Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Dicas e Curiosidades’

casca-de-ovo

Se preparadas adequadamente e com o devido complemento, elas podem colaborar com a saúde e o desenvolvimento do seu jardim

Um dos nutrientes essenciais para o crescimento saudável das plantas, o cálcio pode estar bem mais perto do seu canteiro do que você imagina.

Composta por 40% deste elemento – na forma de carbonato de cálcio (CaCO3) – a casca de ovo é uma fonte riquíssima seja para os vasinhos, seja para um jardim inteiro.

Mas não basta simplesmente jogar as cascas sobre a terra e esperar a natureza fazer a sua parte. Há situações em que o excesso de cálcio pode até mesmo prejudicar as raízes, diminuir a qualidade do solo e sobrecarregar as plantinha.

Para saber quando, em que quantidade e em que situações usar a casca de ovo como adubo, a recomendação vem da própria vegetação. O principal indicativo de que o cálcio está em falta no solo são as manchas amarelas que podem aparecer nas folhas.

No entanto, não é preciso esperar que isso aconteça para começar a nutrir sua plantinha. Claro, sem exageros: O ideal é usar um composto orgânico que inclua a casca de ovo uma vez a cada 20 ou 30 dias, para não calcificar demais o solo.

Uma colher de chá de casca de ovo batida no liquidificador com água é suficiente para um vasinho pequeno, e conforme aumenta o tamanho do vaso, aumenta a quantidade.

Não há outras contra indicações, já que a maior parte das espécies se dá bem com a adubação com casca de ovo, embora algumas, como Azaléia e Orquídeas, não apresentem muita evolução com o uso dessa alternativa.

casca-de-ovo-1

Modos de preparo
Apesar de ser positiva para as plantinhas, a casca de ovo não faz milagres sozinha. Por isso, o ideal é associá-la a outros nutrientes necessários para fertilizar organicamente o solo.

O modo mais simples é bater no liquidificador com um pouco de água, o q00ue vai moer a casca e acelerar o processo. Quanto mais triturado, melhor vai ser, pois a casca demora muito tempo para decompor se estiver inteira.

Como o cálcio não é o único nutriente do qual as plantas necessitam e sua falta não é a única causa dos sintomas como as manchas amarelas, a composição mais adequada, segundo ele, é a mistura com casca de banana e borra de café.

Esses ingredientes têm, além do cálcio, também o nitrogênio, o fósforo, o potássio, o chamado NPK, com todos os macronutrientes necessários para a planta. Batidos juntos, eles podem ser jogados no solo e cobertos com folhas secas.

cascas

Mas, a melhor forma é optar pela compostagem caseira e incluir as cascas de ovo entre os ingredientes utilizados. Existe um tripé que é formado pela planta, os microorganismos (como as bactérias) e os nutrientes.

Os microorganismos precisam comer os nutrientes porque é assim que a planta os absorve. Eles são diversos e abundantes, além de eficientes para fermentar o ovo e outros resíduos orgânicos. Isso gera u m “bolo” de compostos que é extremamente nutritivo para o solo.

Resultado do funcionamento da composteira, o “bolo” de ingredientes orgânicos funciona como um adubo mais completo.

Esse combinado de vários nutrientes é muito mais completo e eficiente do que utilizar somente um dos ingredientes. Basta usar algumas colheres deste preparado e as plantas devem ficar nutridas e viçosas.

casinha na chuva

plantio

Aprenda passo a passo como preparar recipientes para receber flores e folhagens e garantir a saúde delas.

Preparar corretamente o vaso antes do plantio é meio caminho andado para que as plantas cresçam vistosas e enfeitem seu jardim por muito tempo.

Alguns procedimentos são indispensáveis, caso da criação de uma camada drenante para que a terra não obstrua o furo por onde o excesso de água escoa e do uso de substrato adequado. Já a impermeabilização interna dos vasos é opcional e depende do efeito estético que se deseja obter com o passar do tempo.

A não impermeabilização resulta em um vaso ainda mais rústico, coberto por musgo e com variação de tonalidades.

vasos rústicos

Rústico ou com cara de novo
Disponíveis em tamanhos e formatos variados, os vasos de barro são econômicos e, por serem porosos, permitem a respiração das raízes das plantas. Essa característica, porém, também favorece o acúmulo de musgo nas paredes do recipiente, que ficam constantemente úmidas.

