Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts com tag ‘adubos’

adubar

As misturas de adubos são perfeitas pra quem não tem muito tempo e prática nos cuidados com as plantas.

Elas devem ser aplicadas sempre em volta das plantas, misturadas de leve com a terra na superfície e logo em seguida deve-se fazer uma rega. Você pode manter tudo já misturado num potinho e usar a cada 3 meses.

Essa primeira mistura pode ser usada para vasos com folhagens e plantas floríferas após a floração:
3 colheres (sopa) de torta de mamona ou torta de algodão
1 colher (sopa) de farinha de ossos
1 colher (sopa) de uréia
8 colheres (sopa) de húmus de minhoca

A mistura toda dá para um vaso grande, tipo esses usados para frutíferas, para um vaso médio use a metade.

Essa outra mistura é para frutíferas ou outras árvores no solo e floríferas:
3 colheres (sopa) de farinha de ossos
1 colher (sopa) de torta de mamona
1 colher (sopa) de NPK 4-14-8
8 colheres (sopa) de húmus de minhoca

Para as árvores, faça uma vala em toda a projeção da copa (como um círculo com o diâmetro da copa), coloque o adubo espalhando pela vala, feche-a e regue em seguida. Para as floríferas, use da mesma forma que eu sempre falo para outras plantas, sem encostar no caule e regando sempre após a aplicação.

As misturinhas aqui devem ser aplicadas sempre em volta do vaso, misturadas de leve com a terra na superfície e logo em seguida deve-se fazer uma rega. Você pode manter tudo já misturado num potinho e usar a cada 3 meses.

Essa primeira mistura pode ser usada para vasos com folhagens e plantas floríferas após a floração:
3 colheres (sopa) de torta de mamona ou torta de algodão
1 colher (sopa) de farinha de ossos
1 colher (sopa) de uréia
8 colheres (sopa) de húmus de minhoca

A mistura toda dá para um vaso grande, tipo esses usados para frutíferas, para um vaso médio use a metade.

Essa outra mistura é para frutíferas ou outras árvores no solo e floríferas:
3 colheres (sopa) de farinha de ossos
1 colher (sopa) de torta de mamona
1 colher (sopa) de NPK 4-14-8
8 colheres (sopa) de húmus de minhoca

Para as árvores, faça uma vala em toda a projeção da copa (como um círculo com o diâmetro da copa), coloque o adubo espalhando pela vala, feche-a e regue em seguida. Para as floríferas, use da mesma forma que eu sempre falo para outras plantas, sem encostar no caule e regando sempre após a aplicação.

gif

adubando

Muitos sabem que as plantas necessitam de diversos nutrientes para crescerem sadias e nem sempre o solo onde ela está plantada dispõe de todos eles, graças a isso foram inventados os fertilizantes que são compostos contendo os nutrientes necessários para uma determinada cultura.

É de extrema importância para quem vai cuidar de uma planta, mesmo que em vaso, jardim ou jardineira, conhecer os principais tipos de adubos para poder saber qual é o ideal para seu cultivo, plantas com falta ou excesso de nutrientes no solo ficam fragilizadas e com aparência aquém do desejado.

A fertilização pode ser feita de diferentes formas visando diferentes fins, por exemplo, pode se aplicar o adubo direto ao solo, tendo assim uma absorção lenta, misturado a água de rega, para mais fácil aplicação no solo de alguns elementos que vierem a faltar, ou pulverizado nas folhas da planta, o que causa uma absorção muito rápida, ideal para a época de floração/frutificação.

O fertilizante pode ser também de origem orgânica ou mineral, de pH ácido, básico ou neutro. Explicarei mais detalhadamente as característica de cada tipo de adubo a seguir.

Adubos Orgânicos
Embora existam várias fontes de adubo orgânico, como a vinhaça, adubo verde ou resíduos de indústrias que trabalham com animais e plantas, o que é mais utilizado em hortas caseiras e plantas ornamentais é o esterco, graças a sua facilidade de obtenção e o fato de apresentar bons resultados.

