Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Sem categoria’

ervas

Você não precisa ter um grande jardim de ervas para produzir uma variedade de sabores interessantes de suas plantas. Um vaso de ervas simples pode fornecer muitas plantas interessantes para incrementar a sua cozinha e criar um espaço verde à mão para um pequeno jardim, cozinha ou pátio.

Para fazer o vaso de ervas será necessário os seguintes materiais:
* argila expandida
* jardineira ou vasos com buracos no fundo
* manta
* substrato
* luvas
* pá
* terra
* as mudas

Em primeiro lugar escolha suas ervas, ao fazer um vaso de ervas, é essencial ter uma boa variedade de ervas e plantas companheiras que ajudarão em suas atividades culinárias.

temperos

Vamos agora ao passo a passo de como montar o vaso de ervas.
Primeira etapa:
Pegue o vaso (jardineira) e coloque no fundo a argila expandida. Uma cama bem fina e bem espalhada em toda dimensão do recipiente.

Segunda etapa:
Agora, pegue a manta (bidim) e cubra toda a argila. Não deixe nenhuma parte de fora.

Terceira etapa:
Agora é hora de encher com a terra, que tem que ser bem fofinha e enriquecida. Coloque terra suficiente até a borda.

Quarta etapa:
É hora de colocar uma erva de cada vez na jardineira, vá colocando e montando como você achar mais bonita esteticamente.

Passo-a-passo vaso

Veja uma segunda idéia de como montar um vaso de ervas
Vamos agora saber de uma segunda maneira de montar um vaso de ervas. Você mesma poderá fazer o seu próprio vaso, seguindo cada uma das etapas abaixo.

O primeiro é separar sete mudas bem saudáveis para montar a sua jardineira, o ideal é que elas sejam do mesmo tamanho.
1 – Comece pegando um vaso de barro, o material ideal para fazer o vaso de ervas, de preferência, ele deverá ser revestido de plástico na parte interna e terá que ter um furo no fundo. Esse furo é de extrema importância para fazer a drenagem da água.

2 – Para não entupir o furo ele deverá ser coberto com um caco de telha.

3 – O próximo passo é colocar uma camada de argila expandida ou pedriscos, essa parte deve ser de pelo menos 3 cm.

4 – Para completar, coloque por cima dos pedriscos, uma fina camada de areia de construção. Elas devem cobrir completamente as pedras.

5 – Chegou a hora de colocar terra, sobre a areia, que deverá ser muito fértil e bem porosa. A boa terra é aquela que é orgânica ou que pelo menos tenha muito húmus de minhoca. Para que não haja compactação da terra é necessário colocar um pouco de areia nessa mistura.

6 – Agora sim, pode colocar as mudas de ervas, lembre-se que elas devem ser plantadas deixando da borda do vaso pelo menos um dedo.

7 – Alguns detalhes devem ser observados na hora do plantio, como a posição das plantas na hora de colocá-las no vaso. Coloque as plantas mais altas no centro do vaso e, as menores perto da borda. Isso vai ajudar a garantir um melhor crescimento. Esse arranjo pode parecer confuso no início, mas não se preocupe, ele começará a ficar cheio e exuberante dentro de algumas semanas.

8 – O modo correto de colocar a terra é até a altura da raiz sem que o caule fique todo coberto. Na hora de molhar as ervas faça isso com bastante cuidado. Se fizer tudo certinho, em 1 ano meio e 2 anos você terá o seu vaso de ervas bonito e saudável. Depois não precisa replantar tudo, pode ir somente substituindo algumas mudas.

9 – Fertilize. Encontre um fertilizante de liberação controlada. Coloque 3-5 destes no solo, dependendo do tamanho do vaso. Basta empurrar o fertilizante de liberação controlada no fundo com o dedo e, em seguida, cobrir com terra. Estes fertilizantes de liberação lenta devem durar uma temporada inteira, o que significa que você não precisa fertilizar o vaso novamente.

