Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Cultivos e Cuidados’

Cattleya Aurantiaca

Quando você comprar uma orquídea, já plantada há um certo tempo, muitas vezes coberta de musgo, pode estar levando para casa, como brinde, as seguintes dores de cabeça: Lesmas, caracóis, tatuzinhos, nematóides; cochonilhas em raízes, folhas e pseudo-bulbos fungos e/ou bactérias.

Lesmas, caracóis e tatuzinhos, com a planta desenvasada, podem ser eliminados por catação manual. Se o desenvolvimento for difícil, um outro meio é imergir o vaso por cerca de duas horas num recipiente com água suficiente para atingir a borda do vaso.

Como os bichos terão que subir para respirar, serão facilmente eliminados. Como podem ainda existir ovos, é preciso repetir o processo algumas vezes a cada semana.

Cochonilhas podem hospedar nas raízes, sugando-lhes a seiva, ou no verso das folhas ou ficarem escondidas entre as palhas secas, que cobrem o pseudobulbo.

Parece um pó branco, mas, na planta, são bichinhos de alguns milímetros que vão sugando a seiva da planta, deixando a região toda amarelada. Senão for combatida a tempo, esta parte da planta estará perdida.

Namatóides causam estragos que levam a planta à morte. A reação contra os nematóides varia de planta para planta. Ela pode até não morrer, se as condições lhe foram favoráveis, mas ficará raquítica e não dará flores.

Eles atacam qualquer parte da planta mas em geral iniciam seu ataque pelas raízes que começam a apodrecer. Se as condições foram favoráveis para os nematóides (muita umidade), todas as raízes irão apodrecer em curto espaço de tempo, do contrário têm a capacidade de entrar em dormência por meses ou até anos.

Esta podridão é distinguível da podridão negra (causada pelo fungo Pythium) , porque o ataque do nematóide pára quando atinge o cerne duro, enquanto que o Pythium avança pelo rizoma até o pseudobulbo em questão de dias.

Mais ainda, o broto atacado por nematóides fica mole e aquoso, enquanto que atacado pelo fungo Pythium não perde a consistência.

Uma outra maneira bem mais prática é fazer uma desinfecção preventiva da seguinte maneira: Usando água, com pH de 5 e 6, dilua um inseticida nematicida (por ex. óleo de semente de uma árvore chamada Nim ou Neen ), com qualquer fungicida de amplo espectro e borrife toda a planta, jorrando no substrato até escorrer pelo nematóide, conchonilha de raízes, alguns fungos, como a Rhyzoctonia solani que também é responsável pela podridão das raízes (quando a podridão avança pelo rizoma a causa é este fungo e não nematóide).

Observação: Usando água de torneira, dilua de 8 a 10 gotas de vinagre para cada litro, para que o pH fique entre 5 e 6. O pH é importante, porque há produtos cuja vida média será de 10 minutos, se usando com água com pH entre 5 e 6, a vida média passará para 30 horas. Água de poço, de chuva, de rios normalmente tem o pH entre 5 e 6.

Em plantas muito detonadas por fungos (manchas, pintas, etc.), faça um coquetel, usando o dobro da dosagem indicada na bula. Em uma semana ou até antes, conforme a gravidade da doença, aplique um outro coquetel com produtos diferentes e assim por diante.

catasetum macrocarpum

Noções básicas de Cultivo
São conhecidos mais de 1.800 gêneros subdivididos em torno de 35.000 espécies, espalhadas pelos quatro cantos do mundo. O gênero Isabelia, por exemplo, possui uma única espécie. O gênero Cattleya possui cerca de 70 espécies.

E o gênero Bulbophylum tem mais de mil espécies. As orquídeas mais populares são dos gêneros (C) Cattleya, (L) Laelia, (Onc) Oncidium (uma das espécies é conhecida como chuva de ouro), (Milt) Miltonia, (Den) Dendóbrium, (V) Vanda, (Phal) Phalaenópsis, (Paph) Paphiopedilum, conhecido como Sapatinho.

