Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Plantas rasteiras’

Soleirolia-soleirolii-1

A lágrimas-de-bebe é uma planta herbácea, ramificada e rasteira, de folhagem ornamental pertencente à família Urticaceae e nativa Mediterrâneo e Itália, mas foi introduzida e cultivada praticamente em todo mundo, perene, suculenta, de crescimento rápido, com altura de até 10 centímetros e muito ornamental.

Cresce de forma horizontal, ao invés de vertical, cobrindo o solo com um denso tapete verde. Suas folhas são minúsculas, abundantes, ovais, verdes brilhantes lustrosas, com 5 mm de diâmetro. Há cultivares da planta com diferentes tons de verde, com destaque para a ‘Variegata’, com folhas variegadas de branco, e a ‘Aurea’, de um tom verde-limão.

As flores brancas e diminutas surgem no verão e início da primavera, com pouca importância ornamental.

É uma planta rastejante, delicada, muito ramificada e compacta, tendendo a crescer mais em largura do que em altura. Sua atração principal são as folhas, quando plantadas em canteiros formam um tapete verde.

Usada como forração em locais sombreados, em torno de tronco de árvores, suaviza as áreas em torno de lagoas, pedras e samambaias; também em vasos e jardineiras como planta pendente.

Aprecia o clima tropical, subtropical, temperado e mediterrâneo. Em regiões mais frias a planta entra em hibernação durante o inverno, mas retorna à medida que a temperatura esquenta.

A lágrimas-de-bebê cresce melhor em ambientes com muita luminosidade, porém, sem luz solar direta, o sol queima suas folhas frágeis.

lágrimas-de-bebê

O uso mais comum da lágrimas-de-bebê é como folhagem, em vasos, adornando interiores, com seu formato arredondado. No paisagismo ela é bastante utilizada como forração, em locais sombreados, onde a grama não se desenvolve pela falta de luz e excesso de umidade.

Procure não utilizá-la em áreas de circulação pois não resiste ao pisoteio. Sua textura é fina e de grande interesse, e muitos dizem que lembra cabelos cacheados, formando um contraste com o gramado ou outras forrações.

É excelente como bordadura ou como pano de fundo para outras espécies, em canteiros, vasos ou jardineiras, com destaque para as cestas pendentes, onde a folhagem da planta pende como uma cascata verde.

soleiroria

Seu cultivo deve ser sob luz indireta em solo fértil, drenável, rico em matéria orgânica, bem drenado e mantido úmido, mas não encharcado.

No inverno poucas regas e suplementar as regas no verão com pulverizações sobre as folhas. Não tolera incidência direta do sol, principalmente nas horas mais quentes do dia, o que fatalmente queimaria suas delicadas folhas. Em muitos locais é considerada uma erva daninha.

Multiplica-se facilmente por divisão da ramagem, que já possuem pequenas raízes no caule.

chuva-1

azulzinha

A Azulzinha é uma planta que pertence à família Convolvulaceae e está na categoria de flores perenes, forrações a sol pleno ou a meia sombra. Os climas a que se adapta são o tropical, o subtropical e o equatorial.

A sua origem é a América do Sul especificamente o Brasil e o Paraguai. Pode chegar a uma altura que fica entre 0.1 a 0.3 m e a luminosidade que prefere é a meia sombra ou a sol pleno. O seu ciclo de vida é o perene, uma herbácea cheia de graça e estilo.

Descrição da Azulzinha
Trata-se de uma planta herbácea do tipo rasteira e perene que chega a no máximo 30 cm quando está ramificada. As suas folhas aparecem pequeninas, ovais, verdes e bem delicadas saindo dos talos que tem forma alternada.

As pétalas dessas flores são azuis, achatadas e de forma arredondada. Há ainda uma espécie bem semelhante que pertence ao mesmo gênero, a Azulzinha, a única diferença é que essa herbácea possui flores brancas.

Essa planta pode florescer durante o ano todo, porém, durante a primavera o florescimento é mais intenso. Seu cultivo pode acontecer em todo o país, porém, nas regiões de frio mais intenso é importante ter cuidado com a geada. O frio intenso pode ser uma dificuldade para a resistência dessa planta.

Evolvulus glomeratus

Cultivo
* Luminosidade –
O ideal é procurar um local que fique à sombra das árvores ou então a sol pleno.

* Solo – Para que a Azulzinha cresça saudável é importante que o solo seja fértil e conte com um bom teor de matéria orgânica. O solo deve ser bem drenado.

* Regas – É importante regar com frequência, pois se trata de uma planta que sofre quando passa por secas prolongadas. Durante o verão o cuidado com as regas deve ser priorizado uma vez que pode murchar se tiver falta de água.

