Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Jardins e Manutenção’

mini-jardim

Usando um pouco de criatividade todo mundo pode ter resultados incríveis para qualquer tarefa. Quando isso se aplica à jardinagem, a criatividade de fato tem que reinar já que muitas vezes os nossos jardins precisam de adaptação nos mais variados sentidos já que nem sempre temos aquela planta ideal ou principalmente, o espaço ideal para montar o jardim de nossos sonhos.

Como existem também estilos diferentes de jardinagem, conhecê-los faz toda diferença nesses momentos.

Aqui vamos aprender um pouco mais sobre os jardins minúsculos e como mantê-los sempre bonitos. As dicas são sempre sobre cultivo, melhores espécies e como decorá-los de uma forma bem simples, mas completamente cheia de graça.

Escolhendo o espaço
O nome já indica bem o tipo de jardim que será montado e já fica subentendido que não será preciso muito espaço para ter um jardim bonito e eficiente. Os jardins minúsculos se acomodam em qualquer cantinho da sua casa seja na parte externa ou não. Eles são ótimas facetas para quem mora em apartamento e não tem uma varanda disponível para montar um jardim, podendo ser feito isso até mesmo sobre uma mesa no canto da sala de estar.

A principal dica para se escolher o local onde ficará o jardim é partir do princípio básico para qualquer planta: condições de sobrevivência. Não é porque eles são minúsculos que poderão ficar em qualquer lugar da casa sem que você se preocupe com a luz do sol, o vento e outros fatores naturais que são fontes de nutrientes para as plantas. Então observe bem o seu espaço e veja um local da sala, cozinha, o qualquer outro ambiente de sua casa.

minijardim_21

Decoração de jardins minúsculos
Se você vai montar um jardim minúsculo mais estilizado, com um pequeno investimento você compra diversas peças em lojas de jardinagem que deixarão o seu ambiente lindamente decorado. Suportes, vasos, decorações para parede e tudo mais pode ser adquirido e de uma forma padrão ou visualmente desordenado.

Agora se a sua intenção é de fato inovar, coloque a sua imaginação para funcionar e você com certeza terá lindas e exclusivas peças. Praticamente tudo terá funcionalidade em seu jardim minúsculo e até aquele vidro velho de conserva que você sempre joga fora, pode se tornar um vaso de canteiro lindo com ou sem decoração artesanal.

Fazendo uma pequena e rápida busca pela internet você vai encontrar dezenas de tutoriais que ensinam você a montar suportes para jardins minúsculos verticais com caixas de feira, ou então como fazer um jardim minúsculo em um vaso grande na sala da sua casa, entre outros tipos de adaptação para a sua decoração e vale muito a pena usar esses tutoriais para compor detalhes de seu jardim ou pegar inspiração para criar sua própria decoração.

mini-jardim

Como criar suportes e vasos para um jardim minúsculo
Então você tem aquela sacola de feira que já está velha e não aguenta mais o peso de suas compras e o que resta é jogá-las fora porque ficaram totalmente sem funcionalidade. Correto? Errado!

Se você quer ter um jardim minúsculo diferente em casa, qualquer mínimo objeto pode se transformar em um suporte ou um vaso para seus canteiros. Essas sacolas velhas de feira, inclusive, podem servir de vasos para uma ou mais espécies de planta. Elas são ótimas devido o seu tecido que é furadinho e muito drenável o que favorece o crescimento da maioria das plantas.

Dentro dessas bolsas você pode usar vasos normais ou colocar um selador para a areia não vazar e preenchê-las. A escolha da planta vai de acordo com cada gosto. Você pode inclusive cultivar mais de um tipo de muda diferente que fica muito bonito.

mini jardim

Se você não tem muito espaço, três sacolas de feira com espécies variadas de plantas foram um jardim minúsculo diferente, bonito e que com certeza arrancará diversos elogios de seus amigos e parentes. As melhores plantas para se cultivar nesse estilo são as espécies menores e mais rústicas.

