Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Flores e Folhagens’

Begônia-Maculata-2

Amarela, vermelha, rosa, branca, laranja ou quem sabe ainda todas essas cores juntas, em um verdadeiro arco- íris de flores no jardim. Sabe como você pode conseguir esse efeito colorido e cheio de vida? Plantando begônias. Isso mesmo!

Existem cerca de 1.500 espécies diferentes de begônias catalogadas e cada uma delas possui características únicas que tornam a planta uma excelente opção decorativa não só para jardins, mas para dentro de casa também, uma vez que as begônias podem ser cultivadas em vasos e jardineiras. E quando bem tratada, a begônia floresce o ano inteirinho, de janeiro a janeiro.

Nativas da América do Sul, essas plantas perenes (Begônia Maculata) crescem em climas subtropicais e tropicais, embora essa espécie seja um híbrido. Felizmente, elas lidam muito bem com as diferenças climáticas e crescem em condições mais frias nas regiões temperadas.

Mas não é só na beleza que as begônias se destacam. A planta é ideal para quem não tem muito tempo para jardinagem, já que o cultivo das begônias é simples e não exige grandes cuidados.

Begônias se tornaram algumas especialidades de produtores, como orquídeas, bonsais e violetas africanas. Isso ocorre porque há muitas espécies dentro do gênero e muitas foram hibridizadas.

Não é de admirar que muitos se especializem em Begônias, elas são uma planta com aparência bonita quando cultivadas corretamente.
* Floração – As begônias florescem durante o verão. Essas flores são do tipo ceroso pequeno que crescem em grupos a partir dos caules e meio que caem ou penduram. As flores geralmente florescem de vermelho vivo a rosa claro.

* Folhagem – Esta espécie é uma Begônia do tipo cana, com caules grossos e nós bastante grandes. As folhas são brilhantes e têm uma borda externa vermelha em algumas variedades e uma parte inferior vermelha. A parte de baixo vermelha os torna atraentes quando plantados em um nível interno, onde podem ser vistas as partes superior e inferior da planta.

Gênero de tipo para a família Begoniaceae, contém cerca de 900 espécies de plantas perenes, arbustos e trepadeiras encontradas nos trópicos e sub trópicos, com a maior diversidade encontrada nas Américas.

Embora algumas espécies tolerem geadas leves, a maioria é tenra e só sobrevive a invernos amenos; portanto, fora dos climas tropicais, as begônias são melhores cultivadas como plantas de contêineres internas.

Begônia-Maculata-1Begônia maculata, espécie muito ornamental caracterizada por folhas de verde intenso com pequenas bolinhas brancas em sua superfície.

Características da planta
As begônias podem ter raízes fibrosas ou rizomas ou tuberosas. São plantas formadoras de grumos com folhagem verde azeitona a verde brilhante que podem variar em cor, textura e forma, mas geralmente são lindamente marcadas, enroladas ou cobertas de pelos finos.

A folhagem emerge do porta-enxerto ou é mantida em caules semelhantes a cana. Uma característica distintiva das begônias são as flores masculinas e femininas separadas; geralmente há uma única flor feminina cercada por 2 ou mais flores masculinas, ocorrendo em tons de branco, amarelo, laranja, vermelho e rosa.

Como cuidar de Begônias
O primeiro passo para quem deseja cultivar begônias é saber exatamente como plantá-las. Prefira fazer o plantio nos meses de outono, período em que o clima está mais ameno.

A preparação do solo também é importante. A dica aqui é usar uma mistura rica em matéria orgânica, preparando uma parte de terra de jardim para duas partes de composto orgânico ou substrato. Faça uma pequena covinha para colocar a semente, mas sem enterrá-la. Lembre-se de manter o solo úmido até a germinação.

Quando a muda alcançar cerca de dez centímetros faça o transplante para o local definitivo. Após cerca de quatro meses a begônia começará a apresentar sinais da primeira floração.

Caso plante a begônia em um vaso, certifique-se que o mesmo possui um bom sistema de drenagem.

Você pode conseguir isso colocando pedrinhas ou argila expandida no fundo.

