Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts com tag ‘cultivo’

Euphorbia-pulcherrima

A planta chamada de bico-de-papagaio é também conhecida popularmente como: cardeal, flor-de-natal, poinsétia ou estrela-do-natal. É uma planta originária do México, onde é espontânea. A família a qual pertence o bico-de-papagaio é a Euforbiacea.

Trata-se de uma planta semi lenhosa, pode ser considerada como uma pequena árvore ou um arbusto, podendo atingir de 1,0 a 4,0 m de altura. Tem folhas grandes de 7 a 16 cm de comprimento, cor verde-escura, de consistências fina, em geral decíduas em locais de invernos mais frios.

Na ponta dos ramos formam-se brácteas coloridas de vermelho, ao redor da inflorescência compostas de pequenas flores verdes onde os estames amarelos são a atração.

Os cultivares desta planta apresentam brácteas em creme, brancas ou rosa. É uma planta muito utilizada para fins decorativos, especialmente na época do Natal, devido às suas folhas semelhantes a pétalas de flores vermelhas.

Euphorbia_pulcherrima8e

Como é uma planta de dias curtos, floresce exatamente no solstício de Inverno que coincide com o Natal no hemisfério norte – o que explicaria porque essa planta não é tão identificada com o Natal, no Brasil.

Efetivamente, aquilo que muitas pessoas julgam ser flores, são apenas brácteas modificadas que envolvem as pseudo-umbelas onde estão as pequenas flores, envolvidas por uma camada de tecido verde e uma glândula amarela que nasce apenas num dos lados da flor.

O solo para cultivo do bico-de-papagaio deve ser solto e com boa drenagem, assim que a adição de areia ao canteiro ou substrato para os vasos é essencial. Local ensolarado e regas regulares.

As plantas são de floração em dias mais curtos e em canteiros costumam florescer na primavera, mas os produtores conseguem produzir vasos com pequenas estacas para colocarem no mercado para o Natal, diminuindo a luminosidade do viveiro e produzindo em épocas diferentes.

Deixar em local com alta luminosidade e ventilação, regar quando a planta estiver com o substrato seco, dependendo do local, a cada dois dias.

Poinsettia

Propagação
A propagação dessa planta é feita por estacas de até 30 cm, retiradas após a floração.

As medidas indicadas das covas para o plantio devem ser de  30 cm de diâmetro por 30 cm de profundidade, com espaçamento de 50 cm entre as plantas. Em cada cova, podem ser colocadas três estacas da planta.

Coloque mais de uma em vaso ou saco com substrato úmido feito à base de areia e composto orgânico, cobrindo para manter a umidade. Se preferir, use enraizador para acelerar a emissão de raízes.

Plantar depois em vaso com preparado de composto orgânico e areia em partes iguais. Não se esquecer de colocar brita no fundo do recipiente, também areia para facilitar a drenagem.

Para plantio em solo, fazer uma cova maior que o torrão da planta, colocar areia no fundo para garantir a drenagem, adicionar composto orgânico e adubo animal curtido e após acomodar o torrão, preencher as laterais com composto orgânico.

Adubação
As adubações devem ser anuais, sempre no início da primavera para preparar a planta para a próxima floração.
Use uma mistura de composto orgânico, adubo animal curtido, na proporção de 4:1 e NPK fórmula 10-10-10, 2 colheres de medida para 1 balde de mistura. Revolva bem num balde e coloque ao redor da planta. O restante espalhe no solo do canteiro para as outras plantas. Regue bem a seguir

bico-de-papagaio

Florescimento
O florescimento ocorre de junho a agosto, pois se trata de espécie de dia curto, que prefere o inverno para desabrochar. As partes vermelhas da planta não são pétalas, mas, sim, brácteas, folhas modificadas que protegem as verdadeiras flores, pequenas e amarelas, com formato arredondado. O tom forte dessas grandes brácteas atrai a atenção dos insetos, que, assim, a polinizam. Também existem outras cores de poinsétia, como branco, creme, rosa e salmão, mais comuns no exterior. Há relatos de irritação na pele em pessoas que tiveram contato com a seiva leitosa da planta.

