Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Plantas de Forração’

Evolvulus Glomeratus

Conhecida popularmente como Evólvulo ou Azulzinha, a planta pertence à família Convolvulaceae e está na categoria de flores perenes, forrações a sol pleno ou a meia sombra. Os climas a que se adapta são o tropical, o subtropical e o equatorial.

Sua origem é a América do Sul especificamente o Brasil e o Paraguai. Pode chegar a uma altura que fica entre 0.1 a 0.3 m e a luminosidade que prefere é a meia sombra ou a sol pleno. O seu ciclo de vida é o perene, uma herbácea cheia de graça e estilo.

A evólvulo é uma planta herbácea do tipo rasteira e perene que chega a no máximo 30 centímetros quando está ramificada. As suas folhas aparecem pequeninas, ovais, verdes e bem delicadas saindo dos talos que tem forma alternada.

evolvulus-pusillus

As pétalas dessas flores são azuis, achatadas e de forma arredondada. Há ainda uma espécie bem semelhante que pertence ao mesmo gênero, a evolvulus pusillus, a única diferença é que essa herbácea possui flores brancas.

Essa planta pode florescer durante o ano todo, porém, durante a primavera o florescimento é mais intenso. O cultivo da evólvulo pode acontecer em todo o país, porém, nas regiões de frio mais intenso é importante ter cuidado com a geada. O frio intenso pode ser uma dificuldade para a resistência dessa planta.

Como cultivar
* Luminosidade – O ideal é procurar um local que fique à sombra das árvores ou então a sol pleno.

* Solo – Para que a evólvulo cresça saudável é importante que o solo seja fértil e conte com um bom teor de matéria orgânica. O solo deve ser bem drenado.

* Regas – É importante regar com frequência a evólvulo, pois se trata de uma planta que sofre quando passa por secas prolongadas. Durante o verão o cuidado com as regas deve ser priorizado uma vez que pode murchar se tiver falta de água.

* Canteiro – Quem vai cultivar a evólvulo em canteiros deve preparar bem o espaço para o plantio, a dica é passar o ancinho para remover as pedras e inços que podem atrapalhar no crescimento da sua planta.

* Adubo – Para ajudar na nutrição da planta a dica é usar adubo animal de curral que deve estar bem curtido. A quantidade ideal é aproximadamente 1 kg/m2. Para incorporar e nivelar use o adubo NPK com fórmula 10-10-10. Esse adubo pode ser encontrado facilmente em supermercados.

* Mudas – É possível comprar mudas em caixas com 15 unidades, geralmente elas vêm em saquinhos de plástico. Se você comprar mudas assim é necessário ter cuidado para remover o plástico cuidando sempre para não desfazer o torrão.

* Acomodando a muda – Para acomodar a muda abra uma cova pequena usando uma pá de jardim, em seguida coloque a muda no local e arrume a terra no entorno. Aperte de leve para que fique fixo.

* Espaçamento – Deixe um espaço de 15 cm entre linhas e plantas que seja possível a formação de um tapete denso.

* Regas – Para regar use um jato fino para não correr o risco de retirar a planta da cova.

azulzinha 2

Propagação – Mudas
Para preparar as mudas da evólvulo você precisa de bandejas de cultiva ou então se saquinhos que contenham substrato misto de areia, composto orgânico e terra de canteiro.

Em seguida retire estacas da planta, será necessário colocar mais de uma em casa saco. Depois basta regar a planta e deixá-las em cultivo num local que esteja protegido do sol até que a muda comece o seu desenvolvimento.

O melhor momento para fazer a estaquia é o final do inverno nos estados do Sul do Brasil. Nos demais estados do país é interessante fazer a estaquia na estação das chuvas ou então no outono.

O uso no Paisagismo
Nas áreas extensas em que não há grama a evólvulo é uma excelente cobertura vegetal, pode ser usada como planta de forração. Considere que essa planta não resiste ao pisoteio e nem mesmo a falta de água então pense bem onde vai cultivar a evólvulo.

