Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts com tag ‘cuidados’

Miltonia Clowesii

Fatores como limpeza, organização, boa ventilação, esterilização dos materiais de corte, evitar acúmulo de água, isolamento de orquídeas doentes e observação diária das condições de sua orquídea são essenciais.

Algumas vezes não tem jeito e somos obrigados a tomar medidas urgentes, como o uso de agrotóxicos ou ainda os meus preferidos remédios caseiros. Tem gente que utiliza, mas eu não recomendo usar agrotóxicos pois para mim cada orquídea é como se fosse uma verdadeira jóia.

Portanto gostaria de lhe passar algumas receitas de remédios que utilizo e que tenho certeza poderão lhe ajudar também:

Remédios Caseiros
Faça soluções com estes remédios e pulverize as orquídeas, se o problema persistir repita o procedimento 1 semana depois.

Pimenta do Reino
Repelente contra pulgões, ácaros e cochonilhas.

Receita: 100g  de  pimenta-do-reino em 1 litro de álcool.
Deixe por 7 dias. Ferva 1 litro de água com 60g de sabão de coco. Deixe esfriar e junte duas soluções. Separe 250 ml desta solução, coloque em 10 litros de água e pulverize.

Sabão
Atua contra pulgões, ácaros, brocas e formigas.

Receita: 1kg de sabão picado, 3 litros de querosene, 3 litros de água.
Derreter o sabão picado numa panela com água. Quando estiver completamente derretido, desligue o fogo e acrescente o querosene mexendo bem a mistura. Em seguida, para sua utilização, dissolva 1 litro dessa emulsão em 15 litros de água, repetindo a aplicação com intervalo de 7 dias.

Calda de Tintura de Fumo
Atua contra insetos que gostam de mastigar as folhas.

Ferva 100g de fumo de rolo picado em um litro e meio de água, acrescente uma  colher de chá de sabão de coco em pó e borrife as plantas infectadas.

Canela em pó
Atua contra doenças causadas por fungos, como exemplo a podridão negra.

Remova a parte afetada com margem de segurança, isto é, ao cortar a lesão, inclua uma pequena porção de planta sadia.

Isto diminui a possibilidade de deixarmos tecido contaminado sem que esteja apresentando sintomatologia.

Coloque a canela em pó na porção remanescente da planta. Para melhor fixação da canela, use pasta de dente kolynos, não em gel aquelas brancas.
Pasta de dentes é boa para cicatrização, mas utilize com cuidado.

miltonia

Mais Dicas: Plantas amigas das orquídeas
Muitas pessoas exageram em produtos químicos no combate a pragas e insetos sem saber que existem alternativas naturais para combater o problema. Portanto aqui vão mais algumas dicas sensacionais para você.

Algumas  plantas  possuem a  propriedade de repelir agentes nocivos, já outras plantas funcionam como um abrigo aos inimigos dos insetos favorecendo assim suas orquídeas.

Por exemplo, você sabia que plantar hortelã próximo de sua orquídea repele formigas, evitando que você precise aplicar aqueles produtos? E você sabia que a cebolinha verde é capaz de repelir pulgões e lagartas?

É possível criar um ambiente de ajuda mútua entre as plantas, uma protege a outra de agentes nocivos e você terá um jardim cheio de harmonia. É realmente um assunto fascinante esta amizade entre as plantas.

folhas caindo outono

Vanda-Sanderana-Alba

Envasar orquídeas não é muito diferente de envasar qualquer planta, mas é necessário um cuidado especial na preparação do substrato e das raízes para o vaso novo.

O envasamento é necessário quando as orquídeas apresentam raízes que já estão crescendo sobre a borda do vaso original, o que normalmente ocorre após as orquídeas terem florido.

A melhor época para envasar é entre a primavera e o verão, quando novos crescimentos estão começando a aparecer.

Dica: as orquídeas a serem envasadas devem ser regadas no dia anterior a fim de  tornar as raízes da planta maleáveis e ficar muito mais fácil de trabalhar com elas!

Antes de começar o procedimento é importante que você tenha a disposição os materiais necessários. Quais são eles?

Lista de materiais necessários
Antes que você comece a manusear suas orquídeas lembre-se sempre de lavar muito bem as suas mãos.