Enquanto alguns adoram esse visual bem natural, outros preferem manter o vaso intacto, com jeito de novo. A solução para tanto é impermeabilizar o interior do recipiente com um produto à base de piche, normalmente usado no preparo de lajes. A aplicação é feita com um pincel e, depois de seco o impermeabilizante, é só plantar as espécies.

Disponíveis em tamanhos e formatos variados, os vasos de barro são econômicos e, por serem porosos, permitem a respiração das raízes das plantas. Essa característica, porém, também favorece o acúmulo de musgo nas paredes do recipiente, que ficam constantemente úmidas.

Enquanto alguns adoram esse visual bem natural, outros preferem manter o vaso intacto, com jeito de novo. A solução para tanto é impermeabilizar o interior do recipiente com um produto à base de piche, normalmente usado no preparo de lajes. A aplicação é feita com um pincel e, depois de seco o impermeabilizante, é só plantar as espécies.

vaso

Raio x do plantio perfeito
Para plantar flores em vaso você vai precisar, além das mudas, de um pedaço de telha, um pouco de argila expandida, manta bidim ou areia e substrato pronto para plantio.

Acompanhe as instruções:
* Cubra o furo de drenagem com um pedaço de telha, deixando espaço para a passagem da água. O objetivo é impedir que o buraco seja obstruído com o tempo.

* Preencha cerca de 2/3 do vaso com argila expandida para criar uma camada drenante.

* Em seguida, cubra a argila com manta bidim ou com uma camada de 3 cm de areia. Isso evitará que a terra saia do vaso junto com o excesso de água das regas.

* Coloque substrato em quantidade suficiente para que a base da muda fique a 2 cm da borda do vaso

* Acomode a muda e preencha o restante do recipiente com o substrato.

Opções de arremate
Para deixar o vaso mais vistoso, após o plantio, você pode cobrir o substrato com materiais como argila expandida, pedras, seixos, barba-de-bode ou casca de árvores.

Além de esconder a terra e arrematar a composição, a medida tem uma vantagem prática: ajuda na retenção de umidade no substrato e diminui a necessidade de regas.

Todas as coberturas citadas têm o mesmo papel e a escolha é apenas estética: enquanto os seixos harmonizam com composições delicadas, a barba-de-bode e as cascas de árvore criam um efeito.

folhas no outono

rústico.

Quando visitamos um horto ou floricultura nos deparamos com muitas plantas lindas, folhagens e flores. E é muito frustrante constatar que, uma vez em casa, elas começam a apresentar problemas.

Escolhemos plantas encantadoras e as trazemos para casa, incorporando ao jardim ou coleção de vasos. Achamos que estão saudáveis e que não teremos problemas.

Mas muitas vezes a planta desenvolve manchas necrosadas nos caules e folhas, as flores caem ainda em botão, necrosadas. Também podem surgir a presença de insetos. Culpamos a empresa que nos vendeu as mudas, mas muitas vezes ela não é responsável por isto.

Pragas de viveiro podem ocorrer, com insetos escondidos ou na forma de ovos, não fáceis de detectar. Fungos e vírus ainda em fase inicial não fornecem pistas muito visíveis para quem não tem os olhos treinados.
A planta fica pouco tempo no comércio varejista e não apresenta amostra de problemas.

Antes de comprar suas plantas, espere só um pouquinho e, anote essas dicas para comprar como um profissional, escolhendo as melhores plantas pelo melhor preço.

Veja a seguir como comprar plantas saudáveis, identificando de antemão possíveis doenças.

medinilla

Ao comprar, não pense só na flor
Parece meio óbvio: se olhar dois vasos com orquídeas, e um deles estiver com mais flores abertas, escolhemos o mais florido, certo? Não, escolha o que tenha mais botões! As flores já abertas duram menos, então, você leva pra casa uma planta que ficará bonita por menos tempo. Se puder escolher, encontre a orquídea que tenha mais botões fechados.

Quanto mais hastes a orquídea tiver, melhor
Do mesmo jeito que botões fechados são promessas de novas flores, as hastes das orquídeas sinalizam que, em breve, sua planta terá mais espaço para florir!

