Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Tillandsia_bulbosa

Tillandsia bulbosa não é uma planta suculenta, embora suas folhas e base bulbosa dar à planta uma aparência muito suculenta, como muitas suculentas, também é uma planta muito fácil de cultivo.

As espécies de Tillandsia são amplamente distribuídas nas Américas tropical e subtropical, da Flórida, Geórgia, Louisiana, Texas, e do sul em toda a América Central e parte da América do Sul (que ocorrem até o sul da central e  possivelmente, para o sul da Argentina) . Tillandsias pertencem à família da bromélias (Bromeliaceae), que inclui o abacaxi, plantas Urna (Aechmea), Billbergia, Dyckia e muitas outras.

Como regra geral, as Tillandsias são comparativamente plantas pequenas, geralmente com rosetas individuais de crescimento de alguns centímetros, talvez 18 cm de altura.

Algumas espécies crescem um pouco mais, e praticamente todas as espécies irão produzir grandes aglomerados contendo muitas mudas . Embora um certo número de espécies são terrestres, crescendo no solo, a maior parte dos Tillandsias que são normalmente observadas na cultura, são epífitas, , crescendo em ramos de árvores, , sobre as superfícies rochosas, e outros substratos, sem qualquer necessidade de solo.

As raízes da maioria das espécies fornecem pouco mais de um anexo em ramos e outros substratos, e não são o principal meio pelo qual as plantas absorvem água e nutrientes.

Orvalho, chuva e nutrientes dissolvidos, são principalmente absorvido pelas superfícies foliares da maioria das espécies. Muitas espécies produzem uma cobertura de muitos “pêlos” minutos (tricomas) que dão à muitas Tillandsias um cinza de aparência prateada.

Os tricomas podem ajudar essas plantas a capturar e absorver a umidade, em algumas espécies, a cobertura de tricomas é muita densa.

O gênero inteiro é muitas vezes referido como “Air Plants “, uma referência a seu estilo de vida epífita, são muito fáceis de cultivar, toleram até um pouco de negligência e cresce sob uma variedade de condições. Com um pouco de atenção para as suas necessidades específicas  é possível manter essas plantas ao longo de décadas , produzindo grandes “colônias “, com muitas mudas, e exposições de flores anuais que em muitas espécies são espetaculares.

A Tillandsia bulbosa é uma espécie muito característica, produzindo grandes bases bulbosas medindo cerca de 1 a 2 c de diâmetro, talvez, na maior parte da espécie, mas em algumas plantas, esses bulbos podem crescer mais, produzindo bases gigantescas medindo aproximadamente 9 cm de circunferência, e atingindo 18 polegadas de comprimento.

As folhas são estreitas,  enroladas nas bordas, que são estranhamente distorcida e contorcida, dando à planta uma aparência um pouco estranha.

Suas flores, eretas, vermelhas, tubulares, com pétalas de violetas brilhantes. As plantas com flores são excepcionalmente atraente, mas como é típico das bromélias, esta espécie é monocarpic, floresce uma só vez e depois morre.

A tillandsia bulbosa é nativa das Índias Ocidentais, sul do México, e grande parte da América Central e do Sul para a Colômbia e leste do Brasil Normalmente cresce em massas densas de árvores de florestas abertas, nas densas florestas, em matas de mangue ao longo da costa, e em lianas, nas margens de rios a partir do nível do mar até uma altitude de 5.000 pés. Esta espécie parece favorecer habitats que estejam no mínimo sazonalmente muito molhado.

Uma das características mais incomuns desta planta é que na natureza, as formigas, muitas vezes, colonizam suas bases bulbosas. Contrariamente à sua aparência, estas bases não são sólidos, mas são na maior parte oca, e dividem-se em uma série de câmaras internas, e são sesses espaços que as formigas irão utilizar creches.

