2018 July - PlantaSonya - O seu blog sobre cultivo de plantas e flores
Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




cymbidium

Com flores duradouras, entre 30 dias a 2 meses, podendo variar para mais ou para menos, a Cymbidium, orquídeas que para muitos é denominada de patinho feio, também é um gênero que agrada a muitos amantes das orquídeas.

Acho, por exemplo, não só suas flores são lindas, como a sua folhagem também, o que não acontece com muitos gêneros e espécies de orquídeas.

É um gênero que oficialmente tem um número variado de espécies, havendo ainda discordância da quantidade exata, mas algo entre 44 e 70 espécies. Já em termos de híbridos*, que podem ser tanto naturais como artificiais (através do cruzamento intencional do ser humano), os números registrados ultrapassam a onze mil.

Nessa matéria irei abordar diversos pontos importantes para o cultivo, desde local, luminosidade, rega, adubação até o tipo de substrato.

* Híbridos, são cruzamentos de orquídeas de espécies diferentes, ou até entre gêneros. Quando cruzadas entre plantas do mesmo gênero, permanecem com o nome do gênero original. Exemplo de híbrido primário de Cattleya é o cruzamento da Cattleya clandiae com a Cattleya amethystoglossa, que gerou a little leopard, que não deixa de pertencer ao gênero Cattleya, portanto é Cattleya little leopard.

Cymbidium híbrido

Quando esse cruzamento se dá entre gêneros, se cria um outro gênero, como é o caso da Brassocattleya, um híbrido gerado pelo cruzamento de uma Cattleya e uma Brassavola.

Mas essa explicação coloquei aqui só a título de curiosidade mesmo, então, vamos voltar a Cymbidium…

Habitat
Na hora de comprar uma Cymbidium precisa-se estar atento ao tipo de clima de cultivo, pois existem espécies de clima quente (poucas) e espécies de clima frio.

Uma dica para descobrir as de clima quente são geralmente as que têm flores do tipo miniatura e suas hastes são pendentes.

É importante ressaltar que, as de clima frio só irão florescer se estiverem em temperatura em torno de 10°C, dificilmente irão florescer em regiões quentes, como nordeste, por exemplo.

Apesar de gostarem de clima frio, não são muito tolerantes as geadas, portanto, proteja-as nestas épocas.

A preferência da maioria é pelo clima ameno de dia e temperaturas baixas a noite. Acredita-se que, é esse choque natural de temperaturas que favorece o surgimento das flores.

Pode dar um pouco de trabalho, mas se você já comprou uma Cymbidium de clima diferente da sua cidade, você pode fazer como alguns cultivadores, que dão um “choque térmico” ao anoitecer. É basicamente regar com água bem gelada, algumas vezes até pedras de gelo no cair da noite, e dar preferência a utilização dos vasos de barro, pois se resfriam mais rapidamente.

Cymbidium_insigne

Iluminação / luminosidade
Essa questão irá depender muito da espécie de Cymbidium que você tem, da intensidade do sol e da umidade do ar de onde você mora.

A maioria é de pleno sol, mas existem as que se desenvolvem melhor em sombreamento de 40% a 60%, como é o caso das cultivadas em regiões de sol muito intenso. Parece difícil, né?

Mas não é se você souber exatamente a planta que você tem. Por isso, eu recomendo que sempre comprem plantas com placas de identificação, pois só com o nome você será capaz de ter certeza dos cuidados que deverá ter com a sua orquídea, seja ela Cymbidium ou não.

Aí vai mais uma dica..
Uma planta em local adequado possui folhas em tom de verde claro ou verde levemente amarelado. Caso as folhas estejam em tom verde escuro, provavelmente estão em local de baixa luminosidade, já as de folhas amarelas brilhantes ou com manchas, possivelmente estão recebendo excesso de luz.

Rega
A rega regular é recomendada, mas como muitos gêneros de orquídeas, elas também não gostam de estar constantemente encharcadas, geralmente o intervalo entre as regras é de uma semana, mas conforme a sua cidade ou a estação do ano, a quantidade de dias poderá variar para mais ou para menos. Mantenha-a úmida, mas nunca encharcada. E nada de pratinhos embaixo.

Outra recomendação minha é procurar, na hora da rega, sempre limpar as folhas de plantas que ficam em áreas externas, para evitar o acúmulo de poeira.

Mais uma dica boa e importante. Quando você for aguar, faça isso abundantemente e observe o tempo que a água demora para sair pelos drenos (furos nos vasos), o ideal é que isso ocorra quase que imediatamente, se isso não acontecer é um grande indício de que a sua planta precisa ser replantada, ou seja, você terá que retirá-la do vaso, limpar o excesso de raízes e utilizar ou novo substrato ou esterilizar o antigo para reaproveitá-lo, pois pedriscos de rio, pedras britas e argila expandidas não se tornam ácidas com o tempo, como acontece com as cascas de pinus, por exemplo.