Cuidados
Planta rústica, não requer muitos cuidados. As podas são feitas na altura que o produtor desejar para a planta. A planta pode ser irrigada (sem excesso) quando as estacas estão sendo cultivadas para o enraizamento. Mantenha o solo úmido, mas não encharcado. Em vasos, evite que fique seca. Como possui caule leitoso, o ataque de insetos é raro.

Euphorbia-pulcherrima-rosa
Curiosidades sobre a Poinsétias
– A seiva leitosa da planta, constituída por um tipo de látex irritante, em contato com a pele e mucosas provoca inflamações, dor e comichão, podendo causar também causar irritação nos olhos, lacrimejamento, inchaço das pálpebras e dificuldades na visão. A sua ingestão pode causar náuseas, vômitos e diarreia. É falso, no entanto, que possa provocar a morte.

A atribuição de propriedades letais à poinsétia terá tido origem num boato que terá começado nos Estados Unidos com a morte de uma criança de dois anos em 1919, depois ter comido uma folha de poinsétia. Estudos sobre a toxidade desta planta parecem indicar que só após a ingestão de grandes quantidades (mais de algumas centenas das suas folhas) é que a vida de alguém poderia estar em risco.

A razão desta crença pode dever-se ao fato de a maioria das euforbiáceas, família de que a poinsétia faz parte, serem altamente venenosas.

janel10

gerânio

O gerânio é uma planta originária da África do Sul e pertence à família Geraniaceae. O nome Pelargonium faz alusão ao bico da ave que tem semelhança ao fruto do gerânio.

As flores são pequenos buquês coloridos que enfeitam qualquer jardim ou quintal. Elas também podem ser cultivadas em vasos e nos jardins.

Descrição da planta
O gerânio é uma planta da família das herbáceas. O que chama mais a atenção na planta são as suas belas flores: “com aparência arbustiva de caule ereto, muito ramificado, folhas alternas de longo pecíolo, arredondadas, cordadas ou em forma de ferradura de consistência macia, bordas denteadas ou serrilhadas, nervuras marcadas, podendo apresentar manchas circulares em marrom, verde mais escuro, amarelas, vermelhas.

As flores podem ser simples ou dobradas, nas cores: branca, rosa, vermelha, escarlate com manchas mais claras.

O seu odor é bastante atrativo para insetos polinizadores e é bastante agradável. As flores são bastante ornamentais, reunindo-se em racemos pequenos ou grandes formando uma cabeça com pelicículo bem grande que também chama muito a atenção.

A planta floresce desde a primavera até o verão. Pode ser cultivado nas regiões mais frias ou de temperaturas mais amenas sem geadas, mas prefere climas mais tropicais.

gerânio branco

Cultivo
O gerânio é uma planta de cultivo bastante fácil. Para o seu florescimento, precisa de muita luz e assim, vai se desenvolver com muita saúde. Quando falta a luz necessária, a planta começa a esticar-se na sua busca por ela, gastando energia no processo e não florescerá.

Para cultivar o gerânio em jardins, é preciso ter canteiros bastante arejados com uma iluminação boa. Não poderá ter plantas amontoadas, com solo permeável, profundo e com boa drenagem.

Para todo o bom desenvolvimento, um bom substrato para a sua plantinha com uma mistura bem eficaz para que ela possa crescer e desenvolver seus belos buquês. O substrato de cultivo deverá ser uma mistura preparada com húmus de minhoca, farinha de ossos, areia e adubo granulado NPK formulação 4-14-8.

A planta se desenvolve melhor em pH 6,1 a 7,0. Também para vasos podemos usar o mesmo substrato, neste caso mantendo a proporção de 4 porções de húmus para 1 de areia mais 3 colheres de farinha de ossos e 2 colheres medida de adubo granulado. Revolver bem em balde antes de emprega.