Os benefícios das plantas a partir desta relação, é que as formigas irão fornecer alguma proteção contra diversos insetos herbívoros, e também vão adubar a planta, que absorvem os nutrientes do detrito deixado pela colônia de formigas . Formigas também pode auxiliar na polinização das flores, no entanto, a coloração brilhante das flores e brácteas florais sugeriria que outros animais (provavelmente aves e / ou borboletas) são os polinizadores primários destas flores.

Esta espécie cresce melhor quando cultivada em luz filtrada, temperaturas amenas e alta umidade, e parece produzir o seu melhor crescimento durante os longos dias de verão.

São multiplicação é feita dividindo as mudinhas produzidas na base da planta mãe.

fantasia-878

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


azaléia branca

Nenhuma dúvida deve permanecer quando se trata do manejo e cuidado com as plantas.

O vigor e a beleza do jardim dependem do conhecimento de quem planta e cuida. Perguntas frequentes são feitas sobre a diferença entre terra vegetal e substrato.

O substrato, ou composto orgânico, é, grosso modo, a mistura de matéria orgânica e terra com o intuito de nutrir o solo onde será depositado a planta. Um bom substrato precisa ser rico em macronutrientes essenciais: nitrogênio, fósforo e potássio.

Os elementos mais comuns na composição de substratos são o húmus de minhoca e a farinha de osso. Cada substrato tem uma finalidade específica (para plantio de flores, árvores, hortaliças…), por isso consulte um especialista ou leia os rótulos das embalagens.

Já a terra vegetal é a mistura de terra in natura  com restos de plantas decompostos, como folhas, caules, cascas e xaxim. Embora contenha naturalmente alguns nutrientes, a terra vegetal serve basicamente como a “cama” das raízes; para que a planta desenvolva-se em sua plenitude, é essencial que se misture (obedecendo os traços próprios de cada espécie de planta) um bom substrato.

A terra vegetal é encontrada à venda em pacotes. Atenção: ela deve estar isenta de resíduos, como pedras e papéis.

amor

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


húmus

Todos que gostam de jardinagem conhecem as matérias orgânicas que usam para plantar suas flores, plantas e demais vegetais. Uma das escolhas mais difundidas e saudáveis para a flora é o húmus de minhoca.

O húmus de minhoca é um fertilizante e substrato orgânico, rico em minerais essenciais à vida das plantas. É estável, com pH 7 (neutro) e, portanto, não mais sujeito a fermentações podendo, por essa razão, ser colocado diretamente sobre as raízes das plantas sem queimá-las.

Este fertilizante nada mais é do que o “esterco” dos anelídeos. O excremento delas contém os principais macronutrientes que uma planta precisa: o fósforo (P), que fortalece a planta, o potássio (K), que auxilia na fixação das raízes e o nitrogênio (N), essencial para o desenvolvimento global das plantas.

O bom húmus tem cheiro de terra úmida e pode ser encontrado nas boas casas agropecuárias do ramo. A quantidade que cada planta precisa é variável; aliada a um adubo para fortalecer a mistura, pode ir de 100 a 200 g no caso de vasos de samambaias, dois ou três quilos no caso de arbustos ou trepadeiras… o ideal é respeitar a determinação da embalagem (bons fornecedores de húmus de minhoca colocam as dicas e manejo nas embalagens).

Para quem quiser produzir este húmus e tiver disposição e um bom terreno livre, pode pensar em criar um minhocário. Os criadores preferem a minhoca vermelha da Califórnia (Lumbricus rubellus) pela facilidade de manejo e da baixa exigência de local de criação, caixas de madeira, valas, cercados. Basta que elas sejam alimentadas; as minhocas preferem esterco de vaca, mas pode-se usar restos de alimentos, folhas e grama secas, entre outros dejetos orgânicos. Antes de colocar tanto o esterco quanto os compostos orgânicos é necessário que se faça a compostagem.

O resultado da compostagem deve estar em temperatura ambiente para que seja despejado sobre as minhocas.

38412

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


propagação in vitro

A micropropagação consiste na produção rápida de milhares de clones de uma planta, a partir de uma única célula vegetal somática ou de um pequeno pedaço de tecido vegetal.