É necessário que qualquer material que você usar para cortar (faca, tesoura, canivete) seja esterilizado por imersão em solução desinfetante. Eu muitas vezes para facilitar uso um isqueiro e com a chama esterilizo a lâmina.

Você deve se acostumar a sempre fazer isto para evitar contaminar sua orquídea. Já que estamos falando em materiais de cortes vamos passar a lista completa do que você precisa:

1- Um vaso novo que seja grande o suficiente para acomodar cerca de dois anos de crescimento.
Jamais use um vaso que seja muito grande, uma vez que ele não permitirá que a orquídea seque quando você regar, o que fará com que as raízes fiquem propensas a decomposição.

2- Um substrato especializado para orquídeas.
Geralmente uma combinação de carvão vegetal, pedaços de turfa, concha de ostra, casca de coco e outros materiais misturados em diferentes quantidades, dependendo do tipo de orquídea a ser cultivado. Para mais informações sobre substratos veja nossa aula de ontem.

3- Tesoura de poda ou faca esterilizada.
Você vai usar um material de corte para aparar as raízes que estão mortas ou cresceram muito para caber no vaso.

4- Uma estaca de bambu e um cordão para amarrar a planta.
Estes são necessários para segurar a sua orquídea recém plantada até que suas raízes cresçam e fiquem em posição por conta própria.

5- Selador de poda ou antifúngicos em pó ajudam a prevenir a deterioração por fungos.
Cuidado pois as raízes expostas podem ser alvos de vírus e por isso a limpeza no processo de replantio de orquídeas deve ser meticulosamente observada. Sempre mantenha a sua mesa de trabalho limpa!

miltônia

Mãos a obra!
Veja 8 passos simples em uma sequência do que precisa ser feito.
1. Remova a orquídea do local original. Solte as raízes dos lados e do fundo do vaso usando a sua faca.

2. Em seguida, coloque a planta em um pedaço de papel, eu sempre uso um jornal velho.

3. Com a faca, retire gentilmente o meio velho e raízes mortas ou em decomposição.

4. Se você descobrir que uma grande quantidade de raízes estão podres e precisam ser cortadas, então envase em um vaso do mesmo tamanho. Se as raízes estão saudáveis e enchem o vaso, escolha então
um vaso que é um tamanho maior.

5. Coloque algum material volumoso, como pedaços de argila quebrada, pedras, ou casca de amendoins no fundo do vaso novo, a fim de garantir a drenagem adequada para a sua orquídea.

6. Coloque a planta no vaso novo de modo que ela fique na mesma altura que estava no vaso original. Ajuste o material volumoso e adicione o substrato, conforme a necessidade, assim, quaisquer brotos novos estarão nivelados a borda.

7. Adicione a mistura para envasar a orquídea no vaso e pressione com firmeza de modo que quando o vaso estiver cheio, a planta não tenha espaço de mover-se. Tenha cuidado para não danificar as raízes.

8. Coloque uma estaca no meio do vaso e prenda os caules com laços.

A importância da limpeza
Espero ter lhe ajudado com estas dicas de hoje e lembre-se: faça da limpeza um hábito, isso será de extrema importância no combate a pragas e doenças nas orquídeas.

janel174

Bifrenaria Harrissoniae

As orquídeas, desde o início dos tempos, têm capturado a atenção de diferentes povos pelo mundo atraídos pela sua beleza sem igual.

Esta linda flor, apesar da fama de frágil, pode ser encontrada em diferentes partes do mundo e pertence ao ramo de plantas com maior diversidade, contando com mais de 28.000 espécies conhecidas.

Afinal, como pode uma flor frágil e delicada ter conseguido prosperar em diferentes lugares do mundo e com tamanho sucesso?

Não se deixe enganar com estas contradições, a orquídea irá lhe surpreender muitas e muitas vezes.

Muitos cultivadores iniciantes acreditam que o cultivo de uma orquídea seja igual ao de uma flor qualquer.

Não é de se estranhar que a plantinha acabe morrendo rapidamente, aumentando ainda mais sua fama de flor frágil.

Vocês podem achar que não acontece, mas algumas pessoas ganham uma orquídea de presente, plantam na terra e deixam pegando um sol no jardim. Depois ao verem a plantinha morrer acham que ela é frágil, visitam a internet para saber como cuidar de orquídeas e acabam encontrando vários blogs onde cada um parecer dizer uma coisa diferente.