* Canteiro – Quem vai cultivar a Azulzinha em canteiros deve preparar bem o espaço para o plantio, a dica é passar o ancinho para remover as pedras e inços que podem atrapalhar no crescimento da sua planta.

* Adubo – Para ajudar na nutrição da planta a dica é usar adubo animal de curral que deve estar bem curtido. A quantidade ideal é aproximadamente 1 kg/m2. Para incorporar e nivelar use o adubo NPK com fórmula 10-10-10. Esse adubo pode ser encontrado facilmente em supermercados.

* Mudas – É possível comprar mudas em caixas com 15 unidades, geralmente elas vêm em saquinhos de plástico. Se você comprar mudas assim é necessário ter cuidado para remover o plástico cuidando sempre para não desfazer o torrão.

* Acomodando a Muda – Para acomodar a muda abra uma cova pequena usando uma pá de jardim, em seguida coloque a muda no local e arrume a terra no entorno. Aperte de leve para que fique fixo.

* Espaçamento – Deixe um espaço de 15 cm entre linhas e plantas que seja possível a formação de um tapete denso.

* Regas – Para regar use um jato fino para não correr o risco de retirar a planta da cova.

Evolvulus glomeratus - azulzinha

Propagação da Azulzinha
Para preparar as mudas da planta é necessário bandejas de cultivo ou então se saquinhos que contenham substrato misto de areia, composto orgânico e terra de canteiro.

Em seguida retire estacas da planta, será necessário colocar mais de uma em casa saco. Depois basta regar a planta e deixá-las em cultivo num local que esteja protegido do sol até que a muda comece o seu desenvolvimento.

O melhor momento para fazer a estaquia é o final do inverno nos estados do sul do Brasil. Nos demais estados do país é interessante fazer a estaquia na estação das chuvas ou então no outono.

A Azulzinha no paisagismo
Nas áreas extensas em que não há grama a Azulzinha é uma excelente cobertura vegetal, pode ser usada como planta de forração. Considere que essa planta não resiste ao pisoteio e nem mesmo a falta de água então pense bem onde vai cultivá-la. Se for o desejo poderá usá-la como pendente como grande parte das plantas rasteiras.

Pode ser cultivada em jardineiras ou então em vasos grandes acompanhando altas Dracenas ou então palmeiras. As lindas e pequenas flores dessa planta ajudam a trazer um colorido para o jardim, além disso, a Evólvulo floresce o ano todo. Se bem cultivada e cuidada essa planta pode estar sempre florida.

Evolvulus

Uma planta para o litoral
Apesar de não tolerar muito bem as geadas e o encharcamento a Azulzinha é uma planta que suporta bem a salinidade sendo uma planta indicado para cultivar no litoral. Além disso, a beleza dessa herbácea a torna uma excelente opção para compor qualquer jardim.

Atenção as plantas de forração
Além da beleza de suas flores a Evólvulo presta-se a ser uma planta de forração, muitos amantes de jardins ainda não sabem a importância de ter esse tipo específico de planta nos seus espaços verdes.

O objetivo de contar com essas plantas ou flores pequeninas é dar mais graça e colorido a sua área externa. Esse tipo de planta ajuda a dar um acabamento melhor ao seu jardim, pois além de cobrir o solo dos canteiros e vasos permite completar áreas que ficariam vazias.

Há também a questão prática de ter plantas de forração que é manter a umidade constante no jardim. Isso tudo sem contar nos lindos contrastes que essas plantas acrescentam em tons e texturas.

Evolvulus glomeratus, azulzinha,

Dedicação
Para manter um jardim sempre florido e bonito é fundamental ter dedicação para regar cada planta com a quantidade de água que ela necessita bem como manter as podas em dia.

Na dúvida sobre fazer poda a dica é tentar manter a planta sempre limpa, ou seja, sem galhos ou folhas secas. Quando a planta fica doente é necessário remover a parte comprometida para que o resto dela não seja prejudicada.

janelaechuva1

hera-de--canteiro-14

A hera-de-canteiro é também conhecida por nomes tais como, erva-de-são-joão e hera-terrestre é uma planta herbácea, com característica rasteira, de florescimento e folhagem ornamentais.

Suas folhas produzem um aroma e apresentam formação arredondada a reniformes, ou seja, com formato de rim, apresentando coloração arroxeada ou esverdeada, com pontas crenadas, e um pecíolo comprido.

É uma planta que pertence à família Lamiaceae e origina-se da Europa e Ásia.

Ainda há uma forma variada da planta, que possui as folhas margeadas de branco, sendo bastante comum para cultivar. Os ramos das plantas são longos, quase em formato quadrangular e apresenta áreas cobertas por uma lanugem fina. Da parte de onde provem os nós saem as raízes e os pecíolos foliares, fazendo com que a planta se espalhe pela superfície do lugar.