Nomes
Jamais compre planta sem etiqueta com o nome, data da compra e procedência. Veja algumas pronúncias:

O Conjunto de vogais ae lê-se e Ex. Laelia (Lélia); e também tem o som de e Ex. Coelogune (Celogine . Ph tem som de f Ex. Phalaenopsis (Falenopsis ; x tem som de cs Ex. xanthina (Csantina); ch tem som de k Ex. Chiloschista ( Kiloskista | Ornithorhynchum (Ornitorrinkum). Ti seguido de vogal soa como ci, exceto quanto precedido de t ou x Ex. Constantia (Constancia) Neofinetia (Neofinecia), Comparettia (Comparetia), Pabstia (Pabstia).

Classificação
De acordo com o lugar de origem, as orquídeas são classificadas como Epífitas, Terrestres ou Rupículas.

Epífitas são a maior parte das orquídeas. Vivem grudadas em troncos de árvores, mas não são parasitas, pois realizam a fotossíntese a partir de nutrientes absorvidos pelo ar e pela chuva. Portanto, ao contrário do que se pensa, não sugam a seiva da árvore.

Terrestres vivem como plantas comuns na terra.

Rupículas são as que vivem sobre rochas. Ex. Laelia flava.

Sophronitis amarela

Plantio
A maior parte das orquídeas podem ser plantadas em vasos de barro ou plástico, cujo tamanho deve ser o menor possível.

E, se a idéia é reservar espaço para o crescimento da planta, não vai adiantar nada, porque, de qualquer modo, ela deverá ser replantada a cada dois anos, pois o xaxim velho se decompõe e perde sua capacidade de nutrição.

1- Coloque uma camada de pedra no fundo do vaso ( 2 a 3 dedos ) para permitir a rápida drenagem do excesso de água.
2- Complete com xaxim desfibrado. Se houver pó, jogue o xaxim num balde com água para dispersar o pó. Jamais use o “pó e xaxim” vendido no comércio. As raízes necessitam de arejamento.
3- Certas orquídeas progridem na horizontal, L e C , por exemplo, e vão emitindo brotos um na frente do outro. Para esse tipo de planta, deixe a traseira encostada na beira do vaso e espaço na frente para dar lugar a novos brotos. Comprima bem o xaxim para firmar a planta, a fim de que, com o vento ou um jato d’ água ela não balance, pois a ponta verde da raiz irá roçar o substrato, secar e morrer.
4- Há orquídeas que dificilmente se adaptam dentro de vaso. Nesse caso, o ideal é plantar em tronco de árvore ou casca de peroba ou palito de xaxim, protegendo as raízes com um plástico até a sua adaptação. Alguns exemplos dessas espécies são: C qlakeriana, C schillerina, C alandiae, a maioria dos Oncidiuns, Leptotes, Capanemias.
5- Orquídeas monopodiais, como Vandas, Rhynchostylis, Ascocentrum dever ser colocadas em cesto ou vaso sem nenhum substrato e exigem um cuidade especial todos os dias. Deve-se molhar não só as raízes mas também as folhas com água adubada bem diluída.

Por exemplo, se a bula de um adubo líquido recomenda diluir um mililitro desse adubo em um litro de água, ao invés de um litro, dilua em 20 litros ou mais de água e borrife, a cada duas ou três horas, principalmente em dias quentes e secos. Você pode perder a paciência, mas não a planta.

Como são plantas que exigem alta umidade relativa, pode-se, por exemplo, usam um recipiente bem largo, como uma tina furada, encher de pedra britada e colocar a planta com o vaso sobre as mesmas, de modo que as pedras molhadas pela rega, asseguram a umidade necessária.

As plantas citadas acima também podem ser plantadas em vasos de xaxim, desde que tenham uma rega controlada, isto é, devem estar protegidas contra o tempo de chuvas prolongadas.

Nesse caso, molhe a planta por imersão por alguns minutos, mas somente quando perceber que o substrato está seco.

Phalaenopsis_8

Temperatura
Todas as orquídeas se adaptam bem a temperaturas entre 15 e 25 graus centígrados. Entretanto, há orquídeas que suportam temperaturas baixas, como Cymbidium, Odontoglossum, Miltônias colombianas, todas nativas de regiões elevadas. Outras já não toleram frio.

É o caso das orquídeas nativas dos pântanos da Amazônia, como C áurea, C eldorado, C violace, Diacrium, Galeandra, Acacallis. Assim, devemos cultivar orquídeas que se aclimatem no lugar em que vão ser cultivadas. Caso contrário, o cultivo estará sujeito a fracasso.

