Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Trepadeiras e Ornamentais’

hoya carnosa

As flores-de-cera são plantas trepadeiras originárias da China. Elas ganharam esse nome devido ao aspecto das suas flores, brancas ou rosadas, pequenas e de aparência cerosa, que surgem no verão e duram algum tempo espalhando um perfume adocicado.

O cultivo desta planta não é difícil, mas exige alguns cuidados para que perdure e floresça anualmente.

Dicas essenciais para o cuidado da flor-de-cera
Esta planta se dá bem tanto dentro de casa como no exterior, no entanto não suporta temperaturas frias.

O clima ideal para o seu desenvolvimento é o quente e mediterrâneo, pois as flores de cera adoram locais com muita luz, desde que não recebam luz solar direta.

As flores de cera são plantas que têm tendência para trepar, por isso disponha no vaso algumas estacas de galho, coloque-as em vaso suspenso ou cultive-as no exterior junto a uma treliça ou caramanchão.

hoya carnosa

Florescem na primavera e suas flores perduram até ao final do verão. Depois disso dão origem a pequenos frutos vermelhos e redondos. Quando as flores murcharem, não corte os seus pedúnculos, pois será neles que as próximas flores nascerão, espere que as flores secas caiam por si mesmas.

Relativamente à água, esta planta requer um solo úmido mas não encharcado. No verão será necessário reforçar a quantidade de água e regá-la sempre que notar que a terra está seca; no inverno a frequência deve ser diminuída (cerca de 1 vez por mês), para não umedecer a terra em excesso, coisa que esta planta não gosta.

As folhas desta planta são um bom indicativo da quantidade de água que estão recebendo: ao se apresentarem amarelas e com pontos negros, significa que a rega está sendo excessiva; se se tornarem duras e apresentarem manchas, significa que terá de a regar com mais frequência. Para solucionar este último problema vale borrifá-las com água.

flor-de-cera

Se sua flor de cera não está florindo, isso pode dever-se a diferentes causas:
*Ela ainda é muito nova e nos primeiros anos de cultivo não irá florir;

* Está recebendo luz solar em pouca quantidade; mude-a para um local mais quente e iluminado;

* Falta de nutrientes; adube-a na primavera e verão, de 20 em 20 dias, com um produto rico em potássio.

Por último, evite transplantar as flores de cera, elas não se dão bem com essa prática. No entanto, se tiver de ser, prefira fazê-lo menos vezes possível e, de preferência, no inverno.

mar

Campsis radicans

A trombeta-americana é também conhecida popularmente como jasmim-da-virgínia, bignônia-vermelha ou trombeta-trepadeira. Trata-se de uma planta originária do sudeste dos Estados Unidos.

A planta caracteriza-se por suas flores, que são muito vistosas e crescem com uma forma genuína de trombeta, deixando o jardim com diversos tons que vão desde o laranja até o vermelho, encontrando também exemplares cujas flores apresentam uma cor similar ao fúcsia.

Dispõe de espaço suficiente no exterior de sua casa? Então esta espécie pode ser muito adequada para decorar o seu jardim.

Neste artigo uma explicação para você como cuidar de uma trombeta americana.

A floração da trombeta-americana acontece entre o verão e o outono dando lugar a flores amplas, que podem atingir dimensões de 4-5 cm de diâmetro. Isso, em conjunto com a sua folhagem densa, fazem da trombeta americana uma das melhores opções para cobrir superfícies verticais.

Esta planta é perene, possui um caule lenhoso e cresce de forma muito rápida, podendo chegar a uma altura de 10 a 12 m, por isso é utilizada normalmente como uma planta trepadeira.

Campsis radicans_YY

A trombeta-americana pode se adaptar praticamente a qualquer tipo de solo, mas claro que possui as suas preferências. Cresce bem em solos ricos, úmidos e bem drenados, mas também pode se desenvolver tanto em pH ácido como alcalino e tanto em solo argiloso como arenoso.

