Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Cultivos e Cuidados’

morangos_835678

Seja no jardim, quintal ou varanda, estas frutas crescem muito bem em vasos e oferecem morangos bem mais saborosos que os comprados.

Ainda que a planta precise de alguns cuidados específicos, não deve se preocupar na hora de plantar morangos porque neste artigo será explicado, com detalhes, como cultivar morangos em vasos.

Conselhos sobre o cultivo de morangos
O primeiro passo é conseguir as mudas de morango. É nessa hora que é preciso verificar se não há folhas marrons, porque é importante escolher mudas saudáveis.

O segundo passo é escolher o vaso ou o espaço ideal para cultivar os morangos. Como o morango é uma planta rasteira, é legal que ela seja cultivada em algum lugar mais alto ou em jardins verticais.

Vale lembrar que é muito importante que o morango seja cultivado num bom solo e receba luz o suficiente, mínimo de 6 horas diárias.

moranguinhos

Preparando a terra
Fique de olho e assegure-se que não haja ervas daninhas ou sinais de doenças e pragas. Depois é só preencher 3/4 do seu vaso ou afofar a terra no local escolhido. Morangos gostam de terra nutrida, então enriqueça o solo com material orgânico e esterco.

Plante o morango
Agora é só plantar a sua muda. Para amenizar o choque da transição da muda para o local desejado, coloque a raiz em um balde de água para ensopá-la por uma ou duas horas, garantindo umidade.

Cave um buraco e coloque o morangueiro, deixando a sua coroa (o início do caule) logo acima da linha do solo. Aperte ao redor da muda para que esta se junte ao restante da terra.

Se quiser plantar mais de uma muda, lembre-se de deixar um espaçamento de 30 a 45 cm entre cada uma.

morangosemvasos

Como regar
Diariamente, mas sem exageros, o morangueiro não pode ficar ensopado, a terra deve ser úmida apenas. Tenha cuidado ao regar e evite molhar os frutos. É importante usar água que não contenha muitos minerais, por isso a água da chuva será ideal.

Hora de colher
Depois que aparecerem as primeiras flores, você começará a perceber que o meio da flor se transformará num pequeno morango verde e, com o tempo, ele crescerá e ficará vermelhinho. Um morangueiro dura aproximadamente 5 anos.

Clima
É importante que a planta seja conservada a uma temperatura entre os 18 e os 25ºC durante o dia, e à noite entre os 8 e 13ºC.

Como plantar os morangos
O momento ideal do ano para plantar os morangos é no princípio de setembro, depois devemos ver a quantidade de plantas que podemos plantar dependendo do vaso. O ideal é colocar três plantas em vasos de meio metro, separadas 10 cm entre si e a 5 cm das bordas.

Se for um vaso circular pode colocar uma planta no meio. Abra um espaço de 20 cm para cada planta, que poderá comprar em uma estufa ou centro de jardinagem especializado.

Nunca corte as raízes das plantas; se forem muito longas pode dobrar, mas nunca cortar. Quando as plantas estiverem bem colocadas recomendamos que pressione com as mãos a terra ao redor e regue bem o vaso.

morangos-em-vasos.1-600x600

Os cuidados com as plantas de morango
A partir de agora deverá cuidar dos morangos e conferir as plantas diariamente para garantir que recebem luz solar e se mantenham com as temperaturas descritas acima.

Quando começarem a crescer as primeiras frutas (após uns 2 meses) deve fazer com que os morangos não toquem o solo porque apodreceriam. Existem vários métodos para isso, como colocar uma pequena rede de arame, palha ou uma bolsa de PVC que só deixe ovos na parte do caule.

Basicamente tendo em conta estes conselhos poderá cultivar morangos em sua casa sem muitos problemas, lembre-se da temperatura e da irrigação, que deve ser abundante, mas sem encharcar as plantas.

eb52e0a459602

luzsolar

Nunca se esqueça de que ao cultivar uma planta você está lidando com um ser vivo que, para sobreviver precisará de alguns cuidados básicos, como os nutrientes, a água e a iluminação.

Mas é da luz solar que vamos falar agora, uma vez que é de extrema importância para sobrevivência das plantas.

