Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Pragas e Doenças’

roseira

As roseiras são elementos lindos e incríveis para se em seu jardim e por isso mesmo demandam bastante cuidado por parte do dono desse pequeno pedaço do paraíso.

As lindas roseiras são também um alvo fácil e vistoso para vários tipos de pragas, algumas bem visíveis como formigas e outras impossíveis de observar a olho nu como os ácaros.

Para ter uma roseira sempre linda e livre dos ácaros é importante ter alguns cuidados, mas acima de tudo focar na prevenção do que propriamente no tratamento. Saiba tudo o que importa para deixar as suas roseiras livres dos ácaros e assim muito mais bonitas e saudáveis.

ácaros

O que são ácaros ?
Quando se fala em ácaros dificilmente se tem uma ideia definida que tipo de espécie compõem esse grupo de seres terríveis e nojentos. De forma geral podemos dizer que a designação ácaro é dada as espécies que compõem a ordem artrópodes da subclasse Acarina (=Acari) e que pertencem a classe dos aracnídeos.

Para se ter uma ideia são mais de 30.000 espécies conhecidas até esse momento, pois os especialistas estão sempre encontrando novos exemplares. Há também os carrapatos que são incluídos nessa designação, mas que pertencem a ordem Ixodida.

Seres microscópicos
Em geral os ácaros são invisíveis a olho nu porque medem em torno de 200 a 500 micrômeros. Além dos ácaros encontrados no pó domiciliar existem aqueles que são aquáticos e também os marinhos.

Como tamanho não é documento em grande parte esses ácaros são predadores. Há também aqueles que são fitófagos, detritífagos e que vivem de parasitismo. Uma curiosidade é que os ácaros podem sim causar problemas para o homem, existem aqueles que são parasitas do ser humano.

Esse tipo atinge os folículos pilosos e também as glândulas sebáceas e provocam assim o aparecimento de cravos. Além do ácaro e parasita cutâneo Sarcoptes scabiei que causa a sarna humana.

Como bem pudemos perceber descobrindo mais sobre os ácaros eles podem representar um perigo para as roseiras e também para nós. Dessa forma é essencial manter as suas plantas longe desses seres.

ácaro na planta

Os ácaros dão sinais
Provavelmente você está pensando em como saber se suas roseiras têm ácaros se eles são quase invisíveis. Pois, saiba que os ácaros costumam nos dar sinais de que estão presentes e vale a pena ficar de olho. Para começar observe as suas roseiras, os ácaros atuam absorvendo a seiva das plantas.

Por causa dessa absorção da seiva as plantas podem começar a ficar com um aspecto mais caidinho, fique atento. Alguns tipos de ácaros tecem teias assim como aranhas, não é atoa que eles são parentes, não é mesmo?

Por isso se você observar um tipo de teia fina com aspecto de plástico quando vista de longe não tenha dúvidas pequenos ácaros estão tecendo a mesmo no exato momento.

Os ácaros nas roseiras
Esses insetos quase invisíveis ficam situados nas extremidades das plantas e na maior parte das vezes somente pode ser notado através da presença de teias bem fininhas e delicadas.

Como já dissemos também os ácaros absorvem a seiva das plantas e quando fazem isso se tornam amarelos. Um problema bastante delicado, mas que pode ter solução e tratamento. Confira algumas dicas de como tratar plantas com ácaros.

Como tratar os ácaros
Já foi enfatizado o risco que os ácaros representam para a saúde humana, mas nunca é demais lembrar que eles são responsáveis por doenças como rinite alérgica, alergia respiratória e também asma.

Para evitar a contaminação das plantas por ácaros é bem importante pulverizar as folhas com água bem no começo da manhã. No caso de grandes infestações de ácaros é necessário pulverizar as plantas com uma mistura de água e sabão ou então com óleo de verão.

