Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Flores e Folhagens’

Anemona (1)

São flores originárias da zona mediterrânea, ao sul da Europa, porém consideradas universais pelo fato de serem cultivadas em diversos lugares do planeta, encontradas em uma escala bem variada de cores sendo que as amarelas são mais incomuns. Multiplicam-se rapidamente. São plantas tóxicas e devemos ter cuidado com crianças e animais de estimação.

As anêmonas são populares por seu colorido que imprime os primeiros sinais de primavera.

Apesar da aparência delicada, a anêmona é bem resistente e, se manuseada adequadamente, pode durar até uma semana. É uma planta rústica, resistente à pragas e doenças, resistentes ao frio, mas sensível à geadas

anêmona12

A flores se erguem em pedúnculos com cerca de 10 a 30 cm de altura, podendo atingir 8 cm de diâmetro, com cinco a oito pétalas ovais, ou até mesmo sem pétalas. São flores sensíveis ao vento e se abre assim que o sente soprar.

Florescem em toda a primavera e no início do verão. A época ideal para plantar anêmonas é entre o meio e o final do outono.

São plantas de clima temperado. Devem ser cultivadas sob sol e meia-sombra, precisando de luz direta do sol pela manhã e meia-sombra durante a tarde.

Existem anêmonas com flores na cor roxa, flores cor lilás, flores púrpura, flores de cor vermelha e no conjunto entre o branco e o azul. São muitas as tonalidades destas flores, o que dificulta o conhecimento de todas.

Os bulbos devem ser plantados a uma profundidade de 6 cm, mantendo a distancia de um para o outro de 15 cm em um substrato rico em matéria orgânica, tendo um vaso bem drenado.

Anemona lilás

Mistura para solo para vaso ou canteiro
A anêmona necessita de uma mistura de solo rica em matéria orgânica.
- 1 parte de terra comum de jardim;

- 1 parte de terra vegetal;

- 2 partes de composto orgânico

Como montar um vaso para receber a Anêmona
1 – Adicione argila expandida ou brita no fundo do vaso;

2 – Em cima da argila expandida acrescente a manta de bidim ou manta de poliéster para filtrar a água e evitar que a terra se infiltre por entre as bolinhas da argila (ou pedras), entupindo o dreno;

3 – Adicione o solo rico em matéria orgânica como informado acima e a 6 cm de profundidade plante os bulbos da anêmona com os brotos voltados para cima, sem enterrá-los completamente. Caso você tenha sementes também deve plantá-la a 6 cm de profundidade.

4 – Não esqueça de deixar um espaço de 15 cm para o crescimento de cada bulbo ou semente.

5 – Para dar acabamento ao vaso e também para evitar que ervas daninhas apareçam adicione casas de árvores.

anemona

Adubação para a Anêmona
Após o plantio e assim que começar a floração espalhe um fertilizante a base de potássio e fósforo, mas com nível de nitrogênio baixo para conter a formação de folhagem verde e a proliferação de fungos. É recomendado o uso de farinha de ossos e de superfosfato.

Manutenção da Anêmona
O solo deve estar sempre úmido, mas nunca encharcado. Regue todos os dias, ou um dia sim outro não.

chafaris

calceolaria-mix

Calceolária é um gênero botânico pertencente à família Calceolariaceae, formada por ervas ou arbustos geralmente com opostos, folhas serrilhadas e encontrada na América do Sul, Peru e Chile.

É uma planta perene, sendo bastante cultivada em diversas partes do mundo como uma planta de vaso. Como aparência ela conta com seu caule um pouco ramificado, e possui texturas herbáceas além de ser de pequeno porte, chegando a no máximo 30 cm de altura.

As inflorescências se apresentam de forma reta e ramificada, sendo assim compostas por várias flores amarelas, vermelhas e também alaranjadas, além de se contar com uma mistura destas cores e seus pontilhados marrons.

É uma flor que possui um formato muito singular, que conta com uma pétala inferior inflada que tem um formato bastante semelhante a o de uma pequena bolsa. É conhecida popularmente como Chinelinho-de-madame, Sapatinho-de-vênus e Tamanquinho.

A sua floração se estende pelo inverno e pela primavera. Em sua utilização atual é possível encontrar diversos exemplares desta planta na produção de decorações de interiores, vasos e ainda floreiras durante o período de floração.

Seu cultivo deve ser à meia sombra, ou mesmo em iluminação difusa, contando com um substrato fértil bem drenável, este que deverá ser enriquecido com matéria orgânica, com adubações regulares e também as irrigações frequentes.

Calceolaria x herbeohybrida amarela

Aprecia muito o clima ameno, podendo ser muitas vezes aproveitada em serviços de jardinagem e em locais que possuam clima subtropical e tropical de altitude. É uma planta considerada muito adequada para a formação de bordaduras e maciços de renovação anual.

Nos locais onde existe clima temperado poderá ser plantada em estufas e protegidas do frio intenso. Apesar da planta se perene ela é tratada como uma planta anual. Costuma ter a sua multiplicação por sementes que germinam em 10 dias.