As técnicas a que a micropropagação recorre baseiam-se em métodos modernos de cultura de tecidos vegetais in vitro. Deste modo, a micropropagação é utilizada para multiplicar plantas jovens, produzidas pelos métodos convencionais de produção de plantas, e mesmo plantas genéticamente modificadas.

É um método de propagação vegetativa amplamente utilizado nos dias atuais na produção de mudas.

É utilizada sobretudo em plantas ornamentais, como nas orquídeas, e em árvores,  como nos pinheiros.

Essa técnica de laboratório se baseia no princípio da chamada “totipotência” celular, que é a capacidade de uma única célula vegetal se multiplicar e gerar uma nova planta, o que não é possível nos humanos, exceto com células-tronco.

Vantagens da técnica
Por meio dessa técnica, é possível a produção de mudas em larga escala, gerando plantas completamente livres de qualquer doença. Além disso, o processo gera mudas que, em geral, florescem mais rapidamente que as mudas geradas por sementes.

Desvantagens
Alto custo de implantação do sistema, além da necessidade de mão-de-obra especializada.

Como é realizada?
É uma técnica inviável para uso doméstico, sendo destinada apenas à produção comercial de mudas, ou à pesquisa. Por esse motivo, não detalharemos a técnica nesse tópico.

Basicamente, uma pequena parte do tecido de uma planta é retirada, sendo colocada em meios de cultura específico, em ambiente com iluminação artificial. As mudas produzidas são transferidas a outros recipientes, até a sua venda e plantio definitivo.

bird12

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


Rynchostylis Gigantea Orange

Usando corretamente uma adubação, você pode ajudar e muito sua planta. Já uma adubação incorreta pode atrapalhar mais ainda. Para cada fase de sua vida, as plantas necessitam de maiores quantidades de determinados nutrientes, saber fornecer os nutrientes certos para essas fases vão fazer toda a diferença no cultivo de suas orquídeas.

Os adubos químicos são representados pelas letras NPK.
N-Nitrogênio
P-Fósforo
K-Potássio
Esses representam os macros nutrientes, eles são os mais consumidos pelas plantas.

Adubo Para Crescer
Maior quantidade de Nitrogênio estimula o crescimento da planta. Usar um adubo com mais nitrogênio favorece a brotação e o desenvolvimento vegetativo. O nitrogênio é indicado pela letra N, pela primeira letra da formula NPK. Para que um adubo tenha maior quantidade de nitrogênio o primeiro numera deve ser maior que os outros.
Ex: NPK 30-10-10
Um adubo que tem o primeiro numero maior que os outros é um adubo de crescimento, indicado para ser usado em mudas e plantas juvenis, também pode ser usado em plantas adultas quando elas estiverem em crescimento. Principalmente no inicio do período chuvoso.

Adubo para florir
Se o nitrogênio estimula o crescimento, o fósforo estimula a floração e as raízes. Um adubo rico em fósforo ajuda desenvolver maior quantidade de flores por haste floral, ajuda manter as flores por mais tempo e evita a desidratação da orquídea durante a floração.
O fósforo é representado pela letra P na formula NPK, para que um adubo seja de floração o segundo numero tem que ser maior do que os outros.
Ex: NPK 4-45-15
Você deve usar um adubo com quantidade maipr de fósforo dois meses antes da orquídea florir. Adube uma vez por semana.

Adubo para repouso
Durante o período de repouso das orquídeas que acontece principalmente no inverno, pode ser usado um adubo básico, ou seja, um que tenha o numero igual para cada elemento.
Ex: NPK 10-10-10
Muitos orquidófilos suspendem a adubação nesse período, ou, aumentam o intervalo entre as adubações.

O potássio serve como equilibrador.
O melhor é adubar uma vez por semana, e não a cada quinze dias, para isso, basta usar a metade da quantidade de adubo indicado para quinze dias.

