Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts com tag ‘trepadeiras’

amor-agarradinho-antigonum-leptopus
Vamos encontrar todo tipo de planta na natureza e por mais que ela seja estranha, sempre vai ser amada por um determinado grupo. Existem aquelas pessoas que gostam mais de flores, de árvores frutíferas, de ervas, aquelas que só cultivam plantas com alguma função medicinal, entre outras diretrizes.

Há também aquelas que amam as trepadeiras, essas plantas que nascem de uma forma bem diferente das outras e que ajudam a deixar qualquer ambiente muito mais bonito.

Como sabendo que mesmo não sendo o maior destaque de uma planta, a maioria consegue brotar flores, separamos um grupo de trepadeiras floridas que podem ser cultivadas a vontade em seu jardim e deixar seus muros ou tutores ainda mais encantadores.

Mais abaixo existem alguns detalhes de uma forma geral sobre as trepadeiras floridas, como cultivá-las  e dicas importantes para tê-las em seu jardim.

O que são plantas trepadeiras?
Pela lógica a resposta será que trepadeiras são plantas que nascem sobre muros, treliças ou qualquer outro tipo de armação que conduza a um crescimento na vertical. Acontece que algumas plantas quando são bem tutoradas também consegue esse feito e não dessa espécie então toda trepadeira cresce na vertical, mas nem toda planta que você vai encontrar em muros, por exemplo, são trepadeiras.

Trepadeira colorida
As verdadeiras trepadeiras são plantas arbustivas e que devido a sua origem e condições da espécie precisam de suporte para alcançar mais luz do sol. É por isso que elas trepam-se sobre as mais variadas superfícies e se não existir um tutor correto, se tornam extremamente invasivas.

Existem diversas técnicas que as plantas trepadeiras utilizam para usarem as estruturas de apoio e essas técnicas acabaram por separarem as plantas em grupos.  Para entendermos melhor cada técnica e classificação desta, vamos tratá-las separadamente.

trepadeira-glicinia-azul-
Trepadeiras de raízes adventícias
Pode-se dizer que estas trepadeiras são as mais populares porque são aquelas que encontramos como revestimento de muros. As raízes desse tipo de trepadeira nascem a partir dos caules e com isso fixam-se mais facilmente no seu suporte. Com essa forma de raíz elas também absorvem mais água e os nutrientes que precisam para se manterem bonitas. Alguns exemplos de trepadeiras de raízes adventícias são: Hera, Unha de gato e Falsa vinha.

trombeta-chinesa
Trepadeiras com gavinhas
Esse tipo também recebe o nome de trepadeiras sarmentosas. Essas plantas podem ser compostas de floras ou de ramos que são modificados de um jeito que eles se agarram no suporte onde vão crescer e dessa forma se fixam nele.
Alguns exemplos de trepadeiras com gavinhas são: Maracujá, Amor-agarradinnho, Kiwi, Madressilva, Glicínia, Ervilha-de-cheiro e Clematites.

Trepadeiras com pequenas ventosas
Como o nome já indica, essa forma de cultivo faz com que a planta se fixe no suporte através de um sistema de pequenas ventosas que são formados nos caules das plantas. Esse sistema natural permite que a trepadeira aparente esteja colada ao suporte que lhe carrega. Um exemplo de trepadeira de pequenas ventosas é a Vinha-virgem.

Trepadeira de espinhos e acúleos
O nome dessa categoria também já diz muito sobre a planta. Essa espécie de trepadeira possui pequenos prolongamentos com pontas que podemos considerar como espinhos. Estes “espinhos” ficam por todo o caule da planta sendo também a forma como elas se fixam ao suporte. Eles também fazem o papel de proteção da espécie. Um conhecido tipo de trepadeira com espinho são as Roseiras.

Roseiras volúveis
São aquelas trepadeiras que se enrolam em seu suporte durante a fase de crescimento. Não existe limite para que isso aconteça e elas conseguem suporte até em um simples fio de nylon, mas são preferencialmente cultivadas em colunas.

Alguns exemplos de trepadeiras volúveis são: a Tumbérgia-azul, a Madressilva e a Sapatinho-de-judia.

roseira arbustiva
Arbustos conduzidos como trepadeiras
No primeiro tópico do texto foi falado sobre as plantas floridas que podem ser tutoradas como trepadeiras. Para que você faça esse processo em seu jardim, é necessário que a flor tenha caules bem lenhosos e muito compridos para buscar apoio no suporte.