Solo para plantio
A espécie exige um solo que seja rico em matéria orgânica, em uma mistura recomendada da seguinte forma, uma parte de terra comum de jardim e uma parte de terra vegetal além de duas partes de compostos orgânicos.

Seu cultivo deve acontecer sempre em locais de clima ameno, como citado acima, caso os climas da região de cultivo sejam intensos, tanto para o frio como para o calor, as plantas deverão ser cultivadas em estufas.

Devem, além disso, serem cultivadas á sombra já que não suportam sol diretamente mas é preciso que recebam diariamente pelo menos 3 horas diárias de luz do sol indireta para que fiquem saudáveis.

Quanto as suas regas esta é uma planta que gosta de água, porém de um solo que não esteja encharcado. A planta ainda poderá ser regada em média duas vezes por semana e caso você não consiga não existe problema nisso, pois ela aguenta uma rega semanal eventualmente. É recomendado também sempre se tomar muito cuidado na hora de regar as plantas para que não se molhe as flores e a base das folhas.

Calceolaria x herbeohybrida

Suas flores começam a surgir no final do inverno e também durante a primavera, nesta época inclusive é possível se encontrar á venda vasos de plantas de cores diversificadas que vão desde o amarelo-creme ao vermelho intenso ou ainda mesclando diversas cores, com manchas marrons de vários tamanhos.

Esta é uma planta bastante resistente as pragas e doenças, mas como é uma planta anual precisa que aconteça um replantio todos os anos para que ela possa viver bem e saudável.

Toda a saúde e vivacidade de um jardim bem como as suas flores e plantas coloridas dependem de uma série de fatores que vão além de quantidades corretas de água e também sol.

Todos os jardineiros costumam ter alguns truques e por isso os jardins que são tratados por eles são lindíssimos, e por isso a seguir iremos reunir algumas das melhores dicas para que se mantenha um jardim impecável e de quebra dar um pouco de inveja para os seus vizinhos.

A Calceolária é uma flor de origem na que podem medir até 30 centímetros de altura. Essas flores preferem clima ameno e gostam de solo rico em matéria orgânica.

folhasaovento

Cordyline_terminalis_

A Cordiline, como assim é chamada popularmente, é uma planta da família Laxmanniaceae, sua origem é asiática, com ocorrência na Índia, Malásia Oceania e Polinésia.

Trata-se de um arbusto que já conquistou os jardins tropicais e hoje podemos encontrar muitas variedades, além da vermelha original. Todas, do gênero, apresentam, no entanto, folhas grandes, largas e com textura coriácea e inflorescência terminal de baixa importância ornamental.

Podemos encontrar a cordiline arroxeadas, róseas, esbranquiçadas, verdes, variegadas, manchadas e listradas em diversas combinações.

inflorescência Cordyline terminalis
Muitos a plantam em vasos e cachepôs, principalmente a variedade tradicional, vermelha, que é justamente a mais sensível ao sol, sendo indicada para ambientes a meia-sombra.

Graças a cruzamentos, naturais ou artificiais, há espécies com folhas arroxeadas, variegadas, e com diversos tons listrados. Ela é perfeita em composições maciças exclusivas e em conjunto com outros arbustos verdes e floridos, além de muros e delimitações arquitetônicas, quase uma cerca-viva.

As versões coloridas das cordilines são resistentes a sol pleno. Em comum, a preferência por solos férteis, uma boa opção de fertilização é o uso de esterco de aves em conjunto com húmus e com boa drenagem, pois apesar de as regas precisarem ser constantes, ela não tolera encharcamento, pois pode comprometer as raízes.

Cordyline terminalis

Podem ser cultivadas isoladas em vasos e formando maciços, conjuntos e bordaduras no jardim, principalmente junto a muros. Devem ser cultivadas a pleno sol ou meia-sombra, em solo fértil e rico em matéria orgânica.

É uma planta que tolera muito bem o frio e multiplica-se por estacas e mais raramente por sementes.

Dependendo das condições de clima e solo, a cordiline pode atingir até 2 m de altura. O caule escuro e maleável, porém resistente, retém a memória das folhas que caíram.

Dicas para cultivo:
Cultive sob meia sombra;
Realize mudas através da separação de brotos que nascem entorno da planta mãe;
Regue uma vez na semana;
Adube com fertilizante NPK na formulação 10-10-10;
Realize limpeza da planta retirando folhas velhas no inicio do outono.

Seguindo estas dicas e cuidados sua cordyline terminalis se manterá com boa aparência e livre de doenças e pragas, trazendo vida e colorido para o ambiente.

Paraiso_1438

calathea_louisae

A Calathea zebrina é um gênero de plantas da família Marantaceae e possui cerca de 25 espécies.

É uma planta herbácea rizomatosa de porte maior que a maioria das plantas desta família, pode atingir mais de 1,0 m de altura.

Nativa da América Tropical, principalmente do Brasil e Peru, são populares como plantas de interior.

Possui folhas grandes muito bonitas, arredondadas, de consistência coriácea, diferentes das outras plantas, com cores alternadas em verde e roxo e em vários outros tons.

