Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Flores e Folhagens’

aspargo-pendente

O aspargo-pendente é uma planta herbácea rizomatosa, pertencente à família Asparagaceae e nativa da África do Sul. Graças graças ao seu pequeno porte herbáceo e aspecto peculiar de suas várias folhinhas pontudas, são muito bons para plantar em jardineiras e vasos suspensos, como fazemos com as samambaias, valorizando desta maneira sua folhagem pendente e delicada.

A planta também produz pequenas flores, mas que não são muito importantes para a decoração, uma vez que não chamam muita atenção. Após a época de floração, vêm a frutificação, com a produção de frutinhas vermelhas que possuem um aspecto muito chamativo, porém não são comestíveis, motivo este que deve-se ter um bom planejamento antes de plantar plantas deste gênero, uma vez que podem ser um grande problema na presença de crianças pequenas.

asparagus_sprengeri_05_1

Cultivo
O sol direto no Brasil é muito forte para estas plantas e poderá queimar seus ramos, devido a isto, embora seja aconselhável plantar o aspargo-pendente em local claro e quente, deve ser feito à meia sombra, de forma que a planta fique protegida do sol direto nas horas mais quentes do dia.

Como já citado, este pequeno arbusto possui frutos chamativos e não comestíveis, logo na escolha do local do plantio devemos estar atentos à acessibilidade por crianças e animais.

O plantio deve ser feito em solo devidamente enriquecido com matéria orgânica para que tenha uma quantidade suficiente, mas não exagerada, de nutrientes. A muda pode ser obtida tanto através de divisão de uma planta adulta quanto através do semeamento no solo, caso não seja o caso da utilização de semente, após a preparação da muda, basta movê-la para uma cova pouco maior que seu torrão e completar com o solo preparado.

aspargus densiflora

Como cuidar
Devemos fazer regas moderadas, porém com frequência suficiente para não deixar o solo secar, principalmente no calor do verão. Em geral esta planta cresce bem sem muitas intervenções, o que pode se tornar até mesmo um problema caso seu espaço for limitado, mas nada que algumas podas de formação não resolva.

O período ideal para adubação é logo depois do término do inverno, mas lembre-se de sempre seguir as instruções do produto que for aplicar, pois exageros nunca são bons para a planta.

Devem ser cultivadas a meia-sombra, em vasos ou jardineiras com terra rica em matéria orgânica, regadas a intervalos regulares. Tolerante ao frio. Multiplica-se por sementes e por divisão da planta, preservando a sua estrutura.

Asparagus-densiflorus-Sprengeri

Se necessário, fazer podas de contenção de sua ramagem. Adubar com NPK 10-10-10 na primavera.

Considerada como erva daninha, principalmente na Austrália onde forma um tapete espesso de raízes tuberosas formando moitas impenetráveis que sufocam plantas nativas e inibem a sua regeneração. Cresce em ambientes costeiros, mas também tem invadido florestas litorais e margens de florestas tropicais.

Multiplica-se facilmente por sementes e por divisão de touceiras.

Chuva_1

Gypsophila-Paniculata-Y

O véu-de-noiva é uma planta herbácea, pendente, prostrada e florífera de elevado valor ornamental, tanto pela textura e cor da folhagem, como pela floração abundante e permanente.

Esta delicada flor é muito utilizada como complemento para arranjos ou buquês compostos por flores maiores e mais coloridas.  É também conhecida como mosquitinho, branquinha, gipsofila e cravo-de-amor.

O véu de noiva é uma planta muito ramificada, por isso mesmo é bom ficar atento, pois pode se tornar invasiva em determinadas situações. Mas no geral tem com ramos delicados, arroxeados e com nós articulados. A planta é pendente, com ramificações muito numerosas, longas e finas, formando cortina densa daí a razão do nome popular. De cada nó podem sair novas raízes que, se em contato com a terra, vai ramificar e se reproduzir.

