Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts com tag ‘dicas’

lichia

A lichia é uma espécie de gênero botânico, pertencente à família Sapindaceae. É uma árvore frutífera conhecida popularmente também como lecheria ou uruvaia. Os termos também se aplicam ao fruto da árvore. É natural das regiões quentes da Ásia, sendo encontrada também na África do Sul e México.

Suas árvores tem um porte grande, apesar dos pequenos frutos, e podem chegar a medir até 15 m de altura. Os frutos surgem a partir de cachos, podendo ter aparência coliforme ou oval.

Os mesmos possuem uma polpa com coloração branca e têm uma vantagem extra, já que são ricos em vitamina C. A lichia pode tanto ser consumida em compostas e doces como ao natural.

É uma fruta arredondada que se desenvolve em árvores com galhos e troncos delicados. As folhas da árvore são coriáceas e largas dividindo-se em oito folhas menores.

A casca dessa fruta é vermelha e espinhosa, com uma fruta delicada e branca dentro dela. A semente que é encontrada no fruto pode variar de tamanho conforme a variedade da espécie.

Depois de feita a retirada da semente, é recomendado que seja feito o plantio imediatamente, já que deixá-la em exposição por um tempo maior impedirá seu crescimento. Entretanto, fazer o cultivo da planta por meio de sementes é complicado, pois muitas delas podem não se desenvolver.

A árvore de lichia passa a produzir frutos depois de um período que varia entre de cinco a dez anos, o que torna o cultivo da lichia mais recomendado para os jardineiros mais experientes.

lichia_526

Cultivo
As sementes de lichia precisam ser adquiridas a partir de viveiros com fiscalização. Caso as mesmas sejam armazenadas de forma incorreta, acabam perdendo sua longevidade com maior rapidez.

Para obter grande viabilidade das sementes, fazendo com que elas durem até oito semanas é preciso que sejam conservadas em lugares úmidos e com temperatura baixa, variando entre os 10ºC e 15ºC.

Para fazer p plantio da lichia tem que se ficar atento ao clima, já que é uma planta bastante exigente à temperatura. Em áreas onde predomina o clima tropical a lichia consegue um pleno desenvolvimento, entretanto apresenta desvantagem na produção, pois não é capaz de render o suficiente.

Em razão disso, esta planta precisa estar num clima seco e frio antes de ganhar suas flores e, após, durante o restante do ano o clima precisa ser úmido e quente.

Litchi_chinensis_frutas

Também é preciso que se dê atenção para o fator da precipitação, já que a Lichia só tem adaptação positiva em lugares onde a precipitação está entre os 1250 e ainda os 1700 mm por ano. Em se tratando do solo ideal, ela se adapta bem naqueles mais profundos, que tenham uma boa drenagem e que possuam alto índice de matéria orgânica.

Assim que resolver fazer suas mudas de lichia é preciso que se fique atento quanto ao diâmetro delas, já que é preciso ter entre 1,5 e 2,5 cm e o plantio precisa ser efetuado quando o clima estiver úmido, o que ocorre geralmente nos meses de janeiro a março. Já entre os meses que vão de junho a julho acontece o período de floração da lichia.

Se bem cultivada, a árvore de lichia costuma produzir no máximo 45 quilos de fruta e no mínimo 30, entretanto no Brasil ela pode chegar a produzir até 300 kg durante o ano.

Depois de se fazer a colheita dos frutos é preciso que se tenha atenção quanto aos frutos que acabam perdendo com grande facilidade a coloração vermelha da casca, tornando mais difícil sua comercialização.

Para que isso não corre com facilidade, no decorrer da comercialização e ainda com o transporte é necessário que os frutos sejam mantidos em lugares frios, aumentando a vida útil da fruta na prateleira.

