Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Causas e Soluções’

Senecio_rowleyanus

Esta suculenta desenvolve numerosos caules compridos guarnecidos com folhas esféricas que lembram um colar ou um rosário. A forma globosa das folhas permite minimizar a área de superfície e deste modo conservar mais água.

As bolinhas verdes (folhas) possuem uma faixa transparente, que permite a entrada da luz no seu interior e aumenta a capacidade de fotossíntese.

A floração não é muito vistosa, mas liberta um delicioso aroma a canela. As flores são pequenas e brancas, com estames de cor púrpura.

O florescimento não ocorre em todos os ambientes, é preciso determinadas condições como boa exposição solar e bom arejamento, além disso, é necessário que a planta atinja a maturidade.

É referenciada como uma planta tóxica, embora o estudioso Gordon Rowley afirme que ela é inofensiva.

Cultivo
Condições favoráveis
Aprecia climas amenos com temperaturas acima dos 5ºC. O local de cultivo ideal é em ambiente de boa luminosidade, evitando o sol direto. Nas épocas frias é conveniente proteger a suculenta das chuvas excessivas e do frio, ela não  tolera o excesso de umidade, nem a geada.

senecio

Transplante do colar de pérolas
O recipiente não necessita de ser profundo, mas deve ter a boca larga. Coloque no fundo material drenante como argila expandida, casca de árvores, entre outros.

Use um substrato poroso com boa capacidade de drenagem como o substrato de cactos e suculentas ou misture um húmus de minhoca com composto orgânico e areia em partes iguais.

Rega do colar de pérolas
A rega deve ser regular, desde que o substrato seque bem entre uma rega e outra. No Inverno reduza a quantidade de água, de modo a prevenir o aparecimento de fungos. Tal como a maioria das suculentas, ela não gosta de excesso de água.

senecio

Manutenção do colar de pérolas
Ela não requer poda, porém se ramos ficarem muito desproporcionais, pode cortar e aproveitar para fazer a propagação de novas mudas.

Multiplicação do colar de pérolas
A reprodução é feita por meio de estacas. Coloque uma estaca com pelo menos 10 centímetros de comprimento deitada sobre um substrato poroso, nunca a deixe pendurado.
Se a sua suculenta florir, pode esperar ela dar fruto e recolher as sementes, porém o processo é muito demorado.

Usos paisagísticos
Quando cultivado no chão o colar de pérolas acaba por formar um lindo tapete,  mas é no cultivo de vaso como pendente que ela atinge a plenitude de toda a sua beleza exótica, lembrando colares de pérolas verdes.

correnteza_33

Guaimbe

As plantas mostram, nas folhas, frutos, caules e raízes, as carências nutricionais que têm – a cor das folhas novas, a cor das folhas velhas, o desenvolvimento das raízes, o crescimento lento, a queda das flores, a não floração, as folhas com bordas queimadas, ou amareladas, a pouca produção de frutos, os frutos que, pequenos ainda, caem ao chão, ou quando as folhas enrolam nas pontas, ou são atacadas por bichinhos que as comem.

Todos esses são sintomas fáceis de você observar em suas plantas e que podem, sem grande erro, ajudar que você complemente os nutrientes que a planta precisa.

Veja abaixo uma lista de sintomas típicos que acusam a falta de alguns dos nutrientes mais importantes para a saúde vegetal.

* Nitrogênio (N): As folhas novas não se desenvolvem bem; as mais velhas ficam amareladas. A planta apresenta folhas esbranquiçadas e sem um crescimento saudável. A falta de nitrogênio requer que você plante, nesta terra, uma leguminosa qualquer, que vai incorporar o elemento ao solo.

* Fósforo (P): Desenvolvimento deficiente das raízes, o crescimento é bastante lento, a floração é insignificante e a folhagem fica escura, quase marrom.

* Potássio (K): As bordas das folhas adultas ficam queimadas; florescimento escasso e fraco, baixa produção de frutos.

* Enxofre (S): As folhas mais novas ficam amareladas.

* Ferro e manganês (Fe): Nota-se já nas folhas novas, que ficam quase brancas. As bordas das folhas mais velhas ficam amareladas. Em casos mais graves.