_5141

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


Polyrrhiza

Espécie de orquídea, da família Orchidaceae, originária do sudoeste da Flórida, Bahamas e Cuba, onde crescem em áreas bastante úmidas e abafadas.  Não confundir com a “orquídea-fantasma” euroasiática (Epipogium aphyllum).

Trata-se de planta epífita, monopodial, com caule insignificante e efêmeras folhas rudimentares, com inflorescências racemosas que brotam diretamente de um nódulo na base de suas raízes.

As flores são grandes e vistosas, com cheiro de maçã, e tem um longo nectário na parte de trás do labelo.

A brancura da flor é espantosa. Como a planta não tem folhagem e suas raízes são quase invisíveis junto à casca de uma árvore, a flor parece estar suspensa no meio do ar como se por mágica. Daí a origem de seu nome popular: orquídea-fantasma. Além de bela exuberante e rara.

Há quem compare a forma desta orquídea, uma bela e etérea rã branca em vôo. Essa planta de cantos afinados, numa haste longa e esvoaçante, e de extremidades tão delicadas que estremecem com uma leve brisa, criando um movimento semelhante ao de um suposto pequeno fantasma.

janel6

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


composto-orgânico
O uso do composto orgânico em jardins, vasos e canteiros, é bastante benéfico, pois melhora as condições físicas, químicas e biológicas do solo. Podemos até dizer que é o melhor condicionador de solos. Além de disso, o composto é um depósito seguro, que protege os nutrientes de outros fertilizantes, como estercos e restos vegetais. O composto promove a proteção desses nutrientes pelos microorganismos naturais do solo, como fungos e bactérias, que desta forma sequestram esses nutrientes em seus próprios organismos, evitando assim sua perda para o ar e para a lixiviação.

De forma complementar, os estercos de animais de produção, como cavalos, ruminantes, suínos ou aves, são ricos em nutrientes essenciais para as plantas, entre eles, os macronutrientes como o nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio, enxofre e magnésio, e micronutrientes como o cobre, zinco, boro, manganês e outros.

Estes estercos jamais devem ser utilizados frescos diretamente pelas plantas, pois provocam queimaduras nas folhas e raízes finas. Como estão frescos, eles também carregam uma quantidade enorme de sementes de plantas daninhas, principalmente os estercos de animais que pastam. Antes de sua utilização eles devem curtidos ou compostados com outros materiais orgânicos, para que sejam aproveitados com segurança. Depois de prontos, estes materiais podem ser utilizados em canteiros de jardim, gramados, hortas, pomares, vasos e onde mais suas plantas precisarem.
Isso posto, poderemos então alternar o uso do composto com o uso de estercos para garantir uma perfeita nutrição às plantas.

Abaixo, seguem duas receitas para o aproveitamento máximo do composto e dos estercos, preservando ao máximo seus nutrientes.

Folhas frescas ou secas são excelente matéria prima para sua compostagem
Esterco compostado com outros materiais orgânicos:
- Colete uma boa quantidade de estercos. Para estas receitas procure usar estercos frescos. Nestes estercos grande parte do potássio e nitrogênio está contido na urina. Misture tudo com restos orgânicos secos, como folhas secas, capim, palha de arroz etc. Este material rico em carbono e seco irá absorver a urina.
- Adicione superfosfato simples ou gesso agrícola. A função destes elementos é diminuir a perda de nitrogênio durante o processo, alem de enriquecer o composto em fósforo, cálcio e magnésio. A proporção ideal não deve ultrapassar 3%.
- Verifique a umidade. Se estiver muito seco, adicione água, e cubra com plástico ou lona, para manter a umidade e evitar que seja lavado por chuvas fortes. A temperatura da pilha irá subir, indicando que o processo de compostagem está em pleno desenvolvimento.
-Revire a pilha quando a temperatura começar a baixar. Quando revirar, observe a umidade. Se for necessário volte a regar, sem nunca encharcar.
- Quando a pilha deixar de esquentar, mesmo após outra revirada, o composto está pronto para ser usado. Use-o o mais rápido possível, para que suas plantas possam beneficiar de seus nutrientes.

