Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Jardins e Manutenção’

jardim-rústico11Não há nada mais bonito do que um jardim de flores. Porém, você não quer gastar muito com ele todos os anos. Portanto, um jardim de flores rústico pode ser o que você estava procurando, para ajudar a cortar os gastos, enquanto ao mesmo tempo adiciona beleza ao seu jardim.

Acompanhe os passos abaixo:
- Faça as preparações. Você precisa primeiro decidir o local do seu jardim de flores rústico. O melhor lugar é um canto distante no jardim. Um lugar perto de uma janela, para que você possa olhá-lo e aproveitá-lo.

- Tire o máximo de ervas daninhas que você puder da área que escolheu. Você pode fazer isso usando ferramentas de jardinagem, ou removendo as ervas com as mãos.

- Meça, marque (com um lápis, ou giz) e corte, ou peça a alguém para lhe ajudar a cortar as placas de madeira na forma que você quer; elas ficam muito bonitas se empilhadas com pelo menos duas madeiras de altura. Normalmente, as peças finais são cortadas diagonalmente, não retas. Pense como sendo uma barra (/). Seu objetivo é fazer que as madeiras na frente eventualmente se igualem as laterais.

- Use estacas de metal para prender as madeiras – pregos grandes de carpintaria podem ser aplicados se necessário. Certifique-se de que as estacas prendam as placas de madeira, ou seja, onde as pontas delas se encontram, depois de juntá-las.

- Ponha um limitador de plástico para o leito das flores antes de adicionar a terra. Isso irá manter a terra no lugar.

- Use seu critério para decidir a altura da terra. Entretanto, não preencha o leito até a boca.

- Assim que tiver adicionado a terra, afaste-se e estude onde você quer colocar as plantas. É melhor que a Aspidistra esteja lá atrás e fora do sol; as Vinca ficam lindas se estiverem na frente e podem ser plantadas na sombra, ou meia-sombra, contanto que estejam em um solo rico e úmido.

- Assim que todas as plantas tiverem sido organizadas, pegue a mangueira e levemente borrife o solo e as plantas. Isso ajuda a tirar o ar do solo e deixá-lo mais comprimido. Agora dê um tempo a suas plantas para se ajustarem ao seu novo lar.

- Adicione as pedras vulcânicas ao seu jardim rústico. Use luvas de jardinagem enquanto trabalha com as pedras; depois que elas estiverem no lugar, você pode adicionar pedras maiores, ou uma grande rocha.

jardim

Dicas
*
Adicionar um sistema de irrigação, como um coelho, ou tartaruga, ou os dois, terá duas funções: poupará você de aguar as plantas e irá decorar o jardim ao mesmo tempo.

* A planta Cóleus tem diversos tipos de cores e formatos de folhagem. É melhor transplantá-la para um pote de barro médio e deixá-la na área do jardim; ela produz flores suaves e pode ser de diversas cores, principalmente as quentes, como laranja. Ela gosta de lugares quentes do jardim, repletos de luz do sol e de um solo rico e úmido.

* A planta Vinca tem folhas brilhantes e atraentes e flores coloridas que podem ser brancas, rosas, ou Liláses; muitas variedades desta planta têm um botão e crescem bastante.

* Você pode adicionar alguns enfeites de jardim, como libélulas e pássaros em sua área de jardim, até mesmo alguns insetos – você quem sabe. Procure na loja de jardinagem mais próxima para ter algumas ideias, como adicionar sapos, esquilos, etc. Isso deixaria o seu jardim mais atraente.

* Cactos funcionam muito bem em um jardim rústico. Você não deve encharcá-los.

* Se a Aspidistra tiver sido plantada debaixo de uma janela, esse é o melhor lugar para ela; deixe a planta secar antes de aguá-la novamente. É melhor não aguar demais esse tipo de planta.

* Procure uma terra de jardim de boa qualidade. Caso seja muito cara, compre sacas de solo enriquecido.

