Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Begonia

São plantas essencialmente do gênero Begonia, família Begoniaveae. São, de maneira geral, plantas ornamentais de folhagem característica, e ocasionalmente flores atraentes. O gênero begônia inclui mais de 2.000 espécies e híbridos, de aspecto e hábito tão variados quanto o seu número e é impossível enumerá-los todos aqui.

As begônias provêm principalmente da América tropical, de florestas úmidas ou nichos de umidade das savanas, com muitas espécies epófitas ou rupícolas, embora a maioria seja terrestre.

Algumas espécies apresentam tubérculos subterrâneos que as mantêm vivas por muitos anos, embora a parte aérea normalmente pereça no fim de cada ciclo anual. As assim chamadas “begônias tuberosas” são apreciadas por serem plantas duradouras, que podem ser armazenadas em forma de tubérculos fora da terra durante algum tempo para rebrotar na época apropriada. Outras begônias, mesmo sem tubérculos, podem se tornar espécies bastante longevas, sobrevivendo por décadas mantendo seu viço. Quase todas as espécies se propagam por meio de rizomas.

Algumas são apreciadas principalmente pelas flores, outras pelas suas folhas decorativas e outras ainda pelas flores e folhas.

As folhas das begônias são, sem dúvida, o seu maior atrativo. De forma reniformes, incomuns, e usualmente extremamente coloridas, são muito visadas para canteiros sombreados (onde normalmente as espécies mais apropriadas têm folhagem verde-escura

As flores das begônias são pequenas, ornamentadas por brácteas brancas ou coloridas, que se tornam seu principal atrativo. A maioria das espécies possui brácteas pequenas, ou de colorido pálido que, em contraste com a folhagem, perdem seu valor. Entretanto, certas espécies, como Begonia elatior, Begonia cucullata e Begonia tuberosa são avidamente procuradas por suas flores coloridas, que variam do branco ao vermelho.

begonia-elatiorBegonia eliator

Begonia cucullataBegonia cucullata

Begonia × tuberhybridaBegonia × tuberhybrida

As begônias variam em tamanho, desde a muito pequena, rastejante, à de caule forte e ereto de 2,50 – 3 m de altura. Todas apresentam, no entanto, certo número de características comuns.

Com efeito, quase todas têm folhas assimétricas emergindo alternadamente ao longo do caule e tendo por vezes, na sua base, uns apêndices (estípulas). Além disso, como a maioria é originária de florestas tropicais úmidas, onde cresce em locais sombrios, por isso não apreciam luz forte.

Muitas espécies dão flores em cachos com pedúnculos curtos que emergem das axilas das folhas. Como características comuns, possuem flores unissexuadas, isto é, flores masculinas e femininas separadas.

Cada cacho é normalmente composto de flores de um só sexo. As flores masculinas são geralmente mais vistosas, em parte porque as suas pétalas apresentam formas e tamanhos diferentes, enquanto as da flor feminina se assemelham muito. A característica principal da flor feminina é o ovário trilobado, imediatamente atrás das pétalas. As flores femininas, embora murchando ligeiramente, podem durar semanas ou mesmo meses, mas a flor masculina tem tendência para cair dois ou três dias depois de abrir.

Dado que este gênero é muito vasto, considera-se geralmente dividido em grupos baseados nas diferenças ao nível dos órgãos de armazenamento ou de estrutura das raízes destas plantas. Umas têm raízes fibrosas (como a maior parte das plantas). Um segundo grupo é composto por espécies rizomatosas. Um terceiro grupo inclui espécies de raiz tuberosas, logo com órgãos de armazenamento na base do caule.

Os métodos de cultivo variam de espécie para espécie. De maneira geral, são cultivadas em solos orgânicos, bem drenados, protegidas da luz solar direta e de correntes de ar, irrigadas com frequência.

Begônias de raízes fibrosas e rizomatosas – Cuidados
-
As begônias de raízes fibrosas e rizomatosas que se cultivam principalmente pela sua folhagem precisam de luz forte, mas sem exposição a sol direto. As que se cultivam pela flor e suportam a luz solar requerem três a quatro horas diárias de sol directo.