Depois da primeira floração você já pode fazer as primeiras mudas de begônia. Para isso, escolha um galho que está para florescer, corte um pequeno pedaço dele em diagonal – cerca de quatro a cinco centímetros – e coloque em um recipiente com água.

Quando perceber que o galho está criando raiz diminua a quantidade de água. No momento em que a raiz estiver com aproximadamente quatro centímetros já é possível plantá-la em um pequeno vaso com terra e adubo, como descrito acima. Mantenha o vaso na sombra e regue a muda diariamente até que ela “pegar”. Depois de “pegada” você pode mudá-la de vaso.

Apesar da imensa variedade de begônias existentes na natureza, os cuidados de cultivo são basicamente os mesmos, seja qual for a variedade escolhida.

begonia rex

De modo geral, as begônias gostam de temperaturas amenas, entre 20º a 28º C e luz direta. Por isso, o mais recomendado é plantá-la em um local onde ela possa receber luz do sol, mas fique protegida de chuvas, frio e ventos.

As regas devem acontecer sempre que o solo estiver seco. Mas atenção: nunca molhe as folhas e flores na hora da rega, apenas o solo.

Retire as folhas secas e doentes da begônia para evitar que elas caiam e contaminem o solo. Caso perceba folhas marrons na begônia, pode ser um sinal de que a planta está sofrendo com pouca água, providencie, portanto, uma melhor umidade do solo.

Na primavera faça uma poda geral para incentivar a criação de novos brotos. Para isso, faça o corte na diagonal e sempre acima de uma folha. A adubação deve ser realizada a cada dois meses com torta de mamona, nitrocálcio ou NPK.

Begônia-grandis

Condições de crescimento
Siga estas dicas de crescimento para garantir begônias lindas e florescentes:
Água: Regue quando o solo secar pela primeira meia polegada, regue bem e deixe escorrer. Forneça muita umidade.

Temperatura: Média a quente (e úmida). Como em todas as begônias, eles não gostam de correntes de ar frio e não podem tolerar o congelamento.

Solo: Solo arejado, leve e de drenagem rápida.

Fertilizante: Use fertilizante líquido semanalmente com um quarto de força ou quinzenalmente com meia força. Durante o florescimento no inverno ou na primavera, mude para fertilizante com alto teor de fósforo.

Mudas
Begônias  são muito fáceis de propagar a partir de estacas . Quando um novo crescimento começar a surgir na primavera, remova cuidadosamente um corte de duas a três polegadas na ponta das folhas que não tenha flores e insira-o no solo de envasamento e mantenha-o úmido e quente até o novo crescimento começar.

Um hormônio de enraizamento aumentará as chances de sucesso, mas não é estritamente necessário, pois eles rapidamente se originam de estacas nas circunstâncias certas. Como em outros híbridos, eles não se reproduzem com precisão a partir das sementes; portanto, apenas cultive begônia a partir das sementes se você tiver certeza da fonte das sementes (uma empresa de sementes, por exemplo).

Troca de vaso
Para manter sua coleção fresca, pegue mudas a cada primavera e descarte plantas adultas pernaltas – elas tendem a ficar com perneiras se as condições forem inferiores ao ideal, especialmente se estiverem frias e sujas.

As begônias de asas de anjo e dragão parecem realmente prosperar quando estão levemente ligadas ao vaso. Quando a troca for necessária, como quando a planta tiver esgotado o meio de envasamento ou o vaso estiver tombando, mude para um vaso um pouco menor e refresque o solo .

Essas plantas podem crescer acima de um metro de altura, e plantas maiores podem ter caules um tanto quebradiços. Coloque plantas maiores para evitar danos às bengalas, pois a folhagem é altamente atraente. Não tente remanejar uma planta em flor, no entanto, pois o choque interromperá a floração.

begonia-maculata

Variedades de Begônias
As begônias tipo cana mais conhecidas são as begônias de asas de anjo , que crescem em caules verticais com folhas interessantes e exibições magníficas de um pendente e flores caídas. A begônia da asa de dragão, outra beleza, também pertence a esta categoria. Em termos de cultura, eles não são particularmente difíceis de crescer e podem prosperar em ambientes fechados , desde que você atenda a alguns requisitos básicos.