Litchi_chinensis_flores_01

O Cultivo em vaso
Materiais
*
Vaso com 09 cm
* Terra boa e própria para ser usada na jardinagem
* Lichias que estejam em perfeito estado
* Elástico
* Saco plástico em cor escura
* Fertilizante que possa ser dissolvido em água

Passo a passo
* Primeiro, retire a semente que é encontrada dentro da fruta.
* Encha o vaso que tem a mão com terra para jardinagem estéril. Coloque um pouco de água na terra, para que a mesma escorra por baixo do vaso.
* Nessa terra, faça um pequeno buraco e nele enterre entre quatro e cinco sementes da fruta e ponha mais ou menos dois centímetros de terra por cima, para que a semente fique bem protegida e tenha mais espaço para se desenvolver.
* Ponha o saco plástico em cima do vaso e prenda com a ajuda de elástico convencional.
* Deixe o vaso num escuro e quente. Observe o vaso todos os dias e molhe o solo, se achar que é preciso. A muda da planta deve surgir a partir de duas semanas.
* Retire o saco plástico depois que a planta ter brotado e ponha numa janela onde o sol bata indiretamente.
* Depois que as mudas tenham entre três ou quatro folhas, já podem ser retiradas, e plantadas ao ar livre, usando como base a mesma profundidade que estava no primeiro lugar.
* Deixe a muda da lichia num lugar que tenha bastante iluminação depois de três ou até quatro semanas. Quando perceber que o solo que está plantado a muda está ficando seco, molhe-o com cuidado, e use fertilizante que dissolva em água, conforme as instruções que vêm inseridas no pacote, fazendo isso de duas em duas semanas.

lichia

A muda de Lichia cresce com bastante rapidez e até atingir os 20 cm de altura vai muito bem. Não se desespere se ela não crescer muito mais, além disso, já que isso somente irá acontecer depois dos dois anos, mostrando um crescimento vagaroso e pouco notável.

Mas aproveite a delícia e a beleza dos frutos e tenha uma dessas em casa, especialmente se você tiver um quintal grande e precisar de uma sombra para descansar e ler um bom livro. Além disso, árvores em casa ajudam na renovação do oxigênio, deixam o ar mais puro e leve, e consequentemente favorecem a sua saúde.

pordosol3211

kokedama

No Japão, a técnica da kodekama se tornou comum na construção de um bonsai e chegou aqui no Brasil com o mesmo propósito. Quem ama jardinagem, não pode deixar de aprender a fazer a sua própria Kokedama.

Todo mundo sabe que lá no Oriente as coisas são bem diferentes. Os caras amam jardinagem, não é a toa que eles são apaixonados pelos pequenos jardins conhecidos como Bonsai.

As plantinhas de seus jardins são sempre bem pequenas e eles são todos bem ornamentados. A arte para os japoneses é algo quase que essencial e deveria ser aqui também. Não pensem que aqui no Brasil, também não levamos isso a sério, apenas não faz parte da nossa cultura.

As técnicas japonesas usadas para a Kokedama, sendo ela a planta ou a própria técnica em si, são adoráveis e geram resultados mais do que perfeitos.

kokedama-5

A Kokedama como planta
Quando o nome Kokedama é atribuído à plantas, as seguintes explicações são feitas.
* São plantas de crescimento real.
* Possuem crescimento em pequena escala.
* Há de se fazer as podas dos ramos.
* Exige poucas horas de luz.
* Exposição ao sol somente de 2 a 3 dias.
* Crescem melhor em jardins de menor tamanho.

A técnica da Kodekama
É uma forma de plantar onde o vaso é considerado o musgo e a terra onde se planta segura as raízes. Como já dito, a Kokedama faz parte da cultura japonesa e requer muito cuidado, calma e paciência.

Mesmo com toda a técnica exigida, no final de tudo, o resultado é mais do que satisfatório. É ótimo para ornamentar um jardim no estilo japonês e para quem gosta de coisas singelas no quintal ou até mesmo dentro de casa.

Solo para a Kokedama
A Kokedama não é para ser feita em qualquer solo. As suas mudas só irão crescer em dois tipos de solos. São eles: Bonsai ou uma combinação de solo e turfa também originária lá do oriente.

pequeno_kokedama

Como fazer a Kokedama?
Primeiro, é necessário uma série de materiais para fazer essa técnica de forma adequada. Abaixo, segue a lista de materiais de jardinagem que será necessário para fazer uma Kodekama.