- A temperatura ambiente normal de interior é a apropriada para plantas em crescimento ativo. As que têm um período de repouso no Inverno devem ser mantidas a cerca de 16ºC, mas nunca abaixo de 13ºC durante esse período. Todas as begônia são afetadas pelo ar seco. Coloque os vasos sobre tabuleiros com seixos úmidos e pendure um prato com água sob os cestos suspensos.

- Regue moderadamente as plantas em crescimento ativo, permitindo que os primeiros centímetros de terra sequem antes de voltar a regar. Durante o período de repouso invernal reduza as regas, permitindo que a metade superior da mistura de envasar seque entre duas regas consecutivas.

- Aplique um adubo líquido nas plantas em crescimento ativo de duas em duas semanas.

- Para o reenvasamente utilize uma mistura de envasar à base de turfa ou uma combinação em partes iguais de mistura à base de terra e terriço de folhas. Para melhor drenagem, coloque uma camada de 2,5 cm de cacos de barro no fundo dos vasos.

- Na Primavera, reenvase as plantas de raízes fibrosas. Quando a planta atingir um volume dificilmente manuseável, substitua anualmente a camada superior da mistura por uma mistura nova de envasar.

- As begônias rizomatosas têm raízes pouco profundas, sendo preferível plantá-las em vasos ou jardineiras. Reenvase as plantas rizomatosas apenas quando o rizoma cobrir toda a superfície da mistura de envasar; faça-o de preferência na Primavera. Desfaça-se de begônias rizomatosas já velhas, trocando-as por plantas novas mais atraentes. Quando envasar ou reenvasar uma begônia, espalhe simplesmente alguma mistura à volta das raízes e sacuda o recipiente com movimentos rápidos para acamar. Não a comprima com os dedos.

Propagação das espécies de raízes fibrosas
-
Obtenha estacas de 7,5-10 cm de comprimento e sem escapes florais no início da Primavera.

- Corte cada estaca imediatamente abaixo de uma folha, retire-a cuidadosamente e mergulhe a ponta cortada em pó de hormonos de enraizamento.

- Plante a estaca num vaso de 8 cm contendo uma mistura umedecida constituída por partes iguais de turfa e areia grossa ou perlite e introduza o vaso num saco de plástico ou mini-estufa.

- Exponha a sol direto velado até que nova rebentação indique que o enraizamento aconteceu (cerca de três a seis semanas).

- Retire o vaso do saco de plástico ou estufa e comece a regar moderadamente e a aplicar adubo líquido uma vez em cada duas semanas.

- Não regue em demasia, especialmente as begônias hirsutas, que apodrecem se forem mantidas num meio demasiado húmido.

- Cerca de seis meses depois do início da propagação, mude a nova planta para um vaso ligeiramente maior com mistura recomendada para plantas adultas e trate-a como tal.

- Muitas destas begônias podem ser propagadas por semente. As sementes são minúsculas e não devem ser enterradas quando semeadas. Misture-as com um pouco de areia fina antes de semear.

Propagação das espécies rizomatosas
-
Corte pontas em crescimento do rizoma de 5-7,5cm de comprimento e trate-as como estacas de caule de espécies de raízes fibrosas. Como alternativa, pode na Primavera, cortar um rizoma em segmentos de 5-7,5 cm de comprimento, tendo cada um pelo menos um ponto vegetativo, e trate as pontas cortadas com pó de enxofre.

- Coloque cada segmento num vaso de 8cm, meio enterrado na mistura para enraizamento ligeiramente umedecida.

- Utilize como mistura para enraizamento partes iguais de turfa e areia grossa ou perlite.

- Coloque cada secção horizontal ou verticalmente, consoante a posição em que o rizoma-mãe se encontrava no seu recipiente.

- Coloque cada porção de rizoma plantado num saco de plástico ou numa mini-estufa e exponha a sol directo velado. As raízes deverão formar-se dentro de quatro a seis semanas.

