Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Posts para categoria ‘Aromáticas’

Aromáticas

- A escolha do local
O local deve ser escolhido de acordo com a planta que você quer cultivar. Em geral, as plantas necessitam de um período de sol e outro de sombra. Se este é o caso do seu espaço, tem grande chance da maioria das plantas se darem muito bem. Se seu espaço for demasiadamente ensolarado, dê preferência a plantas mais robustas, com folhas grossas e com reserva de água, que agüentam estes ambientes. Plantas delicadas demais em geral preferem ambientes sombreados.

Se você mora em apartamento ou não tem muito espaço na sua casa, monte seu jardim em vasos e jardineiras. Plantas aromáticas de pequeno porte crescem muito bem em vasos.

- O preparo da terra
A maioria das plantas aromáticas necessita de solos leves, porosos e bem arejados para uma boa circulação de água e ar. Não use terra pobre ou compactada, isso atrapalha o desenvolvimento das plantas.

A  fórmula básica para a composição de um bom solo é:
- 1/3 de areia grossa;
- 1/3 de adubo orgânico curtido;
- 1/3 de terra comum, de preferência livre de sementes de ervas daninhas.

Após o preparo do solo, recomenda-se que você espere cerca de um mês antes de fazer o plantio. Esse período garante que a terra está bem homogênea e o adubo orgânico totalmente curtido, evitando que este prejudique as plantas. Outra vantagem é que neste tempo as sementes de ervas daninhas que possivelmente estão presentes nesta terra, germinem. As ervas daninhas concorrem com as plantas cultivadas por espaço, nutrientes, luz e umidade. Eliminando-as, as suas plantas aromáticas estarão livres para crescer fortes e sadias.

Obs.: Algumas plantas têm necessidades especiais de solo. Quando for o caso, será mencionado no texto explicativo da planta em questão.

Quando for utilizado o plantio em vaso ou jardineira, antes de colocar a terra é importante forrar o fundo com cascalho grosso, para garantir a drenagem do vaso. Excesso de água acumulada no fundo do vaso quase sempre apodrece as raízes e mata a planta.

- A escolha das plantas
As plantas devem ser escolhidas de acordo com as suas preferências pessoais. Se você gosta do cheiro de lavanda, esta é a escolha perfeita. Se gostar de alecrim ou manjericão, vá em frente, plante-as.

Por outro lado, se você não suporta o cheiro ou gosto da malva, deve evitá-la. Isto pode parecer óbvio, mas muita gente escolhe as plantas apenas por um aspecto, como pela beleza ou pelas propriedades medicinais. Mas tomar um chá, consumir um tempero ou sentir um cheiro que não é de seu gosto só fará você ficar mal humorado ou evitar o ambiente.

É claro que as plantas escolhidas devem ser compatíveis com as suas condições de espaço, clima, luminosidade, solo e disponibilidade de água. Por mais que você goste de determinada planta, não adianta tentar cultivá-la se as condições climáticas não permitem. Isso só irá causar frustração.

O jardim aromático deve ser um presente para você e causar prazer em todos os aspectos.

- O plantio
O plantio pode ser feito a partir de sementes, estacas ou mudas. Seja qual for a sua escolha, sempre opte por fontes de qualidade.

Para adquirir boas sementes e mudas, procure casas especializadas, como floriculturas ou agropecuárias, cuja procedência das plantas seja confiável.

Sementes
No caso de sementes, procure sempre aquelas com alta taxa de germinação, que resultarão em maior número de mudas.

As sementes preferencialmente devem ser plantadas em sementeiras, ou seja, uma espécie de berçário, local protegido onde a semente germina e a nova plantinha adquire tamanho e força até poder ser transplantada para um local definitivo. Quando a plantinha estiver estabelecida e suficientemente forte, é hora de transplantá-la.

Semeadura: faça pequenos furos na terra, de aproximadamente 5 centímetros de profundidade, com distância de 10 centímetros entre eles. Se você não tiver instrumento próprio para isso, faça o furo com o dedo. Coloque 3 ou 4 sementes em cada furo e cubra com terra. Molhe a terra em seguida. O período de germinação varia de espécie para espécie.
Veja mais »

manjerico

Chamado também de Erva dos Namorados, é uma planta aromática cujo parente mais próximo é o manjericão, também chamado alfândega ou basílico (Ocimum basilicum), com o qual partilha um aroma semelhante. As suas folhas são comestíveis e podem ser usadas como condimento.