ácaros

Receita contra ácaros, cochonilhas e pulgões
A receita para usar contra os ácaros, cochonilhas e pulgões consiste em macerar 100 gramas de folhas secas de samambaia num litro de água. Depois deixe de molho durante um dia.

Então ferva a mistura durante alguns minutos antes de fazer a sua diluição para a pulverização. A proporção deve ser de uma parte do preparado para 10 partes de água.

Pulverize as suas plantas e fique livre desses “inquilinos” nada bem-vindos das suas plantas. Além de ajudar a deixar as suas plantas saudáveis você também evitará inúmeros problemas de saúde que podem ser causados pela presença de ácaros.

Esses minúsculos seres podem ser um grande problema, mas nada que você não possa contornar com um pouco de cuidado com as suas plantas. Não deixe de cuidar dos ácaros nas roseiras.

pétalas ao vento

roseira

Os organismos nocivos biológicos causam danos e perda no cultivo, diminui a exportação, aumenta os custos para controlar as pragas, provocam danos ambientais, como consequência desencadeia o desemprego, causado pela diminuição do cultivo de rosas que é muito procurado.

Com isso se há ataque de insetos e ácaros e erva daninhas no cultivo das roseiras, diminui a produção de rosas, o mercado também cai e traz prejuízos para os produtos e todo o setor econômico envolvido neste processo.

Esta planta é cultivada para o mercado, pois atende a muitas ocasiões, e se encontram nas cores vermelhas, brancas, rosas, amarelas e outras mais encontradas atualmente com cores mescladas devido a modificação em laboratório e cruzamento de espécies.

As roseiras estão sujeitas a diversos fatores do ambiente, que de maneira indireta ou direta, influenciam no seu desenvolvimento, crescimento e produção de flores.

Os fatores de interferência que geralmente influenciam nas roseiras são:
a) Bióticos: em que são atacadas por ação de agentes vivos que pertencem ao ecossistema, que são considerados pragas, pois se tornam parasitas que atacam a planta e causa danos a mesma;

b) Abióticos: são causados pela atuação de elementos inorgânicos do meio ambiente, como por exemplo, a água, o vento, o solo e clima.

rosa vermelha

As plantas daninhas e as roseiras
As plantas daninhas podem causar alguns danos às roseiras, pois, há certa competição por nutrientes essenciais ao crescimento destas.

E é aquela planta que nasceu no ambiente da roseira sem que ninguém plantasse e, muitas vezes são disseminadas pelos animais, homem, vento e água. Sendo assim, a planta daninha pode causar aquilo que é chamado de alelopatia na roseira, que causa a inibição do desenvolvimento de uma planta causada por crescimento de outra.

Essa inibição de nutrientes à roseira pode causar danos à produção de rosas que nascem menos vistosas e bonitas, com botões e flores menores e feios.

Dica: para sua roseira ficar livre de ervas daninha procure sempre arrancar as pequenas plantas que nascem ao redor dela sem que você tenha plantado, não deixando se desenvolver e tomar conta do vaso da planta.

rosas

As pragas e doenças na roseira
Sempre acontecem interferências de pragas em cultivo de roseiras. Em que estes se hospedam na roseira perturbando os nematóides das suas raízes e se multiplicam causando doenças que podem até levar a morte da planta.

As pragas provocam danos às roseiras e a seus produtos que são as rosas e botões. Essas pragas necessitam de condições no meio ambiente que sejam favoráveis para crescer, desenvolver e reproduzir, como o clima favorável, disponibilidade da roseira hospedeira, não ter competição com outras pragas, abrigo e solo característico.

A praga da roseira pode ser transportada nas sementes, mudas novas, estacas, rizomas, bulbos, tubérculos, pólen e material in vitro. Logo, quando há o transporte de plantas há a importação de insetos, ácaros, fungos e demais seres indesejáveis que não pertencem ao determinado destino, masque com essa mudança vai tentar se adaptarão novo meio.

