Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Bulbosas’

Gladiolus_(92)

A flor-pavão também pode ser conhecida por outros dois nomes populares, que são: gladíolo-da-abissínia e acidantera. Pertence à família Iridaceae e sua origem é da África.

A flor-pavão é classificada nas categorias, a de bulbosas e a de flores perenes. Normalmente, a altura dessa planta fica entre 0.6 e 0.9 m e para crescer saudável e atingir o tamanho máximo, precisa de sol pleno, tendo o seu ciclo de vida perene.

As flores dessa espécie de planta têm uma beleza única. Elas são lindas e perfeitas e chamam atenção dentro da sua delicadeza. São brancas e no interno, apresentam uma grande mancha uma tonalidade marrom arroxeada, marcando bem o centro da flor.

Em algumas flores, pendentes, essa mancha pode apresentar uma tonalidade um pouco diversa, mais puxada para uma cor alaranjada. Outro detalhe que faz dessa planta uma espécie muito especial é que ela não encanta só pela sua beleza, mas também porque possui um delicioso perfume, que fica mais forte e pode ser percebido melhor, na parte da tarde.

flor-pavão

Seus bulbos são muitos e se apresentam na tipologia cormo, enquanto as folhas que são lineares na cor verde, possuem a textura opaca e são muito longas.

Uma das grandes vantagens de se cultivar a flor-pavão, além da beleza e do perfume das suas flores delicadas é o fato de que ela poderá florescer em várias épocas do ano.

Para que isso seja possível basta que os seus bulbos sejam mantidos refrigerados até o  momento em que você deseja que aconteça a florescência.

Porém, se não houver nenhuma tentativa de que as flores apareçam mais de uma vez por ano, a flor-pavão naturalmente irá florescer na primavera, no verão e no outono.

gladíolus murielae

O uso na ornamentação no jardim
Flores com vários momentos de florescência no ano, de cor bonita e iluminada, de textura delicada e ainda perfumada, sempre são muito usadas no paisagismo.

No caso da flor-pavão todas as suas vantagens fazem com que ela seja usada para fazer bordaduras ou maciços. Normalmente, os paisagistas preferem misturá-las com outras espécies bulbosas que tenham o porte bem parecido, ou ainda, se usa fazendo “escadas”, que cria um efeito muito agradável.

A flor-pavão pode ser plantada ao mesmo tempo e isso faz com que floração seja mais longa e ela também pode ser cultivada em jardineiras e em vasos. São consideradas de plantio simples e ditas como bulbosas rústicas.

Cultivo
Como já foi dito a flor-pavão aprecia o calor e principalmente o sol, então, para não errar, o local certo para o cultivo é sob o sol pleno.

Além de observar a necessidade do sol para o cultivo da flor-pavão o solo e o tratamento dele também são de extrema importância para que a sua planta cresça bonita e vistosa.

O solo para receber a flor-pavão deve não só ser fértil como deverá ser enriquecido com matéria orgânica. Além disso, é de extrema importância que o sistema de drenagem seja ótimo e que esse solo seja frequentemente irrigado antes do plantio.

O ideal é primeiro preparar o solo como se deve para depois cultivar a planta. Nem pense em cultivar uma flor-pavão em um solo encharcado e muito menos argiloso. São duas situações que a planta não resiste, e acaba tendo os seus cormos apodrecidos em um espaço de tempo curtíssimo.

gladíolo

Se por acaso, você achar que terá problemas de encharcamento com o solo, uma alternativa é criar os canteiros elevados. Desse modo a drenagem natural será favorecida.

Com um solo perfeito, bem cuidado, como você foi explicado anteriormente, e sob sol pleno é hora de plantar os cormos da flor-pavão, porém, atenção, a profundidade correta para colocar cada um deles é de do mínimo 7 e no máximo 10 cm. Outro detalhe importante sobre espaçamento é aquele que deverá ter entre cada cormo, 20 cm.

