Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Flores e Folhagens’

lavatera-de-tres-meses

As flores de lavatera-de-três-meses são também chamadas de malva-real ou apenas de lavatera. Essas flores florescem apenas uma vez ao ano e são originárias do Mediterrâneo.

O florescimento da lavatera se dá aos montes e suas flores são lindas, exibindo coloração rosa, branco e vermelho, variando de tonalidade. Resistem bem ao clima quente e adicionam grande beleza a canteiros e jardins.

Uma espécie que possui flores muito impressionantes é a curiosa  lavatera-de-três-meses, Ela possui uma coloração muito específica e que pode ser facilmente identificada de longe.

Com seus nomes populares, características marcantes e a sua especialidade para o paisagismo de jardins podem ser os fatores mais importantes para que a espécie seja bastante escolhida para ser cultivada em diversos locais.

Sua folhagem, flores e cheiro podem ser essenciais para que jardineiros pelo mundo todo saiam a sua procura.

lavatera

Saiba agora como cultivar, plantar e cuidar da lavatera.
A  lavatera faz parte da família Malvaceae e se insere em na categoria de flores anuais.. Sendo assim, ela pode ser cultivada em diversos climas de tão versátil que é.

Os primeiros vestígios da planta forma encontrados em alguns países da Europa. Depois, pesquisadores encontraram vestígios da espécie na área do Mediterrâneo.

É considerada uma planta de pequeno porte, apesar de ser bastante volumosa. Pode atingir no mínimo 0,4 e no máximo 0,6 m. Para atingir a sua altura máxima, precisa ser cultivada em locais de grande luminosidade e como a sua categoria já diz, ela é uma planta de ciclo de vida anual, diferente de muitas espécies que são consideradas perenes.

Descrição
A lavatera-de-três-meses é uma importante herbácea com seu ciclo de vida ano após ano. Ela acaba se destacando por causa da sua floração abundante, colorida e muito bela, sempre  caracterizada pelo seu cheiro leve e atraente.

O seu porte é um pouco acima dos padrões, pelo menos no que diz respeito às plantas de ciclo de vida anual. Seu caule é considerado muito ramificado, ereto e muito verde. Porém, em algumas variedades, a cor do caule pode variar para um tom mais avermelhado.

lavatera branca (Medium)

Flores
A abundante floração é bastante volumosa e acaba se agrupando em diversos grupos.  Geralmente, as flores são alternadas e com as suas margens serrilhadas, deixando as pétalas das suas coloridas flores com a textura de um leque.

Mesmo assim, as pétalas superiores e inferiores são diferentes umas das outras. A primeira é considerada cordadas e as últimas são lobadas.

Folhas
As folhas se assemelham aos ramos da espécie. Possuem pêlos finos e muito espaços entre si. A folhagem da planta é muito bela e se contrasta bastante com as flores coloridas da planta.

Mesmo assim, elas não possuem característica marcante para o paisagismo e apenas as suas flores são os elementos primários para o design de um jardim ou quintal, além de outros arranjos que podem ser formados.

A floração ocorre na primavera e vai até o verão, com uma coloração de rosa forte e marcante, quase se assemelhando a um rosa choque.

Elas costumam ser vistosas, grandes, axilares, solitárias, simples com formato de trompete. Apesar da cor marcante ser o rosa bem chamativo, de acordo com a forma de cultivo, essa coloração pode variar entre tantas outras. São elas:  róseas, brancas ou vermelhas. Para abelhas e borboletas, as flores da espécie são quase uma festa.

Lavatera-de-três-meses (Lavatera trimestris)

Fruto
Apesar dos frutos não terem características muito marcantes, ele é um elemento importante da espécie, já que eles se desenvolvem em meio a folhagem da mesma.

Sendo assim, é muito importante ressaltar as suas principais características: É um fruto do tipo esquizocarpo, divididos em nada mais nada menos do que doze mericarpos, contendo sementes em seu interior.

O uso no Paisagismo
Com todas as suas belas características, a lavatera é perfeita para a formação de maciços e bordaduras. O charme das flores e a coloração marcante de suas pétalas podem dar um toque especial em qualquer paisagem, especialmente em jardins e quintais, além de varandas e vasos também, já que a planta não possui grandes portes.

