Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Cultivos e Cuidados’

rosa-do-deserto

Nome Científico: Adenium obesum

Planta originária da África pertencente à família das plantas suculentas, de ciclo de vida perene, floresce praticamente o ano todo, mas em especial na Primavera.

É uma planta de clima quente e árido (deserto), desenvolve-se a pleno sol.

Por ser uma planta típica do deserto, onde as estiagens prolongadas são constantes, na época das chuvas, seu tronco se adapta para armazenar água e nutrientes em abundância, avolumando-se tanto, que deu origem ao seu nome: “obesum”.

As flores têm a forma de taça com grande variedade de cores e nuances, desde o branco ao vinho escuro, passando por diferentes tons de rosa e vermelho, podendo ainda apresentar alguns toques de degrade.

Propagação:
A Planta pode ser propagada por sementes ou por enraizamento de estacas caulinares.
O método mais utilizado é o da estaquia.

Cortar hastes da planta que se deseja multiplicar com aproximadamente dez centímetros de comprimento. A época mais indicada para fazer mudas é o final do verão.

Colocar as hastes em local seco e sombreado, livre de umidade por uma semana, até curar a superfície cortada.

Enterrar as hastes em um substrato preparado com terra vegetal e areia grossa, na proporção de 2:1. Ou seja, duas partes de terra para cada parte de areia.

Observar se os saquinhos para mudas s são dotados de furos para perfeita drenagem de água.

Colocar os saquinhos com as mudas em local que receba luz solar diretamente.

Manter o substrato dos saquinhos com boa umidade sem encharcar.

No inverno a rosa do deserto entra em hibernação, perdendo a maioria das folhas. Diante disso, as regas nesse período, deverão ser reduzidas no máximo duas vezes por semana.

Na Primavera a planta acorda da dormência e começa a emitir folhas e flores em quantidades, então se faz necessário observar se é preciso transplantá-la para um recipiente maior acondicionando melhor as suas raízes.

O verão é a estação em que a planta estará em seu auge, desde que tenha recebido satisfatoriamente, os tratos culturais durante todo o ano.

Notas:
- A rosa do deserto não tolera geadas, nem temperaturas inferiores a 10ºC.

- A rosa do deserto é uma planta resistente por ser nativa de regiões áridas, mas,não tolera excessos de umidade.

- Esta combinação de excesso de água com temperatura baixa, pode apodrecer os tecidos da planta, levando-a a morte.

Observação:
A rosa do deserto poderá até ser cultivada à meia sombra, porém, florações abundantes e vistosas, só ocorrerão se a planta for submetida a pleno sol.

Deve ser plantada em solo arenoso, com ótima drenagem de água, imitando o seu habitat natural que é a aridez do deserto.

As irrigações deverão obedecer a intervalos esparsos e regulares.

As podas para formação das touceiras, deverão obedecer a alguns critérios básicos, para não provocar deformidades nem aquelas cicatrizes no caule tirando a beleza natural da planta.

Sempre que for podá-la, use luvas e óculos de segurança, pois sua seiva é altamente tóxica.

cach6

samambaia-de-metro

Nome cientifico: Polypodium persicifolium
Nome popular: Samambaia chorona

As samambaias se destacam pela beleza, embora não apresentam flores, impressionam pela riqueza de detalhes de suas folhas.

São plantas pouco exigentes, desde que colocadas em locais propícios. São plantas altamente decorativas, pois a tonalidade verde de sua folhagem, e discreta e combina com qualquer ambiente.

Propagação:
Um dos métodos mais utilizados para fazer a propagação das samambaias é através da divisão de touceiras.

Esse método acelera o crescimento da planta, pois a nova muda já está enraizada e pega, naquela fatia de fibra de coco a ser transplantada. E em poucos meses os novos vasos já estarão repletos de folhas novas.

Procedimentos:
Se a planta a ser multiplicada estiver plantada num vaso de xaxim,  é mais fácil: proceda da seguinte forma:

Observar se a planta está toda enraizada e cheia de rizomas e rebentos em toda estrutura da fibra de coco, para planejar o corte da touceira.