Uma vez que se decide de multiplicar as plantas, o processo poderá ser feito com a separação dos pequenos cormos. Esses “pequenos cormos” são aqueles que vão se formando próximo ao chamado “cormo mãe’. Será possível observá-lo quando estiver chegando a colheita, que é bem depois do período vegetativo.

Gladiolus_murielae_818

Sobre os cuidados com as plantas depois de já terem crescido, saiba que os cormos devem ser retirados quando elas começarem a amarelar. Será necessário cortar as folhas por completo.

Em seguida, lave-as e coloque-as na sombra para secar. O lugar ainda deverá ser arejado e seco.

Se quiser, para ter flores quando desejar, os cormos podem ser guardados depois de seco, em um lugar fresco e seco, em local refrigerado. Porém, é necessário observar se eles estão protegidos de uma desidratação excessiva.

teka 08

Scadoxus multiflorus

O cultivo de algumas plantas podem precisar um pouco de habilidade e muito conhecimento. São tantas espécies que muitos se esquecem que cada uma possui uma forma de cuidar diferente, muito específica e que, para isso, é preciso descobrir muito sobre aquilo que se quer plantar. É isso que acontece com as plantas conhecidas como bulbosas, que possuem uma forma única de cultivo!

O que são plantas bulbosas?
Como o nome já diz, as plantas bulbosas são conhecidas assim porque possuem bulbos, uma parte específica da estrutura destas espécies que costumam ficar e se desenvolverem por baixo da terra, se diferenciando de tantas outras plantas por ai.

Este bulbo também pode ser conhecido como caule subterrâneo, e é lá que estas espécies tão especiais armazenam os seus nutrientes, durante as regas, adubação e outros elementos do cultivo.

É muito importante lembrar que esta acumulação de nutrientes em um caule por debaixo da terra é o que garante o impulso inicial destas plantas para a primeira brotação e até mesmo para que elas possam se manter ao longo de todo o plantio!

As plantas que possuem seus bulbos podem se comportar de várias maneiras diferentes, sendo duas as mais importantes. Para começar, elas podem ser perenes, ou seja, duráveis.

Quando não se comportam de forma perene, costumam desaparecer com a sua parte externa, retornando com a mesma somente em determinadas épocas do ano.

Para quem escolhe plantar estas espécies, muitas das vezes elas podem ficar sem aparecer e o seu canteiro permanecerá vazio por um tempo, como se nada estivesse brotando ali. Porém, após uma nova brotação, as bulbosas reaparecem sempre belas, mostrando tudo o que tem de bom.

Antes mesmo do período de uma nova brotação iniciar, você pode deixar os bulbos em baixo da terra ou retira-los, guardando os mesmo em um local ventilado, úmido e bem protegido.

Quando chegar o tempo de rebrotação, você poderá replantar os bulbos destas plantas, que não terá mudado nada e elas continuarão se desenvolvendo. Geralmente, quando a bulbosa não brota é porque ela está entrando em seu período de hibernação.

Logo depois, a floração começa enchendo o jardim de alegria. Além deste grande milagre, as bulbosas costumam ser as plantas mais resistentes entre todas as outras que existem.

As plantas bulbosas são ótimas companheiras. No geral, elas necessitam de poucos cuidados e podem, quando menos se espera, brotar com lindas flores. Algumas espécies liberam um odor incrível, tendo gosto de tê-las no seu jardim. É por estes e tantos outros motivos que milhões de jardineiros escolhem as bulbosas para cultivo.

Existem variedades de bulbosas que florescem sempre muito rápido, brotando com velocidade e que se adaptam a climas diversos, se desenvolvendo nas áreas mais complicadas para plantio, tamanha é a sua força para brotar.

Muitas delas conseguem brotar em várias estações do ano, sem muitas exigências, o que torna estas espécies inseridas dentro do grupo de baixa manutenção para cultivo.

Uma outra coisa muito interessante sobre as bulbosas é que elas podem florescer mesmo se seus bulbos forem deixados em prateleiras.

