Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Dicas e Curiosidades’

A necessidade de plantar em vasos acontece de forma principal entre pessoas que moram em casas pequenas sem espaço o suficiente para fazer um grande jardim. Entretanto, existem cuidados básicos no sentido de fazer esse tipo de cultivo que não podem ser deixados de lado.

vasos

A escolha do vaso
Não se pode ignorar o fato de que a primeira indicação consiste em escolher o tipo de planta ou flor que será cultivada. Tenha em mente que existem espécies que se desenvolvem melhor de acordo com o tipo de vaso.

Por exemplo, orquídeas possuem maior resistência quando estão implantadas em vasos de plásticos ao levar em conta que a composição consegue reter umidade, fato que ajuda no desenvolvimento da espécie. Ao que tange o tamanho ou composição quem deseja plantar pode ficar sem preocupação. O

mercado atual permite a escolha de milhares de opções em termos de diâmetro, composição, entre outros aspectos.

Também existe a questão do estilo, de forma principal entre plantadores que desejam ter decoração personalizada no jardim ou na sacada. Tenha em mente de que formatos são importantes.

Sem contar que quando a espécie de planta quando cresce por volta de dez centímetros necessidade de transplante indispensável. O ponto se torna vital ao levar em conta que com o aumento das raízes diminui o espaço para a espécie conseguir absorver os nutrientes necessários para manter o desenvolvimento.

Ao que tange o formato e composição de vasos existem vantagens e desvantagens a se considerar.

vaso de barro

Vaso: Cerâmica ou barro
Em termos práticos no mercado consiste nos tipos básicos e encontrados com maior facilidade. Há quem diga serem úteis para desenvolver a grande parte de plantas e flores conhecidas por seres  humanos.

A capacidade de drenagem consiste na vantagem principal. Tenha em mente que a poder para drenar diminui quando existem pinturas. Em consequência da porosidade existe maior necessidade de regar frequentemente, conforme indica grande parte dos especialistas.

Outro ponto que pode ser considerado sob a ótica negativa consiste no maior peso para carregar ou mudar a estrutura de local.

vaso cimento

Vaso: Amianto ou cimento
Também estão frequentes no mercado e são buscados de forma principal entre interessados em ter estilo no vaso. De qualquer maneira, grande parte das composições do gênero demanda maior quantidade de material em termos de drenagem, desde cacos de telha até argila expandida.

Por consequência, existe menor necessidade de fazer regas ou esperar a água da chuva fornecer energia para que aconteça o processo de fotossíntese.

vaso plástico

Vaso: Fibra de vidro e plástico
Também são usados de forma prática em grande parte de jardins que estão estabelecidos em sacadas ou pequenos terrenos. Sob a ótica positiva vale ressaltar não apenas o peso menor para transportar como também os preços que estão em conta.

Existem estruturas que são feitas com pequenos orifícios que trabalham no sentido escapar a quantidade de água que a planta não consegue absorver. Quando não existem os pequenos buracos, então há chances a se considerar de a espécie apodrecer.

Quem compra vasos de fibra possui a vantagem não apenas no aspecto estético como também na maior durabilidade quando se compara com composições feitas de plástico. De qualquer forma, as duas estruturas precisam de sistema de drenagem desenvolvido e menor necessidade de regas.

Não se pode ignorar o fato de que também existem os pontos compostos de coco e que são ideais para plantas que demandam de excesso em termos de umidade e água.

vaso

Vasos de plantas – Proporção
Independente do tipo de escolha existe a necessidade de considerar a proporção. Por exemplo, a imagem fica estranha ao levar em conta que plantas pequenas são implantadas em vasos grandes e vice-versa. Necessário levar em conta os níveis de equilíbrio não apenas no aspecto estético como também para a própria saúda da planta.

Sistema de drenagem
Outro aspecto que não pode ser ignorado ao que tange plantar a planta em vasos consiste no sistema de drenagem, que deve funcionam de forma principal conforme as características da plantação. Não se pode ignora o fato de que conforme a indicação de especialistas grande parte das pessoas erram justamente por não estabelecer sistema de drenagem de forma qualitativa.

Não se preocupe com a sujeira! Existe a necessidade dos buracos para que a água escorra de forma qualitativa e por consequência as plantas recebam apenas o que necessitam, visto que o excesso pode prejudicar no desenvolvimento futuro. Existem vasos que possuem esses tipos de orifícios. Os que não possuem precisam ser furados antes de plantar a planta.