Quanto ao clima é surpreendentemente resistente, pois às vezes pode chegar a tolerar temperaturas extremamente frias, por isso é uma das melhores plantas para o jardim, pois resiste bem às geadas e permanece vigorosa.

O ideal é que desfrute de uma plena exposição ao sol, pois se por um lado tolera a semi sombra, é uma planta que pode chegar a demorar anos para produzir as primeiras flores e, quando a exposição solar direta se reduz, a floração pode demorar ainda mais.

Apesar de não ser a melhor opção, a trombeta americana também pode ser plantada em um vaso.

Campsis radicans_7

Irrigação da trombeta americana
Para cuidar de uma trombeta-americana temos que ter em conta a sua irrigação. Dependerá da exposição solar da planta, do clima, do terreno e da estação do ano, mas será sempre necessário manter a terra úmida de forma constante.

No verão é preciso regar com frequência e não deixar que a terra seque, pois a planta poderia mostrar sinais de desidratação como decaimento e curvatura na folhagem.

No inverno requer muito pouca irrigação, mas será igualmente importante não deixar a terra secar e prestar atenção ao estado de saúde da planta para ir adaptando a irrigação às necessidades dela.

Tutor
A trombeta-americana é uma planta bastante autônoma quando se trata de trepar, visto que possui raízes aéreas abundantes que crescem desde seu caule lenhoso e que a planta utiliza para se fixar nas superfícies, crescendo especialmente bem em cercas, pérgolas e árvores.

No entanto, inicialmente deve ser fixada com a ajuda de um tutor (colocar ao semear a planta para não a danificar) até que o caule lenhoso se desenvolva o suficiente como para permitir uma expansão e suporte adequados da planta.

Campsis radicans_1

Poda da trombeta-americana
Para cuidar de uma trombeta-americana temos que a ir podando. As bainhas que esta planta possui atraem as aves, que formam ninho na sua folhagem, liberando uma grande quantidade de sementes que germinam sem dificuldade. Por este motivo a trombeta americana pode ser muito invasiva, principalmente fora do seu habitat natural.

A poda deve ser o principal meio de controle desta planta trepadeira e é absolutamente necessária. Devem ser retiradas todas as flores secas para estimular o crescimento das novas e também podar no final do inverno os caules que já floresceram.

Uso de fertilizantes
Quando se trata de utilizar um fertilizante para plantas é sempre recomendável escolher um produto de qualidade, o mais natural possível, pois a contaminação do meio ambiente deve ser sempre considerada.

Do mesmo modo deverão ser seguidas as recomendações de dose fornecidas pelo fabricante de cada produto, pois na atualidade existem inúmeros fertilizantes e a concentração de macro e micro elementos varia de um para o outro.

Desde o início da primavera até meados do verão a fertilização deve ser semanal, durante o resto do ano não é necessário o uso de nenhum fertilizante.

porta jardim

bouganvillia

As plantas dão vida às nossas casas, jardins e terraços, e a sua beleza depende, em grande parte, do cuidado que lhes oferecemos. As trepadeiras, das quais existem múltiplas variedades, são bonitas e muito decorativas. No entanto, merecem alguns cuidados especiais.

Abaixo uma explicação básica de como cuidar de uma planta trepadeira.

Instruções:
1 – É imprescindível que se saiba que você é o responsável por orientar o crescimento da planta trepadeira, portanto, decida onde deseja colocá-la e o espaço que deseja que ocupe. Embora possa parecer óbvio, tenha cuidado e não permita que cresça tampando uma porta ou uma janela. Arames, ramos e flanges serão de grande ajuda para redirecionar a sua planta trepadeira.

2 – No inverno, todas as plantas exigirão alguns cuidados especiais. Certifique-se de prender bem a planta à grade ou parede para que o vento não acabe jogando a planta trepadeira no chão. Além disso, com relação ao frio -e dependendo sempre do tipo de trepadeira- se as temperaturas baixarem muito, estas devem ser cobertas.

Se estas recomendações forem sempre seguidas sobre como cuidar de uma trepadeira, certamente que a planta suportará todo o inverno sem problemas.