Sem a luz do sol não é possível que uma planta consiga crescer saudável, essa é uma regra básica para qualquer espécie. É claro que tem as que gostam mais de luz solar e as que gostam menos, mas todas precisam.

As plantas precisam de sol de maneira diferente uma das outras
Para algumas espécies basta a luz indireta e pronto, elas estão satisfeitas, enquanto outras, precisam ficar horas e mais horas sob o sol.

A explicação é muito simples, algumas reações e processos que passam as plantas só são possíveis com a ajuda da energia do sol, o mais importante deles, a fotossíntese.

Sobre o tempo que uma planta precisa ficar exposta ao sol varia de uma espécie para a outra, estamos falando da intensidade da luz que será necessária.

Por exemplo, as plantas suculentas e os cactos, precisam ficar sob o sol, no mínimo 5 horas diárias. O que para algumas outras plantas significaria morte na certa.

Outro detalhe importante é em relação a direção que as plantas crescem. Para se ter uma idéia da importância da luz solar, elas crescem em direção a fonte de iluminação.

Por isso, caso se faça o cultivo em vaso, para o crescimento ser uniforme, ele deverá ser girado de vez em quando, mudando a posição que está voltada para o sol.

luz solarparaplantas

Veja a importância da luz solar para as plantas
1 – A função da luz solar para as plantas
Graças a energia do sol que é absorvida pelas folhas das plantas através da clorofila é que elas conseguem realizar o processo de fotossíntese.

Quando as plantas estão no escuro, esse processo é completamente interrompido, na luz fraca é mais lento e com a ótima iluminação acontece mais rápido. A fotossíntese é essencial para o crescimento da planta.

2 – O cronograma das plantas
Quando uma planta é retirada da fonte de luz ela não irá morrer imediatamente. Elas conseguem viver durante um período na escuridão, assim como algumas espécies, suportam lugares cujos dias são mais curtos no inverno e a quantidade de luz infinitamente inferior.

Isso porque a planta armazena a sua fonte de alimento de glicose e amido que é criada pela fotossíntese e a utiliza quando está sob a escuridão.

Porém, algumas plantas “adormecem” durante o período em que os dias são mais curtos, no inverno intenso e por isso, os alimentos que elas armazenaram duram mais tempo.

luz-solar-para-planta

3 – Crescimento
Se a planta for sujeira a um longo período na escuridão, ela terá o seu crescimento interrompido. O mesmo vai acontecer quando ela estiver em um solo com muita água e rico em nutrientes, pois, as reservas de amido e glicose se esgotarão.

Apesar de muito importantes para o processo de fotossíntese, os nutrientes que estão no solo, água, dióxido de carbono, não servem para mantê-la sem a ajuda da luz do sol. Pois, só com os raios solares é que acontecem as reações químicas necessárias para fornecer as plantas a energia essencial para o crescimento.

4 – A morte consequência da falta da luz solar
A consequência da falta de luz solar para a planta é uma só, a morte. Primeiro ela murcha e depois morre. A respiração aeróbica acaba parando por falta da alimentação que é oferecida pela fotossíntese. Aliás, é graças a esse processo que a as células da planta se mantêm vivas.

O tempo que a planta vai levar para morrer sem a luz solar varia de acordo com cada espécie. Algumas sobrevivem mais e outras menos.

luz

Tipo de luz solar que as plantas podem preferir
Você já sabe da importância da fotossíntese para o crescimento das plantas e que o processo só se dá com a luz solar. Mas, também sabe que nem toda planta exige muitas horas sob sol.

Na verdade, o tempo e a forma como é a iluminação varia de uma espécie para a outra.

Então, veja, a luz solar para cada tipo de planta.
1 – Intensa e direta

Podemos citar os cactos como o principal exemplo de plantas que gostam de muita luz solar, que tem que ser direta e intensa e muitas horas por dia. Justamente por isso, que esse tipo de planta se adapta bem a climas secos, como no deserto, por exemplo.

suculentas-cactos

Podemos citar ainda como exemplos: escovinha, amarílis, dália e boca-de-leão. As folhas são macias e as flores também e precisam receber muita luz solar, no mínimo, 6 horas a cada dia. O mesmo é exigido pelas ervas frutíferas.