Colocar a fibra de coco em uma superfície sólida, para recortá-lo cuidadosamente como se fosse um bolo, observando que em cada fatia deverá permanecer uma boa quantidade de rebentos.

Poderá ser recortado em 4,6 até 8 fatias, dependendo da densificação dos rizomas da planta.

Colocar cada fatia cuidadosamente em um novo vaso, completar com substrato de fibras de coco, misturado com cascas de pinus e pedriscos.

Vaso de barro:
Se a planta a ser dividida estiver plantada em vaso de barro, primeiro é necessário tirá-la cuidadosamente do vaso, para depois fazer o procedimento da divisão da touceira.

Se possível, removê-la com todo o substrato onde a planta está com suas raízes fixas.

Em seguida adotar os mesmos procedimentos acima, ou seja, fazer a divisão e plantar cada pedaço num novo recipiente.

Cuidados:
-As samambaias não gostam de sol quente, nem ventos fortes.

- Procure um lugar de meia sombra, onde não bata o sol forte do meio-dia. Se você mora em casa e tem um puxadinho ou uma garagem fresca e clara, pode apostar que ela vai curtir. Tome cuidado para escolher um canto longe de correntes de vento, que desidratam a planta e fazem as folhas caírem.

- As regas deverão ser feitas sempre que o vaso demonstrar pouca umidade. Mantenha o vaso úmido. Para não ter erro, coloque o dedo na terra: se ele sair sujo, não precisa molhar. Evite regar a folhagem – muitas espécies abortam folhas encharcadas.

- Caso elas estejam colocadas em locais externos, poderão receber sobre as folhas, chuviscos de água através de uma mangueira, uma vez por semana. Ou mesmo através de um borrifador manual.

- As podas consistem em apenas remover as folhas velhas e amareladas.

- A adubação só poderá ser realizada depois que a nova planta já estiver bem pegado. Para que elas fiquem tão verdinhas e lindas quanto na floricultura, misture 2 colher. (sopa) de torta de mamona e 1 colher. (sopa) de farinha de osso e espalhe na terra, a cada 40 dias. Você também pode borrifar as folhas num mês com NPK 20-20-20 e, no outro, com NPK 15-05-30, seguindo as orientações de diluição da embalagem.

-As pragas mais comuns são as lagartas que comem as folhas. Mas essas podem ser catadas manualmente. Contra pulgões e ácaros, pulverize com calda de fumo para afastá-los. Se eles aparecerem na planta, corte as folhas afetadas tentando evitar que a doença se alastre. Para eliminar, só pulverizando com inseticida.

janel8

renda portuguesa

Nome Científico: Davallia fejeensis Hook.

A Renda-portuguesa é uma planta originária da Austrália. A delicadeza das suas folhas destaca essa planta como a rainha das samambaias, preferida por quem ama a natureza. São plantas típicas dos trópicos e existem em grandes quantidades e variedades no Brasil. São plantas de clima quente e ambientes úmidos.

Na natureza elas crescem em ambientes sombreados, nos solos ricos com abundancia de matéria orgânica ou,  nas bainhas das folhas dos coqueiros que imitam o xaxim. Porém, podem perfeitamente ser adaptadas para serem cultivadas em casa, desde que se os tratos culturais sejam semelhantes aos de seu ambiente natural.

A renda portuguesa é uma planta herbácea rizomatosa, de aparência delicada, que se desenvolvem por longos rizomas pilosos na cor marrom escuro, de onde partem as folhas compostas.

Propagação:
- A propagação da renda portuguesa é feita através de estaquia do rizoma.

- Selecionar rizomas saudáveis que apresentam pelo menos duas gemas, ou “borbulhas”, pois são delas que sairão as novas mudas.

- Cortar com aproximadamente dez a quinze centímetros de comprimento.