Felizmente, no Brasil, a variação de temperatura é adequada para milhares de espécies, embora algumas se adaptem melhor no planalto, outras no litoral.

Água e Umidade
A umidade relativa do ar (quantidade de vapor d’água existente na atmosfera) nunca deve estar abaixo de 30%, caso contrário, as plantas se desidratarão rapidamente.

Em dias quentes, a umidade relativa do ar é menor, por isso é necessário manter o ambiente úmido e molhar não apenas a o planta, mas também o próprio ambiente.

Num jardim, com muitas plantas e solo de terra a umidade relativa é bem maior do que numa área sem plantas com piso de cimento. Nunca molhe as plantas quando as folhas estiverem quentes pela incidência de luz solar.

Molhe pela manhã ou no fim da tarde, espere uma nuvem cobrir o sol por cerca de 10 minutos para que as folhas esfriem. Somente então, borrife as folhas, pois umedecê-las é extremamente benéfico

cattleya-hibrida

Quando devo molhar?
Ouvimos com frequência esta pergunta e a resposta é infinitamente relativa. Se uma orquídea está plantada no xaxim com pó, a rega pode ser semanal, mas se estiver plantada em piaçaba ou casca de madeira, a rega deve ser diária.

Quando se compra um vaso de orquídea, é útil verificar qual o substrato (material) em que está plantada, pois dependendo dele, a secagem pode ser rápida ou lenta.

Os substratos mais comuns são:
1- Xaxim desfibrado com pó: secagem lenta
2- Xaxim desfibrado se pó: secagem moderada
3- Musgo ou cubos de coxim: secarem lenta
4- Carvão ou piaçaba: secarem rápida
5- Casca de pínus: secagem moderada, quando sem pó, e lenta, se tiver pó.
6- Mistura de grãos de isopor, casca de pínus e carvão: secagem rápida.

A melhor maneira de regar um vaso ressecado é imergir o vaso um recipiente com água e deixar por alguns minutos. Se você regar um vaso ressecado com um regador, pode ocorrer do substrato continuar totalmente seco.

Um meio de verificar a umidade do vaso é aprender a sentir o pelo, segurando com as mãos ou através de um exame visual. Não use a mesma água em que foi mergulhado um vaso para outro, pois se no primeiro houver fungos nocivos À planta, o outro vaso irá se contaminar.

Luminosidade
Luz é essencial. Uma planta não deve fazer sombra para a outra. O ideal é manter as plantas sob uma tela sombrite de 50 a 70 % , dependendo da intensidade da isolação local. Assim elas receberão claridade em luz difusa suficiente para realizarem a sua função vital que é a fotossíntese.

Se as folhas estiverem com cor verde garrafa, é sinal de que estão precisando de mais luz. E se estiver com um cor amarelada, estão com excesso de luz. Existem orquídeas que exigem mais sombra: é o caso das microorquídeas, Paphiopedilum, Miltônias colombianas.

Para estas plantas pode ser usada uma tela de 80 % ou uma tela dupla de 50% cada. Há outras que exigem sol direto como a Vanda teres e Renanthera coccínea que, se estiverem sob uma tela, poderão crescer vigorosamente, mas dificilmente darão flor.

Há outras que também exigem sol direto como C. warscewiczii, C percivaliana, Cyrtopodium pela simples razão de ser esse o modo como vivem nativamente, embora, em geral, estejam protegidas da insolação mais forte do dia, como as que vivem circundando troncos de coqueiros.

Bulbophyllum fletcherianum

Adubação
As orquídeas necessitam de alimento como qualquer outra planta. Quando o adubo for líquido, dilua um mililitro ( é igual a um centímetro cúbico ) em um litro d’água. Uma seringa de injeção e´um medidor prático.

Quando for sólido, mas solúvel em água, dilua uma colher de chá (1g ) em um litro de água numa frequência de uma vez por semana. Essas soluções podem atuar como adubo foliar, mas nunca aplique durante o dia, pois os estômatos (minúsculas válvulas) estão fechados.

Faça-o de manhã, antes do sol nascer, ou no fim da tarde, molhando os dois lados das folhas (o número de estômatos é maior na parte de baixo das folhas).

Concentração de adubo menor do que a indicada acima pelo fabricante nunca é prejudicial.

