Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Hortas e Medicinais’

horta caseira

É muito bom ter uma horta no quintal para deixar a paisagem mais bonita, sem falar que ter vegetais fresquinho bem ao alcance das mãos significa vida mais saudável e uma boa economia no fim do mês com a redução da feira.

Porém, para que esse cultivo renda bons frutos é necessário observar algumas regrinhas e detalhes.

Anote as dicas de como cultivar vegetais
*
O primeiro passo antes de dar início a uma horta é escolher onde ela será, pensando sempre no bem estar dos vegetais que serão plantados, nas suas exigências. Neste caso, a terra é fundamental e a luminosidade do sol também.

* O ideal é que você escolha um lugar ensolarado e mais, o melhor momento para iniciar o cultivo de vegetais é durante a primavera. Mas, não pare por aí não, prossiga com a sua plantação também quando entrar o verão.

* O cultivo de vegetais próximo a cozinha é sempre uma boa opção. Fica mais fácil de fazer a colheita e levar para onde será usada e você ainda terá uma boa visão da sua horta. E falando em colheita é muito importante que ao plantar os vegetais você já saiba quais são as características que indicam que ele está pronto para ser colhido.

tomate

O tomate, por exemplo, é fácil, é preciso esperar que ele fique vermelho, mas nem sempre é tão simples assim. Informe-se.
* Outra dica bem importante para quem está cultivando vegetais é de molhar as sementes, isso garante que elas germinarão mais rápido. A umidade para elas é como se tivessem recibo a água das chuvas. Elas ficarão mais inchadinhas e gordinhas e logo dentro delas nascerá um embrião.

* Falando especificamente de alguns vegetais, o ato de umedecer as sementes não faz diferença especialmente para alguns deles, que apresentam boa germinação mesmo sem esse detalhe, são eles: rúcula, brócolis e repolho.

* Já no caso dos outros que tem no DNA uma germinação mais devagar, molhar as sementes fará toda a diferença. Lembrando que a água deve ser na temperatura ambiente e o ideal é que as sementes passem a noite imersas nela. No dia seguinte faça a drenagem. Exemplo de vegetais que precisam dessa “forcinha”: nabo e salsa.

* Tendas com água em volta dos vegetais que acabaram de ser plantados servem para protegê-los.
Para ir “treinando” não plante as sementes direto na horta, cultive-as primeiro em vasos e os coloque na janela, depois transfira as mudas para horta.

    Essa técnica é muito boa principalmente para ser aplicada aos vegetais mais frágeis, como o tomate.
    * As plantas com mudas mais compridas devem ser cultivadas bem no fundo.

    * Para manter as indesejadas lagartas bem longe do seu cultivo de vegetais, use aqueles rolos que sobram do papel higiênico, de papelão. Eles servirão para proteger a sua plantação, uma vez que as lagartas de mariposas conseguem atacar as suas plantas através da superfície do solo, quando se arrastam.

    Elas acabam atacando diretamente os caules, principalmente daqueles vegetais com a raiz jovem. Retirar os brotos das raízes também é uma alternativa para combatê-las.

    maxresdefault

    Como usar
    Assim que você tiver terminado de planta, pegue um dos rolos de papel e o coloque fazendo toda a volta da muda, em cima da terra. Em seguida, você deve empurrá-lo para o chão.

    Faça isso até que metade do mesmo esteja enterrado na terra. Além de proteger os seus vegetais das lagartas rastejantes da superfície do solo, eles ainda estarão sendo protegidos de ataques embaixo da terra. Porém, não se esqueça de retirar o rolinho depois que a muda estiver grande.

    Mais algumas dicas para cultivar vegetais com êxito
    *
    Quando for plantar os seus vegetais não se esqueça de rasgar tanto a parte inferior quanto a parte superior dos recipientes de turfa. Na verdade, eles deveriam se desfazer quando chegam embaixo da terra, mas normalmente, isso não acontece no primeiro ano do cultivo e isso atrapalha o bom desenvolvimento do vegetal.