Os adubos orgânicos apresentam efeitos lentos pelo fato que existem várias reações neles que demoram a ser realizadas pelos microorganismos presentes, o que fazem deles ideais para plantas nas quais você não queira ter que se preocupar frequentemente.

Mesmo em casos onde se pretende utilizar adubos químicos é aconselhável a utilização de uma quantidade mínima de adubo orgânico pois ele além de garantir um melhor ecossistema a microorganismos naturais que coexistem com a planta, o fato de serem de absorção lenta faz com que a planta tenha uma quantidade mínima de nutrientes constante.

Adubos Minerais ou Sintéticos
Geralmente se apresentam em forma de pedrinhas, pó ou liquido, dependendo da forma de aplicação, têm função de fornecer de imediato à terra ou planta algum nutriente ou característica que ela não tenha. Costumam ser de absorção rápida logo perdem o efeito em pouco tempo, por isso a importância de sempre administrar um pouco de adubo orgânico ao solo também.

Em geral as embalagem possuem três números (como “12-12-16”) que informam respectivamente as concentrações de nitrogênio, fósforo e potássio (abreviado como “NPK” graças a seus símbolos na tabela periódica). Os adubos não neutros vêm também com informações sobre sua alcalinidade ou acidez (valor do pH), que deve ser observado pois cada planta tem sua faixa de acidez ótima para se desenvolver.

Veja um bom exemplo de adubos que usam o sistema NPK:
O nitrogênio costuma garantir bom crescimento uma vez que contribui com que a folhas fiquem mais verdes e realizem melhor a fotossíntese, já o potássio e o fósforo contribuem para uma melhor floração da planta, logo é bem útil a aplicação foliar de fertilizantes baseados nesses nutrientes logo antes e durante a produção de flores e frutos no intuito de termos melhores resultados.

Certas culturas não podem ter mais que uma quantidade específica de algum nutriente, como por exemplo os bonsais que necessitam de solo com pouco nitrogênio para que a planta não cresça muito, logo além de garantir que você não esteja deixando faltar nada a sua planta, garanta que não está exagerando em algo que não deveria ao utilizar um fertilizante sintético.

Formas de Adubação
* Adubação no solo
: Quando for plantar uma nova muda é aconselhável que você revolva bastante a terra em volta do lugar onde ela crescerá com o intuito de torná-la mais solta e facilitar o crescimento das raízes e absorção de nutrientes, depois disso deve-se remover parte da terra, misturá-la ao adubo e devolvê-la ao lugar.Aconselha-se para a maioria das culturas cerca de 1/3 de adubo orgânico dissolvido na terra, além de mais um pouco de adubo químico para suprir alguma deficiência.Se for realizar uma adubação superficial direta no solo depois do plantio, não coloque o adubo encostado ao caule, coloque ele a uma certa distância da planta de tal maneira que conforme ocorrer as regas ele seja levado lentamente para a raiz.

*Adubação por rega: Alguns adubos podem ser aplicados no solo através da sua dissolução na água utilizada durante a rega, praticamente basta dissolver a quantidade aconselhada pelo manual do produto e regar a terra com a solução.Esse tipo de adubo é menos duradouro que o misturado ao solo, mas é bem útil para suprir alguma falta que ocorrer por algum motivo.

* Adubação foliar: É a forma mais cara de adubação uma vez que ela tem ação muito rápida e nada duradoura, graças a isso é utilizada de forma auxiliar apenas em culturas onde o foco é produzir boas frutas ou flores vividas.Sua absorção ocorre de forma quase imediata pelas folhas da planta, mas apenas caso a acidez da solução for correta para o tipo de planta, por isso deve-se utilizar o borrifamento de fertilizantes apenas com produtos apropriados à espécie que está sendo criada e na concentração adequada.

