Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Jardins e Manutenção’

jardim (Small)

A primeira coisa a fazer com a chegada do Outono, é recuperar os jardins do calor que eles sofreram no verão.

Esta é a época ideal para realizar uma limpeza geral e adubação das plantas. O ideal é começar retirando as ervas daninhas e os insetos que possam ter invadido vasos e jardins, além de folhas e galhos secos que podem ser retirados com uma poda de limpeza.

A época também é boa para se fazer uma escarificação do solo dos canteiros, aumentando a oxigenação das raízes. Para fazer isso, evite pás ou enxadas e prefira um escarificador que danifica menos as plantas.

Quando for realizar a poda, faça apenas para limpeza, extraindo folhas amareladas e galhos ressecados. Evite as plantas com floração prevista para o Inverno ou para o início da Primavera. Isso pode prejudicar o nascimento das flores. Prefira sempre tesouras de ponta fina para cercas vivas e arbustos e outras mais adequadas para plantas de haste lenhosa.

Para a adubação da terra, prepare o solo revolvendo a superfície da terra e dê sempre preferência a adubos orgânicos como o húmus de minhoca, a torta de mamona e a farinha de osso.

Por fim, é importante lembrar que a quantidade de água das regas deve ser diminuída durante o outono, já que, com o fim do calor do verão, a evaporação é menor. Neste período, entretanto, as chuvas diminuam e o solo fica mais ressecado, sendo ideal incorporar ao solo os chamados elementos hidrorretentores, que absorvem e mantém a humidade da terra.

As plantas no inverno
Nos países mais frios, o inverno se caracteriza por árvores secas e desfolhadas e plantas quase sem flores, mas aqui no Brasil a situação é bem diferente. Aqui o frio não é suficiente para danificar as plantas e elas podem chegar belas e saudáveis à primavera se tomarmos alguns cuidados. Além disso, algumas florescem especificamente durante o inverno, ficando mais bonitas e coloridas durante a estação.

As plantas da estação, que costumam florir nesta época, não precisam ser podadas. As outras porém, especialmente as roseiras, podem e devem ser podadas durante o inverno. Nas regiões mais frias, sujeitas a geadas, é recomendável aguardar pelo final do inverno. Já nas áreas mais quentes, é melhor realizar as podas em julho. A poda é importantíssima para a floração das roseiras.

Para as plantas da estação, que se desenvolvem mais no inverno, é recomendada uma adubação, que deve ser feita, preferencialmente, com materiais orgânicos. No caso das roseiras o mais eficaz é uma mistura de 200g de farinha de osso com 20 litros de esterco curtido ou composto orgânico e 100g de torta de mamona. O período é ideal também para realizar transplantes em trepadeiras, árvores e arbustos em período de dormência.

A quantidade de água nas regas deve ser ainda mais reduzida durante o inverno. Nessa época, o excesso de umidade pode trazer problemas como o aparecimento de fungos e o apodrecimento das raízes.

Os gramados também merecem atenção especial durante a estação mais fria do ano. Além de uma boa limpeza, a grama deve ser aparada e coberta com terra vegetal para que as folhas fiquem mais protegidas. Também recomenda-se fazer a aeração do solo para aumentar a circulação de ar entre as raízes. A melhor maneira é através de perfurações finas e profundas no solo.

A estação das flores
Mesmo com cuidados especiais, os jardins podem ficar prejudicados pelos dias frios e secos do inverno. Ao final da estação, o que resta, na maioria das vezes são plantas fracas, jardins sem vida e quilos de folhas secas. É aí que entra a primavera trazendo consigo as chuvas, as flores e os dias mais bonitos do ano. Com certeza vale a pena preparar os jardins para receber a estação das flores.

O primeiro passo é providenciar uma limpeza geral removendo as folha secas dos vasos canteiros e jardins. Para isso, utilize uma tesoura pequena e elimine galhos e folhas, inclusive as que estiverem caídas na base das plantas. Com as primeiras chuvas elas tendem a se tornar o ambiente perfeito para a reprodução de fungos.

Durante a primavera devem ser podadas as plantas, como as azaléias, que floresceram durante o inverno para que tenham mais força no ano seguinte. Além de retirar alguns galhos pode-se cortar as pontas de outros para aumentar a próxima floração.

A primavera é uma boa época para trocar de vaso e replantar as plantas que estiverem precisando de mais espaço. Assim, elas ainda terão tempo suficiente para se adaptar ao local até que iniciem o período de repouso.

Além do replantio, a estação é também a melhor para o plantio. Aproveite para semear e montar novos canteiros e jardineiras, principalmente verificando apenas se as espécies escolhidas são adequadas às condições do local.

