Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts com tag ‘cultivo’

morngos

Seja no jardim, quintal ou varanda, os morangos crescem muito bem em vasos e oferecem morangos bem mais saborosos que os comprados. Ainda que a planta precise de alguns cuidados específicos, não deve se preocupar na hora de plantar morangos porque neste artigo é explicado, com detalhes, como cultivar morangos em vasos.

Conselhos sobre o cultivo de morangos
Em primeiro lugar, é necessário considerar alguns conselhos para que os morangos cresçam nos vasos da sua casa de forma correta e seus frutos sejam os mais saborosos que tenha experimentado na vida.
* Clima: Deverá conservar as plantas de morango a uma temperatura entre os 18 e os 25ºC durante o dia, e à noite entre os 8 e 13ºC.

* Irrigação: É importante usar água que não contenha muitos minerais, por isso a água da chuva será ideal.

* Tipo de solo: é importante contar com um sistema de drenagem correta, sendo recomendado um substrato de textura arenosa. Além disso, o pH da terra deverá variar entre 5′8 e 7′2.

morango_vaso2

Plantar os morangos
O momento ideal do ano para plantar os morangos é no princípio de setembro, depois devemos ver a quantidade de plantas que podemos plantar dependendo do vaso. O ideal é colocar três plantas em vasos de meio metro, separadas 10 centímetros entre si e a 5 cm das bordas.

Se for um vaso circular pode colocar uma planta no meio. Abra um espaço de 20 cm para cada planta, que poderá comprar em uma estufa ou centro de jardinagem especializado.

Nunca, mas nunca mesmo, corte as raízes das plantas; se forem muito longas pode dobrar, mas nunca cortar. Quando as plantas estiverem bem colocadas recomenda-se que pressione com as mãos a terra ao redor e regue bem o vaso.

morangos-vasos-suspensos

Cuidados das plantas de morango
A partir de agora deverá cuidar dos morangos e conferir as plantas diariamente para garantir que recebem luz solar e se mantenham com as temperaturas descritas acima.

Quando começarem a crescer as primeiras frutas (após uns 2 meses) deve fazer com que os morangos não toquem o solo porque apodreceriam. Existem vários métodos para isso, como colocar uma pequena rede de arame, palha ou uma bolsa de PVC que só deixe ovos na parte do caule.

Basicamente tendo em conta estes conselhos poderá cultivar morangos em sua casa sem muitos problemas, lembre-se da temperatura e da irrigação, que deve ser abundante mas sem encharcar as plantas.

queda

Papaveraceae_papaver_orientale

Se gostas de flores e quer ter algumas em casa, basta continue lendo esse artigo do um e aprender como plantar papoulas em vaso, para dar uma corzinha à sala da sua casa.

Materiais necessários:
* Sementes de Papoula;
* Mistura de terra para vaso;
* Adubo;
* Vaso com buracos para drenar a água .

A vantagem da papoula é a sua facilidade em plantar e o fato de estar disponível no mercado em tantas cores como as do arco-íris. Contudo deve ficar sabendo que elas podem crescer até aos 60 cm de altura e nesse caso vão precisar de um pouco mais de espaço.

O primeiro passo é arranjar um vaso com sistema de drenagem, pode até fazer o seu próprio vaso. Escolha vasos com aqueles furos no fundo para que a água em excesso possa sair.

papoulas

Em seguida deve colocar terra no vaso, deixe 2,5 cm do vaso sem terra, a contar do topo. Não utilize aquela de mistura de jardim, prefira uma mistura feita por si entre adubo e terra de envasar.

Coloque as sementes de papoula no cimo da terra misturada. Preferencialmente deve plantar dentro de casa em meados do mês de agosto até início de setembro. Distribua um pouco da mistura de terra de envasar por cima das sementes.

Ao contrário de outras plantas, as papoulas até na fase de semente gostam bastante de exposição solar. Por isso certifique-se que o vaso apanha muito sol durante o dia.