3 – No verão, devemos ter cuidado com as altas temperaturas. A própria planta volta-se para o sol, sendo necessário termos cuidado para que não acabe se queimando. Se estiver muito calor, pulverize água sobre os seus ramos para refrescá-la sem abusar. Também não queremos encharcá-la de água.

Para que fique bonita no verão, a recomendação é que se regue a trepadeira pela manhã. Deste modo, ela se manterá úmida durante parte do dia e poderá suportar melhor o calor.

rosa trepadeira

4 – Em relação à primavera, devemos lembrar que é a época em que há mais pragas. Assim, devemos ter muito cuidado para evitá-las. Nunca é demais utilizar remédios caseiros para que a nossa trepadeira não seja atacada por uma praga.

Esta é a estação da poda e, portanto, o momento de dar forma à sua planta. Pense bem como deseja que ela continue crescendo. Aproveite para tirar tudo que não interessa e limpá-la.

5 – No outono é o momento certo para podar para que resistam às mudanças de temperatura do inverno. Assim, durante esta estação devemos diminuir a irrigação, tanto em quantidade como em assiduidade, já que não é necessária tanta água.

Como se pode ver, o cuidado das plantas trepadeira não difere muito do de uma planta normal, e o mais importante é nos responsabilizarmos de que tome a direção adequada.

As trepadeiras se caracterizam pelo fato de utilizarem outra planta ou um suporte para o seu crescimento. O caule fino e flexível das plantas trepadeiras mais comuns costuma se alongar bastante ao longo do tempo levando-as a cobrir a superfície utilizada como apoio. É justamente essa característica que torna as trepadeiras tão populares como elemento decorativo em paisagismo e decoração.

Há diversas espécies de plantas que pertencem ao grupo das trepadeiras, portanto é fundamental avaliar as características da que você escolher para saber se ela é a mais adequada para o seu ambiente. É igualmente importante atentar para alguns cuidados de plantio e cultivo de trepadeiras para que possamos aproveitar o máximo do seu potencial de ornamentação.

Este artigo traz dicas e informações sobre como plantar trepadeiras, além de muita inspiração para você incorporar trepadeiras à ambientação do seu espaço. Confira.

Suzana dos olhos negros - Thunbergia alata

Tipos de plantas trepadeiras
Existem diversos tipos de plantas trepadeiras e, caso você não saibam, as plantas trepadeiras são ótimas flores de jardim e possuem muitos tipos diferentes, desde flores mais simples até as mais rústicas.

Aqui foi selecionado tipos variados em estilos, cores e funções para serem escolhidas entre as plantas trepadeiras a melhor para o que você deseja:

amor-agarradinho
* Amor-agarradinho – Essa planta trepadeira é muito conhecida pelo seu ar super romântico como o próprio nome já diz. A flor mais famosa dela é a rosa, mas também é possível ser encontrada em branco com o formato de coração. Essas plantas trepadeiras gostam de sol e solo rico. Com esses cuidados ela ficará repleta de flores.

mandevilla
* Mandevilla - Esse tipo é ótimo para os mais ansiosos, já que floresce muito desde novinha. É um flor simples e pega bem em cercas e pérgolas. Prefere poucas regas e não suporta muito frio, diferente da amor-agarradinho.

Tumbergia-Azul-
* Tumbérgia-azul - Esse é o tipo dentre as plantas trepadeiras mais famoso, por suas lindas flores rústicas em tom azul, lilás e também em branco. Gosta de sol suave, mas também é resistente. Super fácil de cuidar e de manter. Ótima para cercas, muros e grades.

alamandas01
* Alamanda - Essa planta também é famosa pelo seu lindo tom amarelo nas flores. As alamandas são capazes de florir o ano inteiro. Também possui cuidados mínimos e cria uma linda decoração em muros, cercas e pérgolas, mas precisa estar em um local resistente, pois suas flores podem pesar.

