Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Hortas e Medicinais’

Ervas_medicinais

O Ministério da Saúde adverte que a automedicação pode prejudicar os sintomas da doença. No entanto, poucas pessoas escutam a voz da Lei, principalmente no Brasil, país considerado destaque na comercialização e uso das ervas medicinais para curar todos os tipos de doenças imagináveis.

No entanto se faz necessário tomar cuidado para não prejudicar quadro clínico. Não se esqueça de que a visita o médico especialista é sempre mais indicada. Conheça alguns cuidados necessários com o uso das ervas medicinais.

Intoxicação: Ervas medicinais
No âmbito popular as ervas medicinais são usadas com o pensamento de que “se não fizer bem, também não fará mal”. Afirmação errada, visto que todos os medicamentos, independente se feitos de origem animal ou vegetal, podem trazer efeitos nocivos ao organismo.

Especialistas indicam que existem diversas causas que podem desencadear em intoxicação gerada pela intoxicação:
01: Plantas com efeitos tóxicos de maneira imediata são contraindicadas

02: Plantas que possuem sentido tóxico retardado. Algumas espécies vegetativas provocam as intoxicações depois de ingeridas.

03: Vale ressaltar que mesmo após a suspensão do uso deste consumo a intoxicação pode permanecer por longo tempo dentro do organismo, fato que pode desencadear no desenvolvimento de canceres.

04: Espécies que estão mal conservadas ou mofadas. Não se pode ignorar o fato de que as sustâncias tóxicas podem ser geradas pelos fungos causadores inclusive de câncer hepático.

05: Plantas alergênicas. Isto é, podem acontecer irritações na pele por causa do contato com as espécies ou mesmo no pós-consumo. Consumidores do gênero podem gerar enxaqueca, urticária, rinite e perturbações digestivas.

plantas-medicinais-6

06: Algumas plantas utilizadas de forma errada. Neste sentido se faz necessário ficar com a atenção redobrada nas indicações.

07: Compre ervas medicinais apenas de vendedores confiáveis que possuem produtos com validade e informações verdadeiras sobre métodos de utilização e benefícios ao organismo.

08: Durante a preparação do remédio se faz necessário certificar todos os aspectos do vegetal, como raízes, caules, flores e folhas. Cada propriedade possui importância considerável.

09: Atenção! A diferença entre remédio e veneno está na dosagem.

10: Jamais utilize utensílios compostos por alumínio para preparar as ervas medicinais.

Cru ou seco
Existem muitas opiniões que se divergem quando ao uso das plantas secas ou verdes. Interessante notar que as espécies secas possuem princípios ativos que ficam concentrados com maior vitalidade. Neste sentido, a quantidade para as produções do gênero devem ter metade da recomendada às plantas que já estão secas.

Existem pessoas que apreciam a ideia de misturar os dois tipos! Consumidores que não possuem balança de precisão para equilibrar as dosagens podem utilizar colheres como fontes de medição.

ervasmedicinais

Segredos para preparar ervas medicinais
Especialistas dizem que as plantas usadas no cultivo para o uso medicinal precisa passar por processos de produções qualitativas. O armazenamento também se faz importante, visto que com o tempo as ervas perder as forças.

Grande parte dos produtos naturais precisa ser descartada no prazo de doze meses. Jamais utilize utensílios compostos por alumínio. Ou seja, se faz dispensável o uso de frigideiras ou panelas com a respectiva propriedade.

Tenha em mente que no momento em que a água e os alimentos entram em contato com a parte do alumínio podem acontecer mudanças químicas que absorvem no metal. Sendo que quando consumidores pelo organismo pode se acumular nos rins, baços e fígados. Evite preparar plantas e ervas medicinais por longo tempo.

Isso pode fazer com que as propriedades ativas percam o efeito, aumentando somente os efeitos colaterais. Quando for preparar o remédio é necessário utilizar a parte correta da planta. Cada propriedade da espécie vegetal possui efeitos diferentes ao organismo humano.

abetobranco

Abeto Branco: Normalmente não são indicadas doses excessivas, visto que podem acontecer perturbações nervosas, em grosso modo no público jovem que ainda está com o organismo em formação.

absinto

Absinto: Interessante notar que possui o mesmo objetivo da bebida alcoólica que leva o mesmo nome. Não se pode ignorar o fato de que doses excessivas poder gerar alucinações e vertigens. Mulheres grávidas são contraindicadas ao respectivo uso. Pessoas que sofrem com úlceras ou gastrites.

Abrunheiro bravo

Abrunheiro Bravo: Os caroços dos frutos não devem ser mastigados porque são tóxicos.

