Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts com tag ‘dicas’

molhando orquídeas

Nos tempos antigos era considerada como espécie ornamental. Nos dias de hoje está presente com maior frequência nos jardins. Em termos práticos essa não consiste em espécie que aprecia água.

Porém, como quase todos os tipos de plantas há a necessidade de regar de forma qualitativa. Importante ressaltar que há valor aproximado de 35 mil espécies distintas que requer tipo de rega distinta.

Cuidado com o excesso
Nesse sentido um dos pontos que devem ser levados em consideração ao regar as orquídeas está na pouca quantidade de água que demanda a espécie. Orquídeas são espécies que apreciam ficar nos cantos úmidos das florestas e não demandam de H2O frequente como se fosse uma planta de caatinga, por exemplo.

Existem três aspectos que interferem de forma direta na evaporação da água ao que tange às orquídeas:
(A) Condições climáticas, ou seja, tenha em mente de existe excesso de vento, aumento de calor, entre outros aspectos que se relacionam com o clima da residência;

(B) As características do vaso no qual se estabelece a espécie. Por exemplo, quando a orquídea se encontra em vaso de plástico, então a umidade vai ser mantida por maior tempo do que se estivesse na parte interna das composições de barro, que embora seja ótimo para esse tipo de flor, também pode ressecar rápido, o que varia também com as condições do clima;

(C) Orquídeas possuem capacidade em nível extraordinário para conseguir fazer a retenção da água.

ragando

De olho na estrutura
Uma diferença fundamental para regar a orquídea consiste em considerar como existe a estrutura na sua parte externa, no principal ao que tange à presença de folhagem. Por exemplo, espécies que não possuem folhas em excesso na parte superior não precisam de grande quantidade em termos de água.

Por outro lado, com folhagem em excesso há maior demanda para regar em consequência do conjunto de folhas que necessitam do H2O para manter em condições plenas.

Fique de olho também nas partes com maior gordura que pode existir na orquídea que na prática representa em elementos que serve para reter os nutrientes. Nesse sentido, espécies que não possuem esse tipo de estrutura no caule precisam de maior demanda da água do que às orquídeas que deixam de ter esse tipo de estrutura.

Molhar as orquídeas
Modo simples e eficaz de molhar as orquídeas consiste no fato de colocar a espécie de baixo da água corrente que corre nas torneiras. Por consequência comece com o solo e o nível de estrutura em termos de folhagem.

Procure molhar todo o substrato. Não se esqueça de que os vasos precisam de pequenos buracos para ajudar no sentido de melhorar a flor sob a ótica da respiração. Porém, pessoas que possuem jardins repletos de orquídeas não precisa tirar cada vaso da estrutura, colocar de baixo da água corrente de torneiras e por consequência fazer o processo.

regas9

Para simplificar o sistema, especialistas indicam ser necessário usar a mangueira e realizar o processo sem ter que retirar as unidades do local. Não se pode ignorar o fato que por vezes a orquídea se encontra dentro do cachepot, o que representa estar com uma proteção adicional para proteger não apenas o vaso como também a orquídea em si.

Nesse sentido, não tem jeito, a prática consiste em retirar o vaso da proteção e colocarem baixo da água que corre das torneiras. Tenha em mente de que ao molhas a espécie coloque água nos dois lados das folhas e também não se esqueça de colocar o conteúdo dentro do substrato.

Depois que a planta escorrer o H2O nos espaços dos buracos do vaso o processo pode ser concluído e a flor pode voltar ao cachepot. Não se pode ignorar o ponto no qual se faz necessário ter paciência para esperar acontecer o completo vazamento antes de voltar com a espécie ao local no qual repousa ou serve como ponto de decoração no jardim.

Quando regar as orquídeas?
Ao em conta o clima tropical que existem em terras nacionais a rega da orquídea precisa acontecer pelo menos uma vez em cada dia. De forma prática as variações possuem relação com as condições climáticas.