A cor da página superior é verde intenso com máculas listradas em verde escuro com aparência aveludada.

As flores são pequenas de cor arroxeadas e inseridas em inflorescência do tipo espiga e surgem entre as folhas, na base da planta, podendo passar despercebidas quando a planta está em estágio adulto com muitas folhas.

É uma planta que necessita de luz direta, mas sem sol, não resiste a temperaturas abaixo de 18°C e precisa de uma atmosfera úmida. Portanto, se você tem uma Calathea em casa borrife água duas vezes por semana no verão ou mais, e uma no inverno, se não for possível, coloque a planta em pedras molhadas.

Calathea-Louisae

Os principais cuidados que você deve ter com a sua Calathea são: Irrigação regular, de modo que o solo fique constantemente úmido, mas não encharcado; Cuidado com as correntes de ar frio no inverno; Fertilizar a cada duas semanas na primavera e verão.

O substrato de cultivo deve ter bom teor de matéria orgânica.
Prepare o canteiro retirando plantas mortas e inços. Adicione cerca de 1 kg/m2 de adubo animal de curral bem curtido ou cama de galinheiro, metade deste peso.
Misture composto orgânico de folhas e incorpore ao solo do canteiro.

Para solos compactados do tipo argiloso adicione também areia para maior permeabilidade.

Abra um buraco do tamanho do torrão, acondicione a planta e complete com terra apertando de leve a muda para ficar ao solo.

Regue após o plantio e realize regas frequentes durante as estações quentes e secas, diminuindo nos períodos de chuva e no inverno.

CalatheaLouisae

As adubações anuais de cobertura podem ser feitas com o mesmo tipo de substrato recomendado para plantio.

Para mudas cultivadas em vasos em interiores não é recomendado o uso de adubo animal, devendo ser substituído por adubo granulado NPK formulação 10-10-10, numa proporção de 100 gramas por vaso no plantio.

Para adubação de reposição de nutrientes recomenda-se 1 colher de sopa em 2 litros de água, regando um dia antes o substrato.
Coloque 1 copo da mistura de água e nutrientes dissolvidos a cada 3 meses.

A propagação desta planta é feita através da divisão de touceiras, por filhotes que surgem junto da planta-mãe.

Retire com cuidado um pedaço do rizoma levando pelo menos 2 a 3 folhas junto.
Plante da mesma forma que foi recomendado para a muda, não esquecendo de regar e manter em cultivo longe do sol.

A planta-zebra é excelente para áreas sombreadas por muros, edificações e jardineiras em entradas de condomínios e empresas.

LANDSCAPE2708A35

CelosiaCristata

A Crista-de-galo é uma planta da família Amaranthaceae e originária da Ásia. É uma planta de origem tropical, e suas folhas e flores podem ser utilizadas como verdura em vários países da Ásia, América do Sul e África.

Seu nome popular se deve pelo fato de as inflorescências muito macias, dobradas e brilhantes, com a textura do veludo, se parecer com a crista de um galo. Diz-se ainda que tem o aspecto de cérebro. É considerada flor de corte utilizada em arranjos florais.

As flores geralmente são vermelhas, amarelas, rosas ou laranjas, mas podem ser encontradas em outras cores também. Em alguns casos, uma variedade de cores está presentes em híbridos. A folhagem é ereta, verdes ou bronze-amarronzado, dependendo do tipo de cultivo.

Existem variedades anãs, que são muito adequadas para a composição de bordaduras e grandes maciços. Ela cresce bem tanto em condições úmidas quanto áridas, e as suas flores podem durar até oito semanas.

celosia-cristata

celosiacristata1

celosiacristatapink

Um elevado número de sementes pode ser produzido por cada flor, chegando a até 43 mil por cada. A planta cresce muitas vezes até 1 m de altura, embora haja algumas que são menores.

A crista-de-galo exige solo fértil e enriquecido com matéria orgânica, regas frequentes e sol pleno. Seu crescimento deve ser nos meses quentes para que floresça adequadamente.

O frio durante os primeiros meses após o plantio pode provocar a floração prematura e diminui o desempenho da planta.

A planta é tolerante ao frio subtropical e à meia-sombra e sua multiplica-se facilmente por sementes, que podem ser semeadas no decorrer do ano todo, principalmente no verão.

janelabuterflay

Phlox_divaricata_1

A flox é originária da América do Norte – Estados Unidos e pertencente à família Polemoniaceae.

Trata-se de uma planta perene, com cerca de 30 cm de altura e apresenta uma ramagem densa, macia e folhas verdes. As suas flores surgem em pequenos buquês, podendo ser de diversas cores e formas, principalmente brancas, azuis, roxas, vermelhas ou róseas, com mesclas entre estas cores, com misturas entre essas mesmas cores.

As flores ainda podem ser simples ou dobradas, de pétalas estreitas ou largas, lisas ou franjadas, de acordo com a variedade. A floração inicia-se no final do inverno, atingindo seu auge na primavera e se estende pelo verão. São muito atrativas para as borboletas.