A época também é boa para adubar a terra e enriquecê-la com nutrientes que trarão, com certeza, folhas e flores mais fortes. O ideal é aplicar o adubo nos dias mais frios ou chuvosos. Se não tiver jeito, regue abundantemente os canteiros e gramados para que os produtos não danifiquem as folhas.

38

tulipas-vermelhas

Ter um jardim em casa além de beleza estética do ambiente proporciona bem estar e alegria a moradores e visitantes. É possível ter um jardim fora de casa, um jardim interno ou mesmo um mini-jardim em um apartamento.

Para não errar e acabar se decepcionando com o resultado ao longo do tempo é bom se organizar na formação de seu jardim e começar escolhendo e planejando a distribuição das melhores plantas e flores para jardim. Existem flores que se adaptam melhor a vasos ou substratos úmidos e não resistem ao ambiente de um jardim aberto. Veja algumas dicas:

Alguns arbustos florescem o ano todo e mantêm a vivacidade do jardim, por exemplo: a azaléia, a lantana, o camarão-amarelo e a alegria-de-jardim. Estas são encontradas em cores variadas.

Outra planta resistente é o impatiens, que sobrevive bem à sombra de outros arbustos e não suporta sol direto principalmente no fim do dia, deve ser regado regularmente.

Se gostar da primavera florida pode optar pelas petúnias, lobélias, amor-perfeito, flor-de-mel, cravinas, begônias e sempre-vivas. Estas costumam durar um pouco mais que outras flores de primavera e podem até serem transportadas para outras mudas.

Gerânios, calêndulas e cravos podem ser plantados ao redor do jardim, são flores pequenas e têm propriedade de prevenir pragas, como pulgões, e espantar insetos. Isso manterá seu jardim mais bonito, sem folhas e flores picadas e murchas.

Se existir um muro ou algum suporte no seu jardim você pode utilizá-lo para as trepadeiras, como: lanterna-japonesa, primavera e brinco-de-princesa. Deve-se observar a poda destas sempre no início do inverno.

Como forração no centro do jardim pode-se plantar flores de jardim, por exemplo: hera, brilhantina e maria-sem-vergonha. E para o restante do jardim complete com flores médias e coloridas, dando o tom e a combinação que desejar, como: Iris, Narciso, Tulipa, Girassol, Rosas, Magnólia, Violeta, Begônia, Crisântemo, Hortência e Margarida.

Mas se morar em um apartamento pode optar por ter flores em uma jardineira ou mesmo jardim interno. Na jardineira dê preferência por plantas que caem como a begônia, o gerânio e a petúnia. Estas plantas aceitam bem a luz solar incidente por mais tempo.

Para um jardim interior é necessário procurar plantas que se adaptem bem ao ambiente fechado e que não precisem de luz e calor direto, apenas de iluminação indireta e rega duas ou três vezes por semana. São algumas delas: calanchoe, dracena, onze-horas, amor-perfeito, antúrio, azaléia, begônia, brinco-de-princesa, violeta, bromélia e orquídea.

Seja qual for seu ambiente disponível, antes de formar o jardim, observe a luz que incide sobre o local, horários de sol, vento, a harmonia das cores com a arquitetura e pintura do local e logicamente elabore um projeto de suas preferências pessoas. O jardim acima de tudo revela o bom gosto dos moradores do local. Aproveite e divirta-se admirando e cuidando das suas flores.

flor07

Varanda-Jardim

Observar um jardim repleto de cor e beleza é uma verdadeira contemplação paradisíaca para qualquer olhar. Mergulhe por isso, nos cuidados do seu jardim.

Manter um jardim sempre tratado e arranjado, não é certamente uma tarefa fácil. Implica muita dedicação e gosto pela natureza, plantas e jardinagem. A natureza oferece toda a beleza que é possível imaginar, mas para isso é fundamental que cuide dela e que lhe proporcione todos os cuidados que a mesma necessita.

O seu jardim necessita de uma manutenção mínima e de um tratamento especial. Com a chegada da época do calor, é natural que a tendência para a seca seja mais frequente e que o seu jardim precise ser regado com mais regularidade. Uma das primeiras coisas que pode fazer é arrancar todas as ervas daninhas, que se aglomeram aos montes pelos vários cantos do seu jardim.

Nesta época é a fase ideal para podar as sebes, arbustos de Primavera e árvores que tenham tido tendência, para crescerem demasiadamente e sem qualquer controlo. As plantas de terras ácidas, como os Rododendros ou Azáleas, aproveitam esta altura para começarem a soltar os seus botões. Portanto, deve também tratar delas com o mesmo carinho que cuida das restantes plantas.

