Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts com tag ‘cultivo’

Anemona (1)

São flores originárias da zona mediterrânea, ao sul da Europa, porém consideradas universais pelo fato de serem cultivadas em diversos lugares do planeta, encontradas em uma escala bem variada de cores sendo que as amarelas são mais incomuns. Multiplicam-se rapidamente. São plantas tóxicas e devemos ter cuidado com crianças e animais de estimação.

As anêmonas são populares por seu colorido que imprime os primeiros sinais de primavera.

Apesar da aparência delicada, a anêmona é bem resistente e, se manuseada adequadamente, pode durar até uma semana. É uma planta rústica, resistente à pragas e doenças, resistentes ao frio, mas sensível à geadas

anêmona12

A flores se erguem em pedúnculos com cerca de 10 a 30 cm de altura, podendo atingir 8 cm de diâmetro, com cinco a oito pétalas ovais, ou até mesmo sem pétalas. São flores sensíveis ao vento e se abre assim que o sente soprar.

Florescem em toda a primavera e no início do verão. A época ideal para plantar anêmonas é entre o meio e o final do outono.

São plantas de clima temperado. Devem ser cultivadas sob sol e meia-sombra, precisando de luz direta do sol pela manhã e meia-sombra durante a tarde.

Existem anêmonas com flores na cor roxa, flores cor lilás, flores púrpura, flores de cor vermelha e no conjunto entre o branco e o azul. São muitas as tonalidades destas flores, o que dificulta o conhecimento de todas.

Os bulbos devem ser plantados a uma profundidade de 6 cm, mantendo a distancia de um para o outro de 15 cm em um substrato rico em matéria orgânica, tendo um vaso bem drenado.

Anemona lilás

Mistura para solo para vaso ou canteiro
A anêmona necessita de uma mistura de solo rica em matéria orgânica.
- 1 parte de terra comum de jardim;

- 1 parte de terra vegetal;

- 2 partes de composto orgânico

Como montar um vaso para receber a Anêmona
1 – Adicione argila expandida ou brita no fundo do vaso;

2 – Em cima da argila expandida acrescente a manta de bidim ou manta de poliéster para filtrar a água e evitar que a terra se infiltre por entre as bolinhas da argila (ou pedras), entupindo o dreno;

3 – Adicione o solo rico em matéria orgânica como informado acima e a 6 cm de profundidade plante os bulbos da anêmona com os brotos voltados para cima, sem enterrá-los completamente. Caso você tenha sementes também deve plantá-la a 6 cm de profundidade.

4 – Não esqueça de deixar um espaço de 15 cm para o crescimento de cada bulbo ou semente.

5 – Para dar acabamento ao vaso e também para evitar que ervas daninhas apareçam adicione casas de árvores.

anemona

Adubação para a Anêmona
Após o plantio e assim que começar a floração espalhe um fertilizante a base de potássio e fósforo, mas com nível de nitrogênio baixo para conter a formação de folhagem verde e a proliferação de fungos. É recomendado o uso de farinha de ossos e de superfosfato.

Manutenção da Anêmona
O solo deve estar sempre úmido, mas nunca encharcado. Regue todos os dias, ou um dia sim outro não.

chafaris

800px-Pittosporum_Tobira_JPG0

Espécie de planta pertencente à família Pittosporaceae, originária da Ásia – China e Japão.

Trata-se de um arbusto resistente, de aroma marcante, com folhas arredondadas de coloração verde ou verde-acinzentada com bordas claras na cultivar “variegata”.

Sua altura chega até 5 m e é frequentemente utilizado na realização de sebes livres ou quebra-vento. Ocorre uma variedade anã, mais apreciada para o cultivo em vasos, pois seu porte arredondado se destaca.

Sua folhagem verde escuro brilhante é frequentemente utilizada na confecção de ramos.

