Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Flores e Folhagens’

coleus-solenostemon-scutellarioides-

Onde há um vasinho que seja de cóleus, não existe monotonia. Conhecida também como coração-magoado, essa espécie tem dezenas de variedades de padrões, formatos e cores, em combinações tão vibrantes quanto um carro alegórico completo desfilando em pleno Carnaval.

Em alguns cultivares, as folhas completamente roxas, quase negras. Em outros, as brotações jovens ostentam um alegre tom verde limão, contrastando com a folhagem mais velha, verde musgo riscado de vermelho.

Há variedades ainda mais elaboradas, bordadas nas margens, com delicadas nuances amarelas, com nervuras vermelhas, manchas rosadas no centro e o verso das folhas prateado, tudo culminando numa espiga floral pequenina, de quase imperceptíveis flores azuis.

coleus3

Com tanta cor numa única planta, nem é preciso imaginar o impacto que um maciço de cóleus é capaz de causar mesmo nos gramados mais entediantes.

Sua origem é do Sul da Ásia e Malásia e pertence à família Lamiaceae. Essa folhagem não chega a 1 m de altura e fica ainda mais bonita se mantida em solo fértil, sempre úmido, tomando sol o dia todinho (ou, no mínimo, por 4 horas).

Por ser uma espécie tipicamente tropical, não tolera frio nem vento e queima na geada, mas vai bem mesmo nas cidades mais quentes do Norte e Nordeste brasileiros.

Suas cores e a facilidade de cultivo a tornam uma apreciada planta ornamental, que pode ser cultivada em jardins ou em vasos grandes.

Suas inflorescências ocorrem em espigas terminais, e são geralmente roxo-azuladas mas são muitas vezes eliminadas assim que surgem para que a folhagem permaneça compacta e exuberante.

A planta originou-se da hibridização entre espécies do gênero Solenostemon, como S. laciniatus e S. bicolor e atualmente conta com numerosas cultivares. Suas folhas são grandes, macias e podem apresentar diversas cores e combinações entre amarelo, vermelho, rosa, roxo, verde e marrom.

coleus003

É interessante observar que as cores das folhas podem formar degradeés ou contrastar bruscamente. As flores azuladas surgem em inflorescências do tipo espiga, acima da folhagem, em qualquer época do ano e têm importância ornamental secundária.

É uma planta arbustiva perene e suas. Suas folhas variam bastante na forma, cor e tamanho, podendo ser variegadas ou uniformes.

As cores vivas desta vistosa folhagem podem ser aproveitadas em diversos ambientes. No jardim, ela poderá formar maciços ou conjuntos, além de bordaduras junto a muros.

Em pátios e varandas, ou em uma janela bem iluminada, o cóleus será uma espécie muito decorativa, podendo ser plantado em vasos ou jardineiras. Em climas quentes, é possível desfrutar de sua beleza colorida o ano todo. É uma planta de baixa manutenção, não exigindo podas e tolerando um pouco a estiagem. Atinge cerca de 40 a 90 cm de altura, de acordo com a variedade.

Deve ser cultivada sob pleno sol ou meia sombra, em substrato bem drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. Adubações a cada 15 dias são suficientes para que a planta cresça bonita.

Apesar de perene, o cóleus deve ser replantado bienalmente, pois perde a beleza com a idade. Planta tipicamente tropical, que pode ser conduzida em clima temperado, requerendo estufa no inverno. Não tolerante a geadas. Multiplica-se por sementes e estacas de caule e ponteiros.

coleus

Como cuidar da cóleus ou coração-magoado
Depois de 1 ou 2 anos, precisa de poda para renovação da folhagem, que fica rala e quebradiça sem adubação regular. Aproveite a ocasião para fazer mudinhas retirando as ponteiras e enraizando-as em substrato para mudas rico em composto orgânico ou húmus de minhoca — deixe em local menos ensolarado até que surjam as primeiras folhas novas. Em poucas semanas, você terá ainda mais cor para acrescentar ao jardim.

casinha na chuva

bambu_mosso

O nome bambu-mossó não é por acaso. Ele é conhecido assim devido à forma com a qual ele é conhecido em japonês, que por sua vez derivou do nome em chinês, “Mao Zhu”, que significa bambu peludo. A função dos pelos desse bambu é a de proteger contra o ataque de insetos.