- Fazer a desfolha do rizoma, deixando apenas as quatro folhas mais novas.

Plantando em vasos:
- Colocar uma camada de cascalho ou brita de aproximadamente quatro centímetros de altura no fundo do vaso, para uma boa drenagem de água.

- Colocar o substrato até a metade do vaso.

- Em seguida colocar o rizoma no centro do vaso e completar com substrato, apertando-o para fixar bem o rizoma.

- O rizoma deverá ser enterrado no substrato, até a sua metade.

- Colocar o vaso em local sombreado, regar sem encharcar e manter o substrato sempre levemente umedecido.

Observações:
- Os rizomas na época da preparação das mudas, devem ser plantados em vasos pequenos, pois a renda portuguesa é lenta no crescimento. Somente depois que ela começar o seu desenvolvimento poderá ser transplantada para vasos maiores.

- o processo de transplante para  outros recipientes maiores, deverão obedecer as mesmas características acima: cascalho no fundo do vaso, etc.

Como cultivar:
- A renda portuguesa se desenvolve perfeitamente em ambientes com boa iluminação, porém sem a incidência direta do sol.

- Podem ser cultivadas em vasos colocados à meia sombra , embaixo de árvores, ou dentro de casa, próximo a janelas, onde há maior incidência de claridade.

Recipientes:
- Os vasos mais indicados  para a renda portuguesa são aqueles que se apresentam com as seguintes características: profundidade rasa, com a boca bem larga, visto que os rizomas da desta planta se desenvolvem quase que exclusivamente, na superfície do substrato do recipiente onde é plantada.

Substrato:
- O substrato para o seu cultivo deverá ser rico em matéria orgânica. Pode ser uma mistura bem homogeneizada de fibra de coco, casca de pinus e esterco animal bem curtido, na proporção de 1:1:1.

Adubação:
- A aplicação de adubo foliar duas vezes por mês.

- Adubação química NPK 10-10-10. Misturar uma colher de sopa, rasa, de adubo granulado na formulação indicada,  em 2 litros de água,  agitar até dissolver por completo os grânulos, em seguida colocar cerca de 1 xícara de chá desta mistura, em cada vasinho.

- Na medida em que a planta for crescendo aumente a dosagem gradativamente, até chegar a um copo americano.

- A adubação química deverá ser feita a cada quatro meses.

barco

samambaias

As Samambaias são plantas lindas e delicadas que podem ser encontradas em milhares de variedades. São bastante fáceis de serem cultivadas, mas são suscetíveis a apodrecimento da raiz, excesso de água e infestação de insetos.

Quer você opte por samambaias em ambientes interiores ou exteriores, elas são uma espécie excelente de planta para cultivar. Com sua folhagem vigorosa e aparência um tanto silvestre, elas provavelmente se tornarão uma de suas plantas favoritas em seu jardim. Como elas vêm nas mais variadas formas e tamanhos, pesquise qual samambaia é a mais adequada para seu clima e ambiente para melhores resultados.

Alguns cuidados devem ser tomados, pois as variedades para esses ambientes são as mais delicadas de todas. Todavia, se a sua intenção é plantar samambaias em um ambiente externo, assegure-se de escolher uma variedade que seja bem adaptada ao clima de sua região, assim ela crescerá e ficará saudável sem maiores problemas.

Todas as samambaias podem adaptar-se a áreas com bastante sombra, mas elas também podem desenvolver-se bem em plena luz do sol. Assim sendo, iluminação não será algo que você precise se preocupar, a menos que você esteja plantando uma variedade com necessidades específicas.

As samambaias devem ser molhadas regularmente caso a água da chuva não seja suficiente. Adube a base das samambaias com dois ou três dedos de adubo orgânico ou folhas mortas para manter as raízes no escuro e úmidas durante algum possível período mais seco. Evite molhar demais sua samambaia, pois isso poderá matá-la em breve – suas raízes poderão apodrecer. Sempre molhe sua samambaia quando a parte superior da terra (em torno de dois dedos) tenham secado completamente, em locais de clima quente a rega deve ser feita pelo menos 3 vezes por semana.

