Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Cultivos e Cuidados’

Hemerocallis Elegant Candy

Ao olharmos esta flor, achamos logo que se trata de um lírio. Mas não é. Embora a semelhança seja grande – até inspirou os nomes populares desta planta – trata-se na verdade da hemerocallis.

Versatilidade e variedade talvez sejam as palavras que melhor definam esta planta. Originárias da Europa e também pertencentes à família das Liliáceas, como os lírios, as hemerocallis apresentam flores de muitos tamanhos e cores, que vão desde tons próximos do branco até um tom bem escuro, quase preto, passando por todos os tons de amarelo (do pálido ao dourado mais intenso) e do mais suave rosa ao vermelho mais intenso.

Isso sem falar nas misturas de cores encontradas numa mesma flor, que pode apresentar um padrão de cor suave e as bordas multicoloridas ou de uma só cor intensa. As formas das hemerocallis variam desde a estreita “Spider” (aranha) até tipos totalmente redondos.

Hemerocallis 'Purple Water'

Popularmente conhecida como lírio-de-são-josé ou lirio-do-dia, a hemerocallis é uma herbácea perene e rizomatosa, que floresce praticamente o ano todo, com maior intensidade no verão.

O tamanho da haste varia de 20 cm a 130 cm, sendo mais comum encontrarmos plantas de 60 cm a 90 cm. As folhas são estreitas, lisas e longas. Cada haste floral da planta é composta de muitos botões.

Por ser uma planta que exige pouca manutenção e apresenta boa adaptação climática, é muito indicada na composição de jardins de condomínios, empresas, praças, parques e, é claro, em residências.

As hemerocallis vão bem em bordaduras ao longo de canteiros e muros ou em grupos, formando maciços e conjuntos isolados.

hemerocallis

Cultivo
Luminosidade
As hemerocallis devem ser cultivadas sob sol pleno, embora tolerem condições de sombra parcial, desde que haja muita luminosidade. Como regra geral, recomenda-se o plantio das hemerocallis num local onde elas recebam, no mínimo, 6 horas de sol direto por dia.

As variedades coloridas e mais escuras serão beneficiadas por sombra parcial, nos horários mais quentes do dia; assim como a sombra da tarde poderá ser benéfica para as plantas híbridas.

Solo
Esta planta vai bem em praticamente qualquer tipo de solo (do arenoso ao argiloso) mas, de preferência, devemos cultiva-la em solo argilo-arenoso, com bom teor de matéria orgânica e com pH de 5,5 a 6,0.

Caso estas não sejam as condições existentes, algumas práticas poderão serem adotadas, como a adição de calcário dolomítico(100 a 300 gramas por metro quadrado), para corrigir o pH do solo e um pouco de areia média, nos solos argilosos, para melhorar a drenagem.

Nos solos arenosos pode-se adicionar matéria orgânica (estercos curtidos e/ou restos vegetais), para melhorar a fertilidade e reter um pouco a umidade. Mas é importante destacar que as hemerocallis devem ser plantadas em solos bem drenados.

Espaçamento
Em geral, indica-se o espaçamento de 30 a 40 cm entre as plantas, dependendo do porte da variedade. As variedades de porte ‘mini’ podem ser plantadas no espaçamento de 15 a 20 cm entre as plantas.
* Prepare o solo, misturando boa terra de jardim, areia e esterco bem curtido.
* Cave um buraco maior que a massa da raiz.
* Plante, de forma que a coroa da planta (local onde as raízes encontram as folhas), fique abaixo da superfície do solo. Certifique-se que a coloração mais clara na base da folhagem (ela lhe indicará a parte da planta que estava sob a terra) fique debaixo do solo.
* Compacte levemente o solo e regue abundantemente a sua nova planta.

hemerocallis-1

Regas
Água no solo é essencial para o bom desenvolvimento da planta. Em quantidade suficiente, a água ajuda a garantir que você obtenha excelentes floradas. É muito importante que as hemerocallis recebam água suficiente na primavera, quando as plantas produzem os botões florais, e no verão, durante a estação da floração.

