Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Polygonum capitatum 1

A planta pertence à família Polygonaceae e é originária da Ásia – Índia, Himalaia –  é encaixada na categoria de forrações à meia sombra ou então de forrações a sol pleno.

Atinge alturas entre 15 e 20 cm de altura. Pode ser cultivada a sol pleno ou então a meia sombra. Trata-se de uma planta de ciclo de vida perene e que é bastante utilizada no paisagismo.

A planta Tapete-Inglês é herbácea, reptante e perene, sua ramagem é delicada e possui uma cor castanha, as folhas que compõem essa planta são lanceoladas, com nervuras e margens vermelhas, pubescentes, com uma cor bronzeada e também com desenhos em forma de “V”.

Acima da folhagem durante todo o ano despontam as inflorescências que são globosas, terminais, brancas, verdes e rosadas. O período principal de aparecimento das inflorescências são os meses do verão e do outono.

Utilidade paisagística
O Tapete-inglês é uma planta excelente para fazer forração uma vez que forma lindos tapetes em áreas que são ensolaradas e também naquelas que são semi-sombreadas. A sua textura e cor singulares ajudam a adicionar mais charme a vários tipos de jardins.

Essa planta ajuda a conferir um visual mais rústico e natural em bordaduras ao longo de caminhos ou pedras. Além disso, você pode ser cultivada em vasos e floreiras. A dica é evitar cultivar essas plantas em locais em que há o fluxo intenso de pessoas, pois a mesma não tolera o pisoteio.

Nos climas temperados essa planta perde a sua folhagem nos meses do inverno. Outra característica do Tapete-Inglês é se adequar ao plantio no litoral.

Polygonum capitatum
Cultivo
Para que essa planta apresente bons resultados de cultivo é necessário que seja colocada em ambientes que tenham sol pleno ou mesmo meia sombra. Também é importante que o solo seja fértil, bem drenável e preparado com a adição de matéria orgânica. As regas devem ser periódicas para que a planta possa crescer saudável.

Uma excelente dica para quem vai plantar o Tapete-Inglês é colocar apenas 4 mudas por m2. Isso vai ajudar a formar um denso tapete, o efeito visual é muito bonito. Porém, se você vive numa região seca é importante reconsiderar o plantio do Tapete-Inglês uma vez que essa planta tolera apenas curtos períodos de seca.

Uma vantagem de cultivar o Tapete-Inglês é que ele exige pouca manutenção, basta fazer podas de controle e crescimento, as adubações são anuais. Uma planta que aprecia o frio subtropical ou mediterrâneo e que se desenvolve melhor nessas regiões.

A sua multiplicação deve ser feita por divisão de ramagem enraizada e espontaneamente por sementes. Vale destacar que essa planta pode surgir espontaneamente em fendas de muros e calçadas.

Mas o que são Plantas de Forração?
O Tapete-Inglês é um exemplo bem interessante de planta de forração, se você se interessa por jardinagem e deseja cultivar plantas que ajudem a dar um toque de paisagismo no seu espaço verde saiba mais sobre essas plantas.

As plantas de forração são aquelas que possuem pouca altura e que tem a capacidade de forrar grandes espaços de terra. Basicamente elas formam um tipo de cobertura vegetal que é chamado de forração. Quando elas crescem acabam criando um visual de gramado verde e extenso.

O termo espécie de forração também está ligado a ideia de plantas de cobertura que não são resistentes ao pisoteio. Dessa forma muitos jardineiros e paisagistas profissionais não incluem essas plantas na categoria de grama.

Os especialistas definem como plantas de forração aquelas espécies ornamentais que são usadas para cobrir toda a terra de um canteiro, um vaso ou mesmo de uma área extensa de jardim. Essas plantas funcionam como um tipo de tapete vivo para o seu jardim.

Para boa parte dos especialistas as plantas que são comumente usadas como plantas de forração quando cultivadas num vaso ou canteiro perdem essa designação. Podemos dizer que basicamente esse termo está associados a planta que faz a cobertura direta do chão.

Pelo fato de não resistirem ao pisoteio essas espécies são mais indicadas para serem cultivadas ao redor de árvore ou então sob bosques sombreados. Numa média geral as espécies de cobertura crescem até uma altura máxima de 30 cm.

Forração protetora
As plantas de forrção podem ser usadas para outros fins além de somente enfeitar um espaço, podem ser usadas para proteger o solo de barrancos e taludes das erosões que são causadas pelas chuvas. As plantas agem contra o ressecamento que é causado pelo calor excessivo.

Além disso, essas plantas ainda podem ajudar na absorção de água da chuva e isso evita que a mesma se acumule no terreno. As plantas de forração além de ajudar a proteger os espaços em que estão completam o projeto paisagístico do jardim. São plantas que ajudam a dar mais cor e textura para esse espaço.

A melhor opção para a manutenção do espaço drenável do solo, de pisos impermeáveis ou mesmo de pedriscos soltos que acabam aumentando a irradiação do calor e a temperatura do ambiente.

Da mesma forma que outros tipos de plantas, as de forrações também podem ser divididas em opções que devem ser cultivadas a pleno sol e aquelas que se adaptam a cobertura de locais sombreados em que um gramado convencional dificilmente conseguiria crescer.

As espécies conhecidas como de forração em geral gostam de receber luz indiretamente, filtrada e tem um desenvolvimento melhor sob as árvores. O toque incrível para deixar o seu jardim mais bonito, a forração criada por esse tipo de planta fica muito bonito no seu período de floração.

Dia-de-Chuva

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


Falsa-vinha (Parthenocissus quinquefolia
As trepadeiras são excelentes opções para qualquer tipo, dimensão ou localização de jardim, pois há sempre uma ou mais que se adaptam a cada situação. Eu não consigo imaginar um jardim sem trepadeiras.

Elas são uma presença obrigatória num jardim de estilo mediterrânico ou romântico, são as plantas ideais para vestir as suas paredes e muros, adaptam-se à espaços grandes e pequenos e até varandas ou terraços. Basta escolher a trepadeira certa.

Mas o que são plantas trepadeiras?
Para início de conversa nada melhor do que perceber o que é uma trepadeira, embora possa parecer óbvio, não é, pois muitas daquelas plantas que nós achamos que são trepadeiras não são mais do que arbustos conduzidos como trepadeiras.