Importante saber
*
Quando estiver puxando as ervas manualmente use luvas, já que algumas delas são venenosas.
* Tente fazer com que os caracóis não destruam as suas lindas plantas; há muitas formas de fazer isso. Você pode encontrar diversos itens em lojas especializadas, ou pode procurar formas naturais de resolver o problema, como adicionar pinhões a sua área de jardinagem. Os caracóis não conseguem escalar eles.
*Tome muito cuidado para não danificar as plantas quando estiver adicionando as pedras vulcânicas e outros itens.
* Certifique-se de que o topo das placas de madeira estejam nivelados. Use um nível (com bolha) para verificar o nivelamento. Se um lado estiver mais alto que o outro, quando você aguar o leito a água irá vazar para o lado mais baixo.

jardimrustico

Materiais Necessários
*
3 – 4 ou mais sacolas grandes de pedras vulcânicas;
* Diversas pedras grandes, ou uma rocha grande;
* 3 – 4 ou mais madeiras para paisagismo;
* Várias estacas de metal;
* Tenha em mãos: pregos de carpintaria e martelo, ou uma pistola de pregos;
* Diversos tipos diferentes de plantas: Cactos, Babosa, Vinca, Cóleus, Aspidistra e Celósia;
* Ferramentas de jardinagem: ancinho, ancinho de mão e pá;
* Luvas de jardinagem;
* limitador de leito de plástico para manter as ervas daninhas longe;
* Diversas sacas de solo enriquecido (Nota: algumas pessoas gostam de usar estrume);
* Lápis preto, ou fita-giz para construção;
* Trena.

221l

jardimlitoral

Muitas pessoas podem acreditar que o jardim na casa de praia é difícil de implantar e manter. Realmente, como passamos a maior parte do ano longe do litoral, o jardim fica praticamente abandonado durante este tempo.

Da mesma forma não queremos desperdiçar o tempo das férias como jardineiros, bem pelo contrário, estamos mais propensos a admirar a natureza e curtir as flores e frutos que ela nos dá.

Além do abandono durante o ano, o jardim está sujeito às adversidades climáticas comuns ao litoral. Como altas temperaturas no verão, chuva, vento e maresia constantes, solos arenosos e com salinidade excessiva, além do frio durante o inverno.

Todos estes detalhes devem ser levados em consideração durante o planejamento do jardim, que também deve apresentar flores ou frutos no verão e ser de baixa manutenção. Afinal, de nada adianta plantarmos uma flor belíssima e adaptada ao litoral se ela floresce apenas no inverno, quando não estamos lá para admirá-la.

Planejar o jardim à beira-mar exige mais do paisagista, pois além dos fatores acima listados, a paisagem deve ser harmônica e não contrastar com a beleza natural da orla marítima. É como uma complexa orquestra que precisa ser conduzida com cuidado para que tudo dê certo e os moradores fiquem satisfeitos.

Um regra que vale muito nestes casos: observe atentamente as plantas que ocorrem naturalmente no local, elas estão adaptadas e em condições de suportar as adversidades, uma vez que o litoral gaúcho não é o mesmo que o capixaba; e assim por diante.

Outro cuidado importante é em relação ao relevo. Terrenos muito baixos podem ser invadidos pela maré alta, capaz de destruir o jardim. Caso seu terreno seja à beira-mar, pode ser uma solução elevá-lo um pouco para prevenir o problema.

A maioria dos paisagistas opta por jardins tropicais para adornar as construções litorâneas. As plantas deste jardim são as mais adaptadas às intempéries e combinam bastante com a paisagem da praia. Alternativamente jardins de estilo mediterrâneo ou contemporâneo podem ser executados sem problemas.

É importante que as plantas não bloqueiem a vista para o mar, pelo contrário elas devem valorizá-la e emoldurá-la com harmonia.

Após análise adequada, o solo deve ser corrigido em pH e nutrientes, de forma que possa receber as novas plantas. Normalmente, por serem muito arenosos, devem ser condicionados com terra mais argilosa e muita matéria orgânica.

Não poupe esforços e dinheiro nesta fase, o solo convenientemente preparado pode prevenir futuras dores de cabeça, pois esta etapa é muito difícil de remediar após a implantação do jardim.

Enfim, não esqueça de que você não vai querer passar o verão trabalhando pesado no jardim, use a sua criatividade e conhecimento para criar o seu paraíso particular, lugar de descanso e contemplação.

Obs: Reserve um lugarzinho especial para colocar uma rede e contemplar a vista do mar.

