Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Trepadeiras e Ornamentais’

Hedera-canariensis

Hera é uma planta tão flexível como seus ramos: sobe quando tem apoio, desce quando é de espécie pendente; é encontrada com folhas com formas e cores diversas.

A hera é uma planta muito fácil de cuidar. Praticamente tudo o que você quiser fazer com ela, desde que regando e adubando certinho, sua hera obedecerá e crescerá feliz e verdinha.

Isso porque você pode encontrar uma quantidade bem grande de espécies, cultivares e híbridos de heras:

Hedera helix "Mona Lisa"

Hera-dedo-de-moça (Hedera helix “Mona Lisa”), com suas folhas dentadas

Hedera helix "Glacier"

Hera-variegata (Hedera helix “Glacier”), de folhas largas e com estampa “camuflada”

Hedera algeriensis "Gloire de Marengo"

Hera “Gloire de Marengo” (Hedera algeriensis “Gloire de Marengo”), com contornos amarelos

Hedera helix "Tear Drop"

Hera-coração (Hedera helix “TearDrop”) e seu formato de coração

Afinal, a hera é pendente ou trepadeira?
Na verdade essa planta é uma forração, ou seja, a hera gosta de espaço e cresce no solo, se esticando em todas as direções. Mas, se quiser cultivá-la como planta pendente, basta plantá-la em um vaso e pendurá-la: seus ramos crescerão como longas cabeleiras. Se quiser que ela “suba”, uma treliça ou outra armação pode servir de tutor para que a hera cresça de forma ascendente.

É uma planta que pode ser cultivada em ambiente de sombra, meia-sombra e até mesmo, num local com um pouco mais de sol – só não vale aquele sol forte. Se quiser colocar sua hera numa área mais ensolarada, faça a chamada “rustificação”. Apresente a planta gradativamente ao ambiente de sol, para não queimar suas folhas.

Heras crescem felizes em locais com boa claridade, mas não abuse. Não deixe a plantinha longe da janela ou trancada em um quarto que vive com a cortina fechada – ou pior – num lavabo.

HederaHelix Variegata

Hera variegata
Um dos charmes da hera são suas folhas variegatas (ou variegada). Isso é uma característica de algumas plantas terem folhagens com manchinhas mais claras, quase brancas.

Não é um “defeito” e sim, uma característica: a planta se desenvolve normalmente. Imagine um arranjo com várias heras diferentes, indo do verde mais escuro ao branco, passando para bordas amarelas e detalhes em tons bem clarinhos.

Como cultivar a hera
Para cultivar heras, prefira vasos rasos ou cuias. Substrato muito encharcado acaba apodrecendo as folhas e raízes, por isso, evite usar potes ou vasos muito altos. Quando bem cuidada, a hera cresce vigorosa e feliz, se estendendo por onde consegue espaço.

Se chegar num tamanho bem longo, talvez sua hera precise de uma poda dos ramos. Aproveite esses pedacinhos para fazer novas mudas da planta. Isso porque, em cada segmento onde nasce uma folha, existe, na parte oposta do caule, uma formação que pode originar uma raiz.

Tudo que essa formaçãozinha precisa é tocar um substrato, sentir que ali existe um pouquinho de umidade e pronto! Raízes surgem e uma nova planta se origina desse tico de ramo.

Prepare alguns vasinhos com substrato para mudas bem macio e de boa qualidade. Nesse substrato, espete só um pouco a ponta do ramo da hera. Corte os segmentos dos ramos bem próximo de uma folha e mantenha outra. Em três semanas, as heras começam a enraizar.

Dica: se tem crianças ou um cachorro mais xereta, coloque a hera em vasos mais altos. A planta é tóxica, então, deve ser cultivada fora do alcance de mãozinhas e bocas curiosas.

Tem gato? Pendure sua hera lá no alto e está tudo bem. Mas, nem tem como ficar chateado com essa planta tão bacaninha: mesmo tóxica, a hera serve de base para xaropes fitoterápicos contra a tosse.

florestachuvosa

sapatinho-de-judia

Pertencente à família Acantaceae, a, popularmente chamada de sapatinho-de-judia, é uma espécie trepadeira a que pode medir até 6 m que tem como principais característica as suas delicadas flores amarelas e acobreadas.