- Trepadeiras “verdadeiras”
São aquelas plantas arbustivas que nas suas condições de origem precisam de trepar para alcançar a luz do sol, e que por isso são capazes de desenvolver técnicas para trepar e para se agarrar a outras plantas ou a estruturas de apoio, as técnicas podem ser várias:

* Raízes adventícias aéreas
São raízes emitidas ao longo dos caules, o que lhes permite ter a capacidade de se fixarem às estruturas e apoio, essas raízes permitem-lhes absorver água e alimentos de qualquer superfície (ex: Hera)

* Gavinhas
São prolongamentos dos caules (flexíveis) que se enrolam em qualquer lugar, garantindo a estabilidade da planta (ex: clematites, maracujá, ervilha de cheiro, kiwi, glicínia e madressilva)

* Pequenas ventosas nos caules da planta
São aquelas que desenvolvem um sistema de pequenas ventosas que permitem que a planta se cole à parede (ex. vinha virgem)

* Espinhos ou acúleos
São prolongamentos pontiagudos dos caules que permitem que a planta se proteja e também se fixe aos suportes (ex: roseira)

- Arbustos conduzidos sob a forma de trepadeiras
Para além das chamadas trepadeiras verdadeiras temos arbustos que podem ser conduzidos sob a forma de trepadeiras, estes são geralmente arbustos que possuem caules lenhosos muito compridos e que quando apoiados crescem melhor, exemplos destas plantas (tecoma, thunbergia, allamanda, rincospermum,)

Antigonon leptopus... Amor-agarradinho.
Cuidados básicos com as suas trepadeiras
- Plantação das trepadeiras
Quando for plantar trepadeiras, certifique-se que o solo fica bem drenado e fértil e mobilize-o até ficar descompactado e apresentar uma estrutura solta e ligeira, adicione também  matéria orgânica para melhorar a estrutura do solo e adubo, não se esqueça de adubar todos os anos no inicio da primavera e verão.

Quando escolher o local para as trepadeiras tenha em atenção que o ideal é plantá-las no sentido do vento, ou seja quando o vento sopra ficam mais “agarradas” à parede ou á estrutura e não o contrário em que “voam como capachinhos ao vento.”

Quando for plantar junto à muros não se esqueça de deixar espaço para o desenvolvimento das raízes principalmente no caso dos arbustos que conduzimos em trepadeira (esta distância deve ser de 30-40 cm), não tenha a tentação de encostar completamente à parede.

- Distância ou compasso de plantação
Plante os vários exemplares com pelo menos 1 metro de distância.

- Condução das trepadeiras
Nunca se esqueça que, quando se planta trepadeiras junto de um muro ou estrutura de apoio deve primeiro colocar os suportes de apoio

Para obtermos o melhor resultado devemos ter o cuidado de conduzir as trepadeiras desde o início, encostando-as e prendendo-as às estruturas onde queremos que se agarrem.

Todos os anos temos que acompanhar a condução das trepadeiras.

lonicera japonica Madressilva
- Poda
Toda planta não importa a espécie, por mais bem cuidada que seja, um dia começa a apresentar queda de folhas e folhas amareladas. Para manter as plantas sempre viçosas e com ramos uniformes e densos, a melhor solução é fazer uma poda nos ramos que crescem junto à borda do vaso. Saiba que é um excelente remédio para que as folhagens antes “feias” se revigorem, tornando-se novamente cheia e espessa, com um visual mais atraente.
Se você prefere uma medida menos radical, faça uma poda em duas etapas.
* 1º Comece retirando 1/3 dos ramos.
* 2º Quando as folhas novas brotarem, pode mais 1/3, e assim por diante, até que a planta esteja totalmente recuperada.

Quando a folhagem ficar rala no topo do vaso, uma solução é podar a ponta dos ramos mais compridos e enterrá-los novamente no vaso, no meio dos galhos já enraizados. Os caules antes “pelados” ficarão encobertos e o aspecto geral da folhagem vai melhorar consideravelmente.

As trepadeiras que crescem apoiadas em tutores costumam apresentar problema de queda de folhas, principalmente em torno de sua base, bem próximo ao solo. Para estes casos, deixe a planta crescer até uns 20 ou 30 cm acima do tutor e depois é só orientá-la em direção à terra do vaso, amarrando-a no tutor se preciso.

Isso não só recobrirá os ramos desnudos como acelerará novamente o crescimento da planta. Para que a poda seja realmente eficaz, revigorando a aparência geral da folhagem, é importante que você leve em consideração as novas exigências da planta, que são:

Claridade:
quando podada, a trepadeira necessita de uma quantidade de luz ligeiramente maior, para desenvolver-se com mais rapidez. Isto ocorre porque as folhas restantes (agora em menor número) terão de captar a energia suficiente para o crescimento da planta.

Adubação:
na época da poda, procure adubar com mais frequência suas trepadeiras. Depois que o crescimento tiver voltado ao ritmo normal, volte também a quantidade habitual de adubo. Pode-se usar tanto o fertilizante granulado como o foliar, observando as especificações do fabricante.

Água:
ao contrário do que ocorre com a quantidade de luz e adubo, a planta podada necessita de menos água. Mantenha-a ligeiramente úmida, mas evite as regas em excesso.

Em trepadeiras floridas devemos podá-las antes da floração para aguentarem o peso das flores e estimular a floração.

Enfim, não existem segredos para se cuidar bem desse tipo de planta, basta cuidados simples.

janel354

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


Begonia-6

Sempre coloridas e vistosas, as begônias compõem uma família de 1500 espécies. É uma planta perene que pode compor lindos vasos, jardineiras. A novidade é que após vários cruzamentos e melhoramentos esta maravilhosa flor poderá também invadir os jardins.

Elas são plantas muito apreciadas pela grande maioria das pessoas graças às suas bonitas e coloridas flores e ao verde das suas folhas. Cultivar e propagar begônias não é uma tarefa difícil uma vez que não são necessários grandes cuidados.
As begônias pegam bem de estaca sendo por isso muito fácil de transplantar. Outra forma de propagá-las pode ser através da divisão dos seus rizomas ou ainda pelas sementes.
Alguns cuidados para cultivar as suas begônias podem aqui ser encontrados.

Begônias são um clássico favorito dos jardineiros, por sua facilidade de cultivo e bela coloração. Considere plantar begônias se deseja ter uma nova planta dentro de casa para adicionar à coleção, para colocar em vasos suspensos ou se quiser aumentar seu jardim externo. Embora sejam plantas anuais que exigem replantio uma vez por ano, elas valem o esforço.

As begônias são fáceis de manter, produzem grandes e bonitas flores, e vêm em diversas cores e variedades, que podem decorar jardins e espaços interiores, acrescentando um toque elegante e colorido à sua casa. As begônias podem ser cultivadas a partir de sementes ou compradas já plantadas. Independente da opção que escolher, você terá lindas begônias, que serão uma parte impressionante e vibrante de sua paisagem interior ou exterior.