Essa planta apresenta flores bastante bonitas e delicadas, geralmente em formato tubular e axilar, com coloração que pode variar entre o roxo e o azul. As flores aparecem sempre na primavera.

Determinadas variedades oferecem uma folhagem mais de aparência decorativa, enquanto as demais se sobressaem pelo florescimento em excesso.

Glechoma_hederacea_2

Em razão de serem bastante variadas, as heras-de-canteiro são muito utilizadas no paisagístico. Elas servem tanto para cobrir os canteiros ou até mesmo os maciços que estão à meia sombra, para se transformar em verdadeiros tapetes, especialmente embaixo de arbustos e das copas das árvores.

Em lugares com temperatura mais baixa, ela pode ganhar um pouco mais de luz solar, sendo uma excelente opção para ser usada em jardins rochosos, desde que tenham um pouco de umidade.

Quando a mesma é plantada diretamente em vasos, cestas pendentes ou jardineiras suspensas é capaz de formar charmosas e longas cabeleiras. Atuando tanto como pano de fundo para outras espécies de flores, tais como a boca-de-leão, o amor-perfeito, dentre outras. Entretanto, seu crescimento deve ser sempre muito bem supervisionado, já que a mesma pode fugir do controle, chegando a áreas como jardins e dentro da residência.

Apesar de ser bastante vistosa, ela é uma planta delicada e frágil, portanto, não suporta ser pisoteada. Além disso, durante o plantio é preciso que seja manuseada com bastante cuidado, bem como durante a etapa da adubação e do replantio. Para que ocorra a renovação de suas folhagens é necessário que se roce um pouco os arbustos, usando para isso lâminas bem afiadas, senão os galhos não são removidos de acordo.

Além de enfeitar os canteiros e vasos por todos os lugares, a hera terrestre é uma planta comestível, podendo ser ingerida de maneira refogada ou crua. Suas folhas proporcionam uma picante, fresca e saborosa salada.

Glechoma_hederacea_1

Cultivo
A hera-de-canteiro deve sempre ser cultivada à meia sombra, num solo de grande fertilidade, bem adubado, com a drenagem adequada, e ainda enriquecido com uma grande de matéria orgânica, bem como uma rega frequente, pois sua principal exigência é um solo úmido.

É uma planta rústica não precisa de adubo, mas para garantir folhas mais saudáveis, adubar com NPK 10-10-10, seguindo orientação do fabricante. Aceita podas, o que estimula novas brotações.

Essa planta tem preferência pelo clima ameno e não suporta seu solo seco. Quando se vai fazer a aplicação de fertilizantes, é importante que não se aplique aqueles que contenham o boro em sua composição, já que o mesmo apresenta toxidade para essa espécie.

A planta não gosta também de muito calor, pois suas folhas e flores acabam murchando com grande rapidez. Sua multiplicação é mais eficaz quando feita através da estaquia dos ramos, mergulhia ou divisão das touceiras enraizadas.

0723-glechoma

Cultivo em vasos
Também é possível seu cultivo em vasos como pendente, sozinhas ou consorciadas com outras plantas de espécies diferentes, desde que tenham as mesmas necessidades de luz, substrato e umidade.

Deve-se proteger o fundo do vaso com pedrinhas ou geomanta e uma camada de areia úmida. Colocar o substrato feito de uma mistura de húmus de minhoca, composto orgânico e 50 g de adubo granulado do tipo NPK formulação 10-10-10.

Colocar parte no fundo, acomodar o torrão e preencher as laterais, firmando a muda. Regar.

Para fazer mudas da hera-de-canteiro basta retirar pedaços de ramos com até 0,25 m, sempre com entrenós visíveis, retirar as folhas que ficarão enterradas com cuidado para não danificar as gemas e colocar em perlita, areia ou casca de arroz carbonizada mantendo a umidade e em cultivo protegido.

Quando enraizar começará a emitir novas folhas, quando poderá ser transplantada para vasos ou canteiros.

Lago-com-chuva5

hera-roxa

A Hera-roxa pertence à família Acanthaceae. E sua origem é da Ásia – Indonésia, Índia, Java e Malásia. A luminosidade que prefere é a sol pleno ou meia sombra. O seu ciclo de vida é o perene.

Muito colorida essa planta herbácea é bastante utilizada para a forração de jardins devido ao belo contraste que proporciona. A ramagem é ramificada, reptante, densa e prostrada. Não ultrapassa 30 cm de altura, as suas folhas são opostas, ovais e contam com nervuras bem marcadas bem como bordos serrilhados.

Na parte superior das suas folhas apresentam degradês de verde-acinzentado a roxo ou vermelho com lindos reflexos metálicos para completar. Na parte inferior das folhas a planta ela tem um tom de vermelho vinho. O florescimento acontece na primavera e também no verão.