Dicas de plantas para litoral

amendoeira
Árvores e Palmeiras:
Amendoeira (Terminalia catappa); Coqueiros variados (Cocos nucifera); Palmeiras variadas

bougainvillea-praia

Trepadeiras
Buganvílea (Bougainvilla spectabilis); Glicínia (Wisteria floribunda)

Ixora coccínea

Arbustos
Hibisco (Hibiscua rosa-sinensi); Espirradeira (Nerium oleander); Clusia (Clusia fluminensis); Alamanda-arbustiva (Allamanda laevis); Iuca (Yucca elephantipes); Ixora (Ixora coccínea)

jardimabeiramar

Folhagens e Flores
Bromélia Imperial (Alcantarea imperialis);  Onze-horas-da-praia (Lamptranthus zeyheri); Onze-horas (Portulaca grandiflora);  Gardênia (Gardenia jasminoides)
* Girassol-de-jardim (Helianthus laetiflorus); Helicônias; Bromélias variadas; Orquídeas; Caetés; Biris.

cactos

Cactos
Cacto-brasil (Cereus hildmannianus); Cacto-palma (Opuntia fícus-indica).

palhoça

REGANDO
Todos que cultivam plantas há muito tempo sabe da importância e da atenção que deve ser dada a elas na hora de regá-las. E quem ainda está começando a plantar e cuidar das plantas não deve dar a missão de molhá-las como fácil, pelo contrário, é uma tarefa que exige muita atenção.

Saibam que é mais comum uma planta morrer pelo excesso de água do que pela falta dela. Com o medo de deixá-las sem água, normalmente, os principiantes acabam é colocando água de mais. Porém, verdade seja dita não é nada complexo regar as plantas, basta saber como fazer, não tem erro.

Cuidados necessários na hora de regar as plantas
Não importa se as plantas estão no jardim ou em vasos na parte interna da casa, dos dois modos, elas devem receber os mesmos cuidados, incluindo, principalmente, a rega. Lembrando que as espécies diferentes exigem um tipo de cuidado diferente uma das outras.

Porém, o horário para que as plantas recebam água é sempre o mesmo, não importa de qual espécie ela é, molha-se na parte da manhã, bem cedinho, e depois no fim da tarde, sempre superando 15 horas.

Mas, muita atenção em relação ao tempo, que não anda muito certinho e pode ser que às 15 horas o sol ainda esteja quente demais, neste caso, regue a planta às 17 horas. E o horário de meio-dia não deve ser usado para molhar as plantas de maneira nenhuma.

Esse também é um detalhe importante que deve ser observado na hora de regar as plantas, as mudanças inesperadas de tempo. Verdade seja dita, não é que o tempo anda muito certinho, pelo contrário, dias quentes demais, dias frios demais, verão estendido, enfim, uma grande confusão. Para evitar que as suas plantas sofram com isso, você deve ficar alerta para regar de acordo com as necessidades delas.

Caso você se esqueça de molhar as suas plantas à tardinha, não faça isso à noite. Nesse período, elas não absorverão bem a água, o que fará com que as folhas fiquem por um período mais longo molhadas e isso pode acabar fazendo aparecer fungos.

O primeiro passo antes de fazer a primeira rega das plantas é avaliar quais as condições do dia. O clima pode diferenciar para que seja necessário aumentar a quantidade de água ou diminuir a quantidade.

Alguns dias podem estar muito frio, em outros, muito quente. E claro, se um dia faz muito calor a planta precisa de mais água e no dia que faz frio, precisa de menos água. Por isso, não dá para não considerar o clima.

Porém, existe um modo de saber se a sua plantinha está precisando de água, sem erro. Usando os dedos ou um palito basta mexer na terra e observar se ela está seca ou úmida. No primeiro caso, é hora de regar, no segundo, não precisa, deixe para o dia seguinte.

Além de seguir as instruções anteriores, claro, não se esqueça de se informar sobre o tipo de rega que é necessário para espécie de planta que você escolheu.

regas
Quantidade de água usada na rega
Pode ter certeza que é melhor pecar pela falta do que pelo excesso. Se você encharcar a terra tem grandes chances de acabar fazendo morrer as suas plantas, claro, que algumas espécies gostam disso.