Phlox_1

A flox é assim uma das plantas mais apreciadas por todos os jardineiros, graças às cores que apresenta, mas também por ser uma planta de fácil cultivo e de pequeno porte. A sua utilização é muito apropriada para um canteiro, vaso ou varanda e transforma por completo um espaço exterior.

É uma flor silvestre fragrante do verão que realça qualquer jardim. Algumas variedades, como a flox rastejante e a musgoso, crescem próximo ao solo e são frequentemente utilizadas como cobertura de solos.

Outras, como a flox de jardim e de prado, produzem plantas mais altas comumente cultivadas em jardins, bordas e canteiros. Escolha a variedade adequada para o espaço do seu jardim e aprecie suas lindas flores em forma de estrela durante todo o verão.

Phlox_paniculata_(bicolor_cultivar)_01

Plantio da flox
Todas as espécies de flox produzem flores em uma grande variedade de cores incluindo branco, rosa, vermelho, lavanda e azul. Variedades diferentes atendem a necessidades diferentes no jardim. Faça uma pesquisa para decidir qual é a melhor para cultivar em sua região.

Compre plantas flox em vasos vendidos em centros de jardinagem ou em viveiros para transplantar a qualquer momento durante a estação de crescimento.

O centro de jardinagem da sua região ou viveiro poderão lhe aconselhar sobre quais espécies se desenvolvem melhor em sua área.
* A flox de jardim e a de prado são perfeitas para beiras de jardim, visto que elas atingem uma boa altura e largura;
* As variedades de flox mais baixas são perfeitas para usar como uma cobertura de solo em áreas sombreadas, principalmente porque muitas são resistentes a mofo;
* Também é possível comprar plantas de raízes expostas de uma empresa que faz entregas via correio, mas essas plantas são melhor plantadas na primavera.

flox

Elas são resistentes, requerem poucos cuidados e se desenvolvem bem na maioria dos locais. A maioria das variedades prefere locais ensolarados, mas algumas toleram sombra parcial ou filtrada.

Encontre um local adequado para a variedade que você escolheu.
* A flox cultivada em sombra costuma produzir menos flores. Elas também têm um risco maior de contrair doenças, portanto se você escolher plantar a flox na sombra, procure uma variedade que seja resistente a mofo.

A planta precisa de muita umidade para sobreviver, mas ela não precisa ser encharcada com água. Para certificar-se de que seu solo tem boa drenagem, observe-o após uma chuva forte. Se você vir água parada e poças, não tem boa drenagem. Se a área estiver úmida, mas não encharcada, deve ser bom para o cultivo da flox.

Phlox_Paniculata

phlox-paniculata-blue-paradise

O solo deve ser fértil, por isso é necessário adicionar um pouco de adubo para garantir que cresçam saudáveis e fortes. Are o solo a uma profundidade de 30 cm e corrija-o com adubo orgânico ou turfa.

Cave buracos de 15 cm a 60 cm de distância, dependendo da espécie que você estiver cultivando. Separe as variedades de flox menores de 15 cm a 30 cm de distância umas das outras.

Separe espécies maiores a 30 cm a 60 cm de distância umas das outras. Os buracos devem ter duas vezes a largura do conjunto de raiz das plantas.
Coloque as plantas nos buracos e bata o solo ao redor de suas bases. Regue-a após plantá-la.

Phlox_pilosa_jdp

Mantenha-as bem regadas durante a época de crescimento; se a terra secar, ela enfraquecerá. Regue na base da planta e não por cima dela. Evite umedecer suas folhas para reduzir as chances de formação de mofo e bolor nelas.

Adube as plantas, usando um fertilizante bem equilibrado, por exemplo, de composição 10-10-10, o qual contém 10% de nitrogênio, 10% de fosfato e 10% de potassa. Repita a aplicação do adubo quando as plantas estiverem florescendo. Nos anos subsequentes, adicione adubo ao redor das plantas a cada primavera.

Adicione húmus à área ao redor das plantas no início do verão. Faça isso quando o clima começar a esquentar. O húmus ajuda a manter o solo úmido e fresco e a controlar as ervas daninha. Adicione húmus fresco na flox ao menos uma vez por ano.

Com variedades altas, corte os caules deixando cinco a sete em cada planta. Essa poda intensifica a circulação de ar, aumentando as flores e reduzindo as chances de doenças.

Corte as pontas dos brotos dos caules restantes para desacelerar o crescimento e estimular o crescimento de caules mais abaixo na planta.
* Se você estiver cultivando uma espécie alta de flox, comece quando elas tiverem cerca de 15 cm de altura.

As espécies mais curtas que não estiverem sendo cultivadas como cobertura de solo também podem ser podadas quando tiverem de 10 cm a 15 cm de altura.

Os grupos de flores mortas das plantas devem ser removidas quando o florescimento estiver completo. Algumas variedades florescerão outra vez se você podar as flores murchas.

Procure dividir as plantas a cada três a cinco anos para propaga-las e prevenir aglomeração. Cave toda a planta e retire-a do solo para que você possa ver a estrutura da raiz.