Pittosporum_tobira_variegata

Sua florescência branca aparece no final da primavera ou no início do verão. O cheiro emitido pelas flores dos mixósporos recorda agradavelmente o cheiro das flores de laranja.

Não é uma planta exigente em fertilidade, mas desenvolve-se melhor em solos drenados, fértil sempre a pleno sol.

Tolera frio e ventos fortes e pode ser cultivado no litoral. Tem a tendência a desenvolver ramos com folhas verdes que devem ser retiradas se não comprometer a forma da planta.

Sua multiplicação é feita por alporquia e estaquia.

floresdecerejeira

calceolaria-mix

Calceolária é um gênero botânico pertencente à família Calceolariaceae, formada por ervas ou arbustos geralmente com opostos, folhas serrilhadas e encontrada na América do Sul, Peru e Chile.

É uma planta perene, sendo bastante cultivada em diversas partes do mundo como uma planta de vaso. Como aparência ela conta com seu caule um pouco ramificado, e possui texturas herbáceas além de ser de pequeno porte, chegando a no máximo 30 cm de altura.

As inflorescências se apresentam de forma reta e ramificada, sendo assim compostas por várias flores amarelas, vermelhas e também alaranjadas, além de se contar com uma mistura destas cores e seus pontilhados marrons.

É uma flor que possui um formato muito singular, que conta com uma pétala inferior inflada que tem um formato bastante semelhante a o de uma pequena bolsa. É conhecida popularmente como Chinelinho-de-madame, Sapatinho-de-vênus e Tamanquinho.

A sua floração se estende pelo inverno e pela primavera. Em sua utilização atual é possível encontrar diversos exemplares desta planta na produção de decorações de interiores, vasos e ainda floreiras durante o período de floração.

Seu cultivo deve ser à meia sombra, ou mesmo em iluminação difusa, contando com um substrato fértil bem drenável, este que deverá ser enriquecido com matéria orgânica, com adubações regulares e também as irrigações frequentes.

Calceolaria x herbeohybrida amarela

Aprecia muito o clima ameno, podendo ser muitas vezes aproveitada em serviços de jardinagem e em locais que possuam clima subtropical e tropical de altitude. É uma planta considerada muito adequada para a formação de bordaduras e maciços de renovação anual.

Nos locais onde existe clima temperado poderá ser plantada em estufas e protegidas do frio intenso. Apesar da planta se perene ela é tratada como uma planta anual. Costuma ter a sua multiplicação por sementes que germinam em 10 dias.

Solo para plantio
A espécie exige um solo que seja rico em matéria orgânica, em uma mistura recomendada da seguinte forma, uma parte de terra comum de jardim e uma parte de terra vegetal além de duas partes de compostos orgânicos.

Seu cultivo deve acontecer sempre em locais de clima ameno, como citado acima, caso os climas da região de cultivo sejam intensos, tanto para o frio como para o calor, as plantas deverão ser cultivadas em estufas.

Devem, além disso, serem cultivadas á sombra já que não suportam sol diretamente mas é preciso que recebam diariamente pelo menos 3 horas diárias de luz do sol indireta para que fiquem saudáveis.

Quanto as suas regas esta é uma planta que gosta de água, porém de um solo que não esteja encharcado. A planta ainda poderá ser regada em média duas vezes por semana e caso você não consiga não existe problema nisso, pois ela aguenta uma rega semanal eventualmente. É recomendado também sempre se tomar muito cuidado na hora de regar as plantas para que não se molhe as flores e a base das folhas.

Calceolaria x herbeohybrida

Suas flores começam a surgir no final do inverno e também durante a primavera, nesta época inclusive é possível se encontrar á venda vasos de plantas de cores diversificadas que vão desde o amarelo-creme ao vermelho intenso ou ainda mesclando diversas cores, com manchas marrons de vários tamanhos.

Esta é uma planta bastante resistente as pragas e doenças, mas como é uma planta anual precisa que aconteça um replantio todos os anos para que ela possa viver bem e saudável.

