Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts com tag ‘cultivo’

Clematis-x-hybrida

Mesmo sendo um gênero das trepadeiras, o que muitos entendem por conter apenas folhas verdes, a Clematis x hybrida tem uma textura semi-lenhosa. Esta espécie também abrange o grupo das herbáceas em que a folhagem pode ser vede ou decídua. Essas plantas são originárias do hemisfério norte, aonde muitas herbáceas tem surgido também. Mesmo vindas do norte do globo, elas estão habituadas a climas bem temperados e podem se adaptar facilmente a esses locais.

A Clematis possui diversas espécies diferentes, originando uma caracterização bem peculiar entre as diferentes plantas trepadeiras. Ocorrem cerca de 290 espécies diferentes para este mesmo gênero, o que dificulta e muito o trabalho dos pesquisadores para que cada uma delas seja identificada e tenha as suas principais características estudadas.

De todas as variedades descobertas, muito já se foi estudado, inclusive o cruzamento que pode gerar mais hibridizações e caráteres genéticos totalmente diferentes. Nessas pesquisas, quase 500 espécies puderam ser geradas através de um melhoramento genético.

Clematis

Flores
As flores da espécie Clematis são isoladas, mas servem para determinar belas paisagens em diversos jardins e quintais. Quando as flores não nascem de forma separadas, elas começam a crescer em grupos, que podem variar muito em formatos e tamanhos. Dependendo da variedade, elas podem ser bastante diversas, sendo facilmente identificadas de espécie para espécie.

A floração pode ocorrer de forma simples ou dobrada. Além disso, podem crescer de maneira simples ou plana ou podem ser campanuladas, se desenvolvendo com as pétalas estreitas e bastante largas em relação a outras espécies.

As cores das flores podem ser das mais diversas. Na maioria das vezes elas crescem em dégradé, possuindo longos estames e com um tufo bem no centro de todas as flores.

No meses quentes como o verão, é que a floração da “clematis” começa a surgir. É nesta época que os jardineiros de plantão devem procurar as sementes dessa trepadeira para começar a planta-las. As flores nascem de forma rápida quando cultivadas nas épocas de muito calor.

Clematis-x-hybrida-1

Cultivo
O cultivo dessas trepadeiras é de longe o mais simples entre os jardins. Estas espécies precisam de suportes para se desenvolver corretamente. Dessa maneira, usando treliças ou árvores e até mesmo outros apoios são possíveis cultivar a clematis de forma eficaz.

Outro fator essencial para o crescimento desta espécie é a adubação. De longe, a adubação da clematis tem que ser complexa, já que pode ser feita anualmente. Dessa forma, o cultivo fica muito mais simples. As podas frequentes também ajudam no rápido desenvolvimento da trepadeira, já que contribuem para o adensamento da mesma.

Projetos paisagísticos
Não é a toa que os especialista em jardins, sempre indicam a clematis como uma opção de projeto paisagístico. As flores espetaculares e as sua folhagens super atraentes, garante um aspecto bem diferente a qualquer quintal ou jardim. Além disso, podem atrair insetos que ajudam a enaltecer o ambiente, seja ele qual for. Assim, borboletas estarão sempre rodeando o seu jardim em busca do perfume atraente da sua clematis.

Não são só as suas características externas que proporcionam tamanho utilidade em projetos paisagísticos. Depois que a trepadeira já estiver bem estabelecida, o que leva mais ou menos um ano para acontecer, ela se torna bem mais resistente a cada dia, evitando que pragas e insetos indesejáveis entrem pela sua estrutura adentro. Por este motivo, as clematis são consideradas de baixo custo. Não é necessário uma grande manutenção para que ela fique sempre saudável e bonita no sue jardim.

Clematis-hybrida-4224e

Plantio
A trepadeira do gênero clematis deve ser plantada em um local onde o sol bata quase que o dia todo, deixando-o pleno sobre as suas folhagens e flores. No que diz respeito ao solo, ele deverá ser bastante fértil e bem drenável. Não esqueça de enriquecer bem as suas terras com muita matéria orgânica antes mesmo de colocar a sementinha da sua trepadeira no local ensolarado. Lembre-se também que o solo deverá ser irrigado sempre que for possível. O ideal é que este processo seja feito de forma regular.

O solo deverá ser fértil e rico em matéria orgânica e enriquecido com farinha de osso, bem drenado, com regas regulares. A falta de água, assim como o encharcamento, prejudicam seu desenvolvimento.

Embora não seja obrigatório, seria altamente recomendado fazer adubações anuais com esterco de gado bem curtido e farinha de osso ou adubo químico, 04-14-08.