Se bater muito vento no local, a planta pode desidratar com mais facilidade, prejudicando seu desenvolvimento.

Praticamente todas as samambaias crescem bem em um solo que contenha muita matéria orgânica. Elas não devem ficam em um solo muito molhado ou lamacento, pois suas raízes se desintegrarão e matarão a planta. Procure por terra que tenha um conteúdo nutriente alto com drenagem moderada. O solo deve drenar a água sem secar completamente.

Samambaias são também altamente sensíveis a fertilizantes; aplique fertilizante uma vez durante a primavera, quando novos brotos começam a surgir. Nutrir as samambaias com compostos ricos e folhas mortas darão a elas todos os nutrientes que precisão para crescerem fortes e manterem-se saudáveis.

Quando o centro da samambaia estiver mais descoberto, ou as frondes parecerem estar menores, sua samambaia está pronta para ser dividida. Use apenas uma pá de jardinagem para cavar até o centro da planta. Tire uma parte da samambaia que tenha em torno de seis dedos de profundidade, largura e comprimento. Plante esta nova samambaia na mesma profundidade em que estava a planta matriz e regue. Essas plantas são extremamente devagar para brotar novamente após serem transplantadas.

Você pode até achar que acabou matando sua samambaia de alguma forma durante o processo, mas geralmente esse não é o caso. Deixe que a nova plantinha se adapte aos seus novos arredores pelo menos por dois anos antes de determinar se a planta está ou não ainda saudável.

janel15

Tulipas

Dar flores a alguém é um costume muito antigo e usado em diversos países. Algumas espécies de flores nos remetem a boas lembranças.

As tulipas são originárias dos países baixos e da Turquia onde é considerada a flor nacional e nativa, mas foi na Holanda que ela se difundiu e ganhou fama mundial.

Pertencente a família das Liliaceae, as tulipas são classificadas como plantas ornamentais perenes. Atualmente em vários locais pelo mundo elas são cultivadas de maneira hibrida entre varias espécies, com isso sua variedade hortícola se ampliou e podem ser encontradas flores simples ou dobradas, de formas variadas e com uma vasta gama de belíssimas cores.

Em geral as tulipas se adaptam muito bem em interiores, principalmente as que florescemm no período do inverno. Sua altura fica entre 30 e 60 cm, mas pode variar de acordo com a sua variedade.

Estima-se que existam cem espécies de tulipas, a maioria possui folhas oblongas, lanceoladas e ovais, sua haste é ereta e no topo fica a solitária flor formada por seis pétalas.

O período em que a tulipa floresce pode variar, as precoces comuns na Europa, florescem no final de fevereiro até o final do mês de março. As tulipas semi tardias florescem entre março e meados de abril. Já as tardias vão de meados de abril até o inicio de maio.

Em nosso pais cultivar tulipas requer algum trabalho, pois elas não se adaptam ao nosso clima. Quando induzida através de simulações de condições climáticas favoráveis os bolbos são estimulados a rebrotarem.

Lembre-se que as tulipas exigem algum cuidado especial, conserve-as sempre em local fresco e com luminosidade, mas nunca as deixe expostas diretamente aos raios solares e ao vento.

ilha333

avenca

Nome científico: Adiantum capillus veneris
Origem: Nativa do Brasil.

Planta de clima tropical e úmido, nativa das matas brasileiras, onde a umidade e a temperatura apresentam pouca variação durante o ano.
A avenca caracteriza-se pela delicadeza singular de suas folhas compostas de pequenos segmentos, que saem diretamente dos rizomas.

Os rizomas se desenvolvem horizontalmente quase à superfície do substrato. A planta pode atingir altura que varia entre 30 a 40 cm, apresentando um emaranhado de folhas com formas bastante irregulares.