As folhas e as hastes dessa espécie de bambu são bem verdes, o que é uma característica bem marcante. Sua altura, quando adulto, é de no, mínimo, 15 m, embora possa alcançar até 25 m.

O diâmetro das varas de bambu-mossó varia de 12 a 15 cm. Embora seja uma espécie originária da China, seu plantio pode ser feito em países e regiões com os mais variados climas, já que a temperatura mínima suportada pela espécie é de -19ºC.

O bambu-mossó é uma das espécies mais conhecidas de bambu.  Essa é uma planta de clima temperado com grande incidência na China, além de ser a mais utilizada em diversas cadeias produtivas no mundo inteiro como no setor de acabamentos, pisos, forros além de carvão e tecidos.

Seu plantio pode ser feito em lugares com os mais variados climas, o que o torna uma matéria-prima muito versátil. O bambu-mossó é ideal para fins decorativos, para se transformar em uma fonte futura de madeira e até mesmo para a contenção de erosão com bambu.

Características do Bambu-mossó
A reprodução desse bambu pode ocorrer tanto de modo sexuado quanto assexuado, embora este seja o mais comum. Sua ocorrência se dá quando os rizomas subterrâneos enviam novos colmos, que são as varas do bambu. Esses novos colmos crescem rapidamente e podem superar os 25 metros.

Em bambus que já estejam em sua fase adulta, os colmos mais jovens tendem a crescer mais em altura e diâmetro de acordo com o crescimento do colmo principal. Porém, assim que esse colmo para de crescer, o processo não volta a ocorrer novamente.

Algo que pouca gente sabe é que o bambu-mossó também floresce e produz sementes, embora isso aconteça em períodos de aproximadamente 50 anos. Porém, é comum que apareçam algumas flores em algum lugar do colmo.

bambu-mossó

O Bambu-mossó pode ser plantado em vasos?

Essa é uma das características que poucas pessoas conhecem, já que quando se fala de bambu, a imagem que vem à cabeça é de um terreno muito grande e repleto de colmos.

O bambu-mossó não forma touceiras, que é quando várias plantas crescem muito perto entre si. Por isso, é possível plantar uma única muda dessa espécie de bambu no jardim ou até mesmo em um vaso e, ainda mais curioso, no formato desejado.

Esse “truque” que permite escolher o formato curvilíneo é razoavelmente simples. Assim que a planta ainda está em sua fase de crescimento, as cascas que envolvem o colmo são retiradas, o que, consequentemente, afeta a resistência do bambu.

Como ele estará bem mais flexível, basta amarrar o colmo em algum outro ponto até que se obtenha a curva desejada. Então, quando o colmo desenvolver uma nova casca (chamada de bainha) e continuar crescendo, ainda terá o formato que foi escolhido anteriormente.

Depois de finalizado esse processo, o bambu pode ser levado ao local em que ele ficará permanentemente. É importante ressaltar que mesmo com um formato curvo, o bambu manterá sua resistência inalterada.

Bambu-Mossó-8

Bambu-mossó cuidados: O que fazer?
Para o plantio e cultivo de bambu-mossó cuidados se fazem necessários, assim como ocorre com qualquer outra planta.

Alguns dos principais são os seguintes:
Plantio no solo: se você for plantar o bambu-mossó em um jardim ou campo, o espaço ideal para a cova é de 40 cm de largura, comprimento e profundidade. Assim, ele terá espaço suficiente para crescer e se desenvolver de forma saudável.