Ela é muito boa para enfeitar jardins de estilo mais campestre e totalmente europeu, incluindo jardins ingleses, franceses ou italianos. É uma espécie bastante resistente à seca e por isso, pode ser amplamente em empregada em rochosos e áridos jardins.

Pátios podem ser adornados com as suas belas flores desde que elas sejam bem colocadas em jardineiras.

lavatera_trimestris

Cultivo
A espécie é fácil de cultivar, mas precisa se algumas regras para o seu desenvolvimento saudável. Para começar, é preciso ficar bem atento aos solos de cultivo da planta. Ele precisar estar composto com muita matéria orgânica.

Deve ser regada com um bom espaçamento entre uma rega e outra. Embora ela adore água, não tolera o encharcamento de suas raízes.

O excessivo uso de água durante o seu plantio pode ser péssimas consequências para o desenvolvimento da espécie, até porque a água em excesso pode apodrecer as raízes.

Apesar de ser intolerante ao excesso de irrigação, ela é bastante tolerante aos curtos períodos de estiagem, se tornando uma espécie sem grandes exigências para o seu cultivo.

É preciso tomar cuidado com as geadas, já que a espécie não costuma tolera-las. Em locais mais frios, ela não se desenvolve de forma correta, podendo atingir apenas a sua altura mínima, sem contar que o surgimento das suas flores acaba não atingindo o seu ciclo normal.

Lavatera trimestris (24)

Multiplicação
A sua forma de multiplicação é muito simples, mas precisa de alguns métodos para que a propagação funcione. Deve ser colocada para germinar no final do inverno e de preferência em estufas para um cultivo mais elaborado.

No início da primavera, a multiplicação poderá ser feita dentro do jardim, em meio ao solo de plantio. A planta é bastante sensível à transplantes, uma técnica muito comum durante a multiplicação de plantas de ciclo de vida anual.

A planta pode aceitar inclusive, a renovação de canteiros de forma anual, o que favorece muito a sua forma principal de propagação.

outono

margaridão

O Margaridão é uma das formas populares pelas quais essa espécie vegetal é conhecida. A planta também é popularmente conhecida pelos nomes de: Girassol Vermelho, Margarida Mexicana e Girassol Mexicano.

É uma planta originária da América do Norte, sendo nativa do México, por isso é conhecida também de Girassol Mexicano.

A espécie pertence a família de plantas chamada Asteraceae. Essa família é conhecida por Compositae ou Compostas, possuindo 1.620 gêneros e algo em torno de 23.600 espécies.

O margaridão se caracteriza por ser uma espécie trepadeira, que é uma espécie de planta que germina no solo, mantendo-se enraizada, no entanto tem a necessidade de um suporte para conseguir crescer.

A planta se caracteriza por ser florífera anual, isto é, ela é uma espécie que tem flores em sua composição e possuem ciclo de vida perene, isto é, apresenta um ciclo de vida longo, no caso dessa espécie o seu ciclo de vida é anual.

É uma espécie de porte arbustivo, que são plantas que possuem um porte reduzido quando comparado com as arvores e se caracterizam por ramificarem próximo ao solo. O margaridão é uma espécie de porte pequeno que atinge uma altura média que varia de 1,20 a 1,80 m. A planta é muito ramificada.

Possui textura herbácea, isto é o seu caule não possui lignina, o que permite que ele seja maleável e relativamente mole. Contudo a base do seu caule é de estrutura lenhosa.

margaridão amarelo

As folhas do são de coloração verde escura, cordadas, pubescentes (coberta de pelos) e simples. As folhas apresentam as características de serem grandes e recortadas.Os ramos também são cobertos de pelos, curtos e macios.

As inflorescências do margaridão são do formato capitulo (as flores ficam enfiadas em um receptáculo discoide ou em forma arredondada sendo protegido por brácteas), sozinhas, simples e as pétalas apresentam coloração laranja e vermelha, sendo bastante bonitas e vistosas.

As inflorescências são muito vivas e brilhantes, possuem centro amarelado. Elas são muito similares aos girassóis e zinias.

A floração normalmente é iniciada na época da primavera, se estendendo pelo verão e chegando ao outono. A floração pode variar conforme a época do plantio, sendo abundante geralmente no outono.

Os frutos são do tipo aquênio, que é um fruto seco, com origem em carpelos, indeiscente e que normalmente possui uma sementes.

O margaridão pode ocorrer em variedades anãs, que de uma maneira geral atingem alturas de no máximo 75 cm. Essas espécies são bastante apropriadas para serem utilizadas para cultivo como maciços e bordaduras.