Na parte Sul e Sudeste do Brasil durante épocas frias do ano a rega por acontecer uma vez por semana. Procure não encharcar o substrato, tenha em mente de que a medida não deve ultrapassar a casa dos 2 cm, conforme indica grande parte de especialistas no cultivo desse tipo de espécie.

Coloque o dedo na terra e sinta o limite no qual existe umidade, visto que se a mesma existir em quantidade excessiva não há a necessidade de fazer a rega, visto que o excesso de água pode apodrecer a estrutura. Também existe a possibilidade de colocar um palito, caso não queira ou possa sujar o dedo.

Se o pedaço de madeira sair com umidade não regue ao ponto que se ficar seco existe a necessidade de colocar água. Não se pode ignorar o fato de que em casos de dúvida é melhor não aplicar a rega, visto que espécies do gênero preferem a falta ao excesso.

orquídea

Qual a quantidade de água?
De forma prática, embora seja espécie que aprecie a umidade, tenha em mente de que ao começar o processo de rega coloque água abundante. As orquídeas apreciam sim água, desde que não estejam com umidade.

Nesse sentido, ao notar a presença de seca, comece a colocar água de forma abundante e de modo lento, demorado, para o conteúdo chegar com calma nas raízes depois de ultrapassar o substrato. Procure iniciar o movimento até o H2O começar a vazar nos buracos compostos para acontecer a drenagem.

De acordo com especialistas o melhor momento para fazer o processo de rega acontece durante a manhã no sentido da planta conseguir absorver o conteúdo com calma e a favor do clima.

Tenha em mente de que os períodos noturnos são péssimos no sentido de ajudar na secagem da folhagem.

pombos

As plantas são conhecidas por trazerem harmonia para onde quer que sejam colocadas. Mas é claro que há ambientes em que elas se portam melhor e ficam mais saudáveis. As samambaias, por exemplo, preferem ficar do alto, vendo tudo o que está acontecendo dentro de casa. Elas também são muito calorentas e precisam ficar em lugares bem fresquinhos para não morrerem.

Falamos das samambaias como se elas fossem gente não é? Mas é assim mesmo que devemos tratar nossas plantinhas. Elas exigem cuidados assim como nós, seres humanos, já que a gente também se sente mais a vontade quando estamos em determinados lugares.

Por isso, saiba qual a planta certa para cada ambiente, seja dentro de casa ou fora. Descubra também qual é a vontade da sua plantinha e em qual lugar ela vai se adaptar melhor.

licuala

1. Salas iluminadas
Se você mora em um lugar com uma janela bem grande e que o sol costuma entrar sempre pela amanha, parabéns! Algumas das mais belas plantas vão ficar lindas para recepcionar as visitas no sofá da sua sala. Com certeza, você vai apostar nas plantas que adoram uma luz.

Escolha aquelas que possuem folhas gordinhas, pois estas acumulam muita água e não costumam secar por causa do sol. São elas: costela-de-adão, dracena, antúrio, pau-d’água, bromélia e licuala. O é uma das plantas mais resistentes a luz. Como a sala é um lugar onde muitas pessoas circulam, aposte por colocar as suas plantinhas bem nos cantos do cômodo.

zamioculca

2. Espaços escuros
Os lugares da casa com pouca luz costumam ser mais úmidos. As plantas que não precisam de água todos os dias são perfeita para este lugares, sejam eles salas escritórios, quartos e até área de serviço Zamioculca e pleomele verde são ótimas opções.

A primeira é boa porque é ótima para interiores e se adapta bem a condições úmidas. Já a segunda é uma planta alta que vive bem sob pouca iluminação. Outras duas plantas muito indicadas para este tipo de ambiente são a ráfia e a nossa querida samambaia.

Uma dica importante da nossa arquiteta é deixar as plantas sempre em terra úmida. Para isso, coloca pedras ou cascas de árvore em seus vasinhos, na parte de cima. Assim, você também evita a temida dengue.

tomte cereja

3. Na cozinha
Quem não gosta de entrar na cozinha e sentir aquele cheirinho de tempero fresco? Todo mundo gosta não é. Ainda lembra aquilo que o ser humano mais gosta de fazer na vida: Comer.