Toda a saúde e vivacidade de um jardim bem como as suas flores e plantas coloridas dependem de uma série de fatores que vão além de quantidades corretas de água e também sol.

Todos os jardineiros costumam ter alguns truques e por isso os jardins que são tratados por eles são lindíssimos, e por isso a seguir iremos reunir algumas das melhores dicas para que se mantenha um jardim impecável e de quebra dar um pouco de inveja para os seus vizinhos.

A Calceolária é uma flor de origem na que podem medir até 30 centímetros de altura. Essas flores preferem clima ameno e gostam de solo rico em matéria orgânica.

folhasaovento

Cordyline_terminalis_

A Cordiline, como assim é chamada popularmente, é uma planta da família Laxmanniaceae, sua origem é asiática, com ocorrência na Índia, Malásia Oceania e Polinésia.

Trata-se de um arbusto que já conquistou os jardins tropicais e hoje podemos encontrar muitas variedades, além da vermelha original. Todas, do gênero, apresentam, no entanto, folhas grandes, largas e com textura coriácea e inflorescência terminal de baixa importância ornamental.

Podemos encontrar a cordiline arroxeadas, róseas, esbranquiçadas, verdes, variegadas, manchadas e listradas em diversas combinações.

inflorescência Cordyline terminalis
Muitos a plantam em vasos e cachepôs, principalmente a variedade tradicional, vermelha, que é justamente a mais sensível ao sol, sendo indicada para ambientes a meia-sombra.

Graças a cruzamentos, naturais ou artificiais, há espécies com folhas arroxeadas, variegadas, e com diversos tons listrados. Ela é perfeita em composições maciças exclusivas e em conjunto com outros arbustos verdes e floridos, além de muros e delimitações arquitetônicas, quase uma cerca-viva.

As versões coloridas das cordilines são resistentes a sol pleno. Em comum, a preferência por solos férteis, uma boa opção de fertilização é o uso de esterco de aves em conjunto com húmus e com boa drenagem, pois apesar de as regas precisarem ser constantes, ela não tolera encharcamento, pois pode comprometer as raízes.

Cordyline terminalis

Podem ser cultivadas isoladas em vasos e formando maciços, conjuntos e bordaduras no jardim, principalmente junto a muros. Devem ser cultivadas a pleno sol ou meia-sombra, em solo fértil e rico em matéria orgânica.

É uma planta que tolera muito bem o frio e multiplica-se por estacas e mais raramente por sementes.

Dependendo das condições de clima e solo, a cordiline pode atingir até 2 m de altura. O caule escuro e maleável, porém resistente, retém a memória das folhas que caíram.

Dicas para cultivo:
Cultive sob meia sombra;
Realize mudas através da separação de brotos que nascem entorno da planta mãe;
Regue uma vez na semana;
Adube com fertilizante NPK na formulação 10-10-10;
Realize limpeza da planta retirando folhas velhas no inicio do outono.

Seguindo estas dicas e cuidados sua cordyline terminalis se manterá com boa aparência e livre de doenças e pragas, trazendo vida e colorido para o ambiente.

Paraiso_1438

calathea_louisae

A Calathea zebrina é um gênero de plantas da família Marantaceae e possui cerca de 25 espécies.

É uma planta herbácea rizomatosa de porte maior que a maioria das plantas desta família, pode atingir mais de 1,0 m de altura.

Nativa da América Tropical, principalmente do Brasil e Peru, são populares como plantas de interior.

Possui folhas grandes muito bonitas, arredondadas, de consistência coriácea, diferentes das outras plantas, com cores alternadas em verde e roxo e em vários outros tons.

A cor da página superior é verde intenso com máculas listradas em verde escuro com aparência aveludada.

As flores são pequenas de cor arroxeadas e inseridas em inflorescência do tipo espiga e surgem entre as folhas, na base da planta, podendo passar despercebidas quando a planta está em estágio adulto com muitas folhas.

