na primeira fase de crescimento diminuindo a sua frequência à medida que o tempo passa. No inverno regue-a com menos frequência

* Adube a begônia de duas em duas semanas.

Janela-menina

10669064_780536972025025_6903632683371687218_o

Pertencente à família Moraceae e originária de florestas subtropicais úmidas do sudeste da Ásia, a figueira-de-jardim é uma árvore muito decorativa, de folhagem perene a semi-decídua.

De copa densa, arredondada e larga, ela apresenta tronco curto e porte pequeno, sendo que dificilmente ultrapassa 8 m de altura. Apresenta folhas alternas, grandes, de formato ovalado a orbicular e textura fina, com pecíolos longos e nervuras bem marcadas. Suas folhas são vermelhas quando jovens e gradualmente tornam-se verdes.

Os frutos pedunculados são como os figos comuns, que surgem de inflorescências do tipo sincônio, só que nesta espécie são maiores e mais duros. Eles despontam o ano todo nos principais ramos e no tronco, desde a base.

A polpa interna dos frutos é gelatinosa e comestível, muito apreciada pelos povos da Ásia. Pode ser consumida crua ou cozida, em diversos pratos doces e salgados.

Em alguns países ela é também cultivada como forrageira, para aproveitamento das folhas e frutos pelos animais de criação.

10947224_780536975358358_2159479001604581235_n

De crescimento vigoroso, esta figueira é muito exuberante e ornamental, seja pela folhagem larga e tropical, seja pelos frutos curiosos. Ela ganha destaque especial quando planta isolada em gramados bem cuidados.

Envasada, a figueira-de-jardim jovem também pode ser utilizada na decoração de interiores, em ambientes amplos e muito bem iluminados, que recebem a luz difusa ou direta do sol.

Deve ser cultivada sob sol pleno ou meia-sombra, em solos férteis, profundos e enriquecidos com matéria orgânica. Aprecia regas regulares.

10959254_780536942025028_326886926442004149_o

Adapta-se a uma ampla faixa climática, tornando-se caducifolia em climas temperados e de folhagem perene em climas tropicais. É bastante rústica, exigindo pouca manutenção, apenas podas de formação, caso sejam necessárias, e recolhimento dos frutos caídos.

Sua multiplicação é feita por sementes, estaquia e alporquia.

janel15

Jabuticabeira
Árvore frutífera brasileira da família das Mirtáceas, nativa da Mata Atlântica. Cultivada em todo o Brasil, a jabuticabeira é uma planta de origem subtropical que se adapta bem a regiões tropicais, além de tolerar geadas.

De casca brilhante, fina e coloração que vai do roxo claro ao escuro – quase preto – os frutos da jabuticabeira são bem mais saborosos do que podem aparentar. As frutinhas de 1 a 3 cm de diâmetro têm polpa branca e suculenta; são consumidas geralmente in natura, mas com elas também são preparados sucos, licores, aguardentes e doces.

Por causa do crescimento lento, a primeira frutificação da planta pode levar alguns anos, mas a espera compensa. A beleza dos frutos, ramos e folhas, e a luminosidade interna na copa fazem da jabuticabeira uma árvore bastante ornamental, além de pouco exigente no cultivo.

O diferencial da frutífera é a beleza de suas flores e frutinhas, que se formam nos troncos; fator característico das espécies caulifloras.

jabuticabeira
No jardim
A jabuticabeira pode ser cultivada em jardins, quintais, pomares comerciais e como planta ornamental, em vasos.

Como as mudas produzidas por meio de sementes normalmente frutificam somente após o décimo ano. É indicado o uso de plantas enxertadas, compradas em viveiros de boa procedência.

Normalmente os paisagistas recomendam plantar junto à jabuticabeira, outras frutíferas, árvores floríferas e áreas gramadas. Além disso, como as árvores costumam chegar a dez metros de altura, é preciso um planejamento de espaço.

Mantenha uma distância de seis metros entre as espécies. Escolha um local ensolarado para o cultivo e faça a(s) cova(s) com as medidas 60 x 60 x 60 cm. Se a planta estiver em local sombreado, ocorre secamento de ramos e redução na produção.

JAbuticabeira em vaso
No vaso
A planta se desenvolve bem em vasos, sendo uma ótima opção para pequenos espaços como varandas. Por se tratar de condições adaptadas de solo, o cultivo isolado requer cuidados principalmente de irrigação e adubação.

Escolha um recipiente com no mínimo 50 cm de boca e 50 cm de altura. Embora não tenha raízes profundas, o ideal é que estejam acomodadas em suportes grandes com um bom volume de terra para se desenvolverem mais adequadamente.

