Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts com tag ‘cultivo’

Aristolochia gigantea

A trepadeira papo-de-peru, tem esse nome pelo fato de se assemelhar ao papo de um peru. Além desse nome popular essa planta pode ser conhecida como mata-porco, mil-homens e orelha de elefante.

A sua família é a Aristolochiaceae e geralmente a sua floração acontece entre o mês de setembro e o mês de maio.

Durante o ano todo a frutificação é irregular, o seu clima preferido é o tropical e o subtropical. Essa planta é bastante sensível ao frio e também às geadas. A propagação dessa planta é feita por sementes, mas também pode ser feita por estacas em estufas.

Já em relação ao solo essa planta não é muito exigente, para um florescimento mais intenso é interessante contar com um solo ácido, drenado e fértil. O porte dos seus ramos pode atingir até 35 m. A sua forma de ascensão é por enrolamento, um tipo de planta volúvel.

A poda deve ser realizada para promover a limpeza retirando as ramagens secas. É necessário manter uma poda de contenção quando os ramos começam a ultrapassar os limites desejáveis. A luminosidade deve ser a sol pleno para que ela possa crescer saudável e bonita.

A sua utilização é bem comum para o revestimento de grades, cercas, caramanchões, alambrados e pérgolas.

Aristolochia gigantea_

Características da trepadeira papo-de-peru
A planta papo-de-peru é uma trepadeira vigorosa e que possui flores nada convencionais. As flores dessa planta são axilares, pendentes e enormes, solitárias e de uma coloração vermelha-escura a um tom de marrom. O detalhe que chama a atenção nessas flores é o seu intrincado desenho branco.

Características da papo-de-peru
A parte de dentro da papo-de-peru é tubular, branco-esverdeada de um jeito que realmente parece um papo, devido a isso tem esse nome popular. Uma curiosidade é que é flores do papo-de-peru exalam um odor fétido que é necessário para atrair os seus polinizadores, as moscas. O florescimento das flores do papo-de-peru acontece no período da primavera ao outono.

Cultivo
O cultivo do papo-de-peru deve ser feito sob sol pleno ou então a meia sombra, num solo fértil, enriquecido com matéria orgânica, drenável e com irrigação regular. Essa é uma planta típica do clima tropical. O papo-de-peru não suporta frio intenso ou geadas. Uma planta que aprecia adubações mensais no verão e na primavera.

Crescimento
O papo-de-peru é uma trepadeira que possui um crescimento rápido, bastante adequada para cobrir cercas, treliças, caramanchões, telas e arcos, dentre outros tipos de suportes. O odor fétido de suas flores não é tão intenso e por isso mesmo não é um motivo para rejeitá-la no paisagismo.

Aristolochia_gigantea

Resistência
O papo-de-peru é uma planta bastante resistente a maior parte de pragas e doenças, porém, pode ser atacada facilmente por lagartas. Pode se tornar uma planta invasiva, porém, é tolerante a podas que devem ser feitas durante o inverno.

Pode ser cultivada em vasos e em jardineiras desde que lhe seja oferecida um suporte. Destacamos que é muito importante tomar cuidado, pois essa planta é tóxica.

Antracnose
A antracnose é uma doença causada pela ação de fungos e ataca várias plantas dentre as quais se destacam o lírio, antúrio, orquídea e o papo-de-peru. Essa doença se caracteriza por criar manchas que começam como pequenos pontos e vão aumentando chegando a formar circunferências.

Para controlar a Antracnose a dica é manter a poda em dia e também desnutrir as partes que foram atingidas pela doença. Use também produtos que sejam específicos para o tratamento desse mal.

Pragas
Os tatuzinhos são animais muito resistentes, para se ter uma ideia não existe uma substância indicada especificamente para dar fim neles. Apesar de eles serem tratados como praga não existe uma comprovação de que realmente causam mal.

Na verdade são mais um indicador de que existe um excesso de umidade e que o substrato já está decomposto. O melhor nesses casos é replantar num vaso.

Aristolochia gigantea 12

Outros detalhes sobre o papo-de-peru
O caule
É lenhoso e bastante ramificado com casca espessa.