Vegeta perfeitamente bem com temperatura entre 10 e 30ºC.
Planta exigente quanto à umidade.  Fora do seu habitat natural, em dias quentes, é preciso intensificar as regas, inclusive borrifar água sobre as folhas da planta.

Propagação
A propagação da avenca é feita pela divisão da touceira.
- Retirar a planta matriz do vaso, com cuidado para não prejudicar o sistema radicular.

- Com o auxílio de uma faca bem afiada, recortar a touceira com cuidado, separando as mudas que se deseja propagar.

Preparar os vasos
- Distribuir no fundo dos vasos, uma camada regular de aproximadamente quatro centímetros de pedriscos, para facilitar a drenagem de água.

- Distribuir uma camada de substrato até atingir ¾ do conteúdo do vaso.

- Acomodar a muda no centro do vaso e completar com o restante do substrato.

- Fixar as mudas no substrato do vaso, apertando levemente com as mãos.

- Regar a nova planta de forma que o substrato fique uniformemente umedecido.

- Colocar os vasos em locais protegidos de ventos fortes e da luz direta do sol.

- As regas devem ser feitas no substrato.

- Manter a umidade constante.

Substrato
O substrato deverá ser um composto rico em material orgânico.
Misturar na proporção de 1:1, os seguintes materiais: terra vegetal, esterco animal bem curtido, fibras de coco, casca de pinus, areia grossa, de forma que o composto fique homogeneizado e de consistência porosa, para facilitar a aeração das raízes.

Adubação
A avenca não requer adubação com muita freqüência, apenas para reposição de nutrientes. Para adubação, pode ser usado adubo foliar uma vez a cada quinze dias, obedecendo às recomendações do fabricante.

Adubo químico NPK 10:10:10,  dissolver uma colher de sopa, rasa, do granulado em 2 litros de água.  Agitar até dissolver os grânulos. Aplicar de uma a duas xícaras de chá da mistura no substrato, a cada 3 ou 4 meses.

Antes da adubação é necessário umedecer o substrato para que o líquido com o adubo penetre e se espalhe com maior eficiência e uniformidade.

24

Jasmim

A doce fragrância do jasmim faz com que ele seja uma flor muito bem vinda em muitos jardins. A planta se desenvolve bem quando cultivada em um lugar quente, preferivelmente com sol direto. Entretanto, alguma sombra também pode ser benéfica. Um solo bem drenado com fertilidade moderada são os que funcionam melhor com o jasmim. Um solo franco arenoso ou argiloso é também adequado.

O melhor momento de plantar o jasmim é no fim da Primavera ou no Verão, o qeu permite que a planta se estabeleça bem antes que o Inverno chegue. Apenas cuide para não cometer algum dos erros mencionados a seguir, que são muito comuns.

O jasmim requer bastante luz solar direta para que possa crescer bem. Cultive a planta em um local que receba pelo menos cinco horas de luz solar direta diariamente. Se cultivá-lo no interior de casa, coloque o vaso em alguma janela localizada no leste. Luz solar inadequada pode estimular infecção por fungos, como o oídio.

Todavia, exposição a luz solar direta muito forte também é prejudicial. Tome algumas medidas, especialmente durante o Verão, para proteger a planta da luz solar intensa do meio-dia. Caso contrário, folhas e flores murcharão.

Forneça à planta quantidade adequada de água desde a fase inicial de crescimento. Não deixe que a terra resseque entre as irrigações. Pouca água dificultará o crescimento saudável e impedirá o desenvolvimento adequado das raízes. Tente regá-la duas ou três vezes por semana. Tome cuidado para não  dar água demais, o que encharcará o solo. Isso pode fazer com que a raiz apodreça. Diminua a irrigação assim que a planta tiver se estabelecido bem.

Durante períodos de chuva, você não precisa regar muito, mas assegure-se de regá-la bem durante o verão e outros períodos de tempo quente e seco.

