Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Árvores e Palmeiras’

ipê-branco

O ipê-branco é uma árvore da família Bignoniaceae, também conhecido como ipê-do-cerrado. É uma árvore brasileira com ocorrência natural no norte do Estado de São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Goiás.

É uma árvore de pequeno para médio porte, que fica entre 7 e 16 m de altura. O diâmetro do tronco mede de 40 a 50 cm. A casca é cheia de nervuras secas.

A floração do ipê-branco dura, em média, quatro dias (quando não, menos), enquanto as espécies de outras cores (roxa e amarela, sobretudo), vão de uma semana a 10 dias.

Com uma flor rara e também efêmera, não há quem não se admire com esta árvore-neve a contrastar na paisagem. Em campo aberto então, difícil passar incólume diante de sua beleza.

ipe

Não é à toa que é amplamente utilizada no paisagismo de jardins, praças e ruas. Soma-se a isso, tem a praticidade de seu tamanho (que se adequa perfeitamente à arborização urbana, sem prejudicar as fiações da iluminação pública).

Até a sua madeira, macia e de superfície lustrosa, tem lugar nos interiores. Serve para os acabamentos internos na construção civil. Produz anualmente grande quantidade de sementes, que são dispersas pelo vento. É conhecida também por pau-d’arco e ipê-do-cerrado.

Época da florada
A floração acontece entre agosto e setembro, quando a espécie fica completamente desprovida de folhas (geralmente compostas).

As flores tem forma de trompete e são brancas ou levemente rosadas. Os frutos são cápsulas bivalves deiscentes, semelhantes a vagens e contêm numerosas sementes membranáceas, pequenas, esbranquiçadas e aladas.

O ipê-branco é uma árvore de grande valor ornamental, que valoriza projetos paisagísticos tanto pelo seu florescimento vistoso, quanto pela sua forma elegante e copa azulada.

Por ser caduca durante o inverno, é boa para produzir sombra no verão e permitir maior passagem da luz e calor do sol no inverno.

ipe branco

Além de suas qualidades ornamentais, este ipê apresenta madeira de excelente durabilidade, moderadamente pesada, de superfície macia e lustrosa, boa para acabamentos internos na construção civil.

Deve ser cultivada sob sol pleno, em solo fértil, drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente no primeiro ano de implantação. Resistente a períodos de estiagem.

Não aprecia terrenos encharcados. É uma planta rústica e pouco exigente em fertilidade, viceja bem mesmo em solos pobres e pedregosos. Esta característica a torna uma planta interessante para recuperação de áreas degradadas.

Sua multiplicação é feita através de sementes postas a germinar em sementeiras ou sacos próprios para mudas.

vento

Spathodea campanulata_5

A tulipeira pode ser ainda conhecida popularmente como bisnagueira, tulipeira-africana, árvore-de-bisnagas, espatódea entre outras. A família dessa árvore é a Bignoniaceae e é considerada uma árvore ornamental.

O clima preferido dessa planta é o equatorial, tropical e subtropical. A origem da tulipeira é a África, pode chegar a atingir entre 9 e 12 m. Precisa de sol pleno para conseguir se desenvolver e o seu ciclo de vida é perene.

Trata-se de uma árvore de crescimento muito rápido e com um efeito ornamental. O porte dessa árvore é médio e pode atingir cerca de 24 m. Na África é possível observar alguns exemplares dessa árvore que ultrapassam os 30 m de altura.

O diâmetro do tronco dela pode variar entre 30 e 50 cm, a sua madeira é clara e mole, a casca é do tipo fina e tuberosa. As folhas dessa planta são grandes, opostas e compostas por folíolos (4 a 19) alongados e do tipo oval-lanceolados. A primeira floração da tulipeira  acontece somente depois que ela tem uns 3 ou 4 anos.