Plantio em um vaso: se optar por um vaso, é essencial que este seja grande, pois caso contrário o bambu pode não se desenvolver adequadamente ou até quebrar o vaso. O mais recomendável é que o vaso tenha, pelo menos, as mesmas medidas da cova feita no solo.

Condições do solo: seja no próprio solo ou em um vaso, é muito importante que a terra esteja adubada e com uma boa capacidade de drenagem. Você pode escolher o fertilizante que preferir, como esterco, húmus ou composto orgânico.

Posterior adubação: para o bambu-mossó cuidados se fazem necessários com a adubação mesmo depois do plantio. O famoso composto NPK 10-10-10 pode ser aplicado, preferencialmente com intervalos de 3 meses, para um desenvolvimento totalmente saudável.

Nível de luminosidade: essa espécie de bambu gosta muito da luz solar, mas ela também pode se desenvolver próximo a uma janela ou porta bem iluminada. Caso a muda seja deixada em um local que não haja iluminação suficiente, ela pode morrer.

Não se pode esquecer que para o plantio de bambu-mossó cuidados com a rega são essenciais. Cada planta possui diferentes necessidades e, por isso, é preciso levar em conta as características de cada espécie. Regar as mudas de bambu 4 vezes por mês é o ideal, pois assim ela não ficará muito seca nem muito encharcada.

barco1

floreira

Flores para floreiras podem ser altas ou baixas, com muitas ou poucas folhas, anuais ou perenes. As melhores flores para floreiras são aquelas que podem se misturar bem com outras flores para fornecer uma variedade de cores, formas e fragrâncias.

As flores que necessitam de cuidados relativamente pouco são bem adequadas para serem plantadas em floreiras.

Como plantar flores em floreiras
Escolha a sua floreira em uma loja de flores ou de produtos para jardim e decoração, a qual está normalmente disponível em madeira, plástico ou concreto. Ela deve coincidir com a largura de sua janela caso seja este o lugar a colocar o artigo, para melhor aparência.

Procure uma caixa de pelo menos 8 cm de largura e 8 cm de profundidade para manter a umidade das raízes.

Faça ao menos furos na parte inferior da caixa de janela para fornecer a drenagem necessária a suas plantas se os buracos já não estiverem presentes já no produto. Coloque areia na floreira.

Misture com fertilizantes de liberação lenta e cristais de retenção de água para ter plantas mais bonitas com menos manutenção diária, e assim facilitar o seu trabalho.

Arrume as floreiras de janela com plantas para um efeito imediato, ou se preferir, utilize uma quantidade menor para preencher os espaços à medida que crescem.

Comece sua pequena floricultura em casa a partir de sementes de plantas ou compre uma variedade de mudas, de curto, médio ou já com flores crescidas. Uma mistura de tamanhos é bacana para ter uma decoração mais natural.

Se a floreira vai ser vista de ambos os lados, coloque as mudas mais altas no meio. Preencha o resto da sua caixa com plantas de média e curta altura. Uma boa dica pode ser ainda adicionar algumas plantas rasteiras como a vinha de batata doce e petúnias à direita.

Depois de plantar, tente colocar água em suas plantas todos os dias e deixe que ela leve as primeiras horas de sol sempre.

Algumas plantas que você pode plantar na sua floreira:

gerânio
Gerânios
Os gerânios crescem bem em cestos e caixas de flores ao longo do ano. Elas se encaixam muito bem com outras plantas anuais como a videira, petúnias e verbenas.

Gerânios crescem melhor sobre a luz solar direta por pelo menos seis horas por dia. Se você mora em uma região quente, use um local parcialmente sombreado.

Estas flores gostam de solo bem drenado e rico. Certifique-se de regá-las bem e deixar o solo úmido sempre entre as regas.

petúnia

Petúnias
As petúnias são plantas muito simples de serem compradas, sendo vendidas em floriculturas de todo o Brasil. Há no mercado um certo número de tipos diferentes de petúnias, que crescem em várias cores e tamanhos.