Além disso, mesmo que seu ciclo de vida termine, as bulbosas costumam deixar seus filhotes de forma natural, com o intuito de propagar a espécie. Por causa disso, elas são consideradas muito resistentes, durante um longo tempo e sempre estando presente nos locais escolhidos para plantio.

Amarilis - Hippeastrum hybridum

Como cuidar e cultivar plantas bulbosas?
1. Escolhendo as Plantas
Por mais que as bulbosas sejam muito fortes a qualquer condição climática, é sempre bom escolher aquela espécie que mais se desenvolve no clima da sua região, já que o cultivo acaba se tornando muito mais fácil.

Pesquise bastante sobre a espécie que você vai escolher para plantar, de forma que a mesma se desenvolva de uma forma mais prática. Com isso, seu jardim ficará lindo e você não terá um trabalho imenso para poder conservá-las.

2. Armazenamento
Com o bulbo comprado, nem sempre conseguimos planta-lo de imediato. Para começar, você pode guardar o mesmo em um local seco, arejado e protegido, para que posteriormente ele possa ser cultivado da melhor maneira possível.

Uma opção muito boa e que aconselham todos os especialistas é colocar os bulbos recém-comprados em uma bandeja forrada e grande, com areia ou com papel limpo, estando o mesmo bem seco. Lembre-se de manter os bulbos separados uns dos outros.

Para não se perder e identificar cada um de seus bulbos armazenados, cole uma etiqueta em cada um indicando qual é a sua espécie e também qual a data em que ele foi adquirido. Esta etapa de identificação dos bulbos é muito importante e não pode ser esquecida. Para evitar o apodrecimento dos bulbos mantenha a área de armazenamento sempre muito bem ventilada.

bulbos

3. Inserindo os bulbos na terra
Antes de colocar os bulbos na terra, verifique sempre se a mesma não está muito encharcada e se o sistema de drenagem está bom. Esta etapas é muito importante, pois os bulbos não conseguem se desenvolver bem em solos muito úmidos.

Para iniciar o plantio, prefira um solo mais ou menos argiloso, onde não há a proliferação de fungos e faça uma cova bem profunda. Depois, basta inserir o bulbo e regar com apenas um pouco de água.

Esta parte é importante pois solos muitos secos acabam desfavorecendo a floração de algumas espécies de bulbosas. Neste caso, a inserção de matéria orgânica logo após o plantio é muito importante!

Para cobrir a cova, faça com matéria orgânica e com uma camada grossa de terra. Depois, é só deixar que as bulbosas se proliferem lindamente em seu jardim, regando as mesmas regularmente para que a armazenagem de nutrientes nos caules subterrâneos seja feita da melhor maneira possível.

chuvas

Muscari_armeniacum2

O jacinto-uva faz parte da família Hyacinthaceae e está incluída nas categorias de flores perenes e bulbosas.

Essa tipologia de planta com ciclo de vida perene tem sua origem na Europa e na Ásia e por isso, gosta de sol pleno e de meia sombra.

A planta também é herbácea e é bem fácil de ser encontrada no mediterrâneo.

As características do Jacinto-uva
As folhas do jacinto-uva são achatadas, longas, basais, lineares, suculentas e carnosas. As suas inflorescências são eretas e cônicas e em muitas vezes se vê as flores que se formam de maneira esférica. Suas flores, além da beleza da sua cor, azul arroxeada, ela possui um perfume muito próximo ao almíscar.

O nome uva não foi dado por acaso _a essa planta, durante a sua inflorescência elas ficam muito parecidas com verdadeiros cachos de uva. As flores aparecem somente durante a primavera.

O porte do jacinto-uva é bem baixo ficando entre 15 a 25 cm de altura aproximadamente. Trata-se de uma planta fácil de ser cultivada, por isso aconselhável a quem está começando a lidar com jardins, e que é muito rústica.