É uma planta que necessita de luz direta, mas sem sol, não resiste a temperaturas abaixo de 18°C e precisa de uma atmosfera úmida. Portanto, se você tem uma Calathea em casa borrife água duas vezes por semana no verão ou mais, e uma no inverno, se não for possível, coloque a planta em pedras molhadas.

Calathea-Louisae

Os principais cuidados que você deve ter com a sua Calathea são: Irrigação regular, de modo que o solo fique constantemente úmido, mas não encharcado; Cuidado com as correntes de ar frio no inverno; Fertilizar a cada duas semanas na primavera e verão.

O substrato de cultivo deve ter bom teor de matéria orgânica.
Prepare o canteiro retirando plantas mortas e inços. Adicione cerca de 1 kg/m2 de adubo animal de curral bem curtido ou cama de galinheiro, metade deste peso.
Misture composto orgânico de folhas e incorpore ao solo do canteiro.

Para solos compactados do tipo argiloso adicione também areia para maior permeabilidade.

Abra um buraco do tamanho do torrão, acondicione a planta e complete com terra apertando de leve a muda para ficar ao solo.

Regue após o plantio e realize regas frequentes durante as estações quentes e secas, diminuindo nos períodos de chuva e no inverno.

CalatheaLouisae

As adubações anuais de cobertura podem ser feitas com o mesmo tipo de substrato recomendado para plantio.

Para mudas cultivadas em vasos em interiores não é recomendado o uso de adubo animal, devendo ser substituído por adubo granulado NPK formulação 10-10-10, numa proporção de 100 gramas por vaso no plantio.

Para adubação de reposição de nutrientes recomenda-se 1 colher de sopa em 2 litros de água, regando um dia antes o substrato.
Coloque 1 copo da mistura de água e nutrientes dissolvidos a cada 3 meses.

A propagação desta planta é feita através da divisão de touceiras, por filhotes que surgem junto da planta-mãe.

Retire com cuidado um pedaço do rizoma levando pelo menos 2 a 3 folhas junto.
Plante da mesma forma que foi recomendado para a muda, não esquecendo de regar e manter em cultivo longe do sol.

A planta-zebra é excelente para áreas sombreadas por muros, edificações e jardineiras em entradas de condomínios e empresas.

LANDSCAPE2708A35

CelosiaCristata

A Crista-de-galo é uma planta da família Amaranthaceae e originária da Ásia. É uma planta de origem tropical, e suas folhas e flores podem ser utilizadas como verdura em vários países da Ásia, América do Sul e África.

Seu nome popular se deve pelo fato de as inflorescências muito macias, dobradas e brilhantes, com a textura do veludo, se parecer com a crista de um galo. Diz-se ainda que tem o aspecto de cérebro. É considerada flor de corte utilizada em arranjos florais.

As flores geralmente são vermelhas, amarelas, rosas ou laranjas, mas podem ser encontradas em outras cores também. Em alguns casos, uma variedade de cores está presentes em híbridos. A folhagem é ereta, verdes ou bronze-amarronzado, dependendo do tipo de cultivo.

Existem variedades anãs, que são muito adequadas para a composição de bordaduras e grandes maciços. Ela cresce bem tanto em condições úmidas quanto áridas, e as suas flores podem durar até oito semanas.

celosia-cristata

celosiacristata1

celosiacristatapink

Um elevado número de sementes pode ser produzido por cada flor, chegando a até 43 mil por cada. A planta cresce muitas vezes até 1 m de altura, embora haja algumas que são menores.

A crista-de-galo exige solo fértil e enriquecido com matéria orgânica, regas frequentes e sol pleno. Seu crescimento deve ser nos meses quentes para que floresça adequadamente.

O frio durante os primeiros meses após o plantio pode provocar a floração prematura e diminui o desempenho da planta.