As folhas são finas e pontiagudas, de coloração verde-acinzentada e superfícies pilosas ou ovais a lanceoladas, acuminadas, de cor verde-escura, com a página inferior arroxeada.

As inflorescências, em panícula, sustentam um grande número de pequenas flores, solitárias, brancas, com três pétalas, axilares ou terminais, e se formam durante o ano todo. E por ter característica, é que é altamente cultivada para fins ornamentais e complemento de arranjos.

(Gypsophila paniculata_21

As variedades de coloração branca são as mais cultivadas no Brasil, principalmente porque são fáceis de serem tingidas em colorações diversas. A sua durabilidade pós-colheita varia entre 1 a 2 semanas. O fruto é do tipo cápsula, ovóide, com poucas e grandes sementes de cor castanha.

O véu-de-noiva é uma planta excelente para vasos e cestas pendentes. Sua textura cheia e o pontilhado delicado das flores trazem um charme todo especial para varandas, pátios, salas de estar, entre outros ambientes internos ou externos.

Sua manutenção é facílima, exigindo apenas leves podas para renovação da folhagem quando necessário, boa irrigação e fertilizações orgânicas semestrais. Estes pequenos cuidados são suficientes para manter a beleza desta rústica espécie. No jardim, além de compor magníficos jardins verticais, ela também se presta como forração, em canteiros semi-sombreados ou em bosques, mas teme o pisoteio, pois sua folhagem é muito frágil.

Gypsophila paniculata 'Flamingo'

Reprodução
O véu-de-noiva reproduz-se por meio de sementes, sendo ideal semeá-la nos canteiros durante o outono, para crescerem naturalmente e produzirem flores mais cedo. O solo deve ser bem drenado e a luz solar é fundamental para o seu perfeito desenvolvimento e florescimento.

Por ser uma espécie muito delicada, recomenda-se utilizar varetas esgalhadas para apoiar as plantas expostas ao vento para dar sustentação e firmeza na planta. Ao plantar, distribua as espécies de modo correto. As plantas aglomeradas tendem a adquirir doenças. Nesse caso, os esporos de fungos e pragas podem se espalhar facilmente, infestando as espécies próximas.

Cultivo
A planta deve ser cultivada sob meia-sombra ou luz difusa, em substrato fértil, com boa capacidade de retenção de água, porém drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado com frequência. Não tolera geada ou frio intenso. Reduzir as regas na estação fria, salvo quando o inverno é demasiado seco. Em países de clima temperado pode ser cultivada em estufas úmidas.

Sob condições de grande luminosidade, torna-se mais compacta na textura e, a cor arroxeada dos ramos e verso das folhas se acentua. Em condições de pouca luz, desenvolve-se mais esparsa e pode não desenvolver a cor arroxeada.

Multiplica-se facilmente por estacas maduras produzidas pela ramagem, postos a enraizar em solo leve e mantido úmido. Também pode ser multiplicada por mergulhia.

(Gypsophila paniculata

Adubação e umidade
O substrato de cultivo deve ser rico em matéria orgânica. Utilizar húmus de minhoca misturado com composto orgânico em partes iguais. Acrescentar adubo granulado NPK formulação 10-10-10, cerca de uma colher de sopa por vaso. Plantar a muda, tomando cuidado para não quebrar os talos frágeis e regar a seguir.

A cada 4 meses, proceder à adubação de reposição de nutrientes. Dissolver uma colher de sopa da medida que acompanha a caixa de adubo em 2 litros de água em temperatura ambiente, pode usar uma garrafa de refrigerante descartável. Sacudir bem para dissolver o adubo na água. Usar 1 copo pequeno desta mistura por vaso.

As condições de umidade facilitam o aparecimento de doenças. Use sempre quantidades adequadas de água e nutrientes. Entre estes, o potássio reforça ligeiramente o crescimento da planta e aumenta a resistência aos organismos patogênicos.