Adubação
Que tipo de fertilizante usar? Tendo em vista que cada jardim tem solos diferentes e com diferentes necessidades de nutrientes, sugere-se que se faça uma boa adubação orgânica e pode-se adicionar 30 gramas de adubo químico fórmula NPK 6–12–12 ou 10–10–10 por metro quadrado.

Cobertura de solo
Coberturas de solo podem ajudar as hemerocallis, de diversas maneiras, pois diminuem o crescimento de ervas daninhas, evitam o aquecimento do solo, especialmente no verão (o que dificulta a absorção de nutrientes pelas plantas) e, após se decomporem, ajudam a melhorar o solo, com a incorporação de material orgânico e conservação da umidade.

Podemos usar vários tipos de materiais para cobertura, como lascas de madeira, restos de palha, casca de arroz, etc.

folhas-9

rosas-2

Há quem afirme que a rosa foi a primeira flor “domesticada” da humanidade, embora não haja relatos precisos que corroborem essa afirmação. Para muitos, a rosa é sinônimo de flor de corte, presente certeiro em efemérides pessoais e orgulho de quem possui uma bela e viçosa roseira no jardim.

Muitos amantes da jardinagem gostariam de saber como cultivar rosas mas não se atrevem por imaginar ser um esforço hercúleo cuidar com propriedade das flores.

Como tudo que envolve o trato do jardim, o cultivo de rosas é um amálgama de trabalho dedicado, conhecimento específico e amor ao que se faz.

Tudo começa com o preparo do solo. O substrato precisa ter capacidade de drenagem muito boa, para que a água não encharque o substrato. O solo precisa ser rico em matéria orgânica oriunda de esterco animal bem curtido e de suplementos de boa cepa, como farinha de osso, e com pH neutro ou levemente ácido.

rosaroxa

Adquira mudas de roseira em locais de confiança, e escolha a que mais se adeque ao que se pretende das rosas no jardim. Existem roseiras que nascem em trepadeiras, em arbustos e rasteiras.

O espaçamento entre as mudas precisa ser amplo para que as rosas possam vicejar e florir sem competir por espaço. Rosas que nascem em arbustos e trepadeiras pedem pelo menos um metro de distância entre mudas; as demais espécies podem ficar entre 50 centímetros e um metro longe uma da outra.

Rosas precisam de sol pleno para melhor florir, por isso não descuide do ambiente em que a planta fincará suas raízes. O melhor período do ano para plantar as mudas de roseiras é a época mais fria do outono, para que o inclemente sol do verão não as mate.

As regas no início devem ser diárias mas sem exageros até que as raízes cresçam. O espaçamento das regas das roseiras dependerá do clima: em tempos secos, regue duas vezes por semana; já quando a umidade relativa do ar estiver alta, basta molhar a terra uma vez por semana.

flores-rosas

Para saber quando regar, observe o substrato: ele precisa estar seco, mas não esturricado.

A poda da roseira é de vital importância para o seu desenvolvimento. Use sempre tesouras de poda esterilizadas e muito bem afiadas, cortando os ramos secos ou pouco produtivos rentes ao  caule principal de forma diagonal.

As podas são feitas todos os anos entre os meses de junho e agosto, o ápice do inverno. O primeiro reforço na adubação é feito juntamente com a poda anual e repetido pelo menos mais duas vezes: no auge do verão e um pouco antes do início do outono.

Continue usando esterco animal curtido e incorpore torta de mamona e farinha de osso à mistura.

Existem pelo menos cem espécies de rosa (Rosa spp), e entre elas há inúmeras subdivisões oriundas principalmente do hibridismo proveniente da enxertia.

Rosas-5-1

Contudo, as principais características da flor mantiveram-se intocadas: a suavidade e colorido de suas pétalas e o acentuado perfume que atrai o maior número de polinizadores dentre todas as flores, entre insetos e aves.