- Quando duas ou três folhas novas tiverem surgido, descubra a nova planta, reenvase-a num recipiente apropriado com a mistura aconselhada para begônias e a partir desse tempo pode tratá-la como planta adulta.

- Quase todas as begônias rizomatosas podem também ser propagadas na Primavera a partir de estacas de folha.

- Arranque uma folha saudável com um pecíolo de 2,5-5cm e plante-a, com uma inclinação de 45º, num vaso pequeno com a mistura para enraizamento humedecida recomendada anteriormente.

- Encerre o conjunto num saco de plástico ou numa mini-estufa e exponha-o a sol direto velado. O enraizamento deverá ocorrer dentro de duas a três semanas, e várias plantas minúsculas começarão a aparecer de cada folha duas ou três semanas mais tarde.

- Quando cada uma dessas plantas tiver emitido pelo menos duas folhas, reenvase-as separadamente em recipientes de 8 cm contendo a mistura recomendada para begônias adultas. Antes porém de as tratar como tal, umedeça a mistura ligeiramente e volte a introduzi-las num saco de plástico por mais quatro semanas. As plantas aclimatar-se-ão deste modo às condições normais de interior.

As Begônias para vasos são muito delicadas, plantas tropicais, preferem clima quente (entre 20º e 28º) e não gostam de ventos. As Begônias semperflorens de canteiros preferem um clima mais ameno e não toleram bem as chuvas de verão, pois “melam”.

Para plantar a Begônia é necessário que o local seja bem drenado. Prepare uma mistura de 1/3 de areia, 1/3 de terra comum e 1/3 de húmus e pode-se acrescentar também um pouco de esterco de curral.

Se estiver plantada em vaso, atente para transferir para um vaso maior sempre que a planta crescer muito ou dividi-la em vários vasos (nos pequenos suas raízes vão se entrelaçando umas nas outras bloqueando a passagem de água e nutrientes). Uma hora antes de transplantar regue o vaso para compactar a terra e não prejudicar o torrão.

Semanalmente retire folhas e galhos secos e uma vez por ano, na primavera faça uma poda drástica para incentivar a brotação de novos ramos. Corte sempre acima de uma folha e na diagonal.

As begônias são plantas muito apreciadas pela grande maioria das pessoas graças às suas bonitas e coloridas flores e ao verde das suas folhas. Cultivar e propagar begônias não é uma tarefa difícil uma vez que não são necessários grandes cuidados.

Alguns cuidados para cultivar as suas begônias em envasadas
Para começar, você vai precisar dos seguintes materiais: adubo orgânico; cascalho ou areia grossa; mudas de begônias; terra adequada ao cultivo de begônias; vasos com 20 cm de altura no mínimo e com três ou quatro buracos no fundo e tela para facilitar a drenagem da água.

1 – Em primeiro lugar prepare o vaso onde vai plantar a begônia. A preparação do vaso de forma adequada vai ser decisiva no crescimento e na beleza da sua begónia.
- Coloque no seu fundo a tela (esta vai permitir uma correta drenagem da água e não vai permitir que a terra, assim como os nutrientes, escoem do vaso juntamente com a água). Depois adicione uma camada de cascalho de mais ao menos 5 cm de altura. Em seguida coloque a terra até metade da altura do vaso.

- Agora, coloque a begônia escolhida dentro do vaso bem no seu centro. Em seguida acrescente a terra (deixando cerca de 2 cm do vaso sem terra).
Com as mãos aperte e aconchegue a terra junto da begônia pressionando um pouco para que esta se mantenha direita durante o crescimento e as regas.

- Coloque um pouco de adubo orgânico na superfície da terra, mas distante da begônia e em seguida regue-a com um pouco de água (não exagere na quantidade de água). Se necessário acrescente um pouco mais de terra. Coloque o vaso dentro do prato e coloque-o no local da casa escolhido para a sua planta.

Dicas e avisos:
1 – As begônias adaptam-se muito bem a ambientes de interior não muito quentes. Devem ser colocadas em espaços com bastante luz, mas não com luz direta.