Se diluir o adubo citado acima ( um mililitro ou um grama ) em 20 litros de água ( ou mais ) e com ele borrifar diariamente as plantas, você pode obter excelentes resultados.

Corresponde a um tratamento homeopático. Dosagem maior que a indicada funciona como veneno e pode até matar a planta.

Se o adubo for sólido, insolúvel na água, como o adubo da AOSP, deve ser pulverizado diretamente no vaso, numa média de uma a duas colheres de chá, dependendo do tamanho do vaso, uma vez por mês. É preciso cuidado para não jogar diretamente sobre as raízes expostas.

Pragas e Doenças
Plantas bem cultivadas, isto é, com bom arejamento, boa iluminação, num local de alta umidade relativa e bem alimentadas, dificilmente estão sujeitas a pragas e doenças.

Falta de arejamento e de iluminação podem ocasionar o aparecimento de pulgões e cochonilhas ( parece pó branco ) que podem ser eliminados por catação manual ou com o uso de uma escova de dentes molhada com caldo de fumo, se forem poucas plantas.

Planta encharcada pelo excesso de água ou submetida a chuvas prolongadas pode ser atacada por fungos e/ou bactérias, causando manchas nas folhas e/ou apodrecimento de brotos novos.

Na verdade, o encharcamento não e a causa direta do apodrecimento das raízes. O que ocorre é que os fungos ou nematóides que estavam em estado latente, ao encontrar condições favoráveis, se ativa e atacam a planta.

No comércio existem muitos tipos de fungicidas e inseticidas, mas o manuseio requer cuidados especiais, pois são tóxicos pra o ser humano e para outros seres vivos. Deixamos aqui a velha receita caseira do caldo de fumo que não é nocivo e é fácil de preparar.

Ferva 100g de fumo de rolo picado em um litro e meio de água, acrescente uma colher de chá de sabão de coco em pó e borrife as plantas infectadas. É importante ferver o fumo, pois pode ser portador de vírus do tabaco.

Pode-se também usar spray doméstico, tipo mata moscas, baratas etc, feito à base de água e não de querosene.

cymbidium_11

Divisão e Replantio
A divisão e replantio devem ser feitos quando a planta estiver emitindo raízes novas, o que se percebe pelas pontilhas verdes nas extremidades das raízes, não importando a época, inverno ou verão.

Quando for dividir a planta, cada parte deverá ficar com, no mínimo, três bulbos, tendo-se o cuidado de não machucar as raízes vivas, o que se consegue molhando-as, pois ficam mais maleáveis.

Sempre flambeie com uma chama ( de um isqueiro, por ex ) o instrumento que vai usar para dividir a planta, para ter certeza de que a lâmina não está contaminada por vírus.

No caso de orquídeas do tipo vandáceas vão crescendo indefinidamente, atingindo metros de altura. Nesse caso, pode-se fazer uma divisão, cortando o caule abaixo de 2 ou mais raízes e fazer um novo replante. Se a base ficar com alguns pares de folhas, emitirá novos brotos.

Floração
De um modo geral, cada espécie tem sua época de floração que é uma vez por ano. Convém marcar a época de floração de cada espécie e examina-las periodicamente, pois caso não floresçam nessa época, algo de errado está ocorrendo com a planta.

Por exemplo, temos a floração da C granulosa, C bicolor, C guttata. No outono, temos a C violácea, C luteola, L perrinil, C bowringiana. Na primavera temos a C waneri, L purpurata, C gaskeliana. Existem orquídeas como certas Vandas que bem tratadas, chegam a florir até quatro vezes por ano, desde que o inverno não seja tão rigoroso.

O mesmo ocorre com híbridos cujos pais têm épocas diferentes de floração.

campoflorido

planta saudável

Assim como nós, as plantas são seres vivos e necessitam de alimentos para crescerem de forma saudável. Os alimentos das plantas são fornecidos pelo solo, que, além de sustentá-las, é o depósito das substâncias das quais os vegetais se alimentam.

Essas substâncias alimentícias são chamadas de nutrientes, e são todos os elementos, ou compostos químicos, que os seres ingerem para garantir o funcionamento do metabolismo e das ações celulares de seu corpo. Em resumo: os nutrientes são o combustível e a matéria-prima para a vida.