Corte pedaços com brotos e botões da parte externa dos grupos da planta. Se a parte interna do grupo tiver ficado lenhosa, corte e descarte as partes lenhosas. Replante um pedaço da planta original de volta no buraco. Plante os outros pedaços em outros buracos.

janela pássaro

Verbena Candy Cane

As plantas são também essenciais para a saúde do nosso planeta já que é a partir dela, que o oxigênio tão essencial para a nossa respiração é gerado.

Por ser uma atividade muito prazerosa, muitas pessoas iniciam-se na prática da jardinagem e se apaixonam completamente, porém sempre existem aquelas plantas que sabemos pouco a respeito e acabam por não florescer.

Então vamos falar das Verbenas e conhecê-la mais sobre essas flores.

Possuidora de cerca de 120 espécies diferentes de herbáceas floríferas de pequeno porte, este gênero botânico é caracterizada por plantas de baixa estatura, grande resistência e floração abundante, somado isso com a grande variação de espécies similares que diferem entre si geralmente na cor e no formato das folhas.

As verbenas conquistaram uma posição de destaque entre plantas utilizadas para decorar pequenos ambientes, pois ficam boas tanto em vasos quanto em jardineiras ou formando moitas em jardins.

São flores pertencentes à família Verbenacea, mais comumente encontradas na América do Norte, América do Sul e na Europa e tem um poder medicinal muito conhecido, inclusive a maioria do seu cultivo é para uso terapêutico.

Verbena_Purple

Apesar de a flor tradicional ser na cor roxa, é possível encontrar a verbena em outras variações como o vermelho, o branco e o rosa. Sendo todas da mesma categoria, portanto, cultivadas da mesma forma.

Para aprender a cuidar das verbenas temos que começar a partir do zero, portanto, como plantar essa flor.

Verbena

Como já foi dito, essa planta é nativa do nosso continente, portanto para cultivos aqui no nosso país, já teremos muitas vantagens quanto à temperatura e solo.

Para isso pode-se fazer uma mistura entre o solo onde a planta será plantada com areia grossa e fertilizante orgânico. O ideal é que mantê-lo bem adubado para que as flores cresçam mais rapidamente. De tempos em tempos adicione um pouco de fertilizante químico NPK rico em fósforo para auxiliar a floração da verbena.

Mas atente para não adubar com excesso o solo. Quando falamos em deixar bem fertilizado, é apenas a dosagem para desenvolver as folhas e as flores de forma igual. Quando estiver adubando, procure sempre observar o crescimento das folhas e caso elas ultrapassem muito do tamanho das flores, já terá adubado o suficiente e está na hora de parar por um tempo.

Verbena Magenta

verbena-lpurple

As verbenas também ser plantadas em vasinhos decorativos ou diretamente ao solo, desde que este apresente condições favoráveis ao seu florescimento, caso contrário a planta pode até brotar os ramos, mas as flores não aparecerão.

Para plantar, teremos que fazer uma cova de no máximo entre 10 e 20 cm e colocará a semente ou muda. Como elas são bem resistentes ao sol, uma rega por dia é mais que o suficiente. Precisamos também deixar um espaçamento entre um pé e outro de pelo menos 20 cm para que elas se desenvolvam bem.

Caso sua planta após alguns anos comece a ficar pouco vistosa, pode ser necessário realizar um replantio, para isso cave um pouco, extraia as piores partes da planta e replante o resto.

Elas são flores que brotam durante o ano todo então se o desejo for,  rapidamente terá um tapete florido no jardim todo de verbena.

Verbena-Star

Verbena_11s

Nesse caso, é sempre bom preparar todo o solo mesmo nas áreas que ainda não receberão a planta, principalmente se ele não apresentar as condições apropriadas para o cultivo, pois como elas florescem rapidamente logo terá novas mudas para plantar.

A propagação pode ser por sementes ou por ramos do caule. Os entrenós das folhas enraízam facilmente e é uma das formas de propagar a planta, bastando enterrar um pedaço do ramo com 1 a 2 entrenós em areia ou  casca de arroz carbonizada.

Mantenha úmido este substrato até notar o desenvolvimento de folhas, quando então retira-se a planta com cuidado e planta-se em vaso ou recipiente com substrato preparado com composto orgânico vegetal e animal até o início de sua floração, quando então podemos levar para o canteiro já preparado.

janel14

Paeonia_lactiflora

A Peônia é uma planta herbácea, perene, pertencente à família Paeoniaceae, com altura aproximada de 60 a 75 cm.

São plantas com grandes e belíssimas flores perfumadas que encantam um jardim e sua origem é da Ásia, Sul da Europa e Oeste da América do Norte, sendo hoje cultivadas em todo o mundo.

O gênero Peônia compreende dezenas de espécies, de plantas herbáceas e arbustos.
Existem também diversas variedades resultantes de hibridizações e seleções de peônias, principalmente na China, onde ela é uma importante planta ornamental, sendo considerada, inclusive, como símbolo nacional.

As espécies que se encontram nos viveiros não são espécies botânicas, mas os híbridos e cultivares, obtidos a partir da intersecção de determinadas espécies de floração de peônias, são geralmente divididos em dois grupos principais: as peônias árvore e peônias herbáceas.

