Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Bonsai e Samambaias’

samambaia-rabo-de-peixe

Resistir à beleza das samambaias é uma missão e tanto. Milenares, as plantas do grupo – que abrange diversas famílias – têm lugar garantido em jardins e ambientes internos.

O segredo de seu sucesso é a combinação de folhas exuberantes, versatilidade no uso e rusticidade.

Fáceis de multiplicar, elas permitem que qualquer um produza novas mudas em casa para encher os ambientes de verde ou trocar com os amigos.

O processo usado na propagação, porém, varia de uma samambaia para outra: enquanto espécies entouceiradas podem ser propagadas por divisão das touceiras, as que nascem a partir de rizomas – caules modificados – requerem que um pedaço do caule seja cortado para gerar uma nova planta.

No caso das samambaias que produzem esporos – elas podem ser entouceiradas ou rizomatozas – dá ainda para usar essas “sementinhas” para obter novas mudas. Acompanhe uma explicação detalhada de como funciona cada uma das técnicas.

As samambaias vão bem tanto no jardim quanto em ambientes internos e sua multiplicação quase não tem segredos.

samambaia

Por divisão de touceira
Indicada para multiplicar espécies como a samambaia-de-metro (Nephrolepis cordifolia), a samambaia-rabo-de-peixe (Nephrolepis falcata ‘Furcans’) e a samambaia-paulista (Nephrolepis pectinata), esta é a mais prática das técnicas de multiplicação e gera plantas já adultas.

1 – Retire a samambaia do vaso e, com cuidado, limpe a terra das raízes, desfazendo o torrão.

2 – Em seguida, separe as touceiras com as mãos. Se as raízes estiverem muito embaraçadas use uma tesoura de jardinagem para ajudar.

3 – Plante as mudas em vasos preenchidos com terra para jardinagem misturada com matéria orgânica. Mantenha o
vaso em local sombreado e regue sempre que o substrato estiver seco.

chorona

Por rizoma
A renda-portuguesa (Davallia fejeensis) e a samambaia-azul (Polypodium aureum) são algumas das espécies que podem ser propagadas por essa técnica.

1 – Com uma tesoura de poda, corte um pedaço do rizoma. A parte cortada precisa ter pelo menos duas gemas, pois é a partir delas que a nova planta crescerá.

2 - Prepare um recipiente com terra para jardinagem e matéria orgânica. Em seguida, finque o rizoma cortado. Certifique-se de deixar as gemas para fora do substrato.

3 - Mantenha o recipiente em local sombreado e a terra sempre úmida. Depois de três ou quatro meses, a planta começará a brotar.

samambaia-azul-amazonas-polypodium-aureum

Por esporos
Na parte de trás das folhas – ou frondes – de todas as espécies de samambaia existem pequenos pontinhos escuros. São os esporos, responsáveis pela reprodução dessas plantas.

Na Natureza, eles são levados pelo vento e fazem novas plantas brotarem. Em casa, porém, podem ser removidos manualmente e plantados em vasos. De todos os métodos de reprodução, este é o mais lento, mas o que rende a maior quantidade de mudas. Por isso, é muito usado por produtores de plantas.

1 - O primeiro passo é coletar os esporos, o que pode ser feito de duas maneiras: passando um pincel delicadamente sobre a folha para que eles se soltem – use um pedaço de papel para coletá-los; ou colocando uma folha da  samambaia entre um pedaço de papel dobrado e pressionando de leve. Os esporos vão grudar na superfície.

2 - Despeje os esporos em um recipiente preenchido com substrato para semeadura, regue e cubra com uma placa
de vidro. Deixe o recipiente em local sombreado e não volte a regar.

3 - Em seis meses, as mudas começarão a brotar e poderão ser transplantadas para vasos pequenos. Prepare os recipientes com terra para jardinagem e matéria orgânica.

4 - Mantenha os vasos em local sombreado e regue sempre que a terra estiver seca. Dentro de mais seis meses, as samambaias podem ser transplantadas para os vasos definitivos.