No caso das plantas, os nutrientes são classificados em dois grupos: macronutrientes e micronutrientes. Os macronutrientes são os elementos de que a planta necessita em quantidades elevadas; e os micronutrientes, aqueles dos quais elas precisam em quantidade muito pequena.

Os macronutrientes mais importantes para o desenvolvimento das plantas são o nitrogênio, o potássio e o fósforo. Além desses, são também essenciais para as plantas o cálcio, o magnésio e o enxofre. Quanto aos micronutrientes, os principais para elas são: boro, cloro, molibdênio, cobre, ferro, zinco e manganês.

Tanto os macronutrientes como os micronutrientes são necessários para o bom desenvolvimento das plantas e para a formação de flores e frutos saudáveis. Quando o solo não possui esses nutrientes nas quantidades exigidas, é necessário que coloquemos neles os fertilizantes, também chamados de adubos.

planta-saudável

No entanto, essa adição de adubos tem que ser feita de forma sustentável, com a preservação do meio ambiente e a melhoria da qualidade das plantas.

Um jardim exige um trabalho paciente e atenção. As plantas não crescem apenas para satisfazer as ambições ou para cumprir as boas intenções. Eles prosperam porque alguém gasta esforço nelas.

Na verdade, seu trabalho está longe de ser mais uma vez que você plantou as sementes ou mudas e ter regava. Um jardim é como uma criança sempre crescente que continua a ser uma criança, apesar de floração e floração, pois precisa de sua atenção e cuidados constantes para crescer do jeito que você quiser.

Nós todos sabemos que o solo, água e luz solar são os três ingredientes mais essenciais que fazem mudas saem de sementes e fazer as sementes crescem em plantas e árvores.

No entanto, se você pretende ter um jardim ou plantas em vasos, você precisa saber sobre todas as coisas que uma planta precisa, além de solo, água e luz, para crescer saudável e olhar bem cuidada. Então, o que faz com que as plantas crescem? Bem, eu estou voltando para isso.

plantas-em-vasos
O que faz a planta necessita para crescer e sobreviver?
Embora todos nós sabemos que as plantas precisam de três coisas essenciais – água, solo e luz solar – para sobreviver e crescer bem, você sabe exatamente como esses três fatores nutrir as plantas e equipá-los com os nutrientes necessários para crescer saudável? Não? Bem, certos elementos químicos, tais como azoto, fósforo e dióxido de carbono são utilizados pelas plantas para produzir alimento para si.

A água dissolve estes nutrientes do solo e esta água é absorvida pelas raízes através do processo de osmose e enviado para cima, através de um mecanismo conhecido como puxar transpiração que é caracterizado por a direção inversa gravitacional na qual a água viaja para cima, afastando-se da raiz e do solo.

Uma vez que a nutrição, é transportada para as folhas, o presente clorofila nas folhas das plantas verdes bloquear a luz solar e usá-lo para combinar o dióxido de carbono e água para produzir açúcar e de oxigênio. Enquanto o açúcar se torna a fonte de alimento ou nutrição da planta verde, o oxigênio é exalado.

Este açúcar é então convertido em amido, gorduras e proteínas que vão à frente para alimentar a planta e torná-lo saudável. Além de rico em nutrientes do solo, água suficiente e luz solar, as plantas também precisam de ar suficiente para um melhor crescimento. Um solo bem arejado evita que as raízes de decomposição e equipá-los para uma melhor absorção de águas minerais dissolvidos.

folhagens
Que nutrientes que a planta precisa para crescer?
Além disso, o dióxido de carbono, os outros nutrientes primários que beneficiar grandemente o processo de crescimento das plantas são nitrogênio, potássio e fósforo. Nitrogênio em sua forma sólida da água, solúvel é um ingrediente extremamente essencial na nutrição das plantas que ajuda a planta a crescer folhas e frutos.

Na ausência de nitrogênio suficiente, a planta é incapaz de realizar a fotossíntese corretamente o que faz com que as folhas vão amarelo e a planta torna-se fraca. Por outro lado, se houver um excesso de azoto, a folhagem tende a tornar-se mais densa mas flores e frutos diminuem em número e tamanho.

O fósforo desempenha um papel-chave na fotossíntese e transferência de nutrição e energia em todo o sistema da planta. Também é responsável por manter a estrutura celular da direita plantas. Devido a esta razão, um déficit de resultados de fósforo no crescimento de plantas raquíticas, diminui a produção de frutas e flores e as causas deixa a murchar.