Dica: Para este tipo de problema é bom deixara planta nova da casa isolada das outras por pelo menos quarenta dias para não haver a contaminação das outras plantas com alguma praga que possa ter sido transportada.

O controle de pragas nas roseiras
Para evitar a propagação de praga sem sua roseira é sempre bom notar que:
* É bom manter certo espaçamento da roseira com as outras plantas que deve atender as suas necessidades conforme sua espécie (grande ou pequena);
* Necessitam de cultivo manual;
* São plantas que precisam de certa proteção durante a vida, principalmente no período de floração;
* Deve ser planta da em local onde pegue sol adequado, principalmente pelo período matutino do dia;
* Geralmente roseiras florescem com intensidade nos meses de abril a junho, necessitando de maiores cuidados nesta fase.

Logo, o controle é eficaz quando o diagnóstico dos problemas é realizado em fase inicial.

Há estratégias que podem ser aplicadas no controle de doenças nas roseiras, como por exemplo:
Se as folhas da roseira estiverem murchas, pode ser falta de água, deve-se irrigar para que retorne a sua aparência sadia. Se caso não retornar pode estar doente.

Dessa forma, este é um possível sintoma, que pode confirmar o diagnóstico e o problema da roseira.

rosas brancas

Saiba mais
Quanto à poda, pode retirar as partes danificadas e recuperar os danos causados pela doença ao ataque de fungos e insetos à roseira, fazendo com que esta renove seus brotos e recupere-se.

Se caso tenha muitas roseiras e uma apresentar o diagnóstico de alguma doença indesejável para que não passe para as outras é bom:
* Realizar observação direta dos sinais e aparência da roseira;

* Realizar pesquisas sobre quais os tipos de pragas que costumam atacar as roseiras;

* Procurar aumentar a quantidade de sol e ventilação do ambiente;

* Não confundir as doenças com os casos de falta de nutrientes, que também podem causar sintomas como o escurecimento das folhas e rosas que ficam com estado murcho e tornam a planta mais vulnerável às doenças e ataques de pragas.

Cuidados para evitar doenças nas roseiras
* Plantar as roseiras em bandejas, latas e demais utensílios com boa limpeza e desinfetados;

* Deixar as roseiras que estejam na fase demuda pelo menos meio metro longe do chão (acima).

* Manter as ferramentas e materiais utensílios utilizados sempre limpos;

* Utilizar água limpa para lavar as ferramentas de manuseio das roseiras;

* Sempre lavar as mãos quando cuidar de uma roseira e for para outra;

* Procurar sempre eliminar os insetos, pois são vetores de doenças e viroses que contaminam as roseiras;

* Se não conseguir evitar que a doença prolifere na roseira, procure pulverizar com cuidado produtos químicos preventivos e autorizados pelo Ministério da Agricultura seguindo as dicas do fabricante quando às normas de uso com luvas, máscaras sempre;

Roseira-3

* Evitar estresse da roseira. Mudando toda semana de local, por exemplo;

* Adubar com a dose eficaz e necessária a roseira, pois em excesso certos sais podem retirara água da planta e matá-la;

* Escolher mudas de roseiras que apresentam mais resistência às pragas;

* Destruir as roseiras doentes;

* Manter o ambiente sempre arejado e limpo;

* Fazer as podas e rotação do local de plantio da roseira para ela não acostumar e ficar vulnerável às doenças.

As roseiras costumam ser atacado pelo fungo chamado míldio (Perosnospora sparsa) que apresenta manchas e coloração parda das folhas.

Para controlar este fungo é bom manter o ambiente com bom fluxo de ar, diminuir a umidade do local de plantio, procurar fungicida específico para este tipo de fungo e aplicar por toda a superfície das folhas das roseiras.

ondas

Colletotrichum spp

A antracnose é uma das doenças de maior importância para as plantas cultivadas. Ela provoca prejuízos de bilhões de dólares anualmente, por perdas em grandes lavouras pomares, florestas e viveiros de plantas ornamentais.