Dicas e curiosidades
* A umidade deverá ser leve, mas regar frequente;

* Muito interessante para ambientes internos com boa iluminação, forma densa cortina pendente. Para canteiros em jardins sem sol, como forração também forma denso tapete.  Poderá consorciar com plantas do tipo helicônias ou lírio-da-paz;

* Muito utilizada como flor de corte, embelezando buquês de rosas e de flores do campo. No paisagismo, cria lindos efeitos quando misturado com outras plantas de flores pequenas, em maciços e bordaduras;

* Delicadas e numerosas florzinhas brancas é a característica principal do mosquitinho. Da família dos cravos, esta planta é muito utilizada como flor de corte, embelezando buquês de rosas e de flores do campo, principalmente.

(Gypsophila paniculata_11

No paisagismo, cria um excelente efeito misturado com outras plantas de flores pequenas, em maciços e bordaduras, criando um ótimo efeito campestre;

* Devem ser cultivado a pleno sol, em solo fértil composto de terra de jardim e terra vegetal, drenável. Exige ainda regas regulares e reforma anual dos canteiros. Aprecia o clima frio e floresce no final do inverno e na primavera. Multiplica-se por sementes;

* Corte as hastes das gypsophilas sobre uma tábua, retire o excesso de folhas e mergulhe as hastes em água morna antes de confeccionar o arranjo. Para conservá-las por mais tempo, troque a água regularmente, evitando o odor desagradável e o apodrecimento das hastes;

* Mantenha o jardim sempre limpo. Materiais deteriorados, folhas e plantas mortas podem causar infecções às espécies sadias. Um plantio cuidadoso garante a saúde do seu jardim.

casinhanolago

áster-azul

Além de ser conhecida como áster, essa flor também é chamada de áster-da-china e além desses, também pode ser conhecida por outros nomes como rainha-do-mercado, rainha-margarida, sécia e outros.

A família a que pertence a áster é a Asteraceae e é originária da Ásia – Japão e China. A melhor luminosidade para essa flor é a meia sombra ou mesmo o sol pleno, porém, com uma exposição controlada. O clima que a áster prefere para florescer é o mediterrâneo, oceânico, subtropical, temperado e tropical.

A áster é uma flor que tem periodicidade anual e sua floração é do tipo ornamental, uma das suas principais características é os seus tons de aquarela. Bastante indicada para arranjos e também jardins.

Trata-se de uma planta que precisa de sol pleno para poder crescer de forma saudável. O cultivo deve contar, além de sol pleno, com solo fértil. É importante também que o solo seja drenável e enriquecido com matéria orgânica. A irrigação deve ser constante, mas sem o encharcamento.

Se a região em que você mora é muito quente é interessante cultivar as flores Áster na meia sombra. O sol forte do meio dia, por exemplo, pode ser prejudicial a essa planta. Outra dica muito importante em relação as sementes de áster é que você deve plantá-las já no local definitivo, pois elas são muito sensíveis ao transplante.

No caso de plantar em sementeiras, tenha muito cuidado na hora de fazer o transplante para que a planta não sinta. A planta floresce no verão e outono e as cores dessas belas flores são branco, azul, vermelha, roxa e rosa. A altura pode ficar entre 30 cm e 40 cm.

aster-callistephus-chinensis

Como plantar
Seguindo essas dicas é mais fácil obter bons resultados após plantar as sementes:
Passo a Passo
Passo 1
Comece plantando numa sementeira de 4 a 5 sementes por célula. A profundidade deve ficar em torno de 0,5 cm da superfície.

Passo 2
É bastante importante irrigar as suas sementes, mas fique atento para o fato de que os melhores horários para fazer essa irrigação são no começo e no final do dia.

Passo 3
Espere em torno de 4 a 14 dias para que sementes germinem.

Callistephus chinensis

Passo 4
Na hora de fazer o transporte da planta da sementeira, a altura indicada é 6 cm a 8 cm de terra.