É um excelente repelente de insetos e por isso muitas vezes cultivado em floreiras próximo de janelas e portadas. É também uma planta medicinal, sendo utilizada para o tratamento de flatulência, gripes e constipações, além de problemas digestivos.

Família: Lamiáceas

Origem: Índia

Luz: Precisa de muita luz, mas não deve estar exposto a luz solar direta nos períodos em que esta é mais intensa, pois a incidência forte pode provocar queimaduras e até a morte da planta. Evitar luz solar direta entre as 10h e as 18h. Estando exposto ao sol tem de estar bem regado.

Temperatura e umidade
Prefere temperaturas amenas e alguma umidade ambiental. Não tolera o frio ou geadas nem calor intenso.

Rega
Evitar deixar secar a terra. Necessita de muita água. Por vezes, diz-se que o manjerico seca depois das festas mas a verdade é que se esquecem de o regar. Prefere vasos de barro com uma boa drenagem para que as raízes respirem e não haja acumulação de fungos.
Colocar um prato com água debaixo do vaso ajuda a manter a umidade nas horas de maior calor. Retirar a água à noite ajuda a prolongar a vida da planta.

Sobrevivência e outros cuidados
É uma planta anual, pelo que é difícil manter de um ano para o outro, mas não impossível. Pode apresentar um comportamento perene se estiverem reunidas as condições ideais de temperatura, água e exposição solar mas no nosso país quase sempre dura apenas uma época. A sua propagação faz-se por sementes, na Primavera.

Se queremos plantar os nossos próprios manjericos devemos guardar algumas sementes para plantar na época seguinte.

Podar as flores mal comecem a nascer para prolongar a vida do manjerico.

Convém juntar várias plantas para produzir aquele efeito de tufo redondo tão apreciado.

Mitos e verdades
Segundo a tradição popular, para sentir o aroma do manjerico deve tocar-se no manjerico com a palma da mão e cheirar a mão porque cheirar diretamente mataria a planta. Não é verdade. Contudo, o manjerico reage muito mal à proximidade de álcool e de alho. Talvez alguns hálitos tenham fortalecido o mito.

035

hortelã

O jardim Aromático pode estar plantado diretamente na terra ou em vasos e jardineiras. A vantagem da utilização dos últimos, é que podem ser deslocados conforme a necessidade de luz e umidade da planta ou mesmo de mudanças em sua casa, como reformas, alteração de layout, disposição de cômodos e outras necessidades que possam vir a surgir. Os vasos podem ser rearranjados de acordo com o crescimento das plantas, florada e época do ano. Você terá liberdade para fazer bonitas combinações, de acordo com a sua imaginação e estado de espírito.

Seja qual for a sua escolha, vaso ou terra, delicie-se com seu mais novo empreendimento de vida: mais aroma pertinho de você!

A escolha do local
O local deve ser escolhido de acordo com a planta que você quer cultivar. Em geral, as plantas necessitam de um período de sol e outro de sombra. Se este é o caso do seu espaço, tem grande chance da maioria das plantas se darem muito bem. Se seu espaço for demasiadamente ensolarado, dê preferência a plantas mais robustas, com folhas grossas e com reserva de água, que agüentam estes ambientes. Plantas delicadas demais em geral preferem ambientes sombreados.

Se você mora em apartamento ou não tem muito espaço na sua casa, monte seu jardim em vasos e jardineiras. Plantas aromáticas de pequeno porte crescem muito bem em vasos.

O preparo da terra
A maioria das plantas aromáticas necessita de solos leves, porosos e bem arejados para uma boa circulação de água e ar. Não use terra pobre ou compactada, isso atrapalha o desenvolvimento das plantas.

A fórmula básica para a composição de um bom solo é:

- 1/3 de areia grossa;

- 1/3 de adubo orgânico curtido;

- 1/3 de terra comum, de preferência livre de sementes de ervas daninhas.

Após o preparo do solo, recomenda-se que você espere cerca de um mês antes de fazer o plantio. Esse período garante que a terra está bem homogênea e o adubo orgânico totalmente curtido, evitando que este prejudique as plantas. Outra vantagem é que neste tempo as sementes de ervas daninhas que possivelmente estão presentes nesta terra, germinem. As ervas daninhas concorrem com as plantas cultivadas por espaço, nutrientes, luz e umidade. Eliminando-as, as suas plantas aromáticas estarão livres para crescer fortes e sadias.