Materiais
*
Uma pequena muda de planta. Escolha entre o musgo ou uma planta de sombra, já que os musgos não suportam a luz solar direta.
* Uma razão de 7:3 de turfa ou solo de bonsai.
* Um saco de esfagno seco (vendido em qualquer loja de plantas).
* Tesoura
* Um fio de algodão (preto ou verde musgo de preferencia)
* Um par de luvas
* Um jarro de água
* Musgo (você pode comprar em uma caixa grande ou colher em alguma floresta próxima)

Atenção! A terra para bonsai, o musgo e a turfa ou o solo para bonsai podem ser encontrados em qualquer loja de jardinagem.

Kokedama65b

Passo a Passo
*
Qualquer planta pode crescer sob a técnica elaborada do Kokedama. Basta dar o cuidado que ela precisa e tudo dará certo. Então, este é o primeiro passo: saber que a planta vai precisar de muitos cuidados para crescer na Kokedama. Uma dica importante é começar pela samambaia. Elas são ótimas para a técnica japonesa. Depois, parta para outras plantas e flores.
* Remova a terra até que as raízes dela fiquem expostas.
* Mistura a terra retirada junto com o solo de bonsai.
* Quando fizer esta mistura, vá fazendo algumas bolinhas com a combinação da terra e do solo de bonsai. Quando as bolinhas não forem capazes de se quebrar, a mistura estará no ponto certo.
* Depois deste teste, você verá que o seu solo está misto de forma ideal. Dessa forma, você poderá moldá-la em bolas cada vez maiores, do tamanho de uma laranja mais ou menos.
* Se a bola estiver ainda quebradiça, use água para deixa-la com aspecto de massa de pizza ou argila.
* Certifique-se se cada bolinha feita terá espaço para que as raízes da planta possam caber nelas.
* Pegue o esfagno seco e enrole-o com muito cuidado em torno das raízes, fazendo movimentos circulares até que tudo fique de forma compacta.
* Amarre o fio de algodão nas raízes já forradas com o esfagno. Vá enrolando diversas vezes, já que o fio pode se dissolver.
* Na bolinha solo misto, faça um furinho para colocar as raízes. Pressione para que elas não saiam do lugar e fiquem bem presas na bolinha.
* Feche o furinho com cuidado, de forma que a raiz esteja bem presa lá dentro.
* Pegue as folhas de musgo e vá prendendo na bolinha de solo, não deixando nenhum espaço aberto.
* Enrole mais um fio de algodão ao redor das bolinhas de solo misto como se estivesse embalando um presente, desta vez.
* Escolha um lugar agradável para colocar a sua Kokedama já prontinha. Lembre-se que se você usar musgos, escolha um lugar com muita sombra. Você também pode instalar um gancho para pendurar a sua obra de arte no estilo japonês. Também pode coloca-la em cerâmica que não haverá problemas

kokedama-5

Os cuidados
O primeiro cuidado que você deve ter com a Kokedama é molha-la diariamente, de preferência no período da manhã. Se você optar por pendurar a sua Kokedama já pronta, use um spray para borrifar água. Lembre-se que o vaso é a própria terra e por isso, cuidado para não molhar de mais, já que não vai haver nenhum tipo de drenagem.

gifs-gifs-chuva-5

phalaenopsis

Se você é um dos tantos apaixonados por orquídeas, então, vai adorar as dicas a seguir. Temos abaixo um pequeno manual de como plantar as orquídeas, essas flores delicadas e lindas que encantam tantas pessoas, mas que exige muita atenção e carinho, principalmente no que diz respeito ao cultivo e ao momento de transplantá-la para o vaso.

Não precisa fazer um curso e nem ser um especialista em jardins para poder plantar orquídeas em casa com as próprias mãos. Basta um pouco de atenção, cuidado ao manusear a planta, não deixar nenhum detalhe em segundo plano e pronto, você terá lindas orquídeas no seu jardim ou varanda.