Escolha a cor das flores de begônia que você preferir. Se você quer plantar sementes, tenha em mente que elas levam cerca de quatro meses para chegar ao estágio de florescimento. A begônia prefere luz filtrada e, portanto, você deve escolher um local em seu jardim que tenha sombra durante a parte mais quente do dia.

Begonia grandis ssp. evansiana

Estas plantas são nativas do Brasil e preferem tempos mais quentes. No entanto, elas crescem em quase todos os climas do ano. Durante os meses mais quentes do verão, podem permanecer dormentes, da mesma forma que durante os meses mais frios.

Selecione uma variedade de begônia para plantar
Existem dois tipos gerais de begônias: aqueles cultivadas a partir de sementes e aquelas cultivadas a partir de batatas/bulbos. Begônias cultivadas a partir de sementes tendem a ser um pouco menores e seu desenvolvimento é complicado, enquanto os bulbos dão origem a plantas mais resistentes e maiores.

Ambas as variedades vêm em muitas opções de cor, incluindo tons de rosa, branco, roxo, amarelo e vermelho. Begônias de sementes e bulbos são anuais, embora os bulbos possam ser salvos e replantados em anos seguintes. Se você não estiver a fim de aborrecimentos com bulbos e sementes, visite o viveiro local e escolha uma begônia pequena envasada para transplantar.

* Raramente, é possível encontrar um tipo de begônias perenes, mas essas não são comuns;

* Você também pode escolher começar a cultivar begônias a partir de podas.

Escolha um local
Begônias são uma das flores mais comuns que podem crescer com sucesso tanto dentro quanto fora de casa. Elas gostam de muita sombra, o que faz delas uma perfeita aquisição para um jardim interno. Se plantá-las em um vaso, escolha um local em sua casa onde haja uma janela voltada para o leste, oeste ou sul.

Você também pode colocá-las em uma varanda sombreada, que receba bastante luz do dia. Se for plantar begônias no jardim, coloque-as num ponto sombreado sob outras plantas maiores ou no lado norte de seu jardim.

* Begônias suportam luz solar parcial, mas evite deixá-las receber luz do sol diretamente;
* Se você não tiver nenhum espaço interno com janela para begônias de vaso, será necessário usar uma lâmpada a fim de proporcionar-lhes um pouco de luz.

Prepare a terra
Ou melhor, não prepare terra alguma, pois as begônias podem se desenvolver melhor em um jardim sem terra do que na típica ‘sujeira’. Prepare uma mistura de ⅔ turfa e ⅓ de mistura para vasos sem terra (disponíveis em lojas especializadas em jardinagem e também em viveiros).

Begônias gostam de ambientes ácidos e bem drenados, o que a mistura com turfa provê facilmente. Se você precisar usar terra do lado de fora, adicione uma grande quantidade de turfa e matéria orgânica à terra para fornecer o melhor ambiente para suas begônias.

*Se você utilizar mistura de turfa, encharque a turfa com água fervida e deixe esfriar antes de plantar as begônias;

* Você pode usar um fertilizante líquido NPK 20-20-20 na terra ou no substrato, provendo assim mais nutrientes às begônias.

begonia-12
Saiba quando plantar
Begônias são plantas anuais, então elas não voltarão a crescer a cada ano. Portanto, a cada ano replante-as no meio da primavera. Begônias não suportam muito bem temperaturas baixas e geadas, por isso espere até uma semana, pelo menos, após a última geada do inverno para plantá-las. Seja como for, plante-as antes em um vaso dentro de casa e depois as transplante no jardim quando a temperatura subir.

Prepare seu jardim
Se você estiver plantando suas begônias ao ar livre, cave um buraco com poucos centímetros de profundidade para sementes e bulbos, ou grandes o bastante para cobrir a raiz de uma planta envasada. Begônias que serão plantadas em solo elevado ou vasos precisam de um espaço ligeiramente maior que sua raiz ou em meio a outras plantas num recipiente maior. Begônias não precisam de um espaço muito grande, na verdade, então sinta-se livre para plantá-las perto de outras plantas em seu jardim, ou perto da beirada do vaso.

Plante suas begônias
Remova bulbos e sementes ou transplante e coloque-as no buraco que você cavou. Cada begônia deve ser posta em seu próprio buraco, embora possam ser dispostas juntas. Cubra o topo da raiz, o bulbo ou sementes com um pouco de terra/substrato. Se for plantar uma begônia pequena, quebre um pouco a raiz antes de colocar a planta no buraco.

Regue a planta
A maioria das plantas precisa de água extra após ser plantada pela primeira vez, a fim de evitar o que é conhecido como ‘choque por transplante’. Regue bastante sua planta de modo que a terra fique úmida, mas não encharcada. As flores precisarão de rega a cada poucos dias desde o plantio, seja manualmente ou via um sistema de irrigação. Begônias não toleram regas intensas, então não se preocupe com manter o solo constantemente molhado. Na verdade, se chover intensamente na sua região, você pode ter que deslocar suas begônias para uma varanda ou dentro de casa, para evitar que a planta se afogue.

Conserve seu jardim
Se você plantou suas begônias em um vaso na varanda ou dentro de casa, não será preciso lidar muito com ervas daninhas. Contudo, se suas plantas estão ao ar livre, verifique se há ocorrência de ervas daninhas de vez em quando, e retire-as. Adicione fertilizante líquido NPK 20-20-20 cerca de uma vez por mês, ou misture um pouco de composto e turfa para mais nutrientes. Você pode cobrir o solo com folhas secas, se preferir, pois isso prende a umidade (o que significa regas menos frequentes) e impede que novas ervas daninhas brotem.

foto-begonia-10
Pode as begônias
Com o tempo, você perceberá que as flores das begônias começarão a apodrecer e morrer. Nesse ponto, você deve iniciar o processo de poda, o que envolve cortar e remover as flores mortas para promover o crescimento de novos botões e desviar os nutrientes para outras partes da planta.

Ao final da temporada de florescimento, remova todos os botões mortos e deixe a planta verde. Desse modo, os nutrientes que a planta obtém serão estocados no bulbo para a próxima temporada de crescimento, em vez de sustentar os botões que já estão mortos.

Proteja suas plantas contra pragas
Muito embora plantas de exterior estejam sempre correndo risco de abuso da natureza, plantas de interior também podem ser atacadas por pragas. Mantenha suas begônias a salvo de lesmas e caramujos moendo cascas de ovo e espalhando-as ao redor da base da planta.

