Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts com tag ‘dicas’

tulipas

Enraizador de plantas é um hormônio natural ou sintético que estimula o crescimento radicular das plantas.

Você pode se surpreender ao saber que a maioria dos cortes de plantas produzirão naturalmente seus próprios hormônios de enraizamento após um curto período de tempo. De fato, muitas plantas podem ser facilmente clonadas simplesmente colocando um raminho em alguma água limpa.

No entanto, algumas plantas são bem mais sensíveis e não crescem bem com este método e outras plantas podem levar muito tempo para desenvolver raízes sem o uso de um hormônio enraizador.

Por via das dúvidas, caso não saiba se uma planta é mais fácil ou não de produzir por meios próprios suas raízes, o uso de um hormônio enraizador de plantas irá geralmente fornecer resultados mais consistentes do que as ramas colocadas em apenas água.

mudinhas

Quais são as funções dos enraizadores?
• Favorece o enraizamento e nutre as plantas simultaneamente.
• Diminui a perda de mudas.
• Proporciona melhor resistência às variações climáticas.
• Proporciona rápido enraizamento e pegamento de mudas, plantas adultas, grama, estacas e alporquia.
• Melhora a qualidade e o vigor das plantas, por favorecer o crescimento das radicelas que são responsáveis pela absorção dos nutrientes do solo.
• Alivia alguns sintomas causados pelo ataque de nematóides.
• Evita o acamamento causado pelo vento.
• Favorece a recuperação de situações de estresses hídricos ou causados por ação de defensivos (ação desintoxicante).

hormônio-enraizador-em-pó-6

Como usar o enraizador de plantas
Hormônio enraizador em pó -
Hormônio enraizador em forma de pó tem sido usado por vários anos por produtores comerciais e amadores. A maior vantagem deste produto é a sua longa vida útil. Quando mantidos secos, os hormônios enraizadores em pó podem durar muitos anos.

Devido à sua estabilidade, os hormônios enraizados em pó ainda são usados por muitos produtores comerciais. O procedimento para  usar este produto em forma de pó é submergir a ponta do caule cortado uns 3 cm e em seguida, bater levemente para remover o excesso.

enraizador líquido

Hormônio enraizador líquido
Hormônio enraizador líquido vêm em duas formas: pronto para uso e concentrado. Os hormônios de enraizamento líquidos prontos para uso são convenientes e geralmente contêm a porcentagem apropriada de hormônio sintético para o rápido desenvolvimento da raiz.

Certifique-se de sempre despejar uma pequena quantidade de líquido em um recipiente separado, em vez de mergulhar as mudas diretamente na garrafa de hormônio de enraizamento líquido. Isto irá evitar espalhar doenças e de contaminar todo o conteúdo da garrafa.

Os hormônios enraizadores concentrado necessitam ser diluídos antes do uso. Isto quer dizer que você pode determinar a concentração de um hormônio de enraizamento sintético na solução final.

enraizador

Isso pode ser vantajoso se você está multiplicando uma grande variedade de espécies de plantas.

Algumas espécies de plantas requerem concentrações mais elevadas do que outras. Por exemplo, uma planta de casca mais lenhosa pode necessitar de uma concentração duas vezes mais forte do que a necessária para as variedades de plantas de casca mais flexível.

Geralmente têm uma vida útil mais curta do que a versão em pó e podem até mesmo precisar de ser mantidos em refrigeração.

Este produto pode ser encontrado em lojas especializadas de jardinagem e vem na forma de pó ou líquido. Mas também podemos fazer em casa de uma forma caseira com excelentes resultados.

queda

raízes

Quando a gente fala de propagar plantas por pedaços de galhos (estacas), fica sempre a dúvida de que tipo de enraizador usar. Aqui será ensinado a fazer 2 receitas fáceis para você preparar um líquido enraizador natural, feito em casa e cheio de feromônios.

1° Receita – Enraizador feito de tiririca
Este é feito de batatinhas de tiririca. Tiririca é uma praga para as hortas. Agressiva, rápida no enraizamento, ela toma conta de canteiros e impede que as hortaliças se desenvolvam.

Mas a tiririca, com o seu poder enraizador que se deve a um fitohormônio específico que possui e isso é muito bom para você que quer reproduzir azaléias, buganvílias e qualquer outra planta que “pegue de galho”.

tiririca

A tiririca (Cyperus rotundus), é um capim, que dá em todo lado que você possa imaginar. Aprenda a reconhecê-la e, quando a encontrar, retire com cuidado toda a planta da terra, sem perder as batatinhas que estão junto às raízes.

Como fazer o enraizador de tiririca
Para fazer o enraizador natural, lave bem a tiririca, tire toda a terra. Junte folhas verdes e batatinhas, com água suficiente até cobrir toda a planta e, bata bem no liquidificador.

As estacas das plantas que você quer enraizar, depois de cortadas (sempre em diagonal ao caule), você vai deixar com a ponta mergulhada em um copo com esse batido de tiririca, por 24h. Depois, plante cada estaca no vaso de mudas e espere o tempo de enraizamento, que varia de espécie para espécie.