A espécie se caracteriza também, por atrair abelhas e borboletas, sendo uma planta melífera (atrai animais com o seu néctar, mel). As abelhas e borboletas auxiliam no processo de polinização ajudando a planta a se multiplicar.

margaridão-4

Cultivo
O margaridão é uma planta rústica, de cultivo simples e fácil e que se caracteriza por apresentar um crescimento muito rápido. Ela é uma espécie vegetal que pode cultivada em qualquer período do ano (primavera, verão, outono e inverno).

É uma espécie vegetal que vive nas regiões secas e quentes, fazendo com que esta planta seja uma ótima opção para jardins devido a sua rusticidade.

Essa espécie vegetal pode ser cultivada em regiões que apresentam clima: continental, equatorial, mediterrâneo, oceânico, subtropical, temperado e tropical.

Devido ao fato de ser uma planta que aprecia o calor e ser cultivado em regiões quentes, ele pode ser cultivado a pleno sol e em locais que tenham um bom espaço para que a planta se desenvolva de forma plena.

O cultivo da espécie em locais com um bom espaço é necessário devido a questão da planta apresentar características invasivas, e o espaço disponível auxilia que a pessoa não perca o controle da espécie cultivada.

O solo ideal para cultivo deve ter uma boa capacidade de drenagem e podem ser enriquecidos com a aplicação de material orgânico. A irrigação deve ser feita de forma regular no inicio ou no final do dia, apesar de a espécie conseguir suportar períodos curtos de estiagem.

Devido a planta possuir resistência a seca, faz com que a espécie seja escolhida para ser utilizada como jardins que tenham a temática desértica ou rochosa.

Quando o margaridão é cultivado em solos que se caracterizam por serem muito ricos em nutrientes, essa espécie vegetal se caracteriza por conseguir produzir uma folhagem em grande quantidade e poucas flores.

tithonia Diversifolia

Contudo, quando é cultivada em solos que são mais pobres, as florações do margaridão costumam ser mais abundantes.

A realização de fertilizações com aplicações de fósforo e potássio ajudam a estimular o crescimento da planta.

Devido ao fato da planta apreciar o calor, ela não suporta climas frios e não tolera ser cultivada em locais que sofram com geadas. Contudo quando acontece esse fato (ser cultivada em regiões que sofram com geadas) a planta consegue rebrotar através das sementes quando chega a primavera.

Devido ao seu porte arbustivo, acaba tendo uma forma de uso diferente de outras espécies floríferas que são cultivadas em jardins.

É apropriado para ser utilizado como cercas vivas de pequeno porte, fazendo a divisão de determinadas áreas no jardim. Essa espécie também pode ser utilizada como renque próximo a muros e paredes externas.

margaridãoamarelo

Pode ser usado como flor de corte, sendo aproveitado na elaboração e confecção de arranjos florais e belos buquês. A espécie vegetal pode ser cultivada em vasos.

Multiplicação
O margaridão se multiplica através da dispersão das sementes. Devido a rusticidade da planta, pode ser conseguida duas gerações da espécie em um mesmo ano.

A multiplicação por dispersão de sementes consiste em espalhar as sementes em locais apropriados para o cultivo, para que a planta crie condições de germinar e gerar uma nova espécie vegetal.

A planta propaga facilmente, onde as sementes que caem ao chão, formam novas mudas próximo a planta originária.

lguinho

begonia tigre

A begônia-tigre é uma planta de interior ornamental, que atrai a atenção dos jardineiros . Planta de rara beleza, pouco exigente  para cuidar.

Faz parte dos tipos de populares de begônias, que tem cerca de 2.000 variedades de diferentes colorações das folhas, forma e cor.

A espécie é uma das representantes mais brilhantes de uma enorme família Begoniaceae, derivada através de cruzamento artificial, isto é, um híbrido. É popular entre os amantes de plantas domésticas, cultivadas como planta pendente.

Planta de pequena altura, não mais de 30 cm, sua flores são brancas, e crescem diretamente a partir da raiz.

