Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Anneliesia candida

Anneliesia cândida – (ex.: Miltonia candida)
Espécie de grande beleza e fácil cultura. Pseudobulbos achatados de 8 cm de altura, de cor verde-claro, portanto duas folhas estreitas de 15 cm de comprimento. Inflorescência com cinco a sete flores vistosas, de 6 cm de diâmetro. Pétalas e sépalas amareladas, zoneadas de máculas transversais castanhas. Labelo arredondado, anelado e largo, quase ceroso, de cor roxa na parte basal e branca na parte frontal. Floresce em março/abril.

Catasetum pileatum

Catasetum pileatum
Lindíssima espécie da Hiléia Amazônica que vegeta numa altitude entre 100 e 300 metros, em clareiras e a pleno sol. Tem grandes flores de cor branco-leitosa ou amareladas. Labelo em forma de concha, amarelo-claro, dotado de curto esporão na parte interior de cor laranja-avermelhada. Pétalas e sépalas com 5 cm, cujo labelo atinge até 7 cm de comprimento por 8 cm de largura. A coluna apresenta dois cirros assovelados. São conhecidas e disputadas algumas variedades lindas e raras. Floresce no outono.

Catasetum: Gênero classificado por L. C. Richard ex Kunth, em 1822. nome deriva do grego “Kata”, penugem, fimbria, e “Seta”, encrespado, pela forma do labelo de suas flores. Gênero com mais de 300 espécies que despertam muito interesse dos botânicos por apresentarem extraordinário disformismo em suas flores (femininas, masculinas e hermafroditas encontradas muitas vezes na mesma haste floral), e o interessante mecanismo de sua polinização. Suas polínias estão alojadas num caudículo alargado e elástico, esticado sobre uma espécie de cavalete (saliência do epiquilio), que as lança a grande distância, graças aos dois apêndices sensíveis. Bastará que um inseto toque na antena para ela imediatamente se retrair e lançar para fora as políneas.

baptistonia_echinata

Baptistonia echinata
Delicada espécie que vegeta nas Serras do Mar e Mantiqueira, numa altitude entre 300 e 600 metros. Pseudobulbos muito alongados, estreitando-se na base, com 15 cm de altura, portanto duas ou três folhas estreitadas e lanceoladas de cor verde-brilhante. Inflorescência com 25 cm de comprimento, multifloras levemente curvadas em virtude do peso de suas flores. Flores de 2 cm de diâmetro com pétalas e sépalas branco-esverdeadas maculadas de cor castanha. Labelo interna e extremamente de cor amarelo-ouro com estrias púrpuras. Lóbulo central de escuro púrpura-avermelhado. Floresce na primavera.

Baptistonia: Gênero classificado por Barbosa Rodrigues, em 1877. nome dedicado ao etmologista Dr. Baptista Caetano D’A Nogueira, pela passagem de seu centenário. Encontra-se na subespécie Oncidieae. Gênero epífita com a única planta.

Capanemia supérflua1

Capanemia supérflua (ex.: Capanemia uliginosa)
Pequena e linda espécie com aspecto semelhante aos Leptotes, ou a uma pequena Brassavola. Pseudobulbos cilíndricos de 1 cm de altura. Folhas também cilíndricas, espessas, carnosas e levemente acuminadas de 3 cm de comprimento e sulco longitudinal. Hastes florais com oito a doze flores brancas com 3 milímetros de diâmetro e minúsculo labelo amarelo. Existe uma variedade com flores róseas. Suas plantas do sul do Brasil são de maior porte. Sua cultura requer luz e umidade. Floresce entre setembro e dezembro. Vegeta em altitude entre 600 e 800 metros.

Capanemia: Gênero classificado por Barbosa Rodrigues, em 1877. Nome dedicado ao centenário do naturalista Dr. Guilhermo Schuch, de Capanema. Encontra-se na subespécie Oncidieae.

Cattleya amethystoglossa

Cattleya amethystoglossa
Robusta espécie epífita ou rupícola que vegeta num habitat de muita insolação e numa altitude de 900 m. Pseudobulbos cilíndricos e rijos de até 1 m de altura, encimados por duas ou três folhas coriáceas e arredondadas de 10 cm de diâmetro, na cor rosa, densamente salpicadas de istmo de cor ametista. Floresce entre agosto e outubro.

Catasetum fimbriatum

Catasetum fimbriatum
Espécie com pseudobulbos fusiformes de 15 cm de altura. Folhas em número de duas a quatro, elípticas, acuminadas, finas, plissadas, de cor verde-cana e que atinge 30 cm de comprimento. Inflorescências masculinas arqueadas com sete a quinze flores de 3 cm de diâmetro. Pétalas e sépalas verde-amareladas, com leves máculas transversais avermelhadas. Labelo verde-amarelado em forma de leque, com muitas fímbrias longas de cor amarelada. Floresce o ano todo.