Alguns exemplos de flores que podem ser usadas nesse caso são: a Tecoma, a Tumbérgia, a Alamanda e a Rincospermum.

Poda de trepadeiras floridas
Claro que para ter um jardim bonito você precisa realizar algumas podas com frequência. Dependendo a trepadeira que você escolher, a quantidade de podas pode ser bem pouca e você vai precisar apenas realizar pequenos aparos para tutorar o crescimento da sua planta. Qualquer trepadeira florida deve ser podada sempre antes da floração para que elas suportem o peso de suas flores e também para que a poda estimule o aparecimento de mais botões na época certa.

Cultivo de trepadeiras floridas
Se a sua trepadeira for cultivada a partir do solo, observe bem se ele está com condições adequadas para receber a espécie. O solo deve ter uma boa capacidade de drenagem, deve ser fertilizado antes da plantação e periodicamente após esse processo e ter uma estrutura solta. Este último detalhe pode ser obtido descompactando-o e acrescentando sempre doses extras de matéria orgânica, pois esse composto ajuda a melhorar a estrutura do seu solo. O adubo também deve ser acrescido nesse processo e isso deve ser feito todos os anos sempre no início da primavera e do verão.

maracujazeiro
Uma dica muito importante sobre o cultivo de qualquer trepadeira, é que ela deve ficar em locais com uma quantidade considerável de vento. Quando eles sopram com mais frequência, faz com que a planta se acomode ainda mais no suporte e fiquem mais agarradas a eles.

Evite apenas ventanias muito fortes para não danificar a sua planta.

Se o cultivo das suas trepadeiras floridas for feita em muros, é indispensável que você sempre deixe um espaço para que a raiz da planta se desenvolva. Isso deve ser atentado principalmente em arbustos sob tutoramento. A distância entre 30 e 40 cm é a ideal para qualquer trepadeira florida.

Todas as espécies que citamos aqui no texto como exemplo, são trepadeiras que dão lindas flores e com condições individuais de cultivo. Agora é só escolher aquela que mais se adapta ao seu ambiente e começar a cultivar hoje mesmo.

BARCOay11111

Glicínia (wisteria sp.)
As plantas trepadeiras são ideais para o paisagismo porque você pode, de fato, planejar e limitar seu tamanho. Suas alturas e larguras eventuais são determinadas pelas estruturas nas quais elas se desenvolvem. As próprias estruturas preenchem o espaço antes que as trepadeiras ou vinhas atinjam seu crescimento total.

A principal característica da planta trepadeira é agarrar-se, enrolar-se e apoiar-se facilmente em qualquer tipo de estrutura.

O plantio pode ser feito da seguinte forma:
* Abertura de covas de 30 x 30 x 30 cm, a largura pode ser maior em relação à profundidade;
* Coloque a muda próxima à estrutura que dará suporte e preencha o resto da cova com a terra já preparada, lembre-se que o saco da muda deve ficar todo envolto pela mistura de terra;
* Fixe bem a planta no suporte, esta operação pode ser realizada através de amarrações, ou dependendo da planta, seus ramos podem ser enrolados no suporte;
* Irrigar com abundancia até que a muda pegue por completo, depois siga as instruções de cada planta.

Transplante de trepadeiras
Este é um tipo de prática que os paisagistas não fazem recomendações para estes tipos de espécies, pois estas plantas não costumam se recuperar de traumas sofridos na raiz. Vale lembrar que este tipo de planta utiliza suporte para poder “crescer para cima”, então para acontecer o transporte pode haver a quebra da planta.

Manutenção de trepadeiras
Irrigação
As trepadeiras não exigem que sejam irrigadas, depois que estão fixadas, as exceções são para as trepadeiras de vaso e as que foram plantadas em locais onde a agua da chuva não bata.

Condução da Trepadeira
A condução das trepadeiras deve ser feita ainda quando estas estiverem em seu estagio inicial, para não ter problemas com as raízes e a fixação do suporte.

Tenha atenção para a quantidade de mudas que podem fazer o serviço que você deseja, como cobrir um caramanchão ou pergolado.