Os milhares de anos de cultivo da rosa como flor de corte deixaram como legado inúmeras dicas preciosas. Para saber como cuidar de rosas é preciso atenção às suas exigências, que não são muitas mas vitais para o viço e beleza da roseira.

Solo, adubação e regas
A rosa tem raízes que se adaptam a diversos tipos de solo, mas prefira plantá-la em solo argiloso devidamente afofado e que permita boa drenagem. O pH ideal do solo é o neutro, entre 6,5 e 7; lojas de jardinagem vendem kits para aferição dos níveis de acidez e alcalinidade.

Se o solo estiver ácido, aumente o pH com calcário; se estiver alcalino, diminua com sulfato de ferro.

Cuidado ao reforçar a adubação do solo. Prefira adubos orgânicos bem curtidos a partir de compostagem bem feita, além do uso da farinha de osso. Não use adubo orgânico em excesso ou adubos químicos sem supervisão, caso contrário as raízes da roseira se queimarão.

rosas

A rosa exige sol pleno, não podendo ser plantada ou acondicionada (caso a flor esteja em um vaso) em locais escuros e muito sombreados. A rosa prefere temperaturas amenas.

Na hora de regar a rosa, molhe apenas o substrato, tomando cuidado para não encharcar a terra nem deixar o caule e folhas molhados.

Cuidados com pragas, doenças e insetos
O cuidado com a rega acima mencionada evita a proliferação de fungos prejudiciais à vida da rosa. Caso a roseira já esteja sendo atacada por fungos, como a ferrugem e a pinta preta, use fungicidas específicos e sempre indicados por profissionais.

As pragas mais comuns às rosas são o ácaro, o pulgão e a cochonilha. Existem  inseticidas que podem cuidar destes parasitas, mas cuidado para não usar os mesmos produtos por muitas vezes seguidas, para que eles não adquiram resistência a eles. Use alternativas menos tóxicas tanto às rosas quanto aos humanos, como a calda de fumo.

Rosas-5-1

Podas
As podas de formação são feitas anualmente e sempre no inverno. Seu principal objetivo é deixar a roseira mais produtiva, eliminando ramos doentes, fracos e sem as gemas para formação de rosas.

Os ramos devem ser podados com tesouras de poda limpas e desinfetadas, muito afiadas para que o sistema vascular da rosa, que transporta a seiva, não seja prejudicada.

O corte deve ser feito sempre na diagonal, o que permite melhor arejamento e crescimento da roseira.

rosa amarela

As podas de manutenção são feitas sem periodicidade definida, pois depende da observação contínua do estado da roseira como um todo.

Deve-se podar folhas e flores visivelmente doentes e murchas, e essa poda deve ser feita sempre a partir da gema ou nó, para que não haja infestação de toda a planta.

A tesoura de poda precisa estar muito afiada e limpa e o corte deve ser feito em diagonal e no sentido contrário do nó, para que eventuais pingos de chuva ou da rega não se acumulem.

barco1

plantas-ornamentais

Não importa se você iniciou suas plantas dentro de casa, com sementes, ou foi a seu centro de jardinagem local para pegar amostras de suas plantas favoritas. Você precisará plantá-las adequadamente e cuidar de suas plantas anuais para conseguir o jardim que você passou tanto tempo planejando. Use as sugestões a seguir para tal.

Plantando
Comece com o pé direito tomando os cuidados certos na hora do no plantio em seu canteiro.

Cuidadosamente, quebre as raízes tipo batata crescidas em sacos ou vasos antes de plantá-las. Regularmente, as raízes crescem além da área do vaso ou saco e embaraçam. Você precisará puxar os nós para que as raízes possam crescer livremente no solo..

Se as outras raízes estiverem enroladas em volta da raiz-batata, use seu dedo para gentilmente livrar as raízes umas das outras. Se estiverem enroscadas em volta de toda a batata, você deverá quebrar ou cortar os nós, deixando as raízes de baixo intactas.