Como escolher a trepadeira ideal
As plantas trepadeiras se dividem em dois grupos principais: herbáceas e semi-herbáceas ou lenhosas. O primeiro grupo é o mais comumente encontrado como parte da composição tanto de interiores quanto de paisagens devido ao seu caule fino e flexível.

As trepadeiras lenhosas possuem caule um pouco mais rígido. Elas também são conhecidas como cipós e costumam crescer enrolando-se no caule de árvores em áreas de clima tropical.

Quando o assunto é como plantar trepadeiras para decoração e paisagismo, é fundamental ter clareza sobre o seu objetivo ao adquirir a planta e avaliar as características da espécie em questão para que ela venha de fato a cumprir as expectativas.

Entre os fatores a se avaliar antes de plantar a trepadeira estão: o modo de fixação da planta, o tipo de suporte adequado para o seu crescimento e o tipo de preenchimento proporcionado.

sapatinho-de-judia

A forma como a planta se fixa é um dos fatores que determina a escolha do suporte utilizado para conduzir seu crescimento. Há diversas opções de suporte para trepadeiras. Entre as mais comuns estão as telas de arame e de plástico, os pergolados e caramanchões.

Essas plantas também variam em relação a sua capacidade em preencher superfícies. Algumas espécies são floridas permitindo que o revestimento natural colorido, outras apresentam apenas folhagens.

Como utilizar trepadeiras na decoração
O principal diferencial das trepadeiras em relação a outros tipos de planta é a sua forma de crescimento. Este fator é muito aproveitado e utilizado como solução de paisagismo e decoração em situações como necessidade ou desejo de cobrir superfícies, disfarçar imperfeições em paredes e estruturas como telhados, arcos e colunas ou criação de áreas verdes sombreadas.

Cada planta possui necessidades de cuidado e manutenção específicos. Portanto, é fundamental pesquisar sobre a espécie que deseja adquirir antes de definir a forma de cultivo mais adequada.

Maracujá - passiflora-loefgrenii-corupa

Trepadeiras gavinhas ou sarmentosas utilizam seus ramos para se fixarem ao suporte de maneira semelhante a um gancho. Ela pode ser utilizada para a cobertura de muros internos e externos, colunas e até outras árvores. Entre as opções de trepadeiras gavinhas estão: amor-agarradinho e o maracujá.

Madressilva -Lonicera-japonica-08

Trepadeiras volúveis acompanham a forma do suporte a medida que crescem. Elas se enrolam à estrutura de maneira semelhante a um fio de telefone enrolado em um dedo. O plantio bem-sucedido precisa ser feito com ajuda de um suporte adequado como uma tela ou fio que possibilite o seu crescimento.

Elas são excelentes como cobertura para arcos, colunas, treliças e partes de telhados. Alguns exemplos são a tumbérgia-azul, sapatinho de judia e a madressilva.

bouganvíllia amarela

Trepadeiras de raízes adventícias como a hera e a unha de gato se fixam diretamente ao suporte através de raízes secundárias. O recomendado é que a superfície em questão seja porosa e áspera de modo a estimular a fixação da planta. Trepadeiras desse tipo são excelentes opções de revestimento total para muros e fachadas.

Arbustos escandentes como a bougainvíllia e a alamanda não são trepadeiras em si. Elas precisam ser conduzidas ou atadas ao longo da estrutura de suportes como caramanchões e pergolados à medida que crescem, já que não apresentam órgãos fixantes próprios. Esse tipo de planta é ideal para a construção de áreas sombreadas de aparência natural em jardins e áreas de lazer.

De um modo geral, as plantas trepadeiras demandam cuidados de manutenção comuns à maioria das plantas. O ideal é que o plantio seja feito em local ensolarado. Caso a trepadeira seja plantada no exterior como revestimento de parede ou outro detalhe do cômodo é fundamental escolher um local que receba a luz solar, mesmo que de forma indireta.

