Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Plantas de Forração’

Wedelia_trilobata

Ao redor do mundo encontraremos plantas de todos os tipos, plantas que são ótimas para decorar ambientes internos, plantas com aromas deliciosos, plantas que atraem pássaros e que dão um toque especial ao seu jardim.

Além dessas, existem ainda aquelas que são super populares por aquelas pessoas que vivem em locais onde o cultivo de plantas, principalmente as mais delicadas, é complicado devido às condições de solo, clima ou os dois.

Justamente para deixar esses lugares mais bonitos que existem as plantas mais rústicas. Essas plantas são ótimas para cultivo em regiões muito quentes ou muito frias, por exemplo.

Mais abaixo, conheceremos as principais características da vedélia, uma planta rústica e muito popular aqui no Brasil, principalmente nas regiões de praia, onde as condições de clima não são tão populares.

A vedélia pertence à família Asteraceae e é encontrada por toda a América do Norte, mas o maior cultivo cabe ao nosso território, por isso você conseguirá ter essa linda planta e suas lindas flores em seu jardim facilmente.

Wedelia

Dependendo de onde a vedélia é cultivada, ela pode receber outras denominações como mal-me-quer e picão-da-praia.

Categorizada como planta usada para forrações, a vedélia desenvolve-se melhor em climas equatoriais, oceânicos, subtropicais e tropicais, tais climas tipicamente de todo o território brasileiro. Especificações sobre forma de cultivo nós vamos entender melhor no próximo tópico.

De ciclo de vida perene, o que significa que plantando a vedélia o jardim, terá uma linda planta florescendo durante todo o ano. Uma planta rasteira e ramificada, o que faz o sua altura não ultrapassar os 30 cm de altura.

As folhas são trilobadas e apresenta-se sempre na cor verde mais escura o que dá um belo contraste com as pequenas flores que são amarelas. Estas são muito numerosas e isso dá um efeito todo especial à planta, mas apresentam-se solitárias por cada ramagem da sua plantação.

É justamente essa quantidade exuberante de flores que tornou a planta tão popular no paisagismo, principalmente para ser usada como forração que vai de canteiros, bordaduras, taludes e ainda pode ser utilizada em vasos e jardineiras apenas como aspecto decorativo também.

Cultivo
A vedélia deve ser cultivada sob o sol pleno ou então em meia sombra. O solo deve está muito bem fertilizado e as regas devem ser feitas com intervalos regulares.

Como ela é uma planta rústica não precisará ter com ela cuidados tão delicados, pois ela supera bem algumas condições de solo, umidade e iluminação.

É uma planta que tolera muita umidade tanto do solo quanto de temperatura. Alagamentos ou períodos maiores de secas não causarão nenhuma deficiência da sua vedélia. Ela responde tão bem essa diversidade de clima, que passou a ser uma planta muito utilizada em jardins de regiões praianas.

A reprodução da vedélia pode ser feita por divisão da planta ou por mudas. Para plantar corretamente, é necessário preparar a terra com adubo animal de curral e do tipo bem curtido. O ideal é usar 1 quilo desse adubo para cada metro quadrado de plantação da vedélia. Ele tem que ser muito bem incorporado ao substrato para que sua planta cresça bem.

Sphagneticola Trilobata

Depois de preparar bem a terra, o canteiro que vai receber a planta deverá ser nivelado para que o plantio seja feito de forma correta. Depois de nivelar o canteiro, abra uma cova do tamanho do torrão da muda. Geralmente essa medida é o equivalente a largura e profundidade de uma mão fechada.

Com a cova aberta, retire a muda do material que a protege e coloque a planta de forma que ela fique bem firme para que germine e cresça sem nenhuma parte deficiente. Aperte de leve de forma que ela fique bem fixa e preencha todo o espaço com a areia preparada, se certificando que ela fique sempre bem firme.

Quando terminar esse processo regue bem a vedélia e a mantenha bem saudável. Apesar de ser rústica, é bom  atentar para a planta a fim de evitar que alguma doença possa contaminá-la.

janel9

lobélia-azul

Saibam que as plantas de forração são tão ou mais importantes do que as plantas de destaque, porém, quase sempre acabam em segundo plano. A função das espécies de forração é garantir o arremate final ao projeto de paisagismo de um jardim bem estruturado.

As plantas de forração são pequenas, algumas até miúdas, que servem para deixar jardins mais bonitos. Podemos dizer que é uma espécie de “técnica” que ajuda a deixar a parte externa mais bonita, fazendo uma espécie de acabamento.

Elas cobrem vasos e canteiros por completo. Mas, não são úteis somente pela beleza, também ajudam para criar texturas, tonalidades diferentes e auxiliam no controle da umidade.

Todas as qualidades das plantas de forração podem ser aproveitadas nos espaços residenciais. Claro, que para que tudo funcione perfeitamente é necessário estar atento a determinados cuidados. Uma boa opção é misturar as espécies que existem no mercado quando for criar as forrações.