IMPORTANTE:
* Sempre informe seu médico quando estiver utilizando plantas medicinais ou medicamentos fitoterápicos, e comunique qualquer reação adversa.

* Verifique se o uso é apropriado para gestantes, lactantes, crianças e idosos.

* Adquira a planta medicinal em uma farmácia ou herbanário, embalada e beneficiada de forma adequada. As vendidas na rua ou expostas ao ar livre podem não conter o princípio ativo desejado ou fazer mal a saúde por estarem contaminadas com microorganismos ou fungos.

* Certifique-se de que a embalagem traz o nome científico da planta, essa é sua garantia de estar comprando a erva correta, já que a mesma espécie pode ser conhecida por mais de um nome popular.

* Siga a dosagem recomendada pelo médico ou especialista. A dosagem errada pode causar efeitos adversos ou não ser eficaz.

* Ao adquirir os fitoterápicos nas farmácias e drogarias autorizadas pela Vigilância Sanitária, siga as orientações da bula ou da embalagem do medicamento.

* Não use se o produto estiver vencido.

* Lembre que a interação com outros remédios pode torná-los menos eficazes ou provocar reações adversas.

* Se vai fazer uma cirurgia, comunique seu médico com antecedência. Alguns medicamentos fitoterápicos podem interferir com o anestésico ou causar hemorragia.

* Para verificar se o medicamento é registrado, confira na embalagem o número de inscrição no Ministério da Saúde: procure a sigla MS seguida de um número iniciado por “1″ e contendo de nove a 13 dígitos.

ponte chinesa

cebolinha

A cebolinha-francesa, cebolinho, ceboletas-de-frança, cebolinha, cebolinha-galega ou cebolinha-miúda, é uma erva perene, originária da Europa, Ásia e América do norte, e que atinge até 50 cm de altura quando floresce.

É semelhante à cebolinha-verde, porém suas folhas são mais finas que as desta e suas flores são cor-de-rosa. Tanto as folhas quanto as flores e os escapos florais podem ser utilizados como tempero em diversos tipos de receitas.

Clima
A cebolinha-francesa cresce melhor em temperaturas indo de 10°C a 24°C, contudo é uma planta bastante rústica, suportando baixas temperaturas e até mesmo geadas. Alguns cultivares toleram temperaturas mais altas.

cebolinha1

Luminosidade
A cebolinha pode ser cultivada com luz solar direta ou em sombra parcial. Em regiões de clima quente, escolha o local de cultivo de forma que a planta não fique exposta a luz solar direta durante as horas mais quentes do dia.

Cultive em solo bem drenado, rico em matéria orgânica, com pH entre 6,0 e 7,0. Irrigue com frequência para que o solo seja mantido úmido, mas sem que fique encharcado.

A cebolinha-francesa pode ser cultivada através de sementes ou pela divisão de touceiras formadas por plantas adultas.

Para obter a melhor taxa de germinação das sementes, semeie no local definitivo quando a temperatura está entre 15° e 20°C, ou em sementeiras deixadas em um local com temperatura amena, transplantando as mudas cerca de um mês após a germinação, que por sua vez geralmente ocorre entre uma e duas semanas após a semeadura.

cebolinha-francesa

O método da divisão de touceiras tem a vantagem de um menor período de tempo até a obtenção da colheita em relação ao plantio através de sementes. Este método de cultivo consiste em separar cada planta da touceira, colher as folhas mais desenvolvidas, e plantar cada uma das plantas espaçadamente, na mesma profundidade em que se encontravam anteriormente.

A recomendação de espaçamento entre as plantas pode variar muito, enquanto alguns separam as plantas por 5 cm, outros separam as plantas por até 25 cm.

A vantagem de usar um espaçamento pequeno é que o espaço é aproveitado ao máximo, com maior rendimento, enquanto usar um espaçamento grande conduz a plantas com folhas maiores e a menos trabalho ao longo do tempo, pois irá demorar mais até que as touceiras tomem todo o espaço disponível e tenham que ser divididas e transplantadas.

Allium-Schoenoprasum-Bee

O principal cuidado é retirar plantas invasoras que estejam concorrendo com a cebolinha por nutrientes e recursos.

A colheita pode começar entre 75 e 90 dias após a semeadura ou 60 dias após o transplante. Plantas com mais de um ano toleram uma colheita mais frequente das folhas, plantas mais jovens devem ter folhas retiradas com menos frequência para não enfraquecer demais a planta.

