Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Necessidades básicas’

gotículas de água

A água é um dos recursos naturais mais importantes para a humanidade, posto que não podemos viver sem ela. Da mesma forma, os vegetais e animais precisam dela para viver.

Ela é essencial para a vida da planta. Para sobreviver, necessitam de H2O, bem como de nutrientes, que são absorvidos por raízes a partir do solo.

As plantas são compostas de 90% de água, transportada em toda a estrutura quase de maneira contínua para manter os processos vitais de trabalho.

Sistema de Raiz
Raízes absorvem água do solo, o qual é então transportado através da planta. Muita quantidade fica absorvida através dos pelos radiculares, que são pequenas radículas quê penetram no solo em torno das raízes e aumentar a área das suas superfícies.

A água é solvente que se move minerais do solo para cima através da planta. Como terra seca o crescimento da raiz diminui, ao passo que no caso do excesso elas podem se afogar.

Fotossíntese: Necessidade de Água
A água é usada para os processos químicos e bioquímicos apoiando o metabolismo, que utiliza a luz solar para dividir o conteúdo em hidrogênio e oxigênio. O primeiro em seguida, usa o dióxido de carbono no ar para produzir açúcar. O segundo fica descartado para a atmosfera como vapor de água.

As plantas usam oxigênio para queimar açúcar e produzir energia para os processos da vida. O único propósito de folhas é coletar a luz e fazer açúcar. Folhas obtém água a partir das raízes, o ar entra nos pequenos orifícios chamados de estomas.

O processo abre os estômatos, mas também faz com que a planta perca água por evaporação. Se fechar os buracos para conservar a fotossíntese, H2O e produção de açúcar são interrompidas.

gota-na-Agua (Medium)

Crescimento e divisão celular
Na divisão celular e expansão das células acontece o crescimento das plantas. Células crescem tomando na água. A divisão celular cria unidades adicionais. Se o H2O é limitado durante o período de crescimento acontece diminuição da célula, o que leva a menos folhas e menores de tamanho de frutas, caules mais espessos e um sistema de raiz considerado pequeno.

A falta de água resulta em plantas menores e fracas. A frutificação tem tempo crítico após o florescimento, quando o fruto começa a crescer. Frutas, brotos e folhas novas requerem muita quantidade de H20 e quase todo o açúcar produzidos por folhas. A escassez minimiza o crescimento de novos rebentos e folhas, o que significa menos de açúcar disponível para o desenvolvimento dos frutos.

A evolução do sistema radicular fica lenta por isso pode ser necessária ao uso de irrigação para manter as raízes úmidas.

Plantas bem irrigadas mantêm a forma devido à forma interna da água nas células, denominada pressão de turgescência. Quando há insuficiência de água, o nível cai e faz com que a planta murche. Esta pressão também é essencial para a expansão de células.

poucaagua

Estresse de água nas plantas
A água regula a abertura e fechamento dos estômatos, que por sua vez regulam a transpiração e fotossíntese. Com pouca quantidade acontece redução da quantidade perdida por transpiração. Isso faz com que a fotossíntese reduz o dióxido de carbono necessário que entra na planta através dos estômatos.

Dicas rápidas
A água ajuda na germinação de sementes e no processo da fotossíntese, através da qual as plantas preparam os alimentos;

Assistência no transporte de nutrientes e minerais do solo para as plantas;

Manutenção da estrutura da planta, proporcionando a pressão adequada para os tecidos;

Água fornece o habitat, na forma de lagos, rios, lagos e no mar por um grande número de plantas.

Água e cultura da água
A água é essencial para a cultura de plantas. Necessária para a transferência de alimentos, produção de vitaminas e nutrientes à folhagem saudável. Embora a quantidade requerida por determinada espécie varie a completa ausência da substância prejudica o crescimento causa a morte precoce.

No nível microscópico, as plantas crescem quando as células nos tecidos estão divididas. Sem quantidades adequadas de água, este processo produz novas células pequenas e fracas.