É uma planta de baixa manutenção, além disso, é facilmente propagada. Muito rapidamente, torna-se um belo arbusto com folhas incomuns. No entanto, você deve seguir algumas regras simples, se você quiser que o peitoril da sua janela seja decorada com essa planta.

substrato

Os cuidados envolve transplantá-la a cada dois anos para um vaso maior para que ela se expanda. E isso não é tudo. Você deve considerar cuidadosamente a escolha do substrato que deve incluir:
* perlita;
* turfa;
* húmus;
* areia grossa.

Todos os componentes devem ser tomados em partes iguais, misture bem e coloque em uma vasilha. Se você tem um vaso maior, então ele pode ser plantado algumas estacas. Como a begônia-tigre tem um rizoma rastejante ela cresce em largura, escolha por vasos amplos, mas não altos.

begônia

Iluminação
A planta aprecia luz em meio termo. Por favor, esteja ciente de que a planta não tolera luz direta do sol, iluminação difusa é necessário para ela.

Temperatura
A temperatura não deve ser inferior a 18ºC, é necessário manter uma temperatura do ar superior.

Umidade
As begônias não suportam a pulverização, mas ela ama alta umidade. Sob o vaso deve colocar uma bandeja de musgo úmido, e um recipiente de argila expandida molhada ou na água, isso vai fornecer umidade necessária.

Rega e adubação
Ativamente crescente begônia tigre na primavera e verão. Neste momento, ele precisa ter uma rega uniforme e moderada com água em temperatura ambiente. Regá-la novamente só quando sentir a substrato seco.

As begônias, no inverno, entram em um estado de repouso, por esse motivo a  do vaso  não deve ser encharcado ou muito seco.

No verão e na primavera, durante o crescimento das plantas ativas precisa adubação e fertilizantes complexos. No verão é necessário para fertilizar a cada semana. No inverno, este procedimento é realizado a cada seis semanas.

No tempo frio, o solo deve ser quente, para que a água para a irrigação neste momento é desejável quarto um pouco mais quente.

begônia-1

Replantio e rejuvenescimento
A cada dois anos é necessário replantar através de estacas. Se você quiser as folhas de begônias maiores, remova os botões florais. Você pode combinar variedades de baixo crescimento de floração e plantá-las em capacidade total.

Reprodução
A begônia-tigre se reproduz por rizomas e partículas de aparas. A reprodução de begônias pode ser realizada a qualquer momento, geralmente na primavera ou no verão.

A partir da planta adulta corta-se um talo com a folha saudável, até a metade e mergulha-o na mesma mistura de solo, coloca-se num vaso, coberto com um saco de plástico com furos para ventilação e coloque num local com uma temperatura não inferior a 17ºC.

banconolago

Dracena-de-Madagascar

A dracaena marginata é uma planta rústica da família das Ruscaceae e com origem na parte mais central do continente africano. E hoje é considerada uma das plantas decorativas ou de interior com mais resistência do mundo.

Popularmente conhecida como Dracena-de-Madagascar ou apenas Dracena, a Dracaena marginata é muito comum, principalmente em escritórios e consultório médico devido a sua imensa resistência ao ar condicionado.

Isso acontece porque nesses locais, além dos aparelhos de ar condicionado que ficam em temperaturas bem baixas, ainda vamos encontrar a iluminação que em sua maioria é feita de lâmpadas fluorescentes, sem falar na rega inconstante que as plantas desses ambientes suportam.

Então nenhuma planta com pouca resistência iria suportar tanta irregularidade nos seus cuidados como a dracena.

A dracaena marginata apresenta diversas outras variações e cada uma delas com suas características mais particulares. Apesar de toda essa variação, todos os tipos de dracaena marginata apresentam a mesma formação.

dracena_tricolor

Com folhas que apresentam um verde bem escuro e com as pontas “rabiscadas” de púrpura, todas as dracaenas marginatas são rusticamente belas e bem diferentes. Vamos encontrar a variedade “tricolor” dessa planta, que são as dracaenas marginatas que sofreram manipulação genética em relação a cor, mas sempre predominando o verde.

Alguns exemplares que podemos citar dessas dracaenas do tipo tricolor é a Colorama, a Tarzan, a Magenta e a Norjim, sendo essa última descoberta recentemente nos Estados Unidos.

Como Cultivar
Pela resistência da dracaena marginata que já falamos mais acima, não precisa dizer que ela não existe tantos cuidados especiais assim não é verdade? Ela é bastante fácil de ser cultivada e você consegue manter a sua dracaena marginata em qualquer ambiente da sua casa ou em jardim aberto.