Ela é causada principalmente por fungos do gênero Colletotrichum, com destaque para a espécie Colletotrichum gloeosporioides que causa a doença em diversas espécies de plantas.

Outros agentes etiológicos estão envolvidos no desenvolvimento da antracnose, tais como o Sphacelloma spp, Marssonina spp, Gloeosporium spp, Coniothyrium fuckelii e Elsinoe ampelina, etc.

O aparecimento da antracnose se dá em condições ambientais favoráveis, com clima ameno, ou seja temperaturas entre 20° e 30°C, e alta umidade ambiental. Plantas fracas, mal enraizadas ou mal nutridas, com carências nutricionais, principalmente de potássio e cálcio, são mais suscetíveis.

Nessas condições o fungo consegue se espalhar e crescer rapidamente, principalmente se houver muita matéria orgânica disponível e pouca ventilação. Por este motivo é raro seu aparecimento em regiões áridas, como no nordeste brasileiro ou em Israel.

A transmissão se dá pela água da chuva ou de irrigação, mas também pode ocorrer pelo vento e ferramentas de poda contaminados, assim como insetos e outras pragas.

Apesar de infectar as plantas, ele também é um fungo saprofítico, ou seja, consegue sobreviver no ambiente em restos de plantas mortas, como folhas e frutos caídos, esperando uma oportunidade de afetar plantas vivas novamente.

planta atacada pela Colletotrichum sppPlanta atacada pela Colletotrichum spp

Da mesma forma que muitas outras doenças fúngicas, bacterianas ou virais de plantas, a antracnose produz sintomas um tanto inespecíficos, de forma que o diagnóstico preciso apenas poderá se dar em laboratório. Ainda assim, um agrônomo com experiência prática poderá fazer o diagnóstico e tratar a doença de forma eficiente.

Os sintomas mais comuns são manchas arredondadas, de cor marrom, parda, cinza ou negra, sobre folhas, frutos, colmos, etc. Essas manchas apresentam muitas vezes um halo amarelo no entorno (clorose), e o centro deprimido e necrótico, evidenciando filamentos de cor laranja ou rósea, que são estruturas de reprodução do fungos, onde os esporos são produzidos (Acérvulos).

Os primeiros sinais aparecem geralmente nos bordos das folhas, ou próximo aos veios, onde a água tende a acumular.

Com o crescimento e o coalescer de diversas manchas, a estrutura, seja ela uma folha, broto, ramo, flor ou fruto, pode inteira morrer e cair prematuramente. Em plantas lenhosas, a antracnose acaba formando verdadeiros cancros, que são crescimentos anormais da casca sobre áreas necróticas no tronco, dando um aspecto bastante feio às árvores, além de enfraquecê-las gradativamente.

causado por Colletotrichum spp

Partes afetadas pela antracnose:
Botões;
Caule
Brotos
Colmos
Folhas
Frutos
Pseudobulbos
Ramos

Sintomas
Manchas redondas e de cor pardacenta a negra em folhas, frutos, flores e brotos, Secamento e queda de folhas e brotações, Rachaduras em frutos, Cancros em ramos e troncos.

Prevenção e controle
Algumas medidas podem ser tomadas para prevenir e controlar o aparecimento de antracnose no jardim ou em cultivos comerciais. De quebra, muitas delas servem de prevenção para uma infinidade de outras doenças e pragas de plantas.

Veja abaixo como manter suas plantas livres dessa temível doença.
* Ao adquirir plantas novas, deixe-as em quarentena, longe das outras plantas;

* Adquira sempre plantas saudáveis, assim como sementes e bulbos.

* Prefira variedades sabidamente resistentes à antracnose, para pomares isso tem especial importância.

Colletotrichum_dematium_truncata

* Mantenha plantas envasadas com bom espaçamento entre elas. Para orquídeas, por exemplo, o recomendado é um palmo de distância entre as folhas das plantas. Da mesma forma, pomares muito densos, favorecem o aparecimento da doença em frutíferas.