É importante lembrar que a planta deverá ser cultivada em locais mais quentes e que as suas folhas são bem recortadas, tendo uma aparência bastante ornamental. Por isso, precisa de cuidados muito bem elaborados:

As plantas possuem aroma forte típico, alcançando 60 a 90 cm de altura, com ramos suculentos, às vezes com uma mancha na folha chamada de “zona” ou “ferradura” de contorno, ou com variegação.

pelardoiumhortorum

Propagação
Os gerânios são ótimas plantas de propagação. Elas se espalham rápido e podem completar um canteiro inteiro, dando bonitas flores em determinadas épocas do ano.

Para a sua propagação, basta usar estacas de ponteiro com até 10 cm de comprimento, colocando em areia, vermiculita ou casca-de arroz carbonizada, mantidos úmidos, podendo cobrir o recipiente com saco de plástico transparente para não perder a umidade.

A melhor época para realizar tais cuidados é durante o inverno. Em pouco menos de 15 dias, os resultados da propagação começarão a aparecer.

Já em vasos, o método é outro: Preparar o vaso colocando brita, cacos de tijolos ou manta geotêxtil no fundo e por cima areia úmida para garantir a drenagem.

pelargônio hortorum

Colocar então o substrato recomendado e transplantar para vasos com a mistura recomendada, cuidando para não danificar as raízes. Preencher com mais substrato, apertar de leve para fixar e regar. Deixar em local arejado, iluminado, mas sem sol direto.

Depois quando chegar a época de floração dos gerânios, eles poderão ser transferidas para canteiros maiores e preparados com espaçamentos de mais ou menos 0,50 m para que possa desenvolver sua forma adequada.

Hoje em dia o gerânio é usado cada vez mais no paisagismo de regiões onde o inverno é ameno ou quente. Seja em grandes canteiros formando renques, junto a muros ensolarados ou como planta de vaso seu lugar no jardim está assegurado.

Lembrando que, no local de cultivo, tendo uma boa tarde de sombra os gerânios vão se beneficiar disso.

9vk8089w

azulzinha

A Azulzinha é uma planta que pertence à família Convolvulaceae e está na categoria de flores perenes, forrações a sol pleno ou a meia sombra. Os climas a que se adapta são o tropical, o subtropical e o equatorial.

A sua origem é a América do Sul especificamente o Brasil e o Paraguai. Pode chegar a uma altura que fica entre 0.1 a 0.3 m e a luminosidade que prefere é a meia sombra ou a sol pleno. O seu ciclo de vida é o perene, uma herbácea cheia de graça e estilo.

Descrição da Azulzinha
Trata-se de uma planta herbácea do tipo rasteira e perene que chega a no máximo 30 cm quando está ramificada. As suas folhas aparecem pequeninas, ovais, verdes e bem delicadas saindo dos talos que tem forma alternada.

As pétalas dessas flores são azuis, achatadas e de forma arredondada. Há ainda uma espécie bem semelhante que pertence ao mesmo gênero, a Azulzinha, a única diferença é que essa herbácea possui flores brancas.

Essa planta pode florescer durante o ano todo, porém, durante a primavera o florescimento é mais intenso. Seu cultivo pode acontecer em todo o país, porém, nas regiões de frio mais intenso é importante ter cuidado com a geada. O frio intenso pode ser uma dificuldade para a resistência dessa planta.

Evolvulus glomeratus

Cultivo
* Luminosidade –
O ideal é procurar um local que fique à sombra das árvores ou então a sol pleno.

* Solo – Para que a Azulzinha cresça saudável é importante que o solo seja fértil e conte com um bom teor de matéria orgânica. O solo deve ser bem drenado.

* Regas – É importante regar com frequência, pois se trata de uma planta que sofre quando passa por secas prolongadas. Durante o verão o cuidado com as regas deve ser priorizado uma vez que pode murchar se tiver falta de água.

* Canteiro – Quem vai cultivar a Azulzinha em canteiros deve preparar bem o espaço para o plantio, a dica é passar o ancinho para remover as pedras e inços que podem atrapalhar no crescimento da sua planta.

* Adubo – Para ajudar na nutrição da planta a dica é usar adubo animal de curral que deve estar bem curtido. A quantidade ideal é aproximadamente 1 kg/m2. Para incorporar e nivelar use o adubo NPK com fórmula 10-10-10. Esse adubo pode ser encontrado facilmente em supermercados.