Se você quiser realmente aprender a cuidar de orquídeas antes de mais nada você precisa aprender alguns conceitos básicos sobre esta flor e entender por quê ela é tão especial, então  nada melhor do que começarmos falando da orquídea que cresce livre na natureza.

A natureza é sábia e fornece às orquídeas aquilo de que necessitam, se você puder reproduzir em seu jardim ou em sua casa aquilo que a natureza oferece então suas orquídeas serão estupendas. Nem todas as orquídeas são iguais, existem três grandes grupos desta flor. A diferença entre um grupo e outro está ligada a como cada um destes tipos de orquídeas cresce.

O primeiro segredo portanto é que você precisa identificar de qual grupo sua orquídea faz parte para poder cuidar bem dela.

Algumas orquídeas crescem sobre rochas (litófitas), outras sobre materiais acumulados sobre a terra (terrestres) e por fim temos aquelas que crescem sobre árvores, ditas epífitas. É deste último grupo que precisamos falar melhor pois ele representa a maioria das orquídeas.

Bulbophyllum Louis Sander

As orquídeas deste grupo usam as árvores ou arbustos como base para ancorar suas raízes, elas vivem com pouca luz do sol, protegidas na sombra. Apesar de viverem sobre outras plantas lembre-se de que as orquídeas não são parasitas e não prejudicam as plantas sobre as quais crescem.

Mas como elas conseguem obter os nutrientes de que necessitam se não estão “plantadas” em lugar algum? Pois bem, todos os  nutrientes  de que elas necessitam são provenientes do ar ou caem dos galhos mais altos.

As orquídeas são capazes de absorver água e os nutrientes porque as suas raízes não são como de outras flores, elas estão expostas ao ar. Por esta razão você não pode em hipótese alguma plantar uma orquídea na terra, você está sufocando a plantinha.

Esta característica especial da orquídea exige do cultivador um cuidado todo especial, você precisa dedicar muito amor e atenção para proporcionar a flor aquilo que ela necessita.

Como você pode ver a orquídea precisa de água em medida diferente (pois capta umidade do ar), precisa de luz em medida diferente (pois vive entre sombra), precisa de adubação em medida diferente (não obtém os nutrientes da terra) e assim por diante.

Bulbophyllum sikkimense

Mas então quanta luz, quanta água, como adubar?
É exatamente ao desenvolver esta relação íntima, em que você conhecerá sua flor em detalhes, que tornará o cultivo da orquídea tão especial. Ela retribuirá o seu amor com as flores mais lindas que você já viu, será sua amiga e companheira.

O mais importante neste momento era você entender a particularidade da orquídea para evitar erros comuns. A partir deste entendimento inicial desenvolveremos toda a questão da rega, luminosidade e adubação para a planta.

Onde colocar sua Orquídea?
Muitas pessoas aprendem a cultivar orquídeas no interior de suas casas, geralmente na soleira da janela.  Como  alguns  tipos  de  orquídeas  necessitam  de  condições  especiais,  as  vezes  é  necessário criar  uma  área especial para cultivá-las.

As orquídeas não são como as outras plantas que você tem em casa pois elas não crescem na  terra e também não recebem luz direta do sol.

Podemos dizer que basicamente  existem  4  pontos  a serem considerados  na  escolha  do local onde colocar sua orquídea, são eles:
* Luminosidade
* Temperatura
* Ventilação
*  Umidade

Lueddemanniana tipo AD

A luminosidade correta
Dê  mais  luz  as  suas  orquídeas. Este é o conselho mais comum dado a novos cultivadores de orquídeas que são incapazes de fazer suas plantas florescerem. Apesar de não ser o único fator, a correta quantidade de luz é sim essencial para que as orquídeas produzam lindas flores, portanto preste atenção nestas informações.

Na natureza o movimento  das  folhas  nas copas das  árvores garante às orquídeas luz  filtrada e intermitente, jamais luz de forma direta. Portanto a maior parte das orquídeas se desenvolve bem se tiver luz filtrada.

Em casas ou apartamentos muitas pessoas colocam orquídeas próximas às janelas mas nunca direto no sol, sempre protegidas por cortinas.