A begônia de asa de anjo ou maculata  serviu de base a um extenso programa de hibridação a longo prazo . Como resultado, existem dezenas de híbridos nomeados, bem como várias espécies que se enquadram vagamente na categoria de cana.

Os favoritos incluem “Lucerna” e “Carriere”. Todas as begônias de asas de anjo têm requisitos crescentes semelhantes, portanto, trate-os da mesma forma. A begônia da asa-de-dragão (baseada em B. descoleana ) é uma begônia semelhante ao tipo cana que vive com o mesmo tratamento que as begônias da asa de anjo.

asa-de-dragão

Dicas
Enquanto outras begônias podem exigir um toque mais cuidadoso, as begônias maculatas parecem perfeitamente adequadas para a cultura interna, desde que você possa fornecer o calor e a umidade de que necessitam.

No inverno, eles podem até tolerar a luz solar direta e ficar lindos no parapeito da janela com uma coleção de plantas que florescem no inverno (incluindo a begônia Rieger ).

folhas caindo_1

ardisia111

A Ardísia  é uma planta pertencente à família Myrsinaceae e pode ser cultivada em climas variados. A origem dessa planta é a Ásia, a China e o Japão.

Pode atingir uma altura que fica entre 1,2 a 1,8 metros e quanto a luminosidade é uma planta que gosta de meia sombra ou então sol pleno. O seu ciclo de vida é perene.

Características
Essa é uma planta arbustiva que possui folhagem e frutos decorativos. A sua ramagem é ereta e ramificada, sua textura semi-herbácea. As suas são perenes, elíptico-lanceoladas, cerosas e de uma coloração verde-escura com margens finamente onduladas e serrilhadas,

Já as suas inflorescências são do tipo rácemo, axilares e compostas por pequenas flores, estreladas, perfumadas, hermafroditas e de uma coloração branca ou rosada. A Ardísia  tem pouco valor ornamental.

No período do verão até o começo do inverno surgem nessa planta os cachos de numerosos frutinhos esféricos que são parecidos com pequenas cerejas.

A cor desses frutinhos é vermelho vibrante, muito duráveis podendo permanecer muitas vezes até a próxima floração. O crescimento dessa planta é moderado e se destaca quando isolada no jardim assim como dentre pequenos grupos ou em renques. Uma planta que atrai passarinhos, geralmente eles vêm apreciar os seus frutos.

Um dos motivos que tornam a Ardísia bastante procurada envasada é o fato de poder ser utilizada para a decoração de interiores. Fica muito bem em ambientes bem iluminados, em sacadas ou mesmo em pátios.

É possível manter essa planta no litoral desde que ela esteja bem protegida dos ventos fortes, pois esses podem danificar a sua folhagem e ainda derrubar os seus lindos frutos. Também indicamos que a planta seja protegida do sol intenso nas horas mais quentes do dia.

Ardisia-crenata-

Cultivo
Essa planta deve ser cultivada sob o sol pleno ou então a meia-sombra. O solo deve ser fértil, profundo e enriquecido com matéria orgânica. A irrigação deve ser regular e o clima que aprecia é o mais ameno. Apesar disso pode se desenvolver numa ampla faixa climática e tolera temperaturas de até -10°C, torna-se caduca nessas condições.

A sua multiplicação deve ser feita por estaquia e por sementes. Pelo fato de ter uma propagação fácil pode se tornar uma planta invasora em algumas situações.

A Ardísia é uma boa opção, pois não exige manutenção e também não é exigente em relação a fertilidade. Pelo fato de ter pouca quantidade de raízes não muito profundas tem boa adaptação a cultiva em canteiros rasos, vasos e jardineiras.

A luminosidade ideal para uma Ardísia é a intensa, mas o sol direto pode queimar as suas folhas. Sendo assim o seu cultivo deve ser feito em áreas de meia sombra e que tenha sol apenas pela manhã ou então sob árvores.