As latas de chá e biscoito também são saídas bem eficientes e diferentes para se usar em um jardim minúsculo. A regra para colocar a planta nessas caixas é a mesma das sacolas de feira com a diferença que você pode colocar areia tranquilamente nas latas.

A dica nesse caso é somente que você faça alguns poucos furos no fundo das latas para que a água das regas tenha por onde escorrer. Também só utilize espécies de planta pequenas como ervas e condimentos. Estas latas são ótimas para ficarem em parapeitos de janelas.

minijardim de suculentas

Jardim minúsculo vertical
Os jardins minúsculos já ocupam um lugar menor do que o de costume e se você ainda quiser aproveitar mais o seu espaço pode optar por montar um jardim minúsculo na vertical. Não seria perfeito? É muito simples fazer isso e pode sair até bem mais barato do que qualquer estrutura.

Com três caixotes de madeira suspensos em uma mesa antiga, você terá um jardim minúsculo lindo para enfeitar a sua varanda, cozinha ou sala. Vamos explicar como fazer.

A base do seu jardim vertical será a sua mesa que deve ser de preferência de ferro ou material semelhante que aguente o peso do suporte. Nessa mesa você pode usar parafusos para prender o primeiro caixote e deixar a estrutura totalmente fixa. Isso é opcional claro, mas deixará o seu jardim muito mais fixo e evitará acidentes. Dá para fixar bem, quatro parafusos, sendo um em cada canto da mesa ou do caixote (o que for menor) é o suficiente para prender a base.

jardimminivertical

Com dois ou no máximo três parafusos você vai prender os outros dois caixotes de forma que eles fiquem empilhados. Os caixotes podem ser colocados na posição vertical ou horizontal, mas a segunda opção é esteticamente mais bonita e deixa as suas plantas mais bem guardadas.

Com vasinhos de plantas pequenas, organize-as de forma que elas fiquem guardadas nos caixotes e com espaço suficiente para se desenvolver.

Não precisa colocar muitas plantas e deixá-las apertadas. Dê preferência ao espaço e não a quantidade, pois assim as suas plantas desenvolvem-se perfeitamente. Assim como indicado no tópico anterior, dê preferência àquelas espécies mais rústicas.

02

Jardins 029

Se abraçou recentemente um projeto de jardinagem, provavelmente já estudou a localização, assim como a quantidade de luz solar e de sombra que o seu futuro jardim vai receber.

Em função de tudo isso, já escolheu as flores, plantas ou legumes que quer ver florescer o mais depressa possível… agora só resta plantar, por isso, arregace as mangas e mãos à terra.
* Se ainda não preparou o solo para receber as suas plantas, há que o fazer agora. Mande analisar a sua terra ou faça você mesmo com um dos muitos kits que existem para o efeito.

Um solo pode ser ácido, alcalino ou neutro e, uma vez descoberto isso, é necessário adquirir um adubo que se adeque a esse tipo de terra.

* O solo ideal deve ter uma boa camada de matéria orgânica, ou seja, dever ser rico em húmus (uma substância escura composta por folhas secas, plantas e animais mortos), seguido de terra solta e argilosa, que permite uma boa drenagem e oxigenação.

* Se o seu solo for arenoso, terá dificuldade em absorver a água e outras substâncias nutritivas, o que implica que terá de ser enriquecido com húmus ou argila. Se for o seu caso, utilize uma mistura equilibrada de terra preta e adubada com 50% de terra argilosa ou de barro. Se, por outro lado, a sua terra for argilosa, vai ter de lhe acrescentar areia do rio, nunca areia de praia.