As flores da Hera-roxa são brancas e pequeninas, as inflorescências dessas plantas são do tipo espiga. Uma planta que não possui grande importância ornamental. Outra variedade bem comum é aquela que possui folhas enrugadas cujas margens são enroladas e tem uma tonalidade arroxeada chamada de “exótica”.

Hemigraphis Alternata

A Hera-roxa no jardim
No paisagismo a Hera-roxa é uma planta que se destaca pelo seu colorido e também pelo volume e textura das suas folhas. Enquanto está florindo essa planta tem lindas flores brancas que surgem sobre um fundo roxo que também é bem ornamental. Uma planta que pode ser usada como forração, formação de maciços e bordadura.

Ainda pode ser usada em jardineiras elevadas, vasos ou cestas suspensas com um belo efeito cascata. Vale destacar ainda uma curiosidade a respeito da Hera-roxa, estudos apontam que ela é uma das plantas mais eficientes do mundo em remover os poluentes orgânicos de ambientes internos como escritórios e mesmo casas.

Cultivo
Essa planta deve ser cultivada a meia-sombra ou então a sol pleno no solo fértil, enriquecido com matéria orgânica, bem drenado e a irrigação deve ser feita regularmente. Uma planta que pelo fato de ser um tanto rústica não exige muitos cuidados de manutenção.

Trata-se de uma planta que não exige podas, porém, você pode realizá-las para fazer a renovação da folhagem. Destacamos que a Hera-roxa não tolera pisoteio e nem mesmo frio intenso com geadas.

Durante os dias muito frios a planta pode perder as suas folhas. A Hera-roxa tem preferência por climas mais quentes como subtropical e o tropical, a sua multiplicação é feita através de ramagem enraizada ou então por estaquia.

hera-roxa

O cultivo em vaso
Essa planta tem um estilo bem rústico e não exige grandes cuidados de manutenção, prefere solo rico em matéria orgânica. O solo deve ser bem drenado, a dica para quem deseja fazer o cultivo em vasos é montar uma parte de terra comum de jardim, uma parte de terra vegetal, uma parte de areia grossa de construção, uma parte de composto orgânico (se preferir pode substituir por pó de fibra de coco). Lembre-se que essa planta não resiste ao pisoteio.

Perfil da Hera-roxa
Folhas –
De um colorido incrível as folhas da Hera-roxa tem variações de tons como verde-acinzentada, vermelho ou roxo. As nervuras das folhas são bem definidas e bastante ornamentais. Existe uma variedade dessa planta cujas folhas são enrugadas.

Flores – As inflorescências dessa planta se formam em geral entre a primavera e o verão. O formato das inflorescências é de espiga, sendo curtas e as flores pequeninas e nesse caso de cor branca.

Tronco – Trata-se de uma planta com ramagem bem ramificada, cheia e rasteira.

Luminosidade – Prefere sol pleno ou então meia-sombra.

Regas – Essa planta não necessita de muitos cuidados, as regas devem ser feitas de 2 a 3 vezes por semana. Verifique o substrato da planta, se ele estiver seco chegou o momento de regar novamente.

A dica é não encharcar a planta, pois as suas raízes podem acabar afogadas além de suscitar o aparecimento de fungos.

Hemigraphis Alternata111

Clima – Dentre os tipos de clima preferidos estão o subtropical e o tropical. Uma planta que não suporta temperaturas muito frias.

Poda – Não é necessário realizar uma poda regular, porém, sempre que possível remova as folhas secas para deixá-la com um visual mais bonito e também para ajudar a promover a renovação da folhagem.

Fertilização – Quando for fazer o plantio é importante preparar o local misturando ao solo aproximadamente 5 colheres de sopa de NPK por metro quadrado com fórmula 04-14-08.

Utilização – Trata-se de uma planta bastante utilizada em projetos paisagísticos como bordadura, forração, vasos, criação de maciços, cestas elevadas e até mesmo em jardineiras.

Propagação
Em geral a multiplicação da Hera-roxa é feita por meio de separação de ramagens que estejam enraizadas ou então por estaquia.

Hemigraphis Alternata

Plantas de forração
É importante que o jardim conte com plantas de forração para ajudar a preencher os espaços vazios bem como para fazer a manutenção da umidade do ambiente.

Outra função das plantas de forração é oferecer contraste para o jardim. Essas plantas podem ser aquela carta especial na manga para deixar os espaços mais coloridos e cheios de vida.

A Hera-roxa é uma excelente opção de planta de forração para cultivar no seu jardim, nada como ter as belas cores dessa planta bem como as suas lindas flores brancas. Siga as dicas de cultivo e tenha como resultado uma planta linda que irá se destacar no seu jardim como um todo.

janel8