Folhas-83708

Nephrolepis

Quando pensamos em samambaias, duas coisas costumam nos vir à mente. A primeira é que se trata de uma planta vintage, daquelas que nossas mães e avós costumavam cultivar quando éramos crianças.

A segunda é que são plantas grandes, frondosas e pendentes. Por este motivo, a ideia de que existe uma versão em miniatura daquelas volumosas samambaias do passado, uma mini samambaia compacta e que esteja na moda atualmente, pode causar um certo estranhamento.

A mini-samambaia, além de ser uma planta de pequeno porte, compacta e de fácil cultivo, requer um ambiente muito similar ao que temos em nossas casas e apartamentos. Prefere clima ameno, sem muito calor, sol direto ou ventos fortes.

Como toda samambaia, precisa ser protegida daquelas rajadas que fazem o vaso rodopiar, quando suspenso. A mini samambaia não tolera vento. Se a ponta da folha em desenvolvimento sofrer atrito com a parede, para de crescer. Além disso, como toda planta tropical, aprecia ambientes com altos níveis de umidade relativa do ar.

Nephrolepis-exaltata6

A origem da samambaia-havaiana
As samambaias, também chamadas de fetos são plantas pteridófitas que habitam o planeta há milhões de anos. Há registros fósseis que comprovam sua presença já no período Carbonífero, que precedeu a era dos grandes dinossauros.

Por serem ancestrais das plantas que conhecemos hoje, elas não produzem flores nem sementes. Sua reprodução ocorre através de esporos, que se formam no verso de suas folhas e são espalhados com a ajuda do vento.

Estrelas na decoração e paisagismo dos anos 1960, as samambaias estão retornando com força total. Até pouco tempo atrás, eram consideradas plantas antigas, daquelas que nossas avós costumavam cultivar.

No entanto, com a recente moda das florestas urbanas, tão apreciadas pelos millennials, as samambaias transformaram-se em um valioso coringa para converter nossos lares em pequenas selvas, neste início de século XXI.

Por serem plantas baratas, volumosas e de fácil cultivo, além de nos remeterem ao clima tropical digno de uma Mata Atlântica, estes vegetais antiquíssimos estão mais em alta do que nunca.

Ao contrário de suas parentes mais exuberantes e selvagens, a mini-samamaia não atinge grandes proporções, permanecendo compacta e felpuda por toda a vida. Esta miniatura de samambaia fica bem em qualquer lugar dentro de casa, desde que tenha luminosidade e umidade suficientes para seu desenvolvimento.

Um local próximo a uma janela com luz indireta, como um parapeito, já é apropriado para o cultivo da samambaia havaiana. É a planta ideal para os lares modernos, com pouco espaço. Além de requerer uma baixa manutenção, esta samambaia é bastante decorativa, apresentando folhas delicadamente trabalhadas.

O curioso é que a mini samambaia havaiana originou-se a partir de uma das diversas variantes existentes da samambaia-americana, também conhecida como samambaia de Boston (Boston fern),  cujo nome científico é Nephrolepis exaltata.

Vários cruzamentos, melhoramentos genéticos e mutações originaram esta pequena joia felpuda, bastante diferente da espécie original e que vem se tornando extremamente popular aqui no Brasil.

Para diferenciar esta forma compacta e anã da longa samambaia-americana, convencionou-se chamar a mini-samambaia-havaiana de Nephrolepis exaltata ‘Marissa’. Trata-se de uma planta pertencente à família botânica Davalliaceae.

É importante não confundir esta miniatura de samambaia com o musgo-tapete, do gênero Selaginella. A aparência semelhante não é mera coincidência, uma vez que samambaias e selaginelas são aparentadas.

samambaia-havaiana

A mini-samambaia cresce?
É a pergunta mais feita em relação à mini-samambaia. As folhas desta planta permanecem compactas durante todo o ciclo de vida, não crescendo em comprimento. O tamanho não costuma ultrapassar aquele observado nas fotos que ilustram este artigo.