* Faça podas de limpeza e arejamento, tanto em frutíferas quanto em plantas ornamentais suscetíveis. Helicônias abafadas, assim como estrítizias são comumente acometidas.

* Irrigue as plantas pela manhã bem cedo, dando tempo assim que elas sequem rapidamente, evitando o acúmulo de água.

* Livre-se de restos de podas, folhas e frutos caídos, para que não sirvam de fonte de infecção para as plantas, mantenha o jardim limpo, principalmente no inverno e em períodos úmidos (épocas chuvosas).

* Mantenha estufas e orquidários bem arejados, para que as plantas não permaneçam úmidas por muito tempo após pulverizações.

Sementes de palmeiras

* Em caso de manchas suspeitas, corte fora rapidamente as partes afetadas, com uma boa margem de segurança. Convém aplicar uma pasta à base de cobre ou uma mistura de canela com óleo mineral no local da ferida, para proteger e favorecer a cicatrização. Ao eliminar a infecção no início previne-se o alastramento da doença.

* Separe as plantas afetadas das demais e favoreça a ventilação e a luminosidade, de forma gradual.

* Em situações especiais, como grandes infecções ou plantas de grande valor comercial, podemos realizar aplicações de fungicidas, sejam eles de contato ou sistêmicos, como oxicloreto de cobre ou mancozeb por exemplo, sempre à critério de um engenheiro agrônomo responsável.

janela-brisa

Pragas-de-Jardim-1-16

Alguns insetos adoram o clima ameno do seu quintal, outros são atraídos pelas belas flores que você cultiva. Não importa, nem sempre conseguimos eliminá-los para sempre.

Esses bichinhos acabam estragando as plantas e produtos agrícolas presentes no seu jardim. Quando o caso é grave, a ajuda de um profissional é indispensável. Porém, quando a situação ainda é controlável, existem alguns meios para evitar determinadas pragas. Tudo pela preservação do seu lindo jardim…

Anti-pragas naturais
Segue abaixo uma lista de algumas coisas que devem ser feitas nos jardins para que as pragas não sejam a sua principal visita. São verdadeiros anti-pragas naturais e que não dão muito trabalho. Muitos são até da sua própria obrigação como um bom jardineiro.

Mantendo o jardim limpo: Ervas daninha e alguns produtos agrícolas são muito convidativos aos insetos. Remova todos os restos de plantas mortas ou  deterioração das mesmas, pois podem servir de alimento e abrigo para muitas e muitas pragas. Os restos de decomposição que encontrar ainda podem servir de adubo para as suas lindas plantinhas.

O lugar certo para plantar: Plantas que precisam de luz devem ser expostas ao sol e aquelas que amam o escuro devem ser colocadas na sombra. O lugar apropriado para cada tipo de semente é ideal para a sua germinação. Quando elas não conseguem se desenvolver, as pragas aparecem para estragar ainda mais as suas plantas. Além disso, cultivar uma espécie no mesmo lugar durante anos seguidos aumenta a probabilidade de insetos se estabeleçam permanentemente.

inseticidas

Saúde para as plantas: Plantas que estão vendendo saúde são mais resistentes a qualquer tipo de pragas. Use as quantidades certas de água, luz e os fertilizantes apropriados. Se as plantas estiverem morrendo, remova-as ou pelo menos separe-as das outras. Isso também contribui para a beleza e limpeza do seu jardim.

Entenda cada praga: Saber o comportamento de cada praga também é um método natural muito eficaz. Existem pragas que adoram solos mais úmidos, por exemplo. Para evita-las, controle a umidade da sua terra com regularidade. Se uma folha estiver sendo atacada, e existem pragas que amam morar embaixo de folhas, remova-a rapidamente para que a praga não se espalhe pelo resto da planta.