As flores têm um tom vermelho-alaranjado ou mesmo amarelo, tudo depende da variedade. Essas flores surgem de inflorescências terminais com muitos botões que vão se abrindo de forma sucessiva e que assim garantem uma floração bastante longa.

Spathodea campanulata_2

O período de floração da planta varia de acordo com o local em que ela está. Uma planta que tem frutos que parecem vagens e que tem diversas sementes aladas que vão se dispersando com o vento. Uma árvore que tem a sua copa bem densa e que pode ser bem rústica.

Uma árvore indicada para espaços que precisam de árvores que cresçam rápido como parques, jardins públicos entre outros. É importante destacar que essas árvores não são boas opções para serem cultivadas próximas a calçadas ou mesmo a construções e tubulações.

As raízes da tulipeira são muito agressivas e por isso podem trazer problemas nessas situações. Uma árvore bastante ornamental e que tem uma beleza singular podendo ser plantada sozinha em gramados extensos ou mesmo junto com outras plantas.

Porém, fica o alerta que as suas flores são consideradas venenosas, não se iluda pelo fato de que elas atraem abelhas e beija-flores.

Se você tem crianças ou animais domésticos em casa tome cuidado e não deixe que se aproximem dessa árvore.

Spathodea campanulata_

Cultivo
A tulipeira deve ser cultivada sob sol pleno e o solo deve ser fértil e bem drenado. É importante que o solo seja enriquecido com matéria orgânica para tornar o cultivo dessa planta mais fácil. A multiplicação é feita por sementes e estacas que germinam com grande facilidade.

Nesse ponto é importante ressaltar que devido a sua facilidade de multiplicação a tulipeira pode ser considerada uma planta invasiva. Sendo assim é importante que seja observado aa quantidade de tulipeiras que estão surgindo no seu jardim.

Passo a passo do cultivo
1 – Escolhendo o lugar
O primeiro passo para fazer o cultivo da tulipeira é encontrar o melhor local para o cultivo. O lugar ideal é aquele que é ensolarado, tem solo fértil e conta com um bom teor de matéria orgânica.

2 – Buraco do plantio
Quando você for fazer o plantio da muda deve fazer um buraco maior do que o torrão.

3 – Adubo
Para que o seu cultivo de tulipeira seja bem sucedido a dica é misturar o adubo animal de curral, em torno de 1 kg, com composto orgânico.

tulipeira

4 – Adubo NPK
Também é interessante colocar 200 gramas de adubo granulado NPK com uma formulação de 10-10-10. Coloque também 100 gramas de farinha de ossos. Misture tudo muito bem.

5 – Como usar esses compostos
Coloque parte desse composto no fundo da cova, coloque então o torrão e complete com a mistura. Coloque também um tutor de sarrafo, amarre com uma corda de algodão na forma de oito. Cuide para não estrangular o caule. Regue bem essa planta.

6 – Plantio em épocas quentes
Quando você for fazer o plantio da tulipeira em épocas quentes do ano tenha o cuidado de antes de colocar o torrão com a planta também colocar um balde de água no fundo do buraco. Isso vai ajudar a agregar o substrato ao torrão e assim a água vai provir para a planta.

Nos dias seguintes do plantio no caso de não chover será necessário regar as mudas plantadas. A adubação que é realizada durante o plantio garante que nos próximos anos a planta estará nutrida de acordo com as suas necessidades. Assim não é necessário adubar todos os anos, uma forma bem prática.

Multiplicação da tulipeira
As mudas podem ser feitas através de técnicas de estacas de ramos, feita com enraizadores, depois que o inverno acabar ou mesmo na estação de chuvas.

Para isso retire as estacas de ponteiro, limpe as folhas de base e plante em recipientes que tenham um substrato que seja feito de arroz carbonizado, areia ou vermiculita, sempre mantendo a umidade. Mantenha o cultivo protegido.

