Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Orquídeas e Bromélias’

orquidea-bambu

Orquídea é uma planta da família Orchidaceae, pertence a ordem Asparagales, é uma das maiores famílias de plantas que existem. Possui diversas formas, cores e tamanhos. Sua predominação se dá nas áreas tropicais do planeta.

Além disso, seu uso é na maioria das vezes ornamental, e é aí que ela se destaca mais. O único uso desta natureza é na produção de baunilha, a partir do fruto de algumas espécies. Mas sua beleza atrai interessados e amantes por folhagens, pois sua beleza é formidável.

Conheça a orquídea para plantar no chão
Estas plantas são conhecidas, portanto, como orquídeas terrestres, pois crescem diretamente em solo, basicamente em húmus e folhas que estão caídas em florestas.

Na natureza seu crescimento é em solo fértil, onde o húmus absorve bastante umidade e nutrientes para a orquídea.

São poucas espécies de orquídea terrestre vendidas, pois a grande maioria se encontra na natureza. Em nosso país o Brasil, são encontradas algumas destas espécies, que são cultivadas comercialmente.

Por ser uma planta barata de cuidar, a procura por ela teve um aumento, assim obtendo um destaque maior entre os paisagistas.

orquidea-terrestre-espathogllotis-plicata

Como cuidar das orquídeas terrestres?
Existem alguns cuidados que você precisa tomar com esta planta. Confira então, a seguir, as dicas que iremos passar a seguir.

Temperatura e ventilação
Elas devem possuir ventilação adequada, mas tomando o cuidado de não serem expostas a ventos fortes. Em caso de frio extremo, as orquídeas terrestres adormecem então por um ano, sem dar flor. Mas a questão da temperatura varia de cada espécie.

Adubação e Substratos
Em solo natural, elas não necessitam de adubação, pois a própria natureza se encarrega disto. Portanto, tome muito cuidado, não adubando em excesso, sempre use húmus e terra vegetal.

Regas e iluminação
A iluminação é natural, já a quantidade de água se dá, com um teste, afunde o dedo no solo e verifique a umidade. Se seu dedo sair seco coloque água, se sair úmido espere mais um dia, a regra é, portanto, de duas a três vezes por semana.

Orquídea Bletia Catenulata

Dica extra
No caso de plantio, elas podem ser colocadas diretamente no solo, ou em vasos e canteiros, utilizando húmus e casca fina de arvores e terra vegetal. Compostos orgânicos são sempre importantes para a planta.

Se for plantada em vaso, procure escolher um bem grande, pois elas crescem bastante. Já se for diretamente no chão, só faça então um buraco e coloque-a dentro, cuidando da adubação adequada.

Não se esqueça, entretanto, de ir verificando o ambiente, se ele está limpo, possui iluminação e ventilação. Isso porque todo cuidado é essencial com sua orquídea para plantar no chão.

janel427

T008__65598

Esta pequena variedade botânica litófita já é muito difícil de encontrar no seu habitat natural, a Colômbia e a Venezuela. Mas pode ser admirada em jardins privados e parques urbanos em várias partes do mundo. Saiba o que a distingue das outras e os cuidados que exige.

As folhas muito finas desta planta, muito usada em composições decorativas, emergem do centro e formam uma espécie de esfera. Esta disposição de folhas redobra a sua beleza quando as pontas ficam avermelhadas, anunciando a iminente floração.

Quando surgem, as flores da Tillandsia andreana, uma planta delicada, são tubulares, de um cor laranja forte, o que faz um contraste bonito com as folhas.

Esta pequena variedade botânica litófita já é muito difícil de encontrar no seu habitat natural, a Colômbia e a Venezuela.

tillandsia_andreana

Ao contrário de outras, esta não é uma Tillandsia muito fácil de manter, uma vez que aprecia ambientes com muita luminosidade. Tenha, no entanto, atenção, pois podem ocorrer queimaduras nas pontas das folhas se a umidade do ar não acompanhar o aumento da temperatura.

É uma planta sensível ao frio, não tolerando temperaturas abaixo dos 8ºC, pelo que a localização desta variedade botânica deve ser muito ponderada para garantir um crescimento harmonioso e um desenvolvimento efetivo.

A Tillandsia andreana, da família das Bromeliaceae e da subfamília Tillandsioideae, com mais de 400 espécies, tem ainda uma curiosidade particular.