Lembrando-se que podemos combinar as diferentes formas de adubação citadas acima no intuito de obter melhores resultados para certas culturas.

cats1

baptistonia_echinata
Adubo líquido químico
Composição:

Macronutrientes: NPK 10-8-8
Micronutrientes: Ca-1,0,/ Mg- 0,5/ S- 2,0/ Zn -1,0/ B- 0,5/ Mn-0,5/ Fe-0,1/ Cu-0,2/Mo-0,1

Modo de Usar
Recomenda-se aplicações semanais na quantidade de 0,5 ml ou 16 gotas, diluídas em 1 litro de água. Aconselha-se antes das regas com o adubo, sempre dar uma “boa molhada” nas plantas e seus substratos, para livrá-las dos acúmulos de sais.

Adubo Organomineral
Composição

Macronutrientes: NPK 6-6-4,4
Micronutrientes: Zinco, Boro, Cobre, Ferro, Manganês, Molibdênio, Cobalto.
Complementos: Matéria orgânica (mineral e animal)

Modo de Usar
Recomenda-se a utilização do adubo organomineral a cada l,5  à 2 meses. Deve-se colocar o equivalente a medida de uma tampinha de refrigerante descartável, ao lado ou atrás da planta (lado oposto ao broto novo).  A medida recomendada aplica-se em vasos com o tamanho da boca de 14 cm. Vasos maiores ou menores deve-se  adequar a dose.

Vantagens da aplicação do Adubo Organomineral NPK 6-6-4,4
Todos os macro e micronutrientes,  e mais  seus complementos, estão dosados de forma extremamente equilibrada (resultado de pesquisa de vários anos). Resulta daí, uma ótima metabolização pela planta, que não sofre com carências de nutrientes e nem tem seu crescimento forçado por um NPK  muito alto.
Temos registrado, com o uso constante deste adubo, orquídeas florescendo de 2 a 3 anos antes C

Cuidados no Uso
Este adubo pode apresentar, tanto na embalagem, quanto após seu uso no vaso, um bolor branco (fungo ), que não prejudica a planta, é normal e traz inclusive benefícios, ajudando na metabolização dos nutrientes. Este bolor branco (fungo) desaparecerá em aproximadamente 2 semanas.

7678

Adubos

Muitas pessoas consideram o adubo como um fator vital na equação da jardinagem bem sucedida. Não há dúvidas de que a aplicação de fertilizantes para seu gramado, horta, plantas de casa ou flores tem muitas vantagens, mas também, muito de uma coisa boa pode ser pior do que pouco de uma ruim. Você também precisa saber qual tipo aplicar — parece haver centenas de diferentes tipos de adubos, e pode ser difícil decidir quais são os melhores para o seu gramado ou jardim.

Você pode aprender a escolher e comprar adubo, lendo as informações a seguir, com particular atenção para a proporção de nutrientes de um pacote, em comparação com as necessidades do seu gramado ou jardim.

* Como ler a embalagem. Em cada saco de adubo, há uma relação, como 10-5-10 ou 29-6-4. Estes números dizem a proporção de nutrientes na adubação. O primeiro número indica a quantidade de nitrogênio na adubação. Um saco de cinco quilos de adubo 10-5-10 contêm 10%, ou um quilo de nitrogênio. O segundo número é a relação de fósforo. Assim, o saco de cinco quilos de 10-5-10 iria conter 5%, ou 28,34g de fósforo. O último número é a relação de potássio. O mesmo saco de adubo deve conter 10%, ou um quilo de potássio. Esse número também é chamado às vezes de número NPK. O restante do material no adubo é de minerais inertes e enchimento.

* O que faz o nitrogênio? O nitrogênio promove o crescimento das folhagens. Um fertilizante para gramado com uma maior proporção de nitrogênio seria usado quando você quisesse crescimento superior. Este é o tipo de adubo que você pode aplicar no seu gramado na primavera. Você não deve aplicar um fertilizante de nitrogênio no outono, quando as raízes devem ficar fortes e profundas, na preparação para o inverno. O nitrogênio de liberação lenta é preferível ao de liberação rápida por duas razões. A primeira razão é que há menos chances de queimar suas plantas com nitrogênio de liberação lenta, porque os grãos são especialmente revestidos para se quebrarem lentamente. A segunda razão é que, uma vez que se decompõem lentamente, alimentam o solo, e não as plantas.