Na cova do plantio é necessário acrescentar composto orgânico e húmus de minhoca. No caso de solos muito compactados é necessário acrescentar areia ou material vegetal decomposto com alguma textura, um exemplo é o composto de folhas. Essa mistura deve ter boa drenagem, pois a Ardísia não suporta solo encharcado.

ardísia

Adubação
A Ardísia necessitará de adubação de reposição quando houver a adubação do canteiro ou vaso, de uma a duas vezes por anos. Para isso utilize uma colher de sopa de adubo granulado do tipo NPK com formulação de 10-10-10 numa garrafa PET de 2 litros. Coloque água e sacuda bem para que se dissolva.

Um dia antes da aplicação você deverá regar o substrato para que haja a formação de um bulbo úmido. No dia seguinte você deverá colocar 1 copo com a mistura de água e adubo na muda. É muito importante cuidar para que não toque na planta.

Os frutos da Ardísia têm boa capacidade de germinação e é facilmente propagada. Pode surgir junto ao tronco muitas novas mudinhas. As regas devem ser regulares junto com as outras plantas.

Paisagismo
Esta é uma planta que combina muito bem com canteiros de arbustos coloridos, folhagens variegadas ou mesmo que tenham flores brancas ou vermelhas. Porém, nem sempre é possível fazer esse tipo de combinação porque muitas plantas necessitam de sol então é necessário contar com plantas de meia sombra em canteiros ou vasos.

Uma dica é que o uso de várias mudas num mesmo vaso ganha um visual bem ornamental e com um efeito muito bonito.

O Tronco
O tronco dessa planta é um caule fino e ereto, os seus ramos se inclinam de forma natural com o peso dos seus frutos.

ardísia

Água
A Ardísia aprecia um solo que esteja ligeiramente úmido e jamais encharcado. Bastante tolerante a estiagem, deve ser regada cerca de 2 vezes por semana. Durante o inverno você pode e deve diminuir a quantidade de água.

Clima ideal
Tem preferência por um clima ameno, mas é tolerante a qualquer tipo de temperatura. Nos lugares de clima muito frio acaba perdendo as suas folhas que depois voltam a nascer quando a temperatura

sobe.

Necessidades para o cultivo
Essa planta prefere um solo que seja rico em matéria orgânica, profundo, mas também pode ser cultivada praticamente em qualquer lugar desde que haja uma boa drenagem. Uma planta rústica que não exige muitos cuidados, mas vale destacar que é importante que o substrato não fique encharcado.

ardísia

Dicas de fertilização
Para que a planta fique bem vistosa é importante contar com um bom fertilizante NPK. A fórmula indicada é a 04-14-08, use de 1 a 3 colheres de sopa, isso depende do tamanho do vaso.

No caso de Ardísia plantada no jardim deve-se usar de 3 a 8 colheres de sopa, claro que depende do tamanho da planta.

Para fazer a aplicação correta coloque o fertilizante ao redor do caule, porém, cuide para que não encoste na planta.

Propagação
A propagação dessas plantas deve ser feita por sementes e estaquia. Germina com bastante facilidade embaixo da planta. É comum encontrar mudinhas que brotam através de sementes que caem e exatamente por isso pode se tornar uma planta invasora.

luar

rosinha-de-sol

A rosinha-de-sol é uma planta rasteira muito conhecida pelos designers de plantão, além de ser uma das favoritas para a ornamentação de exteriores. A planta herbácea possui características bem peculiares e que pode ser uma boa opção para cultivo, já que é de baixa manutenção.

Para plantar a famosa rosinha-de-sol, com certeza é preciso seguir algumas regras básicas. Vamos conferir?

A espécie foi encontrada na África e possui apenas um nome popular, conhecido entre os botânicas mais interessados na planta, que é rosinha-de-sol e faz parte da família Aizoaceae.

Clima para cultivo
Como a espécie é típica de países africanos, existem alguns climas onde a espécie pode ser facilmente cultivada, fazendo parte das regras para o plantio da mesma.

Altura
A espécie pode alcançar diversas tamanhos, dependendo da sua variante e das formas diversas de cultivo, bem como clima para plantio. A espécie pode ter aproximadamente menos de 15 cm Para que cresça o máximo possível, o seu ciclo de vida perene deve ser respeitado, bem como a luminosidade em sol pleno.

aptenia

Descrição
A rosinha-de-sol é uma espécie herbácea e muito vistosa, com florescimento que chama bastante a atenção para uma prática ornamental. É uma espécie muito ramificada e que pode atingir outras alturas dependendo de toda essa ramagem própria da planta. Em uma forma de plantio mesclada, ela acaba se misturando umas com as outras.