* Com recurso a uma pá (grande ou pequena, dependendo do espaço que vai jardinar) ou até com as mãos, comece por revirar o solo (cerca de 20 a 30 cm de profundidade), partindo os bocados de terra existentes e retirando raízes, ramos, folhas ou outros objetos enterrados que não pertencem ao seu novo jardim.

jardim residencial

* Se vai incluir um composto ou fertilizante, adicione-o ao topo do solo, criando uma camada de 10 a 12 cm que vai espalhar por toda a área a jardinar com a ajuda de um ancinho. Deixe o solo arejar e habituar-se à sua nova mistura antes de plantar.

* Se vai plantar sementes, é importante cavar pequenas fileiras paralelas umas às outras, mas com um espaço mínimo de 90 cm entre cada fileira. Criar o espaço ideal para um crescimento livre e pouco apertado das suas flores é algo que tem de considerar nesta fase.

* Quando em dúvida, dê mais espaço, para que uma vez floridas, não vai ter as plantas e flores todas umas em cima das outras.

* A vantagem de plantar sementes é que, por norma, as embalagens trazem todas as instruções necessárias: a melhor altura para semear, a que profundidade e com que espaçamento. A maioria exige uma profundidade de cerca de 4 cm.

* Colocadas as sementes, há que cobri-las, mas não acame, nem de mais, nem de menos, a terra à sua volta. Certifique-se apenas que esteja firme e não muito apertada. Para assegurar que a semente “pegue”, ou seja, que crie raízes e rebentos, há que manter o solo úmido.

* Se optou por plantar estacas, remova o recipiente ou embalagem em que se encontra e coloque-as em pequenas covas escavadas na terra. Certifique-se que o pé esteja ao nível ou ligeiramente abaixo do solo que o rodeia e apoie a planta com terra suficiente para que ela se mantenha firmemente de pé.

jardins-20

Haverá casos em que terá de remover folhas ou ramos em excesso, não tenha pena de fazê-lo porque, desse modo, as raízes terão de suportar menos peso e vão “pegar” mais fácil e mais rapidamente.

* Com as suas sementes e flores confortavelmente plantadas no novo jardim, regue-as ligeiramente e com frequência ao longo das semanas seguintes, uma fase que requer que o solo esteja sempre úmido. Quando as plantas mostrarem sinais de força e as sementes já deram sinais de vida, reduza a frequência da rega, em detrimento da água com profundidade.

A próxima preocupação é assegurar que a água, em quantidade, chegue às raízes. As raízes têm de continuar a desenvolverem-se em profundidade, para suportarem a planta que, a partir de agora (e se tudo correr bem!) não vai parar de crescer, o que implica que vai precisar de todo o apoio possível na sua base.

* Nos primeiros tempos de vida, vigie a saúde das suas novas plantas e se verificar manchas amarelas nas folhas, pode ter de adicionar um pouco mais de fertilizante ao solo.

jardim florido

* Dentro do possível, mantenha a terra do seu jardim limpa e livre de ervas daninha. Estejam atentas aos predadores – desde insetos, lagartas e roedores – que podem prejudicar o seu espaço verde num abrir e fechar de olhos. Se tiver de recorrer a um pesticida, opte sempre pelas soluções menos tóxicas e siga as suas instruções à risca.

* Por fim, não se esqueça de desfrutar do jardim que criou e que está a ajudar a crescer… não o veja como uma tarefa tediosa, mas antes um hobby divertido e relaxante. Se entregue ao prazer da jardinagem.

outono

jardim-vertical01

Nem todos que gostam de jardim possuem um espaço suficiente para fazer o seu no quintal de casa ou naquela varandinha. Foi exatamente esse motivo que fez os jardins verticais ganharem mais destaque entre as donas de casa e apaixonadas por jardinagem.

Eles são bonitos, podem ser compostos de diversas espécies de plantas e são extremamente práticos principalmente quando se fala em espaço.

Como montar um jardim pode não sair tão barato se você não atentar para alguns detalhes, que tal saber algumas dicas que te ajudarão a montar um jardim vertical bonito e baratinho? Abaixo alguns detalhes que fazem total diferença na hora de montar o seu jardim vertical.