2 – Média
Quando falamos em luz solar média, estamos falando em “meia sombra”, termo muito usado para falar das necessidades da planta. Podemos citar como exemplos de espécies que gostam desse ambiente: lírio, campainha, beijos-de-frade, begônia, flor-de-maio, maria-sem-vergonha, entre outras.

flor-de-maio

Neste caso, os raios solares devem ser intensos, porém, as plantas não recebem a luz diretamente, e sim, indiretamente. Essas plantas precisam dessa luz do sol indireta por pelo menos 3 horas ao dia.

3 – Indireta e fraca
Podemos citar como exemplos de plantas que gostam de receber esse tipo de iluminação: fitônia, chifre-de-veado e antúrio. O pouco de luz que elas recebem, sabem aproveitar muito bem, por isso, não é necessário deixá-las muitas horas sob o sol. Se tiver um ambiente com menos claridade, elas se adaptam bem.

Podemos acrescentar aos exemplos: violeta-africana, aspargo e árvore-da-felicidade.

violeta-africana

4 – Sombra
Algumas plantas preferem a sombra, como é o caso das avencas, das samambaias e da renda portuguesa. Por isso, são boas escolhas para quem pretende ter plantas dentro de casa.

avenca

O que não quer dizer que elas não precisam da luz solar, pelo contrário, elas deverão ser levadas ao sol fraco de vez em quando. Pois não existe uma única planta que sobreviva na escuridão.

Normalmente, as plantas que gostam de sombra são aquelas que possuem uma folhagem brilhosa, abundante e que dura tanto tempo.

banconolago

vaso-de-flor

Vivemos uma grande crise ambiental, pois os recursos naturais foram explorados indevidamente pelo homem, e hoje em dia, todos nós precisamos buscar agir de forma que a natureza seja preservada.

Por isso, existe atualmente uma grande preocupação com o lixo, principalmente com aquele material que pode ser reaproveitado e reciclado. A reciclagem é um das grandes soluções encontradas pela humanidade para reaproveitamento dos materiais e dessa maneira diminuir a exploração indevida dos recursos naturais e assim vai sendo tentado realizar uma exploração correta e sustentável dos recursos disponíveis, para que o planeta Terra consiga ser habitável para as futuras gerações que hão de vir.

O que é reciclagem?
A Reciclagem é o ato de transformar materiais que foram utilizados em produtos aptos para o consumo novamente. A Reciclagem se tornou uma necessidade para o planeta, pois traz uma serie de benefícios, diminuindo a exploração dos recursos naturais, pois os itens são reciclados.

A reciclagem é um processo que ajuda a preservar e manter o meio ambiente, além de produzir economia para as pessoas que com uso da criatividade conseguem aproveitar os materiais, além de gerar emprego, renda e oportunidade de negócios através do aproveitamento de materiais como alumínio, vidro, papel, papelão, plástico e outros.

Devido o aproveitamento dos materiais que levariam anos para serem consumidos pela natureza, ocorre a diminuição da poluição (em ambitos como a água, o ar e o próprio solo).

Graças a esse processo e as ações protetoras, fazendo com que o homem busque preservar a natureza, ajudando a termos um mundo ecologicamente correto.

reclicagem

A reutilização de embalagens
Muitas pessoas confundem os conceitos de reciclagem e reutilização. A reciclagem é a utilização dos materiais para fabricar novos produtos e normalmente é feita pelas empresas especializadas na transformação dos materiais.

Enquanto a reutilização consiste em aproveitar um produto com outra utilidade. A reutilização pode ser considerada uma reciclagem, no entanto ela se caracteriza por ser caseira e até mesmo artesanal, onde as pessoas fazem uso da criatividade e procuram criar belas peças com materiais que não seriam mais usados.

Um exemplo prático de reutilização é reaproveitar as embalagens, sejam essas feitas de plástico, vidro, papelão e até mesmo de pet (material comumente usado nas garrafas de refrigerante), como uma espécie de vasos para o cultivo de plantas.