Folhas
Suas folhas também pode ser bem aproveitadas para ornamentação, já que possui design único, com uma cor viva em verde escuro. As folhas são ovais e quase cordiformes, podendo se apresentar em tons de verde musgo ou verde-claro variegadas com uma coloração de branco, com funções muito paisagísticas.

Os ramos volumosos e numerosos apresentam a mesma cor das folhas, sendo bastante brilhantes para ornamentação.

rosinha

Flores
A rosinha-de-sol possui belas flores, muito coloridas e especialmente feitas para enfeite, já que possuem um design bastante interessante. Elas são pequenas e possuem muitas pétalas, finas, mas com tons bastante diversificados e que cercam do vermelho ao rosa vivo.

Nascem nas pontas dos ramos e vão se tornando mais longas conforme a espécie e a variante. A floração se assemelha a margaridas que podem até ser brancas de acordo com a sua variedade.

A floração pode ser muito maior em algumas épocas, especialmente na primavera. Elas ficam volumosas até o verão e podem durar até mesmo no inverno, por causa da sua floração casual.

Por isso, ela é dita uma espécie bastante tolerante ao frio, além de ser uma excelente opção para cultivo em todo o país.

Para ornamentação
A rosinha-de-sol pode ser usada na forma de forração, em canteiros, maciços, bordaduras e em vasos, sendo eles grande sou pequenos, inclusive naqueles suspensos, em que a planta pode ficar pendente, enfeitando bem o jardim.

É uma espécie muito recomendada para os chamados jardins de pedras. Elas possuem a ótima capacidade de fechar bem o solo em que é plantada, impedindo o crescimento de ervas daninhas, que danificam muitas plantações.

Podem também formar grandes berços em vastos gramados, já que sua propagação acontece em uma velocidade alta, espalhando a ramagem por todo o espaço. Procure plantar a rosinha-de-sol em volta de espécies como palmeiras e cicadáceas.

A floração se estende durante o ano todo, por causa do seu ciclo de vida perene. As flores são muito atrativas para insetos como abelhas e borboletas, ajudando a enfeitar os jardins externos. É também uma planta que pode ser ingerida, se aproximando do espinafre em termos de sabor.

rosinha2

Cultivo
Para plantar a rosinha-de-sol é preciso seguir algumas regras e saber qual a melhor forma de plantio. Em locais ensolarados e com solo em boas condições, a planta pode se desenvolver da melhor maneira possível.

No solo, é preciso colocar muita matéria orgânica, sendo os mesmos bastante arenosos. Já em solos mais compostos por argilas, para garantir seu cultivo eficiente, é preciso adicionar um composto orgânico composto por bastante areia e elementos mais secos, incluindo cascas semi-decompostas para finalizar a preparação para cultivo.

Preste atenção aos solos sumidos demais e altamente encharcados. Eles não servem para estas plantas.

O canteiro para o plantio deverá ser bem preparado: Use o revolvimento de terra com pelo menos 15 cm de profundidade em uma cova bastante rica em matéria orgânica. Adicione composto, a areia e as cascas secas, se for muito necessário.

Uma outra características que não devem ser colocada para trás é que o espaçamento entre as covas ou as mudas deverá ser de mais ou menos 20 cm e no mínimo 15 cm. Isso deverá ser feito por a planta se propaga de forma muito rápida, se espalhando velozmente.

rosinhadesol

As regas deverão ser altamente reguladas e bastante equilibradas para evitar que o solo fique muito úmido. Depois, é preciso minimizar as mesmas, apenas para garantir o enraizamento inicial da espécie. É importante notar que a rosinha-de-sol se desenvolve melhor em solos secos.

Propagação
A propagação das mudas também é uma etapa importante do seu cultivo. Para começar, é preciso utilizar a estaquia de ramos com pelo menos 3 ou 4 gemas de folhas e ramagem.