São plantas que possuem uma folhagem verde escura recortada, bonita e abundante. Possuem ramos semi-lenhosos que por vezes se desenvolvem a partir de rebentos que crescem na base da planta.

Os ramos laterais desenvolvem-se proporcionando uma largura que chega aos 20 a 30 cm. As raízes são grossas e tuberosas. As folhas são recortadas, de cor verde escura por cima e acinzentada por baixo, ovaladas e em número de nove em cada seção, cada uma com, pontas profundamente serrilhadas e pontiagudas.

Paeonia_suffruticosa_-_04

As suas flores são exuberantes e de cores e formas variadas. Surgem em cada ramo na primavera, em número variado e têm o feitio de uma taça com 8 a 12 cm de largura e 8 a 10 pétalas, podendo ter cor branca, rosa, vermelho ou salmão, com estames amarelos. Podem ser perfumadas ou não e quando atingem a maturidade, possuem uma cápsula na base que constitui o fruto onde as sementes se abrigam. Algumas flores têm pétalas dobradas.

Muitas variedades possuem uma mancha roxa na base de cada uma das pétalas, proporcionando um efeito deslumbrante. Existem imensos cultivares disponíveis no mercado, embora esta planta não seja muito fácil de encontrar nos viveiros mais conhecidos.

Quando as flores são muito grandes o caule pode ter tendência para dobrar, para ajudar a planta e proteger as flores, pode colocar-se um tutor no centro do aglomerado de folhas onde se encontram as flores maiores e mais pesadas.

Periodicamente deve-se retirar as flores desbotadas e murchas. A peônia é uma flor que pode ser cultivada quer em vasos quer em jardins.

Pode ser plantada individualmente ou formando conjuntos de várias cores, dando assim cor, graça e alegria ao local onde se encontram.
Culivo

Quando adquiridas com raiz as plantas devem ser plantadas com a cicatriz do enxerto abaixo da superfície uns 12 a 15 cm, para que as novas raízes possam se desenvolver com abundância. À medida que as flores murcham, deixe secar o cálice que contém as sementes, mas corte as folhas secas para que não atraiam fungos.

Estas plantas necessitam de sol direto ou quando muito, sombra parcial. Nos climas muito quentes, prefere alguma sombra nas horas de maior calor.

peônia

As peônias gostam de solo fértil, úmido, mas bem drenado. Exigem água em abundância no período inicial de crescimento e devem ser fertilizadas no início da primavera, para que as flores possam ser grandes e em abundância. Toleram solos mais calcários.

Dão-se bem em zonas de clima continental moderado. Esta herbácea perene desaparece completamente no inverno e regressa de novo no início da primavera, necessitando de um período frio para voltar a emergir e florir de novo.

Durante o período de frio dão-se bem com temperaturas abaixo dos 4,4º C por cerca de até dois meses.

Enquanto estão dormentes gostam mais do tempo frio do que quente, razão pela qual elas nem sempre dão flor e podem ser atacadas por fungos, justamente por causa do calor e da umidade. Por outro lado, nas regiões muito frias, deve cobrir-se o solo com folhas ou aparas de pinheiro junto ao caule, para proporcionar proteção às raízes.

A reprodução faz-se por semente, mas este processo leva 2 ou 3 anos a dar resultados que nem sempre correspondem à planta de onde as sementes provieram, por se tratar de cultivares.

Peônia 03

A melhor maneira de propagar peônias é dividindo as raízes tuberosas e replantar as divisões durante o tempo frio, nunca antes de o inverno começar. Os chamados “olhos” devem ser plantados a uma profundidade de 5 cm, para que a planta não deixe de dar flor.

Na primavera, as estacas retiradas dos caules mais tenros e que se encontram em crescimento, fertilizadas com um pó próprio para esse fim, depois plantadas em solo meio úmido, desenvolvem-se bem, se não no primeiro ano, logo no segundo ano.

As peônias são plantas de manutenção fácil, vivem anos seguidos (podem ir até aos 50) e são ideais para crescer misturadas em sebes, junto a arbustos ou em canteiros com plantas perenes variadas.

Nas flores para colocar em jarra, deve escolher-se um botão quando este começar a abrir e mantê-lo em local seco e fresco durante as primeiras 24 horas, sem água; depois, corta-se 1 cm da base no pé, antes de colocar a flor em água. Há mais de 2.000 anos várias partes desta planta eram utilizadas para fins medicinais tanto na Ásia como na Europa, existindo hoje em dia pesquisas variadas a partir dos extratos retirados desta planta para utilização em medicina.

Alerta: Aparentemente todas as partes desta planta são ligeiramente tóxicas e não devem ser ingeridas sob nenhuma forma.

janel354

flores-dalias
As Dálias são flores de aparência suave e elegante, sendo perfeitas para enfeitar o jardim ou decorações de ambientes. Pertencem à família das Asteraceaes, tendo características bulbosas, pétalas volumosas e de tamanho pequeno.