Outro elemento nutricional importante para o crescimento da planta é o potássio. É especialmente beneficia o crescimento de plantas com caules e ramos robustos, como arbustos e árvores como a principal função de potássio é fortalecer as raízes e caules. Isso estimula o crescimento das flores e da saúde geral das plantas.

De potássio também regula a função do estômatos que são as células de plantas que utilizam-se água absorvida pelas raízes. Enquanto azoto, fósforo e potássio são os nutrientes primários necessários para o crescimento das plantas, há determinados nutrientes secundários e micro que também beneficiar a saúde das plantas de várias maneiras.

Espironema

Estes são:
Nutrientes secundários

Enxofre; Cálcio; Magnésio;

Os micro nutrientes:
Cobre; Ferro; Boro; Manganês; Cloreto; Zinco; Molibdênio.

Além desses fatores nutricionais, temperatura e níveis de umidade atmosféricas também afetam o crescimento das plantas e as plantas diferentes têm necessidades diferentes nessas questões.

Os fatores de crescimento de plantas básicas, tais como solo bem arejado, água, dióxido de carbono e luz solar são comuns para o crescimento de todas as plantas, assim são os 3 nutrientes primários.

A proporção e exigência dos nutrientes secundários e micro pode variar em diferentes espécies de plantas.

banconolago

jardim

As plantas são organismos vivos, que respiram e até sentem a gravidade e a utilizam para orientar seu crescimento.

Portanto, para cuidar bem de sua plantinha, é preciso aprender um pouco mais sobre a vida vegetal e entender sua ligação com a terra, temperatura, umidade e demais fatores — e não achar que ela é um ser inanimado.

Acostume-se a visitar suas plantas diariamente, examinando-as bem de perto, retirando folhas e bulbos velhos, ervas daninhas, flores murchas.

Limpar as partes secas é importante, pois, muitas vezes, são portadoras de esporos de fungos nocivos que se espalham com a mais leve brisa ou por respingos d´água.

Depois de um tempo, você notará se estão saudáveis ou não.

Ao procurar solução para os problemas de suas plantas, você estará entrando em um outro mundo, onde conviverá com belas flores, fará novas amizades, se aliviará do stress da vida diária e terá um encanto a mais em seu apartamento.

borboleta-1

capim dos pampas

O capim-dos-pampas é gigante, chegando a 2,5 m de altura.  É uma planta da família Poacea, que é conhecida por gramíneas, capins, gramas ou relvas (o antigo nome dessa família era Gramineae).

É uma planta nativa da América do Sul, principalmente de países como Brasil (região sul) e Argentina, na região dos pampas (por isso o seu nome popular, devido a essa região ser composta de países como Brasil, Argentina e o Uruguai).

As espécies que pertencem a esta família, se caracterizam por serem plantas floríferas, monocotiledôneas e possui grande importância para os seres humanos, tanto no aspecto econômico quanto no aspecto alimentar, pois fazem parte dessa família cultivar como: milho, trigo, aveia, centeio, cevada, arroz e cana de açúcar.

Também é chamado popularmente de: Cana-dos-pampas, Cana-tinga, Cortadeira, Penacho-branco, Pampa-grass e Pluma.

São encontradas as seguintes variedades desta espécie vegetal: Gold Band, Pumila e Sunningdale Silver.

A beleza do capim-dos-pampas é reconhecida e admirada por todo o mundo, devido às lindas plumas coloridas que são produzidas por esta espécie. Essas plumas são bastante resistentes e duráveis quando são cortadas da planta, e podem ser usadas na formação de arranjos e vasos.

capim-dos-pampas

Características do Capim-dos-Pampas
O capim-dos-pampas é uma herbácea, que se caracteriza por ser um tipo de planta que não possui caule lenhoso e podem adquirir a altura e as características de arbusto, que é o caso do desta planta.

É uma planta rizomatosa, isto é, possui caules subterrâneos que possuem a capacidade de guardar e armazenar nutrientes para o sustento da espécie vegetal. As plantas rizomatosas crescem formando touceiras que são separadas de forma periódica da planta mãe, para limpeza e para a multiplicação das plantas. As touceiras do capim-dos-pampas apresentam vários tufos de folhas.