Quanto ao horário da rega… se optar em regar pela manhã, faça-o bem cedo, para que as folhas se sequem com o passar do dia e estejam completamente secas a noite, pois folhas com água no anoitecer podem deixá-la vulnerável ao ataque de algumas doenças.

Já se você precisa fazer o “choque térmico”, isso obrigatoriamente deverá ser ao anoitecer, portanto cuidado para molhar apenas as raízes.

OBS: ela deverá ser replantada entre 2 a 4 anos, sempre após a queda total das flores e a haste desta secar. Após o replantio, use canela nas raízes cortadas e evitar molhar por 3 semanas

Cymbidium

Quantidade de flores, hastes e época de floração
Isso é outro ponto variável conforme a espécie, existe Cymbidium que podem ter de 1 a 3 flores e uma única haste floral, e outras que podem chegar a 60 flores e várias hastes florais.

As hastes podem ter de 10cm a mais de um metro de comprimento, e podem ser do tipo hastes eretas, semi-pendentes e pendentes.

Quanto a época de floração, ela ocorre uma vez ao ano, a maioria das espécies florescem naturalmente no inverno (no hemisfério sul – onde o Brasil está) e na primavera (no hemisfério norte), mas existem espécies que dão flor em outras estações.

A falta de floração está intimamente ligada a falta de luminosidade e a ausência do clima mais frio no cair da noite.

Substrato
Cymbidium pode ter espécies terrestres, rupículas (vivem em pedras) e epífitas (que vivem em árvores).

Para saber o substrato ideal, saber o nome da espécie também é importante, mas se você não sabe, meu conselho para substrato é utilizar pedra brita lavada e esterilizada, pois assim você terá maior chance da sua planta se desenvolver bem, já que abrigará ao gosto de dois grupos: rupículas e epífitas, e para essas, a terra vegetal pode ser fatal, visto que a terra asfixia as raízes, e favorecem ao apodrecimento delas.

Outras opções igualmente funcionais a brita são os pedriscos de rio e a argila expandida.

cymbidium

Adubação
Quando plantada em vasos,  e tendo em vista que a maioria dos substratos é neutra em nutrientes, a adubação se faz necessária.

Você pode optar por uma adubação orgânica, por exemplo com farinha de osso e torta de mamona (lembrando que cuidado com as crianças e animais, em virtude da toxidade).

Ou pela adubação química, particularmente sempre a minha opção, você pode usar, na época pré-floração (verão no hemisfério norte e outono no hemisfério sul, como no Brasil).

O NPK do tipo 10-5-15, 20-15-30, e por aí vai, é muito útil de se ter em casa. Quanto a numeração ela pode variar, o importante é que a maior proporção seja a de potássio (K), a menor proporção seja a de fósforo (P) e o nitrogênio seja balanceado entre os dois, sendo maior que a quantidade de fósforo e menor que a de potássio, como descrito nas duas fórmulas acima. Essa adubação é pré-floração, meses antes do inverno (hemisfério sul) e verão (hemisfério norte).

Já após a floração, deverá ser invertido a proporção entre nitrogênio e potássio, ou seja menos potássio e mais nitrogênio, isso para favorecer o crescimento da planta, já que ela não estará em época de floração, estará em processo vegetativo e depois de crescimento (época que surgem novas folhas e novas mudas). Nesse caso, o NPK poderá ser 15-5-10, 30-15-20 ou similares.

Além disso, ela precisará de outros nutrientes: cálcio (Ca), magnésio (Mg) e enxofre (S), dentre outros em menor quantidade.

Dificilmente um adubo vem apenas com os 3 macros nutrientes: fósforo, potássio e nitrogênio, leia a embalagem para saber sua composição.

Ah! E lembrando o que eu já disse aqui no blog anteriormente, Cálcio e enxofre são quimicamente incompatíveis, portanto você sempre precisará de ao menos dois tipos de adubos e intercalá-los, um com cálcio e outro com enxofre, pois não se pode conter na mesma embalagem cálcio e enxofre.

O ideal é calcular de forma que a porção de adubo corresponda ao proporcional para um período de 15 dias, assim, a cada 15 dias você alternará os adubos.

Se por acaso você encontrar alguma embalagem em que ambos estiverem na fórmula, esse adubo não merece credibilidade.