Portanto segredo número 1: evite a luz solar direta. É  realmente essencial que você observe se a luminosidade  do ambiente  é aquela  adequada para suas orquídeas. Mas e como saber se é aquela adequada ou não?

Se você prestar atenção em sua flor e observar a plantinha com cuidado diariamente então você perceberá algumas mudanças.

Os sinais na verdade serão bastante óbvios
* se houver excesso de luz no local em que você escolher cultivar sua orquídea então as folhas  começarão a amarelar.

* já ao contrário,  se houver falta de luz no ambiente de sua orquídeas, então a coloração das folhas começará a ficar cada vez mais escura. As folhas tenderão também a crescer de forma  mais alongada  e  a planta não conseguirá florescer.

Os sinais de que a iluminação é aquela correta são portanto folhas verdes de tonalidade clara, uniforme e com brilho.  A  planta terá floração de forma regular e você verá as mais lindas flores brotarem.

Sophronitis cernua_1

Você sabe se a orquídea gosta de frio ou gosta de calor?
Bom, estamos lidando com uma flor geniosa e especial, portanto a melhor resposta a esta pergunta seria dizer que ela gosta um pouquinho de cada um, porém em momentos diferentes.

As orquídeas estão acostumadas a temperaturas mais altas durante o dia e mais frias à noite e exatamente nesta variação se encontra um segredo importante.

Mas e para quem cultiva a plantinha dentro de casa ou apartamento?
Para quem cultiva orquídeas dentro de casa esta variação de temperatura nem sempre é fácil de ser conseguida, sendo esta como dissemos a causa muitas vezes de não se conseguir a floração.

A temperatura interior deve estar acima de 15 graus Celsius o tempo todo, com temperatura mais elevada durante o dia.

Se durante a manhã e a tarde você deixou a orquídea em ambiente aberto (janela aberta, sacada, pátio sempre protegida do sol direto) então a noite leve as plantas para dentro de casa já que a temperatura irá cair.

Se você mora em local muito frio, por exemplo no sul do Brasil onde no inverno temos temperaturas baixas, então se necessário coloque papelão para isolar o frio entre a planta e a janela.

Ryncholaeliocattleya Alma Kee

A importância da variação de temperatura
Muitas pessoas iniciantes não sabem deste segredo, mas a variação de temperatura é um dos fatores essenciais para que a orquídea possa florir. Se você deixar sua orquídea em temperatura constante ela dificilmente dará flor.

Elas precisam viver uma variação de  cerca 15ºC durante o dia completo. Quando a orquídea está em ambiente externo ela naturalmente vive esta variação, apenas sendo necessário trazer a orquídea para dentro de casa se você vive em local muito frio (abaixo de 15ºC à noite).

Mas e para quem cultiva a plantinha dentro de casa ou apartamento? Para quem cultiva orquídeas dentro de casa esta variação de temperatura nem sempre é fácil de ser conseguida, sendo esta como dissemos a causa muitas vezes de não se conseguir a floração.

A temperatura interior deve estar acima de 15ºC o tempo todo, com temperatura mais  elevada durante o dia. Se durante a manhã e a tarde você deixou a orquídea em ambiente aberto (janela aberta, sacada, pátio sempre protegida do sol direto) então a noite leve as plantas para dentro de casa já que a temperatura irá cair.

Se você mora em local muito frio, por exemplo no sul do Brasil onde no inverno temos temperaturas baixas, então se necessário coloque papelão para isolar o frio entre a planta e a janela.

Como entender se a temperatura é aquela correta
Você precisa observar sempre sua orquídea, lembre-se de que é uma relação diária de cuidado. Se você fizer isto e com um pouco de experiência e conhecimento você conseguirá entender o que sua planta precisa pois ela lhe dará alguns sinais claros.

Por exemplo, se a temperatura for muito baixa as folhas logo ficarão  escuras e moles, a orquídea como  um todo  se  tornará  frágil e a planta não será capaz de se defender  contra fungos e bactérias.

moringa barro

E como  saber  se  a temperatura  está  muito elevada?
Se a  temperatura for muito elevada  as folhas  apresentarão tonalidades amarelas ou pretas (sinais de queimadura).  As pontas das folhas ficarão castanhas ou irão parecer secas.