Elas podem ser colocadas em um recipiente com areia de construção não muito úmida. Esta umidade leve é necessária para que a emissão de raízes evite a perda da umidade da estaca.

gaivotas

beijo-americano

O beijo-americano, também conhecida como maria-sem-vergonha, é uma planta de sombra que deve receber apenas o sol da manhã. Suas flores podem ser brancas, rosas, laranjas ou vermelhas. Deve ficar em ambientes com claridade natural, pois a artificial deixa ela com um tom marrom, já que não faz a fotossíntese.

Ela floresce duas vezes por ano, durando de dez a 20 dias cada vez. No vaso, ela vive entre 2 e 3 anos e mede até 30cm.

O beijo-americano é uma planta tropical, próprio para ambientes com temperatura de cerca de 25ºC.

A planta precisa ser regada diariamente. No pote 13, use cerca de 200 ml por dia. A adubação da planta deve ser feita a cada três meses, usando o adubo NPK 4-14-8.

beijo-americano

A maneira como cresce é tão rápido que lhe rendeu o nome científico Impatiens, “impaciente, incapaz de esperar”. A forma como suas cápsulas arrebentam ao menor contato: basta um raspão para que arremessem longe as sementes, daí seu outro nome popular, “beijo”.

O jeito “dado” como se reproduz, bastando um galhinho e alguma umidade para logo criar raízes. E, claro, sua capacidade sacana de pular cerca, de extrapolar muros e jardins para ir se aninhar debaixo de árvores nativas, na mata fechada, espalhando-se tão depressa quanto tiririca, comportamento de uma sem-vergonhice tal que lhe rendeu um rótulo, esse, sim, vexatório: invasora.

A espécie veio da África, mas se adapta bem ao solo brasileiro. De moça comportada num vaso dentro de casa, a beijo-americano logo sai do controle e invade reservas florestais e áreas de proteção de mananciais, fazendo sombra às mudas de espécies nativas, que não conseguem se desenvolver embaixo da planta.

Por isso, em várias cidades brasileiras, o cultivo dessa graciosa flor africana está regulamentado, quando não proibido.

beijoamericano

Sua popularidade é facilmente compreensível: ela pega em qualquer pedaço de terra, mesmo nos solos mais pobres em nutrientes. Existem em uma grande variedade de cores, com flores brancas, rosas, roxas, laranjas, vermelhas e bicolores, de pétalas simples ou dobradas, que florescem o ano todo.

É barata, fácil de ser encontrada e vai bem até em ambientes sombreados, colorindo áreas internas em casas e escritórios. Por ter caules e folhas carnudos, capazes de armazenar água, aguenta passar alguns dias sem água, mas o ideal é regá-la mantendo a terra sempre úmida.

O beijo-americano  tem cápsulas de sementes que explodem. É uma boa opção de flor para canteiros embaixo de árvores, onde a grama não cresce direito.

Deve ser cultivada em duas partes de terra e uma de matéria orgânica (use composto ou húmus de minhoca). Evite molhar as flores para não manchá-las nem diminuir sua durabilidade.

Lançada no Brasil em 2012, a variedade de folhas bicolores pode passar mais tempo no sol do que as de folhas verde escuras, mas, no geral, essa espécie prefere sombra ou meia sombra, com muita luz natural, mas sem a incidência direta de raios de sol.

beijoamericano

Onde plantar e como podar, regar e adubar
Com o tempo, o beijo-americano vai ficando com flores e galhos fracos. Quando notar esse comportamento, pode as pontas dos ramos – se quiser, tire mudas, mergulhando a parte cortada num copo com água até enraizar.

Não é recomendada para cidades no Sul do Brasil por não suportar frio e geada: mesmo nas regiões mais quentes do país, mudanças bruscas de temperatura podem causar queda de folhas e botões.

Se os caules ficarem pretos e moles, diminua as regas. E fiscalize as folhas regularmente, uma vez que o ar seco pode favorecer o surgimento de pragas, como ácaros e mosca-branca.

Adube a cada quinze dias durante a primavera e o verão, usando um fertilizante líquido misturado à água da rega (um NPK 10-10-10 ou Bokashi, por exemplo). E fique de olhos bem abertos para que sua planta se mantenha comportada no seu vaso ou canteiro e não vá se engraçar em jardim alheio.

entardecer