A transformação de embalagens em vasos
A reutilização de embalagens para a produção de vasos para o cultivo de plantas é muito interessante.

Com o uso da criatividade, as pessoas podem transformar em vasos embalagens de vidro, embalagens de café, caixas de leite ou suco, garrafas pet, embalagens plásticas de desinfetante e outras embalagens.

A seguir algumas dicas de como transformar algumas embalagens em vasos apropriados para o cultivo de plantas:

milk-vaso-4
1 – Caixas de leite e suco – Tetra pack
As caixas Tetra pack podem ser aproveitadas de 02 (duas) maneiras para serem transformadas em vasos.

A primeira forma é cortar a caixa em tamanhos menores, com a caixa sendo útil para o cultivo de pequenas plantas ou formação de mudas. Os cortes podem ser feitos de forma criativa e a caixa pode ser coberta com papel colorido que acaba dando um visual diferenciado e chamativo para a caixa. Não esquecer de lavar a caixa para que possíveis restos e cheiro de leite.

A segunda forma é a reutilização de 04 (quatro) caixas de tetra pack para fazer a composição de um vaso. Para fazer esse vaso com as caixas de tetra pack é necessário que as caixas sejam abertas através das partes que tem cola, depois é necessário lavar e fazer a retirada das abas.

Depois faça um molde de vaso com papelão. O molde deve ser feito seguindo os padrões e medidas de tamanho e de largura. A altura deve ser igual as dobras da caixa de tetra pack.

Pegue uma caneta e faça o contorno do molde, passando o desenho para as 04 (quatro) caixas de tetra pack. Você necessita fazer com que as dobras da caixa coincidam com as quinas do vaso.

Faça o recorte das 4 (quatro) caixas de acordo com as marcações que foram feitas.

Depois de cortar as caixas, use uma fita crepe e una todas as caixas de maneira que seja formada a estrutura de um vaso. Procure reforçar o fundo da estrutura do vaso de tetra pack fazendo a união das partes da caixa.

Para dar um toque decorativo ao vaso, pegue papel alumínio e cubra a parte de fora do vaso, para isso use cola branca. Caso deseje pode dar outro tipo de acabamento basta escolher outro papel e cobrir o vaso.

embalagem de café

2 – Embalagem de café
Para fazer os vasos com embalagens de café basta guardar embalagens metalizadas de café.

É necessário que elas sejam bem lavadas para que todo o pó de café seja retirado. Para que a embalagem seja bem limpa, vire a parte metalizada para fora.

Para dar um toque diferenciado e deixar o vaso diferente você pode amassar a embalagem de café e até mesmo pintar ao seu gosto.

Para conceder um acabamento diferenciado, você pode virar a borda para a parte de dentro da embalagem. Caso você deseje fazer um vaso suspenso, você pode fazer furos nas laterais e colocar cordas que irão sustentar o vaso.

reaproveitando potes de vidro

3 – Embalagens de vidro
As embalagens de vidro dão um charme e diferencial na composição de vasos, que podem ser pintados ficando completamente diferentes.

Para compor os vasos com esse tipo de material basta pegar as embalagens e pintar o lado de dentro e colocar de cabeça para baixo para que a tinta seque e não fique acumulada no fundo do vasilhame. A pintura por dentro é para evitar que a mesma descasque e permite que seja feita a limpeza por fora sem danificar a tinta, além de dar um efeito estético diferenciado.

Depois de pintar e a tinta secar o seu vaso decorativo estará pronto.

Pet

4 – Embalagens de plástico e pet
As embalagens de pet e de plástico podem ser utilizadas como vasos da mesma foram que os demais materiais, bastando que seja usada a criatividade para desenvolver o formato do vaso.

É necessário que a embalagem seja bem lavada para tirar restos e cheiro do produto que usou originalmente a embalagem e,  além disso o plástico pode ser pintado conforme o gosto e desejo da pessoa para que o vaso tenha um aspecto estético diferente.

Chuva-no-jardim_1516

Tillandsia usneoides L.

A planta conhecida popularmente como Braba-de-velho pertence à família Bromeliaceae. Trata-se de uma planta não endêmica do Brasil

O nome popular vem do fato de que a planta possui um visual que lembra uma longa barba esbranquiçada.