Saiba mais
Os caules e folhas de plantas necessitam de água para permanecerem firmes e rígidas. Caules e folhas murcham quando se tornam secos. As plantas usam a luz solar e água para produzir alimentos.

Em termos gerais, plantas produzem o próprio alimento, utilizando a energia solar para gerar açúcares nutritivos. Sem o hidrogênio encontrado em água, estes açúcares não podem ser formados.

As vitaminas e os sais minerais necessários para o crescimento saudável das plantas não pode ser absorvidos a partir do solo, a menos que se dissolvem na água.

excessoagua

Como a água afeta o crescimento da planta?
A água é fundamental para toda a vida. Até mesmo as planta resistentes do deserto possuem o mínimo de H2O. Se o solo de uma planta tem muita água, as raízes podem apodrecer e a espécie não recebe oxigênio suficiente da terra. Caso não existe o suficiente para o vegetal, os nutrientes não podem viajar.

Uma planta não cresce se não tem raízes saudáveis, de modo que o equilíbrio adequado é fundamental no cultivo.

Existem algumas coisas simples que podem ser feitas fazer para verificar a quantidade de água no solo e assegurar que não há entrada de incorreta na planta. Uma das maneiras mais rápidas colocar o dedo no solo.

Se sentir que não está úmido, existe carência de H2O suficiente, se é seco, então a água necessita de maior nível. Se o vaso se sente mais leve do que o normal, ou o solo fica afastando dos lados dos potes, então existe maior necessidade de água.

planta-saudável

Como a água ajuda as plantas?
Nutrientes são retirados do solo e usados pela planta. Sem água suficiente nas células, a planta não fica de pé. Carrega o açúcar dissolvido em nutrientes. Assim, sem o equilíbrio adequado, ela não apenas está desnutrida, mas também é fisicamente fraca e não pode suportar o próprio peso.

Diferentes tipos de plantas requerem quantidades de água distintas. Com vegetais ao ar livre, não pode controlar as plantas recebendo muita água se a área recebe grande quantidade de chuva.

A água que entra na planta utiliza sistema radicular. Em seguida se desloca através da haste para as folhas, flores ou frutos. A água se desloca através de vasos do xilema, que são como capilares, que movem o H2O para as diferentes partes.

A irrigação é um aspecto fundamental para o bom desenvolvimento das plantas.

Consequências de excesso de água
- Surgimento de doenças fúngicas como ferrugem, antracnose
- Apodrecimento das raízes (comum em bulbosas e plantas com pratinho)
- Carência de nutrientes (por lavagem do substrato)
- Apodrecimento do broto apical (muito comum em pata-de-elefante)
- Apodrecimento do caule (comum em cactáceas)
- Morte súbita
- Murchamento e escurecimento das folhas
- Pintas negras nas folhas
- Cogumelos no substrato
- Raízes curtas e pouco resistentes à estiagem (comum em gramados)
- Infestação por pragas

Consequências de falta de água
- Folhas freqüentemente enroladas ou murchas
- Raízes secas e quebradiças (orquídeas)
- Crescimento deficiente
- Folhas amareladas
- Pontas das folhas secas
- Murchamento de folhas suculentas (rosas-de-pedra)
- Folhas enrugadas
- Frutificação fraca ou inexistente
- Ausência de floração
- Floração precoce e insatisfatória
- Abortamento floral
- Acúmulo de sais e adubos na superfície do solo e borda do vaso

chuva-14

vasos flores

Falta de floração, folhas amareladas, crescimento lento… Estes são apenas alguns problemas que podemos notar quando cultivamos plantas dentro ou fora de casa. A maior parte dos problemas pode ser controlada facilmente, quando identificamos quais são as suas origens.

Uma simples mudança na quantidade de água das regas, por exemplo, pode ser o melhor remédio.