Cattleya elongata

Cattleya elongata
Espécie com pseudobulbos eretos, cilíndricos, de até 1 metro de altura, com duas ou três folhas grandes, oblongas, elípticas e coriáceas e que se partem com facilidade. Inflorescências com mais de 40 cm de altura que surgem do meio das folhas, portanto duas ou três flores de 8 cm de diâmetro. Pétalas e sépalas de cor bronze-avermelhadas. Labelo largo em forma de istmo de cor púrpura. Vegeta em campos arenosos alagadiços ou rochas, sob intensa insolação numa altitude entre 500 e 800 metros. Floresce em novembro.

cattleya intermedia

Cattleya intermédia
Espécie bastante encontrada no litoral sul brasileiro, desde o Rio de Janeiro até o Rio Grande do Sul. Planta com pseudobulbos roliços, sulcados e finos com até 30 cm de altura, bifolhados. Inflorescências com três a cinco flores de 10 cm de diâmetro. A planta tem pétalas e sépalas róseas ou brancas e labelo púrpura-carregado. Existem dezenas de magníficas variedades. Sua cultura, que pode ser avaliada como difícil, requer muita luz e umidade atmosférica. Floresce de setembro a novembro.

Cattleya schilleriana

Cattleya schilleriana
Espécie em vias de extinção em seus habitats naturais. Pseudobulbos sulcados e bifolhados. Inflorescências com três a cinco flores de 15 cm de diâmetro. Pétalas e sépalas de cor verde-oliva, matizadas de marrom-bronzeado, salpicadas de púrpura. Labelo profundamente trilobado e reuniforme, com lóbulos laterais exteriormente brancos com matizes purpúreos. Lóbulo frontal grande, séssil, carmesim, com veias e margens brancas e disco amarelo. Vegeta numa altitude entre 300 a 600 metros. Floresce no inverno.

Cattleya tigrina - guttata

Cattleya tigrina (ex- Cattleya guttata)
Espécie com pseudobulbos eretos, cilíndrico, de até 1 metro de altura com duas folhas oblongas elípticas. . Inflorescências com cinco a oito flores de 8 cm de diâmetro. Pétalas e sépalas verde-amareladas, salpicadas de púrpura-escuro. Labelo trilobado com lóbulos laterais exteriormente esbranquiçados. Lóbulo central e frontal papiloso de cor ametista-purpúreo. Tem perfume de baunilha. Floresce em dezembro.

Cattleya: Gênero classificado por Lindley, em 1824. nome dedicado a William Cattley, entusiasta horticultor inglês. Encontra-se na sub-série Laeliae. Gênero exclusivamente americano que congrega cerca de 80 espécies com flores grandes, de invulgar beleza, que possuem quatro políneas.

cattleya_velutina

Cattleya velutina
Espécie também em vias de extinção em seus habitats naturais. A variedade paulistana está completamente extinta, enquanto ainda aparece a variedade paulista, que tem por habitat o Vale do Rio Paraíba, e da variedade Litzeii aparecem sempre alguns exemplares. Esta última variedade apresenta pseudobulbos com 80 cm de altura, cilíndricos e com duas ou três folhas arredondadas e coriáceas. Inflorescências com três a cinco flores de 6 cm de diâmetro. Pétalas e sépalas estreitas e bastante onduladas de cor castanho-ocre, salpicadas muitas vezes de violeta. Labelo largo, reuniforme, de cor branca com veias lilás-azulado com zona marginal ocre-claro. Gosta de locais sombreados. Vegeta numa altitude entre 300 a 600 m e floresce em fevereiro/março.

Cattleya eldorado

Cattleya eldorado
Espécie amazônica encontrada numa altitude entre 100 e 300 m. Pseudobulbos rijos e sulcados de 20 cm de altura, sustentando uma única folha de 30 cm de comprimento, oblonga e bem coriácea. Inflorescências com uma a três flores de 18 cm de diâmetro de cor rosa-pálido, branco ou rosa-lilás. Labelo mais comprido com cores vivas, limbo encrespado e marginado com grande mácula central alaranjada e marginada de cores branca e púrpura. É muito perfumada. Floresce em abril/maio.

38

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.



2 Responses

  1. Orquídeas, paixão que alimenta! Como são belas, Terapeutas de primeira , curam, encantam,embelezam a alma!!!!

  2. #2
    Dr. Zoé Prates Silvério 
    Monday, 5. December 2011

    Parabéns, gostei. Continue.

Comente sobre o post