Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Hortas e Medicinais’

alecrim

O alecrim é uma planta que é muito comum na cozinha como tempero, chás e aromatizantes, o que muitos não sabem é que o alecrim, também pode ser usado para fins medicinais.

Planta-se dentro de casa mesmo, de modo a usufruir de tais benefícios com cultivo caseiro e orgânico dessa erva que não exige muita manutenção, pensando nisso preparamos esse artigo sobre como cultivar Alecrim no vaso, conforme veremos abaixo.
* Primeiramente, sabia que o Alecrim e uma planta de origem no Mediterrâneo? Sim! por essa razão é uma planta de sol pleno. Com duração mínima de 4 horas de sol diários nela e as folhas pontudas determinam que são resistentes ao vento e frio.

* Em seguida, indica-se a utilização de vaso pequeno, cerca de 20cm de diâmetro, onde vão as suas sementes ou as mudas.

* Deixe dentro de seu vaso substrato/terra, de preferência adubado minimamente e bem drenável, em um lugar bem iluminado e nada úmido e basta regá-la, no máximo, duas vezes por semana deixando sempre dois dias de intervalo.

O importante é que o solo do seu alecrim sempre permaneça úmido, mas não encharcado, por isso tenha sempre atenção.

* Pronto, assim terá realizado o plantio do seu alecrim, mas calma que os cuidados não param por ai.

Rosmaninus-officinalis

Como realizar poda e colheita da plantinha
Por fim, o alecrim vai crescer em formato de arbustos. Sendo assim, após 3 meses já será possível realizar a primeira colheita e aplicar da maneira que mais apreciar seja para chás, temperos saladas, e tantas outras opções.

flores (2)

ora-pro-nobis-2

Da família das cactáceas, a ora-pró-nobis (Pereskia aculeata) tem origem nas Américas e é uma planta trepadeira, podendo ser cultivada em vasos (do tipo cuia) e no solo, tendo alambrados ou outro tipo de estrutura para se apoiar.

Em fazendas e chácaras, é comum elas serem utilizadas como cercas-vivas, até por conta dos seus espinhos. É preciso ter cuidado quando for mexer com ela.

Fácil de cuidar, a ora-pro-nóbis vai bem em ambientes com sol pleno ou meia-sombra, o que faz dela também ideal para o cultivo dentro de casa e de apartamentos.

Basta colocá-la em um local onde pegue pelo menos de três a quatro horas de sol por dia. As regas devem ser feitas de duas a três vezes na semana, sempre com atenção para não encharcar o substrato.

A frequência de rega de toda planta depende do local onde ela está, pois se ela pega mais sol ou corrente de vento, o solo tende a secar mais rápido.

Então, aqui também vale a regra do “dedômetro”, ou seja, afundar o dedo na terra até a metade da altura do vaso, e não apenas na superfície, para verificar se o substrato está úmido ou precisa de água.

Para saber se ela está saudável, basta olhar se estão surgindo folhas novas. Este e o grande indicador de saúde das plantas.

ora-pró-nobis1

E as mudas?
Para ter uma ora-pro-nóbis para chamar de sua, é possível comprar uma planta já enraizada e com altura média (elas são comercializadas com cerca de 50 cm), cujos valores giram em torno de R$ 25 e R$ 30, dependendo da localidade.

Outra opção é adquirir uma muda, por um valor que varia de R$ 3 a R$ 7, em média, plantá-la e acompanhar do desenvolvimento dela.

Para plantio no jardim, basta fazer a cova e acomodar a muda cobrindo-a com a própria terra. Em vasos, pode ser usada terra vegetal acrescida de húmus de minhoca, se possível, para que a muda receba uma carga maior de nutrientes.

No jardim, se tiver espaço para o desenvolvimento das raízes, ela vai se apoiando e crescendo. Já dentro do vaso ela cresce até o ponto quando as raízes não tem mais para aonde ir.

Outra característica interessante da ora-pro-nóbis é a de que, a cada “colheita”, surge uma nova muda em potencial. Isso porque, para se retirar as folhas para consumo, o recomendado é que se corte todo o comprimento do galho onde elas estão fixadas (cerca de 20 cm) e este, por sua vez, vira uma nova muda, já que a reprodução da planta se dá por estaca ou estaquia.

