Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Pragas e Doenças’

manchaspretas

As plantas, assim como as pessoas, são afetadas por doenças que em alguns casos pode levar à morte. Nenhum diagnóstico, seja de pessoas, seja de plantas, é simples de ser dado. É por isso que é importante prestar atenção aos sinais.

Se a sua planta apresenta pontinhos ou manchas pretas nas folhas, significa que alguma coisa não vai bem com a saúde dela, ela provavelmente está contaminada por uma patologia que é conhecida como doença da mancha preta nas folhas.

Mas, nem tudo está perdido. Para te ajudar a salvar a sua plantinha seguem abaixo de como tratar manchas pretas nas folhas das plantas.

Passos a seguir:
* A qualquer sinal de manchas pretas ou pontinhos escuros nas folhas das plantas é importante que você aja o quanto antes para evitar que a enfermidade se alastre, contamine outras folhas e possivelmente mate a planta. Não espere essa mancha aumentar para entrar em ação.

* Em alguns casos isso pode não ser possível, mas o ideal é que você tente identificar a causa das manchas pretas nas folhas das plantas. As manchas pretas em folhas podem ser causadas principalmente por fungos e bactérias. Sendo que os fungos são mais incidentes.

Mais de mil espécies diferentes de fungos podem ocasionar as manchas pretas nas folhas das plantas. Os mais comuns são espécies de fungos favorecidas por umidade e temperaturas amenas. Roseiras, pés de tomate, plantas não floríferas e plantas ornamentais rasteiras estão mais suscetíveis à proliferação de fungos. No entanto, o tratamento básico para a maioria dos fungos é o mesmo.

Já as bactérias, ainda que menos comuns, têm uma tendência a se proliferar em folhas de plantas frutíferas.

* Quando as manchas pretas nas plantas estão em folhas isoladas, é importante que elas sejam removidas. Realize uma poda cortando as folhas que apresentam as manchas pretas, descarte as folhas no lixo comum para não contaminar o solo e após o corte, desinfete as ferramentas para não correr o risco de contaminar outras plantas.

* Após se livrar dessas folhas doentes, sua planta deve ser tratada com alguma solução para combater os fungos. Existem diversas fórmulas e combinações com essa finalidade.

folha de rosa-do-deserto

Algumas delas são:
- Chá de camomila frio e bem concentrado;
- Duas partes de água para uma parte de leite de vaca (1 vez por semana);
- Óleo de neem (1 ou 2 vezes por semana):
- Enxofre molhável (seguir instruções);
- Fungicidas

Utilize um borrifador e respingue sobre as folhas conforme a periodicidade descrita acima. Se você optou por fungicidas para tratar manchas pretas nas folhas das plantas, dê preferência aos orgânicos e siga as instruções de uso do rótulo.

* Se você conseguiu identificar que a causa das manchas pretas nas folhas das plantas é bacteriana, fertilizantes e nutrientes podem ajudar a planta a ficar mais saudável. Os sprays bactericidas não têm eficácia garantida mas podem ser testados.

Se a planta não apresentar melhoras com essas soluções, deve ser descartada.

* Quando você já tiver realizado todo o procedimento, periodicamente varras as folhas na base da planta para que não retenham umidade e não se tornem um ambiente ideal para fungos. Na hora da rega, molhe o solo diretamente e não as folhas e preste atenção na umidade do solo.

Além dos fungos, as manchas pretas também podem indicar a presença de pulgões.

mancha-preta

Importante:
* Não utilize as folhas infectadas como adubo. Elas devem ser descartadas no lixo comum para que os micro-organismos não infectem o solo ou outras plantas;

*As manchas pretas nas folhas das plantas também podem aparecer como um sintoma de poluição das cidades. Para esses casos, a única solução é plantar espécies resistes à poluição.

beijaflor

Os fungos podem ser bastante prejudiciais para as plantas lhes causando diversos tipos de doenças. A seguir vamos falar um pouco mais sobre as doenças fúngicas que acometem as plantas e como elas podem ser danosas.

