Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Plantas aquáticas’

Nymphaea Rubra

A ninféia-vermelha é uma planta de folhagem e florescimento bastante ornamenta. Ela pertence à família Nymphaeceae e sua origem é da Ásia – Índia.

É uma das mais belas plantas para ser cultivada em lagos. Sua cor vermelha torna-se mais intensa quanto mais forte for a iluminação.

A partir de um determinado momento ela começa a lançar folhas flutuantes e, então, pode florescer, mas quando estas folhas começam a aparecer, a planta perde todas as folhas submersas.

Ela produz uma nova folha por semana, em média, mas parece alternar períodos em que são produzidas mais folhas e outros em que elas demoram mais para brotar.

As folhas velhas tendem a perder a cor vermelha em algumas partes, ficando com manchas de tom verde claro. Os maiores cuidados a se ter é retirar as folhas velhas para manter a beleza da planta, tomando muito cuidado para não rasgar suas delicadas folhas.

A planta acrescenta beleza e misticismo aos jardins com lagos. Suas folhas flutuantes são grandes, arredondadas e com bordas serrilhadas.

As flores, elevadas acima do nível da água, são formadas no verão, e se abrem brancas, tornando-se róseas com o passar do tempo. Os estames amarelos são elevados em bloco.

A ninféia-vermelha pode ser plantada em vasos ou diretamente no lodo em cursos de água lentos ou lagoas de água doce, vivendo a pouca profundidade. Sua folhagem e flores desaparecem no inverno.

Nymphaea rubra

Seu cultivo pode ser em lagos, tanques e espelhos de água, sempre a pleno sol. Se a água contiver peixes, evite adubações pesadas, fazendo apenas uma fertilização leve caso seja muito necessário.

É uma planta tolerante ao frio e sua multiplicação é feita pela pela divisão dos tubérculos e por sementes.

folhas caindo_1

iris_pseudacorus

O íris-amarelo é uma planta conhecida por ser umas das raras espécies de íris com flores amarelas. É uma planta herbácea, rizomatosa, entouceirada, É originária da África, Ásia e Europa e pertence à família Iridaceae.

Ele atinge em média 1,2 m de altura, e apresenta folhas longas e planas, como espadas, de coloração verde-acinzentada. Estas folhas partem do rizoma, de medula rosada, e deixam marcas semelhantes a escamas.

As inflorescências surgem na primavera e verão, e são compostas por cerca de 2 flores, sustentadas em longas hastes cilíndricas. As flores são típicas do gênero Iris, com três sépalas caídas e três pétalas eretas.

Cada pétala e sépala são de uma coloração amarelo-ouro, com veias amarronzadas ou violáceas. Ocorrem ainda variedades de flores cor creme-pálido, de folhas variegadas de amarelo, e de porte gigante, ultrapassando 2 metros de altura.

Tall Yellow Iris  700467

No paisagismo, as íris podem ser utilizadas em maciços e bordaduras, como uma excelente opção perene e de baixa manutenção, com florescimento muito vistoso e nobre. As íris também podem ser plantadas em vasos e jardineiras.

Ele é adequado para locais permanentemente úmidos, como ambientes palustres na beira de lagos, rios e áreas baixas do terreno, onde além de embelezar, oferece abrigo à vida aquática e controla a erosão e o assoreamento.

Também pode ser plantado em solos drenáveis, mas neste caso é melhor que seja irrigado regularmente e que permaneça à meia-sombra.

Também pode ser plantado em solos drenáveis, mas neste caso é melhor que seja irrigado regularmente e que permaneça à meia-sombra.

Ainda assim, nestas condições ele crescerá e florescerá menos do que se estivesse próximo à água. Também pode ser plantado em vasos e jardineiras.

Por sua rusticidade, não exige cuidados especiais, a não ser umidade constante durante a fase inicial podendo ser plantado durante o ano todo, em terra comum, numa distância média de 15 cm entre plantas e 5 cm de profundidade.

Iris pseudacorus

Ao plantar, deve-se evitar enterrar demasiadamente os rizomas, pois ficam suscetíveis às doenças e produzem menor quantidade de flores.

Manter o solo limpo de ervas daninhas. Os rizomas vêm tratados com defensivos que os tornam resistentes à maioria das doenças de solo.

Seu cultivo deve ser sob sol pleno ou meia-sombra, num solo fértil, rico em matéria orgânica e mantido constantemente úmido.

O íris-amarelo é uma planta muito rústica, sendo capaz de tolerar solos ácidos, salinos e anóxicos, submersão completa e até mesmo curtos períodos de seca.

Em invernos rigorosos, ele pode perder as folhas, o que é normal, na primavera elas voltam a brotar com força. Prefere o clima temperado ao tropical. Sua multiplicação é feita por sementes e por divisão das touceiras e rizomas.

casinha na chuva

Ludwigia sedoides

A planta-mosaico pertence à família Onagraceae e é uma espécie de planta aquática, herbácea, ideal para as margens de laguinhos e tanques. Nativa da América do Sul –  Brasil e Venezuela, ela se caracteriza pelo belo efeito de simetria radial de sua folhagem, que se encaixa como num mosaico.