As Roseiras ou Asteres são plantas muito sensíveis e, embora embelezem amplamente qualquer jardim, precisam com abundância de serem tratadas antecipadamente contra o oídio. Como as plantas têm tendência a ficarem ressequidas muito rapidamente, os churrascos ou outras petiscadas que faça no jardim utilizando chamas não favorecem muito a sua saúde, bem como são um perigo para o atear e propagar um fogo indesejado.

Já aqui falamos dos Rododendros e das Azáleas. É nesta fase que estes começam a formar os seus botões, que só se soltarão na próxima Primavera. Como não se adaptam aos excessos de calor e de frio, utilize um escarificador para arejar a terra. Assim, a terra encontrará um meio termo e equilíbrio para o Verão e para o Inverno.

A utilização de um fungicida é importante por causa das doenças, não só para estas plantas como também para as Camélias e Magnólias.

Uma flor particularmente bonita são os Brincos-de-Princesa. Esta é uma das sugestões que lhe deixamos, mas saiba que deve utilizar um solo ligeiro, muito bem drenado e rico em húmus, turfa ou terriço em folhas. Para além de ter que regá-la com frequência, deve -seaplicar um adubo líquido semanalmente, durante o período do calor.

A Sardinheira é outra planta que é acomselhável para o seu jardim. Precisa de um solo muito rico, e o adubo deve ser aplicado de quinze em quinze dias, no período de Maio a Setembro.

No Inverno as Sardinheiras devem estar apenas úmidas, enquanto que no Verão devem ser regadas com frequência. Tanto os Brincos-de-Princesa como as Sardinheiras quando cultivados num vaso ou canteiro, devem estar sempre no exterior num local onde bata o sol e mais tarde a sombra. Porém, as Sardinheiras não suportam muito bem as temperaturas baixas do Inverno.

Existem flores que necessitam de ser regadas com um jato de água forte, que deve ser realizado quando estiver a regar o seu jardim com a mangueira. Roseiras, árvores e arbustos precisam de jatos fortes, não só para rejuvenescer os ramos como também para afastar os piolhos. Outra sugestão tem a ver com as Roseiras-Miniatura, que na terra ficarão muito bem e dão um ar muito belo ao seu jardim.

Nesta época não ignore as plantas. Esta será uma fase, na qual vão exigir muito dos seus cuidados e atenção. Nunca se esqueça de regá-las convenientemente e de lhes dar adubos.

jardineira

jardim
No Brasil, quando falamos em inverno a imagem que criamos é muito mais agradável do que uma paisagem coberta de neve, árvores com galhos secos e desfolhados e claro, ausência completa de flores. Tomando os devidos cuidados, as plantas dos jardins e dos vasos podem resistir bem aos efeitos do frio, chegando bonitas e sadias na primavera. Além disso, muitas espécies enfeitam e colorem nosso inverno, pois florescem nesta época.

As plantas de interior devem ter suas regas reduzidas. Nesta época do ano, com a redução do calor, diminui também a necessidade de água nas plantas. Todo o excesso de umidade acaba sendo convertido em problemas: apodrecimento das raízes, proliferação de fungos e insetos sugadores, etc.

Quanto às adubações, são recomendadas apenas para as plantas que se desenvolvem e florescem no inverno. Árvores, arbustos e cercas-vivas podem ser podados nesta época, desde que não estejam florindo. O período também é bom para fazer o transplante de trepadeiras, arbustos e árvores que estiverem em seu período de dormência.

Em julho e agosto, as roseiras devem ser podadas e adubadas com adubo orgânico. É a chamada poda anual das roseiras. A sabedoria popular afirma que o período mais propício para a poda é a Lua Minguante, quando o fluxo de energia da planta se volta para as raízes (na dúvida, não custa tentar). Em regiões mais frias, é recomendável aguardar a passagem das geadas sendo, portanto, o final do inverno o período mais indicado. Já nas regiões mais quentes, onde as geadas são quase raras, a poda pode ser feita no mês de julho.

Gramados

Muita gente fica preocupada com o gramado durante o inverno e, às vezes, exagera nos cuidados. Nos meses frios, a grama merece realmente alguns cuidados: limpeza, aeração e cobertura, mas sem dramas!
1 – Limpeza
: Deve começar com a retirada das ervas daninhas, de preferência manualmente para que sejam extirpadas as raízes. Depois disso, a grama pode ser aparada.

2 – Aeração: Após o corte, é recomendável recolher o excesso de aparas, pois durante o inverno é preciso garantir a aeração do gramado. Retire os restos do corte com um ancinho ou uma vassoura de arame – a tarefa vai melhorar a aeração e a luminosidade e, ainda, diminuir a temperatura e umidade junto à grama, fatores que facilitam o surgimento de doenças. Outra medida que contribui para aumentar a circulação de ar entre as raízes da grama é fazer perfurações finas e profundas no solo, manualmente, usando uma ferramenta apropriada. É preciso, entretanto, tomar cuidado para não perfurar e danificar demais as folhas.