Plantas de interior são frequentemente infestadas de cochonilhas, insetos que podem ser eliminados com spray de álcool isopropílico comum. É possível se livrar de outras pragas com inseticida leve usado para jardinagem. Converse com um funcionário do viveiro local para saber mais sobre o melhor método para proteger suas begônias.

Colha suas begônias
Elas não são tipicamente usadas em arranjos florais porque não têm hastes longas, mas você pode colhê-las paras usos decorativos como arranjos de flores prensadas. Arranque a flor de cima da folhagem, evitando tirar muitas folhas e caule. Você pode colher quantas flores quiser durante a temporada de crescimento, pois elas deverão crescer de volta após muitos dias.

Proteja as plantas do frio
Se suas plantas não estiverem mortas quando começar a esfriar, você pode salvá-las levando-as para dentro. Porém, isso só funciona mesmo com plantas externas envasadas. Coloque os vasos em uma janela que receba bastante sol. Nas primeiras duas semanas dentro de casa, as begônias deixarão cair muitas folhas, mas isso é normal devido ao transplante. Elas devem ficar bem como se fossem novas após se adaptarem ao novo ambiente.

begônia1
Salve os bulbos
Quando suas plantas estiverem todas preparadas para o inverno, você pode salvar os bulbos de suas begônias para replantar na primavera seguinte. Espere até que a planta esteja completamente seca, e então tire os caules/folhas maiores do bulbo. Coloque-os sobre uma grelha ou tela em uma área fresca e seca, para secar por 5-7 dias. Quando estiverem totalmente secos, eles podem ser armazenados.

Os bulbos devem então ser colocados em uma caixa de papelão cheia de turfa seca até estarem prontos para o replantio na primavera.
* Em primeiro lugar prepare o vaso onde vai plantar a begônia. A preparação do vaso de forma adequada vai ser decisiva no crescimento e na beleza da sua begônia.
Coloque no seu fundo a tela (esta vai permitir uma correta drenagem da água e não vai permitir que a terra assim como os nutrientes saiam do vaso juntamente com a água). Depois adicione uma camada de cascalho de mais ao menos 5 cm de altura. Em seguida coloque a terra até metade da altura do vaso;

* Agora, coloque a begônia escolhida dentro do vaso bem no seu centro.
Em seguida acrescente a terra (deixando cerca de 2 cm do vaso sem terra).
Com as mãos aperte e aconchegue a terra junto à planta, pressionando um pouco para que esta se mantenha direita durante o crescimento e as regas;

* Coloque um pouco de adubo orgânico na superfície da terra, mas distante da begônia e em seguida regue-a com um pouco de água (não exagere na quantidade de água).
Se necessário acrescente um pouco mais de terra. Coloque o vaso dentro do prato e coloque-o no local da casa escolhido para a sua planta.

Dicas
* As begônias adaptam-se muito bem a ambientes de interior não muito quente. Devem ser colocadas em espaços com bastante luz, mas não com luz direta;

* Tenha atenção à rega, esta vai depender do local onde a planta se encontra, da temperatura da casa e do material do vaso escolhido;

* No entanto regue-a com mais frequência enquanto se encontra na primeira semana após o transplante, ou seja na primeira fase de crescimento diminuindo a sua frequência à medida que o tempo passa. No inverno regue-a com menos frequência.

rosas balançando

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


petunias
Saber como cultivar petúnias pode dar ao seu jardim brilhantes flores que se abrem da primavera até o inverno. Encontrada em uma larga variedade de cores, as petúnias são adequadas para cultivar em canteiros, cercados, jardineiras em janelas e outros vasos. As variedades em cascata ficam especialmente bem em vasos suspenso.

Mas, o que realmente enriquece a natureza das Petúnias é o fato de elas passarem pela chamada hibridação natural, ou seja, contrariando as leis da natureza uma mesma espécie é capaz de gerar através do cruzamento de suas características um ser totalmente novo e híbrido. Assim você pode ter petúnias de cores totalmente diferentes num único vaso.

Escolha o tipo de petúnia
Embora haja centenas de nomes de petúnias, elas tendem a cair dentro de quatro categorias básicas, as quais são determinadas pelo tamanho da flor e hábito de crescimento.

Alguns desses tipos de petúnias funcionam melhor quando cultivadas em vasos, enquanto outras são mais adequadas para jardim.

Petunia_Grandiflora
* Grandiflora tem as maiores flores e é, geralmente, o tipo de petúnia mais usada. Algumas têm flores únicas enquanto outras são duplas e estão disponíveis tanto em variedades altas quanto de cascata;

Petunia_Multiflora

* Multiflora tem flores menores, mas tem muitas flores e fornece grandes explosões de cores;

petúnia miliflora
* Milliflora cresce perto do chão e tem flores pequenas. Ela é fácil de controlar e por isso funciona bem como flor de cercado;

petunia Hedgiflora
* Hedgiflora é o grupo que cobre as petúnias que se espalham e que vão até o chão, a partir das jardineiras de janela, e cobrem grandes áreas rapidamente. Esse tipo precisará de rega mais frequente.

Selecione suas petúnias
Depois de ter escolhido o tipo de petúnia que quer, você precisará escolher as petúnias em si.

Há algumas coisas que você deve procurar para saber qual a melhor planta para jardim.
* Escolha petúnias para jardim que sejam compactas (não as altas e longilíneas), porque essas se desenvolverão melhor.

Escolha o local correto para plantá-las
Todos os tipos de petúnias precisam de pelo menos cinco ou seis horas de sol direto por dia, embora elas possam tolerar um pouco de sombra.

O solo precisa ser bem drenado, embora ele não tenha que ser particularmente rico em nutrientes.
* Petúnias funcionam bem em vasos, assim como plantadas em jardim. No entanto, se for plantá-las em um vaso, você deverá se certificar de usar uma mistura com pouco solo (uma mistura com pouco solo é composta de coisas como turfa, composto de casca de turfa ou fibra de coco, assim como componentes inorgânicos, como areia).

Prepare o solo para o plantio
Assegure-se de cavar o solo para que ele fique bom e fofo (permitindo melhor drenagem). Você deve tanto preparar quanto fertilizar o solo para deixá-lo pronto para as petúnias. Se você estiver plantando no jardim, prepare o solo com matéria orgânica, como turfa seca, composto de folhas ou esterco bem curtido.