Veja, agora, como diagnosticar alguns destes problemas
“Observar” as plantas: esta é a melhor maneira de notar os primeiros sinais de problemas que, tratados rapidamente, não se tornam muito graves. Ao fazer a observação, verifique todos estes casos:

folhas-caules

Folhas e caules murchos:
* Verifique se a terra não está seca demais. Neste caso, afofe bem a superfície da terra com um garfo de jardineiro. Se a planta estiver em vaso, mergulhe-o numa bacia cheia de água e use um borrifador para umedecer as plantas. Após algum tempo, retire o vaso e deixe escorrer o excesso de água.

Excesso de água também pode causar murcha. Certifique-se que a terra não esteja encharcada e, se for o caso, suspenda as regas por um tempo. Se as raízes mostrarem sinais de apodrecimento, faça um replantio.

Dificuldades na drenagem obstruem a saída do excesso de água. Quando usar vasos para o cultivo de plantas, lembre-se de escolher sempre aqueles que apresentam furos de drenagem no fundo, para facilitar a eliminação do excesso de umidade.

* Muita exposição à luz solar. Algumas espécies de plantas necessitam de muita luz do sol para se desenvolver bem, outras nem tanto. Verifique quais são as necessidades adequadas da planta que apresenta o problema e mude-a de lugar, se for o caso.

Excesso de calor. Para cada planta existe uma faixa de temperatura ideal. A maioria das plantas de interiores, por exemplo, adaptam-se bem na faixa de 15 a 25 graus C. Outras precisam de mais calor. Entretanto, a temperatura elevada pode causar a murcha de folhas e caules.

folha manchada

Manchas nas folhas:
Excesso de nutrientes. Aplicar fertilizantes nas plantas é uma medida que garante a boa nutrição, porém, o exagero pode ser prejudicial. O excesso de nutrientes pode resultar em folhas manchadas e mal-formadas. Manchas amarronzadas e o aparecimento de uma crosta branca na superfície da terra ou nos vasos de cerâmica são sinais de excesso de fertilizante.

* O excesso de água também pode ocasionar manchas de podridão na superfície das folhas, amarelecimento e bordas amarronzadas. Diminua a quantidade de água nas regas.

Sol em demasia. A exposição à luz solar em demasia pode provocar diversas alterações na coloração natural das folhas de algumas espécies. Se este for o caso, mude a planta de lugar.

queda

Queda de flores, botões e folhas:
* Iluminação inadequada. A luz é um fator decisivo para o bom desenvolvimento das plantas. Em geral, as plantas floríferas necessitam de maior luminosidade do que as folhagens. Certas espécies não produzem floração quando colocadas em um local com baixa incidência de luz, em outros casos, ocorre a queda de flores, botões e folhas. Verifique o local.

* Condições de temperatura. Algumas plantas floríferas são altamente sensíveis à temperatura. O calor excessivo para as plantas de clima temperado ou ameno pode reduzir o tempo de floração e provocar a queda prematura de botões e flores. Por outro lado, as espécies de clima tropical se ressentem com o nível de temperatura baixo.

Erro nas regas. Aqui também a quantidade de água das regas pode ser um problema. Em excesso, pode provocar o apodrecimento de botões e brotos. Já o nível baixo de umidade reduz a hidratação da planta, resultando em folhas murchas ou secas e murcha prematura de botões e flores.

folha-amarelada

Folhas amareladas e crescimento lento:
Escassez de fertilizante. Como todos os seres vivos, as plantas necessitam de nutrientes para sobreviver e se desenvolver. Quando há falta de nutrientes, a planta apresenta crescimento lento, folhas amareladas, hastes fracas, folhas pequenas e floração reduzida ou ausente.

Necessidade de reenvasamento. Plantas que estão envasadas há muito tempo, podem ter suas raízes sufocadas e apresentar nutrição deficiente, pois a terra já está esgotada. Em geral, pode-se notar este problema quando a terra do vaso apresentar-se excessivamente compactada. Vasos pequenos em relação ao tamanho da planta também‚ um problema. O melhor, neste caso, é mudar a planta para um vaso maior.