10 – Molhe cuidadosamente, até que a água comece a escorrer para fora do fundo do vaso. O composto tem de absorver uma grande quantidade de água na primeira rega, então planeje aplicar quatro litros ou mais. Continue a molhar durante os próximos meses, pelo menos, todos os dias, ou quando o solo parecer seco. As ervas podem secar entre as regas e algumas, como o alecrim, podem facilmente ficar encharcadas.

hortinhaemvaso

Dicas:
Regar adequadamente envolve deixar escoar a água mais profundamente, mas também ajudar a promover o crescimento da raiz mais profunda, em vez de apenas pulverizar a água, o que só podem alimentar as raízes perto da superfície do solo, de modo que as raízes menores estariam em apuros.
* As ervas preferem solos bem drenados. Deixe o solo secar em cima entre a água e não deixe o vaso de pé em uma bandeja de água.
* Vasos de ervas são presentes fantásticos para as pessoas que gostam de cozinhar, jardinagem e cuidar de plantas. Adicione um grande arco no meio do pote e presenteie seu destinatário com um cartão.

jardineiradeervas

* Muitas vezes, se as plantas parecem murchas, é hora de regá-las. As plantas são mais fáceis de crescer, apenas as mantendo devidamente regadas. Em clima quente, quando as temperaturas chegam a mais de 27ºC, algumas plantas (especialmente no exterior) precisam ser regadas todos os dias (por exemplo, em solos arenosos ou bem drenados).
* Por outro lado, o excesso de rega pode fazer as folhas caírem e até mesmo matar algumas folhas nos ramos superiores – especialmente em vasos, com drenagem eficiente ou com produtos de retenção de água. Isso é porque muita água pode superalimentar o topo ou aumentar os fungos em torno da base e apodrecer a raiz. Uma quantidade menor de regas pode fazer as folhas amarelarem e morrerem em ramos inferiores.
* Manjericão é uma erva anual na maioria dos climas e voltará a crescer se mantido longe de geadas. Durante o seu período de crescimento, corte os botões de flor para incentivar o crescimento das folhas e dar à planta uma forma de arbusto.

ervas
* Se você tem uma grande área de peitoril na janela de sua cozinha, que recebe muito sol, isso pode ser um ótimo lugar para manter um vaso de ervas, uma vez que está sempre ao seu alcance, enquanto você está cozinhando.
* Ervas também podem ser plantadas ao ar livre se o clima estiver quente o suficiente, tanto no solo como em vasos próprios. Você pode obter safras maiores, desta forma, e plantar plantas maiores, como alecrim e lavanda.
* Se você gosta de jardins perfumados, faça uma versão apenas com ervas altamente aromáticas, como manjericão e ervas aromáticas cítricas.

chuva-5

planta do incenso

Planta originária da Índia e pertence à família Lamiaceae . Aprecia os climas temperados e quentes. Pode viver na meia-sombra, mas também tolera o sol direto.

Trata-se de uma herbácea e perene muito ramificada, com uma folhagem densa e aromática. As suas folhas são ovais, brilhantes, pubescentes e com bordas denteadas. As suas flores têm pouca importância ornamental.

A sua variedade mais cultivada é a de folhas variegadas, chamada “Marginatus”. Isto porque a sua folhagem verde com margens brancas é bastante atraente.

Cultivo
Deve ser plantada num solo rico e com boa drenagem. O solo deve ser rico e com boa drenagem. As flores são brancas e surgem em qualquer época do ano. Se for cultivada no chão deverão ser tomadas providências para impedir que se alastre descontroladamente.

É normal perder folhas no Inverno, pois é uma planta que não gosta de frio, no entanto, torna a aparecer na Primavera seguinte. As pontas das folhas são brancas e é cultivada de forma rasteira ou pendurada, os seus ramos longos e flexíveis prestam-se para cultivo como pendente ou rastejante.

plantadoincenso

Habitualmente é utilizada em jardinagem, para cobertura de solo entre plantas de flor ou para decoração de sacadas e varandas..
Prefere um local com meia-sombra, mas pode tolerar o sol direto. Requer regas regulares.

Multiplica-se, facilmente, por divisão da ramagem enraizada ou por estaca.

Curiosidades
O Incenso-bastardo pertence ao género Plectranthus que contém mais de 350 espécies; Devido ao efeito pendente dos seus longos e flexíveis ramos é uma planta indicada para vasos suspensos, podendo também ser utilizada como cobertura do solo.

entardecernolago

transplante

Transplantar plantas é essencial para a manutenção de um jardim saudável. Quando uma planta cresce demais em relação ao seu vaso, suas raízes podem ser danificadas ou sufocar, diminuindo seu crescimento e deixando ela com um aspecto doente.