A planta é tolerante ao frio subtropical e à meia-sombra e sua multiplica-se facilmente por sementes, que podem ser semeadas no decorrer do ano todo, principalmente no verão.

janelabuterflay

gardenia jasminoide

Planta da família Rubiaceae e originária da China, a Gardênia é uma planta arbustiva, semi-lenhosa, que poda chegar de 1,5 a 2 m de altura.

Além das suas folhas verdes brilhantes e bonitas, possui flores brancas e com perfume muito atraente, que florescem no verão, tornando a planta ainda mais bonita. É uma das plantas favoritas entre as plantas que são utilizadas em jardins floridos.

Com o tempo as suas flores brancas adquirem um tom creme, mas a floração se mantém por um longo período.

Elas são geralmente cultivadas em jardins, na terra, mas também podem ser plantadas em vasos em ambientes externos.

Vale explorar o seu principal atrativo, o seu aroma delicado e agradável. Sendo assim, procure deixá-la em locais onde há trânsito de pessoas.

Pode também ser cultivada em grupos, ou em cercas vivas, sendo que mesmo sem as flores, a sua folhagem se enquadra muito bem ao ambiente. Podem ser colocadas em floreiras abaixo de janelas, onde você pode apreciar o seu aroma.

gardênia

Existem variedades mais compactas, cujas flores possuem mais pétalas. Algumas plantas podem vir a produzir pequenos frutos amarelos, dos quais são extraídos corantes para a indústria e artesanatos.
Floresce mais intensamente em regiões de climas mais amenos, como no sul do Brasil.

A gardênia cresce bem em locais com bastante sol direto, com pouca sombra. Ela também prefere ambientes com alta umidade do ar. Proteja as gardênias de ventos fortes e frios.
Crescem melhor em solos ácidos, e com bastante matéria orgânica.

Regue regularmente mantendo o solo sempre úmido, mas não encharcado.

As podas são bem vindas para manter um bom formato das folhas. O período ideal para as podas é após a floração. Evite ficar machucando a planta com ferramentas, pois algumas doenças podem entrar por esses ferimentos.

Podemos multiplicá-las facilmente por meio de estacas feitas dos ramos, preparadas após o florescimento. Pode ser plantada por sementes, mas elas podem demorar de 2 a 3 anos para germinar.

Exige rega média, no entanto, mantenha o suprimento de água adequado em uma base regular. Mas, tome cuidado para não encharcar a planta. Em muitos casos, ela pode tolerar condições de seca moderada.

Certifique-se podar a planta após a floração, que é após o verão. Ao contrário, você colocara para fora os botões que iriam florir durante o período de floração.

rosa vermelha

Pilea cadierei

Algumas vezes, as plantas são usadas para decorar diversos tipos de lugares, pois elas têm o poder de suavizar o ambiente onde é colocada. As plantas também servem como parte de decoração, e deixam o local onde são colocadas, muito mais bonito, com um clima agradável e deixar um ambiente cheio de harmonia, e isso é muito bom, pois alegra o cotidiano das pessoas.

É o caso da Piléia que também pode ser conhecida como Alumínio, Piléia- alumínio e Planta-alumínio. Essa planta é da família Urticaceae e possui ciclo de vida perene. Essa planta é originária do Vietnã, e se adapta muito bem ao sudeste brasileiro.

Ela pode chegar a medir cerca de 30 cm de altura. Suas flores surgem na época do verão, são da cor branca e são bastante discretas, por isso, não possuem muita importância ornamental.

Já suas folhas são muito admiradas, pois são almofadadas, pintadas da cor prata sobre um fundo de cor verde brilhante e azulado.

Pilea_cadierei_flores
A Piléia é uma planta rústica e não possui alta manutenção. A sua linda e compacta folhagem pode ser admirada em jardineiras, vasos e canteiros mantidos sempre úmidos, em composições com outras plantas ou como espécie isolada.

