Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




planta-batom

Do que as columéias gostam?
Boa luminosidade, mas não sol direto. Boa umidade atmosférica. O solo deve ficar úmido, mas não encharcado. Regue de 2 a 3 vezes por semana.

Adubação a cada 3 meses. Quando acabar a floração, faça uma poda eliminando os ramos laterais e cortando todos os outros ramos pela metade de seu comprimento.

A cada 2 anos, transplante-a para um vaso maior. Quando bem cuidada, a columéia pode durar de 5 a 6 anos.

O que pode acontecer com as Columéias se:
As folhas secam, a planta parece cansada
A umidade atmosférica do local não é suficiente para a planta. Mude sua planta para um local mais úmido, ou borrife a folhagem regularmente com um pulverizador. A água deve estar na temperatura ambiente.

A planta está com ramos finos, enfraquecidos demais
O substrato do vaso já não tem mais nenhum nutriente. A planta está precisando ser adubada. Pode estar na hora de substituir o vaso por um maior.

Se os ramos começarem a apodrecer e as folhas a cair
É sinal de muita umidade. Pode ser que você esteja regando demais, então suspenda a rega por uns dias até o substrato secar para então regar.

Ou então pode ser que o ambiente pode estar muito úmido. Se for esse o caso, mude a planta par um local mais seco e mais quente até que ela se recupere.

Se a planta está com ramos alongados, poucas folhas e sem flores
Sua columéia deve estar recebendo pouca luz e a isso ela não resiste. Mude o vaso para mais perto da janela e deixe as cortinas abertas durante todo o dia.

Lembre-se que o ar do ambiente também precisa ser renovado, então abra também as janelas para ventilar o ambiente, para evitar que as folhas comecem a secar.

As folhas estão amareladas com pequenas teias no verso
Provavelmente são ácaros atacando a sua planta. Pulverize com óleo de neen ou nim, aplicando sempre à noite para que as folhas não sejam queimadas com a luz do sol + o óleo de neem.

Dilua o óleo em água (seguindo a orientação do fabricante) e borrife na parte da frente e de trás das folhas. Faça 1 aplicação semanal por 3 semanas.

planta batom

As folhas secam nas pontas
Provavelmente a mistura do substrato está muito seca. Mergulhe o vaso num balde com água até que pare de borbulhar.

Retire e deixe escorrer bem. Nos dias seguintes, regue com mais frequência e pulverize as folhas com água em temperatura ambiente.

Evite trocar a sua columéia batom de lugar, elas não gostam de mudanças.
Borrife a planta regularmente com água morna, de modo a aumentar a umidade do ar. Um dos principais sintomas de falta de umidade atmosférica é quando a planta apresenta um aspecto cansado e as suas folhas secam.

Se pretender obter uma planta mais densa corte as pontas dos ramos, esta prática vai permitir a formação de novas gemas. Pode sempre acima de um nó.

Adube a planta com um adubo equilibrado cada 2 semanas, pare no Inverno. Se os caules da sua planta se mostrarem finos e delgados, poderá ser um indicativo de falta de nutrientes.

Após a floração elimine a ponta dos galhos, cortando os caules pela metade do seu tamanho.

luar

Aeschynanthus radicans

A columéia-batom pertence ao gênero botânico Aeschynanthus, que conta com mais de 150 espécies.

No seu ambiente natural é uma planta epífita, cresce no ramos das árvores, nas florestas tropicais, alimenta-se de resíduos que se acumulam nas fendas ou cavidades dos ramos. São da mesma família das violetas, apesar de diferirem muito no aspecto e nos cuidados..

Coloque a planta-batom em um vaso com buracos para drenagem de água
A planta precisa drenar rápido ou ficará molhada demais, o que pode matá-la. Escolha um vaso que tenha buracos para drenagem na parte de baixo para que a água não fique empoçada na raiz.

Coloque um prato embaixo do vaso para captar a água que sai
*
Alguns vasos vêm com prato fixado. Caso o seu não tenha, procure pratos em lojas de artigos para jardinagem ou na internet. Geralmente, eles ficam perto da seção de vasos.
* Já que as plantas-batom são vinhas, elas crescerão melhor em vasos de pendurar.

Use uma terra com boa drenagem misturada com musgo de turfa
As plantas-batom crescem melhor se a terra estiver úmida, mas não molhada demais e, por isso, precisam de um solo que drene a água rápido.

Procure terras que indiquem na embalagem “boa drenagem” e tenham musgo de turfa na composição. Na hora de colocá-la no vaso, deixe-a bem solta e não aperte.
* Você também pode misturar pedra pome ou carvão em pó para melhorar a drenagem de terras comuns.
* Procure terras indicadas para suculentas ou violetas africanas para facilitar, porque essas variedades drenam bem a água.

