Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Jardins e Manutenção’

jardim-rústico11

Não tem nada mais bonito do que um jardim de flores. Porém, você não quer gastar muito com ele todos os anos. Portanto, um jardim de flores rústico pode ser o que você estava procurando, para ajudar a cortar os gastos, enquanto ao mesmo tempo adiciona beleza ao seu jardim.

Vamos aos passos:
Você precisa primeiro decidir o local do seu jardim de flores rústico. O melhor lugar é um canto distante no jardim. Um lugar perto de uma janela, para que você possa olhá-lo e aproveitá-lo.

Tire o máximo de ervas daninhas que você puder da área que escolheu. Você pode fazer isso usando ferramentas de jardinagem, ou removendo as ervas com as mãos.

Meça, marque (com um lápis, ou giz) e corte, ou peça a alguém para lhe ajudar a cortar as placas de madeira na forma que você quer; elas ficam muito bonitas se empilhadas com pelo menos duas madeiras de altura. Normalmente, as peças finais são cortadas diagonalmente, não retas. Pense como sendo uma barra (/). Seu objetivo é fazer que as madeiras na frente eventualmente se igualem as laterais.

Use estacas de metal para prender as madeiras – pregos grandes de carpintaria podem ser aplicados se necessário. Certifique-se de que as estacas prendam as placas de madeira, ou seja, onde as pontas delas se encontram, depois de juntá-las.

Ponha um limitador de plástico para o leito das flores antes de adicionar a terra. Isso irá manter a terra no lugar.

Use seu critério para decidir a altura da terra. Entretanto, não preencha o leito até a boca.

Assim que tiver adicionado a terra, afaste-se e estude onde você quer colocar as plantas. É melhor que a apidistra esteja lá atrás e fora do sol; as plantas de vinca ficam lindas se estiverem na frente e podem ser plantadas na sombra, ou meia-sombra, contanto que estejam em um solo rico e úmido. Veja a seção de dicas para mais informações sobre a planta vinca.

Assim que todas as plantas tiverem sido organizadas, pegue a mangueira e levemente borrife o solo e as plantas. Isso ajuda a tirar o ar do solo e deixá-lo mais comprimido. Agora dê um tempo a suas plantas para se ajustarem ao seu novo lar.

Adicione as pedras vulcânicas ao seu jardim rústico. Use luvas de jardinagem enquanto trabalha com as pedras; depois que elas estiverem no lugar, você pode adicionar pedras maiores, ou uma grande rocha.

jardim

Dicas
*
Adicionar um sistema de irrigação, como um coelho, ou tartaruga, ou os dois, terá duas funções: poupará você de aguar as plantas e irá decorar o jardim ao mesmo tempo.

* A planta cóleus tem diversos tipos de cores e formatos de folhagem. É melhor transplantá-la para um pote de barro médio e deixá-la na área do jardim; ela produz flores suaves e pode ser de diversas cores, principalmente as quentes, como laranja. Ela gosta de lugares quentes do jardim, repletos de luz do sol e de um solo rico e úmido.

* A planta vinca tem folhas brilhantes e atraentes e flores coloridas que podem ser brancas, rosas, ou liláses; muitas variedades desta planta têm um botão e crescem bastante.

* Você pode adicionar alguns enfeites de jardim, como libélulas e pássaros em sua área de jardim, até mesmo alguns insetos – você quem sabe. Procure na loja de jardinagem mais próxima para ter algumas ideias, como adicionar sapos, esquilos, etc. Isso deixaria o seu jardim mais atraente.

* Cactos funcionam muito bem em um jardim rústico. Você não deve encharcá-los.

* Se a apidistra tiver sido plantada debaixo de uma janela, esse é o melhor lugar para ela; deixe a planta secar antes de aguá-la novamente. É melhor não aguar demais esse tipo de planta.

* Procure por terra para jardim de boa qualidade. Caso seja muito cara, compre sacas de solo enriquecido.

jardins-

Importante saber
* Quando estiver puxando as ervas manualmente use luvas, já que algumas delas são venenosas.
* Tente fazer com que os caracóis não destruam as suas lindas plantas; há muitas formas de fazer isso. Você pode encontrar diversos itens em lojas especializadas, ou pode procurar formas naturais de resolver o problema, como adicionar pinhões a sua área de jardinagem. Os caracóis não conseguem escalar eles.
* Tome muito cuidado para não danificar as plantas quando estiver adicionando as pedras vulcânicas e outros itens.
*Certifique-se de que o topo das placas de madeira estejam nivelados. Use um nível (com bolha) para verificar o nivelamento. Se um lado estiver mais alto que o outro, quando você aguar o leito a água irá vazar para o lado mais baixo.