Começarei falando de quem já comprou uma muda de orquídea e chegou a hora de trocar o vaso. Ela deverá ganhar mais espaço em um vaso grande e adequado, o que chamamos de transplantá-la.

orq.

A seguir, como mudar de vaso sem prejudicar a sua orquídea:
1 – Como passar a orquídea para um vaso maior
A orquídea não poderá ficar para sempre no vaso que ela foi plantada, chega a um ponto, que ela vai precisa de um espaço maior para crescer bem, então, é chegada a hora de fazer o transpasso.

É bem simples, basta retirar a planta inteira, o que significa tirar com a terra do vaso onde ela está. Em seguida, com muito cuidado, retire todo substrato que está nas raízes.

Verifique as raízes e retire todas aquelas que estão velhas. Na hora de plantá-la novamente, faça de modo que a brotação nova fique localizada bem no centro do vaso.

Dicas para não errar: você usar uma tesoura para retirada das raízes velhas, então, observe que ela deverá estar esterilizada para não contaminar e nem estragar a sua orquídea. Para esterilizar a tesoura use um isqueiro passando por toda ela e depois ainda passe álcool.

Antes de fazer o processo já tenha em mãos o vaso em que ela será colocada. Uma boa dica para você é que as orquídeas gostam muito de vasos de barro porque são arejados e frescos.

plantar

Porém,  a água drena muito melhor nesse tipo de material, por isso, tenha atenção para que a sua orquídea não fique sem água com a terra seca por um longo período. A manutenção é essencial para que ela cresça bonita e saudável.

Se você quiser ter menos trabalho, escolha um vaso plástico, mas fique de olho porque ele segura mais água e o excesso também não é bom para sua planta. Neste caso, as regas deverão ter um intervalo maior entre elas.

Não quer dizer que você não terá trabalho, terá um pouco menos, mas a atenção deverá ser a mesma independente do material que você escolher.

Alguns truques de quem está acostumado a cultivar orquídeas
* Quem está acostumado ao cultivo das orquídeas costuma nos dias muito quentes molhar o chão em volta de onde a planta foi cultivada para que a água ao se evaporar suba até ela e a orquídea consegue absorver.  É uma forma de que ela tenha água com a garantia de que não acontecerá nenhum excesso.

* Quando a orquídea se encontra no seu habitat natural ela consegue captar água da água que desliza de alguma fonte colocada próximo a ela ou diretamente do contato com o ar. Sem falar que elas gostam muito de estarem próximas de árvores. Caso você tenha um jardim, plantar as orquídeas no tronco das árvores é a melhor opção sem dúvida nenhuma.

* Saiba que as raízes brancas das orquídeas possuem um objetivo que é aquele de pegar a umidade e os nutrientes para si e deixar que aquele lugar onde elas estão plantadas fique perfeito para que elas possam crescer bem.

substrato

A importância do substrato
O primeiro passo para plantar uma orquídea, a muda, é escolher o vaso, que deverá ser bem fundo e que tenha boa capacidade para drenar a água e isso será complementado pelo substrato.

Então, no fundo desse vaso coloque: argila estendida ou brita, artigos que são vendidos em lojas especializadas, fácil de encontrar.

Com esse substrato a água não ficará acumulada no fundo e as raízes terão a possibilidade de crescer bem.

Feito isso, é hora de colocar o substrato, a terra, que deverá chegar até a borda superior do vaso escolhido, deixando que a planta fique localizada na superfície.

A orquídea precisa estar segura no lugar que você escolheu para ela, o que significa que se ao pegar o vaso, você sentir que ela balança, não está bem colocada. Com o substrato deverá ser ajeitada e ficar firme.

Depois não esqueça que entre um ano e meio e dois o substrato deve ser trocado porque com um tempo ele vai ficando ácido e já não tem nutrientes suficientes para alimentar a orquídea. Quando essa troca é concluída é hora de regar bem novamente e seguir com os cuidados anteriores.