3 – Cobertura: Em algumas regiões onde o inverno não é muito rigoroso, costuma-se dispensar a cobertura do gramado. Entretanto a prática não é indicada apenas como proteção contra o frio e geadas. A cobertura com terra vegetal incorpora ao solo alguns nutrientes e também ajuda a nivelar o gramado, cobrindo eventuais buracos. Não é preciso adicionar adubo à terra – nesta época a grama está em estado de repouso e a adubação não será bem aproveitada. Também não é preciso “soterrar” a grama: uma camada de no máximo 3 cm de altura é suficiente para cumprir a função. Caso o gramado apresente falhas, aproveite para corrigi-las antes da cobertura, completando as áreas com pedaços de placas de grama da mesma espécie. Após a cobertura, regue o gramado para ajudar a incorporar a terra.

Ao contrário do que muitos pensam, não é difícil obter um efeito florido no jardim, mesmo nos meses de inverno. O cultivo de floríferas garante o colorido e a vida nos jardins e canteiros, alegrando os dias frios. Os jardins localizados principalmente nas regiões mais ao sul do Brasil, onde o clima é mais ameno, podem ser enriquecidos com a introdução de plantas herbáceas floríferas de ciclos curtos ou anuais, especialmente no inverno.

Para que isso ocorra com êxito, precisamos nos preparar desde os meses de abril e maio, pois, entre a sementeira e o início da floração é necessário um mínimo de 60 dias. É bem possível ter uma exuberante floração em pleno inverno, mesmo em locais muito frios e sujeitos a geadas.

A floração de várias espécies ocorre sem interrupção durante meses, já outras são consideradas perenes como as iresines, a onze-horas e o gerânio, que podem durar até dez anos num jardim. O cultivo das anuais pode parecer primeiramente complicado, mas qualquer um que aprecie a jardinagem pode fazê-lo sempre tomando os cuidados básicos da semeadura que pode ser feita num canteiro, caixote ou estufim, abrigados com mistura de terra vegetal de boa drenagem e rega cuidadosa.

Não é aconselhável colocar muito adubo químico nas sementeiras. Após a germinação e enraizamento, as pequenas mudinhas devem ser repicadas, ou seja, separadas e plantadas em local definitivo.

chuvas

922445

Veja qual a manutenção ideal para seu jardim

Poda de limpeza
Deve ser feita durante o ano todo, mas intensificada no inverno. Remova galhos e folhas secas. Elimine ramos malformados e encruados. Não deixe folhas e flores secas sobre a terra: elas podem contribuir para o surgimento de parasitas.

Poda de direção
Indicada para trepadeiras e cercas-vivas. Remova ramos e brotos laterais e superiores, para que o arbusto adquira a forma que você deseja. Durante o inverno, aproveite que as plantas ficam mais “preguiçosas” para definir o formato ideal.

Poda de beliscão
Essa poda serve para desacelerar o crescimento da planta para o alto e aumentar a quantidade de galhos na parte inferior. Remova poucos centímetros dos brotos novos. Isso diminui a transpiração pelas folhas e contribui para o surgimento de brotos na parte baixa.

buque-de-rosas

jardim

1- Como montar:
Um pequeno jardim pode ser composto por alguns vasos ou por pequenos canteiros delimitados com toras, tijolinhos inclinados, dormentes… Plantam-se neles espécies de médio e pequeno porte como azaléias, viburnos, gardênias, camarão, murtas podadas, buxinhos bolas, íris, moréias, spatifilum ou lírio da paz, e como forrações rabo-de-gato, evolvulo, dinheiro em penca e mini grama preta que são as espécies mais fáceis de cuidar. Tome o cuidado de verificar quanto de sol a área recebe antes de escolher as espécies e pergunte ao vendedor qual escolher em função do tempo de sol da sua área. Áreas bem ensolaradas não têm restrições.

Após o plantio, manutenção e adubação corretas terá plantas saudáveis e floridas.

2- Para plantar:
A terra deve ser boa. Quando muito vermelhas são argilosas e se compactam muito devendo ser misturadas com areia e muito húmus. Prefira as terras escuras, de cor marrom café. Sempre misturá-la com um pouco de areia e húmus ou esterco curtido de curral, se for de galinha, use pouco! Colocar também calcário na proporção de 150 g por metro quadrado de jardim, farinha de ossos e torta de mamona na mesma proporção.

3- Para cuidar:
A a
dubação: deve ser feita, no mínimo duas vezes por ano, em Julho / Agosto. Se você for cuidadoso (a) e quiser, pode usar adubo químico, a cada três meses em pequena quantidade de NPK 10-10-10 (folhagens) e 4-14-8 (para floração), atentando sempre para a receita da embalagem.