Obs.: Algumas plantas têm necessidades especiais de solo. Quando for o caso, será mencionado no texto explicativo da planta em questão.

Quando for utilizado o plantio em vaso ou jardineira, antes de colocar a terra é importante forrar o fundo com cascalho grosso, para garantir a drenagem do vaso. Excesso de água acumulada no fundo do vaso quase sempre apodrece as raízes e mata a planta.

O plantio
O plantio pode ser feito a partir de sementes, estacas ou mudas. Seja qual for a sua escolha, sempre opte por fontes de qualidade.

Para adquirir boas sementes e mudas, procure casas especializadas, como floriculturas ou agropecuárias, cuja procedência das plantas seja confiável.

Sementes
No caso de sementes, procure sempre aquelas com alta taxa de germinação, que resultarão em maior número de mudas.

As sementes preferencialmente devem ser plantadas em sementeiras, ou seja, uma espécie de berçário, local protegido onde a semente germina e a nova plantinha adquire tamanho e força até poder ser transplantada para um local definitivo. Quando a plantinha estiver estabelecida e suficientemente forte, é hora de transplantá-la.

Semeadura: faça pequenos furos na terra, de aproximadamente 5 centímetros de profundidade, com distância de 10 centímetros entre eles. Se você não tiver instrumento próprio para isso, faça o furo com o dedo. Coloque 3 ou 4 sementes em cada furo e cubra com terra. Molhe a terra em seguida. O período de germinação varia de espécie para espécie.

Mudas
No caso de mudas, observe o aspecto das mesmas, como coloração e vigor (força). Uma planta raquítica pode não ser uma boa opção. Também é importante verificar se as mudas estão sadias e livres de pragas. Você deve evitar a todo custo levar pragas para o seu jardim. Manchas ou partes comidas nas folhas são sinais de problemas, salvo manchas naturais que algumas espécies apresentam.

As mudas podem ser plantadas diretamente no local definitivo.

Plantio de mudas: faça uma cova na terra um pouco maior que a extensão das raízes de sua planta. Retire a muda do saquinho (quando houver) e mantenha um pouco da terra original em volta de suas raízes. Se a terra estiver muito compactada, pressione um pouco até soltar. Coloque a planta na cova, cubra com terra, deixando a planta ereta, firme, mas sem apertar muito o solo. Regue em seguida.

Estacas
Mudas obtidas a partir de estacas:

Estacas são pedaços de partes da planta, principalmente dos galhos. Por exemplo: se você quiser obter mudas de uma planta de hortelã, pode cortar um galho de uma planta adulta de hortelã e plantá-la no solo. Este galho, quando colhido, não terá raízes. Por isso não é chamado de muda, e sim, de estaca. Ao plantá-la, esta estaca produzirá raízes e tornar-se-á uma muda. Esta, por sua vez, quando crescer, tornar-se-á uma planta adulta produzida a partir de uma estaca.

Se você optar por produzir suas próprias mudas através de estacas, deve colher as estacas de uma planta adulta e plantá-las logo em seguida preferencialmente em vasos, em ambiente protegido do sol e vento e com irrigação freqüente. Após a estaca começar a ganhar força e emitir novos brotos, já pode ser plantada no local definitivo. Este processo pode demorar alguns meses.

Em todos os casos, sementes, mudas ou estacas, os primeiros dias requerem cuidados especiais. Regas freqüentes devem ser feitas, sempre observando a umidade do solo. Se ele ainda estiver úmido, não há necessidade de nova rega. A rega deve ser feita cedo pela manhã ou ao final da tarde, sempre com temperatura amena. Lembre-se: não pode ficar água acumulada. A drenagem do local é importante.

Dica importante: não leve gato por lebre. Às vezes as plantas são muito parecidas, principalmente quando estão sem flor. Um bom exemplo é a salsa e o coentro. Aos olhos de um leigo podem parecer iguais, mas tem propriedades e sabores bem diferentes. Uma boa dica é cheirar a planta para ter certeza ou pedir orientação de quem tem mais experiência.

Adquirir sementes, mudas e montar um jardim também pode ser uma excelente forma de fazer amigos: talvez você tenha um vizinho pertinho de você, conhecido ou colega de trabalho que gosta de plantas. Puxe papo, peça conselhos, estreite laços de amizade. Vocês podem acabar trocando mudas, experiências e companheirismo.