Nunca se esqueça de fertilizar a planta regularmente; ela reage bem à aplicação frequente de fertilizantes. Porém evite fertilizantes fortes, pois eles poderão até matar o jasmim. Use um fertilizante moderado, rico em fósforo. Aplique duas vezes ao ano, na Primavera e no Outono. Isso estimulará o crescimento saudável e floração abundante.

Evite plantá-lo em espaços limitados. Isso afetará o crescimento da planta, restringindo a boa circulação do ar e evitando que as raízes e folhas cresçam confortavelmente, além de encorajar infestação de insetos quando a folhagem se torna densa e apertada.

Pode a planta regularmente, em torno de duas vezes ao ano. Isso facilita o crescimento saudável, melhora a circulação do ar e permite que mais luz solar alcance toda a planta. O crescimento mais denso geralmente acontece no centro da planta. Se não for podada, pode acontecer infestação de insetos.

3

Dálias

Origem: México.

As dálias por serem plantas rústicas, deverão ser plantadas a pleno sol. Não é uma planta exigente quanto ao tipo de solo, mas desenvolvem-se com vantagem em solos com boa aeração e ricos em material orgânico, com boa drenagem.

O solo ideal é uma mistura bem homogeneizada de terra com esterco animal bem curtido na proporção de 1:1. Se optar por composto orgânico, este deverá ser misturado com areia, nas mesmas proporções, para que o solo fique mais poroso e apresente drenagem satisfatória.

Potencializam a beleza de suas flores se forem fertilizadas com substrato ricos em potássio. No caso as cinzas de madeira de um modo geral, ou torta de mamona que são ricos nesse componente. Caso a opção for pela adubação química, a fórmula deverá ser NPK 10:10:20

Pelo método de cruzamento entre espécies, conseguiram-se vários híbridos com flores de cores encantadoras e formatos exuberantes. São mais de três mil variedades resultantes de cruzamentos entre espécies.

E o efeito principal desse processo de clonagem, aparece nos jardins, que ganham a cada cruzamento plantas com flores fantásticas, nas cores e nuances entre o branco, o laranja, o vermelho, o vinho, o amarelo, o pink, e etc.

As dálias podem ser reproduzidas por meio de mudas ou por sementes. Porém, são plantas bulbosas, cujas raízes tuberosas servem de matrizes, e esse método de plantar bulbos, caracterizou-se pela grande  praticidade e rapidez em se obter sucesso na multiplicação de novas plantas.

Como plantar, utilizando tubérculos
– Separar os tubérculos da planta que se deseja reproduzir.

- Caso os tubérculos apresentarem médias e grandes proporções, poderão ser cortados em dois, ou quatro pedaços iguais,

- Colocar os bulbos recortados em local ventilados, sombreado, sem umidade e em superfície limpa, por um período aproximadamente de dois dias, até a cicatrização das partes cortadas.

- Plantar em locais definitivos enterrando os tubérculos com profundidade de dez a quinze centímetros.

- Obs. Observar que as gemas apicais dos tubérculos, terão sempre que ficar voltadas para cima.

- Regar o solo sem encharcar, e mantê-lo sempre úmido.

- A brotação ocorrerá a partir de quinze dias.

Cuidados
- Caso a planta esteja desprotegida de barreiras de ventos, há necessidade de fixá-la a tutores.

- Caso a brotação do tubérculo seja vigorosa, haverá a necessidade de se fazer o desbaste nos brotos mais fracos, deixando apenas dois ou três mais robustos.

bird4

ave-do-paraíso

A ave do paraíso é um arbusto tropical única que requer certos cuidados para permanecer saudável. Para aqueles que amam jardinagem e querem uma planta exemplar, com algum tempo e dedicação podem produzir bons resultados a longo prazo.

Originária da África, a ave do paraíso é cultivada em todo o mundo. É uma planta que adora calor, e pode atingir até 2 metros de altura; há ainda uma variedade, a branca, que pode alcançar até 7 metros. As aves do paraíso tem uma grande variedade de cores, incluindo laranja, branco, vermelho, amarelo e rosa.

