2017 September 01 - PlantaSonya - O seu blog sobre cultivo de plantas e flores
Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Spathodea campanulata_5

A tulipeira pode ser ainda conhecida popularmente como bisnagueira, tulipeira-africana, árvore-de-bisnagas, espatódea entre outras. A família dessa árvore é a Bignoniaceae e é considerada uma árvore ornamental.

O clima preferido dessa planta é o equatorial, tropical e subtropical. A origem da tulipeira é a África, pode chegar a atingir entre 9 e 12 m. Precisa de sol pleno para conseguir se desenvolver e o seu ciclo de vida é perene.

Trata-se de uma árvore de crescimento muito rápido e com um efeito ornamental. O porte dessa árvore é médio e pode atingir cerca de 24 m. Na África é possível observar alguns exemplares dessa árvore que ultrapassam os 30 m de altura.

O diâmetro do tronco dela pode variar entre 30 e 50 cm, a sua madeira é clara e mole, a casca é do tipo fina e tuberosa. As folhas dessa planta são grandes, opostas e compostas por folíolos (4 a 19) alongados e do tipo oval-lanceolados. A primeira floração da tulipeira  acontece somente depois que ela tem uns 3 ou 4 anos.

As flores têm um tom vermelho-alaranjado ou mesmo amarelo, tudo depende da variedade. Essas flores surgem de inflorescências terminais com muitos botões que vão se abrindo de forma sucessiva e que assim garantem uma floração bastante longa.

Spathodea campanulata_2

O período de floração da planta varia de acordo com o local em que ela está. Uma planta que tem frutos que parecem vagens e que tem diversas sementes aladas que vão se dispersando com o vento. Uma árvore que tem a sua copa bem densa e que pode ser bem rústica.

Uma árvore indicada para espaços que precisam de árvores que cresçam rápido como parques, jardins públicos entre outros. É importante destacar que essas árvores não são boas opções para serem cultivadas próximas a calçadas ou mesmo a construções e tubulações.

As raízes da tulipeira são muito agressivas e por isso podem trazer problemas nessas situações. Uma árvore bastante ornamental e que tem uma beleza singular podendo ser plantada sozinha em gramados extensos ou mesmo junto com outras plantas.

Porém, fica o alerta que as suas flores são consideradas venenosas, não se iluda pelo fato de que elas atraem abelhas e beija-flores.

Se você tem crianças ou animais domésticos em casa tome cuidado e não deixe que se aproximem dessa árvore.

Spathodea campanulata_

Cultivo
A tulipeira deve ser cultivada sob sol pleno e o solo deve ser fértil e bem drenado. É importante que o solo seja enriquecido com matéria orgânica para tornar o cultivo dessa planta mais fácil. A multiplicação é feita por sementes e estacas que germinam com grande facilidade.

Nesse ponto é importante ressaltar que devido a sua facilidade de multiplicação a tulipeira pode ser considerada uma planta invasiva. Sendo assim é importante que seja observado aa quantidade de tulipeiras que estão surgindo no seu jardim.

Passo a passo do cultivo
1 – Escolhendo o lugar
O primeiro passo para fazer o cultivo da tulipeira é encontrar o melhor local para o cultivo. O lugar ideal é aquele que é ensolarado, tem solo fértil e conta com um bom teor de matéria orgânica.

2 – Buraco do plantio
Quando você for fazer o plantio da muda deve fazer um buraco maior do que o torrão.

3 – Adubo
Para que o seu cultivo de tulipeira seja bem sucedido a dica é misturar o adubo animal de curral, em torno de 1 kg, com composto orgânico.

tulipeira

4 – Adubo NPK
Também é interessante colocar 200 gramas de adubo granulado NPK com uma formulação de 10-10-10. Coloque também 100 gramas de farinha de ossos. Misture tudo muito bem.

5 – Como usar esses compostos
Coloque parte desse composto no fundo da cova, coloque então o torrão e complete com a mistura. Coloque também um tutor de sarrafo, amarre com uma corda de algodão na forma de oito. Cuide para não estrangular o caule. Regue bem essa planta.

6 – Plantio em épocas quentes
Quando você for fazer o plantio da tulipeira em épocas quentes do ano tenha o cuidado de antes de colocar o torrão com a planta também colocar um balde de água no fundo do buraco. Isso vai ajudar a agregar o substrato ao torrão e assim a água vai provir para a planta.