A planta é geneticamente miniaturizada, de modo que apenas desenvolve novas folhas, à medida que perde as mais antigas.

Assim como acontece com todas as samambaias, o crescimento ocorre na horizontal, com o adensamento da touceira e desenvolvimento do rizoma. De tempos em tempos, pode ser interessante desenvasá-la e fazer a divisão da planta, de modo a fornecer mais espaço às raízes.

Nesta ocasião, as folhas mais antigas e secas podem ser removidas e novas mudas podem ser produzidas através da separação da touceira. Logo após o replante, é importante manter a mini samambaia em um local bem sombreado, protegido do sol, com bastante umidade ambiente. Estas condições vão ajudar na recuperação da planta.

Embora seja popularmente conhecida como samambaia-havaiana, ela é originária de várias localidades de clima tropical ao redor do mundo, em diferentes continentes. Em comum, estes habitats costumam fornecer elevados níveis de umidade ambiente às plantas que neles se desenvolvem.

A mini-samambaia permanecerá compacta, com sua aparência escultural e felpuda, sendo extremamente dócil e companheira, visto que pode ir para qualquer lugar.

minisamambaia

Como cuidar da mini-samambaia
A mini samambaia havaiana aprecia um solo rico em matéria orgânica. Há muito tempo, era costume se cultivar samambaias em xaxim. Hoje em dia, esta prática não é mais aceitável, já que a planta que produz o xaxim encontra-se sob risco de extinção.

Por lei, a extração e comercialização de xaxim encontra-se proibida. Atualmente, estão disponíveis no mercado diferentes substratos e misturas de materiais alternativos, incluindo a fibra de coco, nos quais podemos cultivar a mini-samambaia- havaiana.

Geralmente, ela ficará muito bem no vaso em que vem do produtor. Uma mistura de terra vegetal e substrato para plantas epífitas, com casca de pínus, carvão vegetal e fibra de coco pode produzir um bom substrato para o cultivo da samambaia havaiana.

Como o vaso de barro seca muito rapidamente, ele não costuma ser apropriado para o cultivo das samambaias em geral. O vaso de plástico apresenta a vantagem de ser leve, poder ser pendurado em qualquer lugar, além de reter a umidade do substrato por mais tempo.

Um vaso leve é um indicativo de que o substrato já secou e pode ser regado novamente. Este procedimento evita que reguemos a mini samambaia em excesso.

A adubação pode ser química ou orgânica, dependendo da preferência do cultivador. Particularmente, gosto da adubação química, do tipo NPK, por ser inodora e bastante prática.

Adubos orgânicos necessitam ser decompostos para a liberação dos nutrientes às raízes da planta. Durante este processo, é comum que o material exale odores desagradáveis, além de atrair insetos. Quando a mini samambaia é cultivada dentro de casa, estes adubos podem causar problemas.

A samambaia-havaiana não produz flores nem sementes, sendo assim, não necessita de uma adubação muito sofisticada nem intensa. Qualquer fórmula para jardinagem amadora, aplicada a cada quinze dias, dará conta do recado.

Existem no mercado formulações próprias para a manutenção de folhagens. É sempre bom salientar que o excesso de adubação, seja de qual tipo for, pode fazer mal à mini samambaia.

Um sinal de que há sais acumulados no solo é que as pontas das folhas ficam queimadas. Por este motivo, é importante sempre regar a planta em abundância, até que a água escorra bem a partir do fundo do vaso, de modo a eliminar materiais em decomposição e excesso de sais minerais da adubação.

O aspecto mais importante no cultivo da mini samambaia havaiana é a manutenção do correto nível de umidade relativa do ar. Isto não quer dizer que o vaso deva ser encharcado, nem regado com muita frequência.

Deve-se evitar apenas que ele fique completamente seco, por muito tempo. A samambaia havaiana, como todas as suas parentes, aprecia uma fina borrifada de água em suas folhas, de tempos em tempos.

