Plantas aquáticas - PlantaSonya - O seu blog sobre cultivo de plantas e flores
Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Plantas aquáticas’

flor-de-lótus

A Lótus é uma espécie de vegetal também conhecida como Flor-de-buda, Lótus-egípcio ou Lótus-sagrado. Ela é nativa do continente asiático, mais comum em países como o Japão, Índia e Filipinas.

A Lótus é uma planta pequena, atinge uma altura média de 50 cm, tendo como principal característica a raiz e o caule que crescem submersos enquanto as folhas e as flores flutuam.

As suas folhas, que são grandes e arredondadas, com até 25 cm de diâmetro, tem capacidade de repelir micro-organismos e poeiras das suas superfícies, se “auto-limpando”. Vamos então, aprender como plantar Lótus.

Em primeiro lugar devemos comprar as sementes. Elas podem ser encontradas em abundância em sites de jardinagem, mas dificilmente serão encontradas em lojas físicas brasileiras.

Ao entrar no site, deparar-te-á com uma imensidade de variedades, espécies e sementes híbridas, escolha a que mais te encantar. Os cuidados, no geral, são muito semelhantes.

sementes escarificadas

As sementes são leves e possuem uma casca opaca. Primeiramente para que elas possam ser germinadas utilize uma faca afiada e escarifique a casca. Faça rachaduras ou um furo para permitir que a água atinja o interior da semente com maior facilidade.

Mas tome cuidado para não danificar o miolo. Isto serve para que elas possam ser germinadas com maior facilidade.

Agora é necessário colocá-las para germinar em água morna. Aqueça cerca de 300 ml de água por 31 segundos no microondas. Fica numa temperatura boa. Evite usar água da torneira para fazer isso. Ela vem cheia de cloro e substâncias nocivas para a semente. Caso possua um purificador de água na sua casa aconselho a pegar água purificada. Ou

Deposite as sementes na água e deixe-as num local em que elas possam receber sol pleno. Estas sementes podem brotar depois de 2 ou 5 dias. Brotar, digamos: será possível ver o primeiro “verdinho” na semente após dois dias. Neste período, troque a água a cada dois dias para que ela não fique turva.

Após brotarem, a Lótus cresce numa velocidade invulgar, você notará que elas desenvolvem-se muito rápido. Uma vez que a semente germinou deve-se plantá-la quando atingir cerca de 10 cm de comprimento. Somente quando chegam à idade adulta é que tornam-se mais rústicas, dispensando cuidados.

lotus

Pegue o broto e planta num potinho com substrato argiloso. Prepare um balde fundo, limpe-o e encha de água. Depois, com muito cuidado, coloque o pote com o broto lá dentro.

É claro que o crescimento dela torna-se limitado desta forma, mas a Lótus florescerá da mesma forma. No entanto, quando plantada em baldes – mesmo que estes sejam grandes -, pelo fato da água estar parada, ela precisará ser trocada ao menos duas vezes por semana para não prejudicar a saúde da planta. Agora é só esperar desabrochar

As flores de Lótus geralmente florescem no início da primavera, são solitárias e únicas e quando elas murcham – geralmente após dois dias do desabroche – deixam as suas sementes.

O seu perfume é suave mas nem por isso deixa-se passar por despercebido. A planta não tolera climas muito frios ou geadas e deve estar exposta ao sol intenso.

ponte sobre riacho

vitória-régia

A variedade de plantas na natureza é praticamente incontável. Encontramos plantas de todas as formas, cores, reprodução e para facilitar as pesquisas e estudos para aprofundamento e conhecimento da espécie, biólogos e cientistas resolveram dividir todas essas espécies de seres em categorias.

Claro que isso acontece com praticamente tudo na vida, sabemos que existem os animais domésticos, selvagens, aquáticos, etc. Isso é comum para melhor identificarmos as espécies e automaticamente associarmos à qual tipo de ser estamos tratando

Com as plantas acontece o mesmo e as categorias que estas estão divididas são quase as mesmas de todos os seres vivos. Aqui vamos saber um pouco sobre plantas que vivem, nascem ou se reproduzem na água.

Todos nós sabemos muito bem que todas as plantas precisam de água para sobreviver e florescerem, porém algumas só se reproduzem e nascem mesmo em rios, mares ou até simples aquários que temos em casa.

O que acha então de conhecer um pouco mais sobre esse tipo de planta, como elas nascem, reproduzem e conhecer alguns tipos? Com certeza você vai descobrir de repente, alguma planta que goste e se identifique para cultivar em casa.

flor-de-lotus

O que são flores aquáticas
Esse tipo de planta é chamado por pesquisadores e biólogos como Macrófitas aquáticas, devido os seus tamanhos, já que a maioria das plantas aquática é grande.
Macrófita = Macro-grande – Fita-panta

A maioria dessas plantas não são originalmente aquáticas porém as espécies se evoluem e desenvolvem-se em ambientes aquáticos e passam a sobreviver apenas em rios, lados, mares ou qualquer local com espaço e condições suficiente para isso. Como a maioria é originada de vegetais terrestres, a maioria das flores aquáticas apresentam características desse tipo também.

A importância das flores aquáticas
Esse tipo de planta é uma das que apresentam maior importância para o funcionamento perfeito do ecossistema ao qual elas desenvolvem-se. Isso acontece porque, como falamos mais acima, elas tem características muito semelhantes aos vegetais terrestres e acaba tornando-se uma ligação entre o sistema aquático e o terrestre o qual essas plantas se desenvolvem.