A clematis é considerada uma planta muito delicada e também exigente. Por isso, ela não tolera variações de clima muito bruscas e muito menos as grandes secas que ocorrem em determinados estados do Brasil. Neste caso, evite também as terríveis geadas e o encharcamento do solo ao ser irrigado. Quando fortes chuvas caírem sob a planta, não faça rega por um bom tempo.

Mesmo não suportando as grandes geadas, a clematis aprecia o frio e detesta o calor excessivo. Por isso, ela é muito cultivada em locais de clima temperado, que sempre variam a temperatura do jeitinho que a trepadeira gosta: com sol, mas sem muito calor e um certo friozinho na parte da tarde. Além de adorar o clima temperado, ela também pode se desenvolver bem em locais de clima subtropical ou tropical de altitude.

Clematis-x-Hybrida

Multiplicação
Um fator importante da clematis é a sua multiplicação. Esta espécie de trepadeira pode se multiplicar de diversas maneiras. A primeira delas é por estaquia. Este método consiste na reprodução assexuada das plantas por inúmeras estacas presas ao caule, raízes e folhas. Quando colocadas em meio úmido, elas começam a desenvolver as espécies novas.

As outras formas de propagação da espécie são a mergulhia e alporquia. A primeiro é uma forma de reprodução um pouco complexa em que se dobra o ramo da planta-mãe, enterrando-o posteriormente ao solo. Já o segundo modo é a formação de raízes através da reprodução assexuada.

´pássaro sobre lago

Catasetum_barbatum_009

Este gênero de orquídea conta com cerca de 80 espécies, mais uma vez distribuídas pela América Central e também na América do Sul.

São plantas de difícil cultivo e não são aconselhadas para iniciantes, visto que necessitam de um período de seca (durante o inverno), quando as folhas caem, e muita água quando os novos brotos estão se desenvolvimento.

Este tipo de orquídea cresce bem em casca de peroba e também pode ser cultivada em vasos de material fibroso.

A rega, como foi dito anteriormente é um fator de preocupação: deve-se tomar muito cuidado ao regar as plantas evitando que as folhas e brotos sejam molhados, desde modo a chance de sucesso é maior. Quando os novos brotos estão desenvolvendo-se e chegando à maturidade, além de água, necessitam de boa fertilização.

catasetum flor femininaFlor feminina

catasetum flor masculinaFlor masculina

Cultivando-se as plantas sob plena luz serão obtidas flores femininas com maior facilidade, enquanto que sob menor luminosidade serão obtidas flores masculinas.

As flores masculinas possuem colorido e forma bem distintos e bem diferentes entre as espécies, enquanto que as femininas são geralmente similares e de colorido verde ou amarelado.

A orquídea Catasetum tem a necessidade suscetível ao ataque de ácaros.

catasetum-fimbriatum-600x600

Adubação
Adubar  e regar regularmente produz pseudobulbos fortes. Use a formulação 30-10-10 enquanto as plantas estiverem em crescimento, diminua a frequência à medida que os pseudobulbos formem.

A formulação 10-30-20 deve ser usada no outono para estimular a floração. Aplicar com frequência soluções de concentração fraca é mais eficiente que aplicar concentrações fortes de vez em quando.

Replantio
O replantio deve ser programado para coincidir com o início das nova brotações, normalmente na primavera. Novas raízes serão produzidas rapidamente nesta época e as plantas sentirão pouco impacto.

catasetum macrocarpum

Estas plantas possuem uma vigoro sistema radicular e requerem um rico substrato úmido durante a estação de crescimento. Muitos produtos deixam as plantas com as raízes nuas durante o período de descanso da planta para mantê-la seca neste período.

Substrato fino são comuns pra vasos pequenos e granulação média para vasos maiores. O esfagno tem sido usado com sucesso pela capacidade de reter água e o adubo. Podem ser plantadas em estacas ou placas é mais fácil de cuidar no período de dormência, mas é mais difícil no período de crescimento.

195

Angraecum-sesquipedale-01

A Angraecun é uma importante espécie de orquídea que vegeta na parte Tropical da África e Madagascar e ocorre no nível do mar até 2.000 m altitude em regiões úmidas. A maioria desse gênero é epífita, algumas rupícolas, também conhecida como orquídea-cometa, devido à semelhança das flores.

Há, no momento, 221 espécies conhecidas de Angraecun e ainda novas espécies estão sendo descobertas, principalmente nas florestas tropicais de Madagascar.

As orquídeas do gênero Angraecum não possuem pseudobulbos, mas em vez disso têm uma haste crescente monopodial ou caule. Elas são bastante variadas, tanto na parte vegetal como na parte das flores, com folhas bastante carnosas.

Sobrevivem em locais secos, habitat tropical ou florestas. Apesar de serem encontradas principalmente na África e Madagascar, algumas espécies são encontradas no Sudeste Asiático.