Ela é ótima para preencher canteiros e bordaduras. Se a Piléia for plantada em vasos é indicado que se utilize uma parte de terra vegetal e duas partes de composto orgânico.

Ela se propaga muito fácil através de divisão de touceiras e estacas. Essa espécie de planta prefere clima quente e solo umedecido com riqueza orgânica, também gosta de luz, mas não o contato direto com o sol e deve ser protegida do vento.

jardim11

Allamanda_cathartica_var_hendersonii (2)
A alamanda é uma planta trepadeira de originária da América do Sul sendo mais popular aqui no Brasil. Ela faz parte da família Apocynaceae, e popularmente,  cultivada em diferentes regiões também receberá diferentes denominações. Algumas dessas denominações populares podem ser: Carolina e Dedal-de-dama.

Vamos então conhecer um pouco mais sobre essa planta e como deve ser cultivada de forma certa para tê-la sempre bela nos jardins.

Por ser uma planta típica do nosso continente e principalmente do nosso território nacional, a alamanda deve ser preferencialmente cultivada sob o sol pleno e em climas equatoriais, subtropicais e tropicais para que a planta desenvolva corretamente e chegue à sua fase adulta perfeitamente sadia. Sendo cultivada sob as condições ideais de solo, umidade e iluminação, ela pode chegar de  3 a 6 m de altura e por ser perene, vai florescer o ano inteiro.

allamanda_cherry1554
A alamanda possui flores em um amarelo bem vivo e roxas, são sempre muito vistosas. Suas folhas são verdes e brilhantes que também são utilizadas no paisagismo.

É uma planta com ramagem um pouco vigorosa por isso deve-se evitar usá-la em locais frágeis como treliças e cercas mais delicadas. Dê preferência por usá-la em caramanchões, pérgolas e outras estruturas do tipo.

Se quiser plantá-la em um vaso, use treliças aonde elas irão se enrolar ao crescer e ficarão tão bonitas quanto em um jardim. Você também pode misturar a várias cores de alamanda.

A multiplicação da alamanda é feita por sementes e/ou estaquias. No início do seu cultivo, ela deve ser tutorada para crescer certinha. Ela tem características tóxicas e devido a isso, deve ser evitado o contato com crianças pequenas e animais que possam acabar ingerindo suas ramagens.

Allamanda_cathartica_var_hendersonii
Como Cultivar
A alamanda consegue se desenvolver muito bem em todo o território brasileiro, mas ela vai sempre preferir os locais onde o clima é mais quente. Para cultivar essa planta, você precisará então de um lugar bem ensolarado e consequentemente, bem drenado.

A cova deve ser de um tamanho e profundidade de uma mão fechada, após cavar, deve-se colocar húmus de minhoca, uma parte de adubo orgânico composto de adubo animal e folhas decompostas e por último, adubo granulado do tipo NPK de fórmula composta de 10-10-10. Preparando a cova dessa maneira, o crescimento inicial da alamanda será bem vigoroso e dará estabilidade à planta.

No início é preciso fazer um trabalho de condução para que a alamanda cresça bem. Deixando a sua planta amarrada, de preferência com cordões de algodão fará com que ela não se espalhe e cresça exatamente cercando o ambiente que desejar. Isso pode ser feito também com tutores, treliças ou através de entrelaçamento feito com fios de aços que devem estar presos à paredes ou aos muros.

Depois de germinada, a alamanda vai crescer bem sem exigir muitos cuidados especiais. O essencial é que seja realizada realize a adubação anual, que deve ser feita no inverno para seja absorvida da melhor forma.

A adubação deve ser composta de material orgânico e adubo granulado porque eles induzem a floração no decorrer do ano.

O adubo granulado deve ser do tipo NPK de fórmula composta de 4-14-8. As regas devem ser regulares e devem variar de acordo com a região. Se a alamanda estiver sendo cultivada em locais mais frios, s regas só deverão ser feitas quando não houver chuvas, principalmente durante o inverno, que a umidade está maior. Em regiões mais quentes, é importante regar todos os dias e só suspender também em casos de chuvas.