Quando regar, tenha cuidado para não encharcar o vaso e fazer as sementes mexerem. Tem algumas opções para evitar isso, utilizar uma garrafa de spray, um pequeno regador ou se preferir fazer um vaso biodegradável que absorve melhor a água necessitando de menos quantidade de líquido para fornecer os nutrientes à planta. Ao fim de 4 a 6 semanas irão surgir as primeiras transformações.

papoulas-1

Pode utilizar um fertilizante, de preferência líquido pois resulta bastante bem, durante a primeira época de cultivo das papoulas. Use-o uma a duas vezes por mês. Depois da primeira época, pode apenas colocar fertilizante no início da primavera e depois no outono. Não se esqueça de regar após colocar o fertilizante.

Quando as papoulas estiverem bem definidas regue-as em dias intercalados e não todos os dias. Deixe passar um dia após a rega para a terra poder secar.

Não se esqueça de ir removendo as folhas e flores secas para promover o nascimento e crescimento de novas flores. Para isso basta ir cortando as partes secas.

passaro_2

mix de suculentas

Suculentas é um enorme grupo de plantas, de diferentes famílias, que têm a facilidade de reterem água em seus tecidos, seja na forma de seiva, látex ou mucilagem. Assim, essas plantas conseguem viver e se reproduzir em situações de penúria hídrica.

Originárias em sua maioria de ambientes desérticos, onde predomina o clima árido e as altas temperaturas, elas desenvolveram características especiais para que pudessem se adaptar.

Algumas têm uma espécie de “pêlo” nas folhas, outras uma camada de cera, ambas as coberturas previnem a perda de água armazenada nas seguintes estruturas: folhas, caules, ou ainda nos troncos e raízes.

A capacidade de armazenar água e a grande resistência faz com que elas exijam pouquíssima manutenção. Geralmente basta um substrato bem drenado, no mínimo 4 horas diárias de sol e um bom regime de regas.

Impossível não se apaixonar por elas! Fofinhas e com maravilhosas formas e cores, elas são as queridinhas do mundo das plantas. Muitas espécies de suculentas adaptam-se bem em ambientes fechados.

Sedum morganianum

Alguns cuidados ao manter plantas suculentas em vasos:
1 – Certifique-se que o vaso tem tamanho suficiente para acomodar as raízes com folga. Raízes precisam de espaço para desenvolver-se;

2 – Várias espécies de suculentas podem ser agrupadas em um único vaso. Tome cuidado de colocar juntas apenas as espécies com as mesmas necessidades de solo, água e sol. Cuide também para que plantas mais altas não façam sombra em plantas pequenas.

Para tê-las em casa por um bom tempo, basta seguir estas dicas:
* Sua suculenta pode ser plantada tanto no vaso plástico como no de cerâmica, mas tenha sempre em mente que o plástico vai exigir um número menor de regas, pois ele não absorve a água como o de cerâmica, e consequentemente, permanece mais tempo molhado.

* Aumente o aproveitamento dos adubos colocados no solo, principalmente os NPK, pois as plantas terão maior capacidade de absorção.

* Use um substrato bem drenado. Existem muitas recomendações de substrato, você pode encontrar uma que dê melhores resultados. Para isso teste em casa com suas mudinhas.

Albuca spiralis

Sugestão de substrato
1 parte de terra vegetal; 2 partes de areia grossa; 1 parte de terra vermelha; 1 parte de húmus de minhoca; 1 parte de areia grossa e 1 parte de carvão vegetal moído

As regas devem ser cuidadosas, uma vez por semana no verão, de maneira abundante, e uma vez a cada quinze dias no inverno.

Não use pulverizadores para não formar um ambiente úmido em torno das plantas. Essa é só uma sugestão – você descobre a medida – se perceber que suas plantas estão murchando, aumente gradativamente a quantidade de água, caso as folhas da base começarem a apodrecer, diminua.

História - Origens
Provenientes de regiões de bastante calor, as suculentas são espécimes ideais para ambientes de sol forte e pouca água, pois absorvem e armazenam quase toda a água que conseguem extrair do meio.

Encontram-se vários exemplares na África, Madagascar, desertos e regiões semi-áridas, como o cerrado brasileiro. Facilmente adaptáveis, são encontradas hoje em dia em barracas de hortos em grandes cidades.