Esterco curtido:
- Faça uma pilha usando o esterco, que pode ser de ruminantes, cavalos, suínos, aves, ou uma mistura de diferentes tipos.
- Adicione superfosfato simples (até 3%) para evitar perda de nitrogênio.
- Faça a pilha e cubra com plástico ou lona.
Neste caso, a temperatura da pilha irá subir rapidamente. Com uma grande proliferação de microorganismos e consequentemente haverá perda e consumo de oxigênio. Por este motivo a pilha deverá ser revirada diariamente e sua altura não deverá ultrapassar 50 centímentros. A medida que o esterco for “amadurecendo” a temperatura interna diminuirá. Quando isto acontecer, a pilha poderá ser revirada e amontoada, de forma a ter uma nova altura igual a 1 metro. Quando a temperatura atingir e se manter em 40 graus, o esterco estará curtido, pronto para uso ou armazenamento em sacos plástico bem fechados.

Obs.: O uso de superfosfato simples ou gesso agrícola é dispensável. Sugeri estes elementos com a intenção de preservar ao máximo o nitrogênio. Ao utilizar esterco de aves, evite utilizá-lo puro na receita número 2, prefira a cama de aviário completa, que possui serragem em sua composição.

Dia-de-Chuva

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


Flor-de-cera

A flor-de-cera multiplica-se bem por estacas de galho. Depois de formada a muda, uma boa dica é plantá-la para que cresça sobre uma treliça ou caramanchão interno e até num vaso grande equipado com um anel de arame, onde a trepadeira possa apoiar-se.

Plante-a num solo preparado com a seguinte mistura:
2 partes de terra comum de jardim,
2 partes de terra vegetal
1 parte de areia.
Luminosidade e temperatura:
A planta precisa de muita luminosidade, mas não tolera sol direto. O sol da manhã é tolerável. Trata-se de uma planta de clima mais para o quente, sendo que a temperatura ideal gira em torno de 20 a 25 graus C.

Regas:
No período da primavera e verão a flor-de-cera necessita de regas regulares, mas no outono e inverno o ideal é reduzir bastante a freqüência, deixando secar a superfície do substrato entre uma rega e outra. As folhas carnosas armazenam água e fazem uma “reserva”.

Adubação:
A flor-de-cera não é muito exigente em adubações. Para estimular a floração e a saúde da planta, é recomendável fertilizá-la com um produto rico em potássio a cada 20 dias durante a primavera e na época de floração.

Como evitar e tratar problemas
Folhas secas e com manchas:
Indica ambiente muito seco. Como medida de emergência, recomenda-se pulverizar toda a planta com água. Providencie um local com mais umidade no ambiente.

Manchas escuras nas folhas:
Geralmente são indícios de que a planta recebeu muita luz solar direta. Em alguns casos, as manchas indicam ataque de fungos.

Queda de brotos e botões:
Podem ocorrer quando a planta recebe corrente de ar frio; por ter sido trocada de lugar, alterando suas condições de luminosidade, temperatura e umidade ou por calor excessivo.

A planta não floresce:
Por luminosidades insuficiente; pode estar faltando algum nutriente para a planta; a umidade do ambiente pode estar muito baixa ou a planta necessita ser replantada por estar muito grande.

Folhas amarelas com pontos pretos:
Pode ser excesso de regas. A solução é cortar as partes danificadas e reduzir as regas até que a planta esteja recuperada.
Excesso de sol direto. Mude a planta de lugar.
Substrato pobre em nutrientes, especialmente nitrogênio. Forneça uma boas adubação para a planta.

janel4

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


Orquídea Vanda branca

Primeiro saiba que, muitas orquídeas, só florescem uma vez no ano. Mas se já faz um ano e sua orquídeas não tem sinal de flor, o que pode estar acontecendo é insuficiência de luminosidade. Em geral, a falta de luz é o maior responsável pela ausência de flores. Então se sua orquídea está saudável, com folhas firmes, boa quantidade de raízes saudáveis, recebe boa adubação e rega, o problema deve ser o local onde ela está.
Neste caso, mova-a para um lugar com mais luz e aguarde para ver se no próximo ano ela irá florir.