Materiais Necessários
*
3-4 ou mais sacolas grandes de pedras vulcânicas.
* Diversas pedras grandes, ou uma rocha grande.
* 3-4 ou mais madeiras para paisagismo.
* Várias estacas de metal.
* Tenha em mãos: pregos de carpintaria e martelo, ou uma pistola de pregos.
* Diversos tipos diferentes de plantas: cactos, babosa, vinca, cóleus, apidistra e celósia.
* Ferramentas de jardinagem: ancinho, ancinho de mão e pá.
* Luvas de jardinagem.
* limitador de leito de plástico para manter as ervas daninhas longe.
* Diversas sacas de solo enriquecido (Nota: algumas pessoas gostam de usar estrume).
* Lápis preto, ou fita-giz para construção.
* Trena.

janel13

pergola]

Bastante utilizada em áreas abertas (jardins, quintais, varandas, etc.), para criar sombreamento, a pérgola é uma estrutura elaborada com madeiras paralelas, sustentadas em colunas, que serve de apoio para folhagens, flores e plantas. Atualmente, é muito utilizada também como extensões da fachada, gerando uma intermediação entre os espaços externos e internos.

Apesar de não haver medidas exatas para pérgolas, especialistas recomendam estruturas com cerca de 2,30 m de altura por 6,30 m de comprimento.

Além disso, ao criar esse elemento decorativo, eles indicam ficar atento a três fatores: se os pilares aguentam as vigas, coberturas e plantas; se os pilares estão bem apoiados – as sapatas de concreto são as melhores opções, por serem mais estáveis; e a credibilidade do projeto, que deve ser executado por profissionais experientes.

Além de madeira, as pérgolas podem ser feitas também de outros materiais. A escolha pelo melhor material deve corresponder com o estilo do local.

Veja algumas dicas:

ferrofundido

* pérgolas de ferro fundido: são modelos bastante charmosos e românticos. Ideais para integrar jardins tradicionais e modernos. São duradouros e exigem pouca manutenção, sendo uma opção econômica.

caibros

* pérgolas com pilares, terças e caibros de concreto: são muitos resistentes e possibilitam vãos livres de até seis metros de comprimento, o que os torna favorável a plantas maiores.

pergolado-jardim

* pérgolas de madeira: são os mais comuns e podem ser de diferentes tipos: de jardim – possui hastes tradicionais e livres com vigas superiores. É de fácil instalação, pois não precisa ser anexada a outra estrutura; arqueada – conta com um telhado côncavo ou convexo, o que a diferencia das demais; pequena – indicada para espaços menores, pode oferecer cobertura a uma mesa menor e garante beleza e sofisticação; e personalizadas – são frequentemente circulares ou com detalhes circulares, mas é possível inovar no seu design de acordo com o ambiente.

Importante
É fundamental tomar alguns cuidados para que essa decoração de jardim dure mais. Aconselha-se envernizar a superfície das pérgolas de madeira. A manutenção também é um aspecto crucial nessas estruturas que ficam expostas à chuva, ao sol e aos ventos.

Todos os materiais precisam de algum tipo de cuidado, como verniz ou pintura. Exceto madeiras de demolição e aço corten, que já possuem uma aparência enferrujada.

Dica
Geralmente usadas como lugares para o lazer, recomenda-se criar uma pérgola agradável com sombras. O ambiente pode ficar fresco se for usado algum tipo de trepadeira, que reduz a incidência da luz solar, ou coberturas de fibras, bambu ou vidro.

florzinha rosa

mudas de pimentas

Plantas robustas e cheias de raízes nem sempre são sinônimo de saúde e de crescimento adequado.  Da mesma forma que os seres humanos precisam de espaço para viver com qualidade, plantas com raízes saindo da terra ou dos vasos demonstram sufocamento e indicam a falta de um ambiente apropriado para o pleno desenvolvimento da espécie.

Para solucionar esse problema, vale a pena apostar na retirada de mudas de plantas , uma técnica de jardinagem para desafogar a planta original e realizar novas plantações para encher ainda mais de vida a sua casa ou quintal. Entretanto, apesar de parecer uma tarefa relativamente simples, a extração de mudas exige bastante atenção e alguns cuidados essenciais.

Primeiro é importante limpar bem o utensílio de corte a ser utilizado no processo, pois tanto tesouras como estiletes podem conter em suas lâminas fungos que prejudicam a planta. Depois, basta cortar os ramos do vegetal que já cresceram suficientemente e retirá-los com a raiz para replantá-los em outro lugar.

As primeiras regas devem ser feitas com água fria que já foi fervida, pois a fervura fará o cloro evaporar e assim as mudas não sofrerão com os danos causados pela ação de substâncias químicas.

mudas

É preciso também tomar cuidado com a espécie da planta na qual será realizada a poda de mudas, pois cada uma pode exigir uma técnica específica. Azaleias, por exemplo, necessitam que os galhos cortados sejam de tamanho médio e que as mudas, já na terra, sejam cobertas pela parte superior de garrafas Pet’s. Esse artifício acelera o desenvolvimento das raízes, atuando como uma pequena estufa.

