Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Paphiopedilum Chamberleinianam Latifolianum

Ao contrário do que se julga, estas flores são fáceis de cultivar.  O cultivo de orquídeas em casa pode ser conseguido se obtiver condições climatéricas necessárias ao seu desenvolvimento. Se possuir a temperatura certa, luz e humidade adequadas estas flores poderão crescer bonitas e saudáveis. Existem diferentes espécies de orquídeas, e cada espécie florescer em alturas diferentes do ano.

As condições ideais para a plantação de orquídeas.
Umidade e calor
As orquídeas de interior também necessitam de umidade e calor. Durante o dia, necessitam de uma temperatura de cerca de 20°C no Verão e 16°C no Inverno. À noite, a temperatura não deve baixar mais de 5°C.
Para lhes proporcionar umidade, coloque-as num tabuleiro com pedras, cascalho ou turfa úmidos. Se a temperatura for superior a 21°C, pulverize as folhas todos os dias.

Luz
As orquídeas necessitam de muita luz para de desenvolverem. Para isso ponha-as junto de uma janela para poderem receber luz solar durante algum tempo. Tenham cuidado para que elas não apanhem muita corrente de ar.
Na época fria de Inverno, coloque as orquídeas epífitas de forma a poderem estar em contacto direto com o sol. Se nos dias de inverno não atingirem pelo menos 10 horas de exposição solar, complemente com luz artificial. As espécies de orquídeas  Lycaste ou Paphiopedilinn não devem ser expostas à luz direta do Sol.

Rega e adubação
Não regue  em excesso  as orquídeas. Faça uma rega moderada, uma vez por semana é o ideal. Para regar as orquídeas epífitas plantadas num cesto suspenso, num tronco ou num feto, deixe o recipiente ou o tronco de molho num balde durante alguns minutos. Durante o Verão, pulverize as orquídeas com um adubo foliar uma vez em cada quatro regas.

Espécies de interior
Aqui estão algumas espécies de orquídeas que se dão bem no interior das casas:

Dendrobium - é uma espécie de orquídea muito disseminada e de baixo preço, devido a sua fácil reprodução. Os novos brotos emanam com abundância com alguma água em época de floração. É um gênero diverso, apresenta cerca de 1190 espécies, a maioria extremamente vistosa. Formam híbridos que podem ser encontrados em uma ampla gama de combinações cromáticas, incluindo branco, amarelo, rosa e vermelho As suas espécies apresentam grandes divergências em relação as seus cuidados. Algumas após o período de crescimento ficam por até um ano em período de descanso.

As orquídeas do gênero Lycaste são plantas que produzem flores cerosas triangulares grandes, duradouras e vistosas. Estas orquídeas distinguem-se pelos seus bolbos arredondados e folhas largas e fasciculadas.

A Coelogyne é um gênero de plantas com aproximadamente 195 espécies que pertence à família das orquídeas. São facilmente reconhecidas por sua robustez e abundantes flores, intrigantes e delicadas, frequentemente de cor creme, mas também brancas, verdes ou alaranjadas, muitas das quais perfumadas durante o dia e que geralmente duram semanas. Dentro deste gênero há a espécie Coelogync cristatci,  que  se adapta muito bem se for cultivada no interior. Esta espécie dá uma flor branca com linhas longitudinais debruadas em dourado.

As orquídeas Paphiopedilum são originárias da Ásia tropical. São apreciadas devido à forma da sua flor e pela duração da sua floração. Este gênero compreende cerca de oitenta espécies, distribuídas desde a Índia à China e às Ilhas Salomão. O número de espécies consideradas aceitas é incerto, podendo chegar a cem, pois varia conforme o taxonomista consultado. Diversas espécies apresentam variedades endêmicas resultantes de seu isolamento populacional pelas diversas ilhas do sudeste Asiático. Algumas dessas variedades são muito próximas da morfologia típica da espécie, outras são apenas variação de coloração, há ainda variações de tamanho ou forma, tornando algumas espécies difíceis de delimitar.

Como fazer o reenvasamento
Metade das espécies de orquídeas são terrestres, reproduzindo-se no solo e metade são epífitas, ou seja, crescem a partir dos troncos das árvores e arbustos. As orquídeas que crescem no solo, são plantadas em vasos com uma mistura que consiga drenar facilmente a água. As orquídeas epífitas precisam de musgo para se desenvolver.

É aconselhável mudar os vasos das orquídeas de dois em dois anos, quando as novas raízes começarem a despontar. Isto normalmente que acontece na Primavera. Corte as raízes mortas ou danificadas e retire com cuidado todos os restos da mistura antiga. No caso das orquídeas epífitas, ponha o pé da planta de molho em água durante alguns minutos e em seguida deixe a escorrer durante meia hora. Ponha uma porção de musgo por baixo do pé e segure as raízes ao tronco ou ao feto com um arame de cobre ou um fio de nylon. Não regue as orquídeas durante 10 dias depois de as mudar, e nas duas semanas seguintes regue-as muito pouco.

Mudas de orquídeas ( plantas novas ) podem ser nutridas com uma colher de chá de farinha de osso a cada mês nas beiradas do vaso, acelerando assim seu crescimento.

Os híbridos são de maneira geral extremamente resistentes, e podem prosperar mesmo em condições adversas de cultivo, crescendo mais rápido que as espécies “naturais” (nativas).

Uma planta depois de florida pode permanecer dentro de casa, perto de uma janela com boa fonte de luz, sempre evitando o sol direto.

Durante esse período, deve-se molhar apenas as folhas e o substrato, dependendo da umidade ambiente, mas com rega bem moderada . Se as flores forem molhadas, a sua durabilidade diminui bastante.

fonte 1

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.



Comente sobre o post