Outro ponto que pode auxiliar em termos de drenagem está em colocar argila ou pedras no sentido de auxiliar no sistema de escoamento, o que de fato impede com que parte da terra também escorra e prejudique a estrutura da planta para que a mesma cresça com prosperidade. A manta geotêxtil também serve como excelente opção para esse tipo de processo que deve ser colocada antes da terra e da planta.

Depois que iniciar o processo de drenagem que deve se relacionar com a estrutura e principais demandas da planta há necessidade de colocar terra até a parte metade. Na sequência existe a demanda por plantar e depois completar com solo.

Tenha em mente de que as raízes precisam de assentamento que acontece sob a ótica natural, de forma prática quando são grandes ao excesso. Caso exista o excesso não tenha medo e comece a podar aos poucos.

Interessante notar que plantadores precisam se concentrar de forma prática para manter a muda ereta, do contrário pode acontecer problemas futuros em termos de desenvolvimento da estrutura, conforme indica parte dos especialistas. Conforme a planta fica reta existe a necessidade de completar com terra.

Quando terminar o processo faça o aperto com as mãos ao redor da muda e tenha a certeza de que a estrutura natural esteja ereta e que não sofra danos por conta dos ventos.

vasos

De olho no adubo
Grande parte dos especialistas contraindica usar adubo em mudas que foram ganhas ou compradas em lojas especializadas.

Necessário começar o processo de adubagem depois de um mês, de forma principal nos dias quentes do ano.

folhas caindo outono

Flores

Ave-do-paraíso (Strelitzia)

Quando pensamos em flores nos lembrarmos delas em sua forma colorida e vistosa, porém, esta característica é apresentada apenas por alguns tipos. Há flores que ficam bem pequenas e esverdeadas, como, por exemplo, as flores de gama.

Função
Apesar de contribuírem com a beleza da natureza, principalmente durante a estação da primavera, a existência das flores possui um objetivo reprodutivo: contribuir com a produção de sementes do vegetal. Desta maneira, novas plantas são capazes de surgir e crescer.

Composição
Uma flor simples é composta por sépalas e pétalas. A função das sépalas é proteger a flor quando ainda está em botão (fase inicial do desenvolvimento), ou no momento em que se fecha, à noite.

As pétalas coloridas têm o papel de atrair os insetos para polinizar a flor, ou seja, trazer o pólen de outra flor da mesma espécie, depositando-o no estigma.

Os grãos do pólen são tão pequenos que não podem ser vistos a olho nu. Para visualizá-los é preciso utilizar um microscópio, desta maneira, é possível notar que estes podem ter diferentes formatos.

hibisco

Após serem depositados no estigma, os grãos de pólen seguem através de tubos extremamente estreitos, seguindo do estilete ao ovário da planta. Antes do desenvolvimento dos óvulos, no ovário, para a formação de sementes, é preciso que sejam tocados por um desses finos tubos, para que possam ser fertilizados.

As flores geram seu pólen nas pontas dos estantes (chamadas anteras). Na maior parte das vezes, é melhor para as plantas que elas sejam fertilizadas pelo pólen de outra espécie, isto ocorre através da ajuda de insetos (abelhas, vespas, borboletas e algumas espécies de moscas) ou pelo vento, como ocorre no caso das gramas e algumas árvores.

As plantas que possuem flores podem ser classificadas em famílias, de acordo com o tipo da flor que produzem. Alguns exemplos são: o dente-de-leão, as rosáceas (iguais às rosas), umbelíferas (pareci­das com os guarda-chuvas), ranunculáceas (família do botão-de-ouro) e as leguminosas (produzem sementes como a ervilha ou feijão).

dente de leão

Curiosidade
As conhecidas flores de jardim devem receber um tratamento especial em sua plantação, pois estas não podem ser plantadas antes de se conhecer a luminosidade do ambiente, além do tipo de solo e sua umidade.

Este cuidado não é necessário no caso das flores silvestres (que se desenvolvem nas florestas), pois estas são possuem a capacidade de se desenvolver de acordo com o solo e clima de cada região.

borboletas

Mimosa_pudica_2

Como todos os seres vivos, as plantas também precisam de repouso. E é durante o inverno que elas descansam. O sono verde do inverno é uma função biológica que norteia a vida das plantas. O amarelecimento das folhas, nessa época é um dos muitos sinais, dados pelas plantas perenes, de que estão hibernando.