A ocorrência de pragas, como cochonilhas e pulgões, não é muito comum na mini samambaia. De qualquer forma, é sempre bom inspecioná-la periodicamente. Estes parasitas costumam chegar às plantas através do vento, além de serem trazidas por outros insetos vetores, como formigas.

mini-samambaia

Samambaia-havaiana secando
Caso sua mini samambaia esteja secando ou morrendo, algumas condições de temperatura e pressão devem ser verificadas. É importante que ela não esteja tomando sol direto, pois esta radiação excessiva provoca queimaduras nas folhas.

Algumas poucas horas de sol no comecinho da manhã podem ser toleradas e são até benéficas à maioria das plantas. Da mesma forma, o sol ameno do final da tarde é inofensivo à planta.

A samambaia-havaiana, assim como suas parentes, não tolera vento, que rouba umidade do ambiente em torno da planta, desidratando-a. Além disso, o roçar das pontas das folhas contra a parede faz com que elas queimem e parem de crescer.

Também é necessário verificar se o ambiente em que a samambaia está não é muito seco. Um termo higrômetro pode ajudar bastante, neste quesito.

Caso os níveis de umidade relativa do ar estejam muito baixos, o que é comum no interior de casas, apartamentos e escritórios, convém utilizar uma fonte de água nas proximidades, com o intuito de aliviar os sintomas da seca sobre a mini samambaia.

Uma bandeja umidificadora, frequentemente utilizada no cultivo de orquídeas em interiores, é outro item que ajuda bastante a manter a planta hidratada.

O ideal é evitar cultivar a samambaia havaiana em ambientes com ar condicionado, por esta questão do ar muito seco. Uma solução para casos como este é a utilização de umidificadores de ar, que corrigem a umidade relativa do ar, trazendo-a para níveis mais adequados, não somente para o cultivo de plantas, mas também para a saúde humana.

Durante invernos muito secos, nas grandes cidades, há quem recomende o uso de bacias com água e toalhas molhadas, no interior do quarto, para ajudar a elevar a umidade no ambiente.

Caso esteja tudo certo externamente, e a samambaia havaiana continue secando, convém retirar a planta do vaso e verificar o estado de suas raízes. Pode ser necessário remover o substrato antigo, dar uma boa lavada nas raízes e plantar a mini samambaia em um novo vaso, com terra preparada adequadamente e com dreno no fundo.

O ideal é usar uma mistura de substrato para plantas epífitas, geralmente composto por casca de pinus, carvão vegetal e fibra de coco, com terra vegetal adubada.  Uma camada generosa de pedrisco, brita ou argila expandida no fundo do vaso ajuda na drenagem.

Por cima deste material, convém colocar um pedaço de manta geotêxtil, para evitar que a terra e as raízes escapem e misturem-se ao pedrisco.

Em resumo, para evitar que a mini samambaia seque ou morra, o principal cuidado a ser tomado é não regar em excesso. Por outro lado, é importante evitar que o solo permaneça seco por muito tempo. Mais do que as regas, a umidade relativa do ar no ambiente de cultivo é o fator crucial para um bom desenvolvimento deste tipo de planta.

Nephrolepis-1

Observações
Por estar sempre presente no ambiente doméstico, existe o risco de que a mini samambaia havaiana seja ingerida acidentalmente, seja por animais ou crianças pequenas. Algumas plantas pteridófitas possuem substâncias tóxicas aos mamíferos, mas este não é o caso da samambaia havaiana.

Ainda assim, claro que é sempre conveniente tentarmos evitar que estes incidentes de ingestão ocorram. Mas não há relatos de que a mini samambaia seja venenosa.

Tomadas estas devidas precauções, a mini samambaia havaiana viverá por anos a fio, emitindo novas folhas compactas e felpudas, tornando-se uma verdadeira escultura em forma de planta. É natural que as folhas mais antigas, próximas à base, venham a amarelar e secar. Podem ser podadas, para que novos brotos em forma de feto surjam e cresçam.