Por isso, é muito importante conhecer bem como cuidar da sua. Porém, aquelas que não gostam acabam sofrendo porque a raiz se “afoga” não conseguindo ter o ar que precisa. Esse processo gera fungos e doenças na planta.

Quando for regar a planta vá colocando água lentamente e dê pequenas pausas caso perceba que a água está entrando muito devagar na terra ou quando perceber que ela já está saindo nos buracos do fundo do vaso.

A rega feita nas folhas
As folhas podem e não podem ser molhadas. Isso vai depender da espécie de planta que você tem em casa, algumas podem ter as folhas molhadas enquanto as outras não podem. Principalmente, aquelas que possuem folhas muito sensíveis, como é o caso, por exemplo, das violetas. Porém, caso você molhe as folhas por acidente não precisa ficar preocupado, não tem problema, mas não deixe que isso se repita outras vezes.

Também dá para evitar esses “acidentes”. Ao invés de regar jogando a água diretamente na planta, água nos pratinhos poderá ser colocada ou na base que fica embaixo dos vasos. Além de ter certeza de que as folhas ficarão sequinhas, será possível evitar várias doenças que acabam atingindo as plantas por causa de regas que não são feitas corretamente.

Regar-as-Plantas
Dicas para regar as plantas da maneira correta
Se a sua plantinha ficou sedenta e murchou não pense que agora fazendo a rega e encharcando ela estará tudo resolvido. Pelo contrário, essa água em excesso depois de um período sem o líquido provocará um estresse ainda maior no metabolismo da planta.

Na prática, esse processo acarretará a perda total da capacidade de se reidratar da planta e isso fará com que ela sofra com a falência funcional das raízes e em sequência grande parte dos tecidos celulares irão morrer.

A rega não deve ser feita com um jato muito forte de mangueira, o correto é fazer por aspersão, isto é, usando uma forma de chuveiro, com chuviscos, que caiam poucas gotas pouco a pouco. A planta quando recebe água dessa forma tem menos chances de ter as suas folhas lesionadas, principalmente, aquelas mais frágeis. Além disso, com a água controlada não acontecerá de se formarem buracos na parte de cima do substrato.

Lembre-se sempre que a rega não deverá ser feita de maneira nenhuma em um único ponto. A água deve ser distribuída em toda a área do substrato. Atenção dobrada, como foi dito anteriormente, se a planta não pude receber água nas folhas.

Se quiser usar mesmo a mangueira, faça isso com bico aspersor, outras opções são o pulverizador manual, o regador de bico fino ou o regador com crivo.

janel15

mudas-de-Kalanchoe blosfeldiana cv Calandiva -14418-MLB194139355_3238-F
Embora seja considerado mais fácil que o plantio feito por sementes, iniciar sua horta, canteiro ou jardim a partir de mudas prontas também requer alguns cuidados para que você tenha bons resultados.

Em primeiro lugar deve-se escolher um bom lugar para o plantio, tratar apropriadamente a terra, escolher uma boa muda, plantá-la com os cuidados apropriados e cuidá-la bem, principalmente durante o período de adaptação em que a planta estará fraca.

Onde Plantar
Informe-se onde a planta nasceu e escolha um local de clima semelhante para plantá-la, por mais que a planta não morra com pequenas variações, ela leva um tempo para se adaptar ao novo clima e ficará bem frágil durante esse período, não confunda uma planta em período de adaptação com uma planta doente, mas também deve observá-la  bem para garantir que não está sofrendo demasiadamente.

Se já for plantá-la no lugar definitivo, tenha o cuidado de escolher um local que vá de acordo com o clima de onde esse tipo de planta é originário, espécimes de climas subtropicais precisam de cuidado extra ao serem plantadas, pois no Brasil, mesmo as plantas tropicais podem ser queimadas pelo sol de verão se não forem devidamente protegidas.

Se for fazer o plantio em um vaso, deve-se escolher um vaso com espaço suficiente para o desenvolvimento da planta, assim como também obedecendo a várias outras características para evitar doenças e facilitar o cultivo.

Preparando o solo
Caso esteja plantando em um vaso, antes de começar a encher de terra faça o preparativo do protetor da saída de água para evitar que a terra seja lavada durante as regas, isso é geralmente feito com algumas camadas de cacos de telha cobrindo o buraco para que a água saia, mas não a terra. Utilize terra solta e devidamente preparada.