Mantenha úmida a terra dos vasinhos de enraizamento. Quando surgirem várias folhinhas novas, depois de, no mínimo 1 mês (para algumas plantas esse prazo é bem maior), faça o transplante das mudas para o local definitivo.

Este enraizador pode ser usado para estacas de galhos ou de folhas, que dará o mesmo bom resultado.

O suco que sobrou poderá ser armazenado para outros usos, em vidro escuro, na geladeira, por uns 20 dias.

2° Receita – Enraizador feito de lentilhas
Outra forma de se fazer um enraizador natural é com lentilhas (1 parte) e água (3 partes). Você deverá deixar as lentilhas em repouso, dentro da água até que as sementes germinem – pode deixar o pote aberto; em geral demora de 2 a 3 dias. Se, ao fim de 3 dias as lentilhas ainda não germinaram, escoem a água e deixem elas úmidas, para germinarem, depois do quê vocês reporão a mesma água nas lentilhas.

lentilha

As lentilhas germinadas liberam um ácido (ácido indol-butílico) que é um ativador do enraizamento. Coloque tudo no liquidificador e bata bastante até obter um suco de lentilha que você vai diluir em oito partes de água.

Com esse líquido se pode regar as mudas já plantadas, jogando o líquido no pé das mudinhas, diretamente. Ou poderá usá-la para molhar as estacas antes de introduzi-las na terra dos vasos já preparados para o enraizamento. Este preparado dura 15 dias na geladeira.

Também é muito efetivo caso você for fazer alporquia, que é quando você força um ramo de planta a entrar na terra para que gere raízes e uma nova planta.

lagoinha

Haworthia_truncata_1

Plantas suculentas são plantas que possuem a raiz, o talo e as folhas (ou um deles) mais grossas, de forma que permite o armazenamento de água em maior quantidade que as plantas normais. Esse tipo de adaptação permite que essas plantas reservem uma quantidade de líquido que é essencial para a sua sobrevivência em épocas mais secas.

Um dos exemplos mais conhecidos desse tipo de planta são os cactos, eles possuem o talo mais grosso com uma capa de tecido de parênquima que lhes permite uma grande quantidade de reserva de água, já que o ambiente natural dessas plantas é completamente seco.

Esse tipo de adaptação das suculentas lhes permite colonizar ambientes mais difíceis de adaptar, onde até os herbívoros são escassos. São plantas pubescentes que permitem a captação de umidade através de pequenos “pelos” que retém orvalho.

Possuem superfícies reduzidas também para aumentar ainda mais a retenção de umidade. Limitam também o tamanho e o crescimento dos ramos e o próprio comprimento da planta, esse tipo de adaptação reduz o processo de perda de água através da evaporação.

Algumas espécies de plantas suculentas, assim como os cactos, reduzem duas folhas em espinhos, o que é muito útil, tanto para a retenção de água quanto para defender a planta de predadores. A fotossíntese dessas plantas é realizada pelo próprio talo onde o líquido retido é armazenado.

Existem milhares de espécies de plantas suculentas, de várias famílias diferentes, como: Aizoáceas, Cactáceas e as Crassuláceas entre outras.

Haworthia retusa

Como cultivar plantas suculentas
Várias espécies de plantas suculentas se adaptam bem em ambientes fechados, em vasos e dentro de casa.

As Crássulas preferem ambientes ou lugares onde a luminosidade natural seja contínua, já as Haworthias preferem claridade mais fraca. Aloes e Gasterias ficam mais em meia sombra, enquanto que plantas pendentes como a Ceropegias e Hoyas ficam bem adaptadas em ambientes fechados. Echeverias e Rosularias devem ficar expostas ao sol pelo menos 4 horas por dia.

Cuidados
Alguns cuidados devem ser tomados para cultivar plantas suculentas em vasos:
* Garanta que o vaso tenha tamanho o suficiente para acomodar a planta, assim como suas raízes e com folga. As raízes precisam de bastante espaço para se desenvolver;

* Algumas espécies permitem serem cultivadas no mesmo vaso. Mas procure agrupar apenas as espécies que tenham as mesmas necessidades, tanto de sol quanto de substrato. Observe também para que as plantas que ficarem mais altas não sombreiem as plantas menores;

* Podem ser plantadas tanto em vasos de cera quanto em vasos de plástico, sendo que este último vai precisar de um número menor de regas. Permanece mais tempo úmido já que o vaso de cerâmica absorve mais água também;

* – Alguns tipos de adubos são melhores para esse tipo de planta, procure saber quais têm uma maior capacidade de absorção por elas;

* Use substratos que sejam bem drenados. Existem algumas recomendações para escolher. O correto seria encontrar os que dêem melhores resultados, e isso você descobre testando nas mudinhas mesmo.

crassulaceas1

Sugestão de substrato para plantar plantas suculentas
Utilize 1 parte de terra, 2 partes de areia de preferência grossa, 1 parte de terra vermelha, 1 parte de húmus (de minhoca), mais um parte de areia grossa e, por último, carvão vegetal, 1 parte também.