Doenças causadas por fungos em plantas

ferrugem

Doença: Ferrugem
Fungo: Puccinia melanocephala
A ferrugem é uma doença causada por fungos que acomete as plantas em especial a cana-de-açúcar, segmento no qual é bastante prejudicial economicamente. No Brasil a primeira vez que essa doença foi detectada na cana-de-açúcar foi no ano de 1986.

Sintomas
No começo aparecem na planta pequenas pontuações nas folhas que vão se tornando manchas mais longas com uma cor amarelada. Essas manchas costumam aparecer na superfície superior e inferior da folha. Em geral essas manchas variam entre dois e dez centímetros de comprimento e entre um e três centímetros de largura.

O tamanho das manchas aumenta com rapidez e a cor muda de amarelo para vermelho, chegando num vermelho-parda e culminando na cor preta. A cor se torna preta quando a planta chega nos estágios finais da morte da folha.

Além disso, a planta acometida pela ferrugem desenvolve pústulas, no centro das manchas, que são elevações na superfície da folha que aparecem pelo desenvolvimento do fungo.

Essas pústulas cobrem parte da folha o que diminuir a sua parte fotossintética, dessa forma a planta passa a ter um crescimento retardado. Em alguns tipos de plantas essas pústulas se agrupam e formam uma placa de tecido morto. Quando uma planta é diversas vezes atacada pelos fungos pode acabar ficando com as suas folhas queimadas e sem brilho.

Disseminação da ferrugem
Na maioria dos casos a disseminação se dá pelo vento que faz o transporte dos esporos do fungo para outras plantas e regiões. O controle da doença pode ser feito somente com o uso de espécimes que sejam resistentes aos fungos.

antracnose

Doença: Antracnose
Fungo: Elsinoe ampelina
A Antracnose é uma doença bastante comum em videiras.

Sintomas
Essa doença atua sobre todos os órgãos verdes da planta como as folhas, ramos, inflorescência, frutos e gavinhas. Quando a doença ataca os ramos da planta acarreta no surgimento de cancros que tem forma irregular de cor cinza no centro e cujo bordo fica preto.

Conforme a doença evolui nas folhas as manchas começam a ficar perfuradas no centro. A doença ainda causa manchas circulares de cor cinza no centro e de bordas pretas nas bagas que é chamado popularmente de “olho-de-passarinho”.

Disseminação da Antracnose
O fungo se dissemina com mais facilidade num ambiente em que exista muita umidade, esse fungo pode se desenvolver bem em temperatura entre 2°C a 32°C. O desenvolvimento perfeito dessa planta acontece em torno de 20°C.

Para evitar o surgimento da Antracnose é importante evitar o plantio de videiras em baixadas úmidas e em terrenos que fiquem muito suscetíveis a ventos frios.

Essas atitudes nem sempre são suficientes para fazer a prevenção da Antracnose, por isso é essencial fazer o controle da doença no período em que a videira está em repouso. Os ramos doentes devem ser podados e queimados, no inverno é possível fazer tratamento químico.

A fase do início da brotação da planta possui alta umidade o que torna favorável a infecção das plantas pelo patógeno da doença, nesse período é no qual se deve começar as pulverizações.

Carvão - Ustilago_scitaminea

Doença: Carvão
Fungo: Ustilago scitaminea
O carvão é uma doença causada por fungos que pode levar a planta a morte. Um dos problemas mais sérios em relação a essa doença é que ela pode ter sido erradicada de uma região há muitos anos e ainda assim voltar a acontecer.

Sintomas
Uma doença bastante comum em canaviais se caracteriza pelo surgimento de um tipo de chicote. Essa modificação se dá na região de crescimento do colmo (ápice) da planta que é induzida pelo fungo. O tamanho desse chicote pode variar desde uns centímetros até mais de um metro de comprimento.