Ferramentas básicas:
1 tesourão de poda de arbustos;
1 tesoura de poda para galhos;
1 maquina de cortar grama de fio de nylon;
1 pasinha de mão com ponta fina (se for uma área maior é melhor ter 1 enxadão para abrir covas e 1 enxada para acertar o terreno);
1 pulverizador de 1 litro para prevenir pragas ou mesmo para borrifar água nas folhas.

No dia a dia, regue em dias alternados, ou a cada dois dias se o seu clima for úmido. Corte com a tesoura todos os galhos e folhas secas e verifique pragas ou insetos.

Tratá-lo sempre com carinho que ele retribuirá muitas alegrias… Estes são os cuidados básicos para ter um lindo jardim.

jardineiros

jardim interno

As plantas de jardim interno, por estarem confinadas em ambiente restrito e quase isolado do exterior, requerem uma severa vigilância para debelar no início qualquer ataque de pragas ou doenças, as quais, proliferando rapidamente, em âmbito limitado, podem causar estragos desastrosos em curto espaço de tempo.
Geralmente os maiores problemas relacionam-se à infestação por fungos, propiciada pela umidade atmosférica elevada. Os fungos, quando não eliminados em tempo hábil, enfraquecem as plantas e, exaurindo-lhes as defesas, facilitam a instalação de outras doenças que podem ser fatais. Cumpre, portanto ao primeiro sinal de fungo, proceder-se à pulverização de fungicida eficiente, repetindo-se a dose até que seja sanado definitivamente o problema.
Pragas como as cochonilhas, pulgões ou lagartas também devem ser combatidas e eliminadas com presteza; utilizando-se para isso desde a catação manual até, em caso extremo, o emprego de inseticidas adequados a cada caso. Entretanto, o uso de tais produtos apresenta alto risco de intoxicação das pessoas, perdurando esses riscos mesmo decorridos alguns dias de sua aplicação. Fica pois o alerta: o ser humano pode ser o alvo mais direto desses produtos agrotóxicos que eliminando ou não os insetos e pragas, chegam a levar o homem à morte por choque anafilático. Existem métodos atóxicos para o homem e animais domésticos, sendo preferível a sua utilização quando se deseja eliminar pragas e doenças, apesar dos efeitos mais lentos.
Quando as condições oferecidas às plantas de um jardim interno forem adequadas e bem próximas das ideais, dificilmente ocorrerão o ataque de pragas e doenças ou a infestação por fungos.
A seguir, adicionando informações sobre os jardins internos, organizamos uma tabela que determina a seleção relativa das espécies de plantas adequadas e suas exigências em índices de luminosidade. Seu uso facilita ao paisagista agir com maiores possibilidades de acerto no planejamento do projeto, resultando em perfeito desenvolvimento e êxito na obra concluída.

Relação de algumas das plantas adequadas para Jardim Interno
Pleno sol

Nome popular Nome científico
Acalifa Acalypha spp
Agapanto Agapanthus orientalis
Agave Agave spp.
Bananeira de jardim Musa zebrina
Bananeira do mato Heliconia spp
Calanchoe Kalanchoe spp
Camarão Pachystachys lútea
Capim dos pampas Cortadeira selloana
Coleo Coleus spp
Cróton Codiaeum vagiegatum
Dracena Dracaena spp
Exória Ixora coccínea
Filodendro Philodendron spp
Fórmio Phormium spp
Onze horas Lampranths spp.

Relação de algumas das plantas adequadas para Jardim Interno
Meia sombra

Nome popular Nome científico
Afalandra Aphelandra squarrosa
Amor perfeito Viola tricolor
Antúrio Anthurium andreanum
Azálea Rhododendron simsii
Begônia Begônia spp.
Brinco de princesa Fuchsia spp.
Clívia Clívia miniata
Columéia Columnea spp
Comigo ninguém pode Dieffenbachia spp
Cróton Codiaeum variegatum
Dinheiro em penca Muehlenbeckia complexa
Dracena Dracaena spp
Ixora coccínea Exória
Filodendro Philodendron spp
Flor de cera Hoya carnosa
Fórmio Phormium tenax spp
Impatiens Impatiens spp
Jibóia Scindapsus aureus
Miosote Myosotis sylvatica
Moréia Morea spp
Peperômia Peperômia spp
Petúnia Petúnia hybrida
Prímula Prímula spp
Ráfia Rhapis excelsa
Samambaia Nephrolepis spp
Violeta Viota odorata
Violeta africana Saintpaulia ionantha