A luminosidade de uma espécie deve ser a mesma tanto para a planta adulta como para a muda?
As plantas adultas devem receber mais luz para terem um bom desenvolvimento, enquanto as mais jovens, podem receber um pouco menos de luminosidade.

A regra de cultivo de um gênero ou espécie de orquídeas não é o mesmo para plantas adultas e mudas?
A necessidade de uma muda é um pouco diferente da necessidade de uma planta adulta. A muda precisa de um pouco menos de luminosidade, mas no quesito rega, precisa de mais rega, pois seca muito mais rápido que a planta adulta.

Qual deve ser o espaçamento entre as orquídeas numa bancada?
O espaço deve ser suficiente para que a folha de uma orquídea não toque na outra e que o ar possa circular entre os vasos.
Eu adoto o espaço de um palmo aberto entre os vasos.

Deve-se esperar o substrato secar completamente para molhar as orquídeas?
Eis um assunto que causa muita discussão.Algumas pessoas deixam o substrato secar completamente antes de molhar a planta novamente, outras, molham quando ainda está levemente úmido.
Na maioria das espécies, eu molho apenas quando está quase seco, ou seja, com quase nenhuma umidade. Para que desta forma, as raízes possam arejar bem. Geralmente faço isso se a orquídea for uma Laelia, Cattleya,  Dendrobium ou Oncidium.

As Phalaenopsis não deve secar completamente! Quando ele está levemente úmido, retorne a molhar.

As Vandas nunca devem ficar muito tempo sem rega, pois como não tem substrato, a rega deve ser com intervalo de um dia e nos dias mais quentes, pode até ser diária.

Qual o tempo máximo que um substrato deve ficar úmido?
A umidade no substrato deve ser medida pelo tempo que ele leva para secar antes de receber a próxima rega.
No verão, o substrato deverá secar em até uma semana, se demorar mais tempo que isso, pode prejudicar as raízes.
No inverno, o tempo dobra, ele pode ficar até 15 dias úmido, se ficar úmido por mais tempo, também pode prejudicá-las.

Orquídeas são resistentes ao frio?
Sim. A maioria das espécies consegue se adaptar ao frio, desde que não seja uma espécie de extremo calor e esteja em região de frio extremo. Mas em geral, uma mudança de temperatura mais brusca, não impedirá sua orquídea de se desenvolver.

Convém reforçar que, não é aconselhado que deixe-a desprotegidas das geadas, pois neste caso, podem entrar em hibernação por longos períodos. Da mesma forma, se você puder evitar que ela seja exposta a ventos frios no inverno, ela irá agradecer bastante a sua dedicação.

O que eu devo fazer nos dias muito quentes e secos?
Nunca molhe sua orquídea quando elas estão com as folhas quentes. Evite sempre o choque térmico.O que você pode fazer é umedecer o ambiente onde ela está.

Para isto, basta molhar o chão. Isso diminuirá a temperatura e conforme a água for evaporando, aumentará a umidade do local onde elas estão sendo cultivadas.

cach890

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


Rynchostylis Gigantea Orange

O segredo para cultivar orquídeas é respeitar o que elas precisam e, acima de tudo, amá-las e dedicar algum tempo a elas.  Os requisitos básicos para seu cultivo são:
Luminosidade: Como qualquer outra planta, as orquídeas também realizam fotossíntese e precisam da luminosidade do sol para isso. Dependendo do gênero e da espécie da sua orquídea, a luminosidade ideal pode variar entre 25% e 75%.

Quando falamos em luminosidade, é comum ouvir termos como sombra, meia sombra, sombra leve e sol direto. Mas vamos entender melhor?