Às vezes também você irá observar que as  folhas vão cair e a planta produzirá folhas deformadas.

Algumas orquídeas simplesmente entrarão em  colapso se elas não puderem tolerar o calor por mais tempo, portanto tome muito cuidado com dias quentes demais.

Quando a temperatura for muito elevada, leve a planta para um pátio coberto e aumente a circulação do ar, se o dia estiver quase sem vento então se preciso utilize um ventilador para ajudar a evaporação.

A importância da ventilação é um fator amplamente ignorado pela maior parte das pessoas que inicia o cultivo de orquídeas, elas se preocupam muito com luz e água, mas sem uma correta ventilação no ambiente sua orquídea não conseguirá se desenvolver.

A importância da ventilação
Na natureza as orquídeas estão acostumadas a uma ótima ventilação. Tentar reproduzir este ambiente adequado para as orquídeas é condição fundamental para seu cultivo, portanto o  controle dos ventos e  das correntes de ar e mesmo da qualidade do ar é essencial para sua orquídea.

Por esta razão em sua casa você precisa abrir as janelas quando o tempo estiver quente para deixar o ar circular bastante. Se necessário coloque um pequeno ventilador por perto para ajudar na tarefa.

Uma brisa constante e que atue de forma branda será de suma importância para diminuir os efeitos causados pelo calor e umidade excessivos.

Porém preste atenção, a corrente de ar se for seca e quente será de ajuda para a planta, já os ventos frios e úmidos podem ser perigosos já que provocam manchas ou até mesmo o apodrecimento dos botões e das hastes.

A ventilação está diretamente ligada a umidade, é importante que o meio onde a orquídea cresce não fique molhado o tempo todo para não apodrecer as raízes.

Tenha atenção redobrada nos meses de inverno por ser um período mais frio em que a água demora mais para evaporar.

Vanda6

Sobre a qualidade do ar
Você sabia, por exemplo, que nunca deve fumar próximo de suas orquídeas? O tabaco é um fator que causa doença para a planta, portanto se você for fumante não esqueça também de lavar muito bem as suas mãos antes de manusear sua orquídea para evitar contaminação.

Na verdade não é apenas o fumo, o acúmulo de poluentes atmosféricos provenientes dos atos de cozinhar, borrifar aerossóis, plástico e outros materiais sintéticos pode ser prejudicial para as orquídeas.

A melhor dica para diminuir a quantidade de poluição em sua casa é sem dúvidas aquela de abrir janelas para deixar o ar fresco entrar.

Algumas pessoas também aconselham aqueles filtros de ar que podem ser úteis para remover poeira, sujeira e alguns poluentes, porém lembre-se de que estes filtros não atuam na remoção de gases.

A dose certa de água
O primeiro segredo importantíssimo é: regue a orquídea apenas quando o meio em que ela se encontra (o substrato) estiver seco. Qual a razão?

A orquídea como já foi dito é uma florzinha toda especial, pela característica de suas raízes ela absorve a água de que precisa do ar, portanto precisamos pensar que também o ar terá um papel essencial, faz sentido?

Aposto que você nunca leu em lugar algum algo sobre regar com água e ar. Pois bem, saiba que ao molhar as orquídeas deve haver a combinação certa destes dois elementos. A razão fundamental é que se não houver ar suficiente o excesso de umidade fará  com que o meio de cultura apodreça, propiciando doenças causadas pelos fungos e infecções.

Outro fator importante: a frequência da rega dependerá da temperatura e da umidade do ambiente. Como precisamos regar apenas quando o substrato estiver seco você precisa lembrar que em dias de sol forte e calor a água se evapora mais rapidamente.

Cattleya forbesii

Mas então como saber quando precisa regar?
Uma maneira simples de saber quando suas orquídeas precisam de água é verificar o peso dela quando estiver molhada e depois o peso quando estiver seca. Regue quando o peso baixar consideravelmente.

Você já viu fotos de cultivadores experientes em que aparece uma balança no local de trabalho? não é porque eles estão de dieta, é para controlar o peso das orquídeas.