É como se o botão fosse o lucro a curto prazo e, as hastes, o rendimento à médio prazo. Hastes já formadas, mesmo que pareçam “peladas”, terão mais ramificações para os botões se desenvolverem.

Entenda o preço das flores
Já perceberam que existem Phalaenopsis com preços completamente diferentes? Se ainda não percebeu, é bom prestar atenção. Você pode pensar que é estranho um vaso da famosa orquídea-borboleta custa até quatro vezes mais que outro, e é a mesma espécie.

Antes de pegar a mais baratinha, saiba o motivo da diferença de preço. Apesar de serem da mesma espécie, a quantidade de flores do vaso, assim como o número de hastes florindo, ditam o valor final.

Você leva um único vaso, mas, uma quantidade maior de flores. Alguns produtores ainda juntam duas ou mais orquídeas num mesmo vaso e, isso encarece o produto. Então, escolha entre um preço menor (com menos flores) ou uma opção mais bem servida e, proporcionalmente, mais cara.

Estiolamento

Evite plantas estioladas
Estiolamento é quando a plantinha, num esforço para alcançar mais luz solar, dá uma “esticada”. Cactos e suculentas são plantas que costumam fazer isso quando não recebem a quantidade diária de sol que precisam, mas outras espécies também estiolam.

Parece que a planta cresceu, mas, o estiolamento é uma deformação: ela não terá a forma esperada na área estiolada, mesmo com mais sol, regas ou adubação.

Fique de olho em pechinchas
Planta por um super preço? Metade do valor que normalmente custa? Pode ser uma promoção real, ou você está levando espécies sem flores, com floração já no fim da vida.

Sem problemas, se você tiver paciência e escolher direito, levará para casa uma planta que dará flores em 6 meses, ou um ano. O pulo do gato aqui é observar o estado dos caules e folhas e, ignorar as flores.

Pode ser que a haste floral esteja quebrada, as pétalas já no fim da vida, mas se a planta parece vigorosa e com folhas saudáveis e brilhantes, ótimo. É o momento para você aumentar sua coleção de orquídeas por um preço bem interessante.

Avalie a planta e o arranjo antes de comprar
Algumas floriculturas e gardens aproveitam o momento da promoção para vender plantas em oferta, mas também, algumas espécies ou arranjos que já não estão tão bonitos.

Isso não é um problema, basta que você saiba identificar o que está levando pra casa. Observe bem e evite plantas doentes, com galhinhos secos ou folhas apodrecidas.

pulgões

Verifique se tem pragas ou doenças
Dê uma boa olhada na planta antes de comprá-la, principalmente nos locais menos visíveis, como verso de folhas, a parte onde o galhinho se forma no caule. Ainda, nas folhas, veja se encontra pintas ou manchas.

A planta pode parecer linda, florida e enorme. Mas, você, jardineiro que compra como um profissional, vai lá, olha embaixo de uma das folhas e dá de cara com um montão de cochonilhas.

Um comprador de primeira viagem estaria encantado com a beleza da planta e levaria pra casa uma espécie que logo ficará doente. E pior: leva um foco de contaminação para toda a sua coleção de plantas. Lá se vai a promoção, a coleção, seu tempo e dinheiro.

Palhas na planta é normal
Parece que a o caule está seco, mas em muitas espécies de orquídeas surgem palhas. Essa parte com aspecto ressecado é normal e, serve para proteger o caule que está se desenvolvendo e ainda é mais frágil.

Conforme a parte externa vai secando, a interna cresce e, no tempo certo, a palha se soltará (às vezes, com uma ajudinha manual). Se é algo natural dessa espécie, o caule continua verde, crescendo bonitão, a palhinha não é problema.

Evite plantas com folhas cortadas
Quando atacada por fungos ou outras doenças, as folhas podem apresentar manchas e pintas. Para não ficar com aquele aspecto feioso, alguns vendedores inescrupulosos cortam parte da folha que está manchada e pronto – parece uma planta sadia novamente.