O caule possui numerosos colmos, que é um caule típico das plantas rizomatosas, que são densos e com uma grande quantidade de folhas. É uma espécie vegetal que apresenta um ciclo de vida perene, isso significa que é uma planta que possui um longo ciclo de vida, que no reino vegetal significa que ela vive mais que dois anos.

capimdospampas

O capim-dos-pampas é considerado uma planta grande, pois apresenta uma altura média de 2,50 m e já foram encontradas espécies desta planta com 4,70 m.

Suas inflorescências se parecem com grandes plumas e podem ser de coloração branca, amarela, rósea, púrpura, azul celeste e roxa, e se formam no período do verão e em outono.

Outra característica das flores do capim-dos-pampas é que elas são flores perenes.  As folhas do capim-dos-pampas são longas, delgadas, lineares (apresentam a disposição de uma linha) e possuem bordas cortantes, pois são muito afiadas.

Elas podem se apresentar nas cores verde, verde azulada e cinza prateado. São folhas grandes, podendo apresentar 2 m de comprimento.

Sendo um planta diferente, sua beleza é ressaltada se utilizada isolada em gramados, podendo ser plantada em conjuntos. Presta-se também como flor de corte.

capim-dos-pampas

Cultivo do Capim-dos-Pampas
A planta tem como característica ser facilmente manejada e cultivada. É uma planta típica de clima temperado, contudo ela se adapta a ser cultivada em regiões que possuem clima mediterrâneo, tropical e subtropical. Suporta com boa capacidade de resistência aos climas frios e até mesmo a situações de frio extremo como as geadas.

Deve ser cultivado a sol pleno, principalmente nas regiões mais frias. O solo ideal para seu cultivo, é o fértil, e o solo pode ser enriquecido com material orgânico para aumentar a fertilidade do solo para que ele fique mais apropriado ainda para o cultivo.

A irrigação deve ser feita de forma regular, podendo o solo ficar levemente umedecido, no entanto é necessário cuidado para não encharcar o solo, pois essa situação pode causar o sufocamento das raízes.

Caracteriza-se por ser uma espécie vegetal bastante peculiar e diferente, por isso sua beleza é reforçada quando a planta é cultivada em gramados de forma isolada ou em conjuntos.

O capim-dos-pampas possui um belíssimo efeito decorativo e ornamental, podendo ser uma espécie usada tanto no paisagismo como na arte floral – produção de arranjos florais.

No caso do uso da planta para produzir arranjos florais, ela é cultivada como flor de corte, pois nesse caso elas são cortadas após desabrocharem e são secas expostas ao sol.

capim dos pampas

Multiplicação
O capim-dos-pampas se multiplica através da divisão de touceiras e pela dispersão de sementes.

A multiplicação por divisão das touceiras consiste na fragmentação (divisão) das touceiras que surgem em uma planta.  Devido a essa divisão, surgem mudas da espécie cultivada, e essas mudas que são obtidas, têm o objetivo de serem plantadas em outros locais, e assim serem geradas novas espécies do capim-dos-pampas em outros lugares.

A multiplicação por dispersão das sementes consiste em espalhar as sementes que são produzidas pelas flores da planta em locais com condições adequadas de cultivo. Um grande auxílio para a dispersão das sementes desta espécie é dada pelo vento, que faz a dispersão de maneira natural.

É uma espécie vegetal que se reproduz com extrema facilidade, tanto que em alguns países ela é considerada uma planta invasiva, pois o capim-dos-pampas tem a capacidade de produzir mais de 1milhão de sementes durante o seu ciclo de vida.

Também pode ser usado sobre taludes e bermas, como forma de combater a erosão dos solos e também como uma espécie de para vento, quando cultivadas próximos ao mar.

capimpampas

Podas
Recomenda-se fazer poda drástica na planta a cada ano, cortando-se toda a planta próximo ao chão. Isso geralmente é realizado no final do inverno ou início da primavera.

Por causa da folhagem afiada, a tarefa de poda deve ser feita com muito cuidado usando luvas e uma camisa de mangas compridas.

Embora não seja obrigatório, após a poda incorpore húmus de minhoca ao solo ao redor da planta e um fertilizante químico NPK 10-10-10 para estimular o crescimento, quando a planta estiver formada usar NPK 4-14-8 para estimular o florescimento.

cachoeiraarcoiris