Se você desejar poderá usá-la como pendente como grande parte das plantas rasteiras. Pode ser cultivada em jardineiras ou então em vasos grandes acompanhando altas dracenas ou então palmeiras.

As lindas e pequenas flores dessa planta ajudam a trazer um colorido para o jardim, além disso, a evólvulo floresce o ano todo. Se bem cultivada e cuidada essa planta pode estar sempre florida.

Evolvulus-glomeratus

Evólvulo – Uma planta para o litoral
Apesar de não tolerar muito bem as geadas e o encharcamento a evólvulo é uma planta que suporta bem a salinidade sendo uma planta indicado para cultivar no litoral. Além disso, a beleza dessa herbácea a torna uma excelente opção para compor qualquer jardim.

Atenção às plantas de forração
Além da beleza de suas flores a evólvulo presta-se a ser uma planta de forração, muitos amantes de jardins ainda não sabem a importância de ter esse tipo específico de planta nos seus espaços verdes.

O objetivo de contar com essas plantas ou flores pequeninas é dar mais graça e colorido a sua área externa. Esse tipo de planta ajuda a dar um acabamento melhor ao seu jardim, pois além de cobrir o solo dos canteiros e vasos permite completar áreas que ficariam vazias.

Há também a questão prática de ter plantas de forração que é manter a umidade constante no jardim. Isso tudo sem contar nos lindos contrastes que essas plantas acrescentam em tons e texturas.

Se você tem um projeto paisagístico de jardim deve considerar as plantas de forração para compor os seus espaços. Lembre-se que a Evólvulo é uma planta que se destaca nesse segmento.

Dedicação
Para manter o seu jardim sempre florido e bonito é fundamental ter dedicação para regar cada planta com a quantidade de água que ela necessita bem como manter as podas em dia.

Na dúvida sobre fazer poda a dica é tentar manter a planta sempre limpa, ou seja, sem galhos ou folhas secas. Quando a planta fica doente é necessário remover a parte comprometida para que o resto dela não seja prejudicada.

chuvinha-1

tapete-ingles

Conhecida no Brasil como tapete-inglês, a planta que pertence à família denominada Polygonaceae é considerada uma “forração”. É uma planta gosta de ficar a sol pleno ou também a meia sombra.

A origem dessa espécie de forração, são a Himalaia, Ásia e Índia. A planta tem a altura que fica entre os 15 e 20 cm e o seu ciclo é considerado perene. Graças as essas características é uma planta muito usada no paisagismo.

Características do tapete-inglês
É classificada como perene e muito usada no paisagismo. A forração ganha espaço porque tem uma ramagem muito delicada com tonalidade para a cor castanha.

As folhas também merecem destaque pois são lanceoladas e tem um toque especial graças as suas bordas vermelhas. Além disso, possuem nervuras e um verde com um toque “bronzeado”, muitas vezes formam uma perfeita letra “V”.

Durante quase todo ano, a folhagem do tapete-inglês fica mais bonita ainda com as inflorescências. As pequenas flores podem ser rosadas, verdes ou brancas e tem como característica o fato de serem globosas.

Apesar das flores poderem aparecer em qualquer época do ano, elas são mais frequentes nos meses do verão e do outono.

Polygonum_capitatum3

O uso na paisagismo
É muito usada no paisagismo porque se trata de uma forração perfeita para deixar jardins bonitos. Porém, somente aqueles que tem uma boa incidência de sol. Além disso, a textura do tapete-inglês e as cores dão um charme todo especial.

Pelo tipo de planta concede um ar natural e rústico ao mesmo tempo. É muito comum, o tapete-inglês compor caminhos utilizando também pedras brancs junto com ele. Mas, não pense que a espécie só pode ser cultivada em quintais e jardins, ela também pode conceder beleza a um ambiente sendo cultivada dentro de floreiras e vasos.

Porém, não é indicado plantar ou colocar o tapete-inglês em lugares que tenha um grande fluxo de pessoas. Assim, como não é recomendado que pessoas caminhem sobre a forração.