Quando se trata do ambiente ideal, as aves do paraíso crescerão bem se receberem pelo menos quatro horas de luz solar direta todos os dias. Elas deveriam, entretanto, receber bastante luz o dia inteiro, se possível. Elas preferem climas mais quentes e com alta umidade.

Seguem alguns cuidados para tratar sua ave do paraíso. Ao plantar sua flor, você deve plantá-la em uma mistura de terra preparada, turfa e areia. Você deve também misturar uma boa quantidade de farinha de osso. Essa espécie se dá melhor quando tem sua raiz limitada, por isso é indicado que ela seja plantada em grandes vasos ou tonéis. Você deve plantar a ave do paraíso em uma terra preparada para o plantio, segundo as dicas citadas acima, em um solo um tanto argiloso, imediatamente após a compra.

Sua ave do paraíso precisa de uma drenagem excelente. Mantenha a planta hidratada uniformemente, exceto nos meses de inverno, quando a terra deve ser mantida mais seca. Você deve fertilizar sua planta com um fertilizante apropriado para ela a cada duas semanas nos meses de outono e inverno. Não esqueça de podar sua planta regularmente, ou ela pode facilmente ultrapassar qualquer muro ou cerca de seu jardim. Use tesouras de poda robustas para essa tarefa.

Você pode propagar sua planta tanto por divisão como por sementes. Nenhum desses métodos é difícil. Se você dividir sua planta, ela pode levar até dois anos para alcançar o tamanho de floração. Plantas cultivadas a partir da semente requerem entre sete e dez anos para chegar à primeira flor.

A floração da ave do paraíso geralmente ocorre em sucessão, em vez de apenas uma grande floração. A planta somente florescerá quando estiver madura, e deve ter sua raiz limitada para que isso aconteça. É preciso paciência. Essas flores são polinizadas por pássaros, mas você pode também optar por polinizá-las manualmente.

Uma forma bonita de dispor sua flor é cortar uma delas com uma folha e colocá-la em um vaso de vidro fino e alto. Escolha uma flor que estiver para desabrochar e encha o vaso com dois terços de pedrinhas brancas decorativas (não as coloridas, pois podem prejudicar a flor). Ela durará por volta de três semanas. Troque a água regularmente para mantê-la fresca.

22

As Petúnias

petúnia

A petúnia revela sua beleza o ano inteiro, com flores vistosas que vão do branco ao púrpura, num bicolor único. Em geral, são cultivadas em vasos ou pequenas jardineiras. Cada flor contém cinco pétalas com manchas brancas simétricas.

Sol, água e fertilizante são os três elementos mais importante para a planta ficar ainda mais saudável. A petúnia deve estar sempre bem hidratada. A rega nunca deve ser feita sob o sol quente. Sua flor cresce melhor com o solo sempre úmido, mas não encharcado. Por isso, o vaso deve ter boa drenagem.

Elas podem chegar de 15 a 30 cm de altura e são excelentes para canteiros, vasos, floreiras ou forrações. Devem ser cultivadas em solo fértil, rico em matéria orgânica e bem drenado. As regas são periódicas.

Necessita de luz solar direta (pleno sol) e até apreciam o frio ameno, mas muita atenção com as chuvas fortes, as flores da petúnia costumam rasgar e ficar com mau aspecto, porém, se recuperam com rapidez. Outro cuidado importante é que, sempre quando as flores murcharem retire-as da planta para evitar o surgimento de fungos que provocam o conhecido “melado” nas folhas.

O mais interessante é que as flores passam por hibridação natural (contrário às leis da natureza, seres híbridos são provenientes de duas espécies diferentes) que ocorre no próprio vaso onde está plantada e resulta no surgimento de uma mescla de cores totalmente espontânea.

Mesmo que possam ser plantadas em qualquer época do ano, a propagação das petúnias é feita através de sementes e tem maior nível de floração na Primavera. Algumas outras espécies, um pouco maiores, podem se propagar através de estacas.

1_gif09