Para que não haja acúmulo de água e consequente apodrecimento das raízes, aconselha-se que o fundo do vaso tenha um furo de mais ou menos 2 cm de diâmetro.

Depois, coloque uma camada de 5 cm de argila expandida ou pedra britada, sem tampar o orifício.

Por fim, cubra com um pedaço de manta acrílica, seguida por uma camada de cinco centímetros de areia grossa. Sobre essa base, é só completar o vaso com a terra preparada e plantar a muda.

É indicado para o cultivo em vasos, as plantas chamadas de jabuticabeira híbrida: elas já produzem frutos graúdos e doces a partir do quarto ano, além de apresentar várias floradas a cada doze meses.

Preparo do solo
Para o preparo do solo pré-plantio em casa, misture:
- 60 litros de terra (se for muito argilosa, coloque 40 litros de terra e 20 litros de areia grossa);
- 40 litros de esterco curtido ou composto orgânico;
- 200 gramas do adubo químico superfosfato simples;
- 200 gramas de calcário;

Siga a proporção de três partes de terra para duas partes de esterco ou composto orgânico. Em caso de plantio direto no solo, misture à terra que retirar para a cova as mesmas quantidades de esterco, adubo químico e calcário.

flores ao vento gif

varandas

Para quem mora em apartamento, a varanda representa a possibilidade de ter um pouco de verde ao redor. É fundamental reservar um local para a natureza. Não importa o tamanho do jardim, mas sim a qualidade de vida que ele nos oferece.

Espaço restrito, muito vento, pouco sol, enfim, quem mora em apartamentos sabe o quanto difícil manter plantas bonitas e floridas na varanda. Sabendo cultivar as espécies adequadas, dá para levar a primavera para o apartamento e aproveitar a mais bela estação do ano.

As flores são capazes de enfeitar os ambientes residenciais, deixando-os mais alegres e frescos. A varanda se destaca como um dos espaços mais beneficiados com o cultivo, afinal, ela se torna mais acolhedora e leva para dentro da casa um pouco do encanto da natureza.

Mas lembrem-se que antes de planejar o seu jardim na varanda é preciso redobrar a atenção no momento da escolha das espécies. As mais recomendadas são as de sombra e meia-sombra, que podem ser usadas em jardineiras de alvenaria ou em vasos.

A incidência do sol, a ação dos ventos e o espaço disponível também são determinantes para a definição do projeto. Em andares altos, por exemplo, o sol é presença garantida. Para aproveitá-lo, aposte no colorido de árvores frutíferas como os pés de jabuticaba, romã e pitanga. Os apaixonados por ervas e temperos também podem reservar um local para uma pequena horta.

Apesar de todas as vantagens de decorar com flores, acaba sendo complicado definir quais as espécies mais indicadas, sobretudo para a varanda de um apartamento. O espaço é limitado, as condições de sobrevivência nem sempre favoráveis e as necessidades de cada planta cultivada precisam ser respeitadas para que elas possam florir.

Uma das maiores dificuldades encontradas pelos moradores está em lidar com a manutenção. Algumas espécies são mais sensíveis do que outras e, em consequência, exigem mais cuidados com relação a regas, adubo e iluminação. Como a varanda nem sempre consegue simular o habitat natural de cada planta, é recomendado optar por espécies mais resistentes.

flores

Como escolher flores para a varanda?
Em primeiro lugar, determine quais as espécies de flores que vão se adaptar ao lugar com mais facilidade. Para obter esta informação, procure levar em conta as características da varanda, ou seja, sua exposição a fatores climáticos como sol, vento e chuva.

Um aspecto que influência na escolha das melhores espécies para a varanda é a estação, afinal, algumas plantas não ficam floridas durante o ano todo. Cada período do ano, sendo ele Verão, Primavera, Outono ou Inverno, tem as suas flores sazonais.

Aqui vão algumas dicas que vão “mudar a cara” da varanda do apartamento, levando toda a alegria e energia das flores.

Numa varanda que recebe sol à tarde e muito vento
- Amor-agarradinho (Antigonon leptopus)- plante numa jardineira encostada na parede e instale uma treliça para servir de suporte, pois a planta é uma trepadeira.
- Ipoméia rubra (Ipomoea) – instale uma treliça para apoio, pois também é uma trepadeira.
- Ixora (Ixora coccinea) – além de muito ornamental, esta espécie.