Controle de pragas
Após o plantio, você deve ficar atento ao aparecimento de pragas. A maioria das plantas aromáticas são bastante resistentes. Algumas inclusive são repelentes de insetos. Mas alguns cuidados devem ser tomados.Ervas daninhas devem ser removidas preferencialmente de forma manual. Evite agrotóxico a todo custo, principalmente se suas ervas, além de aromáticas, forem medicinais e de uso culinário. Preserve sua saúde e o meio ambiente.Em jardins pequenos, as lagartas também podem ser removidas manualmente, fazendo inspeções visuais de dois em dois dias. Se alguma lagarta for encontrada, a inspeção deve passar a ser diária. Você pode usar cascas de abóbora ou de chuchu espalhadas no chão ou próximo dos vasos para atrair as lagartas e catá-las mais facilmente.

gif1

Funcho

Nomes populares: Funcho, Erva-Doce, Fiolho.
Família: Apiaceae.
Origem: Mediterrâneo
Habitat: O Funcho é uma erva espontânea em várias zonas do Mundo, cresce em grandes extensões de terreno e em jardins.

Suas folhas são longas e muito finas, com forma acicular, ou seja, em forma de agulha. São bastante flexíveis, mas podem tornar-se duras externamente quando não encontram água suficiente.
Suas flores são muito pequenas (2 a 5 mm de diâmetro), de cor amarela. Elas crescem em inflorescências, que são grupos de flores que partem de um único ramo. Cada inflorescência pode conter de 20 a 50 pequenas flores.

O funcho é muito confundido com a erva-doce. Porém, suas sementes são secas e maiores que as da erva-doce. Quando cultivado no Brasil, mede em geral 70 cm, mas pode atingir até 1 metro de altura ou mais. Na Europa, devido às diferentes condições climáticas, pode chegar a 2 m de altura. Pode adquirir coloração levemente azulada quando expostas à solos secos e com radiação solar excessiva.

As partes utilizadas desta planta são as raízes, folhas e sementes, que são fortemente aromáticas, com cheiro semelhante ao anis.

Cultivo: É uma planta que não tolera temperaturas extremas, ou seja, nem muito quentes nem muito frias. O plantio deve ser feito em época de chuva, para garantir um bom suprimento de água.

Sementeira: Na Primavera e no Verão com distâncias entre plantas na linha de 15 a 20 cm.

Transplantação:
4 a 6 semanas depois de semeado em alvéolos.

Luz:
Sol

Solos:
Profundos de textura média, frescos e férteis, com boa drenagem. É tolerante á salinidade e à acidez.

Temperatura:
O Funcho não tolera geadas e está mais adaptado ao calor.

Rega: Importante na fase de formação do pseudobolbo, para evitar a floração precoce.

Adubação: Adubo orgânico

Floração: Verão

Pragas e doenças: Lepidópteros (Spodoptera littoralis) e Agrostis spp. Como doenças mais importantes a Botrytis cinerea, Pythium spp. e Sclerotinia sclerotiorum .

Propagação: Feita por sementes, que podem ser plantadas diretamente no local definitivo.

Conservação: Conservar as sementes de Funcho em local seco dentro de invólucros bem fechados.

Aplicações medicinais: Apresenta propriedades diuréticas e sedativas. Também é digestivo e combate dores de cabeça de origem digestiva. Combate problemas intestinais e ajuda a prevenir o mau hálito.

Partes utilizadas: Frutos (sementes), bases dos pecíolos e bainhas das folhas. As raízes do Funcho também são utilizadas em fototerapia.

Propriedades: Aromático, estimulante, expectorante, purificante, tônico.

Contra-indicações: Não usar na gravidez e em asmáticos com forte tendência alérgica.

Outros usos:
O funcho é usado industrialmente na cosmética, confeitaria e fabrico de licores. É uma excelente planta melífera. Com um intenso aroma que faz lembrar o anis, combina muito bem com natas e é também óptimo para rechear a barriga de um peixe que vá a assar. As suas folhas picadas resultam igualmente sobre saladas, batatas, pratos de arroz ou em molhos para pastas.

Se o plantio for feito em vaso, em local coberto, a rega abundante é importantíssima nos primeiros dias. O espaçamento ideal entre as plantas é de 0,8 x 1,2 m. O solo deve ser rico em matéria orgânica, bem drenado e poroso. A colheita pode ser feita o ano todo.

happydaisyhgclrrg8