Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Fertilização’

plantas envasadas

Quem cultiva plantas, provavelmente sabe que fertilizantes são substâncias colocadas no solo para que ele fique nutrido. O que talvez você não saiba é que, por uma série de fatores (que te explicamos aqui), as receitas orgânicas podem ser mais benéficas para as plantas. Abaixo uma explicação de tudo o que você precisa saber sobre o tema.

Quando a planta não está na natureza, é preciso colocar adubo
Os adubos são usados para devolver ao solo a fertilidade que a gente tira deles. Se você tem um pé de alface em um vaso, ele cresce pegando os nutrientes do solo e, uma vez que é colhido, remove também a fertilidade da terra.

Uma orquídea na árvore, por exemplo, não recebe adubo, mas é adubada pela natureza. O cocô do passarinho, as folhas secas que ficam presas na planta, a aranha que fez um ninho e deixou vários bichinhos mortos, tudo vai se decompondo e fertilizando.

Já no vaso, é preciso adubar porque a planta foi retirada da natureza. Fazer com ela fique sempre limpa e sem manchas, não ajuda.

Entenda a diferença entre fertilizante mineral e orgânico
Existem fertilizantes de origem mineral que são erroneamente chamados de químicos, o que é errado porque tudo no mundo envolve química. Estes, são sintetizados em laboratório ou retirados de pedras e rochas. Já os fertilizantes orgânicos são derivados de um organismo vivo, que pode ser um bicho ou uma planta.

Eles são mais completos porque além de oferecerem os mesmos elementos que os adubos minerais, ajudam a fortalecer a biologia da terra, tendo não somente nutrientes, mas também microorganismos e outras coisas que ativam a vida no solo.

Então tudo o que é orgânico pode ser adubo?
Há um volume gigante de origens de fertilizantes. Farinha de ovo, de peixe, torta de mamona, fertilizantes líquidos como os da composteira ou xixi de vaca, basicamente tudo pode ser adubo.

A diferença vai ser onde você aplica cada um e qual é a origem. Todo esterco, por exemplo, pode ser fertilizante. O segredo é ir descobrindo qual é a composição dos materiais caso a caso.

Existem alguns fertilizantes orgânicos muito famosos, outros bem específicos. A lógica é pesquisar sempre e não se enganar com as terminologias.

adubação

Respeitar o ciclo da planta é essencial
A planta sempre cresceu sem ajuda de adubo, mas isso envolve um outro olhar em que a natureza faz o serviço. Com a orquídea, por exemplo, envolve deixá-la com folhas secas.

Precisamos mudar nosso olhar estético e entender que existe beleza nas plantas crescendo com pintinhas, mordidas e teias de aranha. Um planta perfeita, sem manchas não é natural.

A pressa humana nos faz querer acelerar o processo, mas é importante entender que a planta vai produzir no tempo dela e dar tanto frutos ou flores quanto o adubo e o solo permitam. É uma mudança de postura muito longa, mas necessária.

Tenha cuidado com os excessos
As plantas são sensíveis a manipulação. Às vezes a gente carrega a mão porque quer se livrar de pernilongos e acaba com vários seres minúsculos, deixando o ambiente desbalanceado.

Tanto no adubo quanto no controle de praga, você terá que repensar o que quer com a sua planta. Se você quer uma plantinha pra alegrar a casa e a rotina, pega leve, faça uma adubação mais natural, um caminho orgânico e tente fechar o ciclo da planta sem pular etapas.

Dicas de bons fertilizantes orgânicos aqui
Você pode usar qualquer adubo em qualquer tipo de planta. Mas, como as plantas não são seres únicos (uma samambaia, por exemplo, tem cerca de 10 mil espécies), o que faz bem pra uma planta não necessariamente faz bem para outras.

Existe muita diversidade e, de maneira geral, qualquer adubo serve, mas se você quer objetivos específicos, tem que procurar pela ação específica. No geral, existe uma regra: independente da mistura, a planta sempre vai tirar o que ela precisa e deixar o resto. Um bom adubo tem todos os nutrientes, que são 20.