ALLAMANDA CATHARTICA CHERRY RIPE
Pesticida natural
Devido os seus princípios tóxicos e venenosos, a alamanda tornou-se uma das plantas muito utilizadas na fabricação de pesticidas. O pesticida feito a partir da alamanda é muito eficiente para combater pragas que aparecem em plantas como pulgões e cochonilhas. Esse pesticida poderá ser comprado em lojas de produtos para plantas ou então pode ser feito em casa.

Como fazer o pesticida natural
1 – Faça um chá a partir das folhas picadas da alamanda com água. Á água deve ser fervida em fogo alto e quando levantar fervura, acrescentar um punhado de folhas de alamanda bem picadas e deixar ferver por aproximadamente 10 minutos.

2 – Depois de deixar esfriar o chá, coloque todo o líquido em um aspersor com borrifador e levemente borrife todas as plantas atacadas individualmente. É muito importante que seja borrifado apenas as plantas doentes e trate cada uma individualmente e com cuidado para que o pesticida natural acabe com a praga.

Obs.:
* Não use como aspersor, nenhum recipiente que posteriormente tenha sido usado para guardado alimentos ou bebidas e sempre utilizar luvas ao manejar as folhas da alamanda e o seu pesticida depois  de pronto.

* Corte as folha que vai usar para fazer o pesticida e deixar por pelo menos um dia sem sol antes de preparar o chá.

* O pesticida deve ser aplicado sempre logo após a sua preparação e também, evite aplicar na sua planta doente, em períodos de chuvas porque o líquido deve permanecer nas folhas da sua planta doente, o tempo suficiente para matar a praga existente.

* Em alguns casos será necessária mais de uma aplicação do pesticida feito a partir da alamanda para que a planta doente fique totalmente curada. A aplicação deve ser feita com intervalos de alguns dias, o suficiente para que se note se o pesticida sanou esse problema.

Caso ainda existe pelo menos um vestígio pequeno da praga, deve-se refazer o chá de pesticida e aplicar novamente na planta.  Esse processo deve ser repetido até a planta estar totalmente livre de pragas.

floresaovento

lonicera japonica var.repens

Espécie de trepadeira amplamente usada nos jardins e quintais pelo mundo. É uma planta muito ornamental, muito conhecida pelos habitantes do seu local de origem, o Japão e a China, onde ainda é bastante plantada para a ornamentação de jardins, pátios e quintais de pequeno, médio ou grande porte.

Ela pertence à família Caprifoliaceae e é considerada de médio a grande porte, já que quando bem cultivada, pode atingir entre 6 a 0 m de altura.

Como muita da sua categoria possui um ciclo de vida perene e aceita uma forma de cultivo a meia sombra, além do bom e velho sol pleno.

A Madressilva é um arbusto tipo liana, mas se desenvolve com características de trepadeira. É semi-lenhoso, com uma folhagem bem volumosa e grande. Além disso, é muito ramificado, o que impossibilita a verdadeira identificação da sua dimensão.

Seus ramos são muito verdes e até mesmo flexíveis, com folhas de mesma cor, verticiladas, ovais e macias quando se toca nas mesmas.

É uma trepadeira que possui flores imensas, que chamam a atenção não só pela beleza, mas também pelo seu design. São brancas e tubulares, grandes e bastante atraentes para insetos e outros animais polinizadores.

Lonicera japonica)
Com o tempo, essas flores vão se tornando mais amareladas, não deixando a sua beleza legítima para traz.

Muitos jardineiros preferem as flores brancas, mas para isso, é preciso replantá-las na época de seu florescimento para que as flores maduras não apareçam, ficando as belas e jovens pétalas brancas.