Cymbidium_Honey_Green

Obs 1: Lembrando que, eu estudo muito sobre adubação e minhas fontes são baseadas em livros especializados, vendidos principalmente para cultivadores, sejam comprados no Brasil ou fora do País, portanto prefiro manter as informações que adquiro através dessas fontes, sem desmerecer nenhum site, pois acredito que muitos acabam por seguir a mesma preocupação que eu em fornecer informações o mais precisas possíveis e embasadas em estudos científicos.

Obs 2: Como eu sempre digo, mantenha o hábito de aguar bastante a sua planta antes de adubar para tirar vestígios da adubação anterior.

Obs 3: Evite adubos que contenham ureia, sim ela fornece nitrogênio, mas sem querer me prolongar muito, a absorção da ureia é mais lenta que a do nitrogênio livre de ureia.

Estaquiamento
É recomendado que a haste, logo após formada, receba uma tutor, ou seja, uma estaca, para ampará-la, e evitar a sua quebra conforme o crescimento dos botões.

Lembre-se de amarrá-la de forme leve. Você pode usar aqueles arames encapados tipo de amarrar saco de pão de forma, clipes de jardinagem, barbante…

Uma recomendação que eu faço é não reaproveitar as estacas de madeira (como aqueles palitos de churrasco), pois podem estar contaminadas, e se for estaca de arame encapado, recomendo esterilizá-la no caso de querer reaproveitá-la.

Após a floração
Os botões caem e a haste começa a secar, isso é um processo natural. Para manter um aspecto limpo, corte a haste quando ela estiver complemente marrom. Sempre próximo a base e com uma tesoura esterilizada previamente.

cymbidium

Botões caindo antes de abrir
Isso é válido para a maioria das orquídeas. Indica, geralmente, mudança de ambiente. No gênero Cymbidium é mais certo ainda, se ela sair do ambiente que estava e for para outro com temperatura superior a 18°C, provavelmente a planta irá abortar os botões e você não verá as belas flores.

Divisão da planta
Ao contrário das Laelia e Cattleya, por exemplo, que podem ser divididas em múltiplos de três, o seja, cada nova planta deve ter pelo menos 3 pseudobulbos, a Cymbidium, para evitar que a planta sofra, deve ser dividida respeitando o número de 5 pseudobulbos por nova muda.

Provavelmente plantas com menos de 4 pseudobulbos não irão florir no ano seguinte! Por isso, 5 é um número seguro para garantir lindas flores na próxima época de floração.

agua corrente

Euphorbia_tirucalli

O avelós é um arbusto da família Euforbiaceae, composto basicamente por caules verdes que se subdividem, e que produzem uma seiva tóxica e cáustica, capaz de cegar.

É conhecido por uma ampla variedade de nomes comuns: árvore-de-são-sebastião, árvore-do-coral-de-são-sebastião, árvore-do-lápis, cerca-do-diabo e cerca-viva, palito-de-fogo (pela coloração avermelhada e pinheiro-do-diabo

O arbusto tem uma ampla distribuição na África Central e Austral. Foi introduzido em muitas regiões tropicais. Cresce em áreas secas e é muitas vezes usado para alimentar o gado ou como cobertura. Diferenças na ramificação e variação nas cores (tons rubros e alaranjados) podem indicar subspécies, porém a planta carece de maiores estudos.

A planta é lenhosa, de seiva tóxica e aspecto único e decorativo. Seu caule é ereto e ramificado, de textura suculenta quando jovem, mas que vai lignificando aos poucos. Os ramos são cilíndricos e verdes e desempenham o papel da fotossíntese da planta.

Euphorbia-tirucalli

Eles são geralmente verdes, mas sob sol forte adquirem belas tonalidades alaranjadas e avermelhadas. As folhas são esparsas e até mesmo ausentes, diminutas, alternas, fugazes e surgem nas extremidades dos ramos jovens. Inflorescências em cimas terminais, formando rácemos apertados de ciátios subsésseis. As flores são terminais, pequenos e de pouca importância ornamental.

No paisagismo o avelós é uma escolha excelente para jardins de inspiração desértica ou rochosos. Ele serve como “pano-de-fundo” para outras espécies de suculentas e cactáceas, de formas e cores mais chamativas. Além disso, permite podas de formação e se aproveita como um eficiente cerca-viva.

Também pode ser plantada em vasos e jardineiras. Por tolerar o sal das regiões litorâneas é uma opção interessante para o jardim praiano.

Observações:
Esta planta é considerada medicinal e está sendo pesquisada para remédios à base de plantas, por conter muitos elementos necessários. No entanto é muito tóxica e não deve ser usada em tratamentos caseiros.

euphorbia_tirucalli

Cultivo
Deve ser cultivada sob sol pleno em diversos tipos de solos, preferencialmente drenáveis e irrigados de forma esparsa. Vegeta bem mesmo em solos pobres, mas a fertilização permitirá o crescimento de uma planta mais viçosa e bonita.