Luminosidade
Já foi destacado que a papo-de-peru é uma planta que precisa de muito sol, porém, não suporta a luz direta do sol entre o período de 10h e 17h.

Água
Para manter essa planta saudável é necessário regá-la de 2 a 3 vezes por semana durante os meses mais quentes e 1 vez por semana durante o período do inverno.

O clima
O clima preferido dessa planta é o tropical, não suporta nem o clima muito frio e nem geadas.

A poda
Deve ser realizada para estimular o surgimento de novos ramos, preferencialmente deve ser feita no inverno.

O cultivo
O seu cultivo deve ser feito em solos arenosos, férteis e que sejam enriquecidos com bastante matéria orgânica, a drenagem deve ser boa. Uma planta um tanto rústica e que por isso mesmo não exige cuidados tão intensos.

A fertilização
A fertilização dessa planta deve ser feita mensalmente durante a primavera e o verão.

Cuidado
É muito importante ter cuidados com o papo-de-peru, pois como se trata de uma planta tóxica pode ser perigosa para crianças e animais de estimação.

Floração bizarra
Um dos detalhes que mais chamam a atenção nessa planta é a sua floração bizarra. Porém, ainda temos que destacar que a sua folhagem é bem densa e bonita, uma espécie que cresce rápido.

Odor ruim
Algumas pessoas comparam o cheiro das flores do papo-de-peru com o cheiro de fezes, porém, isso odor é necessário para que ela atraia as moscas que são as suas principais polinizadoras.

Aristolochia

Feia?
Uma coisa interessante a respeito da papo-de-peru é que essa planta é considerada muito feia por alguns e bem exótica por outros. Escolher ter um espécime dessa trepadeira exige uma certa atitude no que se refere ao paisagismo do seu jardim.

Pode ser interessante contar com um tipo de papo de peru no jardim, mas tudo vai depender se a planta irá combinar com o restante do espaço.

Antes de investir o seu tempo e seu dinheiro para cultivar a papo-de-peru é importante pensar se essa planta realmente “casa” com o seu jardim. Uma planta exótica que pode ser um tanto bizarra.

ruachuvosa

Bulbophyllum_1

As orquídeas são plantas perenes, que vegetam lentamente ao longo de um ano inteiro para poder florir e por esse motivo qualquer erro pode custar meses, anos e até mesmo não ter volta e o exemplar morrer.

Uma orquídea vegeta no mesmo sistema que os cactos vegetam, pois dessa forma podem economizar seus recursos garantindo sua vida mesmo em épocas de estiagem.

Naturalmente não existe uma maneira de acelerar esses processos fisiológicos das plantas a não ser praticando um cultivo correto fornecendo tudo o que ela precisa em um ambiente com clima adaptado para elas.

Caso o ambiente de cultivo seja inadequado as orquídeas terão mais dificuldade em conseguir recursos e vão vegetar mais devagar ainda.

cattleya labiata

Tentar acelerar esses processos
Tentar acelerar esses processos na planta, na maioria das vezes não acaba bem. Ou a planta fica debilitada ou desregulada ou na pior das hipóteses a planta morre.

Cuidado com receitas mirabolantes pois uma orquídea é um ser vivo e pode ser prejudicado por você se não houver critério nem conhecimento sobre o resultado do que está fazendo.

No inicio qualquer pessoa que se encanta pelas orquídeas deve prestar atenção a sua própria ansiedade porque é o que mais prejudica as plantas. Mexer antes da hora pode ser mais prejudicial do que não fazer nada.

Quando adquirimos uma nova planta na maioria das vezes ela está enraizada e adaptada ao vaso e substrato em que veio e não tem necessidade de ser replantada imediatamente.

O que a maioria das pessoas se esquecem ou não sabem é que uma orquídea depois de ser tirada de um ambiente (floricultura por exemplo) e levada para outro, primeiro vai precisar se adaptar a esse novo local para depois estar apta a ser replantada ou dividida.