Infelizmente, por ainda não ser muito difundida no cultivo, percebo uma certa dificuldade de encontrar a samambaia havaiana nas floras e garden centers que costumo visitar. No entanto, a procura é recompensadora. Vale a pena ter esta miniatura de samambaia em casa, a estrela dos pequenos lares modernos.

folhas-9

samambaia

A samambaia é uma planta de clima tropical e cresce nas florestas, principalmente, nas regiões úmidas. Mas isso não impede que você possa cultivá-la dentro de casa, já que se adapta facilmente a lugares com pouca luz, não sendo necessária muita manutenção.

Escolha um local adequado para acomodá-la
A samambaia deve ser colocada em um ambiente com sombra, mas não pode deixar de receber os raios de luz de forma suave. Por isso, o local mais adequado para cultivá-la é próximo à janela. Só fique atento para deixá-la longe das janelas que estejam a leste ou oeste porque recebem alta incidência de luz solar. Prefira as janelas voltadas para o sul ou norte.

Escolha o vaso ideal
Prefira colocar a samambaia em um vaso de plástico, já que os de barro não retém tanta umidade que é o que ela mais precisa. Se quiser aumentar a umidade do lugar, use dois vasos ou coloque um umidificador no local.

Se for usar dois vasos:
* Eles precisam ser de tamanhos diferentes;
* Pegue um musgo e umedeça-o com água;
* Depois coloque-o dentro de um vaso maior;
* Após isso, coloque o vaso menor dentro;
* Use o resto do musgo umedecido para cobrir o topo do solo e a beirada do vaso maior;
* Faça isso a cada dois ou três dias para deixá-lo sempre úmido.

samambaia-6

Mantenha a temperatura freqüente
A temperatura de sua casa precisa estar próxima dos 21ºC, já que as samambaias não são criadas em ambientes frios abaixo de 15ºC. Se onde mora estiver com o clima abaixo dessa temperatura, você precisa encontrar formas para aumentar a temperatura.

Uma boa dica é colocar a planta dentro do banheiro porque é um dos lugares mais úmidos da casa. Se tiver chuveiro elétrico, melhor ainda porque o calor ajuda a aumentar a temperatura do ambiente.

Regue a samambaia constantemente
Como falado anteriormente, as samambaias devem ser cultivadas em ambientes úmidos e os solos também precisam estar úmidos. Por isso, você precisa regá-la todos os dias, mas faça isso pausadamente.

Evite regar a samambaia a todo o momento para não encharcá-la. Esse mesmo procedimento deve ser feito com o solo. Se certifique de que ele não esteja cheio d’água, mas apenas úmido.

samambaias

Adube as samambaias regularmente
Para adubar as samambaias será necessário encontrar um bom adubo. Para isso, procure alguns centros de jardinagem para comprar um adubo de plantas caseiras. Você precisa especificar que a espécie é a samambaia.

Posteriormente, você deve aplicá-lo mensalmente nas samambaias para que elas recebam os nutrientes necessários que não são proporcionados no plantio. Entretanto, você precisará aguardar em torno de seis meses após o plantio no vaso para começar a adubá-la.

Pode as samambaias quando necessário
Não é por estar dentro de casa que as samambaias não ficam expostas a doenças. Apesar de serem resistentes, se não tiverem em ambientes úmidos, algumas doenças podem aparecer

Caso isso ocorra, corte as áreas que estiverem parecendo danificadas. Se ela não estiver sendo cuidada, pode chegar a morrer. Nesse momento, você precisa usar uma tesoura de poda para remover a parte danificada. Entretanto, se a planta inteira parecer estar doente, é melhor retirá-la do ambiente para evitar que a doença se prolifere para as outras plantas.