A composição desse chicote é de parte do tecido da planta e parte do tecido do fungo. No início o chicote apresenta uma cor prateada que pode se tornar preta com o passar do tempo devido ao processo de maturação dos esporos que fazem parte dele.

Um sinal que aparece antes do surgimento dos chicotes é o estreitamento e encurtamento das folhas cujos colmos ficam mais finos e as touceiras apresentam um super brotamento.

O aparecimento dos chicotes é mais em comum em plantas que tenham idade entre dois e quatro meses. O pico do surgimento desses chicotes é entre os seis e sete meses de idade.

Disseminação do carvão
O ambiente com condições ambientais favoráveis contribui para o surgimento de epidemias dessa doenças fúngica. Quando se encontram em condições de estresse até mesmo plantas com resistência natural podem ser acometidas pela doença. O estresse hídrico ou de calor ajudam no aparecimento da doença.

A forma convencional de prevenir a doença é através do uso de espécimes que sejam resistentes a doença, pode ainda ser realizado um tratamento térmico para curar as mudas da doença. O procedimento chamado de roguing, retirada das plantas doentes, pode ser uma boa alternativa.

Chalara paradoxa1

Doença: Podridão abacaxi
Fungo: Ceratocystis paradoxa
A doença conhecida popularmente como podridão do abacaxi utiliza aberturas naturais ou ferimentos da planta para entrar e colonizar a planta, ou seja, ele não consegue fazer a penetração por seus próprios meios. Essa doença é comum na cana-de-açúcar.

Sintomas
A partir do momento que a doença se instala na muda começa a provocar a baixa germinação e até mesmo a morte de brotos. Um sintoma que serve para fazer o diagnóstico é a observação da cor vermelha nos tecidos internos bem como do cheiro de abacaxi que a planta exala quando é cortada em diagonal.

Disseminação
Em geral o fungo que provoca essa doença precisa de umidade e a disseminação se dá em solos encharcados e que tenham uma drenagem ruim. Existe ainda o favorecimento de temperaturas baixas.

Dentre as formas de prevenir a podridão do abacaxi estão medidas como usar mudas com fungicidas para o cultivo, evitar plantar mudas em solos que tenham sido contaminados.

banconolago

Cultivar plantas se torna algo muito divertido para quem realmente ama as plantas. Por isso, respeitar os seus cuidados básicos e essenciais não é mais uma opção e sim uma obrigação de cada jardineiro.

Um exemplo disto são as pragas que costumam atacar imensas ou pequenos plantios e que podem dar muita dor de cabeça no futuro. A maioria das doenças que fazem várias espécies sobreviverem bem pouco são os conhecidos nematóides. Se você não os conhece, leia este artigo até o final e descubra como elimina-los de uma vez.

nematóide

Informações científicas
Você já deve saber que os nematóides são espécies que atacam as plantas e possuem informações científicas relevantes, já que são muito estudados por biólogos e outros especialistas. Os nematóides podem ter diversos nomes científicos. São eles: Meloidogyne sp, Pratylenchus sp, Radopholus similis e Aphelenchoides sp.

Assim como os títulos dados por pesquisadores, estes animais ainda possuem nomes populares, que podem ser os seguintes: Nematóide e Nematóide-das-galhas, englobando as variantes que existem dessas espécies.

Por existirem em grandes quantidades na natureza, os mesmo são divididos em alguns grupos como ordens, conhecidas como: Dorylaimoidea, Heterodera, Meloidogyne e Rhabditoidea. Estão incluídos no reino Animalia, na classe Secernentea e no Filo Nematoda.

Para subdividir estes seres em relação ao ataque às plantas, os mesmo podem atingir diversas partes das mesmas, dependendo da sua variação ou função. A maioria atinge os caules, raízes e folhas, porém alguns deles também podem afetar tubérculos, flores e bulbos.