Outro ponto importante é em relação à luminosidade, dela depende o sucesso ou não da forração. Algumas plantas exigem iluminação direta do sol, enquanto outras, precisam de meia sombra ou de luz parcial, isto é, quando as árvores filtram a luz natural, antes de chegar até elas. A luz do sol é muito importante e influencia diretamente no crescimento das plantas.

A sua função é muito mais do somente cobrir o solo ou então ser parte do acabamento. Essas plantas servem como um tipo de revestimento e proteção do solo contra erosões. Também ajudam a reduzir o calor e nos espaços urbanos quando usadas em volume podem auxiliar a orientação do fluxo de pedestres e ainda cercar caminhos sem causar obstrução do visual.

As qualidades citadas se mostram bem interessantes para explorar nos espaços residenciais. Porém, é importante tomar cuidado na hora de escolher as espécies de plantas de forração que irão compor o seu jardim.

Na hora de fazer essa escolha é necessário avaliar as condições de luminosidade aceitas pelas plantas e que estão disponíveis no ambiente em que você pretende fazer o cultivo.

azulzinha (Evolvulus glomeratus)

Saiba que algumas plantas de forração necessitam de sombra parcial, como, por exemplo, a luz filtrada pelas copas das árvores. Há ainda aquelas plantas que necessitam de incidência plena do sol para se desenvolver. Isso sem contar as espécies que se desenvolvem na vertical que são mais indicadas para cobrir muros como a unha de gato, as heras, a vinha e a jiboia.

Para não escolher erroneamente as plantas de forração é ideal que você conte com a ajuda de um profissional na área. Esse profissional pode te ajudar a escolher as espécies que são mais adequadas para o seu jardim ou espaço a ser forrado.

Em geral a manutenção dessas plantas é feita da mesma forma que a da grama. Dessa forma é preciso limpar, retirar as folhas velhas e secas, promover a irrigação e adubar. É bom ficar atento para tomar providências se aparecerem doenças e pragas que prejudicam as plantas de forração.

No paisagismo, o gramado como forração é muito usado para fazer a integração entre todos os elementos que fazem a composição daquele jardim. Claro, fazem a proteção do solo e de forma positiva, podem exercer influencia positiva sobre o microclima da área.

Outra função de um gramado como forração do jardim é garantir que a paisagem, além de protegida, fique verde durante o ano todo.

onse-horas (Portulaca grandiflora)

A verdade é que com criatividade, não faltam opções para criar lindas forrações. Porém, as pessoas tendencialmente preferem as plantas que cobrem todo solo e que são perenes. Também é muito popular o uso de casca de árvore, pedriscos e seixos, neste tipo de técnica.

Independentemente do tipo de forração que você escolha, seja grama ou qualquer outra, basicamente, o que é principal para mantê-la como se deve é a manutenção. É fundamental que as folhas secas e velhas sejam retiradas, que o espaço seja limpo com frequência, além do adubo, que deverá seguir a risca o exigido pelas planta escolhidas e a irrigação. Lembrando que água demais é tão ruim quanto água de menos.

Uma dica para quem gosta de forrações floridas é o uso de adubos com composição com maior concentração de fósforo. Esse tipo de substância ajuda a fazer com que as flores fiquem mais bonitas e o jardim mais florido por um longo tempo. No caso da forração verdinha, com algum tipo de grama, quanto mais a cor for viva, mais bonito ficará, neste caso, enriquecer o adubo com nitrogênio é a melhor opção.

Lantana (Lantana camará)

Dicas para cuidar das plantas de forração
* Todas as plantas precisam de cuidados específicos, o mesmo que vale para uma planta que você cultiva no vaso, serve para aquela que foi cultiva no jardim ou tem o objetivo de ser uma forração.

Então, o melhor mesmo é saber tudo sobre a espécie, antes de comprá-la. Considerando, principalmente, o solo que se tem e também o quanto de luz solar essa planta irá receber. Quem não tem muito tempo deve sempre optar pelas plantas de baixa manutenção.

* É importante que você tenha um sistema de irrigação ou uma forma de molhar as plantas que não comprometa a saúde de cada uma delas. Elas precisam de água e esse é um fator que deve ser pensado logo no início, de como será feita a irrigação.

* Antes de fazer qualquer tipo de cultivo, verifique a qualidade do solo. Pode ser que seja necessário melhorar ou regular a terra com uso de adubo. Um solo doente não serve para fazer nenhum tipo de cultivo.

Para trabalhar com jardinagem é fundamental ter as ferramentas básicas para trabalhar em jardim. Elas ajudam a garantir um trabalho perfeito, sem que você acabe “machucando” uma planta, por exemplo, quando vai fazer algum tipo de manutenção, como tirar ervas daninhas.

flore1323

barbadeserpente - Ophiopogon Jaburan

A barba-de-serpente é uma planta de forração pertencente à Ruscaceae, originária do Japão. Está incluída na categoria de forrações à meia sombra, forrações a sol pleno ou então de folhagens. Pode alcançar uma altura entre 0.1 a 0.3 m. É uma planta de ciclo perene e a luminosidade ideal para essa planta é a meia sombra ou então a sol pleno.