Passo 5
Fique atento também para a adubação do solo para onde as plantas serão transportadas. A proporção da adubação deve ser mais ou menos de 30 gr de NPK para cada 150 gr de esterco, isso por metro quadrado.

Passo 6
Observe também a distância entre as valas, pois se trata de um ponto muito importante também na hora de plantar as sementes de áster. A distância entre as valas deve ser de mais ou menos 40 cm e entre uma planta e outra deve ser de 30 cm.

astermix

O colorido da Áster
Todos que gostam da áster, identifica nessa planta uma característica que a torna especial, os seus tons de aquarela. O caule dessa planta é ereto e a sua textura é herbácea.

Além de lindas flores, a áster também conta com folhas bem interessantes, pois as mesmas são irregularmente dentadas, verdes e espatuladas. As inflorescências são do tipo capítulo, grandes e possuem um disco central amarelo. As pétalas são dispostas em fileira.

Porém, atualmente é possível observar algumas transformações nesse tipo de flor, pois as suas inflorescências são dobradas e bastante cheias. Sem contar que se tornaram esféricas também com o passar do tempo. Esse tipo de modificação é mais observada na Áster mais atual.

Contar com a áster no jardim pode ser ótimo para quem deseja criar um visual mais repleto de cores e formas. Não é uma planta difícil de manter, o que também contribui para a sua popularidade. As flores com a forma de pompom podem ser um ótimo atrativo para o seu jardim.

Se preferir, o áster também pode ser plantado em vasos e jardineiras, facilitando que as suas plantas sejam colhidas. Os arranjos florais feitos com as flores de Áster são bem interessantes e diferenciados.

Callistephus chinensisbranca

Atente para o fertilizante
Um erro bastante comum cometido pelas pessoas que desejam cultivar áster é a medida do fertilizante. Acima já foi explicado qual é a proporção correta, porém, também é importante enfatizar que quanto há fertilizante demais a planta fica fraca e também exposta a doenças e pragas.

Além disso, é necessário que haja um cuidado bastante próximo para que as plantas Áster de maior comprimento não quebrem durante o seu crescimento. Trata-se de uma planta bastante sensível, mas que tem como resultado de sua floração belas flores.

Quando comprar sementes de Áster
O fato da planta ser bastante comum e popular facilita bastante na hora de encontrar as suas sementes para comprar. Atualmente, existem diversos portais na internet que se destinam apenas a venda de sementes.

Porém, nem precisa comprar na internet, pois em várias lojas de artigos de jardinagem é possível encontrar as sementes de áster.

O mais importante é comprar de um lugar de confiança para ter a certeza de estar comprando sementes de qualidade. Contar com boas sementes também é importante para se obter uma planta forte e que cresça e floresça. Se você escolheu o áster para o seu jardim, fez uma ótima escolha. As belas flores em forma de pompom e tons de aquarela.

natureza nn

Begonia Semperflorens

As Begônias são plantas da família Begoniaceae, existindo apenas uma ou outra espécie de origem havaiana, a única representante do gênero Hillebrandia, que não pertence a este gênero.

Características da planta
De forma geral são consideradas plantas ornamentais de folhagens muito características e ocasionalmente flores atraentes. Algumas estimativas dizem que existem mais de 1000 espécies de begônias.

As begônias são localizadas principalmente na América do Sul, em locais onde existem florestas úmidas ou mesmo nichos de umidades das savanas, com muitas espécies consideradas epífitas ou rupícolas apesar de a maior parte delas ser terrestre.

Em alguns exemplares é possível se encontrar tubérculos subterrâneos que as mantêm vivas por muito tempo, apesar da parte aérea normalmente parecer no fim de cada ciclo anual. As que são chamadas de begônias tuberosas são bastante apreciadas por serem plantas duradouras e que poderão ser armazenadas em forma de tubérculos fora da terra durante algum tempo para que possa rebrotar na época apropriada.

begoniacerosa

Outros exemplares de begônias, mesmo sem tubérculos, poderão se tornar espécies bastante longevas, sobrevivendo assim por várias décadas mantendo o seu viço. Quase que todas as espécies de propagam por meio dos rizomas.