Use um espaçador auxiliar para plantar amostras de plantas anuais e jardins de corte em linha. Mesmo as mais belas plantas anuais crescidas podem atrapalhar se forem espaçadas erroneamente.

Felizmente, o espaçamento é algo que você pode facilmente controlar. Algumas opções:
* Faça uma grade de plantio ligando um pedaço grande de arame combinado com uma grade de madeira. Se as aberturas da grade forem de 5 cm e você quiser plantar agerantos a cada 15 cm, você pode colocar uma semente a cada terceira abertura.

* Faça uma corda de espaçamento. Dê nós na corda para marcar medidas específicas, como por exemplo, a cada 10 ou 15 cm. Você pode esticar a corda entre duas estacas para fazer medidas em uma linha reta.

* Leve um parâmetro com você quando estiver plantando. Meça a distância entre cada planta numa linha e entre as linhas, ao invés de apenas medir “no olho”.

rega

Rega
Junto com o solo e a luz, a água é um ingrediente essencial para o crescimento da planta. Não é fácil, especialmente no começo, estimar exatamente quando as plantas requerem água – isso depende muito do clima e das condições do solo.

Por exemplo, se boas chuvas caírem freqüentemente, a rega adicional é obviamente desnecessária. No entanto, onde chove levemente e às vezes, é possível que apenas a superfície do solo fique molhada, sem que muita água realmente chegue à raiz das plantas, sendo necessária a rega adicional.

Plantas sujeitas à luz do sol e ao vento também perdem muita
água precisando de reposição. Da mesma forma, devido ao fato das árvores continuamente puxarem grandes quantidades de umidade do solo ao redor, as plantas anuais em volta ou abaixo delas necessitam de regas mais freqüentes que aquelas ao ar livre.

Todos estes fatores afetam a taxa de desidratação do solo.
Algumas plantas precisam de solo constantemente úmido, e outras espécie toleram – ou até precisam – de alguma estiagem entre as regas.

Então como saber quando regar e quanta água usar? A única maneira de testar é colocando seus dedos 5 a 7 cm dentro do solo para sentir quão úmido ou seco ele está. Pegar um pouquinho da terra da superfície não é o suficiente; você precisa saber como está lá em baixo, na área da raiz.

Jardineiros inexperientes devem verificar a umidade do solo em qualquer dia com pouca ou nenhuma chuva. Com o tempo, você vai desenvolver o tato para condições abrangentes e verificar apenas quando suspeitar que o solo esteja se tornando seco. Lembre-se, é sempre melhor verificar com muita freqüência do que não verificar o suficiente. Não espere que as plantas caiam para perceber que o solo está árido.

Quando regar, regue profundamente. Muitas pessoas pulverizam brevemente um canteiro de flores sedento com uma mangueira. Quando se cansam de segurá-la, se chateiam, ou acham que já regaram o suficiente porque a água parou de penetrar no solo tão rápido como antes, a sessão de rega termina.

Sempre dê pausas para verificar quão profundamente a água penetrou. A adivinhação normalmente resulta em atingir apenas o 1º centímetro superficial deixando o solo abaixo ainda seco.

Uma técnica melhor é usar um regador automático, deixando que sutilmente “chova” por um longo período de tempo. Verifique em intervalos de meia hora para ver quão profundamente a água está penetrando.

Desligue a água quando o solo estiver molhado a uma profundidade de 10cm. Não regue de novo até que o seu teste indique a necessidade.

Um problema com regadores automáticos é que a folhagem se torna muito molhada, criando um ambiente ideal para fungos e doenças. Também, pencas de flores pesadamente regadas podem se inclinar e quebrar ou se tornar mofadas.

A melhor maneira de regar é com uma mangueira giratória. A água lentamente goteja dos vários furos da mangueira por muitas horas – até durante a noite. Toda a água penetra diretamente no solo até a raiz da planta sem perdas e estragos.

fertilizar

Fertilização
O melhor método a seguir é ter o solo de seu jardim testado antes de plantar, então siga as recomendações dadas com os resultados de seu teste. Saber quais nutrientes são necessários ajuda a diminuir o número de opções, mas ainda deixa a decisão de quando usar fertilizantes orgânicos ou inorgânicos para você tomar.