Uma planta que é do tipo epífita (que nasce sobre outras plantas) pode se estabelecer pendente nos ramos de árvores. O seu caule é filiforme (fino a tal ponto de ser semelhante a um fio) e possui folhas com entrenós alongados.

Na sua fase adulta as raízes se tornam ausentes, possui uma quantidade pequena de folhas de três a cinco dispostas no decorrer do seu caule longo. As folhas são dísticas (que possui duas séries no decorrer de um mesmo eixo) e patentes tendo em torno de 2 a 7 cm. As flores da planta Barba-de-velho possuem sépalas de 5 a 6 mm que são livres, lanceoladas e que podem ter um esverdeado ou amarelado.

Floração
O florescimento dessa planta é bastante raro ficando a sua reprodução ligada principalmente ao crescimento vegetativo.

Propagação
Pode ser feita tanto de forma vegetativa como por meio de sementes. A Barba-de-velho está na lista de espécies ameaçadas de extinção no estado do Rio Grande do Sul. A dispersão de suas sementes geralmente feita pelo vento e pelos pássaros que fazem a transmissão de uma árvore para a outra.

345Tillandsia usneoides L.

Hábitat
A planta Barba-de-velho pode ser encontrada em habitats como a Caatinga, o Cerrado e a Mata Atlântica, ou seja, em todas as formações de florestas. Em relação a distribuição geográfica dessa planta podemos encontrá-la no Nordeste nos estados do Rio Grande do Norte, Ceará, Bahia, Sergipe, Piauí, Paraíba, Alagoas e Pernambuco; também na região Sudeste nos estados do Espírito Santo,  Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo, bem como no Sul nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Uma confusão que as pessoas costumam fazer em relação dessa planta é acreditar que se trata de uma parasita, porém, a Barba de Velho é uma epífita que vive aderida ou mesmo pendurada em outras plantas, porém, não lhes suga seiva não se caracterizando como parasita.

Essa planta não tem raízes desenvolvidas e dessa forma absorve água e nutrientes de forma direta da atmosfera através das suas estruturas que são chamadas de escamas e se distribuem por todo o seu corpo. As escamas da planta tem uma habilidade bastante interessante de atrair e reter líquido.

Tillandsia usneoides

Uma planta medicinal
Essa planta conta com propriedades medicinais e nos Estados Unidos é utilizada como uma aliada no combate dos principais sintomas da diabetes. Além disso, a planta possui outras propriedades medicinais relevantes como ser antibiótica, antirremáutica e adstringente para a pele.

Durante muito tempo a Barba-de-velho foi usada junto com algum tipo de gordura, como aquela da manteiga de cacau, como um supositório para as hemorróidas. Para se ter uma ideia essa é uma planta utilizada como medicamento também pelos índios Guarani, no caso deles o emprego da planta era para evitar gravidez.

Popularmente essa planta é utilizada para evitar o ingurgitamento do fígado bem como para combater úlceras, dores, hérnias, varizes e até mesmo inflamações no reto. Pode ser ainda utilizada como um eficiente adstringente.

A escolha da Barba de Velho para esse experimento se deu pelo fato de ser uma planta adaptada para viver em ambientes quentes e secos. Como a planta não suporta a poluição intensa se torna uma bioindicadora da qualidade do ar. O material particulado existente no ar fica retido nas escamas utilizadas pela Barba de Velho para retirar umidade da atmosfera e assim é possível medir a poluição.

376Tillandsia usneoides L.1

Barba-de-velho no paisagismo
A planta que é utilizada como planta medicinal, para medir a poluição do ar e até mesmo para artesanato também pode ficar muito bem como parte integrante do paisagismo do seu jardim. A Barba-de-velho necessita de sol pleno ou então de meia-sombra.

A planta pode chegar a 6 m de comprimento, pode ser usada como parte do paisagismo principalmente porque alguns pássaros utilizam os seus ramos para fazer ninhos. Um visual bem interessante para o seu jardim e que com certeza vai encantar quem passar por lá.

janelabuterflay16