Saber observar os detalhes como a saúde das raízes e folhas e também se a planta carrega pragas ou doenças antes de finalizar a compra é o mínimo que podemos fazer para evitar ter problemas com uma orquídea depois que levamos ela para casa.

brassavola-tuberculata-1

Orquídea é um ser vivo
Orquídea é um ser vivo como nos, mas com necessidades diferentes. O mesmo que detestamos para nos também pode ser ruim para uma planta, pense nisso antes de sair mexendo na planta na hora errada e sem tomar as devidas precauções como esterilizar os instrumentos de uso e corte.

As orquídeas são plantas que quando entram na vida de uma pessoa tem a capacidade de mostrar sempre de forma positiva como é possível sermos cada vez mais otimistas em relação a vida, sabendo respeitar cada período dela e aproveitando o que ela tem de melhor sem desistir dos nossos sonhos e aprendendo a conviver em sociedade de forma ativa e feliz.

brisa_5

jasminum_azoricum_0

O jasmim-dos-açores é uma planta arbustiva, de crescimento ereto a trepador, textura semi-lenhosa e elevado valor como ornamental. Ele pertence à família Oleaceae e é  nativo da Ilha da Madeira, onde encontra-se seriamente ameaçado, estando restrito a um número de menos de 50 indivíduos apenas.

Emite longos ramos, finos e ramificados, formando um emaranhado bastante denso. Suas folhas são opostas, perenes, coriáceas e brilhantes, compostas por folíolos ovados a ovado-lanceolados.

Seu período de floração é bastante extenso, iniciando na primavera e perdurando por quase todo ano em locais de clima quente.

As inflorescências  terminais, reúnem flores estreladas, de um branco puro e deliciosamente perfumadas, de notas um pouco distintas de outros jasmins, que alguns afirmam lembrar o aroma da gardênia.

As flores deste jasmim são bastante atrativas para borboletas e outros insetos polinizadores. Os frutos formados são bagas escuras e pequenas, de pouca importância como ornamental.

No paisagismo o jasmim-dos-açores é bastante valorizado, apesar de ser difícil de encontrá-lo para venda, sendo utilizado principalmente como trepadeira, cobrindo pérgolas, caramanchões, cercas, colunas e coroando muros.

jasminum

Sua textura fina e delicada, e a floração perfumada e branca, a tornam um curinga em diversos estilos e portes de jardim, como inglês, francês, italiano e até mesmo tropical.

Além disso, apresenta crescimento moderado e baixíssima manutenção, que se resume a condução com amarrios durante a implantação e podas para controlar a forma. Também pode ser cultivada em vasos.

Seu cultivo deve ser sob sol pleno ou meia sombra, em solo drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente no primeiro ano após o plantio. Depois de bem estabelecida, torna-se tolerante a períodos de estiagem.

Também é resistente a geadas, ao frio, aos ventos e salinidade de áreas litorâneas, podendo ser conduzida em uma ampla faixa climática, inclusive em regiões mais continentais.

Jasminum_azoricum3

Sua multiplicação é feita por estaquia dos ramos semi lenhosos no final da primavera e durante todo verão, postos a enraizar em  substrato arenoso e mantido úmido. Também pode ser propagada por alporquia.

O florescimento é tímido no primeiro e segundo ano, mas gradativamente torna-se mais e mais abundante. Fertilize com adubos não muito ricos em nitrogênio, para um desenvolvimento saudável, pouca suscetibilidade a pragas e florações intensas.

marrevolto

dombéia

A astrapeia é uma espécie botânica pertencente à família Malvaceae. Sua origem provém do Mediterrâneo, Madagascar. Lá, ela é bastante encontrada.

Como toda planta existente no mundo, a astrapeia tem uma descrição única. Vamos listas abaixo todas as suas qualidades:
* É uma árvore de folhagem bastante perene e com um grande diâmetro. Pode atingir o que equivalente a 7 m de altura desenvolvendo uma maravilhosa copa densa em forma de domo, com formato bem arredondado.

* Suas folhas grandes possuem formato de coração. Possuem duas pontas e a central bastante aguda que dá um aspecto interessante.

* As flores desta árvore tem um perfume muito peculiar e formato de globo, por serem extremamente cheias de pétalas rosadas. As flores florescem da primavera até o verão.