O nome desta planta, que habita nas árvores, homenageia Édouard François André, um conceituado explorador e arquiteto paisagista francês que nasceu em 1840 em Bourges e morreu em 1911 em La Croix-en-Touraine.

Ficou conhecido por desenhar parques públicos na Europa e na América do Sul. Está enterrado no imponente cemitério de Montmartre, em Paris.

água6

Brassocattleya Pastoral Innocence

Não tem sensação pior do que perceber sua orquídea doente, com manchas, folhas murchas, raízes secas, não é mesmo?!

Basicamente as orquídeas podem ficar doentes por 2 motivos:
* Erros no cultivo;
* Pragas (que podem ser animais visíveis a olho nu como insetos e até mesmo microrganismos como bactérias, fungos e vírus.)

De forma geral, quando sua orquídea está sendo atacada por insetos como pulgão ou cochonilhas, a sua planta pode ser salva por procedimentos simples e práticos!

Por exemplo, você pode se livrar de pragas como pulgões e cochonilhas, ao aplicar sabão inseticida ou até mesmo lavando sua planta com água corrente.

Agora, quando sua orquídea é infestada por microrganismos, como bactérias, fungos e vírus,

Inevitavelmente sua orquídea pode acabar ficando doente! Mas não se preocupe! Quase todo problema tem solução!

O que eu digo sempre aqui no Manual de Orquídea é que o bom cultivador é aquele que observa suas orquídeas todos os dias!

Ao observar a sua orquídea com frequência, você será capaz de notar o estado de saúde da sua planta.

Dessa forma, você perceberá se tem algo de estranho com a sua orquídea, como manchas, furos, bolhas, queimaduras ou apodrecimento de alguma região da planta.

Ao identificar algum desses sintomas logo na fase inicial da doença, você terá maiores chances de salvar sua orquídea doente.

Por isso, eu vou te mostrar agora, 7 doenças mais comuns em orquídeas e como tratar em cada caso.

1. Orquídeas Doentes: Fusariose

Fusariose

A Fusariose é uma Doença que provoca lesões na base das folhas. Essa doença é causada por fungos das espécies Fusarium oxysporum e Fusarium solani.

Os sintomas principais são o apodrecimento e o amolecimento de folhas e pseudobulbos.

Acontece também uma curvatura de pseudobulbos e folhas em decorrência do amolecimento. As folhas também podem ficar amarelas. Ao cortar os rizomas é possível notar um anel arroxeado…

Lembrando que rizomas é uma região do corpo de algumas orquídeas de onde surgem os pseudobulbos.

E pseudobulbos é aquela estrutura mais alargada do caule de algumas orquídeas, que tem função de armazenamento de água e nutrientes.

Por exemplo, as orquídeas do gênero Cattleya apresentam pseudobulbos e rizomas.

Então os principais sintomas da fusariose são:
* Apodrecimento;
* Curvatura;
* Amolecimento;
* E anel arroxeado.

Não existe um tratamento eficiente para essa doença. Então nesse caso o melhor é a prevenção.

Você pode evitar a fusariose tomando cuidados com a adubação e na hora de regar…

Na hora de adubar, não exagere com o Nitrogênio e também não Regue em excesso, ou seja, não encharque o substrato da sua planta.

Podridão Negra

podridão negra

A podridão negra é uma doença causada por fungos e bactérias. Os sintomas são manchas pretas nas folhas.

Essa doença costuma ser cruel porque quando identificamos as manchas pretas nas folhas, isso significa que as raízes, caules ou pseudobulbos já foram infectados. Então a melhor maneira de evitar essa doença é você prestar atenção no cultivo, principalmente com a rega e substratos.

Então atenção! Para evitar a podridão negra, não encharque o substrato da sua orquídea!

Garanta sempre uma boa drenagem para sua planta. E outra coisa muito importante! Nunca regue sua orquídea durante a noite!

Isso porque durante a noite a temperatura cai um pouco e a sua orquídea terá 7 vezes mais chances de ter podridão negra se ela virar a noite com o substrato molhado!

Então pra você evitar a podridão negra:
* Não regue sua orquídea durante a noite;
* E garanta uma boa drenagem para sua orquídea.

Ferrugem

Ferrugem
A ferrugem é outra doença causada por fungos. Fungos da espécie Sphenospora Kevorkianii.

Os sintomas principais dessa doença são manchas pequenas nas folhas que podem progredir e se alastrar. Essas manchas se assemelham a ferrugem decorrente da oxidação do ferro, por isso o nome da doença.