Mas, não se engane: a planta ainda está doente, e em breve, outras folhas terão manchas, e lá se vai mais uma orquídea para estado de óbito. Evite comprar plantas com folhas cortadas.

campoflorido

regas-2

Muita gente tem problemas com as plantas por não saber como regá-las direito. Para que você não tenha mais dúvidas, segue abaixo um guia da rega de plantas. Seja em um vaso, jardim, canteiro ou até mesmo horta ou pomar, você ficará sabendo todos os truques e macetes para suas plantas não morrerem nem de sede, nem afogadas

Primeira dica: regue com generosidade
Ao invés de borrifar água, ou só fazer aquela chuvinha nas folhas, use a mangueira ou regador de forma lenta, para que caia muita água na planta. Deixe o vaso encher até começar a sair água pelo furo lateral (ou de baixo, no caso de vasos de orquídeas).

Um truque bom é posicionar vasos de chão bem abaixo de vasos suspensos. Assim, a água que cai do vaso de cima cairá sobre a planta logo abaixo.

Segunda dica: mire a terra, e não a folhagem.
A água nas folhas é só um refresco, não é uma rega completa. Além do mais, muitas plantas podem ser atacadas por fungos ou bactérias quando junta excesso de água em suas folhas.

Orquídeas são casos que isso pode ocorrer, então, vale este truque: use um papel toalha para “enxugar” o miolo da planta. Sabe aquele cantinho que as folhas se juntam? Ali é o lugar propício para acúmulo de água e, consequentemente, início do apodrecimento das folhas.

Terceira dica: aprenda a observar suas plantas.
Não perca tempo tentando decorar quantas vezes ou a quantidade exata cada vaso ou espécie deve receber de água, mas, aprenda a observar suas plantas. As folhas costumam ser ótimos indicadores.

Se você percebe que a superfície da folha está enrugada, com um aspecto murcho ou não cresce. Outro ponto importante, independente do tipo de planta, se é de sol ou sombra: é melhor regar bem, e com bastante água.

521995456

Como regar jardins e canteiros
Para regar plantas de canteiros, evite espirrar água por todos os cantos. Escolha um local próximo do substrato, e deixe a água cair, sem pressa.

Por capilaridade, os locais em volta do local da rega terão o solo molhado o suficiente. Não sabe quanto tempo você deve regar as plantas? O tempo suficiente para cantar um “parabéns pra você”. Cantou, dê um passo para o lado, e repita.

Uma rega dessas uma vez por semana costuma ser o suficiente. Vale também observar se o substrato cria uma poça d’água. Aí quer dizer que tem água o suficiente.

Como regar um bonsai
Para regar bonsais, é a mesma regra de ouro: regar com abundância. Deixe a água criar uma poça, aguarde, e assim que o líquido escorrer coloque mais água.

Repita algumas vezes. Por ter pouco substrato, vasos de bonsais mal armazenam água. Por isso, insista bastante. Lembre-se que bonsais são árvores (baixinhas), e precisam de muita água.

rega-44

Rega de hortas e frutíferas
Hortas e árvores frutíferas também precisam de bastante água. Por ficarem expostas ao sol, é preciso abundância de líquidos para que elas fiquem sempre verdes e viçosas. Repita o truque do parabéns, e em casos de jabuticabeiras abuse da água – elas adoram e respondem muitas folhas e frutos.

Como regar suculentas, cactos e orquídeas
Suculentas e orquídeas presas em árvores também precisam de água em excesso. Certifique-se que o vaso destas plantas tenha furos para que o substrato possa escoar toda a água, mas no momento em que elas são regadas, estas plantas precisam aproveitar para matar bem a sede.

No caso das suculentas e cactos, use água em excesso, mas dê intervalos maiores entre uma rega e outra.

rega

Regando plantas em vasos sem furos
O caso mais crítico são plantas em vaso sem furo (como cachepôs). O acúmulo de água é o principal causador de problemas como apodrecimento e proliferação de fungos e bactérias.

A primeira dica é substituir o vaso por um recipiente que tenha furos, mas se for impossível, siga este truque: regue em abundância, aguarde uma ou duas horas, e incline o vaso o suficiente para que todo excesso escoa. Cuidado para não derramar o substrato, mas garanta que não tenha água acumulada.

Com estas dicas, você consegue regar qualquer tipo de planta, e não cometerá nenhum excesso. A não ser se for plantas de aquário, mas espécies aquáticas se viram bem com o excesso de água.

Só não vá deixar seu aquário sem água, porque daí você encontrará um dia um arranjo de plantas secas num vidro.

chuvas-1