Quando chega o inverno, o tapete-inglês não perde a sua beleza, porém, perde parte das suas folhas. No Brasil, se usa muito o tapete-inglês para compor projetos paisagísticos no litoral.

Cultivo
Um dos principais cuidados que devemos ter com o tapete-inglês para que cresça bonito é deixá-lo ao sol ou cultivá-lo onde tenha boa incidência de luz solar.

Também é de extrema importância que além de boa drenagem, o solo seja fértil, preparado com antecedência com material orgânico. E claro, como toda a planta, a rega deve ser frequente, mas sempre tomando cuidado para não encharcar.

Na hora de plantar no quintal ou jardim, a cada metro quadrado não coloque mais do que 4 mudas do tapete-inglês. A distância entre as plantas é necessária. Quatro mudas neste espaço garantem o efeito tapete e o visual incrível.

O tapete-inglês é o tipo de planta que não dá muito trabalho. Claro, que as podas não podem faltar para que o crescimentos seja controlado, assim como a cada ano, de preferência no inverno, seja feito o adubo.

Caso queira fazer multiplicação do tapete-inglês use divisão de ramagem com raiz ou simplesmente, compre mais sementes.

tapeteingles

Quando a planta de forração protege o terreno?
Não é só para deixar um terreno mais bonito que as forrações são usadas, elas também podem ser usadas para proteção. Isso mesmo, com esse tipo de planta é possível proteger o solo de barrancos, por exemplo.

Evitar erosão provocada pelas chuvas fortes. Elas também auxiliam o terreno evitando que ele fique ressecado, o que é normal em lugares onde o calor é forte demais.

No caso da proteção do terreno por quanta da chuva, as plantas auxiliam a absorver a água e não deixar que a terra fique inundada. Sendo assim, pode ser considerada uma espécie importante para auxiliar na drenagem do solo.

Porém, caso seja um barranco que não receba absolutamente nada de luz solar, não é recomendado o seu uso, nem como meios de paisagismo e muito menos para proteção do solo. Qualquer espécie de forração precisa receber a luz do sol com frequência, mesmo que fique sob meia sombra.

Vale lembrar, que mesmo quando se pensa em usar qualquer espécie de forração com o objetivo de criar uma proteção para o solo, essa terra deverá ser preparada para receber a planta. Como foi dito a respeito do tapete-inglês e isso vale para qualquer tipo de forração, essas plantas precisam de solo fértil para se desenvolverem.

chuva

Dianella_1

No Brasil podemos encontrar a planta chamada dianela, porém, a sua origem é da Austrália e da Oceania e pertence à família Xanthorrhoeaceae. É mais encontrada na Austrália e também na Tasmânia.

Pela origem dá para imaginar que tipo de clima essa planta aprecia, que são: mediterrâneo, subtropical, temperado, oceânico e equatorial. Podemos considerar uma excelente característica essa facilidade de uma planta se adaptar bem a vários climas diferentes.

A dianela está colocada em 3 categorias diferentes, que são: forrações, gramados e folhagens. O que significa que é uma ótima opção para quem está querendo fazer ou gramado ou forração.

Outra característica importante de uma planta que é necessário observar quando se pensa em cultivá-la é em relação ao tipo de iluminação que ela gosta, no caso da dianela, ele prefere sol pleno. Suporta ainda, meia sombra, mas sombra total, nem pensar.

Para completar as características principais, a dianela não superar a altura de 0.4 m e normalmente começa a 0.3 m. Sobre a aparência é herbácea, perene, tem rizomas (rizomatosa) e entouceirada.

dianella tasmanica

A dianela no paisagismo
Se está na categoria de forrações e gramados, fica fácil entender porque a dianela é muito usado no paisagismo.

A planta pode ser perfeitamente usada no paisagismo no Brasil porque o nosso clima favorece o bom desenvolvimento dessa planta. Aliás, ela é considerada uma das melhores para fazer forrações.