Depois de algum tempo será notado que as gemas começarão a se desenvolver, isso é um sinal de que já aconteceu a emissão de raízes. Faça o transplante para recipientes que tenham substrato parecido com esse que foi recomendado. Regue bem e mantenha o cultivo sempre bem protegido.

Spathodea campanulata

Quem preferir também pode fazer a multiplicação através de sementes. Para isso a dica é usar terra comum de canteiros ou então de caixotes ou até mesmo de sacos de cultivo.

Pode aproveitar materiais descartáveis como caixas de leite longa vida, são ótimas opções para sementeiras de árvores. Para isso corte os dois cantos do fundo da caixa, isso vai tornar possível que a água das regas escoe.

As tulipeiras e o paisagismo
Essa árvore pode ser cultivada para efeitos paisagísticos, desde que não fique próxima a construções, pois as suas raízes são agressivas. Vale lembrar que as suas flores são tóxicas então é importante ter bastante cuidado se decidir cultivá-la. Uma bela árvore que pode trazer um lindo resultado de paisagismo para o seu jardim.

outono

bosque

As árvores  participam da cadeia alimentar, também contribuem com a manutenção do clima, impedem a propagação do barulho, ajudam na retirada de poluentes do ar, as suas raízes impedem a erosão do solo e auxiliam na captação de águas pelos lençóis subterrâneos (as árvores ajudam a não ocorrer enchentes, devido ao poder de absorção de água de suas raízes), produzem sombras e folhas, frutos, madeira e raízes que servirá de alimento para vários seres vivos, melhoram a qualidade do ar, serve de abrigo para animais e são um elemento de decoração excepcional.desempenham um papel fundamental na vida de todo o planeta Terra.

Um exemplo do papel vital das árvores para os seres humanos é o fato de elas respirarem assim como nós, porém elas inspiram gás carbônico e expiram oxigênio. Neste processo, as arvores produzem 40% do oxigênio existente no mundo.

Por isso os ecossistemas, os animais e o ser humano se organizam e tem a sua vida unidas as árvores.

Devido a sua importância para o funcionamento do planeta, as árvores se tornaram uma preocupação para a sociedade, que despertou para a necessidade de preservar a natureza e por consequência as árvores.

Por isso é importante saber como plantar e cuidar das árvores, para que o planeta tenha as suas condições de vida melhoradas ou pelo menos mantidas, além de aumentar a beleza dos espaços.

ipê amarelo

Plantando árvores
Para realizar o plantio de árvores e as mesmas se desenvolverem de forma adequada, é necessário seguir umas regras básicas:
* É necessário ter um bom local para realizar o plantio e iniciar a arborização;

* É necessário e de suma importância verificar as informações sobre as árvores a serem plantadas, principalmente com relação ao porte, para que ela seja adequada ao local do plantio. Árvores de grande porte não devem ser plantadas em calçadas, pois podem causar prejuízos a rede de eletricidade. Já árvores de pequeno porte, não devem ser plantadas com o objetivo de obter sombra;

* A estrutura de uma árvore (raiz, tronco e copa) é definida conforme as características de espécie botânica a que ela pertence. Saber essas informações é de suma importância para a escolha da muda, para que os objetivos desejados sejam alcançados;

* Procure escolher árvores próprias da região para serem plantadas, pois elas além de se adequarem facilmente ao clima, elas ajudam na recuperação do ecossistema;

* A distância entre as árvores deve ser observada, e compatível com o porte, e próximo às árvores é necessário ter espaço para crescimento das raízes e absorção de água por parte da planta;

* Em jardins, as árvores que forem plantadas devem permitir que o sol incida sobre o espaço, pois dessa maneira, as plantas que ficam na parte de baixo, não ficarão sem iluminação natural;

* Deve ser evitado o plantio de árvores com raízes grossas e densas próximo a áreas com bases de concreto (calcadas, asfalto e pisos);

* Deve ser evitado o plantio de árvores em áreas próximas do sistema de escoamento de água, pois existem muitos tipos de árvores que na época do outono e do inverno, soltam muitas folhas, e assim podem entupir calhas, ralos e bocas de lobo;

* Considere que o êxito para a plantação de árvores está relacionado com a forma como a terra é tratada, trabalhada e preparada.