Você precisará espalhar a matéria orgânica com cerca de cinco a sete centímetros de espessura.
* Incorpore a matéria orgânica dentro do solo usando um forcado até a profundidade de cerca de 20 a 25 cm. Isso pode ajudar a quebrar um solo muito argiloso, permitindo melhor drenagem da água ou aumentando a habilidade do solo arenoso em segurar nutrientes e umidades;
* Fertilize o solo usando um fertilizante balanceado (como 8-8-8, 10-10-10 ou 12-12-12) no solo do jardim. Você deve misturar a uma taxa aproximada de 1 quilo por 10 metros quadrados.
Quando o ano muda (começo a meio de janeiro) você deve fazer uma aplicação de fertilizante líquido especial para plantas, mais ou menos a cada três semanas (embora, deva ser semanalmente para petúnias que se alastram);
* Agora, se estiver usando uma jardineira de janela ou vaso, você precisará misturar fertilizante de liberação controlada no solo.

petunia1
Espace as flores corretamente
A maioria das variedades de petúnias requer pelo menos 30 cm entre cada planta em sol direto.

Se você tiver que usar um local mais sombreado, então deixe-as vários centímetros mais próximas umas das outras (cerca de 22 a 25 cm). Há algumas exceções a essa regra para levar em consideração.
* Petúnias Milliflora podem ser colocadas mais perto umas das outras que outros tipos, com cerca de 10 a 15 cm entre elas;
* Petúnias que se alastram, por outro lado, devem realmente ser espaçadas a quase 45 cm.

Plante-as na estação correta
Você deve começar a plantá-las no começo da primavera para ajudá-las a se aclimatizarem à área externa.

Se as estiver plantando no chão, você deve se assegurar de esperar até que passem as friagens (ou você pode cobrí-las a noite para protegê-las da friagem).
* A temperatura do solo deve ser de cerca de 15ºC, mais frio que isso e a petúnia não florescerá;
* Se for muito quente, certifique-se de fornecer um pouco de sombra para as petúnias. Embora elas amem o sol e se desenvolvam com ele, o excesso pode ter um efeito adverso para elas.

Encoraje novos brotos
Dependendo do tipo de petúnia você precisará fazer algumas podas de flores e alguns cortes para encorajar novos brotos e florescência de rebentos laterais. Isso encorajará mais flores.
* Para grandifloras e multifloras, quando elas alcançarem cerca de 15 centímetros de altura, pode-as para encorajar a formação rápida das florescências de rebentos laterais;
* Evite podar as millifloras ou petúnias que se “alastram”;
* Pode as flores delas. Mantenha uma floração constante das suas petúnias durante a estação podando flores murchas. Multifloras não precisarão de podas de flores. Corte um terço da planta se ela se tornar irregular e não florescer bem. Isso encorajará novos brotos e força.

petunia22

Dê-as a quantidade certa de fertilizante
Você deve se assegurar de que suas petúnias estão saudáveis sem fertilizá-las em excesso.

Se a folhagem da petúnia tem uma aparência saudável e forte, mas ela não estiver florescendo, ou não estiver florescendo bem, você precisa reduzir a quantidade de fertilizante.
* Uma boa ideia é fertilizar sua planta mensalmente, pois isso assegurará um bom crescimento sem fertilizá-la em excesso;
* Cultivos de dupla floração, no entanto, devem ter uma dose de fertilizante quinzenalmente.

Regue-as de forma apropriada
A maioria dos tipos de petúnias é bem flexível a regas. Então uma boa rega cerca de uma vez por semana deve ser o suficiente, a menos que o clima seja incrivelmente seco.

Você deve molhar até uma profundidade aproximada de 15 a 20 centímetros cada vez que as regar.
* As petúnias do tipo que se alastram precisam ser regadas mais frequentemente (mais de uma vez por semana);
* Petúnias em vasos também precisam de mais regas dependendo do tamanho e volume do solo contido. Em geral, petúnias em vasos precisam ser regadas quase que uma vez ao dia;
* Uma boa regra geral é deixar pelo menos 2,5 centímetros do solo superior secar antes de regá-las de novo.

Controle as pragas no seu jardim
Você verá sinais de afídeos e lagartas, pragas que podem destruir suas petúnias.

Você deverá se livrar delas para que suas petúnias continuem se desenvolvendo.
* Se você vir que há afídeos, assegure-se de se livrar deles borrifando as petúnias com um forte jorro de água. Continue fazendo isso até que os afídeos tenham acabado;

* Procure por pequenos pontos pretos e buracos nas folhas e botões que podem indicar que lagartas estejam atrás das suas petúnias. Trate com inseticidas ecológicos.

Regue regularmente
Às vezes as novas flores murcharão antes mesmo que floresçam realmente. Quando isso ocorre é porque você não as está regando regularmente. Deixe o solo secar e regue bem.

TRE

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


Begônia Illumination

As begônias são plantas são plantas favoritas dos jardineiros e muito apreciadas pela grande maioria das pessoas graças às suas bonitas e coloridas flores e ao verde das suas folhas. Cultivar e propagar begônias não são uma tarefa difícil uma vez que não são necessários grandes cuidados.

Considere plantar begônias se deseja ter uma nova planta dentro de casa para adicionar à coleção, para colocar em vasos suspensos ou se quiser aumentar seu jardim externo. Embora sejam plantas anuais que exigem replantio uma vez por ano, elas valem o esforço.

As begônias são fáceis de manter, produzem grandes e bonitas flores, e vêm em diversas cores e variedades, que podem decorar jardins e espaços interiores, acrescentando um toque elegante e colorido à sua casa. As begônias podem ser cultivadas a partir de sementes ou compradas já plantadas. Independente da opção que escolher, você terá lindas begônias, que serão uma parte impressionante e vibrante de sua paisagem interior ou exterior.

Escolha a cor das flores de begônia que você preferir. Se você quer plantar sementes, tenha em mente que elas levam cerca de quatro meses para chegar ao estágio de florescimento. A begônia prefere luz filtrada e, portanto, você deve escolher um local em seu jardim que tenha sombra durante a parte mais quente do dia.

Estas plantas são nativas do Brasil e preferem tempos mais quentes. No entanto, elas crescem em quase todos os climas do ano. Durante os meses mais quentes do verão, podem permanecer dormentes, da mesma forma que durante os meses mais frios.

Selecione uma variedade de begônia para plantar
Existem dois tipos gerais de begônias: aqueles cultivadas a partir de sementes e aquelas cultivadas a partir de batatas/bulbos. Begônias cultivadas a partir de sementes tendem a ser um pouco menores e seu desenvolvimento é complicado, enquanto os bulbos dão origem a plantas mais resistentes e maiores. Ambas as variedades vêm em muitas opções de cor, incluindo tons de rosa, branco, roxo, amarelo e vermelho. Begônias de sementes e bulbos são anuais, embora os bulbos possam ser salvos e replantados em anos seguintes.