Alguns, a planta precisa em quantidades gigantes, como nitrogênio, fósforo e potássio. Outros em quantidade grande, como cálcio, enxofre e magnésio, mas existem também nutrientes que usados em pequenas quantidades, como  ferro, zinco e manganês.

Entenda os principais adubos orgânicos:

húmus

Húmus de minhoca – Pode ser encontrado em qualquer garden center, supermercados com área de jardinagem ou floricultura. É indicado para qualquer planta e considerado bem completinho.

esterco-bovino

Esterco – Pode ser encontrado em casa agrícola ou garden center e é vendido já curtido. Ou seja, tendo passado pelo processo de decomposição, onde já perdeu o cheiro e se livrou de eventuais bichinhos que podem ser prejudiciais para a planta. É uma terra preta com cheiro de terra mesmo.

Os mais comuns são de frango e de vaca. Frango é o mais forte e precisa ser usado em pouca quantidade.

Composto orgânico – Feito na composteira ou em uma caixa. É simples, você vai vai colocando todo o resíduo da cozinha e cobrindo o que for úmido com o dobro de resíduo seco. Úmidos são cascas de frutas, verduras, talos e caroços.

O segredo para não cheirar mal é sempre dobrar a porção de coisas secas, que são folhas, gravetos, aparas de grama, terra e folhas de jornal.

A questão é balancear tudo para produzir um ótimo adubo.

barcos

fertilizar

Se você é pai ou mãe de planta e gostaria de ver as suas plantas crescendo mais rápido, sabe que vai ter que aprender a fertilizar. Isso porque a fertilização pode garantir aos vegetais alguns nutrientes e sais minerais, que ajudam a desenvolver suas estruturas essenciais e exercer as suas funções metabólicas.

Se você quer aprender a fertilizar, separamos algumas dicas que vão te ajudar no processo. Lembre-se que é melhor fazê-lo na primavera e no verão e quando a planta estiver em sua fase natural de crescimento.

Passo 1
Apare e remova as folhas mortas ou as que estiverem morrendo de sua planta com uma tesoura afiada ou de poda. Esfregue as lâminas com álcool entre cada corte.

Isso ajudará a planta a enviar energia para as folhas mais saudáveis, pois as folhas amarelas e marrons não ficarão verdes novamente. Remova cuidadosamente as folhas caídas do solo para garantir uma distribuição uniforme do líquido fertilizante.

fertilização

Passo 2
Nunca aplique fertilizante em solo seco. É importante que o solo esteja uniformemente úmido antes de adicionar o líquido fertilizante. Regue até que a água escorra do vaso para o pires. Certifique-se de descartar toda a água que sobrou no pires depois que o vaso terminar de pingar.

Passo 3
Dilua o líquido fertilizante com água até a metade, ou conforme as instruções da garrafa. A fertilização excessiva pode ser maléfica.

Passo 4
Deite o líquido fertilizante de maneira cuidadosa e uniforme sobre o solo, até que a água comece a pingar do orifício de drenagem.

Dica extra:
Se parecer que o solo está extremamente ou completamente seco, sua planta pode se beneficiar com o método de rega de fundo ou de molho.

Para aplicar o método, encha uma pia com aproximadamente 7 centímetros de água, dependendo do tamanho de sua planta. Coloque a planta na água sem o pires para permitir que ela absorva a água do orifício de drenagem inferior.

fertilizar

Deixe descansar por 30-45 min, ou até ver o topo do solo ficando um pouco úmido. Depois que o tempo acabar, escorra a pia e deixe a planta descansar.