Se você não tiver uma balança e precisar usar métodos mais tradicionais então uma boa dica é colocar o dedo cerca de 2,5 cm no substrato para verificar a umidade. Se o meio ficar seco a uma profundidade de 2,5 cm (meio dedão) então é o momento de regar.

Dica: tente usar água morna no início do dia para dar chance dela secar antes de anoitecer.

Esta dica irá reduzir a chance de apodrecimento. Lembre-se de regar cuidadosamente, não precisa ficar com receio de colocar muito água, apenas vá com calma e cuidado observando o substrato.

Não esqueça que isto é necessário, apenas borrifar um pouco de água não substitui a necessidade de uma boa rega!

casinha na chuva

prímulas

Todos os paisagistas ou entusiastas pela jardinagem sabem que um canto escuro pode beneficiar-se com um toque de cor. Transforme um escuro e úmido canto de jardim em pontos brilhantes de cores com os tons luminosos das prímulas.

As prímulas perenes florescem numa ampla gama de roxos, amarelos, rosas e brancos. As prímulas florescem no início e a meados da primavera. As prímulas são normalmente as primeiras flores a florescer na primavera.

São plantas herbáceas, que não possuem caules, por isso são chamadas de acules, originárias da China e atingem de 15 a 20 cm de altura. Suas folhas lembram o formato de corações ou são arredondadas e possuem pelos irritantes na frente e no verso.

As inflorescências são grandes, compostas por flores sustentadas por uma longa haste floral que fica acima da folhagem, formando um buquê. As flores surgem no final do inverno e na primavera, são numerosas, simples ou dobradas, e delicadamente perfumadas, em uma grande variedade de tonalidades de rosa, lilás, roxo, laranja, salmão e branco. Geralmente suas flores têm cores mais suaves, se comparadas com as da espécie Primula x polyantha.

Estas prímulas de flores grandes e vistosas, emolduradas pela folhagem verde aveludada, formam lindos buquês, perfeitos para decorar a casa.

prímula_4

Cultivo
São cultivadas em vasos e jardineiras, em locais protegidos ou em grupos, formando conjuntos em canteiros à meia sombra. Criam um clima romântico com suas flores em tons pastéis.

Apesar de originalmente perenes, elas deve ser tratadas como anuais, pois perdem a beleza após o florescimento e suas próximas florações dificilmente serão tão exuberantes como a primeira.

Esta espécie de prímula é considerada tóxica, e sua manipulação pode provocar irritação na pele e mucosas em pessoas sensíveis. Por isso evite deixar a planta ao alcance de crianças e animais domésticos.

Deve ser cultivada a meia-sombra. Conheça outras plantas que também gostam de meia sombra. Gostam de solo fértil, drenável, enriquecido com matéria orgânica e mantido úmido.

A prímula é uma planta de clima temperado e subtropical, mas pode ser conduzida em regiões tropicais em ambientes frescos e protegidos do sol forte.

Multiplica-se por sementes postas a germinar no final do verão, início do outono, para florescer no inverno e primavera.

Para prolongar a floração e a saúde da planta é recomendável remover as flores murchas e adubar regularmente. As prímulas são plantas sensíveis. Elas não gostam de falta de água nem de excesso. Também não gostam de ar-condicionado nem de geadas.

prímulas_1

Para plantá-las é só seguir os passos:
Cave vales para as prímulas, com 12 centímetros de profundidade e 10 centímetros de largura. À medida que cava, solte o solo ao longo dos lados do vale.

Retire a planta do vaso, vire para trás e acerte a borda sobre a superfície dura. Solte as raízes com os dedos.

Umedeça bem a terra da raiz da prímula. Cobra a área com uma camada fina de aparas de madeira. As prímulas devem ser regadas regularmente, durante o tempo seco, de modo a que o solo fique sempre úmido.

Acrescente duas xícaras de ambos os compostos desfiados e misturados com o solo. Adicione um copo de água para garantir que tudo fique bem misturado.

Plante a prímula à mesma altura que estava no pote. Coloque-a no centro do vale. Despeje a terra ao redor da planta.

Pressione um pouco a terra para que as raízes cresçam bem e regue a um pouco a prímula.

Importante
* Cubra as Prímulas com ramos de abeto e outono e uma camada de matéria orgânica pesada nas zonas de inverno frio para protegê-las do mau tempo.

nostalgia