De dia, suas rosetas são mais abertas, com espaço entre as folhas, já à noite, sua ramagem se contrai, aproximando as folhinhas. Suas folhas são pequenas e delicadas, flutuantes, com formato de losango e margens serrilhadas.

Elas podem ser verdes ou em tons avermelhados. Apesar do aspecto flutuante, a planta-mosaico enraíza no solo do fundo do laguinho, ou em vasos. Ou seja, da mesma forma que as ninféias, ela precisa de um bom substrato para se desenvolver.

Ludwigia-sedoides-1

Floresce no inverno, despontando pequenas e delicadas flores amarelas, com forma de taça e quatro pétalas, acima da folhagem. Após a floração produz frutos do tipo cápsula, com deiscência explosiva, que quando maduras se abrem lançando numerosas sementes à distância.

Ao projetar o uso da planta mosaico, leve em consideração que ela alcança de 10 a 30 cm de altura, então deve ser localizada próximo às margens naturais de um lago, ou em espelhos d’água de pouca profundidade.

Apesar de ser uma planta nativa, ela possui características invasivas em determinadas situações e produz muitas sementes.

Desta forma, cuidado ao utilizar em tanques que se comunicam com cursos naturais de água, evitando sua dispersão acidental no meio ambiente. Use-a em pequenos grupos, criando um delicado foco de atenção em lagos e tanques que são admirados de cima.

Ludwigia sedoides_33

Por sombrear água, ela fornece abrigo natural à vida silvestre como pequenos peixes e anfíbios. No entanto, seu uso não é aconselhado em lagos com peixes maiores, como carpas, que destroem sua ramagem delicada rapidamente.

Seu cultivo deve ser em meio aquático, sob sol pleno, em substrato fértil e enriquecido com matéria orgânica.

Não tolera águas alcalinas, com pH acima de 8. Aprecia o calor e a umidade tropical. Multiplica-se por  sementes e divisão da ramagem enraizada.

gaivotas

Nelumbo_nucifera

A flor-de-lótus é a flor mais tradicional dos lagos japoneses. A planta faz parte da família fazendo parte da família Nelumbonaceae e sua origem é asiática. Trata-se de uma planta habitante de cursos de água lentas ou lagoas de água doce, vivendo a pouca profundidade.

É enraizada no fundo lodoso por um rizoma vigoroso, do qual partem grandes folhas arredondadas, sustentadas acima do espelho de água por longos pecíolos. Produz belas flores rosadas ou brancas, grandes e com muitas pétalas.

É conhecida pela longevidade das suas sementes, que podem germinar após 13 séculos. É uma flor aquática primaveril cujas flores você poderá desfrutar até aos últimos dias do verão.

Segue uma explicação básica de como cuidar da flor-de-lótus.

A flor de lótus é aquática, além de ser uma flor para primavera e o verão. Portanto, para cuidar da flor de lótus deve-se considerar o clima, já que ela resiste moderadamente às temperaturas baixas. Isto quer dizer que no verão ela cresce bastante, mas na temporada do inverno, seca.

flor-lotus

Além disso, outro detalhe que também se deve observar são as pragas, uma vez que a flor-de-lótus costuma ser atacada pelos caracóis.

Uma vez esclarecidos todos estes detalhes, chegou a hora de cultivar a flor de lótus. O primeiro passo será lixar a ponta das sementes utilizando uma lixa de metal padrão.

Para cultivar a flor de lótus deve-se colocar as sementes em um copo de água morna sem cloro, que terá de ser trocada todos os dias até que suas sementes germinem. Não se esqueça disso pois é muito importante.

Se fizer direito, após o primeiro dia na água, as suas sementes deverão crescer quase o dobro de seu tamanho original. E lembre-se também de trocar a água, inclusive, após as suas sementes terem germinado.

O prazo de germinação das sementes da flor de lótus é de 3 a 10 semanas e, quando elas começarem a germinarem vai sair um broto verde do centro da semente.

Quando a sua flor-de-lótus estiver com 15 cm de largura você deverá transferi-la para outro recipiente. O processo é bem mais simples do que parece. Escolha um vaso adequado com capacidade para 18 litros, onde a sua planta tenha espaço suficiente para crescer.

flor de lótus-1

Outro conselho importante para o cultivo da flor-de-lótus é utilizar um pote preto que retenha o calor.

Encha seu recipiente com terra densa até 15 cm, pressione suavemente as sementes, e cubra com uma leve camada de terra. Por último, coloque seu vaso em um reservatório de água pouco profundo com 45 cm e com uma temperatura em torno de 21ºC. Estas são as condições perfeitas para o cultivo da flor-de-lótus.

Se as sementes flutuarem, significa que são inférteis. Portanto se elas não incharem como o resto, você deverá descartá-las para não deixarem a água turva e prejudicarem as restantes.

cachoeira-natureza