Se você puder obter os nutrientes de fertilizantes orgânicos, isso reduz o risco de agredir o ambiente. No entanto, se os nutrientes que você precisa não puderem ser obtidos de tais fontes, há pouco perigo em usar fertilizantes inorgânicos, desde que aplicados apenas na medida necessária.

Fertilizantes comerciais em pó e grânulos liberam nutrientes mais rapidamente que fertilizantes orgânicos

Quando você estuda a fórmula do NPK (nitrogênio, fósforo, e potássio) de cada fertilizante, nota que os orgânicos contêm menores porcentagens de nutrientes por grama que os inorgânicos. Geralmente, isto não é importante ao nutrir plantas anuais.

Isto pode se tornar um problema quando você está tentando ajustar um grande canteiro com nutrientes no começo da estação de crescimento. Você poderá notar que para aumentar os nutrientes ao nível recomendado, deverá adicionar 10 cm de material orgânico.

Isto pode ser feito se a área a ser coberta for pequena, mas para áreas grandes isto pode se tornar incômodo. Nestes casos é mais prático fazer maiores ajustes com inorgânicos e depois prosseguir com orgânicos para ajustes menores nos anos futuros.

Fertilizantes são aplicados em forma seca granular ou em pó, ou misturados com água para uma aplicação líquida.

Os nutrientes granulares ou em pó devem ser espalhados na superfície do solo e cavados; as aplicações líquidas podem ser feitas com um spray manual ou num compartimento especial acoplado à sua mangueira.

composto

Compostos
Fazer seu próprio composto de restos de plantas, solo e nutrientes leva vários meses. Muitos jardineiros acham mais fácil comprar compostos prontos. De qualquer maneira, o composto é um bom aditivo para solos fracos em material orgânico.

Para suprir os nutrientes para uso imediato em canteiros de plantas anuais que foram replantadas recentemente, uma fraca solução de fertilizante solúvel em água – ou emulsão inorgânica – pode ser pulverizada com um regador diretamente ao redor da planta.

Depois, alguns nutrientes granulares pulverizados ao redor de cada planta em intervalos de duas semanas, podem sustentá-las até o final do verão.

Para melhor absorção, fertilize com o solo úmido. Cuide para aplicar no solo e não nas folhas das plantas. As plantas, suas mãos e o fertilizante devem estar secos quando você fertilizar.

Atenção: sempre lave as mão após lidar com fertilizantes.

Uma palavra final sobre dois corretores de solo feitos em casa: estrume líquido e composto. Compostos são feitos pela combinação de restos de plantas com solo e fertilizante, deixando-os se decomporem por vários meses, então os misturando de volta ao jardim.

Estrume líquido é feito combinando dejetos animais com água, deixando-os se decomporem, então regando o jardim com o líquido resultante. Ambos são bons como fontes de nutrientes orgânicos, mesmo que seus níveis de nutrientes sejam baixos. No entanto, nenhum é especialmente prático para o jardim doméstico regular e pequeno.

organizar

Mantendo tudo arrumado
Plantas anuais vão florescer quando abastecidas com as melhores condições possíveis. No entanto, há algumas técnicas simples de cuidado que ajudarão a aumentar e controlar seu crescimento.
* Poda: para ajudar as plantas a se encherem, remova os ramos de crescimento finais do galho principal quando a planta estiver no estágio de crescimento rápido que precede a formação das primeiras flores. Para mudas, a melhor época para a poda é quando você as está replantando no jardim.

Elas estarão num bom estágio de crescimento e a remoção de alguma folhagem ajudará a equilibrar qualquer estrago na raiz que a planta possa ter sofrido no processo de transplante. Plantas que crescem semeadas diretamente no jardim devem ser podadas quando estiverem com 7 a 10 cm de altura.