Principais detalhes
Os jardins verticais podem ser montados em qualquer cantinho de sua casa desde que apresente as condições ideais para o cultivo das plantas já que elas possuem necessidades básicas para sua sobrevivência.

Uma boa dica é montar uma parede viva na varanda, na sua sala ou quem sabe até mesmo na cozinha. As paredes vivas ajudam a controlar a energia do sol e também reduzem os efeitos da emissão de carbono.

Um detalhe muito importante para quem vai montar um jardim vertical em casa é lembrar-se que não pode escolher espécies de plantas de médio ou grande porte já que a estrutura que você irá utilizar não permite muito peso, sem esquecer-se de citar o fato de que todas as plantas devem ser cultivadas em vasos, jardineiras ou placas especiais, como são aquelas formadas de fibra de coco.

jardim-vertical-562

Tipo de plantas para um jardim vertical
Logo mais abaixo vou detalhar melhor o que deve ser plantado em seu jardim, mas antes precisamos atentar para alguns detalhes de forma geral na hora da escolha das espécies mesmo porque não temos como ofertar uma lista de todas as plantas possíveis para um jardim vertical.

Levando isso como base, temos então alguns detalhes que você pode usar globalizando a sua plantação.
* Escolha plantas que tenham um crescimento mais lento. Dessa forma você conseguirá controlar melhor o seu jardim.

* Escolha a posição correta da sua base para que as plantas recebam luz do sol suficiente. Organize-as de forma que elas tenham exatamente o que precisam de nutrientes.

* Ordene suas plantas de acordo com o crescimento e a necessidade de luz. Isso vai fazer com que elas cresçam sem “atropelar” a que está abaixo, acima ou dos lados.

O que deve ser plantado?
Existe todo tipo de gosto e você pode escolher as plantas de acordo com o seu. Os jardins verticais permitem uma variedade de plantas em cultivo desde que estas não ultrapassem o tamanho e o peso da sua base.

Plantas com raízes mais superficiais são as melhores para estes espaços porque você não poderá usar vasos muito grandes.

Se a sua base for armada e fixa, como é o caso de pessoas que utilizam blocos de concretos pré-moldados para colocar as plantas, você poderá usar plantas um pouco maiores dependendo claro do tamanho da sua estrutura.

Exemplo de três espécies que podem ser cultivadas em jardins verticais

Barba de serpente variegata
Barba-de-serpente
Cientificamente esta planta recebe o nome de Ophiopogon jaburan, uma espécie da família das Ruscaceae nativa do continente asiático onde sua maior incidência é no Japão. Por ser encontrada também em outras localidades ela vai apresentar outros nomes populares como Ofiopógão e Ofiopogo.

A barba de serpente é uma planta categorizada como de forração e folhagem, por isso é tão indicada para jardins verticais. O seu tamanho não é grande chegando a no máximo 50 cm. Preferem ambientes com mais sol.

Senecio rowleyanus
Colar-de-pérolas
Com o nome científico de Senecio rowleyanus esta planta da família das Asteraceae também é popularmente chamada de Rosário e Pérola-verde tanto em seu local de origem, na África, como em outros países ao redor do mundo. Categorizada como folhagem e cacto, ela não ultrapassa os 30 cm de altura e podem ser cultivadas em vasos suspensos por ter suas folhas caídas.

Scaevola aemula

Flor-canhota
A Scaevola aemula como é biologicamente chamada esta planta é uma das espécies da família das Goodeniaceae e está categorizada como uma flor perene, o que significa que você terá um jardim vertical florido o ano inteiro.

A sua origem é da Oceania onde a maior incidência desta flor se dá na Austrália. Assim como outras plantas indicadas para jardins verticais ela não cresce muito, chegando a no máximo 50 cm de altura.