* Correntes de ar. Certas espécies se ressentem profundamente quando sofrem o efeito de correntes de ar. Plantas de folhas finas, como as avencas, são as mais sensíveis, principalmente às correntes de ar frio. Verifique o local onde a planta está situada.

folhas caindo_1

azaleia-branca
Quando você cultivamos uma espécie de planta em particular, esperamos que ela dê frutos ou flores, exceto os arbustos e gramas. O problema é que nem sempre isso acontece e muitas vezes ficamos sem saber o que fazer com elas. A falta de flores ou de frutos em uma planta pode se dá pelos mais variados motivos, mas a certeza é que algo está errado com o desenvolvimento da espécie. E para corrigir o problema, precisamos  descobri primeiro qual é.

Época do florescimento
Toda planta possui uma época de florescimento. Isso pode acontecer em um mês específico ou então em determinada estação do ano. Quando você cultiva uma espécie de flor, é importante saber esse detalhe para acompanhar o crescimento da espécie e também não acabar sem flores no seu jardim.

Além de saber a época do florescimento, devemos saber também qual a melhor época para cultivar a planta. Sim, porque existem plantas que só conseguem germinar no inverno, outras somente na primavera, algumas no verão e umas determinadas espécies no outono. E

Então imaginemos ter aquela muda ou semente de uma linda flor, cultivá-la na primavera e esta ser uma espécie de inverno? A planta não germina e caso isso aconteça, já que existe o fator clima que ajuda, pode não crescer tão bonita.

Por último, existe ainda o período do ciclo de vida da planta. Existem plantas perenes, anuais e muito mais. Então saber quanto tempo vai levar para a espécie completar esse ciclo, vai com certeza nos ajudar a ter plantas com mais flores no jardim.

Uma planta deixa o ambiente muito mais bonito e até mesmo mais limpo, pois elas têm o poder de purificar o ar que respiramos.

Acontece que cultivar uma espécie sem conhecer nada sobre ela, pode ser um dos grandes motivos que leve a sua planta a não florescer. Então saiba bem de todas as suas necessidades e principalmente da sua formação.

aloé vera

agave-FLORIDA
Algumas espécies só florescem uma única vez então de repente você tem essa espécie em casa e não se atenta para esses detalhes. Outras espécies só florescem quando chegam à fase adulta, como é o caso das plantas Aloés e Agaves.

Então devemos nos informar bastante sobre cada espécie para não ser pego de surpresa quanto ao florescimento.

Adubando a planta
Mesmo tomando todos os cuidados citados mais acima sua planta não está florescendo, então só podemos concluir que o problema dela é somente um: falta de adubo. O adubo é responsável por depositar uma série de nutrientes nas plantas e por esse motivo é tão importante para todas as espécies.

Acontece que da mesma forma que ele ajuda a planta a se desenvolver, ele também pode prejudicar quando é colocado em excesso ou quando você utiliza o adubo errado.

As plantas se alimentam através da fotossíntese e o adubo é uma espécie de combustível que você coloca no solo para que ela possa retirar todas as energias para completar esse processo.

Quando a planta não encontra os minerais corretos ou suficientes no solo, o processo de fotossíntese também é prejudicado e a planta não se alimenta.

Da mesma forma que for colocado nutrientes na terra para deixar a planta mais forte, vai aumentar a resistência da espécie para pragas e doenças, que é um caso tão comum em jardins.

jasmim-manga
Adubo NPK
Com certeza já foi ouvido falar dos adubos de formulação NPK. A maioria das plantas recebe por indicação esse produto e de fato, ele leva as substâncias mais importantes para o desenvolvimento dessa espécie.

O nome vem dos três compostos do adubo, que são:
* Nitrogênio = N
* Fósforo = P
* Potássio = K

O Nitrogênio vai agir na parte verde da sua planta e com isso favorecer a brotação da mesma. É esse componente que faz nascerem as folhas.
O Fósforo é o componente responsável pelas flores e pelos frutos.
Já o Potássio, diz respeito às funções fisiológicas da sua planta.
Dessa forma, no caso da falta de florescimento, pode ocorrer a ausência dos três nutriente ou somente do potássio, responsável por essa função.