Faça o transplante das samambaias depois de um ano
Como a samambaia é uma planta que cresce rápido, é capaz dela ultrapassar o tamanho do vaso. Para evitar isso, o ideal é fazer o transplante da samambaia para um vaso maior. Antes de fazê-lo, você precisa observar a saúde da planta. Porém, após seis meses você precisará fazer o transplante de qualquer forma.

cuidados

Cuidar de samambaia no jardim ou quintal
Cuidar de uma samambaia em seu quintal ou jardim acaba sendo mais simples do que fazer isso dentro de casa. Mesmo assim, você precisará de alguns cuidados. Veja os procedimentos que devem ser feitos.

Mantenha o solo da samambaia sempre úmido
Se você mora em uma região que não chove muito e se não regar as samambaias diariamente, elas correm o risco de ficarem doentes e até morrerem. Por isso, regue as samambaias para deixar o solo sempre úmido.

Para ajudar a conservar a umidade e deixar o ar mais úmido, faça uso de folhas de pinheiro ou húmus e adicione sobre as folhas de samambaia. Isso também ajudará a planta ficar mais vistosa.

Não deixe de adubar as samambaias
Toda samambaia precisa ser adubada. Entretanto, o correto é fazer isso somente seis meses após ela ter sido plantada. Dessa forma, a samambaia crescerá muito mais rápido e de forma saudável.

Ao escolher um adubo, prefira o orgânico em spray. Mas antes de aplicá-lo, siga todas as instruções da embalagem. Você ainda pode adicionar uma fina camada de composto e aproveite para colocar húmus ao solo. Isso ajuda a melhorar o ambiente de crescimento para as samambaias.

Corte a samambaia em casos de doenças
Os predadores naturais da samambaia são as lesmas e algumas doenças muito raras. Por isso, dificilmente você precisará podá-la. Contudo, caso você perceba que as folhas estão doentes ou danificadas, corte a parte doente com uma tesoura de poda.

Dessa forma, a samambaia ficará intacta, impedindo que a doença se prolifere para as outras plantas. Lembre-se de que esse procedimento é essencial se a samambaia estiver apresentando alguma doença. Se você não fizer esse processo, ela poderá morrer completamente.

samambaias

Transplante somente quando necessário
As samambaias crescem muito e podem incomodar com o tempo, dependendo do espaço em que elas estiverem sendo cultivadas. Por isso, divida as samambaias e faça o transplante delas.
* Uma samambaia grande deve ser dividida em várias samambaias menores;
* Para isso, procure cavar as suas raízes;
* Agora separe as plantas em algumas partes;
* Para finalizar é só replantar cada samambaia e regá-las muito bem.

Mais dicas sobre os cuidados com a samambaia
*
Como as samambaias cultivadas dentro de casa precisam de muito cuidado, evite colocá-las em ambientes com ar condicionado e também próximo de elementos que possam ressecá-las;
* As samambaias têm a fama de serem imortais, mas alguns cuidados são necessários.
* Por isso, vá testando a localização delas na sua casa até perceber onde elas ficam mais adaptadas;
* Para retirar as pragas das samambaias, o ideal é fazer a remoção com as próprias mãos, já que não é recomendado usar pesticidas em samambaias;
* Você pode também borrifar calda de fumo para afastar pulgões e ácaros;
* Evite posicionar a samambaia na direção da luz solar porque isso faz com que ela murche e escureça;
* Prefira podar as samambaias entre os meses de maio a julho, já que elas precisam de poda anual;
* Mas se as folhas estiverem doentes ou mortas, precisam ser eliminadas de imediato;
* As samambaias são ótimas para decorar eventos, ganhando destaques em mesas de casamento;
* Se você colocar as samambaias em jardins verticais, elas ficam mais bonitas se dispostas uma ao lado da outra;
* Nos ambientes internos, o mais indicado é cultivar a samambaia-havana. Coloque-a dentro de um vaso e deixe sobre a mesa;
* As samambaias também podem ser fixadas no teto ou colocadas sob o telhado. Apenas tome cuidado, pois as samambaias não gostam de excesso de vento;
* As samambaias costumam durar de cinco a dez anos;
* Como liberam bastante água, as samambaias ajudam a controlar a temperatura em ambientes muito quentes;
* As samambaias também ajudam a melhorar a qualidade do ar.