Varanda onde há janelas e recebe o sol da tarde
-
Mini-ixora (Ixora chinensis ‘Nana’) – plante em vasos e instale onde receba o sol da tarde.
- Ripsális (Rhipsalis cassutha) – plante em vasos suspensos.
- Columéia (Columnea gloriosa) – plante em vasos suspensos.
- Flor-de-maio (Schumbergera truncata) – plante em vasos suspensos.
- Lírio-da-paz (Spathiphyllum wallisii) – plante em vasos.
- Orquídeas – em vasos, podem ficar no chão.
- Amarílis (Hippeastrum hybridum) – em vasos, podem ficar no chão.

Dica
Use vasos ou placas de fibra de coco para as plantas pendentes. O efeito é bem natural e fica muito charmoso.

Varanda que recebe sol só pela manhã
-
Nandina (Nandina domestica) – plante em jardineira e instale junto à parede.
- Petúnia (Petunia sp) – plante em vasos suspensos e coloque onde não receba vento.
- Gerânio pendente (Pelargoniumpeltatum) – plante em vasos suspensos.

Varanda com muito vento
-
Ligustro (Ligustrum sinense) – vai bem até à meia-sombra e recebe bem as podas de formação.
- Eugênia (Eugenia myriophylla) - a folhagem é mais vistosa que as flores e recebe bem podas de formação.

Varanda que não recebe sol, mas com boa luminosidade
- Flor-de-maio (Schumbergera truncata) – plante em vasos suspensos.
- Peperômia (Peperomia obtusifolia) – plante em vasos suspensos.
- Asplênio (Asplenium) – plante em vasos.

janel8

Calathea tigrina

Planta da família Marantaceae, originária da América do Sul – Brasil. É também conhecida popularmente como Maranta- zebra e Planta-zebra.

Trata-se de uma planta herbácea que forma rizomas, folhas ovais, coriáceas, com parte inferior arroxeadas e parte superior verde claro com desenhos marrom-esverdeados, com porte de 0,80 a 1,20 m de altura. Flores pequenas, brancas, em forma de espiga, sem muito destaque. Floresce no verão. A espécie sensível a temperaturas baixas.

Em projetos de paisagismo a planta é excelente para áreas sombreadas, em:
* Bordas de edificações, na forma de bordadura;
*
Sob arvores, na forma de forração;
*
Em gramados, também na forma de maciços.

A Maranta-tigrina é uma planta ideal para ser cultivada em jardins no estilo tropical e estilo contemporâneo, em jardins e praças urbanas por ser uma planta de fácil manutenção e crescimento moderado.

Por se tratar de planta muito ornamental que apresenta coloração exuberante e diferenciada, pode ser cultivada em interiores utilizando vasos e jardineiras de tamanhos médio á grande em local que receba boa quantidade de luz indireta, pois é uma espécie sensível à luz direta, geadas e à falta de umidade.

Dicas para o cultivo saudável da planta zebra:
* Regue a planta regularmente, não permitindo o encharcamento do solo;
* Cultive sob meia sombra ou sombra;
* Cultive-a em solo fértil, bem drenado e ricos em matéria orgânica;
* Realize mudas através da separação de brotos que nascem entorno da planta mãe;
* Realize limpeza da planta retirando folhas velhas no inicio do outono;
* Adube anualmente com adubos orgânicos (tipo húmus de minhoca, etc). Usando NPK, prefira o 10-10-10, a cada 3 meses;
* Dê espaçamento para o plantio de 30 cm entre as mudas;
* Utilize um substrato com bom teor de matéria orgânica;

A planta não apresenta grandes problemas. Evitar excesso de umidade no solo, pois fungos podem se instalar e gerar podridão.

Outras considerações:
- Tem natureza invasiva, grande vigor para se expandir.
- Por possuir esta característica de crescimento horizontal, ao ser usada em fontes, precisa receber podas ocasionais para que as folhas não encostem na água. Ou pode-se usar suportes para conduzi-la.

Seguindo estas dicas e cuidados a planta se manterá com boa aparência e livre de doenças e pragas, trazendo vida e colorido para o ambiente.

rosa vermelha

(Calathea ornata sanderiana

Planta da família Marantaceae, nativa das Guianas, Colômbia, Equador, Venezuela e Brasil.

Trata-se de uma planta herbácea com folhas grandes (ovais ou lanceoladas) de verde bem escuro e linhas longitudinais róseas em ambos os lados da nervura central.

É uma planta formada por rizomas, robusta, perene, que alcança de 30 a 90 cm de altura, com folhagem ornamental.

Suas folhas possuem linhas paralelas rosa-avermelhadas, aos pares, as quais desaparecem na fase adulta. Na face de baixo as folhas são roxas. É a espécie de calathea de maior porte em cultivo.