Nesta primeira fase de desenvolvimento é preciso dar especial atenção à rega. Além disto, a “colheita” também funciona como poda, o que é um excelente estímulo para o crescimento lateral da planta.

ora-pro-nobis

Floração
Com pétalas brancas com miolo alaranjado ou em tom de rosa, a floração da ora-pro-nóbis acontece a partir de janeiro, no verão, até o outono e é bastante atraente aos insetos, em especial às abelhas.

Assim como as folhas, as flores da planta também são comestíveis. Se não colhidas, elas se transformam em frutos pequenos de cor alaranjada, que também pode ser consumidos, apesar do sabor não tão elaborado.

Das folhas aos frutos, a riqueza da ora-pro-nóbis está no seu valor nutricional. Rica em proteína, a planta também é fonte de minerais (manganês, ferro, cálcio, magnésio), além de fibras e vitamina C.

Ela pode ser consumida in natura, cozida ou na forma de sucos e farinhas, utilizadas para enriquecer bolos, pães e massa.

Tantos nutrientes fizeram com que a planta recebesse a alcunha pejorativa “carne de pobre”.

A história dá conta, no entanto, que seu nome popular vem das antigas igrejas, que utilizavam a planta para cercamento, as quais tinham suas partes consumidas pelos fiéis durante os sermões celebrados em latim – ora-pro-nóbis significa “rogai por nós”.

Dia-de-Chuva

pimenta biquinho

Essa pimenta possui alguns nomes diferentes, além de pimenta biquinho em algumas regiões do país ela também é chamada de pimenta de bico, Seu nome científico é: Capsicun Chinese, da família Solanaceae (que é a mesma do tomate, berinjela e pimentões. Tem origem no continente americano.

Essa planta atinge a altura de 60 cm podendo chegar a até 1 m. Suas flores são hermafroditas e seus frutos atingem normalmente o tamanho de 2,5 cm de diâmetro. Como o próprio nome diz, ela é redonda e possui um pequeno biquinho que dá o seu nome. Tendo uma cor vermelha bastante intensa.

É possível um tempero ser marcante e suave ao mesmo tempo? A pimenta biquinho, também conhecida como pimenta-de-cheiro, é ideal para quem deseja adicionar um sabor diferenciado nas refeições do dia a dia ou em preparos para ocasiões especiais.

Para ter essa variedade fresquinha sempre à mão, a dica é aprender como plantar pimenta biquinho em casa. Além de testar diferentes receitas, o cultivo de temperos deixa os cantinhos ainda mais bonitos e aconchegantes.

Quer uma horta cheia de vida? Confira essas dicas e o passo a passo para cultivar pimenta biquinho em casa ou apartamento.

pimenta

Plantio de pimenta biquinho
O cultivo doméstico de pimenta biquinho adiciona praticidade ao preparo das refeições.

A pimenta biquinho pode ser cultivada por sementes, em jardins, pomares ou em vasos e jardineiras. Para plantá-la aí na sua casa, siga o passo a passo:
* Escolha um local ensolarado e prepare a terra, preferencialmente com húmus ou adubo NPK (1 copo para um espaço de 10 m² é o suficiente).

* Com o dedo, faça pequenas covinhas, com o dobro de tamanho das sementes. Coloque, no máximo, de 3 a 4 sementes de pimenta biquinho em cada buraco.

* Depois de adicionar as sementes, cubra os espaços com terra fofa e pronto! A germinação irá acontecer em uma a duas semanas.

* Assim que aparecer as primeiras mudas, arranque as menores, deixando somente a mais forte e vistosa. Se deseja ter um grande pé de pimenta biquinho, evite vasos pequenos: quanto mais substrato, maior a chance dela se desenvolver.

pimenta biquinho

Regas e iluminação
Uma das principais dicas sobre como plantar pimenta biquinho é sobre a irrigação. Independentemente do recipiente que esteja sendo cultivada, as regas devem ser frequentes, mas sem encharcar o cultivo, que pode levar ao apodrecimento das raízes.

O período mais indicado para irrigação é no início da manhã ou no final da tarde.