Relação de algumas das plantas adequadas para Jardim Interno
Sombra

Nome popular Nome científico
Aglaonema Aglaonema spp
Avenca Adiantum spp
Brinco de princesa Fuschia spp
Bromélia Aechmae spp
Chamadorea Chamaedorea elegans
Comigo ninguém pode Dieffenbachia spp
Dracena Dracaena spp
Fitônia Fittonia spp
Filodendro Philodendron spp
Grama preta Ophiogon japonicus
Maranta Calathea spp
Peperômia Peperômia spp
Peléia Pilea spp
Prímula Prímula spp
Sheflera Sheflera arborícola
Singonio Syngonium spp

Relação de algumas das plantas adequadas para Jardim Interno
Obscuridade

Nome popular Nome científico
Avenca Adiantum spp
Grama preta Ophiogon japonicus
Maranta Calathea spp
Rafiodofora Raphidophora decursiva
Singonio Singonium spp
Tradescância Tradescantia spp

O jardim é um lugar de paz e beleza, aonde podemos relaxar em uma noite quente na cidade. Um quintal forrado com plantas de folhas sempre verdes e flores se abrindo. Ele também pode proporcionar uma forma de diversão e contato com a natureza ao alcance de toda a família. Se você deseja modificar o seu jardim, escolha uma área para ser replantada e faça um traçado orgânico (em forma curva no lugar das retas tradicionais).

A planta que indicamos é o lírio do vento, que suporta o sol e cobre bem grandes áreas. Elas são vendidas em saquinhos e é preciso ter cuidado para não danificar a raiz ao repartir as folhas.

O primeiro passo é afofar a terra, acrescentando adubo e húmus para nutrir a planta. Utilize 5 litros desses compostos para cada metro quadrado de terra a ser plantada. Sugerimos também que o adubo seja especial, rico em fósforo.

Nivele a terra para que ela incorpore os ingredientes. Respeitando espaços de 20 centímetros entre cada muda, abra pequenos buracos para plantá-las.

Corte as pontas das mudas para que a planta tenha menos superfície para perder água. Para finalizar, regue generosamente e com jato sem pressão para não agredir a planta.

Com o jardim pronto, basta deixar o solo sempre úmido. O lírio do vento leva 15 dias para crescer e ficar bonita.

Outras sugestões de espécies resistentes que podem ser utilizadas em um jardim e receber a luz direta do sol por mais de quatro horas são:

Areca – Pode ficar amarelada nos primeiros dias: é comum que as palmeiras demorem um pouco a se adaptar ao vaso ou ao novo local. Sua rega é necessária três vezes por semana e seu clima ideal é o quente.

Espada de São Jorge – Originária da África e associada à proteção, essa espécie é muito resistente. Para crescer forte e saudável, use uma parte de terra comum de jardim, uma parte de terra vegetal e duas partes de areia no preparo do vaso. A Espada de São Jorge pode ser regada apenas uma vez por semana.

Pata-de-elefante – Originária da América do Norte, a pata-de-elefante é resistente e está acostumada a longos períodos de estiagem. Por isso, a única coisa que ela não tolera é encharcamento. Uma dica: se as folhas ficarem amareladas nas pontas, use adubo NPK 10-10-10 diluído em uma rega, que pode ser feita uma vez por semana.

Buxinho – Pouco adaptável ao vento, o buxinho pode ser podado no formato que você quiser, criando lindas esculturas verdes na varanda. Também pode ser cultivado como bonsai. Embora prefira o sol, agüenta bem períodos de frio. Essa espécie pede rega três vezes por semana.

regador e flores

plantando

Se você abraçou recentemente um projeto de jardinagem, provavelmente já estudou a localização, assim como a quantidade de luz solar e de sombra que o seu futuro jardim vai receber. Em função de tudo isso, já escolheu as flores, plantas ou legumes que quer ver florescer o mais depressa possível, agora só resta plantar, por isso, arregace as mangas e mãos à terra!

Preparando o solo

Se ainda não preparou o solo para receber as suas plantas, há que o fazer agora! Mande analisar a sua terra ou faça você mesmo com um dos muitos kits que existem para o efeito. Um solo pode ser ácido, alcalino ou neutro e, uma vez descoberto isso, é necessário adquirir um adubo que se adeque a esse tipo de terra.

O solo ideal deve ter uma boa camada de matéria orgânica, ou seja, dever ser rico em húmus (uma substância escura composta por folhas secas, plantas e animais mortos), seguido de terra solta e argilosa, que permite uma boa drenagem e oxigenação.

Se o seu solo for arenoso, terá dificuldade em absorver a água e outras substâncias nutritivas, o que implica que terá de ser enriquecido com húmus ou argila. Se for o seu caso, utilize uma mistura equilibrada de terra preta e adubada com 50% de terra argilosa ou de barro. Se, por outro lado, a sua terra for argilosa, vai ter de lhe acrescentar areia do rio, nunca areia de praia.