Sol direto/Pleno sol
Quando dizemos que a orquídea deve ficar a sol direto ou pleno sol, queremos dizer que deve-se evitar que ela receba sombra de outras plantas e que ela deve se beneficiar da incidência de raios solares em algumas horas por dia.

Sombra leve
São orquídeas que preferem ambientes claros, com poucas horas de sol ou, dependendo do gênero, sem sol direto, mas com luminosidade em torno de 75%.

Meia sombra:
Como o nome já diz, ela deve estar exposta a 50% de luminosidade. Geralmente orquídeas com essa preferência, não devem receber sol direto, pois correm risco de facilmente terem queimaduras nas folhas.

Sombra:
Em grupo menos comum, as orquídeas de sombra, são as que precisam de pouquíssima claridade. Mas atenção! Mesmo quando dizemos sombra, a luminosidade nunca será zero. Nesses casos, é indicado 25% de luminosidade e a orquídea nunca deverá receber sol direto nas folhas.

Ventilação:
Um erro muito comum no início de cultivo é achar que orquídea gosta de vento. Orquídeas não gostam de receber vento, de serem sacudidas, mas uma brisa suave que renova constantemente o ar, é excelente para o seu desenvolvimento. O termo ventilação está mais relacionado a necessidade da planta estar em um local em que haja troca de ar, ou seja, é arejado.

Os ventos mais fortes, aqueles conhecidos como “vento encanado”, que são ótimos para secar a roupa do varal, são péssimos para as orquídeas, pois causam instabilidade.

Temperatura:
Em diversas regiões do nosso País, as condições para o cultivo de orquídeas são ótimas. A maioria das orquídeas gosta do nosso clima de temperatura mais tropical.  Para ter um bom desenvolvimento e belas floradas, em geral as orquídeas gostam de temperaturas entre 18° e 28° C.

Cultivar orquídeas em temperaturas muito baixas ou muitos altas exige maior dedicação do cultivador, pois a maioria delas não suporta climas muito frios ou excessivamente quentes.

Para saber se o local escolhido para cultivar a sua orquídea esta muito quente, basta tocar nas folhas dela. Se estiverem quentes ou mornas, quer dizer que está muito calor, se estiverem em temperatura agradável, levemente frescas, o ambiente está ideal. Quando for sentir as folhas, opte por encostá-las em seu rosto(bochechas), que é uma parte sensível do nosso corpo e ajudará a perceber melhor a temperatura.

Umidade:
Primeiro, é importante entender o que quer dizer umidade quando nos referimos ao cultivo de orquídeas.

É comum a confusão entre umidade e rega, mas quando falamos em umidade, não nos referimos ao substrato úmido pela água da rega, mas sim a umidade no ambiente, ou seja, a umidade relativa do ar.

A umidade do ar varia muito de região para região. Algumas cidades são mais secas, como é o caso de Brasília, outras, como Manaus, são mais úmidas.
A umidade do ar é a quantidade de vapor de água na atmosfera.

Voltando ao cultivo de orquídeas, as orquídeas, de maneira geral, tem preferência por ambientes que variam entre 60% e 80% de umidade do ar.

Por isso, é importante estarmos atentos nos dias mais secos, e, aumentar a umidade do ambiente de cultivo para evitar que as orquídeas sofram com a baixa umidade.

Regas – Mesmo mantendo o ambiente úmido, é necessário regar sua orquídea sempre que o substrato estiver quase seco ou seco. Grande parte da mortes de orquídeas está relacionada a rega. Algumas pessoas molham demais suas orquídeas, outras, ficam com tanto receio de apodrecer suas raízes, que acabam espaçando muito as regas.  Em ambos os casos, o resultado é desidratação.

Quando molhamos demais, a orquídea não tem espaço de tempo para arejar suas raízes, que acabam apodrecendo. Assim, com poucas raízes saudáveis, a orquídea não consegue absorver a água e os nutrientes necessários para seu bom desenvolvimento. Por isso, elas desidratam. O contrário também é prejudicial.