Já no caso de plantio direto no solo, certifique-se que a terra está fofa para que as raízes possam crescer, caso não esteja cave um buraco duas vezes mais profundo que o torrão da planta e três vezes mais largo e revolva a terra um pouco antes de devolvê-la ao lugar.

Após o afofamento da terra é necessário garantir que ela tenha os nutrientes adequados para a planta, geralmente as sementes são plantadas em solo de pouco nitrogênio e adubo orgânico para evitar que elas venham a apodrecer, logo sua planta provavelmente precisará desses elementos.

Misture a terra em volta de onde a planta será posta com ¼ de adubo orgânico devidamente curtido, um pouco de adubo químico que possua nitrogênio (uma pequena quantia de fertilizante 10-10-10 na maioria dos casos é suficiente), e talvez algum acertador de pH se estiver plantando algo que necessite de solo mais básico ou ácido.

canteiros de flores 10
Escolha da Planta
Inicie a escolha do exemplar que adquirirá pela observação das raízes da planta, isso será de grande valia para sabermos quão bem cuidada a muda vem sendo.

Procure observar se o torrão tem tamanho proporcional ao da planta e se não foi partido por algum acidente.

Certifique-se também se as raízes não estão para fora, espremidas ou não fixas, esses são sinais de péssimo cuidado com a planta. Quanto ao solo, verifique se o mesmo está “limpo”, isso é, se a planta nasceu em um solo devidamente preparado e foi regada na quantidade certa não haverá a presença de ervas daninhas, lixo, insetos ou excesso de bolor.

Verifique a condição das folhas, cada deficiência apresenta uma forma diferente de mal que a planta vem sofrendo, em geral o amarelamento indica falta d’água, necrose a presença de fungos por excesso de irrigação, folhas novas nascendo menores que folhas antigas a falta de luz ou nutrientes para o crescimento da planta, folhas enrugadas podem ser falta de nutrientes no solo ou má formação das raízes. Evite qualquer planta com folhas com aparência duvidosa.

No caso das árvores, é importante observar os caules, veja se ele é suficientemente reto e possui poucas imperfeições e brotações ou terá uma árvore de má aparência quando adulta.

Camellia sasanqua
Como Plantar
Depois de garantir um solo fofo e devidamente equilibrado de nutrientes, um local favorável a espécie desejada e uma muda de boa qualidade chegou a hora de juntar tudo!

Cubra com a terra preparada o vaso ou o buraco feito no chão até que a profundidade seja ideal para se colocar o torrão de forma que a planta se nivele com o solo.

Remova o plástico (ou outro recipiente) que envolve o torrão da planta com muito cuidado para não quebrá-lo e ferir as raízes e coloque-o dentro do buraco, cubra em volta com o resto da terra e aperte-a um pouco com a mão até que fique firme. Tenha o cuidado de manter a planta na vertical.

Em caso de árvores talvez seja interessante fixar também uma haste de madeira no intuito de amarrá-la e evitar que cresça torta, por mais que alguns chamem esse procedimento de aramamento, não utilize arame, faça utilizando alguma borracha ou outro material que não machuque a árvore.

Dependendo de onde foi feito o plantio talvez seja necessário a aplicação de algum repelente de formigas ou a remoção de ervas daninhas para que essas não compitam com a planta pelos nutrientes da terra, observe a presença desses elementos antagonistas e tome providências imediatas ou eles poderão matar a planta em poucos dias.

Como Cuidar
Temos agora a muda já plantada, lembre-se que ela ficará frágil durante as primeiras semanas até se acostumar bem com a nova localidade, então redobre os cuidados.

Evite que agentes externos destruam a planta, se ela estiver em local público utilize de grades aramadas para que ninguém pise ou a deprede, evite que ela tome sol direto durante os horários de maior incidência e preste atenção se ela está sendo vítima de alguma doença ou inseto parasita/herbívoro.

Mantenha o solo sempre úmido, mas nunca encharcado. Não devemos deixar que a planta seque, porém também não podemos favorecer a proliferação de fungos. Se tudo der certo, em poucas semanas a planta estará bem instalada e começando seu crescimento no novo local.

janela 2945