As Dálias são belas plantas perenes que são fáceis de cultivar. Existem 32 espécies diferentes, e elas têm uma ampla variedade de cores. A maioria das pessoas planta dálias a partir de tubérculos.

Essa linda flor foi encontrada pela primeira vez na América do Norte, mais especificamente no México, o que a faz se adaptar com maior facilidade em climas Tropical, Subtropical, Temperado e Equatorial, precisando de sol pleno para se desenvolver. A flor pode alcançar de 40 a 60 cm de altura, devendo ser plantada em um local espaçoso.

Você pode ver dálias nos jardins em torno das casas, parques, hospitais, bancos e outras empresas. Se você quiser se aventurar no paisagismo, considere cultivar dálias. Elas podem ser plantadas durante todo o ano, pois florescem em qualquer época. Porém, o que vai determinar a qualidade do caule e das pétalas que nascerão são os cuidados que a planta recebe.

dalias-1
As Dálias não requerem cuidados especiais, uma vez que não fazem mal à saúde dos seres humanos e animais.

Como cultivá-las
*
Determine quais das variedades de dália você gostaria de cultivar. As plantas variam de 30,48 cm a 2,44 m de altura.

* Selecione um local para plantar as dálias.
Você pode adicionar as plantas a um jardim já existente ou criar um jardim de dálias.
Deve ser cultivada em um local em que o solo seja rico em nutriente, além disso, a incidência de sol deve ser constante, pois ela precisa de luminosidade para se desenvolver.

A Dália também pode ser plantada em vasos, mas eles devem ter mais de 15 cm de profundidade, permitindo que ela cresça sem impedimentos. É indicado adicionar compostos orgânicos na terra para renovar os nutrientes.
Em regiões onde o vento é forte é recomendado instalar pequenas proteções, pois a estrutura da planta é sensível.

* Prepare o seu solo para o cultivo de dálias.
Use uma pá para adicionar fertilizante de batata em seu jardim algumas semanas antes de plantar as dálias.
Adicione areia ao seu solo para melhorar a drenagem do seu jardim.
misture musgo ou composto em jardins de solo argiloso para descompactar o solo. Isso pode facilitar o plantio das dálias.

* Cave buracos para plantar as dálias.
Os furos devem ter de 10,16 a 15,25 cm de profundidade.
Deixe espaço suficiente entre as plantas para que as dálias não bloqueiem ou roubem os nutrientes umas das outras. Para dálias médias ou gigantes, deixe de 0,61 a 0,91 m de espaçamento entre os furos. Para as variedades menores, deixe 0,61 m de espaçamento entre os furos.

* Coloque composto, farinha de ossos e uma pequena quantidade de fertilizante em cada um dos buracos.

dalias-
* Plante as dálias nos buracos preparados. Certifique-se que o ponto de crescimento do tubérculo fique voltado para cima.

* Cubra cada tubérculo com terra e ague cada planta antes de ir para a próxima planta.

* Coloque estacas para as dálias se você estiver usando variedades mais altas. Você pode fazer isso enquanto planta ou adicionar estacas quando as plantas começarem a sair do solo.

* Regue as plantas com uma mistura de água e fertilizantes em pó. Fertilizantes podem ajudá-lo a cultivar dálias com uma aparência saudável.

* Incentive plantas fortes, apertando com os dedos a parte superior da dália, uma vez que ela tenha desenvolvido vários ramos de folhas espessas.

* Fertilize suas dálias semanalmente e regue-as com frequência para incentivar belas flores. Uma vez que as flores desabrochem, você pode molhar as dálias com menos frequência.

Dicas
- Se for o caso, espere para plantar dálias na época em que sua região estiver com baixa ameaça de geada.
- Você pode dividir tubérculos de dália na primavera ou no outono. Quando os “olhos” do tubérculo estiverem difíceis de ver, é melhor dividir as touceiras em metades ou quartos.
- Você pode armazenar tubérculos em uma caixa de papelão com uma tampa até a primavera. Colocando uma folha de jornal entre as camadas, armazene os tubérculos para o inverno em um lugar fresco e seco, como num porão.

flores45

santolina-chamaecyparissus

Planta herbácea pertencente à família Asteraceae e tem sua origem na Europa, mais precisamente na Zona do Mediterrâneo.

A Santolina é uma planta arbustiva, entouceirada e popularmente conhecida pelo seu aroma delicioso.

Apresenta porte baixo, alcançando de 30 a 90 cm de altura, com ramagem ramificada, formando moitas densas. As folhas são cinzentas, finamente divididas, aromáticas e pontiagudas, que lembram folhas de cipreste. As inflorescências são delicadas e assemelham-se a pequenos pompons de cor amarelo brilhante, perfumados.

O florescimento desta planta normalmente acontece no verão, apesar disto a planta é mais cultivada pela sua beleza da cor de sua folhagem do que exclusivamente pelas cores.

Os tons acinzentados de sua folhagem formam interessante contraste com plantas de cor verde. As flores da santolina, quando colhidas, podem compor belos arranjos florais.