Algumas Agaves e Crássulas podem alcançar tamanhos realmente grandes. Algumas espécies de Crássulas podem alcançar 3 m de altura.

crássula ovata

Cuidados
Muitas espécies de suculentas adaptam-se bem em ambientes fechados.
Crássulas mantêm-se bem perto de janelas com sol constante (norte), enquanto Haworthias preferem sol mais fraco (janelas voltadas para o sul). Aloes e Gasterias podem manter-se à meia-sombra.

Plantas pendentes, como Ceropegias e Hoyas também se adaptam bem a ambientes internos. Echeverias e Rosularias também preferem janelas com pelo menos 4 horas de sol.

Fora de casa – Muitas suculentas preferem ambientes externos. Podem suportar bem geadas, no entanto, aconselha-se protegê-las de temperaturas menores que 5ºC.
Crássulas desenvolvem-se bem ao ar livre, mas não toleram geadas fortes.

Gasterias, Aloes e Haworthias preferem locais sombreados. Algumas espécies de pequeno porte (algumas echeverias e crassulas) não gostam do ambiente externo e precisam da proteção de um local fechado.

Haworthia

Luminosidade: As suculentas procuram as fontes de maior luminosidade e tendem a inclinar-se. Deve-se girar de tempos em tempos o vaso ou bandeja onde elas se encontram.

Solo
50% areia, 50% barro ou terra vegetal. O solo deve permitir uma drenagem suficiente para não reter a água e consequentemente afogar as raízes capilares.

Água
Uma coisa é certa: se você quer que suas suculentas mantenham o tamanho diminuto, evite ficar regando suas plantas. Elas acabam ficando inchadas. Molhe apenas 1 ou 2 vezes ao mês, sempre deixando vazar pelo fundo do vasinho.

Temperatura
Algumas espécies suportam variações entre 5° C a 80° C, entretanto a maioria delas detesta geadas e temperaturas abaixo de 5° C.

Vasos

Certifique-se que o vaso tem tamanho suficiente para acomodar as raízes com folga. V árias espécies de suculentas podem ser agrupadas em um único vaso. Tome o cuidado de colocar juntas apenas as espécies com as mesmas necessidades de solo, água e sol. Cuide também para que plantas mais altas não façam sombra em plantas pequenas.

Replantio
Só o faça caso deseje um jardim em bandeja, colocando algumas espécies de tamanhos, necessidades e cores que combinem. Cubra com pedrinhas brancas a terra e pronto.

Ventilação e umidade
Uma boa ventilação é importante apenas para espécies que possam ser cultivadas ao ar livre.

Adubação
As suculentas podem ser adubadas de três em três meses, suspendendo durante o inverno.

Echeveria elegans

Reprodução por estaquia de folhas
Muitas suculentas podem ser multiplicadas por estaquia de folhas, como Crassulas e Echeverias. Se a folha destacar com facilidade do caule, é provável que este método de propagação terá bons resultados.

Esta é a maneira mais rápida e fácil de obter filhotes de rosetas.
* Escolha folhas maduras e saudáveis. Destaque-as com cuidado na junção com o caule e deixe-as em repouso por um ou dois dias.
* Você pode aguardar até que apareçam raízes e pequenas folhas no local de junção da folha com o caule para então plantá-la. Aguarde que as raízes estejam firmes e as novas folhas bem desenvolvidas antes de remover a folha-mãe.
* Outra maneira de induzir o aparecimento da muda é colocar as folhas (com o local de junção para baixo) em um vaso com terra e umedecer o solo ocasionalmente.

Reprodução por estaquias de Galhos
Caso a planta tenha caule lenhoso, é possível fazer a muda a partir de galhos.
* Escolha um galho saudável e com folhas novas. Corte o galho com estilete afiado e limpo.
* Elimine as folhas maiores ou corte-as ao meio. Espere um ou dois dias para que o local do corte fique seco.
* Você pode estimular o aparecimento de raízes aplicando hormônio de enraizamento no local do corte e então plantar o galho, ou aguardar o surgimento natural de raízes em alguns dias.