A espécie que tem origem na Índia é vigorosa, florífera, com folhagem persistente e ornamental. E Originária da Índia, na Ásia,. Esta planta é persistente e pode embelezar os jardins mesmo durante o verão.

Ainda mais esplêndida quando cultivada a pleno sol, esta planta é constantemente usada em jardins verticais e caramanchões, já que as suas lindas flores contrastam perfeitamente com o verde escuro de suas folhas.

Porém, fique de olho: como elas crescem muito há a necessidade de espaço e sustentação.

sapatinho

Tem folhas em tom verde-escuro e flores em formato de um sapatinho, por isso o nome popular. Apresenta o cálice na coloração purpúrea, duas brácteas acobreadas e o inferior amarelo. Floresce geralmente na primavera e no verão.

O sapatinho-de-judia é cultivado a pleno sol. As flores da espécie são um grande atrativo para os beija-flores, que tornam-se visitantes comuns da planta.

Quem cultiva essa espécie em seu espaço, não se cansa de avistar as cenas incríveis. Para garantir uma muda, é necessário utilizar o método de estacadas. Vale cortar o caule o seu após o florescimento.

Esta trepadeira não pode ser mantida em ambientes com temperaturas baixas, por isso, evite plantar a sua nas estações mais frias. O solo escolhido deve ser rico em matéria orgânica e conter boa drenagem.

sapatinho

Vale regá-la duas vezes por semana após o plantio. Quando adulta, pode ser molhada quinzenalmente.

Os períodos de floração da espécie ficam entre setembro e janeiro. Para evitar fungos e outras pragas, lembre-se de cuidar com a quantidade de água depositada em sua terra.

Esta espécie não tolera temperaturas baixas, sendo, portanto, mais indicada para regiões tropicais.

Faça o teste de toque, colocando o seu dedo na superfície. Se estiver encharcada, comece a diminuir as doses de líquido e a mantenha em ambiente arejado.

Multiplica-se com facilidade por estacas, principalmente quando cortadas após o florescimento.

cerejeira

Podranea_ricasoliana

A Podranea ricasoliana, mais conhecida como sete-léguas, é uma planta trepadeira que justifica seu apelido pela rapidez de seu crescimento, apresenta ramos longos e ramificados, que podem chegar a 10 metros de comprimento.

É uma planta nativa da Austrália. A sua floração ocorre durante o ano todo, mas essa espécie tem preferência ao sol pleno da primavera e verão.

Suas inflorescências despontam nas extremidades dos ramos, formadas por flores grandes no formato de uma trombeta, de coloração rosa com estrias avermelhadas, são perfumadas.

Para cultivar a Podranea ricasoliana, o local escolhido precisa ter o solo fértil, drenável e enriquecido com adubo ou matéria orgânica.  O clima precisa ser quente e o solo deve permanecer úmido nos primeiros meses de crescimento.

Aceita podas anuais no inverno, que controlam o crescimento da folhagem e estimulam uma floração mais intensa.

sete-leguas

Os ramos da sete-léguas são muito flexíveis, e ao encostarem ao solo produzem rapidamente novas raízes e ramificações, tornando-a ideal para revestimentos de taludes, muros, cercas e pergolados. Mantenha a planta sempre apoiada em suportes fortes e grandes.

Para plantar, abra buracos duas vezes maiores que o torrão. Adicione 300 gramas de adubo animal e, no fundo da cova, coloque um pouco de areia para garantir a drenagem.

Aprecia solo úmido, mas não encharcado, não descuidar da rega quando a planta for jovem, depois de adulta tolera um pouco mais estiagens não prolongadas.

podranea-ricasoliana

No plantio incorporar na cova 20 litros de esterco de gado bem curtido e 100 gramas de superfosfato, ou, se preferir utilizar adubo mineral, aplicar 10 colheres de NPK 4-14-8.

Adubar no fim do inverno com composto orgânico e farinha de osso e na primavera-verão com adubo mineral NPK 4-14-8.

A sua multiplicação é por estaquia, mergulhia e raramente por sementes.  Evite a plantação da planta perto de telhados – o seu crescimento ela pode causar o afastamento das telhas.

janela-flor

hedera-1

A hera é uma espécie de planta angiosperma trepadeira do gênero Hedera da família Araliaceae. É natural da Europa Central e Ocidental.