Se você não estiver a fim de aborrecimentos com bulbos e sementes, visite o viveiro local e escolha uma begônia pequena envasada para transplantar.
* Raramente, é possível encontrar um tipo de begônias perenes, mas essas não são comuns;
* Você também pode escolher começar a cultivar begônias a partir de podas.

Escolha um local
Begônias são uma das flores mais comuns que podem crescer com sucesso tanto dentro quanto fora de casa. Elas gostam de muita sombra, o que faz delas uma perfeita aquisição para um jardim interno. Se plantá-las em um vaso, escolha um local em sua casa onde haja uma janela voltada para o leste, oeste ou sul. Você também pode colocá-las em uma varanda sombreada, que receba bastante luz do dia.

Se vai plantar begônias no jardim, coloque-as num ponto sombreado sob outras plantas maiores ou no lado norte de seu jardim.
* Begônias suportam luz solar parcial, mas evite deixá-las receber luz do sol diretamente;
* Se você não tiver nenhum espaço interno com janela para begônias de vaso, será necessário usar uma lâmpada a fim de proporcionar-lhes um pouco de luz.

Prepare a terra
Em primeiro lugar prepare o vaso onde vai plantar a begônia. A preparação do vaso de forma adequada vai ser decisiva no crescimento e na beleza da sua planta.

Coloque no seu fundo manta bidim (esta vai permitir uma correta drenagem da água e não vai permitir que a terra assim como os nutrientes saiam do vaso juntamente com a água).

Depois adicione uma camada de cascalho de mais ao menos 5 cm de altura.
Em seguida coloque a terra até metade da altura do vaso.

Agora, coloque a begônia escolhida dentro do vaso bem no seu centro. Em seguida acrescente a terra (deixando cerca de 2 cm do vaso sem terra).
Com as mãos aperte e aconchegue a terra junto da begônia pressionando um pouco para que esta se mantenha direita durante o crescimento e as regas

Coloque um pouco de adubo orgânico ou NPK 20-20-29 na superfície da terra (provendo assim mais nutrientes às begônias), mas distante da raiz da planta, em seguida regue-a com um pouco de água (sem muito exagero). Se necessário acrescente um pouco mais de terra.
Coloque o vaso no local da casa escolhido para a sua planta.

Saiba quando plantar.
Begônias são plantas anuais, então elas não voltarão a crescer a cada ano. Portanto, a cada ano replante-as no meio da primavera. Begônias não suportam muito bem temperaturas baixas e geadas, por isso espere até uma semana, pelo menos, após a última geada do inverno para plantá-las. Seja como for, plante-as antes em um vaso dentro de casa e depois transplante-as no jardim quando a temperatura subir.

Prepare seu jardim
Se você estiver plantando suas begônias ao ar livre, cave um buraco com poucos centímetros de profundidade para sementes e bulbos, ou grandes o bastante para cobrir a raiz de uma planta envasada. Begônias que serão plantadas em solo elevado ou vasos precisam de um espaço ligeiramente maior que sua raiz ou em meio a outras plantas num recipiente maior.

As begônias não precisam de um espaço muito grande, na verdade, então sinta-se livre para plantá-las perto de outras plantas em seu jardim, ou perto da beirada do vaso.

Plante suas begônias
Remova bulbos e sementes ou transplante e coloque-as no buraco que você cavou. Cada begônia deve ser posta em seu próprio buraco, embora possam ser dispostas juntas. Cubra o topo da raiz, o bulbo ou sementes com um pouco de terra/substrato. Se for plantar uma begônia pequena, quebre um pouco a raiz antes de colocar a planta no buraco.

Regue a planta
A maioria das plantas precisa de água extra após ser plantada pela primeira vez, a fim de evitar o que é conhecido como ‘choque por transplante’. Regue bastante sua planta de modo que a terra fique úmida mas não encharcada. As flores precisarão de rega a cada poucos dias desde o plantio, seja manualmente ou via um sistema de irrigação. Begônias não toleram regas intensas, então não se preocupe com manter o solo constantemente molhado. Na verdade, se chover intensamente na sua região, você pode ter que deslocar suas begônias para uma varanda ou dentro de casa, para evitar que a planta se afogue.

Conserve seu jardim
Se você plantou suas begônias em um vaso na varanda ou dentro de casa, não será preciso lidar muito com ervas daninhas. Contudo, se suas plantas estão ao ar livre, verifique se há ocorrência de ervas daninhas de vez em quando, e retire-as. Adicione fertilizante líquido de 20-20-20 cerca de uma vez por mês, ou misture um pouco de composto e turfa para mais nutrientes. Você pode cobrir o solo com folhas secas, se preferir, pois isso prende a umidade (o que significa regas menos frequentes) e impede que novas ervas daninhas brotem.

Pode as begônias
Com o tempo, você perceberá que as flores da begônias começarão a apodrecer e morrer. Nesse ponto, você deve iniciar o processo de poda, o que envolve cortar e remover as flores mortas para promover o crescimento de novos botões e desviar os nutrientes para outras partes da planta. Ao final da temporada de florescimento, remova todos os botões mortos e deixe a planta verde. Desse modo, os nutrientes que a planta obtém serão estocados no bulbo para a próxima temporada de crescimento, em vez de sustentar os botões que já estão mortos.

Proteja suas plantas contra pragas
Muito embora plantas de exterior estão sempre correndo risco de abuso da natureza, plantas de interior também podem ser atacadas por pestes. Mantenha suas begônias a salvo de lesmas e caramujos moendo cascas de ovo e espalhando-as ao redor da base da planta. Plantas de interior são frequentemente infestadas de cochonilhas, insetos que podem ser eliminados com spray de álcool isopropílico comum. É possível se livrar de outras pragas com inseticida leve usado para jardinagem. Converse com um funcionário do viveiro local para saber mais sobre o melhor método para proteger suas begônias.

Colha suas begônias
Elas não são tipicamente usadas em arranjos florais porque não têm hastes longas, mas você pode colhê-las paras usos decorativos como arranjos de flores prensadas. Arranque a flor de cima da folhagem, evitando tirar muitas folhas e caule. Você pode colher quantas flores quiser durante a temporada de crescimento, pois elas deverão crescer de volta após muitos dias.

Proteja as plantas do frio
Se suas plantas não estiverem mortas quando começar a esfriar, você pode salvá-las levando-as para dentro. Porém, isso só funciona mesmo com plantas externas envasadas. Coloque os vasos em uma janela que receba bastante sol. Nas primeiras 2 semanas dentro de casa, as begônias deixarão cair muitas folhas, mas isso é normal devido ao transplante. Elas devem ficar bem como se fosse novas após se adaptarem ao novo ambiente.