E não é só isso, a orquídea precisa de adubo a cada 15 dias, o que faz total diferença para que ela se adapte ao novo estrato.

Quando a orquídea passar da fase de crescimento é bom fazer o adubo pelo menos uma vez por mês ou ele pode ser feito após cada fase de pré-flores.

orquidea-3-1

O que fazer quando for replantar as orquídeas
Quando for lidar com as orquídeas lembre-se que elas são muito delicadas e todo cuidado é pouco quando se fala em replantio.

Na primavera, você observará uma grande mudança, o quanto elas ficarão mais iluminadas, estarão mais propensas a reprodução e é hora de trocá-las de vaso, se for o caso.

Faça isso observando que elas começam a dar flores e folhas novam apresentam, o indicativo de que é o momento certo para replantar a orquídea. A escolha do momento justo fará toda a diferença no resultado final, pode ter certeza.

Dicas e cuidados na hora de plantar as orquídeas
* É normal que orquídeas de floriculturas, mercados ou supermercados sobrevivam no nosso jardim. Normalmente, o problema está na manutenção. Redobre os cuidados.

* Água: nem muito e nem pouco, na medida certa.

* Terra: uma terra saudável e rica faz toda a diferença.

* Plante a sua espécie de orquídea buscando conselho de qual época do ano é melhor fazê-lo.

gifs-gifs-chuva-5

orquídea Rhynchostylis gigantea

Obter sucesso no plantio de orquídeas é uma coisa que exige muita dedicação e paciência. Até porque, há espécies, como as Cattleyas, por exemplo, que dão flor somente uma vez por ano e podem sofrer interrupção de ciclo se houver falta de cuidado durante o plantio.

Características como a quantia de luz solar que chega até a planta, adubo e rega deve ter um controle eficiente e rígido, sempre tendo em mente o que será melhor para cada espécie.

Quem não conhece orquídeas não sabe, mas elas não ficam o tempo todo floridas. Aliás, possuem um grande período com apenas folhas e nada de flores.

O importante é que ela apresente um aspecto que seja saudável, entretanto, se faz tempo que ela não floresce é necessário que sejam feitas algumas análises até descobrir qual é o seu problema.

Orquídea Baunilha (Vanilla)

Porque as orquídeas não florescem?
Isso vai ocorrer de acordo com a espécie. Se a planta pertencer ao grupo das monopodiais (Vanillas, Vandas e Phalaenopsis), que somente dão flor somente uma vez por ano, o problema pode estar relacionado à iluminação.

Citadas espécies precisam de grande incidência de luz para poder dar flor. Entretanto outros aspectos precisam também ser levados em conta.

Tome cuidado para que as plantas fiquem bem protegidas de corrente de vento e passem pela melhor forma de rega. Esta precisa acontecer, mais ou menos, uma vez durante a semana e, se o clima for quente, é necessário molhar ainda as folhas.

As orquídeas somente dão flor se estiverem saudáveis. Plantas com alto índice de estresse, murchas, ou com problemas de nutrição raramente passarão a florescer da forma adequada.

Para obter uma floração boa, as orquídeas precisam gastar uma quantidade maior de energia, que se acumula durante todo o ano nas raízes, folhas e pseudobulbos.

Se essas partes não estiverem com a saúde em dia, a planta procurará evitar a floração para se poupar do desgaste. Uma intensa floração num planta estressada pode ocasionar a morte da mesma.

vandas sem flor

O que devo fazer para que a planta volte a florescer?
A Iluminação adequada
As orquídeas necessitam de bastante luz indireta. Nesse quesito os países tropicais levam vantagem, já que o sol é farto nestes lugares. Caso sua orquídea esteja sendo mantida num ambiente interno, é preciso mantê-la o mais perto possível de uma janela, optando sempre pelo sol da manhã. Melhor é que a orquídea receba grande incidência de luz indireta.