Elas são produtores primários na cadeia alimentar representando o papel base em ambientes aquáticos, pois são alimentos de peixes ou qualquer outro organismo aquático como aves e animais.

plaant aquática

Liberam ainda sedimentos com componentes de nutrientes importantes para os locais que são usados como habitat, assim como retém os sedimentos impróprios para as águas. Ajudam no controle da luz principalmente para espécies que não sobrevivem sob a ação direta de raios solares.

São excelentes abrigos de peixes recém-nascidos e alguns pequenos animais marinhos, entre diversas outras funções.

passaro

Nymphaea Rubra

A ninféia-vermelha é uma planta de folhagem e florescimento bastante ornamenta. Ela pertence à família Nymphaeceae e sua origem é da Ásia – Índia.

É uma das mais belas plantas para ser cultivada em lagos. Sua cor vermelha torna-se mais intensa quanto mais forte for a iluminação.

A partir de um determinado momento ela começa a lançar folhas flutuantes e, então, pode florescer, mas quando estas folhas começam a aparecer, a planta perde todas as folhas submersas.

Ela produz uma nova folha por semana, em média, mas parece alternar períodos em que são produzidas mais folhas e outros em que elas demoram mais para brotar.

As folhas velhas tendem a perder a cor vermelha em algumas partes, ficando com manchas de tom verde claro. Os maiores cuidados a se ter é retirar as folhas velhas para manter a beleza da planta, tomando muito cuidado para não rasgar suas delicadas folhas.

A planta acrescenta beleza e misticismo aos jardins com lagos. Suas folhas flutuantes são grandes, arredondadas e com bordas serrilhadas.

As flores, elevadas acima do nível da água, são formadas no verão, e se abrem brancas, tornando-se róseas com o passar do tempo. Os estames amarelos são elevados em bloco.

A ninféia-vermelha pode ser plantada em vasos ou diretamente no lodo em cursos de água lentos ou lagoas de água doce, vivendo a pouca profundidade. Sua folhagem e flores desaparecem no inverno.

Nymphaea rubra

Seu cultivo pode ser em lagos, tanques e espelhos de água, sempre a pleno sol. Se a água contiver peixes, evite adubações pesadas, fazendo apenas uma fertilização leve caso seja muito necessário.

É uma planta tolerante ao frio e sua multiplicação é feita pela pela divisão dos tubérculos e por sementes.

folhas caindo_1

iris_pseudacorus

O íris-amarelo é uma planta conhecida por ser umas das raras espécies de íris com flores amarelas. É uma planta herbácea, rizomatosa, entouceirada, É originária da África, Ásia e Europa e pertence à família Iridaceae.

Ele atinge em média 1,2 m de altura, e apresenta folhas longas e planas, como espadas, de coloração verde-acinzentada. Estas folhas partem do rizoma, de medula rosada, e deixam marcas semelhantes a escamas.

As inflorescências surgem na primavera e verão, e são compostas por cerca de 2 flores, sustentadas em longas hastes cilíndricas. As flores são típicas do gênero Iris, com três sépalas caídas e três pétalas eretas.

Cada pétala e sépala são de uma coloração amarelo-ouro, com veias amarronzadas ou violáceas. Ocorrem ainda variedades de flores cor creme-pálido, de folhas variegadas de amarelo, e de porte gigante, ultrapassando 2 metros de altura.

Tall Yellow Iris  700467

No paisagismo, as íris podem ser utilizadas em maciços e bordaduras, como uma excelente opção perene e de baixa manutenção, com florescimento muito vistoso e nobre. As íris também podem ser plantadas em vasos e jardineiras.

Ele é adequado para locais permanentemente úmidos, como ambientes palustres na beira de lagos, rios e áreas baixas do terreno, onde além de embelezar, oferece abrigo à vida aquática e controla a erosão e o assoreamento.

Também pode ser plantado em solos drenáveis, mas neste caso é melhor que seja irrigado regularmente e que permaneça à meia-sombra.

Também pode ser plantado em solos drenáveis, mas neste caso é melhor que seja irrigado regularmente e que permaneça à meia-sombra.

Ainda assim, nestas condições ele crescerá e florescerá menos do que se estivesse próximo à água. Também pode ser plantado em vasos e jardineiras.

Por sua rusticidade, não exige cuidados especiais, a não ser umidade constante durante a fase inicial podendo ser plantado durante o ano todo, em terra comum, numa distância média de 15 cm entre plantas e 5 cm de profundidade.

Iris pseudacorus

Ao plantar, deve-se evitar enterrar demasiadamente os rizomas, pois ficam suscetíveis às doenças e produzem menor quantidade de flores.

Manter o solo limpo de ervas daninhas. Os rizomas vêm tratados com defensivos que os tornam resistentes à maioria das doenças de solo.

Seu cultivo deve ser sob sol pleno ou meia-sombra, num solo fértil, rico em matéria orgânica e mantido constantemente úmido.

O íris-amarelo é uma planta muito rústica, sendo capaz de tolerar solos ácidos, salinos e anóxicos, submersão completa e até mesmo curtos períodos de seca.

Em invernos rigorosos, ele pode perder as folhas, o que é normal, na primavera elas voltam a brotar com força. Prefere o clima temperado ao tropical. Sua multiplicação é feita por sementes e por divisão das touceiras e rizomas.

casinha na chuva