Santolina chamaecyparissus

Como cultivar
Esta é uma planta que precisa de muito sol para ser cultivada, podendo ser criadas em vários lugares como, por exemplo, os vasos, as jardineiras como pendentes, canteiros grandes ou unitários e até mesmo em alguns casos servindo para acompanhamento de árvores e também palmeiras.

No paisagismo, é possível encontrar esta planta como formação de maciços e bordaduras, demarcando canteiros e caminhos. É uma planta bastante tolerante a temperaturas mais frias, e por isso seu cultivo tende a ficar um pouco mais restrito a regiões de clima temperado ou altitude, aqui no Brasil o local perfeito para criação das plantas é o sul do Brasil e as regiões de serra.

Propagação da planta
A propagação da planta acontece de duas formas, como por sementes e também estaquia de galhos. A forma de propagação por sementes poderá ser feita a partir de uma retirada de partes maduras da planta, estas que deverão ser colocadas para secar em um jornal e também fora do sol.

Depois disto, em seguida é só se separar todas as sementes que na maioria das vezes podem parecer estar perfeitas e ainda colocar em sementeiras ou mesmo caixotes que tiverem substratos de casca de arroz e ainda uma mistura de solo mineral e também areia, estes que poderão ficar mantidos úmidos.

Depois de ocorrer a semeadura, é importante que se regue os substratos e eles deverão ser cobertos com sacos plásticos para que se ajude a manter a umidade na sua criação. Assim que elas tiverem emergido, procure retirar o plástico que estava envolvendo as plantas, apesar disto procure manter toda a umidade dos substratos até que as plantas possam se desenvolver.

Os transplantes desta planta deverão ser realizados quando ela estiver com um volume maior e mais de seis folhas que deverão ser manuseadas. É interessante que o cultivo tenha alguns substratos ricos em matérias orgânicas sendo assim é possível se misturar em partes iguais de areia, além de solo mineral e compostos orgânicos que deverão ficar bem misturados.

Santolina

Propagação por estaquia de galhos
Outra forma de realizar a propagação das plantas é retirando os ponteiros existentes de ramos mais jovens e procurar os colorar em um substrato de areia ou ainda casca de arroz que deverá ficar mantido até o seu enraizamento.

É importante ainda cobrir todo o substrato para se evitar a existência da perda de umidade. Depois que ocorrer o enraizamento, é importante se cobrir o substrato para que se evite a perda de sua umidade natural.

Depois do enraizamento é interessante se transplantar a planta para potes que tenham um mesmo preparado que for descrito acima. Em seguida para que você possa colocar em um canteiro ou mesmo em vasos definitivos, procure preparar o seu solo revolvendo em até 15 cm de profundidade, colocando assim um pouco de adubo animal de gado, e aves que deverá estar bem curtido, e ainda compostos orgânicos procurando misturar bem.

Se quiser poderá ainda colocar uma adição de adubo químico NPK formulação 10-10-10 esta que deve ser feita em um solo muito pobre, em uma quantidade relativa a 100 g/m² e que deverá ficar muito bem incorporada nas terras.

Procure em seguida fazer uma boa cavidade do tamanho do torrão que você for utilizar, acomode a sua muda e a deixe chegar a terra procurando apertar levemente para fixar o material. Depois da realização de todo o plantio procure regar com jatos que sejam leves e finos.

Criando um jardim utilizando Santolina
Antigamente nos jardins romanos existia uma influência grega bastante considerável além de persa da santolina. Os jardins eram criados para a recreação sendo sempre em locais fechados de observação externa. Este tipo de jardim se caracteriza principalmente por uma simetria, e também utilizando fontes bem como elementos artificiais como as mesas através de colunas e estátuas relativas de mármore.

É importante neste caso utilizar alguns números reduzidos de espécies consideradas vegetais como, por exemplo, o buxinho, a santolina, e a murta, o louro anão, ciprestes, entre outras plantas são espécies bastante interessantes que poderão permitir este tipo de criação, e utilizadas nos estilos de jardins. As heras, por exemplo, poderão ser utilizadas de forma bem vinda cobrindo todos os muros e também as suas paredes. É importante também utilizar alguns canteiros simétricos de ervas tanto aromáticas, medicinais e ainda poucas flores.

Santolina chamaecyparissus66

Regas sempre na medida certa
Procure sempre se informar de todas as suas plantas sobre a quantidade de água que cada uma das espécies ficam ao longo do dia. Procure evitar regar as plantas á noite. Sem ter uma luz natural, a sua umidade é um pouco maior o que poderá ainda facilitar a proliferação dos fungos. É importante se pensar em toda a irrigação antes das espécies serem plantadas.

E desta forma não irá ser necessário se rasgar gramados para instalar tubos. Mas se for molhar as plantas com mangueiras comuns, procure fazer torneiras de 20 metros para facilitar a rega ao trabalho com as suas mangueiras menores. Entre as plantas medicinais é fundamental que se tenha melissa, que é excelente contra a gripe, o orégano é um ótimo expectorante, e por isso você deverá as ter no seu jardim porém não podem ficar em sol direto já que poderão ficar queimadas facilmente.

flores123