Tolerante à estiagem. Não resiste ao frio intenso ou geadas. Durante o inverno frio reduza as regas.

Para propagar esta planta podemos usar estacas dos ramos, em qualquer estação. Retirar as estacas ou aproveitar a poda de ramos. Colocar em substrato de areia, perlita ou terra misturada com areia, mantendo a umidade por regas frequentes e com cobertura de plástico sobre o recipiente.

Quando notar que começa a se desenvolver, sinal que já tem raízes, retirar com cuidado e plantar em recipiente grande com substrato semelhante ao indicado para o plantio.

Deixar alguns dias em cultivo protegido, principalmente se for no inverno.

Euphorbia_tirucalli

Como plantar o avelós
Cultivo ao sol em solos ricos em matéria orgânica, mas muito bem drenados. Para seu plantio abrir um buraco maior que o torrão. No fundo colocar mistura feita com areia, adubo animal curtido e composto orgânico ou húmus de minhoca, em partes iguais.

Colocar o torrão e preencher com a mesma mistura que foi feita. Regar bem no plantio e alguns dias após, mas depois espaçar bem as regas.

É uma planta xerófita para jardins rochosos e de áreas mais secas. Aprecia calor e tem sensibilidade para baixas temperaturas, então é indicada a regiões de clima quente como Centro Oeste, litoral Norte e Nordeste.

Para podar tomar grande cuidado com a pele exposta, pois contém um látex irritante, podendo causar queimaduras.

O avelós na verdade não precisa de podas. Mas se houver desenvolvimento de determinados ramos fora da forma desejada será possível cortar com podão de jardim.

chuva_b

Crassula-umbella

A crassula umbela é uma planta suculenta da família Crassulaceae, muito atraente de até 15 cm de altura quando em flor. É uma planta suculenta com hastes não ramificadas eretas.

As folhas são em pares, de cor verde brilhante, com a borda levantada, fundidas em uma estrutura arredondada em torno do caule. As flores são verde-amareladas, com diâmetro de até 1 cm e aparecem no inverno para brotar de inflorescências de até 10 cm de altura.

Crassula-umbella

Como cuidar
A crassula umbela é uma planta fácil de cuidar, mas são suscetíveis a insetos e doenças fúngicas.

Tal como acontece com todas as suculentas, o excesso de água certamente será fatal, por isso é preferível deixar a planta seca do que, em vez de muito molhada.

Sua propagação é feita geralmente por divisão de mudinhas ou cortes de folhas. As plantas podem ser facilmente propagadas a partir de uma única folha:

Coloque as folhas, em uma mistura para suculentas ou cactos, em seguida, cobre com essa mistura até que elas brotem.

arvore outono1

caladenia lobata

A Natureza é tão perfeita que sempre encontra maneiras para garantir a reprodução da espécie mais facilmente.  Este é o caso desta bela espécie de orquídea que ao longo do tempo foi se aprimorando nesta arte de atrair o polonizador.

A orquídea aranha-borboleta distingue-se pelo seu amplo, labelo achatado que favorece a aproximação do polonizador. Floresce no final de Setembro e encanta com sua beleza extraordinária.

Caladenia lobata é uma espécie de orquídea geófita, da família Orchidadeae, natural do sudoeste da Austrália, onde cresce em grupos esparsos ou ocasionalmente grandes colônias, em bosques, ou locais de vegetação arbustiva, charnecas e afloramentos de granito, em áreas de solo bem drenado mas ocasionalmente em áreas sazonalmente alagadiças.

Arachnorchis lobata

São plantas com uma única folha basal pubescente com marcas proeminentes púrpura perto da base, e uma inflorescência rija, fina e densamente pubescente, com uma ou poucas flores, que vagamente lembram uma aranha, muito estreitas, caudadas, e bem esparramadas, normalmente pendentes.

Em conjunto formam grupo bem vistoso quando sua floração é estimulada por incêndios de verão.

Aranha-borboleta

Pertence a um grupo de cerca de vinte espécies, , que distingue-se dos outros grupos de Caladenia por apresentar diferente tipo de pubescência nas folhas e inflorescências.

Tem o labelo verde com extremidade marrom, raramente pendurado firmemente, mas sim delicadamente, de modo que treme com o mais leve movimento, com dentes laterais verdes e muito longos lembrando um pente, de onde o nome da alliance; flores verdes a amareladas com listas centrais longitudinais.

janela lúdica