Haworthia cooperi var. truncata

Filhotes
Algumas suculentas, como a “rosa-de-pedra” produz “filhotes” logo abaixo de suas folhas, junto à planta, de maneira que basta retirar estas pequenas mudas e plantá-las em local definitivo.

Um mini jardim é a reprodução de uma paisagem em miniatura. Usando-se cactos e suculentas cria-se a miniatura de uma paisagem de deserto. Um dos segredos de um arranjo bem executado é o equilíbrio visual.

Tudo começa com a vontade de criar um mini jardim. No carinho ao manusear plantas delicadas como suculentas. No cuidado na escolha das mudas, da peça a ser usada como vaso e dos acabamentos.

Echeveria

Equipamentos e materiais necessários
Vaso raso de terracota, cerâmica ou qualquer material de tamanho adequado para a montagem de um mini jardim;
Suculentas, cactos, liliáceas, crassuláceas ou euforbiáceas;
Manta Bidim ou tela plástica;
Substratos, areia, argila expandida, brita nº 0 ou tijolitos;
Colheres de jardinagem (pequena e média);
Pedras ornamentais;
Forração do seu agrado (pedriscos coloridos, seixos, pedras roladas, cascalhos) Borrifador;
Trincha ou pincel;
Luvas e avental;
Plástico ou jornal para forrar a mesa ou bancada de trabalho.

Crassula capitella

Montagem
1. Forre o fundo do vaso com a manta Bidim para impedir que o substrato escorra durante as regas. Em seguida, coloque aproximadamente 3 cm de tijolito ou brita e uma camada fina de areia para drenagem. Se necessário reduza o furo do vaso com cacos ou pedras;
2. Coloque um pouco de substrato, lembrando que iremos usar um pouco do torrão das plantas;
3. Com as plantas ainda nos vasos faça um projeto organizando as plantas e as pedras decorativas, de forma que uma não atrapalhe a visão da outra. O ideal é que a disposição das plantas permita a visão de qualquer ângulo do vaso, formando novas paisagens. Utilize sua sensibilidade e não se esqueça dos conceitos de harmonia, equilíbrio e proporção;
4. Faça uma limpeza das mudas (eliminação de folhas mortas ou danificadas e excesso de raízes);
5. Depois de plantar os componentes do arranjo, salpique o substrato delicadamente ao redor das raízes, utilize a colher pequena para firmar as raízes e o substrato em volta das mudas;
6. Coloque uma camada de areia e logo em seguida use a forração que mais lhe agradar, se quiser utilize outros elementos decorativos como pedras, enfeites e miniaturas;
7. Limpe as plantas com a trincha ou pincel, regue levemente utilizando o borrifador e faça a limpeza do vaso;
8. Deixar em lugar protegido e à meia sombra por 1 dia.
A maioria das casas especializadas em artigos de jardinagem vende todos os materiais, inclusive pedras, seixos e cascalhos, para montar e decorar mini jardins.

Crassula congesta

Cuidados
1. Suculentas são plantas que devido ao acúmulo de água em seus tecidos (caules e folhas) têm a aparência de “gordinhas”. Como os cactos são, geralmente, originárias de regiões com irrigação escassa e adaptadas a esta condição;
2. Deixe o mini jardim em local que receba de 3 a 4 horas diárias de sol. Você pode deixá-lo dentro de casa por um certo período e levá-lo novamente para um local onde receba mais luz;
3. Deve ser regado uma vez por semana no inverno e de 4 em 4 dias no verão; não utilize pratos ou recipientes que armazenem água; a umidade em excesso pode causar apodrecimento das plantas ou doenças que são difíceis de curar;
4. O uso de um bom substrato no plantio reduz a necessidade de adubação. Se achar necessário faça a adubação foliar de acordo com as instruções do fabricante do produto e sempre pela manhã;
5. A troca de vaso ou substrato deve ser feita preferencialmente no início de setembro. Normalmente é realizada uma vez por ano, ou quando você julgar necessário, para trocar o vaso, por excesso de mudas ou desgaste do substrato utilizado.

descanso

cerca-viva

Muitas vezes pensamos em como separar áreas sem utilizar materiais artificiais e fazendo uso do verde das plantas. As cercas vivas são a solução para esta questão. Esteticamente perfeitas, as cercas vivas representam uma forma bonita e natural de isolar áreas, disfarçar paredes, muros e formar uma bonita composição no jardim.