E se alimentar em um ambiente cheiroso desse é só para quem pode. Ter um vasinho de plantas com ervas na cozinha é um delícia e a dica da nossa arquiteta é: capim-cidreira, manjericão, alecrim, boldo, hortelã e pimenta são os mais indicados.

Porém, essas ervinhas deliciosas e cheirosas precisam de sol pela manhã e um pouco de água todos os dias. Caso em sua cozinha haja um espacinho iluminado, aposte nas jabuticabeiras, pitangueiras ou em um pé de tomate-cereja.

O mais importante é que os vasos de todas essas plantinhas devem ter uma abertura normal entre 50 e 80 cm. Já que com 1 m, elas darão frutos. Na área de serviço que fica logo ao lado da cozinha, existe uma espécie ideal para ser colocada lá e que vai enfeitar bem esse lugarzinho quase que inóspito: é a violeta-africana.

Esse tipo de planta deve ficar e se adaptar bem em locais sem umidade alguma, mas que possua bastante claridade. Colocou a roupa para secar na janela? Deixe a violeta-africana por lá também. Ela vai adorar.

violetaas

4. No banheiro
Está certo que o banheiro é o local mais úmido da casa. É lá que você consegue relaxar tomando um bom banho quente e demorado. Portanto, escolha plantas resistentes ao vapor que sai do chuveiro e que amam umidade.

Entre elas, nós temos o bálsamo, lírio-da-paz e a linda violeta. Essas plantinhas adoram luz direta. Mas não se preocupe porque as lâmpadas do banheiro já servem para aquece-las. Regue a terrinha delas a cada três dias para que elas possam durar bastante e enfeitar o seu lindo banheiro.

Outra planta muito interessante e que é bastante indicada para este espaço é o chamado bambu da sorte. Ele é lindo, não gosta muito de luz e vive na água, além de trazer ótimas energias para o ambiente mais relaxante da sua casa.

begonia

5. Quartos e escritórios
As orquídeas dão um ar refinado a qualquer espaço. Por isso, elas são muito indicadas para quartos e escritórios. Camélia, begônia ou jasmim também são uma grande aposta. O único problema é que elas são bem perfumadas.

Se você não curte muito cheiro nestes ambientes, aposte nas  jiboias, bonsais ou aspargos. Já que nestes lugares não bate muita luz, elas diminuem a sua capacidade de fazer fotossíntese, liberando gás carbônico.

Todo mundo sabe que o CO² faz muito mau a saúde. Portanto, não exagere e opte por ter só uma flor nestes lugares, retirando-a de noite na hora em que você for dormir.

6. Fora de casa
Algumas plantas são ideais para enfeitar a sua entrada, o seu quintal, sacada ou jardim. São elas:
* Gerânio pendente – É bom para aquelas varandas e sacadas bem pequenas. Mesmo assim, essa planta também se adapta a outros ambientes externos, pois ela adora muito o sol.

* Alamanda – Ela fica linda quando é colocada em locais com muito sol, até porque elas o adoram. O cuidado principal com esta planta e não deixáa-la na sombra pois os temidos pulgões com certeza irão atacá-la.

* Mini-ixora – É uma planta que de adapta fácil em regiões costeiras. Por isso, ela precisa de muitos ventos para se manter. Evite colocá-la em locais muito úmidos, ela não se dá nada bem com a umidade.

montanhas

espaços pequenos

São diversas as pessoas que possuem o habito de cultivar plantas. No entanto, esse costume foi se reduzindo nos dias atuais, principalmente nas grandes cidades, pois os espaços disponíveis nas residências são cada vez menores, afora quando as pessoas habitam os apartamentos, onde as condições para cultivo de plantas são menores ainda.