Se a orquídea fica muito tempo sem receber água, ela irá retirar a água dos pseudobulbos e das folhas carnudas. Em poucas semanas é comum ver orquídeas literalmente murchando de desidratação.

Mas como não errar no intervalo das regas?
Há uma maneira simples de verificar se a orquídea precisa de água:
Coloque o dedo no interior do vaso;
Se você sentir que o substrato em que ela está plantada está úmido e fresco, ela não precisa ser regada;
Se ele estiver seco, é hora de aguar a sua orquídea.

Importante Muitas pessoas recomendam molhar a orquídea uma vez por semana, mas precisamos lembrar que o Brasil tem vários sub-climas diferentes, então a regra que vale para as regiões mais secas e quentes não pode ser a mesma que a regra da região mais úmida e fresca. Por isso, não se baseie em molhar no período recomendado, mas sim no teste de sentir a umidade do vaso da sua orquídea.

Lembrando também que, orquídeas cultivadas em árvores e placas, deveão ser molhadas mais vezes do que aquelas que ficam em vasos.

Fertilização e Adubo – A fertilização ou adubação é necessária para uma planta saudável e uma floração encantadora. Assim como qualquer outro ser-vivo, as orquídeas também precisam de alimento para crescerem saudáveis.
As orquídeas não gostam de se sentir “famintas”, especialmente antes e logo depois do término da sua floração.

A Importância das Instruções
Sempre siga as instruções da embalagem do fertilizante. Por exemplo, se a instrução é aplicar uma colher de café para cada litro de água,  a cada 15 dias, não aumente a dosagem por conta própria e não reduza o espaço de tempo de aplicação.

É comum as pessoas pensarem: “se esta quantidade de alimento faz bem, então mais adubo, fará melhor ou terei resultados mais rápidos”, mas isso não é verdade!
Lembre-se que, os adubos foram formulados por pessoas que estudaram sobre as orquídeas e a dose recomendada de alimento para ela. Se fosse aconselhado colocar mais adubo, isto estaria indicado no rótulo.

Há de convir que qualquer fabricante quer dar os melhores resultados, assim, eles garantem a sua fidelidade na compra do produto deles.
Também temos que pensar o seguinte: se pudesse colocar mais adubo para a orquídea, eles também indicariam, afinal, assim a embalagem acabaria mais rápido e você iria comprar mais, o que significaria mais dinheiro para eles.
Enfim… Se o indicado é uma colher de café, respeite a quantidade!

Uma outra dúvida das pessoas em relação a medida, é a quantidade de adubo dentro da colher.
É importante saber também  que, quando se fala em medida de adubo as colheradas, é sempre recomendado a colher rasa. Então quando o rótulo diz uma colher, não é transbordando! É uma colher rasa mesmo!
Eu sei que pode dar a impressão de ser muito pouquinho, mas é assim mesmo.
A orquídea precisa de uma quantidade pequena de adubo, mas esta adubação deve ser frequente.

Quer resultados rápidos?
Se você quer ver sua orquídea mais saudável, dedique-se a ela.
Faça a adubação regular. Se a adubação escolhida é quinzenal, não espace mais este tempo. Escreva em um calendário a data que você adubou e coloque um lembrete para repetir a adubação após 15 dias.
Esta é a melhor forma da sua orquídea mostrar resultados.
É comum achar que bastou adubar que os resultados irão aparecer nos próximos dias. Infelizmente não existe esta possibilidade. Após o uso frequente da adubação é que os resultados irão aparecer mais significativamente.
Na verdade as orquídeas gostam e precisam da constância. O resultado da adubação será percebido ao longo do cultivo, com folhagens mais vistosas, raízes saudáveis e belas florações.

Bastam algumas semanas sem cuidar dela para que sua orquídea mostre sinais de fraqueza, mas a recuperação dela levará mais que o dobro de tempo para acontecer.
Por isso, eu recomendo que você dedique um tempo semanalmente para dar atenção ao seu exemplar.

aves26

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.