Agora que você aprendeu como cuidar de samambaia, deu para perceber que apesar dela ser uma planta simples, exige alguns cuidados essenciais. Portanto, escolha onde você pretende cultivá-la e deixe o ambiente do seu lar ainda mais belo.

florlago

Samambaia-6

Samambaias são constantemente encontradas na natureza mas também são muito bem vindas dentro de casa. A decoração da casa em muitos tipos aceitam samambaias muito bem. Elas trazem estilo e conforto ao lar. Mas uma maneira diferente de cultivar samambaias é em suspensão.

Essencialmente, é uma bola de lama coberta de musgo e plantada com uma ou várias espécies de plantas, mas geralmente da mesma família. Kokedama é um suspenso de corda, montado em um pedaço de madeira ou casca, ou também em um prato raso.

Entretanto, tradicionalmente, essa antiga prática depende da coleta de materiais selvagens, como gramíneas e musgo vivo, trazendo a sensação de natureza. Aqui neste artigo ensinaremos a como criar, montar e cuidar de uma kokedama feita com bola de musgo.

As chamadas kokedamas são formas diferentes e legais de cultivar plantas, como suculentas, plantas carnívoras e samambaias. As bolas de musgo são uma arte japonesa de embrulhar as raízes de plantas no musgo, principalmente e pendurar essas bolas no teto, para que a planta fique suspensa.

Para criar uma bola de musgo de samambaia você normalmente vai precisar de ajuda, pois as raízes são grandes e a sua mão poderá não ser suficiente para enrolar os musgos nelas.

Mas fazer uma kokedama é um processo muito divertido que envolve retirar o solo das raízes da planta e usar uma outra mistura especial de solo, argiloso, para esculpir a planta em uma bola. E depois pendurar essa estrutura para criar um jardim suspenso.

Uma coleção de mais de uma kokedama em um ambiente pode criar um jardim suspenso. É uma ótima opção para decoração e também para quem tem animais domésticos em casa que destroem plantações em vasos ou jardins de solo no chão.

kokedama

Materiais necessários para fazer uma kokedama de samambaia
* Solo de bonsai
* Musgo de turfa
* Musgo de folha preservada
* Samambaias
* Quadrado de pano de barreira de ervas daninhas (não obrigatório)
* Fio de sisal
* Água
* Areia
* Nylon
* Tesouras

Procedimentos
* Escolha uma samambaia e retire o solo natural, retire o máximo de terra e limpe bem as raízes sem danificar.
* Mergulhe o musgo de folha em uma tigela com água morna.
* Retire a água do musgo espremendo-o.
Coloque o musgo virado para baixo em um círculo de tamanho 4 vezes maior do que a sua bola de kokedama.
* Misture solo de bonsai e musgo de turfa em proporções iguais em um balde e umedeça a mistura para que fique uma lama moldável.
* Forme uma bola com essa mistura e faça uma abertura no meio.
* Coloque as raízes da samambaia na abertura com cuidado e molde a bola envolta delas.
* Use o fio de nylon para manter a bola unida e envolva com o musgo de folha.
* Amarre bem.
* Pegue o sisal e envolva a bola de musgo para que fique firme para ser pendurada, deixando a planta para cima.
* Pronto, agora é só pendurar.

kokefama-1

Como cuidar de uma kokedama de samambaia
As samambaias são plantas que adoram se manter úmidas então a rega é o ponto chave para manter sua kokedama viva por muito tempo. Para regar você deve retirar a kokedama do suporte, mergulhar em um balde com água por 10 minutos, depois pendurar novamente. Deve fazer isso sempre que a bola de musgo ficar seca. Geralmente isso é necessário a cada cinco dias.

A iluminação vai variar de acordo com a espécie de samambaia que você escolheu, por isso pesquise como a espécie vive antes de criar sua kokedama e pendurar.

janela-neve