* Zinco (Zn): Os entrenós do caule ficam mais curtos que o normal.

* Cálcio (Ca): As folhas novas têm uma cor muito pálida e se enrolam. Ajuda você enriquecer o solo com casca de ovo moída.

* Magnésio (Mg): As folhas adultas se apresentam pálidas, incluindo as nervuras. Em casos graves, as folhas caem todas.

Alocásia

Para ter cultivos saudáveis
É importante, para se ter cultivos saudáveis, que você tenha uma terra saudável, claro. E, uma terra saudável é aquela em que existem minhocas, pois essas ajudam na formação da matéria orgânica.

Então, a melhor maneira é que você, todos os anos, mude as terras dos seus vasos, acrescente o composto bem curtido que você fez na sua composteira, no ano anterior.

Que junte ao composto as cascas dos ovos moídas e que pratique, sempre que possível, a rotação dos cultivos no solo.

água-energia

camarão-azul (7)

As doenças nas plantas são anormalidades provocadas geralmente por microrganismos, como bactérias, fungos, nematóides e vírus, mas podem ainda ser causadas por falta ou excesso de fatores essenciais para o crescimento das plantas, tais como nutrientes, água e luz. Neste caso, são também conhecidas como distúrbios fisiológicos.

Várias são as medidas que podem ser adotadas para evitar a ocorrência de doenças em plantas.

Para que as doenças sejam bem controladas é necessário que o cultivo seja bem conduzido, ou seja, que a planta não esteja sujeita a estresses provocados por fatores diversos, tais como época de plantio desfavorável, adubação desbalanceada, ferimentos nas plantas, competição com plantas daninhas e o uso de cultivares não adaptadas ao clima.

É bem fácil observar se as suas plantas estão bem adaptadas ao local e aos tratos culturais que estão recebendo.

Veja como observar alguns sintomas pode prevenir problemas e doenças.
* Sintoma: Os caules crescem de uma forma exagerada, as folhas mais velhas ficam longas e desbotadas enquanto as novas não se desenvolvem.
- Causa: Pouca luz. Excesso de Nitrogênio.
- O que fazer: Coloque a planta num local mais iluminado. Reduza o teor dos adubos ou diminua a frequência das aplicações.

* Sintoma: As folhas antigas enrolam-se; as novas não se desenvolvem.
- Causa: Excesso de luz.
- O que fazer: Coloque a planta num local mais sombreado ou pare de usar adubos para incentivar o crescimento.

* Sintoma: Os caules ficam polpudos, escuros e apodrecem; as folhas inferiores dobram-se e murcham; a terra, na superfície, fica constantemente molhada.
- Causa: Excesso de água.
- O que fazer: Não regue em quantidade ou com muita frequência. Molhe apenas quando a terra do vaso estiver seca. Assegure-se de que o buraco de drenagem do vaso não está entupido. Não deixe a água drenada ficar embaixo do vaso mais de 30 minutos. Diminua as regas, ainda mais, no período de dormência das plantas.

* Sintoma: As pontas das folhas escurecem e elas acabam murchando. As folhas inferiores ficam amarelas e caem.
- Causa: Pouca água.
- O que fazer: Regue até que a água escorra pelo buraco de drenagem do vaso. Não molhe outra vez antes da terra secar.

* Sintoma: As bordas das folhas enrolam-se e ficam amarronzadas.
- Causa: Falta de umidade.
- O que fazer: Aumente a umidade, colocando os vasos sobre uma bandeja com pedrinhas e água ou então no interior de um recipiente cheio de esfagno úmido. Borrife as folhas.

* Sintoma: A planta não dá flores, ou produz apenas algumas, e forma um cúmulo de folhas. Na superfície do vaso, às vezes aparece um lado esverdeado.
- Causa: Excesso de adubo, principalmente nitrogênio.
- O que fazer: Adube com menos frequência, usando a metade da quantidade indicada na embalagem, principalmente no inverno, quando a planta recebe menos luz. Não use adubo rico em nitrogênio durante o período de crescimento. Não adube na época de dormência da planta.