Elas são normalmente vendidas em mudas pequenas. São consideradas plantas perfeitas para floreiras, e prosperam bem em qualquer solo bem adubado com regado quando necessário, mas com pequenas doses de água por dia apenas.

As petúnias também são extremamente tolerantes ao calor, o que os torna ideais se você está pensando em mantê-las sob luz solar direta.

crisântemo

Crisântemo
Crisântemos são plantas fáceis de lidar e adequadas para plantar em floreiras expostas ao sol, total ou parcialmente. Também são chamadas de mães de jardim. Estas plantas podem ser encontradas em floriculturas em uma variedade de tamanhos, incluindo baixo crescimento e com altura de até cinco metros de altura.

As folhas dos crisântemos são verdes, aromáticas e com manchas cinza. As flores são atraentes, em tons de laranja, lavanda, bronze, vinho, branco e rosa. As flores surgem no final do verão ou início do outono.

vincas

Rosa-caramujo
A planta rosa-caramujo também é conhecida como vinca, ou Catharanthus roseus. É uma flor de rápido crescimento perene e que vive com pouca agua. Deve atingir de dois a três metros de altura e de largura igual.

As folhas chegam a cinco centímetros de comprimento. As flores são de tons rosa, vermelho, branco e roxo de 1,5 cm de largura e irá florescer durante todo o verão. Com um solo drenado, com uma boa quantidade de água as flores vão crescer saudáveis.

angelonia

Angelônia
A planta angelônia também é conhecida como Angelonia angustifolia. É uma planta excelente para quem ainda não entende bastante de jardinagem. Suas folhas medem entre dois e três centímetros de comprimento e possuem um aroma suave como de uma macieira.

As flores aparecem durante todo o verão. A angelônia deve ser plantada a pleno sol e com colocação de água regularmente. Quando se for regar, é preciso regar também as folhas e não apenas a raiz.

agapanto

Agapanto
Também conhecida também como lírio-africano ou por seu nome científico, o Agapanthus praecox. Suas folhas rendem folhas finas, medindo uns 15 cm de largura.

As flores começam a sair no verão. Deve-se plantar um Lírio do Nilo em pleno sol com regagem regular.

brisa_5

Calatheas

Calathea  e Maranta são gêneros botânicos pertencentes à família Marantaceae. Existem aproximadamente 25 espécies. São nativas da América tropical, muitas subespécies são populares como plantas ornamentais de interiores. São plantas herbáceas e vivazes.

A beleza da maranta e da calathea salta aos olhos. São folhas com formas, desenhos, texturas e cores vibrantes que mais parecem ter sido feitas à mão. As duas plantas encantam não apenas porque são naturalmente lindas, mas também porque são fáceis de cuidar.

É justamente pela manutenção simples que elas são consideradas boas opções para quem tem pouca experiência com plantas.

Maranta riscada

A maranta tem um apelido curioso. Ela é conhecida como “planta rezadeira” porque as folhas se fecham como se fossem duas mãos postas a rezar, durante o período da noite. Já a calathea também é encontrada por ai com o nome de “planta pavão” e o motivo não precisa ser explicado, basta olhar para as folhas.

Mesmo fáceis de manter, é preciso tomar alguns cuidados para garantir que elas se desenvolvam de forma correta. A maranta e a calathea gostam de ambientes com muita iluminação natural e toleram meia sombra, mas nada de sol direto.

maranta-bigode-de-gato-d

As folhas podem acabar queimando. Sabe aquele cantinho sombreado dentro de casa? Ele é perfeito para o vaso com o exemplar de uma dessas espécies.

Procure deixar o solo sempre molhado, mas nada de encharcar a planta – o excesso de água pode acabar apodrecendo as raízes. Fique atento as mudanças de estação para não errar na hora da rega. No inverno, as regas podem ficar mais espaçadas já que o solo vai permanecer mais tempo úmido.

No verão a terra fica seca mais rapidamente. Então qual o intervalo certo entre as regas? É como costumamos falar para alguns amigos: cuidar de planta requer observação.

chuva8814