Para que isto seja feito, os ramos da planta trepadeira escolhida devem ser direcionados para a direção onde devem crescer, de tal forma que cubram todas as áreas da estrutura. A maioria das plantas pode ser guiada através de um fio de nylon ou algum outro tipo de material que faça este mesmo “serviço”.

Poda
Esta é uma prática de suma importância, tanto por motivos estéticos, como a forma, o volume e a altura, tanto quanto para a melhoria da planta, claro que esta poda também ajuda a manter as pragas e doenças longe das plantas.

Ela também é indicada para que a planta cresça de forma equilibrada e homogênea, controlando a quantidade de flores, frutos e folhas da trepadeira.

Existem três tipos de podas para as trepadeiras, tais como:
Poda de formação
Importante em espécies com ramos mais vigorosos. No caso da primavera, a poda deve ser feita quando a planta ainda é jovem para que esta cresça de forma mais equilibrada. Evite fazer este tipo de poda quando a planta já for adulta, pois ela pode ter suas flores e frutos com crescimento afetado.

Poda de limpeza
Como o próprio nome diz, é uma poda feita para ser realizada a limpeza da planta. Existem 2 (dois) tipos de poda de limpeza, a primeira é para eliminar os galhos e folhas secas ou que tenham pragas/doenças. E a segunda forma é para retirar os ladrões e os que não têm brotos.

Poda de floração
Este tipo de poda, como o nome diz, serve para controlar as flores, seja pela quantidade, ou porque não é o período certo para nascerem.

Adubação
Para manter sua trepadeira sempre bonita, com flores e folhas bastante brilhosas, é necessário fazer uma boa adubação, afinal as trepadeiras tem um tempo diferente das outras plantas.

Pragas e doenças
As pragas que atacam as trepadeiras são basicamente as mesmas que atacam os outros tipos de arvores e forrações. São exemplos de pragas: formigas, pulgões, tripés, cochonilhas, ácaros, lagartas, lesmas, grilos,besouros, e vários outros. As trepadeiras mais propensas a pegar alguma doença são as frutíferas, mas em geral elas suportam bem doenças.

Dicas extras
O volume e a forma da trepadeira são controlados por podas; se a espécie tiver flores, a melhor época é após a florada.

* Não use vasos ou jardineiras se sua intenção é cobrir totalmente o muro. Para isso as trepadeiras precisam de espaço.

Unha-de-gato (Ficus pumila)
* A Unha-de-gato penetra em frestas de muros e paredes, podendo alargar a estrutura. Apare as pontas a cada dois meses e mantenha a forração em, no máximo, 10 cm de espessura.

Costela-de-adão (Monstera deliciosa)

jiboia (Epipremnum pinnatum)
* A Costela-de-adão e a Jiboia não são recomendadas para o tipo de plantação fixo na parede. Elas crescem muito, e suas raízes, se encontrarem apoio vertical, podem rachar a parece e arrancar o reboco, abalando a estrutura da casa.
* Se você for plantar trepadeiras no muro, é importante que o muro seja áspero, pois as trepadeiras agarram-se melhor em texturas rugosas.

Como pode se ver, as trepadeiras são auto fixadoras, não necessitando de amarrilhos ou qualquer outro tipo de ajuda para o seu crescimento. As trepadeiras precisam apenas, no máximo, de uma parede rústica e de muita poda.

janel354

Glicínia ( Wisteria sp)
As Trepadeiras, que também podem ser chamadas de Lianas e Cipós, pertencem ao grupo de plantas que mesmo tendo as suas raízes fixas no solo precisam de um suporte para crescer. O suporte é necessário para que essas plantas possam crescer eretas e em direção ao sol.

As trepadeiras podem ser herbáceas ou lenhosas, as lianas, por exemplo, são apenas as trepadeiras lenhosas. Essas plantas podem ser bem interessantes para compor o seu jardim então continue lendo para saber mais sobre elas e conhecer as suas principais características.

Descrição das Trepadeiras
Os métodos utilizados pelas trepadeiras para escalar as superfícies são bem variados. Essas plantas podem ser volúveis (aquelas cujo caule se molda a uma superfície e prende-se a mesma) ou então podem apresentar gavinhas que são um tipo de prendedor que permite a planta se fixar na superfície.