Nos casos extremos, como das bulbosas típicas (gladíolos, frésias, lírios, dálias e anêmonas), as plantas passam para uma atividade subterrânea e secam completamente suas partes áreas.

É nessa ocasião que os bulbos precisam ser arrancados: com um pequeno pincel, retira-se todo o excesso de terra que os recobre e devem ser então guardados em um saco plástico perfurado. Três a quatro meses depois são replantados e a reserva alimentar acumulada nos bulbos transfere-se para o caule fazendo surgir novos brotos.

lirio-do-campo

Durante o sono ou repouso de inverno, o crescimento, vegetativo estaciona completamente, ou ocorre muito devagar, tornando inútil ou contraproducente qualquer esforço para “puxar pelas plantas” usando adubos ou fórmulas mágicas.

Menos adubo, menos água, menos interferência na terra é a melhor atitude para atravessar esse período de “hibernação”. Ou seja: deixe a planta repousar em paz.
Essa regra vale para quase todas as plantas.

Uma das poucas exceções, o gerânio, o amor-perfeito, é diferente porque floresce durante todo o inverno. Essa variedade apresenta bonitas folhas em forma de leque semi fechado, recobertas por uma certa pilosidade, a nervação em plissê, corrugada. Suas cores são fantásticas e as flores chegam às vezes a ter 8 cm de diâmetro.

Acordadas, florescem
Em meados de julho, em todo o Brasil a maioria das plantas começa a acordar, voltando à vegetação plena em agosto para florir na primavera.
Algumas espécies não respeitam esse calendário e dormem menos tempo.

O seu repouso começa logo após o momento específico da floração. É o caso do ipê e da primavera (bougainvillea spectabilis), cujas flores desabrocham durante os meses frios.

bougainvillea spectabilis

Para alegrar um ambiente durante os meses frios há uma exceção: as plantas que dispensam o sono. As suculentas, por exemplo, se receberem boa luz e quantidade suficiente de água (sem encharcar o solo) não dão trabalho, multiplicam-se bem partindo de um simples fragmento de folha e apresentam surpreendente vontade de viver.

casinhanolago

caramanchão

Os caramanchões são estruturas rústicas feitos em madeira maciça, metal ou concreto. São feitos para durar, por isso suas colunas devem ser chumbadas ao terreno com concreto, protegendo-o assim sua estrutura dos tombamentos e da umidade.

Tem a finalidade de dá suporte as plantas trepadeira, também tem várias outras funções como oferecer sombra mais rápido já que uma árvore demora de 2 a 4 anos para se ter uma sombra considerável, marcar entradas, servi de extensão às varandas, além de embelezar com sua cobertura leve e colorida pelas flores q as trepadeiras darão ao longo de sua existência.

As trepadeiras q mais recomendado são as frutíferas: como maracujá e parreira, as com flores perfumadas: como os jasmins, de flores com cores fortes: as buganviles e alamandas, as de flores delicadas: lágrima de Cristo (Clerodendron thomsonae)….

caramanchão

Dá-se no nome de caramanchão a uma construção utilizada em diversos espaços públicos, nomeadamente em espaços verdes, com o intuito de poderem ser utilizados para efeitos de descanso, abrigo, entre outros.

Na sua construção é habitual serem utilizados materiais como ripas, canas ou estacas, e servirem de suporte a espécies vegetais tais como trepadeiras.

Os caramanchões podem ser feitos com madeira de demolição, ficam lindos, sem precisar q essas estejam desempenadas, os cipós e ripas podem ser usados para se fazer a cobertura.

A altura dos caramanchões deve ser de no mínimo 2,5 m, para que as pessoas mais altas possam usufruir do espaço com conforto. Por serem estruturas mais altas, próprias para serem admiradas de baixo também, os caramanchões podem ser revestidos com trepadeiras de flores pendentes, como a sapatinho-de-judia e a trepadeira-jade, por exemplo.

Caramanchão_de_madeira

As frutíferas também são excelentes para este tipo de estrutura, como a videira, o kiwizeiro e o maracujazeiro.

Caramanchões utilizados como garagem exigem trepadeiras que não larguem flores ou frutos capazes de manchar os automóveis.

Então vamos enfeitar seus jardins com caramanchões, de qualquer tamanho, mais não esqueçam de se forem usar madeira, usem madeira certificada ou de demolição, a natureza lhe agradecerá.

barquinho22