    Algumas raízes acabam presas na parte interna dessa turfa e a situação ainda pode ficar pior, quando a turfa fica sobre a terra, o vegetal corre o risco de ter a umidade do solo roubada.
    * Se você tem pouco espaço aposte em hortas verticais. Neste caso, de preferência a vegetais que espalham, como melão, pepino, feijão e morango. Use treliças ou caramanchão para que eles subam.

    morango

    * Outra maneira de economizar espaço é colocar junto a altura da horta uma tenda cheia de trepadeiras como ervilhas e feijões. Dá uma ótima aparência. A tenda deve ter no máximo 8 postes e no mínimo 6 com altura de 1,80. Em cada um dos postes plante as ervilhas e ou os feijões. Naturalmente, eles irão se enrolando no poste.

    * Próximo as plantas de longa produção é aconselhável colocar um fertilizante balanceado. Exemplo desse tipo de planta: pimenta, tomate e berinjela. Depois que você conseguir fazer a primeira colheita, mexa a terra e aplique fertilizante granulado, termine fazendo uma boa rega.

    * Para eliminar ervas daninhas na sua horta de vegetais você pode usar jornal coberto com palha. Eles deverão ser colocados entre cada fileira da horta. Isso ajudará também a reter a umidade. Faça de preferência com duas folhas em cada fileira. Quando terminar a estação de cultivo retire o jornal e a palha a jogue no chão para se degradar.

    horta

    * Em pilha de compostos você pode plantar: pepinos e melões. Eles fazem uma boa dupla para manter o calor e a umidade necessários e ainda dão um bom efeito de trepadeira.

    * Incremente com uma camada de palha a colheita do outono, como a de brócolis e de repolho. Ela ajudará a manter o calor necessário para alguns vegetais.

    * Ainda falando de palha, ela poderá ser colocada em volta de todas as plantas, da horta como um todo, através de pilhas ou fardos. Essa é uma técnica usada no outono e no inverno para que elas fiquem em boas condições com as temperaturas mais baixas.

    Neste caso, estamos falando dos vegetais que não suportam o frio. Terminada as estações, a pilha ou fardo de palha deverá ser retirado.

    folhas-9

    damiana_44

    Originária do México, América Central, Antilhas e em partes da América do Sul, a damiana é uma planta da família das Turneraceae. Ela é bastante conhecida, sobretudo pelas suas propriedades medicinais. Dependendo do local onde ela é encontrada, também pode ser conhecida por damiane.

    A espécie é identificada por possuir folhas serrilhadas, flores amarelas pequenas, que brotam no início do verão e frutos com cheiro e um sabor doce. Outra característica bastante marcante da damiana é o aroma. Muitas pessoas, inclusive, falam que é semelhante a camomila.

    A belíssima flor amarela é também uma poderosa erva medicinal, contendo propriedades afrodisíacas e funcionando como tônico para os nervos. Constitui-se em um pequeno arbusto resistente que pode ser cultivado em diferentes solos e, assim, em diferentes locais.

    No entanto, não possui a mesma resistência às geadas e, por isso, em regiões de invernos rigorosos é preciso que essa espécie se desenvolva em ambientes fechados e adequados. Para saber mais sobre essa flor e a como plantar damiana veja as dicas que sobre o assunto.

    damiana

    Passos a seguir:
    * Para saber como plantar damiana é preciso ter em mãos as suas sementes, recipientes pequenos para plantá-las, terra e composto orgânico. Você pode começar colocando um pouco de terra e composto no pote, que não precisa ser muito grande, o que vai ajudar a germinação da planta.

    Assim, quando ela estiver maior, a muda pode ser transplantada para o vaso onde vai crescer e mesmo para o solo. As sementes podem ficar levemente enterradas, a menos de um centímetro de profundidade.

    * Por fim, regue os potes onde as sementes foram colocadas e, de preferência, deixe-os em lugares bem iluminados, o que vai ajudar na germinação da damiana. Já quando for transplantar a damiana para o seu local definitivo, é importante que a planta receba de 8 a 10 horas de sol por dia.

    Além disso, a troca de lugar, de preferência, deve ser feita quando já estiver bem quente. Desse modo, o indicado é que o cultivo da damiana seja realizada um mês e meio antes do verão chegar.

    * Depois que a damiana for colocada diretamente no solo ou no vaso onde vai permanecer é importante que ela seja irrigada logo em seguida. No entanto, como ela não precisa ser molhada com muita frequência é preciso cuidar para não dar mais água do que o necessário.