Jardim vertical com garrafas Pet

garrafapet

jardim_vertical_com_garrafa_pet810

jardimcompet

A melhor forma de economizar na hora de montar o seu jardim vertical é utilizar garrafas pets para fazer a sua estrutura. Nesse caso você não vai precisar de nenhum vaso e vai cultivar as plantas diretamente nelas.

Você pode optar por vasos que caibam dentro das garrafas para ter a possibilidade de trocar as plantas sempre que quiser e sem mexer na estrutura da sua base, mas isto é bem opcional.

Para montar a sua estrutura você vai precisar de garrafas de refrigerante ou suco, de preferência as de 2 litros ou maiores porque são grandes o suficiente para acomodar suas plantas.

Caso vá plantar direto na garrafa, lave-as bem para tirar toda a sujeira do produto e recorte o centro. Ela ficará exatamente do tamanho do encaixe de uma muda ou um vaso menor.

Para montar a estrutura, você pode amarrar as garrafas de plástico em cordas ou comprar uma tela de ferro, que é encontrada em lojas de jardinagens e custa bem pouco.

Depois de ter a estrutura toda montada, você poderá usar e abusar da sua criatividade e montar o seu jardim vertical. Pode fazer decoração nas cordas ou na estrutura de ferro para camuflá-las melhor, pode usar pintura nas garrafas de plásticos e deixá-las ainda mais bonitas ou comprar pequenos itens decorativos que podem ser fixados entre uma planta ou outra.

Para fazer essa estrutura você não gastará nada além de 100 reais incluindo a estrutura de ferro, as garrafas e vasinhos (caso queira). O valor das plantas é bem relativo, mas você pode ter diversas espécies sem precisar gastar nada com elas apenas pedindo uma mudinha ou semente de jardins de amigos ou daquele jardim que tem próximo à sua casa.

folhas em-movimento-9

jardins76

Quando temos um jardim em casa o que mais queremos é que as plantas estejam sempre bonitas e saudáveis. Isso se dá por diversos motivos, mas principalmente pela fertilização do espaço que deve ser feita temporariamente. Como algumas pessoas acabam não se preocupando tanto com esse detalhe, que tal conhecer algumas dicas importantes e indispensáveis  para a hora da fertilização do seu jardim?

Nutrientes importantes
A fertilização leva nutrientes para o solo e consequentemente para as suas plantas. Esses nutrientes possuem a mesma equivalência das vitaminas para nós humanos, sendo os principais responsáveis para que as plantas se mantenham saudáveis e livres de pragas e doenças.

Quando uma planta não recebe a quantidade de nutriente que precisa, ela pode apresentar variações de cores nas folhas, suas quedas, apodrecimento prematuro de frutos entre outros problemas.

Toda planta vai precisar de quatro nutrientes essenciais. Estes nutrientes são o azoto, o fósforo, o potássio e o cálcio.  Os três primeiros nutrientes são bem comuns em qualquer fertilizante que você compra para seu jardim, o cálcio já pode ser adicionado, também facilmente, sob a forma de calcário. Todos esses itens são vendidos em qualquer loja de produtos para jardinagem.

Além desses nutrientes citados acima, ainda será necessário que seja aplicado nitrogênio no solo porque é esse componente o responsável direto pelo crescimento de célula da planta. A falta de nitrogênio no solo vai fazer a sua planta reagir de diversas formas e o indício mais comum é a deformidade que acontece em sua estrutura e as folhas em uma cor amarelada.

Jardins768

Escolhendo o melhor fertilizante
Quando você for comprar o fertilizante para as suas plantas, primeiro conheça sobre o produto que você vai comprar e quais as porcentagens de componentes presentes nele. Isso se dá pelo fato dos fertilizantes serem fabricados com diversas dosagens diferentes dos nutrientes essenciais e você deve sempre ter em mãos aquele que mais se adéqua à condição do seu jardim.