As pimentas gostam do clima tropical e subtropical, portanto, o local deve apresentar, no mínimo, de 18ºC a 34ºC. Em regiões mais frias, a germinação pode demorar um pouco mais, já que a pimenta biquinho ama o calor. Quanto mais sol, melhor.

outono_1

temperos

Poder colher um ingrediente fresquinho poucos minutos antes de preparar aquela receita especial é uma das vantagens de ter uma horta na varanda, no quintal o ou em outro espaço da casa.

Ter plantinhas é um hábito comum e que ganhou força, nesse isolamento social. E por que não aproveitar a onda e cultivar temperos em casa?

O primeiro passo para montar uma mini-horta e cultivar temperos em casa é ver se realmente há espaço para isso. Não é preciso uma área grande, mas a presença de sol é fundamental.

Depois, é necessário comprar os materiais:  vaso, jardineira, terra, ferramenta e regador. Em relação a isso, uma dica é analisar todos os detalhes do que já se tem em casa. À vezes temos tudo para fazer uma horta e acabamos comprando coisas desnecessárias.

Podemos usar acessórios reutilizáveis, como um balde, caixinha de ovo que pode virar uma sementeira. Os primeiros passos são analisar o que se tem e partir para a mão na massa. Assim, pensamos na estrutura, onde vamos plantar, etc.

Além disso, ele aponta dois pontos fundamentais para cultivar as plantinhas em casa: amor e dedicação. Uma hortaliça é como uma criança. Temos que olhar com atenção, se atentar a todos os cuidados, ver se está úmida, se germinou, se não germinou tem que plantar de novo, fazer as podas. Se envolver de fato com a horta , tendo atenção com a hortaliça e aí o sucesso vem.

uma-horta-em-casa

Espaço ideal para cultivar temperos em casa
O mais importante é que o espaço tenha luz, independente de ser grande ou pequeno. O ideal é ter no mínimo 4 horas de luz. Mesmo que você não tenha tanto tempo de luz, tudo bem, a planta acaba se adaptando, mas o Sol é muito importante, porque é energia para a planta.

Em relação ao espaço, existem inúmeras possibilidades: Você pode fazer uma estrutura suspensa, em cima de um cavalete, uma escada, na prática o espaço precisa ter luz. Quando for um plantio no solo ou no quintal, temos que pensar numa drenagem, para escoar a água.

Como cuidar dos temperos?
Além de atenção com a luz e quantidade de água, cada tempero exige um cuidado específico. Abaixo, algumas dicas de como cultivar temperos em casa:

manjericão

* Manjericão
O principal cuidado com o manjericão é garantir a poda em dia. Caso contrato, ele cresce muito. Outro detalhe é tirar o pendão, porque ele acaba roubando o aroma da folha.

manjericão roxo
* Manjericão de coloração roxa
Este tipo de manjericão exige atenção especial em períodos de inverno e/ ou muita chuva, pois a falta de luz interfere de forma negativa na cor. O ideal é ficar atento ao local de plantio e posição do vaso.

alecrim
* Alecrim
Assim como a salsa e a cebolinha, é preciso ter cuidado com a poda. Quando está boa e não colhe, ela começa a sugar energia da planta e ficar amarelada. Então, está pronta, tem que colher. Temos que ficar atento a esse detalhe.

pimenta
* Pimenta
O cuidado é amarrar os galhos e fazer o processo de tutoramento, uma estrutura que você proporciona para a planta fazer a sua produção sem que o galho quebre por peso ou encoste no solo. Então, o ideal é ter um vaso maior e um tutor para amarrá-la.

oregano
* Orégano
É basicamente como o manjericão e alecrim. Fazer uma limpeza, retirando folhas velhas.

Viu como ter uma horta em casa não é nenhum pouco difícil? As possibilidades são tantas que você pode apostar em qualquer modelo: vertical, suspenso, de parede, em vasos no chão… qualquer tipo é válido!

O importante é desenvolver esse contato com a natureza, que é benéfico não só para nossa alimentação, mas para nossa saúde como um todo. É hora da sua vontade de ter uma horta em casa sair do papel.

chuva-4