Para prevenir esse tipo de problema, a planta deve ser transferida para um recipiente maior. Apesar dos transplantes serem importantes, o processo pode ser perigoso e traumático para as plantas. É importante, portanto, tomar muito cuidado. Aqui estão alguns passos para que você transplante uma planta com segurança e com mínimo de riscos.

Passos
* Regue todas as plantas que você vai transplantar usando um fertilizante de transplante. Faça isso de 1 a 2 dias antes do dia do transplante para que o fertilizante faça efeito.

* Preencha o vaso novo com terra para vaso. Ele deve ficar cheio até que sobre apenas 5 cm até o final do vaso.

* Misture o mesmo fertilizante de transplante do passo 1 com uma quantidade de água igual e molhe a terra do vaso novo. Certifique-se de que não deixar nenhuma parte da terra seca.

* Faça um buraco na terra do vaso novo com aproximadamente as mesmas dimensões do vaso antigo.

* Remova a planta do vaso original. Segure a base da planta com a mão reta e certifique-se de cobrir o máximo possível de solo. Vire o vaso de cabeça para baixo e cuidadosamente puxe a planta junto com a terra. Não faça isso muito rápido, pois senão você pode danificar as raízes no processo.

* Coloque a planta no vaso novo, tomando cuidado para não danificar as raízes. Coloque um pouco de terra extra para preencher os buracos e garantir que nenhuma raiz fique exposta. Regue um pouco o vaso com a água misturada com o fertilizante de antes.

* Deixe o vaso novo em um lugar com pouca luz por alguns dias. Levará de um a 2 dias para que a planta se adapte ao novo solo, e somente depois disso é que ela pode ser levada de volta para um ambiente com bastante luz.

transplantar-planta

Dicas
* Um transplante incorreto pode ser prejudicial para a saúde da planta, podendo até matá-la. Apesar disso, um transplante correto pode fazer com que uma planta que estava morrendo ou doente recupere totalmente sua saúde.

* Ao transplantar uma planta para um vaso novo, certifique-se de que ele tenha espaço extra para que a planta continue crescendo. Isso ajudará as plantas a se acomodarem no novo ambiente, permitindo que elas cresçam com o mínimo de traumas.

* A melhor hora do dia para transplantar as plantas é tarde da noite. Dessa maneira as plantas terão a noite inteira para se recuperar e se adaptar ao novo solo, sem ter que lidar com a luz do sol até a manhã seguinte.

56890

Strelitzia-juncea-2

A estrelítzia-de-lança é uma planta angiospérmica,  perene e nativa do continente africano, sendo oriunda da África do Sul. Essa espécie vegetal é também conhecida popularmente como ave-do-paraíso, estrelitza e flor-da-rainha-lança. É uma espécie vegetal pertencente a família botânica Strelitziaceae.

A família Strelitziaceae
Esta família botânica se caracteriza por ser formada por somente 3 gêneros e 7 espécies. As espécies são representadas por ervas e plantas arbóreas. As espécies que compõem esta família são rizomatosas e possuem crescimento simpodial (crescimento lateral) e algumas vezes possuem touceiras volumosas

A família é composta por plantas típicas de clima tropical. Essas espécies vegetais possuem características ornamentais e são bastante utilizadas no paisagismo. As plantas se caracterizam por apresentarem flores bonitas e vistosas, contudo o uso paisagístico dessas espécies ocorre devido as formas e desenhos de suas exuberantes folhas.

FloStrelitzia-Juncea.02_1

As características da estrelítzia-de-lança
A planta apresenta uma aparência exótica, pois ela é uma espécie vegetal que não possui caule, mas no lugar deste existem hastes de formato cilíndrico, pontiagudas, rijas e que apresentam cor verde azulada escura. O nome popular da espécie vegetal (estrelítzia-de-lança) é derivado do aspecto da planta – as hastes formam uma espécie de lança.

Trata-se de uma espécie vegetal herbácea, que possui ciclo de vida perene e com a presença de rizomas muito bem desenvolvidos que formam touceiras grandes.