Deve parecer muito mais pesada depois de embeber um pouco de água. Por fim, coloque a planta de volta no pires, certificando-se de que não haja água parada.

folhasaovento9

Adubação

A adubação é uma etapa muito importante para garantir o desenvolvimento das espécies do seu jardim. Abaixo algumas dicas que vão são uma mão na roda para você que tem algumas dúvidas sobre esse processo. Confira:

A adubação deve ser feita quando as plantas necessitam dos nutrientes. É preciso dar atenção às necessidades específicas das espécies como uma quantidade equilibrada de nitrogênio, fósforo e potássio (durante o crescimento) e uma redução do nitrogênio e o aumento de fósforo e potássio (na floração e frutificação).

Não adube as plantas quando elas entram em dormência, pois nesse período elas não aproveitam muito os fertilizantes. O período de dormência varia muito de espécie para espécie.

adubo

É preciso ficar atento ao pH do solo. De nada adianta usar adubo excessivamente em um solo ácido. Por isso, vale antes pedir uma análise do solo, para ter um diagnóstico correto do estado atual.

A fertilização deve ser feita mais frequentemente na praia e em outros solos arenosos.

Uma dica que faz toda a diferença no desenvolvimento da planta é enriquecer o solo com uma boa quantidade de matéria orgânica.

Tente nunca deixar faltar água às plantas durante o período seguinte à adubação, pois as espécies podem se desidratar facilmente.

A adubação ideal é aquela gradual e de acordo com a fase da planta. Por isso na hora de adubar, evite, por exemplo, de fertilizar perto da colheita.

adubo-organico

Aplique fertilizantes em dose menor ou igual à recomendada na embalagem. O excesso pode fazer com que as plantas murchem ou morram da noite para o dia.

Os dias nublados são os melhores para fertilizar as plantas. Aliás, deve se evitar ao máximo adubar em dias de sol intenso e dias chuvosos.

Não utilize estercos frescos, restos de alimentos e cascas diretamente sobre o solo. A fermentação destes materiais produz substâncias que são prejudiciais, por isso é indicado sempre fazer a compostagem antes de utilizar.

janela-neve

borra-de-cafe

Uma das bebidas favoritas dos brasileiros (somos o segundo maior país consumidor desse estimulante no mundo), que além de deliciosa, é um excelente fertilizante para a terra. Sabe do que estamos falando? Café!

Por ser rico em nutrientes, ele contribui muito para o bom desenvolvimento do solo e consequentemente para o desenvolvimento das plantas. Confira 5 formas de usar a borra de café a favor do seu jardim ou horta:

1. Na fertilização
Utilize a borra do café junto com outros tipos de fertilizantes e adubo. Aplicar ela diretamente sobre o solo irá acelerar o processo de decomposição da matéria, fazendo com que perca sua função de fertilizante. Você pode misturar, também a borra na seguinte proporção: 100g de borra de café para cada litro de água.

2. Na compostagem
Com a borra de café colocada junto à pilha de compostagem, esta emanará um cheiro mais ameno, ficará mais quente e conservará a umidade. Para melhor resultado, é recomendável adicionar folhas secas, que evitam o mau cheiro, e serragem, para reduzir a umidade.

3. Repelente de pragas
Quando se utiliza repelente químico é preciso considerar que, por mais eficaz que seja no combate das pragas, eles acabam matando insetos que são benéficos para a plantação, além de prejudicar a saúde da planta.

Utilize a borra de café que, além de tornar a planta mais saudável, é um excelente repelente para larvas, caracóis e lesmas.

minhocas

4. Atrai minhocas
As minhocas adoram um café, Mas elas costumam preferir as mais antigas, que já estão em processo de decomposição. As minhocas trazem muitos benefícios para a terra da sua horta e jardim, pois seus dejetos auxiliam na fortificação da terra e seus caminhos na irrigação da água.

5. Mudança no solo
Se você estiver pensando em construir ou aumentar um canteiro ou ainda em consertar alguma coisa do seu jardim, a borra de café é uma boa pedida. O solo e a terra devem ser misturados numa proporção de 50/50.

Após efetuar a mistura, espere aproximadamente 60 dias para plantar alguma semente ou vegetal. A terra estará muito mais saudável!

folhas no outono