A maior parte das begônias conta com caules aéreos herbáceos, e é cultivada como erva. Apesar disto outras espécies como a “begônia-asa-de-anjo” (Begoniacoccinea) e “begônia-metálica” (Begoniaaconitifolia), costumam se desenvolver através de caules eretos e consistentes podendo alcançar muitas vezes até 1,5 m de altura.

As folhas das begônias são certamente seu maior atrativo. Possuem uma forma uniforme, incomum e usualmente coloridas. São bastante visadas para canteiros sombreados onde as espécies mais apropriadas contam com uma folhagem de cor verde escura. De todas estas espécies, a que mais se destaca neste aspecto é a begônia-rex, que possui suas folhas enormes em cores que variam desde o bronze ao rosado ou mesmo vermelho.

É possível se encontrar algumas delas prateadas ou brancas, com pintas, estrias e manchas de cores que sejam alternadas. Outras espécies como, por exemplo, a begônia-cruz-de-ferro e a begônia-preta também se destacam por ter sua folhagem ornamental.

As flores das begônias costumam ser diminutas e ornamentadas por brácteas brancas ou mesmo coloridas, que se tornam seu principal atrativo. A maior parte das espécies possui brácteas pequenas ou mesmo de colorido pálido que em um contraste com a folhagem costumam perder o seu valor.

BegoniaSemperflorens700

Apesar disto certas espécies como, por exemplo, a Begoniaelatios, Begoniacucullata e Begonia tuberosa certamente são procuradas por suas folhas coloridas, que variam do branco ao vermelho. Nas espécies B. elatior e B. tuberosa suas flores são especialmente grandes e como o resultado de repetidos cruzamentos se apresentam com algo semelhante a rosas. As espécies que são cultivadas por suas flores apreciam a luz do sol.

Os métodos para cultivo variam de espécie para espécie. Uma identificação precisa poderá auxiliar nestes tipos de conhecimento, pois ajudam a determinar se esta planta pertence a uma espécie terrestre, epífita ou mesmo rupícola. De forma geral, são cultivadas em solos orgânicos, que são bem drenados e protegidas da luz do sol direta bem com ocorrentes de ar, devem ser irrigadas com frequências.

Conheça a seguir um pouco mais sobre a Begônia cerosa
As begônias são muito delicadas e suculentas e saíram de seus vasos para invadir os jardins. Altamente variadas com flores brancas, rosas e vermelhas, além de folhas verdes e avermelhadas disponíveis no comércio.

As sementes de Begônia cerosa híbridas de jardim são bastante delicadas e suculentas, seu mix de sementes cria variedades de flores com coloração sortida. São bastante rústicas e floríferas, podendo compor belos maciços e bordaduras durante o ano inteiro, são excelentes para o cultivo em vasos e jardineiras.

begonia cerosa

Devem ser cultivadas através de tratamentos em sol pleno ou meia sombra, em substrato que seja rico de matérias orgânicas com regas regulares. Com o tempo costumam perder o vigor e precisam ser trocadas anualmente. O cultivo deve acontecer com matéria orgânica e ainda ser irrigado regularmente, germinando as sementes o ano todo.

Vale lembrar que as pessoas que estão pretendendo ter uma criação de flores como a begônia em casa deverão realmente ficar atentas as particularidades de criação delas, visto que se trata de uma planta realmente muito delicada e que precisa de cuidados específicos.

Se você deixá-la no meio de uma área aberta, como outras plantas, ela só vai dar certo se realmente encontrar as condições próprias em termos de terreno e clima, o que se torna improvável se a pessoa não preparar estas condições antecipadamente.

sol entre nuvens