Pássaros X Pragas: Os pássaros são grandes heróis dos jardins. Muitos deles se alimentam de insetos que prejudicam as suas flores e plantas. Por isso, reserve um lugar para deixar alimentação para eles. Faça uma sementeira que atraia diversos tipos de pássaros. Outra forma é manter insetos como abelhas, joaninhas e besouros, que desencorajam o crescimento das pragas indesejadas.

alecrim

Plantas que afastam as pragas do jardim
Outro modo de eliminar esses visitantes tão chatinhos é aproveitar a existência de algumas plantas. Abaixo, segue uma lista com todas elas:
* Alecrim: Afasta ratos, lesmas e pragas em geral Apenas plante-o no jardim ou na horta.

* Arruda: As folhas são ótimas para combater os pulgões e ajudam a manter os cítricos saudáveis. Ferva as folhas durante cinco minutos. Deixe esfriar e pulverize sobre as plantas.

* Coentro: As sementes combatem ácaros e pulgões. Moa as sementes e polvilhe-as sobre as plantas e sobre o solo.

* Gerânio: Muito recomendado para hortas e jardins. Apenas plante-o no jardim, sua simples presença repele pragas.

* Tomilho: Plantado junto ao repolho repele a lagarta das folhas. Também tem ação contra percevejos e pulgas. Para afugentar percevejos e pulgas, moa as folhas secas e polvilhe-as sobre as plantas e sobre o solo.

* Hortelã: Quando plantado nas bordaduras dos canteiros, repele ratos, formigas, além de insetos.

lesma

Como se livrar das pragas mais comuns
1.Pulgões: As joaninhas são as suas grandes inimigas. Caldo de fumo e um algodão encharcado de álcool e água podem eliminar os pulgões das folhas.

2. Lemas e caracóis: Os pássaros e os besouros são os principais inimigos das lemas e dos caracóis. A melhor forma de elimina-los é através de pequenas armadilhas como a “isca de cerveja”.

3. Lagartas: Passarinhos também adoram as lagartas. Elas é que não gostam muito deles. Geralmente para eliminá-las é preciso extrair uma a uma com as mãos, usando uma proteção para que a lagarta não toque na sua pele. A chamada calda de angico também elimina as lagartas e não prejudica nenhuma planta.

4.Ácaros: Eles também podem ser eliminados com a Calda de Fumo, usada para matar os pulgões que grudam nas suas folhas. Como o ácaro detesta umidade, borrife bastante água na sua planta para que ela fique livre deles.

5. Percevejos: As vespas são as suas predadores naturais. Eles devem ser removidos um a um com as mãos, lembrando sempre de proteger a pele. A Calda de fumo pode funcionar muito bem como um repelente natural contra os maldosos percevejos.

6. Tatuzinhos: Evite a umidade excessiva de canteiros e vasos, já que eles adoram umidade. Devem ser retirado com as mãos também e em seguida, elimina-los um a um.

7. Formigas: Essas são as verdadeiras pragas do jardim, Espalhando semente de gergelim pelos canteiros, elas fogem assim como o diabo corre da cruz. O gergelim é muito bom porque intoxica as formigas e quando colocado sobre os formigueiros, ajuda a eliminar o “ninho” delas. Em casos muitos graves é preciso apelar para as  iscas formicidas, que são vendidas em casas especializadas em produtos para jardinagem.

8. Nematóides: Geralmente estas pragas atacam pelo solo. Por isso, para elimina-los é preciso plantar o famoso cravo-de-defunto no local infestado. Se o caso ficar muito grave, a solução será eliminar a planta atacada do jardim para que os nematóides não se proliferem para outras espécies.

Os nematóides são da família das lombrigas e são muito difíceis de eliminar. Portanto, verifique se a sua planta possui raízes grossas e com muitas fendas. Esses são os principais sinais de que a planta está sendo atacada por estas pragas.

entardecernolago