É também conhecida por muitos como trepadeira , por se agarrar às diversas superfícies para crescer e se sustentar, é uma planta que poderá plantar no interior do seu apartamento. É geralmente utilizada para revestir paredes, muros ou árvores, mas também é popular como planta ornamental dentro de casas.

Embora muitas pessoas as vejam como verdadeiras pragas, a verdade é que estas lindas plantas não são de todo parasitas, uma vez que embora se possam apoiar em outras plantas ou troncos de árvores, elas não usam a seiva como alimento.

No entanto é preciso tomar cuidado ao usar esta planta, pois o contato com a seiva pode provocar dermatite alérgica e provocar incômodo. Também os seus frutos e folhas não devem ser consumidos, visto que também são tóxicos para pessoas e alguns animais.

Você pode encontrar uma quantidade bem grande de espécies, cultivares e híbridos de heras:

hera helix mona lisa

hera-dedo-de-moça (Hedera helix “Mona Lisa”), com suas folhas dentadas;

hera glacier

hera-variegata (Hedera helix “Glacier”), de folhas largas e com estampa “camuflada”;

Hedera algeriensis Gloire de Marengo

hera “Gloire de Marengo” (Hedera algeriensis “Gloire de Marengo”), com contornos amarelos;

Hedera helix TearDrop

hera-coração (Hedera helix “TearDrop”) e seu formato de coração.

Hera é pendente ou trepadeira?
Essa planta é uma forração, ou seja, a hera gosta de espaço e cresce no solo, se esticando em todas as direções. Mas, se quiser cultivá-la como planta pendente, basta plantá-la em um vaso e pendurá-la: seus ramos crescerão como longas cabeleiras.

Se quiser que ela “suba”, uma treliça ou outra armação pode servir de tutor para que a hera cresça de forma ascendente.

É uma planta tão gente boa, que pode ser cultivada em ambiente de sombra, meia-sombra e até mesmo, num local com um pouco mais de sol – só não vale aquele sol forte.

Se quiser colocar sua hera numa área mais ensolarada, faça a chamada “rustificação”. Apresente a planta gradativamente ao ambiente de sol, para não queimar suas folhas. Heras crescem felizes em locais com boa claridade, mas não abuse.

Não deixe a plantinha longe da janela ou trancada em um quarto que vive com a cortina fechada – ou pior – num lavabo!

hera variegata

Hera variegata
Um dos charmes da hera são suas folhas variegatas (ou variegada). Isso é uma característica de algumas plantas terem folhagens com manchinhas mais claras, quase brancas.

Não é um “defeito” e sim, uma característica: a planta se desenvolve normalmente. Produtores especializados selecionam as plantas com essa característica e as cultivam, possibilitando uma variedade de tons. Imagine um arranjo com várias heras diferentes, indo do verde mais escuro ao branco, passando para bordas amarelas e detalhes em tons bem clarinhos.

Como fazer mudas de hera
Para cultivar heras, prefira vasos rasos ou cuias. Substrato muito encharcado acaba apodrecendo as folhas e raízes, por isso, evite usar potes ou vasos muito altos. Quando bem cuidada, a hera cresce vigorosa e feliz, se estendendo por onde consegue espaço.

Se chegar num tamanho bem longo, talvez sua hera precise de uma poda dos ramos. Aproveite esses pedacinhos para fazer novas mudas da planta. Isso porque, em cada segmento onde nasce uma folha, existe, na parte oposta do caule, uma formação que pode originar uma raiz.

Tudo que essa formaçãozinha precisa é tocar um substrato, sentir que ali existe um pouquinho de umidade e pronto! Raízes surgem e uma nova planta se origina desse tico de ramo.

Prepare alguns vasinhos com substrato para mudas bem macio e de boa qualidade Nesse substrato, espete só um pouco a ponta do ramo da hera. Corte os segmentos dos ramos bem próximo de uma folha e mantenha outra. Em três semanas, as heras começam a enraizar.

Dica: se tem crianças ou um cachorro mais xereta, coloque a hera em vasos mais altos. A planta é tóxica, então, deve ser cultivada fora do alcance de mãozinhas e bocas curiosas.

Tem gato? Pendure sua hera lá no alto e está tudo bem. Mas, nem tem como ficar chateado com essa planta tão bacaninha: mesmo tóxica, a hera serve de base para xaropes fitoterápicos contra a tosse.

janela-brisa