Por causa dos ataques, eles podem causar diversos sintomas nas espécies, passíveis de serem reconhecidos a olho nu. Além disso, é possível observar quando a planta foi atingida por uma dessas pragas, identificando as formas de evitar certas doenças.

Na maioria das vezes, aparecem tubérculos mal formados e o tamanho do órgão afetado pode diminuir. Além disso, ocorre necrose de folhas, caules, raízes e flores, incluindo os bulbos que podem ser bem prejudicados.

Nematóide-das-galhas

O que são os nematóides
Os nematóides são seres vivos muito minúsculos conhecidos muitas vezes como vermes. Eles podem atingir os seres humanos, como acontece com as famosas lombrigas, mas são mais comuns em plantas.

Alguns desses seres, que vivem em diversos ecossistemas, podem apenas se alimentar de plantas, possuindo vida livre. Estes são conhecidos como saprófitas. Porém, existem outras variações de nematóides que parasitam as plantas, levando muitas delas a morte. Slém disso, podem acabar se alimentando de restos de animais também, incluindo plantas já mortas.

Nematóides que atingem plantas
Estas espécies que parasitam as plantas são muito importantes para diversas culturas de espécies, já que podem estragar uma plantação inteira em questão de pouco tempo. Por isso, é sempre bom estar atento aos parasitas.

Estes, por si só, são muito encontrados já no solo ou então nas raízes das plantas, onde podem começar o seu “trabalhinho sujo”. Nos estados brasileiros, estes seres parasitas podem atingir especialmente plantações de soja, criando um enorme prejuízo industrial para o país.

Além de causar danos a plantações importantes, os nematóides são os grandes responsáveis pela morte de diversas culturas de plantas ornamentais, seja em uma produção de larga escala ou relacionada a uma produção doméstica, em plantações em pequenos jardins.

Estudos comprovam que o ataque é bastante preocupante: cerca de 40% das helicônias, espécies ornamentais, e 80% das musáceas, também usadas em paisagismo, estavam infectadas por nematóides, incluindo as grandes culturas feitas por todo o Brasil.

nemaatoide Heterodera

Danos causados
Quando os nematóides atacam plantas ou espécies, milhares de danos podem vir a tona. O principal deles é o prejuízo no desenvolvimento das plantas que param de crescer, além de atacar alguns órgãos das mesmas em específico, deixando as plantas mais fracas com anomalias em várias partes da sua estrutura.

Folhas e flores que estão nascendo costuma ter a coloração natural desbotada, ou seja, uma boa forma para identificar se a sua espécie está ou não sendo atacada por vermes. Além disso, podem ocorrer má formação de raízes, caules, bulbos e outras estruturas importantes de cada espécie.

Sendo assim, os nematóides ainda podem causar a desqualificação de um alime to ou uma planta para o seu uso comercial, gerando muitos prejuízos em empresas e grandes negócios agropecuários.

Nematóides de plantas
Os nematóides que costumam atacar as plantas, em sua maioria, são três. Eles são os mais perigosos para grandes plantações e cultivo de espécies ornamentais, sendo os mais comuns no Brasil, por exemplo. São eles:
* Meloidogyne sp
* Pratylenchus sp
* Radopholus similis
* Aphelenchoides sp

Todos eles costumam causar grandes danos, não só estruturais, mas também econômicos, ainda mais para quem trabalha e vive de soja e flores ornamentais, por exemplo, que são as espécies mais atacadas pelos vilõezinhos.

Meloidogyne

Como os parasitas se comportam
Os nematóides que atacam plantas não possuem grande mobilidade e este é um dos motivos para eles viverem parasitando espécies de plantas.

Durante todo o seu ciclo de vida, eles se movimentam poucos metros, ainda que muitas espécies de vermes possuam vida livre. Porém, existem fenômenos ou acontecimentos naturais que fazem os nematóides se espalharem por toda uma extensão.