A beleza e o perfume dessa planta fazem com que ela seja muito usada nos projetos de jardins e normalmente, as formações com ela são de bordaduras ou maciços. E ficam lindas quando colocadas sob a sombra de arbustos e difusa de árvores.

Outra característica importante da jplanta que vale a pena ressaltar é que ela é apropriada para o cultivo em vasos e também em jardins rochosos, além de ser usada como flor de corte.

hyacinths-Tz

Cultivo
A primeira observação importante que se deve saber sobre o jacinto-uva é que ela deve ser cultivada a meia sombra ou sob sol pleno. O solo deve ser preparado, sendo drenável e fértil, além disso, deve ser enriquecido com matéria orgânica. A rega deve ser periódica, principalmente no período vegetativo.

Sendo uma planta bulbosa essa planta precisa passar por um período de frio e é isso, que fará com que ela floresça na primavera. Passado esse período com a chegada do verão, as folhas irão ganhando o tom amarelo e é hora de retirar os bulbos do solo, guardá-los em lugar seco, arejado e fresco e limpo.

Sendo assim, os melhores climas para o jacinto-uva são o temperado, o subtropical, o mediterrâneo e o tropical. Quando ela floresce intensamente, isso pode acontecer, é aconselhável fazer um novo plantio. E não se esqueça de que as adubações da planta devem ser bienais.

A multiplicação é feita através da separação dos bulbos, que vão crescendo em torno da planta mãe e também com o uso de sementes.

Muscari_armeniacum_04

Veja como são usadas as plantas com bulbos nos jardins
* No canteiro é necessário cultivar as plantas com bulbos misturando-as com outras, que podem ter flores ou não. O melhor é fazer uma plantação aleatória, dando um colorido tipo aquele de campo.

* Homogêneo é quando o cultivo é feito usando uma única espécie em um canteiro que possua forma geométrica. O impacto visual é muito legal. Para ficar ainda mais bonita faça alternância das cores.

* Outro modo de plantar a espécie bulbosa é fazendo um ladeado que pode ser de um tanque, de uma estátua, de um muro, de um lago, de um canteiro, entre outros. Faz uma integração entre jardim e outros elementos que fazem parte da decoração.

* No caso das jardineiras ou nos vasos, o ideal é usar mais de uma espécie e para fazer essa escolha é muito importante ter em mente que tipo de efeito você está buscando.

* Livremente, neste caso, tanto faz plantá-la sozinha ou com outra espécie, também pode ser no gramado ou sob árvores. Quando são dessa tipologia e anuais, elas deixam o jardim florido e são perfeitas para dar continuidade e vida a um jardim monótono.

Foto 6

Gladiolus Murielae11

A flor-pavão também pode ser conhecida por outros dois nomes populares, que são: Gladíolo-da-abissínia e Acidantera. E assim como qualquer espécie de planta, a flor-pavão também pertence a uma determinada família, estamos falando da família.

A origem dessa flora é de três lugares distintos: Etiópia, Malawi e África, o que faz com que dê para imaginar que tipo de clima ela possa gostar, tropical, subtropical e mediterrâneo. Sendo assim, é uma planta que pode ser cultivada no nosso país porque somos beneficiados pelo clima que ela gosta.

A flor-pavão é classificada em três categorias diferentes, a de bulbosas, a de flores e a de flores perenes. Normalmente, a altura dessa planta fica entre 0.6 e 0.9 metros e para crescer saudável e atingir o tamanho máximo, precisa de sol pleno, tendo o seu ciclo de vida perene.

Gladiolus Murielae4

Características da Flor-pavão
As flores dessa espécie de planta têm uma beleza única. Elas são lindas e perfeitas e chamam atenção dentro da sua delicadeza. São brancas e no interno, apresentam uma grande mancha uma tonalidade marrom arroxeada, marcando bem o centro da flor.

Em algumas flores, que são pendentes sempre, essa mancha pode apresentar uma tonalidade um pouco diversa, mais puxada para uma cor alaranjada. Outro detalhe que faz dessa flor uma espécie muito especial é que ela não encanta só pela sua beleza, mas também porque possui um delicioso perfume, que fica mais forte e pode ser percebido melhor, na parte da tarde.