Com a pá na mão

Com recurso a uma pá (grande ou pequena, dependendo do espaço que vai jardinar) ou até com as mãos, comece por revirar o solo (cerca de 20 a 30 cm de profundidade), partindo os bocados de terra existentes e retirando raízes, ramos, folhas ou outros objetos enterrados que não pertencem ao seu novo jardim!

Se vai incluir um composto ou fertilizante, adicione-o ao topo do solo, criando uma camada de 10 a 12 cm que vai espalhar por toda a área a jardinar com a ajuda de um ancinho. Deixe o solo arejar e habituar-se à sua nova mistura antes de plantar.

Plantar e Plantar!

Se vai plantar sementes, é importante cavar pequenas fileiras paralelas umas às outras, mas com um espaço mínimo de 90 cm entre cada fileira. Criar o espaço ideal para um crescimento livre e pouco apertado das suas flores é algo que tem de considerar nesta fase.

Quando em dúvida, dê mais espaço, para que uma vez floridas, não vai ter as plantas e flores todas umas em cima das outras.

A vantagem de plantar sementes é que, por norma, as embalagens trazem todas as instruções necessárias: a melhor altura para semear, a que profundidade e com que espaçamento. A maioria exige uma profundidade de cerca de 4 cm.

Colocadas as sementes, há que cobri-las, mas não acame, nem de mais, nem de menos, a terra à sua volta. Certifique-se apenas que esteja firme e não muito apertada. Para assegurar que a semente “pegue”, ou seja, que crie raízes e rebentos, há que manter o solo úmido.

Se optar por plantar estacas, remova o recipiente ou embalagem em que se encontra e aconchegue-as em pequenas covas escavadas na terra. Certifique-se que o pé esteja ao nível ou ligeiramente abaixo do solo que o rodeia e apóie a planta com terra suficiente para que ela se mantenha firmemente de pé. Haverá casos em que terá de remover folhas ou ramos em excesso, não tenha pena de o fazer porque, desse modo, as raízes terão de suportar menos peso e vão “pegar” mais fácil e mais rapidamente.

Cuidados Diários

Com as suas sementes e flores confortavelmente plantadas no novo jardim, regue-as ligeiramente e com frequência ao longo das semanas seguintes, uma fase que requer que o solo esteja sempre húmido. Quando as plantas mostrarem sinais de força e as sementes já deram sinais de vida, reduza a frequência da rega, em detrimento da água com profundidade. A próxima preocupação é assegurar que a água, em quantidade, chegue às raizes. As raízes têm de continuar a desenvolverem-se em profundidade, para suportarem a planta que, a partir de agora (e se tudo correr bem!) não vai parar de crescer, o que implica que vai precisar de todo o apoio possível na sua base.

Nos primeiros tempos de vida, vigie a saúde das suas novas plantas e se verificar manchas amarelas nas folhas, pode ter de adicionar um pouco mais de fertilizante ao solo.

Dentro do possível, mantenha a terra do seu jardim limpa e livre de ervas daninhas. Esteja atento aos predadores – desde insetos, lagartas e roedores – que podem prejudicar o seu espaço verde num abrir e fechar de olhos. Se tiver de recorrer a um pesticida, opte sempre pelas soluções menos tóxicas e siga as suas instruções à risca!

Por fim, não se esqueça de desfrutar do jardim que criou e que está a ajudar a crescer… não o veja como uma tarefa tediosa, mas antes um hobby divertido e relaxante. Entregue-se ao prazer da jardinagem!

ferramentas de jardim

jardinando

1 - Se pretende eliminar ervas daninhas, utilize produtos amigos do ambiente, para impedir que as sementes das ervas germinem, mas sem matar as plantas em crescimento. Se colocar algumas folhas de jornal por debaixo de matéria orgânica de lascas de madeira, vai matar as ervas porque não receberão luz. Coloque pano de paisagem por debaixo de pavimentos em pedra ou tijolo para prevenir que as pedras se enterrem, e que as ervas se desenvolvam por entre as brechas nos pátios ou caminhos.

2 - Bordas limpas a separar a sua grama, caminhos e canteiros, dão um ar de profissionalismo à sua paisagem. Muitos jardineiros utilizam vinil, metal ou tijolo para fazer essa separação e evitar que matéria orgânica, ou cascalho, lhe caia no relvado e para prevenir que a relva cresça para dentro dos canteiros.

3 – Arranje um lugar conveniente para guardar as suas ferramentas e suplementos de jardim, de maneira a estarem organizados e acessíveis. Irá poupar tempo quando procurar uma ferramenta e tiver tudo organizado e à mão.