Dê preferência também àqueles fertilizantes que são solúveis em água porque esse tipo vai facilitar o enriquecimento da terra onde suas plantas estão sendo cultivadas. Cuidado quando for preparar o seu solo com esse tipo de fertilizante para não deixar o seu solo com fertilizante em excesso porque isso também prejudica a sua planta.

Existe fertilizantes que agem mais rápidos e outro mais lentos, esse fator deve ser observado quanto à necessidade da espécie que você vai cultivar.

Quantidade ideal
Dizer qual a quantidade ideal de fertilizante para seu jardim é algo muito vago. Cada tipo, cada marca, cada fertilizante vai ter uma indicação básica que vem descrito em sua embalagem.

A sua planta também vai pedir mais ou menos fertilizante então o que podemos indicar nesse caso é a leitura com bastante atenção todos os rótulos do produto que você comprar.

Caso o seu jardim vá ser extremamente trabalhado, indicamos então que adicione uma camada extra de terra antes de começar a plantar para que você dê condições melhores ao seu solo e não o desgaste tanto para que possa fazer quantas plantações desejar.

Jardim pequeno-009

Fertilização de plantas ácidas
Quando você for realizar o cultivo de plantas mais ácidas deve sempre verificar e conhecer os níveis do pH do solo. Em qualquer loja de jardinagem você encontrará kits especialmente fabricados para que possa ser feito essa análise sem erro. Esses kits são bastante indicados para aquelas pessoas que não têm tanta experiência com jardinagem.

Caso, durante a análise, você verifique que o pH do seu solo seja maior do que 6, será necessário a utilização de musgo de turfa para a terra ficar mais fertilizada e não sofrer com a acidez da planta cultivada.

Como descobrir se a terra é boa
Quando vamos começar a plantar qualquer espécie em nosso jardim e não temos experiência com jardinagem, acabamos achando que basta colocar a terra adubada e a semente ou muda que a planta germina.

As condições do solo são de extrema importância para que a sua planta cresça bem e bonita. Como nem todo mundo sabe se aquela terra do quintal de casa é boa, preparamos um pequeno tutorial de como fazer esse teste e saber se você pode começar seu jardim sem medo.

Passo 1: Observe primeiramente todo o terreno e veja quanto de planta nasceu naturalmente ali e qual o tipo de vegetação crescendo. Qualquer planta só vai nascer em solos que apresentem as condições ideais para isso, então se existe uma planta em seu terreno é porque ali se encontra algum nutriente necessário para tal espécie. A partir daí, basta começar a listar as plantas com as mesmas características daquela que já existe em cultivo para começar a sua plantação.

Passo 2: Antes de sair cultivando plantas da mesma espécie e família da que já existe em seu terreno, observe a planta cultivada e veja as condições de vida que ela apresenta. Veja se ela apresenta descoloração de folhas, flores e frutos, se apresenta alguma praga, entre outros detalhes da planta.

Passo 3: Espere um período de chuva ou molhe a terra para saber qual a reação do terreno. Isso vai ajudar você conhecer as condições de absorção da água e assim conhecer se a terra é boa para drenagem ou não. A terra com uma boa drenagem é aquela que absorve a água das regas e chuvas e mantém-se úmida, mas não encharcada.

Passo 4: Com uma pá de jardinagem cave um pouco do terreno para ver que tipo de terra tem na camada abaixo. Se o solo for bem duro vai ser mais difícil de cultivar e você precisará usar artifícios e camadas extras de solo. A dureza do solo indica também a falta de arejamento e consequentemente, a falta de respiração da sua planta.

Passo 5: Observe o cheiro do seu solo. Quando é saudável , o solo tem um cheiro agradável e pode apresentar alguns poucos e pequenos insetos e vermes.

Passo 6: Existe um kit também vendido em lojas de jardinagem que testam o solo para saber se ele é deficiente em nutrientes. Você deve também realizar esse teste antes de começar o cultivo.

gifs-gifs-chuva-5