Os maiores casos podem acontecer por causa das seguintes ações naturais:
1 – erosão de solos por causa de chuvas;
2 – comercialização de substrato ou vegetais já contaminados com os vermes em si;
3 – descarte de substratos onde exista a presença de tais parasitas.

Controle
Existem formas diversas de controle as estas espécies e o principal deles é o preventivo. A aquisição de plantas não contaminadas, uso de substrato sadio, destruição de restos de plantas no geral, incluindo o bom estudo de cada espécie a ser plantada podem ser medidas eficazes no combate a tais pragas.

Algumas espécies podem possuir substâncias que atraem os nematóides, por exemplo, sendo que estas podem possuir uma maior ocorrência e serem cada vez mais atingidas. Tome um cuidado especial com a aquisição de plantas e esteja sempre atento ao seu desenvolvimento.

No primeiro sinal de ataque desses vermes, é preciso buscar uma outra forma mais radical para eliminá-los de uma vez, antes que ataquem todo o resto da plantação.

pingos-9

dente de leão

O cuidado com plantas, seja em sua própria casa, quanto em outros lugares que contêm estas belas decorações para qualquer ambiente, são indicadas e extremamente necessárias para mantê-las bonitas e com vida. Além de evitar problemas que podem causar o maltrato a estes seres vivos que sofrem com os estas complicações, pois, assim como nós, elas nascem, crescem e morrem, sentindo tudo o que lhes é causado, devendo receber carinho, atenção e cuidados especiais.

Os fungos
Um dos problemas mais comuns de serem encontrados nas plantas são os fungos. Que também são seres vivos maléficos as plantas, porém fundamentais para o meio ambiente, exercendo funções de reciclagem e fabricação de diversos produtos, que possuem características próprias, variando a cada tipo encontrado, onde todos conseguem sobreviver as mais diferentes regiões, com diversos tipos de climas.

As altas temperaturas e a umidade elevada típicas do verão propiciam o aparecimento de fungos nas espécies vegetais. O importante é saber identificá-los e como tratar a plantas, que são atacadas e começam a sentir os efeitos da doença, ficando com lesões e manchas na folha e, até mesmo, podridão de hastes e raízes.

fungo Diplocarpon rosae

Os prejuízos causados
Os fungos que habitam o solo, e consequentemente as plantas, podem causar diversos prejuízos, além de serem dos tipos mais variados que pode-se imaginar, e, por este motivo, os problemas causados as plantas também são dos mais diferentes tipos que pode-se encontrar, pois os prejuízos dependem da quantidade de inóculo (estruturas de sobrevivência do solo) e da condição climática, ou seja, a gravidade do malefício causado depende do estado em que o solo afetado se encontra.

A habitação dos fungos no solo
O processo pelo qual os fungos habitam o solo depende do corte do plantio na hora necessária, pois, quando adiado por muito tempo, os fungos podem facilmente tomar conta das plantas. Ainda sobre como os fungos afetam o solo, depende do tamanho das partículas envolvidas no processo de fermentação.

fungo-tomate

As plantas mais atingidas
O tipo de planta mais afetado são as hortaliças, dependendo da condição climática apresentada. Em alfaces, um tipo específico de fungo pode causar o apodrecimento da planta, provocando manchas marrons, que são lesões nestes seres vivos, que tem a capacidade de murchar suas folhas, fazendo-as ser ineficientes para o consumo. Existe outro tipo de doença que pode afetar, também, os alfaces, porém esta é causada por um fungo ainda mais maléfico, pois este causa o apodrecimento de toda a planta em somente dois dias, quando sua temperatura é média.

Como evitar os fungos
Para muitas doenças apresentadas por fungos nas hortaliças, há uma maneira de evitá-las, usando, em grande quantidade, mudas que foram produzidas em substratos.