A planta é de porte médio, chegando a apresentar uma altura média de 1,20 a 2 m. Com relação a diâmetro, a planta atinge uma média de 2 m. As folhas são finas e possuem formato de cilindro, sendo bastante parecidas a espécie vegetal junco.

As flores da normalmente se formam no verão. A espata (bráctea que tem como característica proteger o desenvolvimento da flor) é o bico, que funciona como bainha para as flores que nascem.

strelitzia-juncea

As flores normalmente possuem cor laranja, com a antera e as estigmas  apresentam cor azul. São muito similares a crista de uma ave. Geralmente as flores da estrelítzia-de-lança surgem na época da primavera e do verão, contudo ela floresce nas outras estações também (inverno e outono), dependendo da época e da região onde foram plantadas.

As flores da estrelítzia-de-lança se caracterizam por serem muito duráveis e são usadas como flor de corte, servindo para a confecção de arranjos florais. A polinização desta espécie vegetal é geralmente realizada por beija flores e por outros pássaros.

Conforme as informações, os beija-flores são as aves que mais se sentem atraídas pela estrelítzia-de-lança.

Cultivo
A estrelítzia-de-lança é uma planta típica para ser cultivada em regiões que possuem clima tropical. No entanto, pode ser cultivada em regiões que apresentam clima subtropical e oceânico.

É uma planta que gosta de clima quente, e precisa do sol a iluminando, por isso ela é uma espécie que deve ser cultivada a sol pleno. O solo ideal para o cultivo da planta é aquele que seja fértil e com boa capacidade de drenagem.

O solo pode sofrer aplicação de material orgânico para que assim tenha capacidade de gerar os nutrientes necessários para o desenvolvimento pleno da planta.

Deve ser regada em torno de 2 a 3 vezes por semana, contudo é necessário cuidado com o excesso de irrigação, pois a planta não tolera solo encharcado. Essa espécie vegetal se caracteriza por ser uma planta rústica, isto é, que consegue se desenvolver sem a necessidade da tomada de muitos cuidados da parte de quem a cultiva.

Strelitzia-juncea-2

A estrelítzia-de-lança exige apenas adubações feitas anualmente, como forma de estimular a floração com maior vigor e beleza. O crescimento é moderado, e por isso ela se torna uma planta apropria para ser plantada isoladamente ou em grupo, podendo formar: maciços, renques  ou em bordaduras.

Por isso, a estrelítzia-de-lança acabe sendo encontrada em jardins de grande porte e em parques públicos, pois esta espécie acrescenta uma grande beleza ao local onde ela é cultivada sem dar trabalho a quem a cultiva.

É uma planta que possui resistência a geadas de intensidade fraca e a períodos de seca. Essa espécie vegetal pode ser cultivada em todo território brasileiro, pois ela consegue se adaptar com facilidade aos climas que apresentam o Brasil. No entanto, pode ter problemas caso seja cultivada em regiões que possuam o clima frio, abaixo de 10ºC.

strelitzia_

Propagação
A estrelítzia-de-lança é uma espécie vegetal que pode se propagar em qualquer época do ano, independente da estação (primavera, verão, outono e inverno).

É uma espécie vegetal que se multiplica de 2 maneiras: por dispersão das sementes e por divisão das touceiras. A multiplicação por dispersão das sementes consiste em espalhar as sementes geradas pela planta, em local com as condições apropriadas para o cultivo.

Depois, basta que seja feita a irrigação adequada que a planta irá se desenvolver e irá gerar uma nova espécie da planta.

Strelitzia_00

A multiplicação por divisão das touceiras consiste na realização de cortes nos rizomas para a formação de mudas que serão plantadas em outros locais para que sejam geradas novas espécies dessa planta.

Quando forem fazer os cortes no rizoma, é necessário observar que o rizomas precisam ter raízes, folhas e ramos, para que as mudas assim germinem e se desenvolvam em uma nova planta.

Após a estrelítzia-de-lança ser plantada, ela deve sofrer regas em todos os dias que não chovam. O tempo de semeadura varia de acordo com o clima da região onde a mesma é cultivada, podendo levar um período de 2 a 5 anos.

teka 13