A rega pode ser feita em dias alternados, mas com menos intensidade durante o inverno. Durante os períodos mais quentes, ela pode ser regada todos os dias. É fundamental atentar para a distância entre as mudas da trepadeira quando o objetivo é utilizá-la como preenchimento total. Essa distância costuma variar bastante de uma espécie para outra. Portanto, é fundamental avaliar as características da trepadeira que deseja adquirir.

ora-pro-nóbis ( Pereskia aculeata)

Cuidados e decoração
As plantas trepadeiras, ao contrário do que muitos dizem, tem um crescimento controlável. Não há nada que uma boa poda e cuidados básicos não resolvam para mantê-la sempre linda, saudável e carregada de flores.

Por isso, as plantas trepadeiras são ótimas para todos os estilos, desde jardins grandes até os menores com uma boa iluminação adequada e um solo fértil. Para as plantas trepadeiras, é necessária uma rega periódica e as podas podem ser feitas com cuidado, conforme forem crescendo.

No começo, ela pode parecer que vai demorar para desenvolver e decorar, fazendo você pensar que nunca irá conseguir esconder aquele muro ou pérgola, mas é só questão de tempo que ela irá invadir, no bom sentido, a sua casa.

Como tudo que envolve a natureza, é necessário ter paciência e respeitar o crescimento de cada uma, para depois sentar e admirar as belas folhagens e flores penduradas.

Com as plantas trepadeiras, o seu jardim ganhará vida e cores lindas, fazendo qualquer um que passar ou entrar na sua casa babar por elas.

gaivotas

Rosa-de-Madeira-Ipomoea-tuberosa-1

Trepadeira do tipo cipó, pertencente à família Convolvulaceae, nativa das regiões tropicais das Américas, África e Ásia, perene, muito vigorosa, de crescimento rápido. No Brasil, ocorrem nas bordas de matas e em clareiras das formações florestais da mata atlântica e florestas semideciduais, aparecendo com alguma raridade nos estados da Bahia, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo e Paraná, Brasil.

São lianas ou trepadeiras volúveis (que cresce e se enrola sem direção), perenes, e com ramos bastante ramificados desde a base, com cipós que crescem por 10 ou mais metros de comprimento.

Os ramos mais novos são cilíndricos, verdes escuros e se feridos deixam escorrer látex incolor; os ramos mais velhos são lenhosos e tem coloração castanho escura.

As folhas são alternadas, membranáceas (textura delicada), palmadas com 6 lobos ou recortes profundos, fixada sob pedúnculo marrom avermelhado de 8 a 15 cm de comprimento. Têm lobos ovados (como ovo), são oblongos (mais longo que largo) e com ápice curto acuminado (ponta curta), medindo 4,5 a 9 cm de comprimento por 1,8 a 2,7 cm de largura.

hipomeiatuberosa

rosa-de-madeira

As flores surgem em inflorescências axilares e dicasiais (com uma flor terminal após produzir 2 ramos ou flores laterais) com pedúnculo (haste ou suporte) de 10 a 15 cm de comprimento. São flores grandes, de cor amarela, campanuladas (como sino) na base, com sépalas ligadas e homogenias medindo 2,5 a 3,8 cm de comprimento.

Os frutos são do tipo cápsula com brácteas de proteção grandes do tipo e coloração de palha seca de milho. No centro se encontram de 1 a 4 sementes pretas angulosas de 1 a 1,5 cm de diâmetro, com superfície pilosa e aveludada.

merremia

Dicas para cultivo
É uma de trepadeira de crescimento rápido que resiste a baixas temperaturas (até -2ºC), vegeta bem desde o nível do mar até altitudes superiores a 1.000 m. O solo deve ser profundo, úmido, neutro, com constituição arenosa ou argilosa (solo vermelho). É preciso plantas no mínimo 2 plantas para uma melhor produção, visto que a planta requer polinização cruzada.

Convém fazer parreira com no mínimo 6 ou 7 m de distancia de outras plantas, porque essa espécie cresce vigorosamente e pode sufocar plantas que estiverem muito próximas. Essa espécie começa a produzir com 2 anos após o plantio.