Os seus rizomas merecem atenção, de onde saem as folhas, elas são, normalmente, muito carnosos. Falando das folhas, são belas e muito verdes, estreitas, porém, muito longas e o “acabamento” são as bordas em formato de serrinha. A medida das folhas fica entre de comprimento 80 cm, não supera isso, e a largura não passa de 5 cm.

Outro motivo que faz com que a dianela ganhe o status de ótima para paisagismo é o fato de ter uma florescência interessante. Classificada como espiga, as flores ficam bem na ponta, em botânica se diz, no ápice. Elas são azuis e bem pequenas. Mas, as folhas chamam mais atenção que as flores.

Já os frutos possuem forma de bagas e cor violeta, são redondos e muito brilhantes, também bem pequenos como as flores, o tamanho não passa de 1 cm.

dianela tasmanica

Existem vários tipos de dianela, mas a mais cultivada no nosso país é a dianela variegata, cujo as folhas tem um tom de verde bem escuro e as margens são brancas.

Normalmente, a dianela é usada criando maciços, obviamente sob sol pleno. Essencial para garantir a boa aparência. Funciona também no caso de meia sombra. O principal motivo da escolha é o efeito da textura que é conseguida com essas plantas.

Outra maneira de usar a dianela é simplesmente cultivando separadamente ou fazendo forrações, misturando com outras plantas.

No paisagismo podemos considerar a dianela um “coringa” por que ela combina com várias outras plantas, dá para ser usada das mais diversas maneiras, sem falar que fica ótima em uma grande variedade de estilos. É uma planta perfeita para um jardim no estilo tropical, assim como para um no estilo oriental. Até mesmo contemporâneo e clássico. Ela se adapta bem a qualquer situação.

Mais uma vantagem da dianela no paisagismo é que ela pode ser plantada diretamente no solo, mas também pode ser usada em vasos ou jardineiras e pode ser colocada na parte interna da casa, desde que seja um lugar que a luz natural chegue em boa parte do dia.

flores da dianella tasmânica

O cultivo da dianela
Pode-se considerar que a dianela não é muito exigente na hora do cultivo, o que ela realmente precisa são dos cuidados, que toda planta, como ponta pé inicial necessita. Nem mais e nem menos.

A primeira coisa a fazer, caso queira plantar a dianela é em relação ao lugar que acontecerá o cultivo. Neste caso, volto a falar do sol pleno e da meia sombra. Somente nessas duas opções ela poderá ser cultivada.

Como qualquer planta, a dianela precisa de um solo que tenha sido preparado para recebê-la, além disso, é importante que essa terra receber matéria orgânica para enriquecê-la. Pois, a terra deve ser fértil. Outro ponto importantíssimo é em relação a drenagem, precisa ser ótima e o solo deve ser irrigado com regularidade.

Lembre-se quando estiver preparando o solo e o espaço para receber a dianela, que no seu lugar de origem ela está entre florestas úmidas.

O que perguntar ao jardineiro quando for comprar as mudas:
* Sobre o melhor lugar para cultivar a dianela.

* Sobre os períodos de estiagem, como agir, considerando o clima da sua cidade.

Dianella_tasmanica_

* Com quais pragas você deverá se preocupar e como combatê-las. Apesar de que vale ressaltar que a dianela é muito resistente a elas.

* Sobre outros cuidados. Apesar de que são poucos, uma vez que nem poda é necessário fazer.

* Consulte o vendedor sobre o tipo de fertilizante que deverá ser usado, o ideal é que a fertilização aconteça a cada semestre.

* Informe-se sobre o replantio que é necessário a cada época de fertilização.

* Os métodos de multiplicação da dianela são através de divisão de touceiras e a plantação de sementes.

canyon

Sphagneticola_trilobata_STARR

A vedélia é uma planta da família da Asteraceae, originária da América do Sul, com maior incidência aqui no Brasil. Essa planta, dependendo do local onde é cultivada vai receber outros nomes como picão-da-praia e mal-me-quer.

A vedélia cresce no máximo 30 cm de altura e se cultivada sob as condições ideais de solo, umidade e clima, equatorial, oceânico, subtropical e tropical, sempre terá lindas flores no jardim, já que a vedélia possui um ciclo de vida perene, o que significa que ela floresce durante todo o ano.