As regas devem ser feitas uma vez na semana durante períodos e estações mais quentes em maior quantidade e de quinze em quinze dias no inverno. A quantidade de rega você perceberá com o tempo, caso sua planta comece a murchar, aumente aos poucos a quantidade de água, e caso perceba que as folhas perto da base estão apodrecendo, diminua a quantidade de água.

Adubo demais também pode prejudicar a sua planta. O excesso de certos tipos de nutrientes faz com que as plantas cresçam demais e fiquem muito suculentas. Esse tipo de situação faz com que a sua planta fique comprida e fina, começam então a abrir as pontas que facilita o aparecimento de doenças.

kalanchoe

Curiosidades mportantes:
* Luminosidade:
As plantas suculentas gostam de bastante luminosidade e se inclinam facilmente para encontrar o melhor ângulo. Portanto, vire os seus vasos de tempos em tempos para que a planta receba luz em todas as suas partes.

* Solo: 50% de terra vegetal ou barro e 50% de areia permitem uma excelente drenagem para que a planta consiga reter o suficiente de água para sua sobrevivência, sem que isso faça apodrecer as suas raízes.

* Água: Regue suas plantas 1 ou 2 vezes durante o mês, até que escorra água pelo fundo do vasinho.

* Temperatura: Essas espécies detestam temperaturas muito frias ou geadas. Mas algumas deles suportam bem uma variação muito grande de temperatura.

* Vasos: O vaso deve ter o tamanho ideal que dê bastante espaço para o desenvolvimento e acomodação das raízes.

* Replantio: Só é aconselhado caso esteja passando a planta do jardim para uma bandeja ou vaso. Após fazer o replantio, com muito cuidado cubra a terra com pedras e pronto.

* Ventilação e umidade: A ventilação é importante apenas para plantas que estejam sendo cultivadas ao ar livre.

* Adubação: É indicado fazer a adubação de 3 em 3 meses, mas durante os meses de inverno é melhor suspender.

* Reprodução: A maioria das suculentas se multiplica por estaquias das próprias folhas. Em espécies como as Crassulas e Echeverias, as folhas se destacam facilmente do caule, e esse já um modo prático e fácil de propagação da planta que terá excelentes resultados.

Kalanchoe blossfeldiana

Sempre quando vamos cultivar algum tipo de planta diferente é importante estudar e pesquisar um pouco para conhecer como a planta se reproduz, como ela brota e várias outras informações também são importantes para saber como regar, como adubar, etc.

Conhecimento nunca é demais, e sabendo a que tipo de ambiente sua planta é natural, dá pra criar, ou pelo menos se aproximar ao máximo, o ambiente onde ela será cultivada, assim você economiza tempo, dinheiro, sua planta se desenvolve melhor, você também vai ter bem menos mão de obra.

florlago

As orquídeas necessitam de cuidados peculiares para crescer forte! Se houver um deslize suas folhas já começam a amarelar. Quando se inicia o cultivo dessa linda planta, a orquídea, devemos considerar vários fatores.

Desde o plantio, até o ambiente onde ela irá viver, tudo tem de haver um planejamento para que tudo saia de forma excelente, caso contrário quem paga o preço somos nós mesmas.

A temperatura é um fator muito importante, as orquídeas necessitam de cultivo em ripados com sombreamento em torno de 50% e suportam temperaturas que podem ir de 10 a 30ºC.

Outro fator de suma importância é o substrato, o mesmo também deve ser feito de maneira rigorosa, pois só assim dará vigor as suas plantas.

Folhas amareladas

As orquídeas podem ter nas folhas cores variadas como verde profundo, verde bem claro e até o amarelado.

Quando sua orquídea começa a ter as folhas amarelando, você precisa se manter calma e o melhor a fazer é concentrar-se em identificar o problema. Ao identificar qual a causa da orquídea estar com as folhas amarelas ou amarelando basta seguir alguns procedimentos.

Folhas em verde claro: Dendrobium e Cymbidium
Folhas em verde escuro: Cattleyas e Phalaenopsis

Curiosidade: Quanto mais escura a cor das folhas, mais a planta está absorvendo luz.

Olhe para sua planta agora, notou alguma mudança drástica? Notou que sua orquídea tem folhas amareladas? Vamos aos cuidados.

O que fazer?

Logo de início você pode tirá-la do sol e colocar a plantinha na sombra, isso pode ajudar a orquídea a voltar à cor natural.

Tirou-a do sol e mesmo assim sua orquídea está morrendo, o que pode estar acontecendo é um solo sem nutrientes necessários.

Caso seja isso, troque de vaso e lembre-se que as orquídeas não gostam de muita terra. Quando trocar sua planta de vaso, faça uma inspeção nas raízes e veja se o substrato está bom. Muita umidade também pode ser prejudicial para sua planta e raízes enfraquecidas amarelam sua folha.

Além disso, pouca água também mexe com a cor das folhas, tente observar se não está esquecendo-se de agua-la. E por último, uma pergunta. Você mudou sua orquídea de lugar? Ela pode não ter se adaptado a mudança.

borboleta lilás