Com criatividade e inteligência, é possível criarmos plantas em espaços pequenos e reduzidos e até mesmo dentro de casa, basta apenas que respeitemos as características particulares das espécies vegetais cultivadas.

Abaixo dicas para ajudar as pessoas a superarem a falta de espaço para realizarem o cultivo das espécies vegetais. Portanto, nada de esquecer ou deixar de lado a montagem de um canto verde em sua casa, trazendo vida e cor ao local.

espaçosreduzidos

O cultivo de plantas em casa
O cultivo de plantas é uma forma de trazer vida para dentro da sua casa. Com a utilização de espécies vegetais a pessoa cria um ambiente de paz e harmonia, além de melhorar o ar e a temperatura do local, pois as plantas ajudam neste processo.

Além disso, as plantas conseguem deixar o ambiente mais belo e agradável, existem inúmeras plantas que apresentam características ornamentais e que podem facilmente ser cultivadas em ambiente com pouco espaço disponível, como por exemplo: as orquídeas, as samambaias, a colmeia peixinho e outras espécies vegetais ornamentais.

Contudo, com o decorrer do tempo, as casas foram mudando as suas estruturas, antigamente tínhamos casas grandes e com vastos quintais, o que facilitava o plantio e o cultivo de plantas.

Hoje em dia, vivemos em um mundo bastante corrido, e as casas passaram a ter estruturas menores, que abrigam as novas composições familiares. Devido a isso, a tendência das construções são casas cada vez menores e a construção de residências verticais, para maior aproveitamento dos espaços.

Isso, acabou causando a diminuição dos espaços para cultivo das plantas, deixando as grandes cidades com uma presença cada vez menor do verde das plantas.

No entanto, a ausência de espaço não pode ser um motivo limitador para que a pessoa não tenha um jardim ou uma horta em casa, e assim cultivar espécies vegetais diversas em casa.

Diversos locais são aptos para o cultivo de plantas, como por exemplo: o quintal, a varanda e até mesmo espaços internos da residência, como por exemplo – a cozinha, onde você pode montar uma pequena horta para colher vegetais frescos para o consumo particular de quem os cultiva.

Para cultivo na própria cozinha, os especialistas em cultivo de plantas recomendam as seguintes espécies vegetais: manjericão, coentro, hortelã, alecrim, orégano, tomilho e outras.

espaços

Para montagens dessas pequenas hortas para cultivo dentro de casa, os especialistas no cultivo de plantas recomendam usar e aproveitar as janelas, bancadas, aparadores, prateleiras e etc.

Outra opção para o cultivo de plantas em casas com pouco espaço disponível, pode se fazer painéis (até mesmo aproveitando paredes) de plantas. Esses painéis podem fazer uso de vasos suspensos, jardineiras e até mesmo de adaptações criativas e sustentáveis (como por exemplo: as garrafas pet cortadas).

A adoção de jardins verticais, as chamadas paredes vivas, está cada vez mais em prática e sendo adotada pelas pessoas, pois é uma ótima solução para a falta de espaço das construções modernas e além disso traz um colorido vivo e diferente pela presença das plantas em sua casa, pois as plantas valorizam o ambiente, concedem vida ao local e através da sua cor acabam dando nova característica ao local.

Os especialistas recomendam para quem pretende fazer um jardim vertical. Que a parede a ser utilizada precisa ser impermeabilizada para não sofrer danos e prejuízos em pouco tempo.

Flores

Criatividade e versatilidade
Para cultivar plantas em casas que apresentem pouco espaço para esse fim, exige das pessoas, que elas sejam criativas e versáteis de forma que o aproveitamento dos espaços seja realizado de maneira positiva e inteligente, procurando também respeitar a natureza, tendo atitudes sustentáveis e deixando a imaginação aflorar de maneira que desenvolva jardins diferentes e únicos.

Além disso, a pessoa pode optar pela versatilidade na hora de compor os seus jardins e hortas, usando vasos ecológicos (fabricados com fibra de coco), pendurando vasos com cabos de metal, uso de materiais recicláveis (garrafas pet) e etc.