As trepadeiras são bem comuns e algumas frutas e legumes bem como populares como uvas, chuchu e maracujás, por exemplo, são provenientes desse tipo de planta. Algumas dessas plantas são usadas como ornamentais como, por exemplo, a clemátis, a jasmim, a jiboia entre outras. Algumas rosas e filodendros também sãotrepadeiras, podem ser usadas para a cobertura de grades e de caramanchões.

Algumas espécies podem crescer como trepadeiras quando apinhadas, quando não existe uma superfície de apoio arbustos e árvores podem cumprir esse papel. Um exemplo disso é o gênero Banisteriopsis do qual faz parte o cipó caapi (utilizado para fazer o chá de ayahuasca).

Banisteriopsis caapi
Esse tipo de planta pode ser encontrado nas florestas dos trópicos e até mesmo nas zonas polares dos hemisférios sul e norte. A maior biodiversidade de trepadeiras pode ser encontrada em florestas tropicais.

Trepadeira com gavinhas
Essas plantas também são conhecidas como sarmentosas, uma das principais características é possuir estruturas que podem ser folhas ou ramos modificados. Essas estruturas tem a capacidade de se enrolar no suporte e assim permitir a fixação no mesmo. Essa fixação permite que a planta cresça em direção ao sol. Um exemplo é o Amor-agarradinho.

Amor-agarradinho (Antigonon leptopus)
Trepadeiras volúveis
Os caules e ramos desse tipo de trepadeiras são capazes de se enrolar nas estruturas enquanto a mesma cresce. O nome volúvel vem do fato de que esse tipo de trepadeira se adapta a forma do suporte.

Em geral a fixação acontece em suportes mais estreitos como fios de nylon, arame e até em colunas. Exemplos desse tipo de planta são Tumbérgia-azul e Sapatinho-de-judia.

Tumbérgia-azul ( Thunbergia grandiflora)

Sapatinho-de-judia (Thunbergia mysorensis)
Trepadeiras de raízes adventícias
As trepadeiras que tem esse tipo de raiz são bastante indicadas para fazer o revestimento de muros. Esse tipo de planta emite diretamente do caule as suas raízes modificadas que fazem a penetração e grudam no suporte com bastante aderência. Os tipos de plantas que exemplificam essas trepadeiras são Unha-de-gato e Falsa-vinha.

Unha-de-gato (Uncaria tomentosa)

Falsa vinha (Parthenocissus tricuspidata)
Mas por que cultivar trepadeiras?
Dentre os principais motivos para se escolher as trepadeiras como plantas para cultivar estão a sua capacidade de gerar sombra, disfarçar superfícies indesejáveis, dar frutos, sofisticar os ambientes e perfumar os mesmos.

Em geral esses são os principais motivos para optar por esse tipo de planta para o jardim. Porém, é importante relembrar que para cultivar esse tipo de planta é necessário contar com uma estrutura de sustentação que pode ser um muro, uma árvore, uma treliça, caramanchões entre outros tipos.

É possível contar com diferentes tipos de trepadeiras para diferentes climas e condições de luz. O cipó-uva (Cissus rhombifolia) bem como o sapatinho-de-judia se dão melhor com locais com uma boa sombra. Se o espaço que você possui para cultivar as suas trepadeiras tem incidência direta do sol a dica pode ser apostar na Sete-léguas (Podranea ricasoliana) e Congeia (Congea tomentosa).

Cipó-uva (Cissus rhombifolia)

Sete-léguas (Podranea ricasoliana)

Congéia (Congea tomentosa)

De forma geral esse tipo de planta não é muito exigente em relação a cuidados, mas é importante respeitar as suas características e necessidades.

Dicas para plantar trepadeiras
A característica essencial de uma trepadeira é se agarrar, enrolar ou se apoiar numa estrutura. Se na sua casa não existe nenhuma estrutura como um muro, por exemplo, você pode induzir o seu crescimento em outras superfícies como outra planta, por exemplo.

Materiais utilizados para cultivar uma trepadeira
* Vaso;
* Muda de trepadeira;
* Terra adubada para plantio;
* Argila expandida;
* Pedrisco;
* Manta bidim;
* Pá;
* Alicate;
* Fio de náilon ou barbante;
* Bambu ou outra estaca que sirva como tutor (no caso de quem não possui um muro ou parede que possa servir de apoio).