    Em lugares e épocas do ano em que chove bastante, ela pode nem ter que ser irrigada.

    Além disso, para o momento do transplante é melhor escolher um dia que esteja nublado ou mesmo fazer o procedimento no final do dia. Esses cuidados reduzem o risco da planta morrer, sendo a troca de lugar uma ocasião que as mudas de forma geral estão mais sensíveis.

    damiana_1

    * O solo onde a planta for cultivada pode receber composto orgânico para se tornar mais nutritivo para a espécie. Se for plantar damiana em vasos, não se esqueça de colocar no fundo uma camada de cascalho para ajudar na drenagem e evitar que a terra fique encharcada.

    * O vaso também pode receber terra e composto. Além disso, em lugares frios o melhor é ter a planta em vasos, assim, nos dias com temperaturas muito baixas eles podem ser abrigados em lugar seco. Mesmo assim, os vasos precisam receber luminosidade em abundância.

    * Ao completar dois anos do plantio da damiana já é possível colher as flores da damiana, sendo que as flores e folhas que secarem podem ser usadas para fazer infusões. Para que a sua planta fique sempre bela e cresça forte tenha o costume de remover folhas e partes secas.

    casinha na chuva

    Rosmarinus officinalis

    De origem mediterrânica, o alecrim é uma erva aromática muito apreciada tanto para temperar pratos quanto para aromatizar ambientes – mesmo sendo pequenas, suas folhas são muito poderosas.

    Os antigos gregos acreditavam que o alecrim possuía propriedades mágicas e que estimulava a criatividade e a memória. Felizmente, o alecrim é de fácil cultivo e não precisa de muito espaço para crescer.

    Confira como cuidar de alecrim em vaso e tenha todos os benefícios dessa planta sempre à mão em sua casa.

    Para que serve o alecrim?
    Quem nunca ficou resfriado e ouviu a recomendação “tome um chá de alecrim que você vai melhorar”? Essa crença popular tem razão, pois o alecrim possui diversas propriedades medicinais: seu chá é altamente expectorante, ou seja, ajuda a eliminar o catarro, além de combater a tosse e melhorar a circulação sanguínea, o que ajuda a curar resfriados.

    O óleo essencial de alecrim é um excelente aromatizador de ambientes, trazendo em sua fragrância elegância e frescor. Coloque algumas gotas do óleo em um difusor de aromas elétrico e aproveite a experiência relaxante e prazerosa.

    Já na culinária, o alecrim cai muito bem no preparo de peixes e carnes, como a de porco e a de cordeiro, conferindo-lhes um sabor distinto e requintado. Manteigas e azeites aromatizados com alecrim são muito apreciados na culinária provençal e são de fácil preparo: basta adicionar algumas folhas do tempero a um recipiente contendo manteiga ou azeite e misturar.

    O alecrim dá um sabor especial à batatas, abóboras e outros legumes – leve-os ao forno com azeite, sal e um pouco desse rico tempero. No entanto, apesar de ser muito saboroso e benéfico para a saúde, o ideal é utilizar o alecrim moderadamente, isso porque seu sabor é muito intenso e pode se sobrepor aos demais ingredientes do prato.

    alecrim em vaso

    Como cuidar de alecrim em apartamento
    Você pode cuidar de alecrim em apartamento – não é preciso ter uma casa com quintal para usufruir dos benefícios dessa planta. Em espaços pequenos, o ideal é o cultivo em vasos.

    Mesmo aqueles que não têm um dedo verde conseguem cuidar de alecrim em vaso – essa erva aromática não exige muitos cuidados. Ele pode ser plantado a partir de sementes facilmente encontradas em lojas de produtos naturais.

    No entanto, o mais comum é comprar o alecrim em mudas já envasadas, em geral disponíveis em feiras livres, supermercados e lojas de produtos para jardinagem.

    Para cuidar de alecrim em vaso, é necessário garantir que suas raízes se desenvolvem adequadamente. É preciso preencher vasos de tamanho médio com solo arenoso e bem drenado. A planta não necessita de muita água: dê um longo intervalo entre uma rega e outra, pois o alecrim gosta de solos secos e irá morrer se for muito irrigado.