Cercis

Para que o plantio de árvores seja feito de maneira correta, é necessário cumprir com os seguintes aspectos:
Regá-las com regularidade
As árvores precisam ser regadas constantemente após a plantação. Este  passo é de fundamental importância, pois irá fazer com que as raízes das árvores se desenvolvam e atinjam a profundidade necessária para conservar uma árvore.

Após terem as suas raízes estabelecidas, a irrigação diminui, mas as árvores têm  necessidade constante de serem regadas, para se manterem verdes e bonitas. Verifique qual a quantidade de água que a planta consome, para que você não coloque muita e nem a deixe com sede.

Fertilizar a terra
A fertilização da terra é fundamental para a plantação de árvores, principalmente nos momentos iniciais da vida da arvore. Ao fertilizar e adubar a terra de forma correta, ele fica rica e nutrida, fator considerável para o sucesso no crescimento das árvores.

Quando a árvore estiver com as raízes profundas, fixadas a terra, ela poderá crescer sem qualquer reforço de fertilização ou adubamento. É importante frisar que a fertilização adicional só deve acontecer nas situações em que as árvores estiverem fracas, debilitadas ou subnutridas.

Cercis

Confira as dicas
Formação de um tronco forte
As árvores desenvolvem um tronco forte mais rápido caso os ramos mais baixos estejam na posição correta após plantação.

Nos primeiros anos, os ramos laterais só devem ser cortados caso fiquem muito grossos ou compridos. Por outro lado, a poda dos ramos das árvores deve ser realizada no período de dormência das plantas (um pouco antes da primavera).

Colocar estacas na árvore
Uma árvore conseguirá desenvolver um tronco mais forte se crescer sem qualquer suporte ou estacas. Contudo, caso a árvore seja plantada em um local com muito vento ou o tronco principal for muito fraco para permanecer em pé sozinho, o tronco dessa árvore deve ser reforçado com a colocação de estacas ou apoios para ajudar a planta à crescer.

Para utilização correta das estacas, deve seguir os seguintes passos:
* Utilize um laço que não prejudique o exterior da árvore. É bom utilizar materiais de lona ou de borracha para não prejudicar o crescimento da árvore;
* Prenda o laço na árvore e coloque estacas de cada um dos lados do tronco;
* Verifique se a árvore não fica apertada demais. Ela deve ficar folgada ao ponto de conseguir ser agitada para cada lado.

Para descobrir onde fixar os laços das estacas, no caso do tronco da árvore ser fraco, deve passar a mão no tronco até encontrar um local sem falhas.

No final de um ano, todas as estacas devem ser removidas, para que a árvore seja autossustentável.

arvore

A proteção do tronco de uma árvore
Para uma árvore jovem sobreviver a qualquer tipo de situação, é necessário que ela esteja sempre em observação, para que possa crescer de maneira saudável e consistente.

O tronco da árvore jovem deve ser protegido dos ventos secos, do sol quente, da destruição de animais selvagens, etc.

folhas3

Lafoensia pacari

O deladeiro é uma árvore tipicamente brasileira, mas também tem sua origem em outros países da América do Sul e é muito encontrada no Paraguai, e pertence à família Lythraceae.

A planta possui outros nomes populares, tais como: bicho-de-pau, mangaba-brava, mangava brava, louro-da-serra, dedal, copinho, pacuri, candeia-de-caju, pacari, copinho dedal e mangabeira-brava.

Como toda planta, tem o seu clima preferido, no seu caso, se adapta perfeitamente a 4 deles: temperado, tropical, mediterrâneo e subtropical.