Com o amadurecimento das mesmas, há o surgimento de um odor característico das flores, muito agradável. A espécie floresce desde a primavera até o verão, onde as flores começam a adquirir a sua coloração amarelada.

Cultivo
Existem algumas técnicas de cultivo que podem fazer com que essa trepadeira se desenvolva de maneira correta, atingindo o tamanho ideal para o seu local de plantio. É preciso plantá-la em locais que incida muito sol, até porque a espécie não é muito exigente no que diz respeito a fertilidade do solo de plantio.

Em matas nativas, são encontradas de forma espontâneas e quase que invasivas, já que o seu crescimento de torna acelerado em determinadas condições. Em matas recompostas, isto também corre o risco de ocorrer. Para os jardins, esta espécie precisa de alguns suportes para se desenvolver como cercas, muros e as famosas pérgulas.

Para iniciar o cultivo da trepadeira, é preciso seguir alguns passos listados logo abaixo:
1. Abra uma cova para iniciar o plantio e dentro dela coloque um pouco de adubo animal de curral bem curtido. Meça uma massa de adubo de aproximadamente 500 gramas. Adubo de aves também pode ser colocado na cova de plantio. Neste caso, use apenas metade dos 500 gramas colocados para o adubo de origem animal;

2. Em seguida, coloque terra vegetal e adicione o tutor, mesmo que a sua área de plantio esteja junto a um muro ou qualquer tipo de suporte. Esta técnica conduz o arbusto e controla o seu crescimento para as áreas onde a trepadeira costuma se locomover durante a etapa em que o seu desenvolvimento se torna muito acelerado;

3. Por pelo menos uma semana inteira, regue com frequência a sua pequena muda dentro da cova de plantio com todos os ingredientes listados acima. Depois que a muda der os primeiros sinais de crescimento, ou seja, logo após sets dias, deixe as regas mais espaçadas, dando margem para uma drenagem normal de jardim.

lonicera japonica19

lonicera_japonica_TGIV-PT-UT_01s
Uso no Paisagismo
A Madressilva é muito usada com fins decorativos, especialmente de grandes e bonitos jardins, sejam eles públicos ou caseiros.

Na China, ela é uma das plantas mais usadas em pátios de construções públicas e também nos jardins de praças. Seu perfume encanta a todos e a espécie costuma combinar bem com os clássicos jasminzinhos. Mesmo assim, é preciso cultiva-las longe de dormitório e evitar locais mais fechados, pois pessoas alérgicas podem ter reações com o cheiro que vem da Madressilva.

Para quem não sabe, esta espécie é muito usada na produção comercial. Para produzi-la de tal forma, algumas técnicas clássicas e outras inéditas são usadas.

Vejamos logo abaixo:
1 – Para planta-la comercialmente, primeiro cortam-se os ramos antes mesmo da espécie começar a florescer na primavera. Dessa forma, eliminam-se o podão de folhas duplas que não interessantes para esta forma de cultivo;

2 - Processos de enraizamento geralmente são usados, mas não são necessários ou obrigatórios. Utiliza-se sacos plásticos grandes com um substrato feito com uma mistura orgânica (palha de arroz carbonizada ou areia orgânica completa). Geralmente, é colocado um adubo animal de curral bem curtido;

3 - Planta-se a estaca em meio ao substrato enterrando apenas duas gemas. Em seguida, é preciso regar bem e depois ir repetindo de forma diária, pelo menos nas primeiras semanas de desenvolvimento da muda;

4 - Deixe um cultivo protegido com pelo menos 50% de sombra. Com o aparecimento das primeiras flores, colocar a espécie ao sol e regar quase que diariamente;

5 - No momento do plantio, colocar  o tutor na cova. Sarrafos e bambus são muito indicados neste caso. Dessa forma, será possível conduzir o crescimento da planta sem amarrá-la, o que muitas vezes pode agredir o seus ramos e até as suas folhas.

ONDA