    O alecrim não é uma planta de sombra e precisa de pelo menos cinco horas de iluminação solar direta por dia. Se seu apartamento não tiver uma varanda, coloque seu alecrim em vaso próximo a uma janela com ampla incidência de luz.

    alecrim

    Como plantar alecrim em garrafa pet
    Plantar alecrim em garrafa pet é uma excelente opção para quem deseja melhorar a saúde e desenvolver uma consciência ecológica simultaneamente. Garrafas pet demoram milhares de anos para se decompor no meio ambiente e a reutilização é uma ótima ferramenta para diminuir a poluição no planeta.

    Para fazer um vaso com garrafa pet, você irá precisar de: garrafa pet, tesoura, estilete, caneta hidrocor e isqueiro. Siga as instruções:
    * Pegue uma garrafa pet, lave bem e deixe secar ao sol;

    * Após a secagem, marque com uma caneta hidrocor uma altura de 7 a 10 centímetros a partir da base. Corte a garrafa horizontalmente com um estilete a partir do local marcado;

    * Com o isqueiro, cuidadosamente queime as extremidades da garrafa e as rebarbas deixadas pelo corte – isso evitará ferimentos quando você for manipular o vaso;

    * Vire a garrafa pet e, com o auxílio da tesoura, faça perfurações no fundo – você pode ampliar essas perfurações com o estilete posteriormente.

    folhas no lago

    Bardana

    A bardana é uma planta herbácea, bastante popular no mundo todo por suas características nutricionais e fitoterápicas. É originária da Europa e pertence à família Asteraceae.

    Também é conhecida como baldrana, bardana-maior, carrapicho-de-carneiro, carrapicho-grande, erva-dos-pega-massos, erva-dos-tinhosos, orelha-de-gigante, pega-nossa, e perga-masso

    Sua utilização na alimentação e medicina remonta à Grécia Antiga. A bardana apresenta caule robusto, alto, capaz de alcançar 2 m de altura, podendo ser verde ou arroxeado de acordo com a variedade.

    Suas folhas são alternas, grandes, cordiformes, com pecíolos longos e pubescentes na página inferior. As inflorescências são capítulos globulares que reúnem graciosas flores róseas a arroxeadas.

    flores bardana

    A inflorescência é protegida por um invólucro de brácteas que terminam em gancho, resultando em uma forma espinhuda capaz de se dispersar por longas distâncias, presas na pelagem dos animais.

    Fibras semelhantes ao algodão se formam entorno dos “espinhos”. Os frutos são do tipo aquênio, com sementes castanhas, alongadas, lisas e pequenas, envoltas em pelos urticantes.

    As raízes são carnosas, adocicadas e levemente amargas e atingem cerca de 50 cm de comprimento. Elas são geralmente de cor clara, mas oxidam rapidamente em contato com o ar.

    A bardana é planta indispensável em qualquer horta, pois é atóxica, nutritiva e com muitos poderes medicinais. Diz-se até que é uma farmácia completa. Além disso é rústica e fácil de cultivar.

    Arctium

    Ela também pode ser aproveitada na culinária, principalmente na japonesa, que se especializou no preparo da planta. As raízes da bardana são ótimas para tempurás, sopas, refogadas em óleo de soja, com arroz, em refogados de carne e até mesmo fritas como chips.

    As folhas podem ser utilizadas da mesma forma como a acelga, crua ou cozida. As flores também podem ser aproveitadas e têm sabor semelhante às alcachofras.

    Seu cultivo deve ser sob sol pleno ou meia sombra, num solo fértil, profundo, drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. Adapta-se a uma ampla variedade climática, mas prefere o clima mais ameno.

    Arctium

    Para a obtenção de raízes longas e bonitas, sugere-se preparar os canteiros e camalhões da mesma forma que para cenouras, elevando-os em pelo menos 15 cm de altura.

    Responde muito bem à adubação nitrogenada. Sua multiplicação é feita por sementes, postas a germinar no meio do verão.

    A colheita de raízes se inicia cerca de 4 meses após o plantio. As folhas e raízes devem ser colhidas antes da floração, para que não percam suas propriedades ou fiquem fibrosas.

    chuva no rio