Estas folhas emergem diretamente do solo, tem textura coriácea e na parte inferior são roxas. Eventualmente (com temperatura e umidade altas) a planta lança inflorescências espigadas com flores de cor branca ou violeta.

As florações só se formam em locais com temperaturas e umidade altas, mas não possuem qualquer importância ornamental. É muito sensível a geadas, não sendo recomendável o cultivo em locais mais frios.

As raízes são rizomas fortes que em ambiente natural formam touceiras com folhas de até 2 m.

Como cuidar
A maranta-riscada é bem adaptada para vasos em interiores,  principalmente na fase juvenil, para bordaduras ou conjuntos, em canteiros, a meia-sombra, mantidos sempre úmidos. Vale lembrar que as folhas somente apresentam riscos quando ainda são novas, por isso, recomenda-se o replantio após esse período.

Considerando que são provenientes das florestas tropicais, não devem ser expostas ao sol, sendo muito sensíveis à geada. Assim, externamente, devem ser plantadas em canteiros sombreados, com boa umidade.

A planta gosta de solos orgânicos com boa drenagem. É conveniente manter o solo úmido, porém sem encharcar. Excesso de umidade pode causar podridão das raízes. Pode-se fazer pulverizações regulares nas folhas para manter os níveis de umidade. Baixa umidade faz com que as pontas das folhas fiquem marrons. A ideal é por volta de 22º C.

A adubação deve ser com NPK a cada 20 dias aproximadamente, mas em pequenas quantidades. Ou com adubos orgânicos à base de turfa, húmus de minhoca, mamona e farinha de ossos, a cada 3 meses.

Multiplica-se por divisão de touceiras. Como a cada 2 anos será preciso trocá-las de pote, aproveita-se para dividi-las.

Dificilmente ocorrem doenças a não ser por fungos quando há excesso de umidade. A aranha vermelha (Tetranychus urticae) ocasionalmente pode causar algum dano, como manchas pretas na superfície das folhas.

Outras considerações
– A Calathea-ornata possui um movimento interessante em suas folhas, ficando mais horizontais ou mais verticais para melhor aproveitar a luminosidade.

– É planta ideal para remover toxinas do meio ambiente, cumprindo assim uma função tanto de limpeza do ar como de decoração.

chafaris

Aurinia saxatilis

Trata-se de uma planta cujas flores parecem douradas, e isso as fazem muito atrativas. Estas flores começam a aparecer na Primavera, e a cor, tal como o nome indica, é amarelo ou dourado.

Seu porte é rasteiro, não ultrapassando os 30 cm, e é  bastante indicada  para a composição de maciços e bordaduras, mas também fica muito bonita quando plantada em vasos, pois o seu estilo pendente fica em evidência e desta forma esta planta é bem usada na decoração de varandas e sacadas.

Seja qual for a espécie, a cor dourada é predominante. Pela sua cor, esta planta é muito apreciada por quem tem um jardim.

Apesar de tudo, a cor não atrai só as pessoas como também abelhas. É preciso ter algum cuidado com o calor intenso ou mesmo a chuva em abundância.

O cesto-de-ouro é uma planta também conhecida como por Colchão-dourado, Tufo-dourado e Álisso-amarelo. É originária da Europa e da Ásia.

É uma florífera de ciclo de vida perene, suas folhas são verde-acinzentadas e dispostas em roseta. As suas inflorescências são ramificadas e formadas por numerosas flores amarelo-douradas na espécie mais típica.

Podemos encontrar variações com as flores amarelo-limão (“citrina”), flores dobradas (“flore-pleno”) e flores abricó (“sunnyborder abricot”).

É ótima para ser usada em jardins rochosos, plantada nos vãos de escadas e em muretas baixas. As flores atraem abelhas e borboletas, tanto pelo seu perfume quanto pela sua cor.

Deve ser cultivada em sol pleno, pois gosta de extrema luminosidade. O solo deve ser arenoso, fértil, bem drenável, adubado com matéria orgânica e regado periodicamente.

Gosta muito do frio e aprecia climas subtropicais e mediterrâneos. Tolera bem período de estiagem, se não forem muito longos.

O cesto-de-ouro é uma planta que não suporta o calor excessivo e muita umidade, por isso cuidado para não encharcar a terra quando for regá-la. Após a época da floração, deve-se fazer uma poda para que ela floresça novamente. Pode ser multiplicada através de sementes ou por divisão da ramagem enraizada.