Entre as diversas ideias para cultivo de plantas em residências com espaços reduzidos, podemos citar as seguintes:
a) Fazer cobertura de muro e paredes com espécies vegetais trepadeiras;
b) Fazer painéis de plantas nas pareces, como por exemplo as bromélias ou as orquídeas;
c) Fazer pequenos canteiros, composto de espécies vegetais diferenciadas e que se adaptem bem ao espaço disponível;
d) Desenvolvimento de pequenas hortas;
e) Cultivo de espécies vegetais típicas de cultivo em ambientes interiores;
f) Outras possibilidades;

A pessoa que irá cultivar plantas em pequenos espaços precisa ter em mente que não adianta procurar cultivar plantas que crescem muito, pois o espaço não irá permitir, portanto, procure as espécies vegetais que se adequam a realidade do lugar, que irão se desenvolver de maneira adequada para o ambiente à medida que forem recebendo os cuidados necessários quanto à rega, adubação, iluminação e etc.

espaços

A escolha das plantas a serem cultivadas
A hora de escolher as espécies vegetais a serem cultivadas é um passo fundamental para o sucesso e bom desenvolvimento das plantas a serem cultivadas em sua casa e nos pequenos espaços.

Não adianta cultivarmos espécies vegetais inadequadas com relação ao clima, a luminosidade e etc. Por exemplo, as espécies vegetais adequadas para ambiente interior tem uma capacidade maior de sobreviver sem receber tanta luminosidade quantas outras espécies vegetais.

Para espaços reduzidos, os especialistas recomendam o não cultivo de plantas como: arvores, arbustos e outras espécies de maior porte.

Portanto, nada de fazer opção por locais mal iluminados para cultivar plantas. Outra questão importante é o acesso ao local onde as plantas estão sendo cultivadas, pois devido o fato das plantas exigirem uma série de cuidados, muitas vezes diários, o acesso não pode ser difícil.

espaçopequeno_11

Outro cuidado importante é com o tamanho que as plantas atingem e com a sua poda. Como o espaço é pequeno, as plantas não podem crescerem muito, por isso é importante que elas sejam observadas e controladas, e pelo menos a cada 02 (dois) a 03 (três) meses seja feita a poda de controle e formação das plantas cultivadas.

Outro cuidado a ser tomado é com a adubação, nesses casos de cultivo de plantas em espaços reduzidos, é indicada a aplicação de produtos líquidos. Além disso, cada planta precisa de cuidados diferenciados, conforme as suas características, por isso, antes de cultivar uma determinada planta, procure conhecer a mesma.

chuva-4

Cattleya violacea forma coerulea

As orquídeas estão entre as plantas mais popularmente comercializadas do mundo. Aqui no Brasil elas são muito comuns devido o seu colorido que combina sempre com as nossas estações relativamente tropicais.

Para cultivar as orquídeas é preciso conhecer alguns detalhes sobre a planta que muitas vezes deixamos passar achando que não têm tanta importância assim.

Para que suas orquídeas sejam então flores bonitas e saudáveis sempre, vamos conhecer algumas dicas simples e eficientes que podem dar essa melhoria no seu cultivo.

Características gerais da Orquídea
Na natureza existe uma quantidade praticamente incontável de orquídeas. Todas as espécies dessa flor fazem parte da família das Orchidaceae e da ordem das Asparagales, que é uma das maiores famílias de planta no mundo.

Falar das características das orquídeas se torna algo muito superficial já que cada uma de suas variações possui características incríveis e bem particulares.

Podemos então caracterizar as orquídeas como sendo flores encontradas em quase todo o mundo já que somente na Antártida elas não conseguem sobreviver. Essas flores são,  em sua maioria, caracterizadas como epífitas, que são flores que crescem sobre as árvores.

Elas usam esse outro tipo de planta como suporte para absorver a luz do sol e outros nutrientes, mas em nenhuma condição agem como parasitas.