Já as samambaias exigem que cada parte extraída de mudas contenha no mínimo três brotos ou galhos. É necessário ainda manter o vaso ou cachepô de fibra de coco bastante úmido para reproduzir o ambiente tropical típico da espécie. Assim, as mudas estarão fortes e saudáveis em apenas três meses.

No caso das violetas, o segredo está na quantidade de água fornecida às mudas. Após introduzir na terra a haste da folha removida da planta original, procedimento que deve ser realizado sem força excessiva e sem soterrar a muda, a rega deve acontecer sempre duas vezes por semana.

plantio

Diversas espécies possibilitam também o desenvolvimento das mudas por meio da estaquia, método que consiste no plantio de um ramo ou folha para o crescimento de uma nova planta com as mesmas características da original.

Para utilizar essa técnica, é aconselhável escolher sempre uma variedade saudável e fazer uso de um biofertilizante na base da estaca antes do plantio, com o intuito de que ele atue como um inoculante e assegure um enraizamento mais rápido e eficaz.

janel1520

mini-garden

Além de criar e cuidar das plantas, os amantes da jardinagem também estão fazendo a miniatura dos seus próprios jardins. A envolvente tarefa levou muita gente a se dedicar à técnica com muita força e agora você já pode reproduzir o seu.

O primeiro passo é identificar alguma peça do seu jardim que você encontre em miniatura. Alguns exemplos são escada, vasos, bancos, mesa ou cadeiras. Além delas, você pode pegar tijolos, telhas, mármore, pedra, cerâmica, porcelana, conchas e, até mesmo, moedas.

Não se esqueça da areia e, de fato, da árvore ou planta em plástico que deseja reproduzir. Também será preciso um material para fazer o rejunte.

O processo é simples. Nesse tipo de mini jardim, as condições ambientais devem ser similares às da natureza. O objetivo é criar uma reprodução o mais fiel possível do habitat das plantas que serão cultivadas. A montagem pode ser feita a partir destes passos básicos.

gardem miniature

Colocando a mão na massa
Compre um vaso, pode ser semelhante ao da foto abaixo. Lembre-se de preencher seu espaço com terra, mas não até a superfície máxima. Depois de colocar a terra e a planta, crie uma demarcação em forma de S ou U, de acordo com o projeto escolhido.

Para isso, você vai precisar de tiras de madeira, encontradas em qualquer ferragem ou loja de construção. Use palitos para fixá-la no local (será preciso em função da próxima etapa).

Na área em que será o pátio, demarcada pela tira e seus palitos, despeje a areia. Essa base vai tampar as raízes e será importante para o próximo passo. Alise a areia em toda a área do pátio, inclusive nos cantos, com cuidado. Suavize a mistura até mesmo em toda a área. Essa camada deve ter cerca de 1,2 cm de profundidade.

Coloque os pedaços de telha ou outro material desejado acima para que você possa ver as diferentes formas e tamanhos que eles assumirão Se tiver alguma representação de caminho, faça antes.

Os espaços entre “as pedras” devem ser proporcionais ao seu jardim de verdade. Deixe todas as pedras no mesmo nível e, quando tiver terminado, bata em todas suavemente para baixo com um pedaço de madeira.

Por fim, derrame o rejunte na área do pátio, mas tenha cuidado para não derramá-lo no jardim, usando a outra mão como uma barreira. Elimine o excesso do produto, de forma cuidadosa para que não tirem do lugar as pedras.

Claro que você pode utilizar plantas verdadeiras no jardim em miniatura, lembrando-se de regá-las.

A escolha das espécies
Dê preferência às plantas pequenas,  isso facilitará a preparação e a manutenção do jardim.

Quem é iniciante pode optar por variedades que gostam de sombra e toleram altos níveis de umidade, como musgos e samambaias. Mas, se o objetivo for criar um clima árido, em um recipiente aberto, os cactos e as suculentas são ideais.

gardem1

Faça pequenos buracos e coloque as plantas com cuidado para não danificar as raízes. Enfeite com pedras, conchas, estátuas em miniatura e qualquer outro objeto de sua preferência.

Cuidados e manutenção
As regas dependem da espécie cultivada. Cactos e suculentas podem ser regados apenas uma vez por mês. Também é importante remover qualquer erva daninha ou vegetal doente.

Esses jardins em miniaturas ficam lindos na varanda, mas podem ser colocados na sala e até mesmo na cozinha ou no banheiro, garantindo uma decoração charmosa aos cômodos.

Dica
Você pode posicionar a reprodução do seu jardim em uma pequena área do pátio. Coloque-o em um lugar estrategicamente pensado para que o sol, o vento e a chuva não danifiquem as estruturas.

margaridas-em-movimento4