Mesmo sendo adaptável a qualquer ambiente, toda planta apresenta as suas preferências e no caso de temperatura, a dracaena marginata preferente os locais mais quentes.  Nos locais de temperatura mais alta, ela se desenvolve mais rapidamente e cresce muito mais saudável e forte.

E como fica aquela conversa de ser a planta preferida de escritório? É porque a resistência da planta permite que ela suporte temperaturas até 10 graus negativos, com toda a sua estrutura perfeitamente estável.

Cada cuidado da dracaena marginata exige uma atenção especial, consequentemente, vamos conversar separadamente para que vocês possam entender da melhor forma.

Dracaena marginata

Sobre luminosidade
Quando o assunto é luminosidade, é bem fácil saber quando a sua dracaena marginata precisa de mais ou menos luz. Mas para que você entenda bem o porquê dessa nossa afirmação, você precisa conhecer um pouco mais sobre clorofila.

Essa substância é encontrada em todas as plantas e tornou-se um termo muito comum, mas ao questionarmos o que é clorofila, a maioria das pessoas vai referir-se apenas a “uma substância verde encontrada nas plantas”.

A clorofila na verdade é o componente responsável pela absorção da luz do sol no processo de fotossíntese. É através da clorofila que uma planta absorve a luz que vem do sol e dessa forma se alimenta.

Por isso costumamos dizer que quanto mais verde tem uma planta, é porque ela absorve mais calor e dessa forma, possui mais clorofila. Com as dracaenas marginatas não poderia ser diferente.

Então se você cultiva a sua planta em um ambiente fechado, para saber se a dracaena marginata está recebendo a quantidade de luz suficiente para sua sobrevivência, basta observar o verde de suas folhas.

Quanto menos verde for a sua planta, mais luz ela vai precisar. No comum, elas precisam de muita luz para se desenvolver de forma saudável e apesar de sustentarem-se em ambientes fechados e escuros, elas vão apresentar problemas em sua estrutura com o decorrer dos anos.

dracena-madagascar-vermelha

Sobre as regas
Voltamos sempre ao quesito resistência e não podemos deixar de citar que as dracaenas marginatas são bem resistentes também quanto à falta de regas. Apesar de elas suportarem a falta de água por mais tempo, a rega correta vai fazer com que você tenha uma planta sadia e bonita.

Como elas são bem resistentes, regas diárias ou excessivas não vão ajudar em seu crescimento. Evite então deixar a areia da sua dracaena marginata muito encharcada, pois a sua planta vai morrer bem rápido. Coloque água o suficiente para molhar a areia apenas.

Cacos e argila absorvem muito a água, então se você quiser evitar que sua planta fique com muita água acumulada, coloque peças desses dois itens no fundo do vaso da sua dracaena marginata ou então, sempre que regar, deixe a água escorrer bem.

Como plantar
Você pode cultivar através de mudas, porém a melhor forma de propagação da dracaena marginata é através das estacas de ponta, principalmente se a sua planta for uma espécie tricolor.

Onde elas são plantadas, geralmente nasce uma “planta mãe”, que é a maior e dois ou três ramos menores que faz com que a planta fique mais “cheia” em relação à quantidade de folhas.

Se você quer ter uma plantação bonita e densa de dracaena marginata, o ideal é você ter várias plantas mãe no mesmo terreno e não apenas um único caule.

Para adubar de forma perfeita, você há necessidade de adubos especiais ou de fertilização constante. Basta apenas adubar uma vez por mês e com adubo líquido que ela desenvolve muito bem.

Quando começarem a germinar, deixe o local bem úmido para que a planta absorva a quantidade de água suficiente para manter-se estável em seu crescimento.

DRACENA PLEOMELE TRICOLOR

Como cuidar
Como a preferência por esse tipo de planta é para interiores. É necessário tomar alguns cuidados quanto à falta de umidade no ambiente e também o pó que pode destruir as folhas da sua dracaena marginata.

Sempre que for conveniente, pulverize as folhas da sua planta e com um pano já levemente úmido, retire o pó de todas as folhas.

Esse cuidado vai fazer com que as suas folhas passem de um verde para um castanho ou amarelo bem desagradável. Assim como também evitará algumas pragas indesejáveis.

De todas as pragas a mais comum para essa planta é o aranhiço vermelho que geralmente aparece naquelas dracaenas marginatas que levam pouca água.

agua xzO