Então como a variação de orquídeas é grande, as dicas de cultivo também variam muito, mas vamos usar detalhes de uma forma bem geral e que você possa utilizar com a maioria das orquídeas que tem em seu jardim.

orquideas

Escolha a orquídea ideal para a sua região
Devido a sua grande variação no mundo inteiro, você provavelmente vai encontrar uma orquídea que não se desenvolve sob as condições de clima e solo de sua região. Então antes de sair optando por qualquer flor porque é mais ou menos bonita, veja se o tipo de cultivo que ela exige como mínimo, é possível existir em sua região.

Plante orquídeas de diversos florescimentos
Todas as plantas possuem um ciclo de vida que varia de espécie para espécie e no caso das orquídeas não poderia ser diferente. Como um jardim de flores bonito é aquele você vai de fato encontrar flor sempre que chegar, escolha orquídeas com diferentes ciclos de florescimento para então ter flores brotando durante o ano inteiro e um jardim sempre bonito e colorido.

Utilize fertilizantes ao seu favor
Usar fertilizantes em qualquer planta é algo obrigatório porque são eles que ajudam a repor os nutrientes que as plantas gastam durante o seu crescimento.

Como existem orquídeas que possuem ciclo de vida maior e outras com ciclo de vida menor como citamos no tópico anterior, você pode usar fertilizantes para acelerar de forma positiva o crescimento dos brotos e com isso não precisa esperar tanto para ter lindas orquídeas em seu jardim.

Claro que o uso deve ser feito de forma consciente para não prejudicar o seu cultivo e somente em casos esporádicos. O melhor fertilizante é o que possui formulação NPK  10 :30:10, usados sempre uma vez três meses antes que começar a época de florescimento da sua orquídea.

orquídea1

Onde você vai plantar a sua orquídea é importante
Esta afirmação é muito certa porque as orquídeas não florescem em qualquer tipo de ambiente. Caso você queira planta uma orquídea em vaso para usar como arranjo da sua sala ou de qualquer outro cômodo da sua casa, elas ficarão muito bonitas, porém se o ambiente tiver climatizadores como ar condicionado, por exemplo, ou então em um ambiente onde corra muito vento, com certeza a sua orquídea não florescerá ou sentirá muita dificuldade de completar o seu ciclo, podendo resultar em flores deficientes.

O melhor lugar para sua orquídea vai ser um local bem protegido desses dois fatores, sem calor, mas com acesso controlado da luz do sol (que ela fique exposta sempre de manhã cedo e no final da tarde).

Verifique a origem de sua orquídea
Por serem flores de variedade muito grande, existem aquelas orquídeas mais populares e outras que são mantenedoras de suas espécies, portanto devem ser respeitadas como tal.

Mesmo sendo um grande fã e colecionador desse tipo de flor, evite aquelas que possuem origem de matas porque você vai contribuir para o tráfico da espécie assim como para sua extinção.

O mais indicado é sempre adquirir suas orquídeas de lojas ou fornecedores totalmente legalizados com produção pessoal ou orquidófilos.

orquidea-dendrobium

Saiba regar as suas orquídeas
Saber regar qualquer planta é importante na verdade, mas no caso das orquídeas todo cuidado e atenção é primordial. Esse tipo de planta gosta de manter-se em um vaso com areia mais úmida, porém ela não pode ficar jamais encharcada porque você com certeza matará a sua flor.

Normalmente também usamos pratinhos embaixo dos vasos para manter um pouco a umidade da terra e também evitar que a água que escoa suje o ambiente. No caso de um vaso com orquídeas, esse pratinho jamais deve ser utilizado porque o acúmulo de água pode apodrecer as raízes da planta facilmente.

A quantidade de regas ideal é de 2 a 3 vezes por semana e para não acumular água, você deve tirar o vaso do local e colocar em um ambiente onde ele possa ficar até a água da sua rega escorra por completo.