Sua altura pode variar em três tamanhos: entre 4,7 m a 6,0 m; entre 6,0 m a 9,0 m ou entre 9,0 m a 12 m. É uma espécie que gosta e sol pleno e tem o ciclo de vida perene.

dedaleiro

Características
O deladeiro é originário também do Brasil, como foi falado anteriormente, e normalmente, em solo brasileiro, ela atinge o seu porte médio. Um dos principais lugares que essa espécie é encontrada é no cerrado brasileiro.

E também, espontaneamente, nos seguintes estados do Brasil: Minas Gerais, Tocantins, Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo, Distrito Federal, Rondônia e Mato Grosso.

Trata-se de uma árvore decídua. Para quem não sabe, quando uma árvore é classificada como decídua significa que ela perde as folhas nas estações do outono e do inverno. Porém, nem por isso elas ficam com uma aparência feia, isso porque, os seus troncos são como verdadeiras esculturas dos plátanos ou ainda, graças as suas ramificações da trepadeira.

A vantagem é que quando perdem suas folhas, as árvores decíduas deixam os raios de sol passar em toda ela e outra vantagem é que elas são “autolimpantes”. Caem-se as folhas velhas e no lugar delas nascem brotos e folhas novas e fortes.

Lafoensia_pacari_(1)

A madeira extraída de uma árvore deladeiro é de ótima qualidade e que dura muito tempo, por isso, é muito utilizada na fabricação de cabos de ferramentas, na construção civil e para fazer mourões.

Durante a primavera e o verão é o período de inflorescências do deladeiro. Essa árvore tem flores muito grandes, vistosas e que chamam muita atenção pela sua beleza. Por isso, entra na categoria de árvore ornamental. As flores são grandes e possuem pétalas franjadas e brancas, cálice verde e com um longo estame, as margens são pregueadas.

Já os frutos da árvore são deiscentes, como cápsulas lenhosas com uma tonalidade bronzeada. Na verdade, se você observar bem o fruto do deladeiro notará uma leve semelhança com um dedal daqueles usados por costureiras. E é por esse motivo, que dedal é um dos seus nomes populares.

As sementes dos frutos são em grande quantidade e são membranáceas.

As raízes do deladeiro não precisam ser motivo de preocupação. Na verdade, sendo de pequeno porte, elas não são agressivas e por isso, servem para florescimento ornamental.

No Brasil, nas cidades do estado do Paraná, é muito comum encontrar árvores de deladeiro espalhadas, fazendo a arborização desses lugares.

Lafoensia

Plantio da espécie
Além de servir para enfeitar ruas e praças, o deladeiro também é usado para salva zonas degradadas e para recompor mata ciliar. Porém, não se trata de uma espécie pioneira o que exige que ela seja plantada com outras espécies, seja feito o plantio misto.

Isso também pode ser feito gradualmente quando se fala de reflorestamento. A cada ano acrescentar uma nova espécie para dividir espaço com o deladeiro.

Falando de cultivo dessa árvore, para fazê-lo é necessário esperar um sol pleno. E mais, o solo que irá receber a espécie deve ser fértil e irrigado com regularidade nos primeiros anos logo depois do cultivo não esquecendo de enriquecê-lo com matéria orgânica.

Quando o deladeiro está forte ele pode resistir tanto aos períodos de seca, como a inundações, porém, ressaltando, só depois de passado o período inicial do cultivo. Nos primeiros momentos, ainda é uma árvore fraca.

Lafoensia_pacari

A multiplicação do deladeiro utilizando sementes, que devem ser colocadas logo depois de passar a colheita. Elas não devem ser jogadas na terra diretamente, e sim, colocadas em sacos cheios de areia e úmidos. Não se pode deixar passar muito tempo para plantá-las porque elas acabam perdendo o poder de germinação, que normalmente, acontece entre 10 a 15 dias.

As covas para receber as sementes devem ser fertilizadas com esterco curtido e a distância de 40 x 40 deve ser respeitada.

banquinho