Simplesmente pode ou quebre os últimos 2 a 3 cm do galho principal. Isto redirecionará a energia da planta deste ponto único para vários outros galhos latentes – há um galho em crescimento latente localizado no nó (o ponto nos galhos onde cada folha está presa).

Vários dias após a poda, você verá vários pequenos brotos vindo do galho que ficou. Eles crescerão num grupo de galhos para repor o galho único original. A planta ficará mais baixa, troncuda e cheia do que se nenhuma poda tivesse sido feita.

Ela também terá uma aparência mais bem cuidada, mais compacta e terá mais galhos que produzirão mais flores. Uma segunda poda pode ser feita duas semanas após a primeira se uma planta ainda mais cheia for o seu desejo.

Mantenha os Gerânios arrumados e produzindo, reduzindo as flores velhas.
* Remova as flores velhas: uma vez que as flores comecem a florescer, é importante remover as flores passadas prontamente por vários motivos. Primeiro porque, uma vez que a flor morre, ela diminui a boa aparência do jardim.

Segundo, porque ainda que digamos que está morta, está na verdade muito viva e continua com seu crescimento até a produção de sementes. Este processo suga energia da planta que poderia ser usada para nova folhagem e produção de flores. Terceiro, a remoção das flores passadas ajuda a redirecionar rapidamente a energia da planta para galhos laterais e um novo crescimento.

Para fazer este novo enraizamento mais eficiente, sempre pode logo acima do primeiro galho lateral que está começando a crescer. Se não houver galho ativo lateral abaixo das flores, pode um galho lateral ou imediatamente acima do nó da folha onde um broto latente começará um novo crescimento.

Faça um corte limpo com uma faca afiada, já que cortes irregulares levam muito tempo para se curar e são possíveis locais para a entrada de doenças e apodrecimentos. Estas regras de corte se aplicam para a remoção de flores de corte também.

Às vezes, é necessário podar para que as plantas se tornem irregulares ou se misturem às plantas vizinhas. As podas devem ser procedidas da mesma maneira que a remoção das flores mortas.

Sempre pode para um crescimento ou galho lateral que está na direção que você quer para o futuro crescimento da planta. Assim você pode dirigir e controlar o crescimento como achar adequado.

chuva-7

regas

Quando as plantas são regadas sem a frequência correta, mas pesadamente, elas desenvolvem um sistema de raízes profundas e grandes. Regas frequentes e leves fazem com que as plantas desenvolvam sistemas de raízes rasas logo abaixo da superfície do solo.

Isto torna a planta mal ancorada e sujeita a tombar em caso de chuva ou vento fortes, bem como capaz de definhar, a menos que seja regada diariamente.

Então, regas lentas e profundas produzem plantas fortes e saudáveis. Sempre que possível, regue à tarde ou à noite ao invés de pela manhã ou no calor do dia.

regas

Irrigação em gotas é outro excelente sistema de irrigação lenta, mas é mais caro que a mangueira giratória. Esta é provavelmente uma boa alternativa para quem tem grandes canteiros de plantas ou quem cultiva em climas onde a irrigação é constantemente necessária para que plantas cultivadas sobrevivam.

Uma vez que o sistema é colocado, ele pode permanecer no local ano após ano; em áreas em que a água congela, no entanto, ele deve ser drenado para o inverno.

Há dois fatores adicionais que ajudarão a conservar a umidade e assim reduzir a frequência da necessidade de rega.

Uma é a incorporação de composto na área de plantio, porque o solo ficará molhado e manterá a água por mais tempo.

Isto é verdade quando material orgânico é adicionado a solos leves e arenosos; de modo contrário, quando adicionado a solos pesados, ele ajuda a arejá-los.

A segunda técnica que ajuda a reter umidade é o uso de estrume. Colocado na superfície do solo, entre as plantas, o esterco protege o solo da aridez do sol e do vento.

Usando estas duas idéias, você pode diminuir o tempo necessário para cuidar do jardim, e ainda mais importante, conservar água, recurso naturalmente precioso.

chuva-5