Cuidados com pragas e doenças
Toda planta está sujeita à sofrer com pragas e doenças mesmo quando cuidamos bem delas. O aparecimento dessas pestes se dá por motivos tão diversos que muitas vezes esquecemos que o tratamento intensivo pode favorecer o seu aparecimento e não o contrário.

Quando falamos em orquídeas o cuidado deve ser dobrado porque elas são muito delicadas e conseguem absorver esse tipo de praga com mais facilidade.

Atente-se com a quantidade de umidade, como citamos mais acima, porque além de colocar a saúde e vitalidade da sua planta em risco, você ainda facilita o aparecimento de fungos quando a planta fica muito tempo úmida. Quando se fala em pragas para essa planta, as cochonilhas são sempre citadas porque são as quem ais aparecem na espécie.

Observe sempre a sua planta e veja se ela não possui nenhum tipo de praga. Caso as encontre, busque combatê-las de imediato.

As orquídeas estão entre as flores mais conhecidas do mundo. Elas se destacam por apresentarem grande beleza e diversas cores. Graças a isso acabam chamando a atenção das pessoas e se enquadrando como uma das espécies vegetais mais comercializadas em todo o mundo.

As Orquídeas são espécies vegetais que pertencem a família botânica das Orchidaceae, sendo membro da ordem das Asparagales, que se constitui em uma das maiores famílias botânicas existentes na natureza.

orquídeas

As características das orquídeas
Existe uma grande quantidade de orquídeas disponíveis na natureza, o que torna cada uma de suas variedades com características únicas e peculiares.

Mas de uma maneira geral, as orquídeas podem ser caracterizadas como flores encontradas em praticamente todo o planeta (com exceção apenas da Antártida, pois graças ao frio intenso, essas belas flores não conseguem viver).

As orquídeas são flores epífitas, isto é, vivem sobre outras plantas (preferencialmente arvores), usando esta planta como uma espécie de suporte para conquistar melhores condições de luminosidade, ventilação e nutrientes. No entanto, as orquídeas não são espécies vegetais parasitas.

Devido a grande variedade de espécies de orquídeas existentes em todo o mundo, as dicas para o cultivo desta espécie vegetal irão variar conforme o tipo de orquídea a ser cultivada.

Dicas para cultivar orquídeas
Para cultivar Orquídeas, é importante que a pessoa conheça a variedade que está sendo cultivada, para que os detalhes de cultivo da planta sejam adotados.

Toda planta precisa de condições adequadas para o bom desenvolvimento, e com as orquídeas não é diferente, elas precisam ser cultivadas nas condições adequadas de luminosidade, adubação, rega, temperatura e etc.

Segue abaixo algumas dicas, simples, porém eficientes, para que as suas Orquídeas sejam cultivadas de forma que mantenham bonitas e saudáveis:

orquidea-cattleya

O tipo de orquídea
As orquídeas são espécies vegetais que possuem grande variedade e podem ser cultivadas em todo o planeta. Apesar de serem típicas de regiões de clima tropical, existem orquídeas que se adaptam a outros climas.

É necessário ver também a questão do solo e da luminosidade antes de fazer a opção por qual variedade de orquídea a ser cultivada. A escolha da orquídea deve estar atrelada as condições do local onde você habita e não a beleza da orquídea, pois caso você opte pela beleza, pode acontecer da sua orquídea não conseguir se adaptar e acabar morrendo.

Cultive orquídeas com florescimentos diferentes
Com o intuito de manter o seu jardim sempre bonito e florido, é importante que você faça a opção por diferentes espécies de orquídeas e que possuam ciclo de vida diferente, pois desta forma as suas orquídeas irão florescer em épocas distintas.

As orquídeas são espécies vegetais que normalmente florescem uma vez ao ano, então a variação de espécies de torna importante para o seu jardim, pois fazendo isso, o seu jardim terá flores brotando durante todas as épocas, e desta forma se manterá bonito e colorido durante o ano inteiro.