4 - Manobrar uma máquina de cortar relva numa inclinação, é trabalhoso para além de perigoso. Considere modificar a inclinação com pavimento, ou com uma cobertura de solo.

5 – Coberturas de solo são escolhas muito praticas, e de baixa manutenção um desafio para a sua paisagem. Antes de fazer a escolha e aquisição das plantas de jardim, mate a erva do canteiro, e certifique-se que a planta que escolheu não é invasiva.

6 – O controlo do estrago feito por insetos é simplificado se, se aperceber cedo. Rotineiramente procure manchas ou buracos nas folhas ou flores, e examine qualquer planta murcha, atrofiada ou sem cor, para sinais de infestação

7 - A aquisição de ferramentas adequadas, e a sua manutenção para que estejam sempre em boas condições, irá facilitar a tarefa da manutenção do seu jardim. Compre ferramenta que dure, seja confortável e apropriada ao tamanho e necessidades específicas da sua propriedade

8 – Jardinagem em vasos é um favorito para a decoração ao ar livre, mas necessita rega diárias e fertilizantes frequente, para ser manterem bonitos. Para reduzir o trabalho, agrupe os seus vasos, para uma rega conveniente, utilize vasos grandes par evitar que secam muito rápido, introduza na terra, um fertilizante de libertação prolongada, e experimente vasos que regem a eles próprios.

9 - Quer esteja a começar do nada ou a remodelar uma paisagem existente, comece com um projeto. Pense na maneira em como quer usar o seu espaço, no valor que quer gastar, e no tempo que quer passar a criar e cuidar da paisagem. Não fugir ao plano para minimizar o volume de trabalho.

10- Para obter uma rega precisa e consistente instale um sistema de rega automática. Poderá comprar um sistema faça você mesmo, ou contratar um profissional para fazer a instalação.

11 - Mantenha o projeto da sua paisagem manejável. Não seja tentado por um projeto maior, para o qual não tenha tempo, e não importa o quão for desejável, evite plantas que necessitem de muita atenção, cresçam maiores que o seu espaço ou se tornem invasivas.

12 – Para obter folhagem e flores de confiança, nada melhor que perenes robustas.
Para reduzir a sua carga de trabalho escolha, variedades que não necessitam de ser divididas com frequência, não tenha que cortar flores secas muitas vezes, que sejam tolerantes à seca, e resistentes a doenças e pestes.

13 - A despeito o apelo de um grande jardim com canteiros expansivos, as suas obrigações de manutenção aumentam com o tamanho da sua paisagem. Reduzir a escala do seu projecto significa ter menos trabalho.

14 - Quando utilizar fertilizantes, produtos de libertação prolongada, necessitam de menos aplicações que produtos de libertação rápida, geralmente menos é melhor que demais. Para melhorar o solo em geral, considere matéria orgânica que pode fazer no seu próprio quintal.

15 – Identifique a manutenção que lhe dará dores de cabeça, ano após ano, e comprometa-se a encontrar soluções a longo prazo. Se conseguir riscar problemas sabidos da sua lista de manutenção o seu trabalho será mais leve durante toda a estação.

16 – Um relvado tradicional requer rega e corte frequentes, para se manter bonito. Diminua o seu trabalho escolhendo uma relva que prospera na sua zona, ou converta algum do seu relvado em coberturas de solo.

17 – Quando estiver a considerar as opções de materiais e construção da sua paisagem, mantenha em mente a manutenção constante, porque isso pode influenciar o custo inicial. Pátios e caminhos pavimentados ou com cobertura de cascalho, geralmente requerem menos manutenção.

18 – Certifique-se que tem acesso fácil a água em todo o seu terreno. Isto irá ajudar a regar as suas plantas com pouco esforço durante toda a estação.

19 – Poupe tempo, organize a sua paisagem de acordo com os requerimentos de cuidado. Algumas plantas sofrem com o calor do verão, e precisam de rega frequente enquanto outras prosperam com a negligência.

20 – Não gaste tempo e dinheiro, a por fertilizante ou outros produtos na terra, até que saiba o que é realmente necessário. Determine os níveis de pH, deficiências de nutrientes e textura da terra, num laboratório perto de si.

21- Estenda uma camada de matéria orgânica nos seus canteiros, com altura de 2 a 4 polegadas, folhas, agulhas de pinheiro, ou lascas de madeira, isso vai reduzir a necessidade que o solo tem de água e manter as ervas daninhas sobre controlo.

22 – Arvores e arbustos são âncoras de uma paisagem a longo prazo. Evite as que deixem cair fruta ou seja susceptível a doenças ou pestes. Quando plantar tenha em mente o tamanho da árvore adulta, para que não a tenha que mudar de sítio ou que precise de ser podada com frequência.

barrinha de vasinhos