* Mudas – É possível comprar mudas em caixas com 15 unidades, geralmente elas vêm em saquinhos de plástico. Se você comprar mudas assim é necessário ter cuidado para remover o plástico cuidando sempre para não desfazer o torrão.

* Acomodando a Muda – Para acomodar a muda abra uma cova pequena usando uma pá de jardim, em seguida coloque a muda no local e arrume a terra no entorno. Aperte de leve para que fique fixo.

* Espaçamento – Deixe um espaço de 15 cm entre linhas e plantas que seja possível a formação de um tapete denso.

* Regas – Para regar use um jato fino para não correr o risco de retirar a planta da cova.

Evolvulus glomeratus - azulzinha

Propagação da Azulzinha
Para preparar as mudas da planta é necessário bandejas de cultivo ou então se saquinhos que contenham substrato misto de areia, composto orgânico e terra de canteiro.

Em seguida retire estacas da planta, será necessário colocar mais de uma em casa saco. Depois basta regar a planta e deixá-las em cultivo num local que esteja protegido do sol até que a muda comece o seu desenvolvimento.

O melhor momento para fazer a estaquia é o final do inverno nos estados do sul do Brasil. Nos demais estados do país é interessante fazer a estaquia na estação das chuvas ou então no outono.

A Azulzinha no paisagismo
Nas áreas extensas em que não há grama a Azulzinha é uma excelente cobertura vegetal, pode ser usada como planta de forração. Considere que essa planta não resiste ao pisoteio e nem mesmo a falta de água então pense bem onde vai cultivá-la. Se for o desejo poderá usá-la como pendente como grande parte das plantas rasteiras.

Pode ser cultivada em jardineiras ou então em vasos grandes acompanhando altas Dracenas ou então palmeiras. As lindas e pequenas flores dessa planta ajudam a trazer um colorido para o jardim, além disso, a Evólvulo floresce o ano todo. Se bem cultivada e cuidada essa planta pode estar sempre florida.

Evolvulus

Uma planta para o litoral
Apesar de não tolerar muito bem as geadas e o encharcamento a Azulzinha é uma planta que suporta bem a salinidade sendo uma planta indicado para cultivar no litoral. Além disso, a beleza dessa herbácea a torna uma excelente opção para compor qualquer jardim.

Atenção as plantas de forração
Além da beleza de suas flores a Evólvulo presta-se a ser uma planta de forração, muitos amantes de jardins ainda não sabem a importância de ter esse tipo específico de planta nos seus espaços verdes.

O objetivo de contar com essas plantas ou flores pequeninas é dar mais graça e colorido a sua área externa. Esse tipo de planta ajuda a dar um acabamento melhor ao seu jardim, pois além de cobrir o solo dos canteiros e vasos permite completar áreas que ficariam vazias.

Há também a questão prática de ter plantas de forração que é manter a umidade constante no jardim. Isso tudo sem contar nos lindos contrastes que essas plantas acrescentam em tons e texturas.

Evolvulus glomeratus, azulzinha,

Dedicação
Para manter um jardim sempre florido e bonito é fundamental ter dedicação para regar cada planta com a quantidade de água que ela necessita bem como manter as podas em dia.

Na dúvida sobre fazer poda a dica é tentar manter a planta sempre limpa, ou seja, sem galhos ou folhas secas. Quando a planta fica doente é necessário remover a parte comprometida para que o resto dela não seja prejudicada.

janelaechuva1

rendafrancesa_YY

A renda-francesa é uma espécie de samambaia pertencente à família Dryopteridaceae e originária da região da Austrália.

Trata-se de uma planta herbácea rizomatosa, com grandes e longos rizomas cheios de pelos marrons escuros, de onde partem as folhas compostas, finamente pinadas, de aparência delicada,queima no inverno e rebrota na primavera.

Sua folhagem é bem fina, caules na grossura de um polegar e folhas mais finas do que a da samambaia. Ela é uma planta de sombra, que deve estar num local com bastante claridade natural e ventilação.

Esta é uma planta que não pode pegar sol diretamente, porque queima, mesmo sendo regada todos os dias. Chega a durar mais de 20 anos e mede quase um metro de altura, ficando bastante volumosa.