Salve os bulbos
Quando suas plantas estiverem todas preparadas para o inverno, você pode salvar os bulbos de suas begônias para replantar na primavera seguinte. Espere até que a planta esteja completamente seca, e então tire os caules/folhas maiores do bulbo. Coloque-os sobre uma grelha ou tela em uma área fresca e seca, para secar por 5-7 dias. Quando estiverem totalmente secos, eles podem ser armazenados. Os bulbos devem então ser colocados em uma caixa de papelão cheia de turfa seca até estarem prontos para o replantio na primavera.

Dicas e avisos
* As begônias adaptam-se muito bem a ambientes de interior não muito quentes. Devem ser colocadas em espaços com bastante luz, mas não com luz direta;

* Tenha atenção à rega, esta vai depender do local onde a planta se encontra, da temperatura da casa e do material do vaso escolhido.
No entanto regue-a com mais frequência enquanto se encontra na primeira semana após o transplante, ou seja, na primeira fase de crescimento diminuindo a sua frequência à medida que o tempo passa. No inverno regue-a com menos frequência

* Adube a begônia de duas em duas semanas.

Janela-menina

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


Clerodendrum thomsonae

Trata-se de uma planta trepadeira originária da África,  de ciclo de vida perene, cujos ramos se não controlados, podem atingir vários metros de comprimento.

É uma planta rústica  adaptada ao sol pleno, porém desenvolve-se satisfatoriamente à meia sombra.

A planta floresce o ano todo, porém o pico da floração se dará na primavera estendendo-se até o final do verão.

As flores são tubulares, na cor vermelha, com longos estames, protegidas por cálices, na cor branco pálido, aparecem em forma de grandes rácemos, ou seja, um tipo de inflorescência em cachos.

Clerodendrum thomsonae1

Propagação
- A planta poderá ser multiplicada por sementes, alporquia ou por estaquia feita com as pontas das ramas.

- O método mais utilizado para propagação em escala doméstica é o da estaquia.

- Retirar ramos terminais ainda sem flores com aproximadamente 15 cm de comprimento.

- Enterrar as estacas até a metade em areia umedecida, e colocar em local semi-sombreado.

- Dependendo da disponibilidade poderá utilizar hormônio enraizador.

- A melhor época para fazer a propagação de mudas é a primavera, quando a planta estará em pleno desenvolvimento.

Solo
- Solo rico em material orgânico, arenoso e bem drenado.

Clima
- Planta adaptada ao clima quente e úmido. A planta não tolera geadas.

Regas
- Manter o solo levemente umedecido sem provocar alagamentos.

-Trata-se de uma planta resistente que tolera bem curtos períodos de seca e terrenos salinos.

Nota
- Trata-se de uma planta trepadeira, de caule flexível, de uso puramente decorativo, ideal para se fazer carramanchão.

kt6k7u

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


botrytis3

Se suas orquídea estão com manchas marrons ou pintinhas nas flores, este é o resultado de um ataque causado pelo fungo Botrytis cenerea.

Geralmente ele ataca em épocas de frio e alta umidade e, em locais que tenha baixa circulação de ar.

A doença é mais comum nos gêneros Phalaenopsis e Cattleya, mas também ataca outros gêneros.

E seu aparecimento é mais frequente nas flores mais velhas. Este fungo se restringe apenas as flores. A permanência dele no exemplar, não irá atacar folhas, pseudobulbos, raízes e rizoma. Prejudica apenas a beleza das flores e seu valor comercial.

A disseminação do fungo acontece através do vento, chuva, rega. O fungo pode se espalhar rapidamente entre o tecido das flores, levando menos de 24 horas para se perceber esta evolução.

Conforme a infestação evolui, é percebido aumento na quantidade de manchas e às vezes no tamanho delas.

Como prevenir
- A melhor forma de prevenção é manter o local do cultivo limpo. Não deixe acumular flores secas, folhas e outras matérias orgânicas no chão, pois isso atrai o fungo e facilita a contaminação.

É recomendado que ao primeiro sinal do fungo faça uma higienização do chão com cloro e água.

- Observe a circulação do ar no local de cultivo. Uma suave brisa em alguns momentos do dia (em dias quentes ou frios) é fundamental. Caso isso não ocorra naturalmente, você pode colocar um pequeno ventilador para auxiliar o movimento do ar.

- Na hora da rega evite molhar as flores. A água que permanece nas flores pode favorecer o surgimento e crescimento do fungo.

Evite a rega noturna. Procure molhar sua orquídea no início da manhã, pois é o momento do dia de maior calor e ela se secará antes da queda de temperatura que ocorre naturalmente com o cair da noite.

- Como este fungo ataca também outras flores, faça uma inspeção no seu jardim.

Outras plantas que podem ser atacadas por esse fungo: violetas africanas, Amarílis, alguns tipos de lírios, azaléias, begônias, cactos, camélias, crisântemos, dálias, samambaias, gardênias, flor de maracujá…

Além das medidas preventivas citadas acima, é recomendando, em caso de poucas flores afetadas, o corte da flor e queima (coloque a flor em uma fogueira ou na chama do fogão. Isso matará o fungo!).

Se todas as flores já estiverem afetadas, e você tem a possibilidade de retirar o vaso do contato com as demais plantas floridas, não precisa tirar as flores, pois o fungo não evolui, ou seja, não atacará outras partes da planta. Apenas a afaste das demais e curta a floração.

Você pode utilizar fungicidas específicos para este fungo, mas eu e outros cultivadores não recomendamos. O fungicida é recomendado mais em caso de grandes produtores, para evitar a perda financeira.

O que recomendo é para pequenos cultivadores caseiros, é seguir a prevenção e percebendo o fungo, a retirada manual da flor atacada e isolamento da planta.

É importante fazer, durante todo o ano, a prevenção para evitar o aparecimento deste ou outro fungo nas suas orquídeas.

folhasaovento1

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


pulgoes-em-folha-de-orquidea

Se sua orquídea está com aparência de fraca, com crescimento lento ou sem crescimento algum, ou com folhas enrugadas e distorcidas, saiba que esses são sintomas característicos dos pulgões.

Existem pulgões brancos, amarelados, pretos e esverdeados. Esses pequeninos insetos sugadores são muito fáceis de serem localizados.

Eles andam pelos pseudobulbos, folhas (partes superior e inferior), na base e até nas flores. A reprodução deles é muito rápida e, quando a colônia fica muito cheia, alguns deles migram para outras plantas.

Os pulgões sugam a seiva e os nutrientes da orquídea e podem, em pouco tempo fazer um estrago e até levá-la à morte.

O problema não fica restrito ao fato de sugarem a seiva, mas também, como excretam um líquido melado e doce, atrai formigas e um fungo chamado fumagina.