2 – Tenha atenção à rega, esta vai depender do local onde a planta se encontra, da temperatura da casa e do material do vaso escolhido. No entanto regue-a com mais frequência enquanto se encontra na primeira semana após o transplante, ou seja, na primeira fase de crescimento diminuindo a sua frequência à medida que o tempo passa. No inverno regue-a com menos frequência.

3 – Adube a begônia de duas em duas semanas.

Begônias dentro de casa
Escolha um tipo de begônia que cresça dentro de sua casa. É importante lembrar que alguns tipos de begônias são cultivados pelas flores de cores vibrantes, enquanto que outras são admiradas pela folhagem única e bela. A maioria das begônias compradas em lojas de jardinagem virá marcada como planta para ambientes internos ou externos.
Converse com um dos funcionários da loja de jardinagem para saber se sua planta crescerá bem dentro de um ambiente fechado.

Plante begônias em um bom solo
-
Quando for colocar as begônias no vaso, você deve manter três fatores em mente: o tipo de solo, o tamanho do vazo e a quantidade de terra a ser usada.

- Quando escolher o material, você quer que o solo seja relativamente neutro ou ligeiramente ácido na escala pH.
- Seu vaso deve ter o mesmo tamanho de sua planta – você quer manter o crescimento de raízes em mente, mas não deseja que o vaso seja excessivamente grande.

- Um vaso grande demais pode acabar recebendo solo em excesso. Quando um vaso obtém solo demais, a terra pode ficar empapada e “afogar” as raízes da planta, matando a begônia.

Coloque as begônias em um lugar onde elas possam receber luz.
Begônias gostam de luz; portanto, coloque-as em janelas instaladas no leste ou no oeste, de maneira que as plantas obtenham muita luz do sol diariamente. Evite janelas localizadas no sul entre fevereiro e Setembro, já que elas não permitem a entrada de muita luz – isso, claro, se você não tiver cortinas que filtram a iluminação.

Se você optar pelo uso de luzes fluorescentes, será preciso colocá-las de 15 a 30 centímetros acima da planta. Você deve manter a luz acesa 12 horas por dia; ainda assim, alguns cultivadores permitem que a luz permaneça acesa por 14 horas. Mantenha em mente que você precisará regar sua planta com maior frequência quando usar luzes artificiais.

Mantenha as begônias aquecidas. Você desejará garantir que a temperatura mínima durante a noite não fique abaixo dos 13°C . Begônias não lidam bem com o frio e sofrerão com as baixas temperaturas.

Regue as begônias cuidadosamente.
- Regue as begônias quando a superfície do solo parecer úmida, mas não empapada. Você deve regar as plantas com maior frequência quando fizer calor, quando a luz for brilhante demais e quando as begônias estiverem florescendo e crescendo. Regue a planta até a água sair dos buracos de drenagem.
- Permita que o solo se seque entre cada regada quando estiver lidando com as temperaturas menores e a iluminação mais fraca dos meses finais de outono e do início da primavera.

- É possível usar água em temperatura ambiente que tenha sido destilada. Você pode usar água drenada de pires e bandejas.

- Borrife água na folhagem de begônias do tipo Rex duas vezes por semana ou forneça alta umidade para evitar a queda das folhas. Use água quente na garrafa de spray.

Fertilize suas begônias.
- Você deve fertilizar suas plantas com um fertilizante solúvel para plantas florescentes uma vez por mês entre Fevereiro e Setembro. Você deve fertilizar suas plantas com menos frequências no final do outono e nos meses de inverno, pois a planta não conseguirá crescer estavelmente durante tal tempo.
- Misture o fertilizante de acordo com as instruções do produto.
- Espere três meses antes de fertilizar caso a mistura para envasar a planta já continha fertilizantes.

Cuide da planta regularmente.
- Você deve remover folhas e flores mortas. Você também deve aparar galhos quebrados para promover o crescimento da planta. Espane as folhas se necessário.
- Remova as pequenas flores das begônias do tipo Rex quando elas começarem a florescer para concentrar as energias da planta na folhagem.

Com estes cuidados, você terá Begônias lindas enfeitando seu terraço ou seu jardim.

221l

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.



Comente sobre o post