A melhor forma de combater a doença é retirar as folhas afetadas e pulverizar as partes atingidas com produtos fungicidas.

Esses produtos fungicidas são fáceis de encontrar em qualquer horto.

Eu recomendo os fungicidas prontos para uso, ou seja, que não precisam ser diluídos em água.

Esses são ideais para cultivadores iniciantes.

Antracnose

Antracnose
Essa doença pode ser causada por fungos dos gêneros Colletotrichum e Gloeosporium. Os sintomas são manchas nas folhas em formato de anéis ou formas geométricas.

Para evitar a contaminação é preciso ter cuidado para não exagerar na umidade.

Para tratar a planta infectada é necessário cortar as partes afetadas e pulverizar fungicidas prontos para uso para evitar a infestação total da planta.

Cercosporiose

Cercosporiose

A cercosporiose é uma doença causada por fungos do gênero Cercospora que invadem a planta através dos estômatos (estruturas microscópicas) presentes nas folhas.

Ao entrar nas células da planta, o fungo se dissemina, fazendo surgir pontos amarelados que depois necrosam. Você pode tentar controlar a infecção ao fazer uso de fungicidas à base de cobre.

Mancha Aquosa

Mancha Aquosa

A mancha aquosa é uma das causas do aparecimento de manchas pretas nas folhas das orquídeas.

A mancha aquosa é uma doença provocada pela bactéria, a Acidovorax citrulli. É possível identificar devido ao aparecimento de uma bolha de água (por isso mancha aquosa) que depois se torna preta, e em alguns casos marrom.

Podridão cinzenta (botrytis)

Podridão-cinzenta-botrytis

Essa doença é causada pelo fungo da espécie Botrytis cinerea, que também ataca comumente outras plantas além de orquídeas.

Este fungo pode atacar qualquer parte do corpo da planta, como flores, folhas e frutos. Geralmente essa doença surge nos períodos frios quando a umidade do ar aumenta.

Então nessa época, tome cuidado na hora de regar a sua orquídea. Não encharque o substrato da sua planta e nunca regue sua orquídea durante a noite!

A forma de controlar a doença é retirando partes afetadas da orquídea para não se disseminar para o restante do corpo da planta.

Caso perceba que o fungo está se alastrando rapidamente, descarte a orquídea afetada para que a infecção não atinja as plantas saudáveis que estiverem próximas.

Na região afetada da planta você pode aplicar alguns fungicidas específicos para orquídeas, que podem ser encontradas em qualquer horto.

Conclusão
Lembre-se que é sempre melhor prevenir do que remediar! Então tenha sempre atenção com os cuidados no cultivo.

Principalmente adube corretamente e nunca regue sua orquídea durante a noite! E é claro não deixe o substrato encharcado.

primavera

Tillandsia Caput Medusae1

Planta nativa do México e Costa Rica. Tem esse nome justamente pelo formato da planta ser parecido com a cabeça cheia de cobras da Medusa da mitologia grega.

A Tillandsia cabeça-de-medusa pode atingir até 15 cm de altura, seu habitat natural são árvores em que fica presa pela sua raiz, que é bem pequena. Por isso ela absorve mais nutrientes e água do ar do que pela raiz.

A planta não tem que ficar em vaso, ela pode ser fixada em um pedaço de madeira, tronco de árvore, cortiça ou outro suporte similar.

Você pode escolher se quer deixar na horizontal ou vertical e deixá-la pendurada em qualquer lugar da casa que tenha as condições recomendadas de luz e temperatura (temperatura ideal entre 18°C e 30°C).

As Tillandsia cabeça-de-medusa preferem o sol pleno mas não direto, principalmente no verão. Ela aguenta um pouco de sol direto na manhã ou de tardinha.

Tillandsia_caput-medusae

É uma planta que gosta de umidade, caso tenha aquecimento dentro de casa ela irá sofrer, pois precisa de bastante ventilação e ar fresco.

A rega deve ser feita com borrifador e mais frequente durante o verão. Mas não deixe o bulbo encharcado, pois poderá causar apodrecimento da base da planta! Permita que ela seque depois borrife novamente, normalmente uma vez por dia é o suficiente.

Mas se onde você mora for frio será preciso diminuir essa rega. Quem achar necessário pode usar fertilizante junto da água ao borrifar.

Caso queira fazer propagação é só remover plantas filhote com um pouco de raiz e colocá-la em um pedaço de madeira. Esse processo pode ser realizado em qualquer época do ano.

janel427