A hérnia
Outro prejuízo que os fungos podem causar é a hérnia em certos tipos de plantas, como couve-flor, repolho, brócolis, entre outros. Este tipo de problema ocorre pois, inicialmente, as plantas começam a ficar com uma cor verde clara, o que lhes proporciona a sensação de palidez, tornando-se, aos poucos, amarelada, com algumas partes já murchas.

fungo do tipo Bipolaris

Os problemas apresentados pelas plantas
Com o tempo, as plantas que forem afetadas por este fungo começam a apresentar menor capacidade de absorver água, consequentemente de nutrientes e dificuldades no desenvolvimento, comprometendo, também, a reprodução e podendo ser fatal para plantas que sofrem desta doença de maneira precoce. Para evitar este tipo de prejuízo, só existe uma solução disponível: optar pelo uso de produtos que contenham combatentes a este tipo de hérnia nas plantas citadas acima.

O controle de fungos
O controle de todo o tipo de fungo no solo pode ser feito mediante a medidas de controle com o uso de produtos específicos para estes tipos de problemas. Uma das precauções que devem ser tomadas é, ao utilizar uma nova parte de terra destinada ao plantio, é indicado o uso de mudas novas e sadias, para evitar a utilização de instrumentos e plantas que já foram contaminadas, pois, quando introduzidas em um solo novo e fértil, a possibilidade de uma planta infectada contaminar todo o local é grande.

Como cuidar de solos já afetados
Caso o terreno já estiver sido prejudicado e infestado por fungos, será necessário maior cuidado com o solo, reduzindo o inóculo presente nele, a fim de proteger as plantas que estão localizadas naquele local, durante as fases que estarão mais desprotegidas, assim como climas desfavoráveis para as mesmas, podendo, até, conseguir recuperar alguma das que foram atingidas por fungos.

fungos

Procedimentos que ajudam
Alguns procedimentos como areação profunda, drenagem do solo, calagem, algumas possíveis modificações no processo de irrigação e produtos para desinfectar o solo (aquece-lo com diversos meios) são altamente recomendados, dependendo dos fungos e estado do solo envolvido.

Solução para fazer em casa
Existe uma solução que pode ser feita por si mesmo em sua própria casa, para combater a infecção de fungos no solo de plantio. Será necessário, para o preparo desta solução, os seguintes materiais: cinquenta gramas de sulfato de cobre, dois recipientes (preferencialmente baldes), dez gramas de cal virgem, tecido fino e pulverizador manual. Estes itens podem ser encontrados em lojas especializadas para agricultores.

Passo a passo
Primeiramente deve ser introduzido meio litro de água em um dos recipientes que foram separados para o preparo da solução. Em seguida, é necessário envolver o sulfato de cobre, encontrado em forma de pedras pequenas, no tecido fino.

Após estes dois passos, é necessário que o tecido consiga ser preso na borda do recipiente que contém água, ficando sob o líquido de maneira superficial, fazendo o sulfato de cobre ser dissolvido lentamente na água.

No segundo recipiente, também será aplicado meio litro de água, e desta vez, o produto que será dissolvido nela será o cal virgem, que deverá ser despejado com cuidado para evitar problemas ao agricultor, e necessitará de uma colher grande para mexer o produto e ser facilmente dissolvido. Após isto, acrescente mais cinco litros de água neste mesmo recipiente, adicionado-os a solução, devendo ser, em seguida, filtrada.

As duas soluções devem ser juntadas e colocadas em um pulverizador, que servirá para borrifar em todas as plantas presentes no plantio.

fungo do gênero Pseudoercospora

Lembre-se
É necessário lembrar que a mistura dos dois processos realizados acima devem ser utilizados imediatamente. Caso contrário, eles deverão permanecer em recipientes diferenciados até a hora de serem utilizá-los com o pulverizador.

É necessário ter um cuidado específico com o solo, para que os fungos não afetem o plantio e causem prejuízos as plantas, e consequentemente, perdas de produção, sendo precisos produtos especiais, precauções para evitar a infecção e preparo de soluções que ajudem a combater este tipo de problema que afeta o solo de muitos agricultores.

paisagemneve