Quando a formulação, a dúvida também é grande. Um adubo NPK de formulação 10-10-10 indica que ele tem 10% de cada componente em sua fórmula. Então se a intenção é ajudar o florescimento de determinadas espécies, a porcentagem de potássio deve ser maior. Cuidado apenas para não escolher aquela formulação desproporcional, pois o excesso de um componente também pode matar ou danificar a planta.

Já que estamos falando em adubo de mais e adubo de menos, vamos entender como saber qual a quantidade certa para a sua planta. Geralmente, no pacote do produto vem especificando exatamente a quantidade por planta, mas dependendo da espécie ou da situação do seu canteiro, pode acontecer de você precisa de mais ou de menos adubo.

Quando não adubar as plantas
Toda planta possui um período de descanso. A maioria das espécies tem esse período compreendido entre maio e julho, mas por via das dúvidas, você pode consultar na internet ou na loja onde vai comprar as mudas e as sementes.

Como vimos logo no começo da postagem, as plantas também possuem uma época certa para floração e nesse caso, devemos evitar colocar qualquer quantidade de adubo próximo à essa época.

Com essa ação poderão fazer com que suas plantas perdessem todos os botões de flores e então seria necessário esperar o próximo ciclo, o que não é nada interessante para nenhum cultivo.

janelabuterflay

regar
O melhor período para realizar a rega é no início da manhã, pois a temperatura ainda está amena, evitando a perda de água por evaporação. Com o solo fresco, o recurso chega de maneira eficiente às raízes, onde é realmente necessário. Dessa forma, o exemplar terá uma boa reserva para o restante do dia, quando seu metabolismo acelera, consumindo água.
É desaconselhável a irrigação nas folhas. É quase inapto, a menos que a proposta seja retirar excesso de poeira ou sujeira, já que o líquido tem como chegar às folhas por meios mais eficientes, sendo transportado internamente via raíz e vasos condutores. Se molhar a folha e não eficazmente o solo, o vegetal abre os estômatos (estruturas celulares que realizam trocas gasosas) e, na hora de absorver a água, não a encontra, podendo ser prejudicial a ele.

Os jatos d’água devem passar longe das flores. Em época de florescimento, atrapalha a polinização. Tanto que as temporadas longas e frequentes de chuvas comprometem sensivelmente a quantidade e a qualidade da produção agrícola.

O porte, bem como o estágio de evolução do vegetal, interfere nos níveis de umidade. A demanda hídrica é maior no período de desenvolvimento vegetativo, após a poda e no início da frutificação. Embora seja preciso aumentar a irrigação, deve-se mantê-la uniforme. Pos exemplo, rápidas alterações de fornecimento de água  provocam rachaduras nos frutos, que crescem aceleradamente e a casca não acompanha.

As estações do ano também influenciam nesse procedimento. No Verão, quando as temperaturas são altas e os dias são mais longos, é importante intensificar as regas, entretanto, em algumas regiões do Brasil, é uma época muito chuvosa, então, é preciso ficar atento para evitar encharcamento do solo.
Em locais de clima seco no Inverno, as plantas necessitam ser molhadas, mas moderadamente, porque a absorção e a evaporação são menores. Além disso, o acúmulo de umidade neste período propicia a incidência de cochonilha no jardim e doenças fúngicas no gramado.,

Excesso ou falta de água prejudica a planta. Na prática, para identificar o momento adequado de irrigar, tanto vasos como canteiros, basta colocar o dedo na terra, caso esteja úmida, é preciso esperar mais um pouco.
Quando a terra está molhada apresenta brilho, tem coloração mais escura e pode ser perfurada facilmente. Faça o teste usando um palito de picolé. Caso ele não penetrar, ela está muito seca e necessita de água.

cach 324