Procure inspecionar bem suas plantas antes de comprá-las e sempre, sempre, sempre deixe as plantas novas afastadas das antigas. Isso, porque esta é a forma mais comum de trazer pulgões para casa.

É importante também, manter as suas orquídeas afastadas pelo menos um palmo uma da outra, pois se as folhas das orquídeas estiverem próximas, facilita a passagem dos pulgões de uma para a outra.

Quando a planta está muito infestada, parece que alguns pulgões desenvolvem asas para migrarem para outras orquídeas, então tente detê-los nos primeiros sinais, ok?

Como tratar
Primeiro passo é isolar a planta infestada, depois utilize um inseticida (vendido em casas agrícolas) próprio para pulgões.

O tratamento precisa ser repetido mais duas vezes, com intervalo de 7 a 10 dias entre elas. Desta forma, se ficou algum inseto ou ovos, serão exterminados.
Se o caso for de uma ou duas plantas atacadas, você pode fazer uma receitinha natural.

Receitas Naturais:
- Óleo de Neem
Aplique conforme o rótulo. Não é tóxico.

- Calda de fumo de rolo
100g de fumo de rolo picado e fervido em 1,5 litro de água. Depois de ferver, acrescente 1 colher rasa de sabão de coco, pode ser em pó ou detergente de coco. Espere esfriar e borrife nas plantas infectadas. Algumas horas depois ou no dia seguinte, convém lavar com água corrente o substrato do vaso.

- Retirada manual
Podem ser retirados com cotonete embebido em água com detergente ou em óleo mineral.
Podem também ser removidos com fita crepe. Basta aplicar a fita sobre eles, que ficarão grudados. Um mínimo apertão e eles já eram!

Outra opção é mergulhar a orquídea inteira na água que em alguns minutos todos estarão na superfície. Existem várias formas naturais e a imaginação é o limite!

Curiosidade 1
A joaninha é um predador natural dos pulgões. Então, se encontrar joaninhas no seu jardim, fique feliz.

Curiosidade 2
O pulgão excreta um líquido açucarado que atrai as formigas, mas o problema não é só a presença delas, e sim o fato de que elas auxiliam na proteção do pulgão. Como?  Algumas espécies de formigas guardam os ovos dos pulgões em seus formigueiros durante o inverno. Por isso, às vezes, é tão difícil acabar com eles. Na verdade é que os ovinhos não foram destruídos.

Dica:
- Observe se, além dos pulgões, apareceram formigas também. Nesse caso, procure por inseticidas que matem tanto pulgões como formigas.

folhasaovento

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


calceolárias
Trocar uma planta de vaso é uma tarefa imprescindível quando a muda está crescendo rapidamente ou muito grande para permanecer onde está. Para que as flores continuem bonitas e saudáveis, essa tarefa precisa ser desempenhada com cuidado e atenção. Confira algumas dicas:

Regue:
É necessário regar a planta poucos dias antes de mudá-la de solo, pois a umidade da superfície facilita o trabalho.

Remova a planta:
Segure o caule com delicadeza e retire a muda suavemente caso ela deslize com facilidade. Se for difícil removê-la, vire o vaso e bata-o com cuidado num local rígido, puxando-a aos poucos. Se mesmo depois de muitas tentativas a planta não sair, desgrude-a do vaso com o auxílio de uma faca e, caso não seja suficiente, quebre o vaso. Não se preocupe se durante o processo algumas raízes quebrarem. Isso não irá prejudicar o desenvolvimento da planta.

Diminua o solo em volta dela:
Remova em média um terço da terra acoplada na planta.

Acrescente terra ao novo vaso:
Com a ajuda de uma pá ou de outro instrumento de jardinagem, adicione alguns centímetros de terra ao vaso em que a planta ficará – o qual, em circunferência, deve ser no máximo 2,5 cm maior que o antigo – e observe se o nível do solo está adequado, a quase 2,5 cm abaixo do topo do vaso. Se estiver baixo, coloque mais terra no fundo.

Adicione terra ao redor da planta:
Quando a flor estiver plantada, preencha todo o espaço disponível no vaso com mais terra. Pressione bem com a ponta dos dedos ou uma espátula para desmanchar possíveis bolsas de ar presentes entre as raízes.

Dê uma batidinha no vaso:
Bater com suavidade o vaso num local firme auxilia no ajuste do solo e no crescimento das raízes.

Regue mais uma vez:
Molhe o solo da planta até que a água comece a escorrer pelo vaso. Pronto! A troca está finalizada.

janela 70

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


10669064_780536972025025_6903632683371687218_o

Pertencente à família Moraceae e originária de florestas subtropicais úmidas do sudeste da Ásia, a figueira-de-jardim é uma árvore muito decorativa, de folhagem perene a semi-decídua.

De copa densa, arredondada e larga, ela apresenta tronco curto e porte pequeno, sendo que dificilmente ultrapassa 8 m de altura. Apresenta folhas alternas, grandes, de formato ovalado a orbicular e textura fina, com pecíolos longos e nervuras bem marcadas. Suas folhas são vermelhas quando jovens e gradualmente tornam-se verdes.

Os frutos pedunculados são como os figos comuns, que surgem de inflorescências do tipo sincônio, só que nesta espécie são maiores e mais duros. Eles despontam o ano todo nos principais ramos e no tronco, desde a base.

A polpa interna dos frutos é gelatinosa e comestível, muito apreciada pelos povos da Ásia. Pode ser consumida crua ou cozida, em diversos pratos doces e salgados.

Em alguns países ela é também cultivada como forrageira, para aproveitamento das folhas e frutos pelos animais de criação.

10947224_780536975358358_2159479001604581235_n

De crescimento vigoroso, esta figueira é muito exuberante e ornamental, seja pela folhagem larga e tropical, seja pelos frutos curiosos. Ela ganha destaque especial quando planta isolada em gramados bem cuidados.

Envasada, a figueira-de-jardim jovem também pode ser utilizada na decoração de interiores, em ambientes amplos e muito bem iluminados, que recebem a luz difusa ou direta do sol.

Deve ser cultivada sob sol pleno ou meia-sombra, em solos férteis, profundos e enriquecidos com matéria orgânica. Aprecia regas regulares.

10959254_780536942025028_326886926442004149_o

Adapta-se a uma ampla faixa climática, tornando-se caducifolia em climas temperados e de folhagem perene em climas tropicais. É bastante rústica, exigindo pouca manutenção, apenas podas de formação, caso sejam necessárias, e recolhimento dos frutos caídos.

Sua multiplicação é feita por sementes, estaquia e alporquia.

janel15

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.