Das aproximadamente 221 espécies conhecidas desse gênero, a orquídea-cometa é a mais estudada pelos botânicos que pesquisam a estreita relação entre uma planta e seu agente polinizador. É que essa planta carnuda e perfumada, faz algo incomum para as orquídeas, produz néctar.

Angraecum sesquipedale(153)

Uma orquídea que produz néctar em suas flores
Para atrair o inseto certo que irá carregar seus preciosos grãos de pólen até outra flor, a orquídea-cometa coloca o líquido açucarado no fundo de um tubinho fino e comprido. Só uma mariposa que tenha uma língua longa o bastante – e bota linguaruda nisso, porque o tubinho tem quase 20 cm – será capaz de alcançar o néctar e, consequentemente polinizar a flor.

Uma das mais perfumadas orquídeas
É também para atrair esse inseto de hábitos noturnos que a orquídea-cometa só exala seu perfume à noite (o cheiro lembra o da gardênia e da dama-da-noite). E como as mariposas não costumam enxergar as cores direito, essa planta inteligente produz flores bem grandes, brancas ou creme, para ficar bem visível a seu polinizador.

O clima, as regas e o substrato ideal para a orquídea-cometa
Essa espécie de orquídea aprecia clima quente, úmido e bem ventilado na primavera e verão, e um descanso mais seco e fresco no inverno.

O vaso deve ser mantido em local de muita luminosidade, mas sem sol direto, que causa queimaduras nas folhas. O melhor tipo de substrato é uma mistura de carvão e casca-de-pinus, mas experimente também variações regionais que não retenham muita água, como semente de açaí ou babaçu.

Angraecum_sesquipedale02

Por ser uma orquídea de crescimento muito lento, o transplante deve ser evitado – e, ao fazê-lo, dê atenção especial às raízes para não parti-las, já que a orquídea-cometa demora meses para se recuperar de machucados e ressente muito as mudanças bruscas de ambiente.

Muitas espécies estão em risco de extinção na Natureza e são protegidos do comércio internacional sob a CITES. O gênero Angraecum esta listado como uma das principais prioridades de conservação por parte da União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (I.U.C.N.) Orchid Specialist Group.

chuva-1

muscari

O jacinto-uva faz parte da família Hyacinthaceae essa tipologia de planta com ciclo de vida perene tem sua origem na Europa e na Ásia e por isso, gosta de sol pleno e de meia sombra

É uma planta bulbosa, mas também é herbácea e é bem fácil de ser encontrada no mediterrâneo.

Características do Jacinto-uva
Suas folhas longas, basais, lineares, suculentas e carnosas. As suas inflorescências são eretas e cônicas e em muitas vezes se vê as flores que se formam de maneira esférica, que além da beleza da sua cor, azul arroxeada, ela possui um perfume muito próximo ao almíscar.

Não é por acaso que seu nome é jacinto-uva, pois durante a sua inflorescência elas ficam muito parecidas com verdadeiros cachos de uva. As flores aparecem somente durante a primavera.

O porte da planta é bem baixo ficando entre 15 a 25 cm de altura aproximadamente. Trata-se de uma planta fácil de ser cultivada, por isso aconselhável a quem está começando a lidar com jardins, pois é muito rústica.

A beleza e o perfume dessa planta fazem com que ela seja muito usada nos projetos de jardins e normalmente, as formações com ela são de bordaduras ou maciços. E ficam lindas quando colocadas sob a sombra de arbustos e difusa de árvores.

jacintouva

O jacinto-uva é apropriada para o cultivo em vasos e também em jardins rochosos, além de ser usada como flor de corte. Para isso, veja as principais variedades que são: heavenly blue, saphire (de todos os tipos essa é a que dura mais), álbum, blue spike, carneum (são rosadas) e caeruleum.

O cultivo do Jacinto-uva
A primeira observação importante que se deve saber sobre o jacinto-uva é que ela deve ser cultivada a meia sombra ou sob sol pleno. O solo deve ser preparado, sendo drenável e fértil, além disso, deve ser enriquecido com matéria orgânica. A rega deve ser periódica, principalmente no período vegetativo.

Sendo uma planta bulbosa, a planta precisa passar por um período de frio e é isso que fará com que ela floresça na primavera. Passado esse período com a chegada do verão, as folhas irão ganhando o tom amarelo e é hora de retirar os bulbos do solo, guardá-los em lugar seco, arejado e fresco e limpo.

Muscari_armeniacum2

Sendo assim, os melhores climas para o jacinto-uva são o temperado, o subtropical, o mediterrâneo e o tropical. Quando ela floresce intensamente, isso pode acontecer, é aconselhável fazer um novo plantio. E não se esqueça de que as adubações da planta  devem ser bienais.

Já a multiplicação é feita através da separação dos bulbos, que vão crescendo em torno da planta mãe e também com o uso de sementes.

30