Se quiser deixar sua orquídea no jardim, faça com que ela fica embaixo de uma árvore, ou ainda num lugar onde bate pouco sol diretamente, mas seja bastante iluminado.

A adubação
Para que as orquídeas cresçam com saúde e possuam condições de florescer adequadamente, é necessário adubá-las. Os adubos podem ser orgânicos, minerais ou químicos, ou mistos.

Em se tratando de adubos minerais, como o tipo NPK, opte por usar dissolvendo-os diretamente em água, fazendo a aplicação no substrato de 15 em 15 dias.

Já os adubos orgânicos, tal qual a farinha de osso, a torta de mamona, e o Bokashi são também bastante recomendados, e mais seguros. Adubos misturados ou mistos são facilmente encontrados em lojas próprias, e devem ser aplicados de acordo com as instruções da embalagem.

Entretanto, tenha cautela, já que o exagero de adubo mata muito mais do que a falta do mesmo.

As orquídeas assimilam mais o adubo quando o mesmo é posto diretamente nas raízes, apesar de variar bastante conforme o tipo de produto. Há adubos orgânicos que atuam mais positivamente quando deixados numa parte do vaso, enquanto aqueles químicos precisam ser diluídos em água e passados em toda a orquídea.

Deixe as orquídeas fora de casa
Várias orquídeas necessitam de uma alternância na temperatura para melhorar o florescimento. Quando elas são colocadas em um ambiente fechado, essa alteração pode não ser satisfatória, ocasionando num bloqueio do desenvolvimento das flores.

Caso isso não seja possível, é melhor deixar a orquídea perto de uma janela entreaberta, assim o ar mais fresco entrará durante a madrugada.

rega

Cuidado com as regas
As regas exageradas são uma das grandes causas de problemas na planta. Ainda que a planta tenha origem em regiões tropicais, em sua grande parte, as orquídeas costumam não gostar de água demais. Excesso de água costuma sufocar as raízes e acarretar apodrecimento das mesmas.

Se a planta tiver raízes ruins, não haverá um florescimento bom. Para entender qual a hora certa para regar não existe método melhor que colocar o dedo diretamente no substrato, a mais ou menos dois centímetros de profundidade e perceber: se tiver umidade, não faça a rega, e apenas o faça quando estiver seco o substrato.

Doenças e pragas
Caso as plantas sejam cultivadas de uma maneira adequada, elas ficarão mais resistentes a doenças e pragas. Se não tiver exagero de umidade, por exemplo, os fungos não se propagarão com facilidade.

De qualquer forma, previna-se. Um dos maiores inimigos das orquídeas são as pragas chamadas de cochonilhas.

Esses organismos sorvem a seiva da planta e chegam até mesmo a matá-la se não forem dizimados. Quem tem poucas plantas pode removê-los um a um, antes que possam tomar conta de todas elas. Já no caso de uma grande coleção, haverá a necessidade de se usar defensivos.

luminosidadeparaorquídea

Prefira aqueles que carregam as fórmulas naturais, já que os produtos químicos industrializados tendem a ser mais prejudiciais às orquídeas quanto para aqueles que cuidam delas. É melhor consultar alguém que possua experiência com defensivos naturais.

Faça a anotação do nome da sua orquídea numa plaquinha. Também é legal lhe atribuir um código (alfanumérico ou numérico, de acordo com o gosto), para ajudar na identificação no caso de uma coleção de grande ou médio porte.

Um grande desafio dos amantes de orquídeas é memorizar o nome ou espécie de suas plantas, ainda mais que quase todos estão em Latim ou coisa parecida, quase nunca elas apresentam nomes comuns ou populares. Entretanto isto se torna um maravilhoso exercício de memória.

Além disso, desenvolva o hábito de fazer a anotação da floração de cada uma das plantas. Caso ela não torne a florescer no mesmo período, no ano seguinte, pode ser um sinal de que algo está errado: a planta pode estar apresentando algum tipo de problema. Examine, então, as condições de luminosidade, irrigação, e ventilação.

gifs-gifs-chuva-5