* Sintoma: As folhas inferiores tornam-se amarelas e caem; as novas não se desenvolvem e os caules param de crescer.
- Causa: Falta de adubos.
- O que fazer: Adube frequentemente no período de crescimento da planta.

* Sintoma: As folhas ficam amareladas, dobram-se e murcham.
- Causa: Excesso de calor.
- O que fazer: Mude a planta para um lugar mais fresco.

* Sintoma: Surgem manchas amareladas ou amarronzadas nas folhas.
- Causa: Água fria nas folhas.
- O que fazer: Ao regar as plantas, use água à temperatura ambiente ou um pouco mais alta.

* Sintoma: Manchas brancas amareladas ou amarronzadas nas folhas.
- Causa: Queimadura do sol.
- O que fazer: Propicie mais a sombra à planta, filtrando a luz do sol com cortinas, ou mude-a para perto de uma janela que não receba luz solar direta nas horas mais quentes do dia.

* Sintoma: Uma cobertura branca aparece na superfície da terra ou nas margens e lados do vaso de barro. As folhas que tocam na borda do vaso murcham, apodrecem e caem.
- Causa: Acúmulo de sais provenientes dos adubos.
- O que fazer: Regue a planta inteiramente, para dissolver os sais. Depois de meia hora, molhe-a novamente para que os sais sejam expelidos pelo buraco de drenagem. Lave bem os lados e margens do vaso e revista essas partes com cera derretida.

* Sintoma: As raízes ocupam todo o espaço do vaso e passam pelo buraco de drenagem. A planta murcha ou produz apenas pequenas folhas.
- Causa: Vaso pequeno.
- O que fazer: Replante num vaso maior.

chuvabruna

impatiens

As plantas mostram, nas folhas, frutos, caules e raízes, as carências nutricionais que têm – a cor das folhas novas, a cor das folhas velhas, o desenvolvimento das raízes, o crescimento lento, a queda das flores, a não floração, as folhas com bordas queimadas, ou amareladas, a pouca produção de frutos, os frutos que, pequenos ainda, caem ao chão, ou quando as folhas enrolam nas pontas, ou são atacadas por bichinhos que as comem.

Todos esses são sintomas fáceis de você observar em suas plantas e que podem, sem grande erro, ajudar que você complemente os nutrientes que a planta precisa.

Veja abaixo uma lista de sintomas típicos que acusam a falta de alguns dos nutrientes mais importantes para a saúde vegetal.

* Nitrogênio (N): As folhas novas não se desenvolvem bem; as mais velhas ficam amareladas. A planta apresenta folhas esbranquiçadas e sem um crescimento saudável. A falta de nitrogênio requer que você plante, nesta terra, uma leguminosa qualquer, que vai incorporar o elemento ao solo.

* Fósforo (P): Desenvolvimento deficiente das raízes, o crescimento é bastante lento, a floração é insignificante e a folhagem fica escura, quase marrom.

* Potássio (K): As bordas das folhas adultas ficam queimadas; florescimento escasso e fraco, baixa produção de frutos.

* Enxofre (S): As folhas mais novas ficam amareladas.

* Ferro e manganês (Fe): Nota-se já nas folhas novas, que ficam quase brancas. As bordas das folhas mais velhas ficam amareladas. Em casos mais graves.

* Zinco (Zn): Os entrenós do caule ficam mais curtos que o normal.

* Cálcio (Ca): As folhas novas têm uma cor muito pálida e se enrolam. Ajuda você enriquecer o solo com casca de ovo moída.

* Magnésio (Mg): As folhas adultas se apresentam pálidas, incluindo as nervuras. Em casos graves, as folhas caem todas. É bastante comum nos tomateiros.

Begonia Semperflorens

Para ter cultivos saudáveis
É importante, para se ter cultivos saudáveis, que você tenha uma terra saudável, claro. E, uma terra saudável é aquela em que existem minhocas, pois essas ajudam na formação da matéria orgânica.

Então, a melhor maneira é que você, todos os anos, mude as terras dos seus vasos, acrescente o composto bem curtido que você fez na sua composteira, no ano anterior. Que junte ao composto as cascas dos ovos moídas e que pratique, sempre que possível, a rotação dos cultivos no solo.

chuva-5