Em boas condições de cultivo a cebolinha é uma planta perene. A planta inteira é comestível, incluindo suas flores, que podem ser usadas em saladas e outros pratos.

chuva-2

cebolinhafrancesa

A cebolinha-francesa, cebolinho ou cebolete é uma erva perene originária da Europa, Ásia e América do norte, e que atinge até 50 cm de altura quando floresce. Semelhante a cebolinha-verde, suas folhas são mais finas que as desta e suas flores são cor-de-rosa. Tanto as folhas quanto as flores e os escapos florais podem ser utilizados como tempero em diversos tipos de receitas.

É uma planta que cresce melhor em temperaturas indo de 10°C a 24°C, contudo é uma planta bastante rústica, suportando baixas temperaturas e até mesmo geadas. Alguns cultivares toleram temperaturas mais altas.

A cebolinha pode ser cultivada com luz solar direta ou em sombra parcial. Em regiões de clima quente, escolha o local de cultivo de forma que a planta não fique exposta a luz solar direta durante as horas mais quentes do dia.

Cultive em solo bem drenado, rico em matéria orgânica, com pH entre 6,0 e 7,0. Irrigue com frequência para que o solo seja mantido úmido, mas sem que fique encharcado.

Cebolinha-2

A cebolinha-francesa ou cebolinho pode ser cultivada através de sementes ou pela divisão de touceiras formadas por plantas adultas.

Para obter a melhor taxa de germinação das sementes, semeie no local definitivo quando a temperatura está entre 15° e 20°C, ou em sementeiras deixadas em um local com temperatura amena, transplantando as mudas cerca de um mês após a germinação, que por sua vez geralmente ocorre entre uma e duas semanas após a semeadura.

O método da divisão de touceiras tem a vantagem de um menor período de tempo até a obtenção da colheita em relação ao plantio através de sementes. Este método de cultivo consiste em separar cada planta da touceira, colher as folhas mais desenvolvidas, e plantar cada uma das plantas espaçadamente, na mesma profundidade em que se encontravam anteriormente.

A recomendação de espaçamento entre as plantas pode variar muito, enquanto alguns separam as plantas por 5 cm, outros separam as plantas por até 25 cm.

cebolinha

A vantagem de usar um espaçamento pequeno é que o espaço é aproveitado ao máximo, com maior rendimento, enquanto usar um espaçamento grande conduz a plantas com folhas maiores e a menos trabalho ao longo do tempo, pois irá demorar mais até que as touceiras tomem todo o espaço disponível e tenham que ser divididas e transplantadas.

O principal cuidado é retirar plantas invasoras que estejam concorrendo com a cebolinha por nutrientes e recursos.

A colheita pode começar entre 75 e 90 dias após a semeadura ou 60 dias após o transplante. Plantas com mais de um ano toleram uma colheita mais frequente das folhas, plantas mais jovens devem ter folhas retiradas com menos frequência para não enfraquecer demais a planta.

Em boas condições de cultivo a cebolinha é uma planta perene. A planta inteira é comestível, incluindo suas flores, que podem ser usadas em saladas e outros pratos.

51000

Horta_Quintal

É tudo de bom ter uma horta para deixar a paisagem do seu quintal mais bonita, sem falar que ter vegetais fresquinhos bem ao alcance das mãos significa vida mais saudável e uma boa economia no fim do mês com a redução da feira. Porém, para que esse cultivo renda bons frutos é necessário observar algumas regrinhas e detalhes.

Veja as dicas de como cultivar vegetais:
* O primeiro passo antes de dar início a uma horta é escolher onde ela será, pensando sempre no bem estar dos vegetais que serão plantados, nas suas exigências. Neste caso, a terra é fundamental e a luminosidade do sol também.

* O ideal é que você escolha um lugar ensolarado e mais, o melhor momento para iniciar o cultivo de vegetais é durante a primavera. Mas, não pare por aí não, prossiga com a sua plantação também quando entrar o verão.

* O cultivo de vegetais próximo a cozinha é sempre uma boa opção. Fica mais fácil de fazer a colheita e levar para onde será usada e você ainda terá uma boa visão da sua horta. E falando em colheita é muito importante que ao plantar os vegetais você já saiba quais são as características que indicam que ele está pronto para ser colhido. O tomate, por exemplo, é fácil, é preciso esperar que ele fique vermelho, mas nem sempre é tão simples assim. Informe-se.

* Outra dica bem importante para quem está cultivando vegetais é de molhar as sementes, isso garante que elas germinarão mais rápido. A umidade para elas é como se tivessem recibo a água das chuvas. Elas ficarão mais inchadinhas e gordinhas e logo dentro delas nascerá um embrião.