Nos dias seguintes do plantio no caso de não chover será necessário regar as mudas plantadas. A adubação que é realizada durante o plantio garante que nos próximos anos a planta estará nutrida de acordo com as suas necessidades. Assim não é necessário adubar todos os anos, uma forma bem prática.

Multiplicação da tulipeira
As mudas podem ser feitas através de técnicas de estacas de ramos, feita com enraizadores, depois que o inverno acabar ou mesmo na estação de chuvas.

Para isso retire as estacas de ponteiro, limpe as folhas de base e plante em recipientes que tenham um substrato que seja feito de arroz carbonizado, areia ou vermiculita, sempre mantendo a umidade. Mantenha o cultivo protegido.

Depois de algum tempo será notado que as gemas começarão a se desenvolver, isso é um sinal de que já aconteceu a emissão de raízes. Faça o transplante para recipientes que tenham substrato parecido com esse que foi recomendado. Regue bem e mantenha o cultivo sempre bem protegido.

Spathodea campanulata

Quem preferir também pode fazer a multiplicação através de sementes. Para isso a dica é usar terra comum de canteiros ou então de caixotes ou até mesmo de sacos de cultivo.

Pode aproveitar materiais descartáveis como caixas de leite longa vida, são ótimas opções para sementeiras de árvores. Para isso corte os dois cantos do fundo da caixa, isso vai tornar possível que a água das regas escoe.

As tulipeiras e o paisagismo
Essa árvore pode ser cultivada para efeitos paisagísticos, desde que não fique próxima a construções, pois as suas raízes são agressivas. Vale lembrar que as suas flores são tóxicas então é importante ter bastante cuidado se decidir cultivá-la. Uma bela árvore que pode trazer um lindo resultado de paisagismo para o seu jardim.

outono

Cercis

Conheceremos hoje um pouco mais sobre a Cercis, conhecida popularmente como árvore-do-amor ou árvore-de-judas que tem um aspecto realmente impressionante e que não precisa de muitos cuidados.

A Cercis é uma árvore de tamanho médio entre 6 a 8 m de altura. Sua casca é lisa com bonitos tons avermelhados e tem uma copa aberta e irregular. É conhecida também como árvore-de-judas, que de acordo com a lenda, Judas se enforcou em uma dessas árvores.

A verdade é que estamos falando de uma árvore linda durante todo o ano, chama mais atenção na primavera quando suas flores, rosas com tons de roxo, saem. O Cercis se enche dessas flores, as quais crescem diretamente sobre o tronco e nos galhos.

Essa árvore é nativa das áreas do Mediterrâneo (a partir da França até o Oriente), ainda que tenha sido introduzida com muito sucesso em outras áreas como América do Norte e América do Sul, ela ainda é pouco cultivada em nosso país. Pertence à família Fabaceae.

cercis1

É uma árvore que cresce em qualquer tipo de terreno e ainda que não seja exigente com o clima prefere os climas mais ensolarados. Gosta de sol, muito sol, sendo assim uma boa árvore para plantar em nosso tipo de clima, além disso a seca não é problema para essa árvore.

Cuidados com o Cercis
Essa bonita árvore não necessita de muitos cuidados. A única exigência é que precisa de luz, isso significa que devem ser plantadas em lugares muito ensolarados. Em questão de solo, calcários, profundos e bem drenados, os terrenos encharcados não são muito bons para essa árvore.

Devemos mencionar também que é uma árvore com a madeira bastante frágil, por isso o vento a afeta um pouco, podendo quebrar os galhos. Quanto ao adubo, uma vez ao ano antes da floração.

cercis 3

Pragas da Cercis
A Cercis é sensível a pulgões e cochonilhas. Além disso, deve-se destacar que por ser uma árvore rara no Brasil ela também é dificilmente atacada por pragas específicas. O melhor é realizar algum tratamento leve caso apareça algum tipo de praga.

cercis 4

Beleza paisagística
A Cercis é uma planta notável, de grande efeito decorativo devido à sua floração que ocorre antes do aparecimento das novas folhas e pelas suas flores vistosas que nascem diretamente nos troncos. É uma árvore ornamental profusamente utilizada em parques e jardins.

A sua madeira não é de boa qualidade pois deforma-se com facilidade, por isso não tem aproveitamento. Os frutos usaram-se em medicina popular como adstringentes.

Os botões florais servem como substitutos das alcaparras e as folhas novas são consumidas em saladas. Os botões florais e as folhas foram também utilizados para tingir fibras vegetais obtendo-se uma coloração cinzento-acastanhada de longa duração.

natureza nn