Propagação por sementes
As sementes são angulosas e conservam o poder germinativo por até 2 anos se forem guardadas secas e limpas em embalagens escuras. As sementes podem ser plantadas (1 ou 2 por embalagem) em saquinhos individuais com diâmetro mínimo de 10 cm e altura de 22 cm, que devem ser preenchidos com substrato composto de 40% de terra vermelha de superfície, 20% de areia saibro e 40% de composto orgânico bem curtido.

Germinam em 15 a 30 dias e as mudas atingem 40 cm de altura em 3 a 4 meses, ocasião em que já podem ser plantadas no local definitivo. Tanto na fase de plantio como na face de crescimento, os saquinhos com sementes ou mudas devem ficar em pleno sol e receber irrigação suave uma vez por dia.

Merremia_Tuberosa2_

Como plantar
Plantar no mínimo 2 plantas para que haja polinização cruzada e boa frutificação. O espaçamento mínimo entre plantas é de 5 x 5 m, onde deve ser abertas covas de 50 cm de profundidade, 40 cm de comprimento e 40 cm de largura.

Os 30 cm da terra de superfície deve ser reservados e adiciona-se 500g de farinha de osso ou 300 g de calcário, mais 1 kg de cinzas e 10 kg de matéria orgânica bem curtida, misturando bem todos os componentes, deixando curtir por no mínimo 2 meses. Nesse período uma parreira deve ser construída com o uso de 6 mourões ou poste de concreto que tenham 2,20 m de comprimento.

Os mesmos serão fincados numa distancia de 3 m de largura entre filas e 2,5 m entre mourões. As covas para se fincar os mourões devem ter 60 cm de profundidade de moto que sobre 1,60 na altura, aonde na cabeça dos mourões deve ser amarrados e prega dos arames que vão tutorar os galhos trepadores.

Depois que os arames das bordas e centrais forem bem fixados, deve-se fazer uma malha passando arames nº 18 a 40 cm de distancia no sentido do comprimento e largura, dando uma volta ao cruzarem entre si. Depois de pronta a parreira, chegou a hora do plantio que deve ser feito em outubro a novembro, ocasião em que se deve fincar uma taquara que leve o cipó até a rede de arames. A medida que o cipó crescer esse deve ser amarrado até que alcance os arames.

Ipomaeatuberosa[2]

Como cultivar
É uma planta de rápido crescimento e surgem vários brotos ou galhos na base da planta, devendo podá-los e conduzir 2 ou no máximo 3 cipós até os arames, depois a própria planta vai ocupar toda a rede de arames.

A poda de condução deve ser feita no primeiro ano de plantio, sempre eliminando os brotos ladrões que nascerem no caule principal ou aqueles que a partir dos arames estiverem crescendo para baixo em direção ao chão.

Após 5 anos de plantio convém fazer uma poda drástica de todos os raminhos que estiverem enrolados na rede da parreira, deixando somente os ramos principais com diâmetro superior a 1,5 cm para que uma nova parreira seja formada. A adubação é feita com 4 kg de composto orgânico bem curtido + 20 gr de N-P-K 10-10-10 nos meses de novembro e dezembro, distribuíndo-os a 30 cm do tronco.

ipomeia

Frutifica nos meses de maio e setembro. Em chácaras ou jardim a planta pode ser conduzida sobre estruturas semelhantes a quiosques com armação de arames visando uma bela cobertura natural visando produzir sombra. Também pode ser plantada em quintais de grandes cidades na beira de muros onde se pode fazer uma malha de arame para tutorar a planta dando um tom de verde a paisagem e produzindo nutritivas castanhas.

Para utilizar os frutos basta quebrá-los manualmente para retirar as sementes que devem ser postas para secar no sol por 1 dia inteiro. Depois as sementes podem ser torradas e moídas para fazer um tipo de bebida semelhante ao café. Os frutos secos podem ser envernizados e utilizados como enfeite. As flores e a planta são muito ornamentais e as flores produzem néctar para abelhas.

ruachuvosa