Faça uso de fertilizantes
O uso de fertilizantes é uma das formas que temos de fazer a reposição dos nutrientes necessários para o bom desenvolvimento e crescimento das espécies vegetais. E com as orquídeas não é diferente, e o uso dos fertilizantes incentivam o crescimento dos brotos, diminuindo o tempo para que as orquídeas cresçam, floresçam e embelezem o seu jardim com suas flores coloridas.

orquídeas

O local de plantio da sua orquídea
É importante você observar o local de cultivo da sua orquídea, pois é necessário que a planta seja protegida tanto do excesso de calor como dos fortes ventos.

Por isso, verifique se o local escolhido existe essas condições, para que sua orquídea consiga crescer e florescer sem dificuldades.

Caso sua orquídea seja cultivada em ambiente interno, tenha cuidado com o ar condicionado e os climatizadores, pois esses equipamentos prejudicam o ciclo da orquídea e acabam formando flores com deficiências.

A origem da orquídea
Tenha cuidado com a origem das orquídeas que você cultiva. Por ser uma espécie vegetal com grande variedade, por isso é interessante e indicado que você compre as suas orquídeas em lojas especializadas (orquidários), que possuam plantas sendo diretamente cultivadas.

Essa atitude é importante para evitar a aquisição de flores tiradas diretamente das florestas, pois essas flores normalmente são traficadas e contribuem para a extinção dessas plantas nativas.

A irrigação das orquídeas
A rega é fundamental para todas as plantas, e no caso das orquídeas é necessário bastante cuidado com a rega.

A orquídea é uma espécie vegetal que aprecia o solo úmido, no entanto não pode se exagerar na rega, pois a orquídea não tolera o solo encharcado. Caso isso ocorra, a orquídea irá morrer.

Uma dica para manter a umidade do solo, é colocar pratos com água embaixo dos vasos, no caso do cultivo de orquídeas isso não pode ser feito, pois a água dos pratos apodrecerá as raízes.

O ideal é que sejam feitas de 02 a 03 regas durante a semana. E para que a água da rega não fique acumulada, é interessante que o vaso seja colocado em um ambiente que possibilite a água escorrer, para depois voltar ao seu local de cultivo.

Nos dias em que a sua orquídea não for irrigada, para manter a umidade é interessante que seja borrifada água sobre as folhas.

Imagem relacionada

Prevenção de pragas e acidentes
Todas as espécies vegetais estão suscetíveis a ocorrência de pragas e doenças, inclusive as orquídeas que são flores delicadas e por isso são mais frágeis a ocorrência de pragas.

Portanto, para prevenir a ocorrência de pragas e doenças é necessário tomar cuidado com a umidade, pois esta facilita o surgimento de fungos. Uma praga que facilmente ocorrem nas orquídeas são as cochonilhas.

Caso você detecte alguma praga ou doença em suas orquídeas, procure combater fazendo uso do tratamento correto.

A luminosidade do local
Procure colocar as suas orquídeas em locais que ela possa receber a incidência dos raios do sol no inicio da manhã (até as 09:00 horas) e no fim da tarde (a partir das 16:00 horas).

A orquídea precisa receber incidência dos raios do sol para florescer, portanto é importante encontrar o local correto para que seja evitada a troca de local de sua planta com regularidade.

Prosthechea cochleata

A ventilação do local
As orquídeas precisam ser cultivadas em locais arejados, no entanto é necessário evitar os locais que possuem ventilação muito forte, pois esta condição impede o florescimento das orquídeas.

Identifique a sua orquídea
Procure identificar suas orquídeas através de placas, com isso facilita o seu trabalho para gerar as condições adequadas (ventilação, irrigação, adubação, luminosidade e etc.) para cada uma das variedades que você cultiva.

Participe de grupos de orquidófilos
Procure participar de grupos e associações que agrupam pessoas que também cultivam orquídeas. Essa situação é interessante para troca de ideias e experiências no trato com as flores, além de desenvolver um novo ciclo de amizades.

ponte sobre riacho