* O que faz o fósforo? O fósforo promove o crescimento da raiz. Um adubo com uma porcentagem mais elevada de fósforo seria aplicado numa horta na primavera, quando você quiser que suas plantas se estabeleçam. Certifique-se de prestar atenção a esta relação, quando você comprar fertilizantes no início da estação de crescimento.

* O que faz o potássio? O potássio, também conhecido como cloreto de potássio, estimula o desenvolvimento radicular. Além disso, incentiva a resistência a doenças em plantas, por isso muitos fertilizantes vegetais de jardim são ricos em potássio.

* Liquido vs. forma granular. Fertilizantes líquidos devem ser aplicados com mais freqüência, mas tem uma grande vantagem – você verá os resultados rapidamente. Um gramado cansado, de grama marrom, pode ser revitalizado em questão de dias. Os fertilizantes líquidos são mais caros do que as formas granulares, mas se você precisa de nutrientes para o seu gramado ou jardim rapidamente (ou se você está apenas impaciente), pode valer a pena o gasto. O fertilizante líquido é normalmente aplicado com um pulverizador de mão, que pode acompanhar a sua mangueira de jardim. Formas granulares permanecem mais no solo que líquidos, portanto, devem ser aplicadas com muito menos frequência. Se você usa um adubo granulado, você precisa aplicá-lo à mão ou com um espalhador. Os mais simples são os propagadores, parecidos com um carrinho pequeno de plástico com um distribuidor no fundo da bandeja que transmite rapidamente o adubo pela área. Depois de aplicar o adubo, você vai precisar regar o gramado Todos os fertilizantes de liberação lenta, ou os vegetais vêm em forma granular.

* Balanceados vs. adubos especiais. Se você tem um solo de jardim na média, com plantas relativamente saudáveis, um fertilizante equilibrado — um em que as quantidades de nitrogênio, fósforo e potássio são relativamente iguais — deve funcionar muito bem. Por outro lado, se você tiver plantas que podem ser difíceis de crescer, como orquídeas e bonsais, você pode querer um adubo que tenha alguns nutrientes a mais que os outros. Adubos especiais também podem ter aditivos que podem ajustar o pH do solo. Por exemplo, se o solo é muito ácido, você pode querer uma adubação com calcário, o que torna o solo mais alcalino. Se você precisa pôr o seu solo mais ácido, procure um fertilizante que contenha enxofre. Se você quer uma análise mais detalhada do seu solo, você pode ter um teste de solo executado por um especialista local.

* Fertilizantes orgânicos vs. sintéticos. Os fertilizantes orgânicos são sempre preferíveis aos fertilizantes sintéticos, quando você for aplicar em plantas que irá usar como alimento. A desvantagem é que fertilizantes orgânicos, ou os aditivos para o solo, para ser mais exato, nem sempre contem todos os elementos e minerais que o vegetal necessita. Portanto, você pode precisar aplicar vários tipos ou aplicá-los com mais frequência para compensar. Alguns aditivos orgânicos que podem ser muito valiosos para suas plantas incluem farinha de sangue seco, que é rico em fósforo, estrume animal, o que é ótimo para o condicionamento de seu solo e adição de nitrogênio e emulsão de peixe, que é muito suave para as plantas. O melhor aditivo, é claro, é a compostagem, que normalmente contém todos os minerais que as plantas precisam.

Não importa qual o fertilizante que você vai escolher, a coisa mais importante é seguir as instruções da embalagem do mesmo. Usar muito adubo, ou usá-lo com muita freqüência, aumenta o risco de danificar as plantas, bem como o meio ambiente. O excesso de escoamento de fertilizantes pode acabar no abastecimento de água, o que pode ser muito prejudicial. Fertilizante só são seguros com pessoas certas o aplicando.

unas_flores-5090