Muitas vezes ao redor de uma planta surgem novas mudas, semeadas naturalmente. É uma planta que fica bem em vasos dentro de casa, só tome cuidado para que não entrem insetos atraídos por ela. Ela precisa ser poupada do calor intenso e da chuva em excesso.

O cesto-de-ouro é ornamental e muito usado em projetos de paisagismo. Ela é uma das espécies mais práticas, pois como não é muito grande e nem se expande muito, pode ser aproveitada de várias formas e em diversos lugares.

janela-chuva

Moluccella laevis

Os sinos-irlandeses são plantas que apesar do nome são originárias da Ásia (mais especificamente da Síria, Cáucaso e Turquia), e não da Irlanda. Também são chamados de Molucela, Morucela e Sino-da-irlanda e seu nome científico é.

A planta é um um cruzamento de duas plantas bem conhecidas: da hortelã com a lavanda.

Suas folhas são simples, arredondadas, com longos pecíolos, margens serrilhadas e nervuras salientes. As suas flores brancas são discretas e perfumadas e são protegidas pelos cálices em formato de sino, de cor verde esmeralda.

O sino-irlandês é muito utilizado para a formação de maciços e bordaduras, pois ele dá um belo efeito verde monocromático.

Muitas vezes a sua pequena flor pode se confundir com a cor verde do arranjo, e como a flor se encontra dentro dos seus cálices em formato de sino, podem passar despercebidas.

São plantas que florescem apenas uma vez ao ano e suas flores possuem o formato de um sino. Os sinos-irlandeses brotam com facilidade e demoram de 10 a 30 dias para germinar.

Moluccella laevis1

É importante cobrir as sementes de água por algumas horas antes de plantá-las. Semeie no final do inverno e cubra as sementes com uma fina camada de terra, pois elas necessitam de luz para germinar.

As suas sementes pretas e triangulares. São plantas que gostam de temperaturas amenas e clima tropical e subtropical e dificilmente são encontradas ou até conseguem sobreviver quando plantadas em climas diferentes dos citados anteriormente.

Gosta de luminosidade e bastante luz, mas não tolera calor excessivo e por isso a região Nordeste do Brasil é um local em que você não vai ver esta planta, a menos que seja em ambientes refrigerados artificialmente.

Para que fique sempre saudável e bonito, plante o sino-irlandês em um solo que tenha boa drenagem e seja fértil. Adubações periódicas ajudam no processo de floração.

Como Cuidar
Procure regar sempre o seu sino-irlandês, mas não faça isso demais, pois ele não gosta de muita umidade.

Pode ser plantada em vasos de interiores e de exteriores, mas é bom lembrar que esses vasos devem ter furinhos para que a água em excesso possa escorrer.

É uma planta que aprecia a boa ventilação do local para se manter bem.

Essa planta possui um ciclo de vida anual e pode alcançar 30 cm as suas inflorescências. Ele é ótimo para combinar com flores de outras cores, em especial as roxas, combinando bastante.

Ao final do ciclo, ele vai adquirindo uma tonalidade branca, até ficar completamente seco.

aves26

Ajuga reptans-0

A ajuga é uma planta perene da família Lamiacea, a mesma de muitas ervas culinárias como alecrim, menta e o orégano.

É bastante utilizada como erva medicinal e é conhecida sua capacidade de ajudar a estancar sangramentos.

Em nosso país (Brasil) é utilizada como planta ornamental pela beleza de sua folhagem bem escura que se alastra bastante horizontalmente formando um carpete. Cresce em quase todo tipo de solo, mas prefere locais úmidos com boa drenagem e na meia sombra ou sombra total.

Apesar das flores roxas da Ajuga serem de pouca importância ornamental, pode ser muito decorativas na primavera, porém para a floração ser plena é preciso um período de vernalização (pelo menos 5 semanas de temperaturas baixas, em torno de 5°C).

Como no Brasil são pouquíssimos lugares capazes de fornecer essas condições, por aqui as flores aparecem esparsas e sem causar grande efeito. Ocorrem ainda variedades com flores róseas, avermelhadas e brancas.

Ajuga_reptans1

Deve ser cultivada sob meia-sombra ou sombra, em solo fértil, drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente.

Sob sol pleno, fica com as folhas pequenas e muitas vezes queimadas, mas floresce com mais abundância.

Pode se tornar invasiva em algumas situações. O ideal é que seja plantada em canteiros com delimitadores subterrâneos.

Sua multiplicação pode ser feita por  sementes, estacas e mais facilmente por divisão das mudinhas que se formam entorno da planta mãe.

floresbrancas