A renda-francesa deve ficar em ambientes com temperatura entre 20º e 35º C.
Regue dia sim, dia não, com um litro de água. Em épocas muito quentes, molhe-a diariamente. É preciso adubar a planta, usando o produto NPK 4-14-8, geralmente a cada três meses.

Assim como avencas e rendas-portuguesas, a renda-francesa também gostam de solo úmido e sol fraco,

Conheça os segredinhos para ter as rendas-francesa verdinhas, cheias de brotos e felizes.

rendafrancesa_1

Cultivo
Para ambientes iluminados, porém sem sol direto, é uma planta que poderá ser cultivada no chão sob as árvores, em vasos ou jardineiras e em vasos para interiores.

Os vasos podem ser largos, do tipo bacia, mas não precisam ser altos, pois os rizomas ficam meio descobertos no substrato.

O jeito certo de cuidar
Procure um lugar de meia sombra, onde não bata o sol forte do meio-dia. Se você mora em casa e tem um puxadinho ou uma garagem fresca e clara, pode apostar que ela vai curtir. Tome cuidado para escolher um canto longe de correntes de vento, que desidratam a planta e fazem as folhas caírem.

Regue regularmente
Mantenha o vaso úmido. Para não ter erro, coloque o dedo na terra: se ele sair sujo, não precisa molhar. Evite regar a folhagem – muitas espécies abortam folhas encharcadas.

renda-francesa

Faça uma mistura correta de adubos
Para suas plantas ficarem tão lindas quanto na floricultura, misture 2 colher (sopa) de torta de mamona e 1 colher (sopa) de farinha de osso e espalhe na terra, a cada 40 dias. Também pode borrifar as folhas num mês com NPK 20-20-20 e, no outro, com NPK 15-05-30, seguindo as orientações de diluição da embalagem.

Solo e substrato
O solo de cultivo deverá ser rico em matéria orgânica. Usa-se uma mistura de composto orgânico, turfa e areia. Também pode ser usado o substrato especial organo-mineral vendido em sacos nas agropecuárias, mas se utilizar este material deve misturar com areia.

Podas
Quando aparecem folhas amarelas, faça uma poda, abrindo espaço para as brotações. As mudas que surgirem da extensão do rizoma (caule subterrâneo) devem ser retiradas, evitando-se que a planta cresça demais e tenha que ser transplantada para um vaso maior.

A renda-portuguesa queima com o frio; portanto, recomenda-se podá-la inteiramente antes de o inverno chegar ou deixá-la em local mais quente durante a estação fria. Depois, ela brota vigorosa.

renda francesa

Pragas
É comum aparecerem lagartas que comem as folhas. Faça uma catação manual. Contra pulgões e ácaros, pulverize com calda de fumo para afastá-los. Se eles aparecerem na planta, corte as folhas afetadas tentando evitar que a doença se alastre. Para eliminar, só pulverizando com inseticida.

Mudas
A maneira mais fácil de fazer uma muda samambaias é com parte do rizoma. Em algumas espécies, ele é um filamento, como ocorre nas samambaias-americana, de metro e rabo-de-peixe; em outras, parece o rabo de um bicho peludo.

É o caso da renda-francesa. No primeiro tipo, o rizoma lança novas mudas periodicamente (na rabo-de-peixe é mais raro). Quando isso acontece, retire a muda cuidadosamente, cortando as folhas grandes na metade e tomando cuidado para não danificar os brotos. A seguir, plante-a em outro vaso.

rendafrancesa

Quando os rizomas são do segundo tipo, formam um emaranhado compacto. Para fazer a muda, corta-se um pedaço, de preferência que esteja com broto, espetando-o em um vaso com substrato.

A melhor época para tirar mudas é no verão. Faça o plantio inicialmente em um vaso pequeno, pois se a planta for colocada logo em um vaso grande, as raízes vão se espalhar, soltando poucos brotos. Depois de dois meses, transfira para o vaso definitivo. O substrato mais usado é a mistura de fibra de coco, turfa e vermiculita.

Barcoemaltomar