* Falando especificamente de alguns vegetais, o ato de umedecer as sementes não faz diferença especialmente para alguns deles, que apresentam boa germinação mesmo sem esse detalhe, são eles: rúcula, brócolis e repolho. Já no caso dos outros que tem no DNA uma germinação mais devagar, molhar as sementes fará toda a diferença. Lembrando que a água deve ser na temperatura ambiente e o ideal é que as sementes passem a noite imersas nela. No dia seguinte faça a drenagem. Exemplo de vegetais que precisam dessa “forcinha”: nabo e salsa.

* Tendas com água em volta dos vegetais que acabaram de ser plantados servem para protegê-los.

horta-caseira

* Para ir “treinando” não plante as sementes direto na horta, cultive-as primeiro em vasos e os coloque na janela, depois transfira as mudas para horta. Essa técnica é muito boa principalmente para ser aplicada aos vegetais mais frágeis, como o tomate.

* As plantas com mudas mais compridas devem ser cultivadas bem no fundo.

* Para manter as indesejadas lagartas bem longe do seu cultivo de vegetais, use aqueles rolos que sobram do papel higiênico, de papelão. Eles servirão para proteger a sua plantação, uma vez que as lagartas de mariposas conseguem atacar as suas plantas através da superfície do solo, quando se arrastam. Elas acabam atacando diretamente os caules, principalmente daqueles vegetais com a raiz jovem. Retirar os brotos das raízes também é uma alternativa para combatê-las.

Como usar:
Assim que você tiver terminado de planta, pegue um dos rolos de papel e o coloque fazendo toda a volta da muda, em cima da terra. Em seguida, você deve empurrá-lo para o chão. Faça isso até que metade do mesmo esteja enterrado na terra. Além de proteger os seus vegetais das lagartas rastejantes da superfície do solo, eles ainda estarão sendo protegidos de ataques embaixo da terra. Porém, não se esqueça de retirar o rolinho depois que a muda estiver grande.

Horta-em-Casa

Mais 6 dicas para cultivar vegetais com sucesso:
* Quando for plantar os seus vegetais não se esqueça de rasgar tanto a parte inferior quanto a parte superior dos recipientes de turfa. Na verdade, eles deveriam se desfazer quando chegam embaixo da terra, mas normalmente, isso não acontece no primeiro ano do cultivo e isso atrapalha o bom desenvolvimento do vegetal. Algumas raízes acabam presas na parte interna dessa turfa e a situação ainda pode ficar pior, quando a turfa fica sobre a terra, o vegetal corre o risco de ter a umidade do solo roubada.

* Se você tem pouco espaço aposte em hortas verticais. Neste caso, de preferência a vegetais que espalham, como melão, pepino, feijão e morango. Use treliças ou caramanchão para que eles subam.

* Outra maneira de economizar espaço é colocar junto a altura da horta uma tenda cheia de trepadeiras como ervilhas e feijões. Dá uma ótima aparência. A tenda deve ter no máximo 8 postes e no mínimo 6 com altura de 1,80. Em cada um dos postes plante as ervilhas e ou os feijões. Naturalmente, eles irão se enrolando no poste.

* Próximo as plantas de longa produção é aconselhável colocar um fertilizante balanceado. Exemplo desse tipo de planta: pimenta, tomate e berinjela. Depois que você conseguir fazer a primeira colheita, mexa a terra e aplique fertilizante granulado, termine fazendo uma boa rega.

425cj671ph_228

* Para eliminar ervas daninhas na sua horta de vegetais você pode usar jornal coberto com palha. Eles deverão ser colocados entre cada fileira da horta. Isso ajudará também a reter a umidade. Faça de preferência com duas folhas em cada fileira. Quando terminar a estação de cultivo retire o jornal e a palha a jogue no chão para se degradar.

* Em pilha de compostos você pode plantar: pepinos e melões. Eles fazem uma boa dupla para manter o calor e a umidade necessários e ainda dão um bom efeito de trepadeira.

* Incremente com uma camada de palha a colheita do outono, como a de brócolis e de repolho. Ela ajudará a manter o calor necessário para alguns vegetais.

* Ainda falando de palha, ela poderá ser colocada em volta de todas as plantas, da horta como um todo, através de pilhas ou fardos. Essa é uma técnica usada no outono e no inverno para que elas fiquem em boas condições com as temperaturas mais baixas. Neste caso, estamos falando dos vegetais que não suportam o frio. Terminada as estações, a pilha ou fardo de palha deverá ser retirado.

eb52e0a459602