Seus bulbos se apresentam na tipologia cormo, enquanto as folhas que são lineares na cor verde, possuem a textura opaca e são muito longas.

Uma das grandes vantagens de se cultivar a flor-pavão, além da beleza e do perfume das suas flores delicadas é o fato de que ela poderá florescer em várias épocas do ano.

Para que isso seja possível basta que os seus bulbos sejam mantidos refrigerados até o  momento em que você deseja que aconteça a florescência.

Porém, se não houver nenhuma tentativa de que as flores apareçam mais de uma vez por ano, a flor-pavão naturalmente irá florescer na primavera, no verão e no outono.

Gladiolus-callianthus_280

O uso da Flor-pavão na ornamentação de jardins
Flores com vários momentos de florescência no ano, de cor bonita e iluminada, de textura delicada e ainda perfumada, sempre são muito usadas no paisagismo.

No caso da flor-pavão todas as suas vantagens fazem com que ela seja usada para fazer bordaduras ou maciços. Normalmente, os paisagistas preferem misturá-las com outras espécies bulbosas que tenham o porte bem parecido, ou ainda, se usa fazendo “escadas”, que cria um efeito muito agradável.

A flor-pavão pode ser plantada ao mesmo tempo e isso faz com que floração seja mais longa e ela também pode ser cultivada em jardineiras e em vasos. São consideradas de plantio simples e ditas como bulbosas rústicas. Outra forma de plantá-las é para destiná-las a flor de corte, isto é, para formarem lindos buquês e arranjos.

Cultivo da Flor-pavão
Como já foi mencionado lá no início, se tem uma coisa que a flor-pavão aprecia é o calor e principalmente o sol, então, para não errar, o momento certo para o cultivo é sob o sol pleno.

Além de observar a necessidade do sol para o cultivo da flor-pavão o solo e o tratamento dele também são de extrema importância para que a sua planta cresça bonita e vistosa.

O solo para receber a flor-pavão deve não só ser fértil como deverá ser enriquecido com matéria orgânica. Além disso, é de extrema importância que o sistema de drenagem seja ótimo e que esse solo seja frequentemente irrigado antes do plantio. O ideal é primeiro preparar o solo como se deve para depois cultivar a planta.

Ainda falando de solo, nem pense em cultivar uma flor-pavão em um solo encharcado e muito menos argiloso. São duas situações que a planta não resiste e acabam tendo os seus cormos apodrecidos em um espaço de tempo curtíssimo.

Se por acaso, você achar que terá problemas de encharcamento com o solo, uma alternativa é criar os canteiros elevados. Desse modo a drenagem natural será favorecida.

Com um solo perfeito, bem cuidado, como você foi explicado anteriormente, e sob sol pleno é hora de plantar os cormos da flor-pavão, porém, atenção, a profundidade correta para colocar cada um deles é de do mínimo 7 e no máximo 10 cm.

Outro detalhe importante sobre espaçamento é aquele que deverá ter entre cada cormo, 20 cm.

Gladiolus Murielae

Uma vez que se decide de multiplicar as plantas, o processo poderá ser feito com a separação dos pequenos cormos. Esses “pequenos cormos” são aqueles que vão se formando próximo ao chamado “cormo mãe’. Será possível observá-lo quando estiver chegando a colheita, que é bem depois do período vegetativo.

Sobre os cuidados com as plantas depois de já terem crescido, saiba que os cormos devem ser retirados quando elas começarem a amarelar. Será necessário cortar as folhas por completo. Em seguida, lave-as e coloque-as na sombra para secar. O lugar inda deverá ser arejado e seco.

Se quiser, para ter flores quando desejar, os cormos podem ser guardados depois de seco, em um lugar fresco e seco, em local refrigerado. Porém, é necessário observar se eles estão protegidos de uma desidratação excessiva.

teka 29