É uma planta típica de litoral muito rústica e vistosa. A sua ramagem é bem rasteira e com muitos ramos. As folhas são trilobadas e sempre na cor verde, em tonalidade mais escura.

As flores sempre amarelas e com formação bem semelhante à das margaridas, como citamos mais acima, elas também florescem de forma solitária, mas em muitos capítulos.

Na maioria das vezes a vedélia é encontrada como forração de taludes e barrancos devido as suas ramagens ser bem densa. Além de forração ela também é muito utilizada para ornamentar canteiros tanto diretamente em vasos ou jardineiras.

vedélia

Cultivo
A vedélia pode ser cultivada tanto em locais com sol com à meia sombra, desde que estes estejam devidamente preparados. A adubação deve ser orgânica e é feita com adubo animal de curral do tipo bem curtido.

O ideal é usar 1 quilo desse adubo para cada metro quadrado de plantação da vedélia. Mantenha o solo bem incorporado nesse adubo para que a planta germine perfeitamente e cresça bonita.

Não se esqueça de nivelar todo o canteiro antes de começar o seu plantio. Isso vai ajudar a planta a crescer toda por igual, é uma ação muito eficiente principalmente se a vedélia for usada para forração.

A vedélia se multiplica através de divisão da planta com a preservação da estrutura das mudas. Quando você adquirir as mudas dessa flor, antes de plantá-las retire a embalagem com cuidado para não desestruturar a planta germinada. Em seguida abra uma cova exatamente do tamanho desse torrão e coloque a sua muda.

Aconchegue bem a sua planta e cerce com a areia já tratada e aperte bem para fixar a terra e mais ainda a sua muda. Se observar, as covas onde vão ser plantadas a vedélia podem apresentar-se em diversos tamanhos, isso acontece porque as mudas podem se desenvolver mais, ou menos, por isso é importante que seja cavado o local onde vai ser cultivada a muda, individualmente.

Para a vedélia ter uma floração maior e a qualidade de folhas apresentar-se superior, use fertilizando mineral do tipo NPK com formulação de 04-14-08.

Após plantar a vedélia, regue bem e mantenha a regularidade nas regas, pois a vedélia gosta de ambientes mais unidos. Atente-se somente para a ação de fungos e bactérias que são bem propensos de aparecer em plantas que gostam de ambiente mais molhado. O espaçamento ideal entre as regas é de 10 dias.

É indispensável também que seja feito o controle da planta, pois sem a poda temporária, ela pode tornar-se invasiva. Como foi citado mais acima, a vedélia é típica de regiões litorâneas então deve-se evitar cultivá-la em regiões mais frias porque ela não reage muito bem a geadas.

vedélia_lll

Pragas e doenças
A vedélia não é uma planta que fica doente com muita facilidade. Na verdade a maioria das plantas rústicas dificilmente são atingidas por problemas comuns em plantas, isso acontece porque esse tipo de planta já possui uma resistência além do natural e por isso fica mais fácil de resistir à qualquer problema.

Mesmo sendo potencialmente uma espécie de planta que dificilmente adquire doenças, é importante verificar temporariamente para se certificar de que a planta está completamente saudável e manter o local de plantio sempre limpo.

Um dos problemas que pode acontecer com a vedélia é a ferrugem da planta. Esse caso acontece mais for cultivada em regiões mais frias.  Existem diversas formas de ferrugem que ataca as plantas e consequentemente o seu fungo também vai ser diferente.

Para ajudar a combater essa praga, deve-se usar sempre fungicida e se não sabe o ideal, pode coletar uma amostra da planta infectada e levar em uma loja de jardinagem mais próximo para que possa receber a indicação correta sobre o melhor remédio para tratar desse problema.

Evite utilizar qualquer tipo de componente químico e opte sempre por remédios de composição natural, isso porque evita que outras plantas sofram agressões e apareçam com problemas também.

crisantemo branco giph