Entretanto, é preciso saber que para formar cercas vivas são necessários cuidados básicos para que realmente possa se obter bons resultados e plantas viçosas e sadias.

Os arbustos são ideais para a formação das cercas vivas, pois geralmente não passam de 3 m de altura, não possuem troncos e sim galhos que saem do solo e, também, por serem capazes de encher de folhas e flores coloridas todos os seus galhos.

Antes de escolher as espécies mais adequadas às suas necessidades, saiba como plantar, tratar e podar os arbustos. Estes cuidados valem para todas as espécies e são itens fundamentais para quem quer ter belas cercas vivas

cerca-viva

Plantio
O solo ideal para o plantio deve ser permeável, ventilado e rico em substâncias nutritivas. Como conseguir isso? Prepare o solo com areia de rio, pois ela possibilita o arejamento e a drenagem da água, use terra comum para conservar a umidade do solo e acrescente terra vegetal para somar substâncias nutritivas.

A proporção irá depender da necessidade de cada espécie, entretanto pode-se utilizar como padrão a mistura: 2 partes de terra comum, 1 parte de terra vegetal e 1 parte de areia de rio.

Antes de iniciar o plantio, faca a limpeza do local revolvendo bem o terreno e retirando todas as pedras, cascalhos, etc. Abra covas com 30 cm de profundidade por 30 cm de largura.

Coloque as mudas nas covas sem forçar ou entortar as raízes. Regue bem, logo em seguida, e nos dez primeiros dias, molhe diariamente. Cuidado para não encharcar demais, o que pode apodrecer as raízes.

jardineira

Em vasos ou jardineiras
Se não puder plantar os arbustos em canteiros, você pode usar vasos ou jardineiras. Neste caso, lembre-se de facilitar a drenagem colocando no fundo do recipiente um pouco de cascalho.

Para este tipo de plantio, use a seguinte mistura: 1/4 de composto orgânico, 1/4 de areia, 1/4 de terra vegetal e 1/4 de terra comum.
Tanto os arbustos plantados em canteiros, quanto os plantados em vasos necessitam de tratos e cuidados. O principal deles é a observação.

Verifique se as plantas se apresentam sadias, com caules firmes, retos e com folhas verdes e sem manchas. Retire todas as ervas daninhas, as folhas secas e os botões murchos. Se verificar sinais de pulgões, cochonilhas ou ácaros, combata-os com calda de fumo.

Transplantando
Se o arbusto for plantado em vaso, será necessário transplantá-lo para um vaso maior após algum tempo pois, do contrário, as raízes poderão enrolar-se causando bloqueio da passagem de ar e alimentação.

Antes de transplantar, regue a planta algumas horas antes e deixe-a descansar à sombra. A umidade facilitará a sua remoção juntamente com as raízes.

Após o replantio, coloque a planta em local com pouco sol e longe de correntes de ar por, pelo menos, uma semana.

poda

Por que podar?
A poda é um trato importante para que a planta possa crescer forte e sadia. Mensalmente, é necessário fazer uma poda de limpeza para retirar as folhas murchas e os galhos mal formados e secos. Algumas espécies precisam de uma poda especial para conservar seu formato ou controlar seu crescimento. Mas atenção: este tipo de poda só pode ser feito quando a planta estiver bem enraizada.

Todas as plantas devem ser podadas acima da inserção de uma folha e na diagonal. Elimine sempre os ramos cruzados e conserve-os abertos para que os brotos recebam luz suficiente. Use sempre uma tesoura de poda ou canivete, bem afiados.

Algumas espécies indicadas para formar sua cerca viva:
Lanterninha chinesa (Abutilon); Bela-Emilia (Plumbago capensis); Violeteira (Duranta repens); Azaléia (Rhododendron); Roseira (Rosa sp.);  Camélia (Camellia japonica);  Mimo-de-vênus (Hibiscus rosa-sinensis); Malvavisco (Malvaviscus mollis);  Cróton (Codiaeum variegatum).

castelo