* A árvore pode ser cultivada em qualquer lugar do mundo, inclusive em locais onde o frio impera bastante.

astrapeia

Cultivo
Para começar, é preciso escolher um local com bastante sol para iniciar o processo. Ela vai se desenvolver melhor com a luz do sol, já que vai realizar a fotossíntese de forma mais eficaz.

Alguns especialistas em jardinagem dão algumas dicas para começar o cultivo da astrapeia:
1 – Abrir um buraco o dobro do torrão da muda. Com a pazinha soltar um pouco a terra do fundo e das laterais do recipiente em que ela foi adquirida, pois a pá de corte tende a compactar e as raízes sofrerão para crescer. Colocar num balde cerca de 1 a 2 kg de adubo animal de curral bem curtido ou a metade desta quantidade se o adubo for de cama de galinheiro.

2 – Acrescentar composto orgânico o quanto necessitar e misturar bem. Adicionar ainda 100 gramas de farinha de ossos. Colocar parte da mistura no fundo do buraco e acomodar a muda. Preencher as laterais com a mesma mistura, colocar também um tutor. Amarrar o tronco da muda ao tutor com um cordão de juta ou algodão, dando a forma de um oito, para evitar estrangular a casca.

3 – Para criar um ambiente bem tradicional para a árvore, é preciso regar todos os dias, inclusive no mesmo dia em que houve a iniciação do cultivo. Quando estiver chovendo, não precisa realizar as regas. Se a região tem chuvas espaçadas, faça ao redor da muda uma bacia com terra para as regas. A melhor época de plantio e no inverno e início da primavera para os estados do Sul e na estação das chuvas para os demais.

astrapeia1

Dicas para plantar a astrapeia de forma correta
Os tratos culturais são simples, como por exemplo, manter limpo de inços ao redor da muda enquanto for jovem, depois o sombreamento impedirá que eles se desenvolvam.
A tentativa de colocar gramado até junto ao tronco deste tipo de árvore resulta na maioria das vezes em insucesso, devido ao grande diâmetro de sua copa que faz bela sombra.

Aproveitar este detalhe para fazer um lindo canteiro de espécies herbáceas de sombra, juntando beleza e harmonia ao jardim. Para quem desejar produzir a astrapeia, sua propagação poderá ser feita por estacas ou alporques, feitos durante a estação de crescimento da muda na primavera.

A astrapeia tem raízes muito superficiais e não são indicadas para serem plantadas em calçadas no meio das ruas, apesar de ser uma árvore de pequeno porte. Ela possui uma copa muito larga e baixa, o que pode comprometer e muito a passagem dos pedestres e até mesmo a visualização dos carros que passam nas ruas.

Outras características da planta
A astrapeia têm algumas outras características muito importantes e fazem com que ela seja reconhecida no mundo das plantas. Os profissionais da área podem citar as características para qualquer amador:

Ela é uma árvore de rápido crescimento e baixa manutenção, que se destaca principalmente em plantios isolados, mas que pode ser parcialmente sombreada por outras árvores ou construções.

Dombeya_wallichii2

As inflorescências pendentes atraem muitas abelhas e possuem perfume agradável e suave, que lembra o coco. As flores velhas permanecem nos ramos, adquirindo uma cor amarronzada e devem ser removidas para um melhor aspecto da planta.

Além disso, essas flores velhas podem desprender um odor desagradável e atrair moscas. Com podas regulares de formação, é capaz de adquirir porte e formato arbustivo. Há diversos híbridos comerciais disponíveis. Deve ser cultivada sob sol pleno ou meia sombra, em solo fértil, drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente.

Sendo de clima subtropical, a folhagem da astrapeia não é muito resistente a geadas fortes. Fertilizações na primavera e verão estimulam um crescimento saudável e florações exuberantes. Multiplica-se por sementes e mais facilmente por alporquia e estaquia de ramos semi-lenhosos ou de ponteiros,

Deu para perceber que a astrapeia é uma árvore exuberante, porém excêntrica. É ideal para cultivo em jardins e parques.

água