Trata-se de uma planta perene, herbácea, de folhagem ornamental bem parecida com uma gramínea. O seu crescimento acontece em tufos, touceiras, baixos que tem entre 20 e 40 cm de altura. Em geral essa planta tem um tom de verde escuro, porém, a sua forma considerada ornamental é variegada com as folhas com estrias amarelo-pálido ou branco-creme.

No verão aparecem as inflorescências em espigas e com flores bem delicadas que tem a forma de sino, podem ser arroxeadas ou brancas. As flores são pequeninas e dessa forma mesmo sendo muito bonitas acabam tendo uma importância ornamental secundária.

Depois que acontece a floração forma belos frutinhos que são do tipo oblongos, baga e que tem uma cor que vai de violácea a azul.

A barba-de-serpente no paisagismo
No que concerne ao paisagismo a barba-de-serpente é uma excelente planta de forração para locais que tem meia sombra, como sob a copa das árvores, ou que são ensolarados.

Uma planta que pode ser utilizada como bordadura, para indicar caminhos ou então demarcar canteiros. Pelo fato de essa planta ter um aspecto recurvado e pendente de suas folhas é uma boa opção para ser cultivada em vasos e jardineiras. Faz bonito também como adorno de pátios e varandas.

É possível compor lindos arranjos com as espigas que tem frutos arroxeados, a dica é juntar com outras espécies florais.

Ophiopogon Jaburan

Ophiopogon Jaburan'

O cultivo da barba-de-serpente
O cultivo dessa planta pode ser feito a meia sombra ou então a sol pleno, o solo deve ser fértil e ter boa capacidade de drenagem. Além disso, deve ser um solo leve, enriquecido com matéria orgânica e que possa ser irrigado de forma regular.

A barba-de-serpente suporta bem geadas e o frio do inverno subtropical. Como se trata de uma planta de um estilo rústico não exige muitos cuidados de manutenção. As fertilizações devem ser bienais com matéria orgânica.

As divisões devem ser feitas através de touceiras, isso estimula o desenvolvimento e a floração da planta. Não é necessário fazer podas na barba-de-serpente e pode até mesmo ser cultivada em regiões litorâneas. A sua multiplicação pode ser feita através da divisão de touceiras e de forma mais incomum por sementes.

Essa planta é bastante utilizada pelas prefeituras para o paisagismo das cidades pelo fato de que a barba-de-serpente é barata e resiste bem ao frio e outras intempéries. Uma planta herbácea cujo ciclo de vida é perene.

A sua haste é subterrânea e possui uma folhagem de caráter ornamental ficando muito bem em espaços públicos como parte da decoração. As suas folhas são estreitas e laminares, porém, longas e recurvadas que surgem a partir da base da planta.

No cultivo em áreas públicas essa planta costuma ser plantada em bordas ou como forração. Além de bonita essa planta oferece a vantagem de não exigir muitos cuidados de manutenção.

janela-chuva

Pilea cadierei

Algumas vezes, as plantas são usadas para decorar diversos tipos de lugares, pois elas têm o poder de suavizar o ambiente onde é colocada. As plantas também servem como parte de decoração, e deixam o local onde são colocadas, muito mais bonito, com um clima agradável e deixar um ambiente cheio de harmonia, e isso é muito bom, pois alegra o cotidiano das pessoas.

É o caso da Piléia que também pode ser conhecida como Alumínio, Piléia- alumínio e Planta-alumínio. Essa planta é da família Urticaceae e possui ciclo de vida perene. Essa planta é originária do Vietnã, e se adapta muito bem ao sudeste brasileiro.

Ela pode chegar a medir cerca de 30 cm de altura. Suas flores surgem na época do verão, são da cor branca e são bastante discretas, por isso, não possuem muita importância ornamental.

Já suas folhas são muito admiradas, pois são almofadadas, pintadas da cor prata sobre um fundo de cor verde brilhante e azulado.

Pilea_cadierei_flores
A Piléia é uma planta rústica e não possui alta manutenção. A sua linda e compacta folhagem pode ser admirada em jardineiras, vasos e canteiros mantidos sempre úmidos, em composições com outras plantas ou como espécie isolada.

Ela é ótima para preencher canteiros e bordaduras. Se a Piléia for plantada em vasos é indicado que se utilize uma parte de terra vegetal e duas partes de composto orgânico.

Ela se propaga muito fácil através de divisão de touceiras e estacas. Essa espécie de planta prefere clima quente e solo umedecido com riqueza orgânica, também gosta de luz, mas não o contato direto com o sol e deve ser protegida do vento.

jardim11