Depois de fazer o plantio da sua trepadeira é importante acompanhar de perto o crescimento da mesma. Tenha a certeza de que a sua planta está realmente crescer em direção ao sol. Durante esse processo pode ser necessário realizar podas das plantas, remover os galhos e folhas secas é importante para que a planta se mantenha saudável.

Regue com a frequência necessária para que a sua planta se mantenha saudável. Observe sempre o substrato da planta, quando esse está úmido é sinal que não é necessário fazer uma rega tão rapidamente. No caso de estar seco significa que está na hora de regar novamente.

Vale destacar que o crescimento pode ser acelerado com o adubo correto para cada fase da planta. Conheça bem o tipo de planta trepadeira que você deseja cultivar, pois como já dissemos é possível encontrar algumas que gostem e outras que não gostem de sol. Conheça bem a espécie que você deseja ter no seu jardim e assim tenha melhores resultados no cultivo.

janel30

Argyreia nervosa

A trepadeira-elefante pertence à família Convolvulaceae e é originária da Índia. Sua textura é semi-lenhosa, com raízes profundas e crescimento vigoroso, excelente para cobrir caramanchões.

Sua ramagem é longa, alcançando cerca de 9 m de altura. Os ramos são recobertos por uma fina lanugem, assim como a página inferior das folhas.

Esta lanugem confere um toque aveludado e uma tonalidade prateada à planta.

As folhas da trepadeira-elefante são grandes e cordiformes, de cor verde-escura a acinzentada. Podem chegar a medir 40 cm de comprimento por 40 cm de largura, são realmente grandes e com formato de coração (cordiforme).

Suas flores são campanuladas, rosa-arroxeadas e muito vistosas. A floração ocorre na primavera e verão.

Os frutos surgem no outono e são decorativos, lenhosos, marrons, e em conjunto com as sépatas, também lenhosas, são conhecidos como rosas-de-madeira. As sementes são numerosas, amarronzadas e contêm substâncias alucinóginas e antiinflamatórias.

No paisagismo a trepadeira-elefante é indicada para cobrir estruturas médias e grandes, tais como pórticos, pérgolas e caramanchões. Nestes suportes ela oferece uma sombra fresca e agradável, com suas folhas enormes, bem ao estilo tropical. Também é apropriada para cercas e muros.

Por ter seu porte naturalmente avantajado, não é indicada para vasos ou jardineiras, sob pena de se tornar raquítica e fraca. Devido à facilidade de propagação, esta espécie pode se tornar invasiva.

Flor da Argyreia nervosa
Seu cultivo deve ser sob sol pleno, em solo fértil, drenável, enriquecido com matéria orgânica e periodicamente irrigado.

É uma planta que gosta muito do nosso clima tropical, crescendo preferencialmente em locais onde não haja nem muito sol, nem muita sombra, portanto gosta de uma mescla entre sombra e sol.  Não tolera frio intenso ou geadas.

A primeira florada se dá entre 1,5 e 2 anos. Possui uma flor fracamente rosada por fora, e arroxeada por dentro. Flores completas, ou seja, apresentam órgãos sexuais masculinos (anteras) e femininos (estigmas), portanto elas se auto-polinizam, o que torna possível a produção de sementes.

A flor dura no máximo 48 horas, depois disso ela cai, e começa então o processo de fecundação e formação das sementes. O cálice primeiro se fecha, depois começa a “engordar” dando origem ao fruto. Esse fruto cresce durante 2 a 3 meses, enquanto as sementes, peludas de cor marrom, se formam dentro de várias cápsulas. Então começam a secar, e o que antes eram as sépalas da flor, formam as “sépalas” do fruto, dessa vez secas e duras como o próprio fruto. Cada fruto gera 4 sementes.

folhas e frutos da Argyreia nervosa
A planta produz entre 5 a 15 flores por nó exposto (os que ficam na face exterior da planta, os que ficam escondido no emaranhado de folhas e galhos não desenvolvem sementes. Daí tira-se a conclusão que é importante, para produção de sementes, esticar a planta em algum suporte que faça-a ficar com uma maior parte exposta possível), o que gera de 5 a 15 frutos por nó, portanto, 20 a 60 sementes. Realmente é uma alta produção de sementes.

Multiplica-se facilmente por sementes ou por estaquia. A dormência das sementes pode ser quebrada deixando-as de molho em água por 12 horas antes do plantio. Germina em cerca de 30 dias.

imagem-neve56