Deixe a planta-batom na sombra parcial se ela ficar fora de casa
Essa espécie precisa de bastante luz do sol para crescer, mas a luz direta vai queimar a planta. Coloque-a em um lugar onde a luz fique bloqueada por uma sombra.

Os melhores lugares são quintais, na frente de casa ou em varandas. Se preferir, você também pode colocar a planta presa em uma parede externa ou perto de uma cerca.
* As plantas-batom só crescem bem em áreas externas em regiões quentes.

Aeschynanthus_radicans

Coloque a planta-batom na luz indireta se ela fica dentro de casa
Encontre um lugar perto de uma janela, mas não no peitoril. Uma opção é colocar a planta em cima de um móvel que fique de frente para uma janela, bem no meio.

Contanto que a planta não receba luz solar direta, isso vai dar certo.
* Se você tiver cortinas ou persianas, use-as para filtrar a luz.

Obs.:não coloque a planta-batom na luz solar direta porque ela vai murchar.

Mantenha o ambiente entre 21 e 29ºC da primavera ao outono
A temporada de crescimento dessa espécie geralmente vai da primavera ao outono, e ela precisa se manter aquecida para conseguir florescer.

Se estiver frio, coloque um aquecedor a uma temperatura entre 21 e 29ºC para estimular a planta a florescer
* Você pode deixar a temperatura entre 18 e 21ºC durante a noite, se preferir, mas não vá além disso. Se a temperatura ficar em menos de 18ºC, a planta pode morrer.

Obs.: não deixe a planta perto dos respiradores de aquecedores ou ar-condicionado porque as rajadas de vento podem machucá-la.

Troque plantas jovens de vaso anualmente e as já estabelecidas a cada três anos
Ao contrário de outras espécies, a flor-batom cresce melhor em vasos que caibam certinho o tamanho atual dela.

Se você escolher um vaso grande, a planta vai usar a energia dela para aumentar a raiz em vez da folhagem. Ajude a planta a crescer bem escolhendo vasos um tamanho maior que o tamanho dela nos primeiros três anos.

Depois desse período, troque de vaso a cada três ou quatro anos, se precisar. Mude de vaso na primavera ou no verão para ter resultados melhores.
* As plantas são consideradas jovens quando têm três anos ou menos.
* Quando for envasar a planta, não deve sobrar muito espaço entre a raiz e as laterais do vaso. Se houver, a planta vai expandir a raiz antes de florescer.

Aeschynanthus_radicans amarela

Mantenha a terra úmida com água morna todos os dias da primavera até o outono
Essa é a temporada de crescimento da flor-batom. Veja se a terra está molhada antes de regar. Depois, basta colocar uma quantidade de água que deixe-a úmida, mas não molhada.
* Provavelmente você terá que regar a planta uma vez por dia, mas, se a terra parecer molhada, pule o dia.

Deixe a terra secar entre uma rega e outra durante os meses de inverno Geralmente, as plantas-batom adormecem durante o frio, então talvez você não veja nenhum crescimento.

Por conta disso, a planta não vai precisar de muita água. Dê uma olhada na terra todos os dias para ver se ela ainda está úmida. Espere para regar quando ela estiver seca ao toque.
* Se a planta começar a murchar, não tem problema regar com mais frequência. Ela costuma parar de crescer no inverno, mas não deve morrer.

Pulverize água na folhagem todos os dias se o ar da região onde você mora é seco
A planta-batom é nativa de um clima úmido e não vai sobreviver à seca. Aumente a umidade pulverizando água com uma garrafa spray todos os dias.
* Não se preocupe com isso se a planta fica dentro de casa e você mora em uma região com boa umidade.

Dica: Coloque a planta no banheiro ou na cozinha, onde o ar tende a ser mais úmido. Se preferir, ponha uma bandeja para reter umidade embaixo da planta.

Faça uma colocando pedras em um prato para plantas e enchendo-o de água. Coloque a planta em cima das pedras para absorver a água.

Use um fertilizante orgânico uma vez por mês durante a temporada de crescimento
Escolha um fertilizante orgânico feito para plantas que ficam dentro de casa, flores tropicais ou violetas africanas. Siga as instruções na embalagem para fertilizar a planta-batom uma vez por mês na primavera, no verão e no outono.

No inverno, fertilize a cada seis semanas para estimulá-la a voltar mais forte. Veja abaixo quais são as melhores opções de fertilizantes:
* Compre um fertilizante líquido que você possa colocar no regador.
* Coloque cristais com fertilizante para flores tropicais na terra. Eles são liberados com o passar do tempo.
* Ponha composto orgânico na terra para fertilizar a planta.
* Experimente fertilizantes feitos para violetas africanas.

planta batom

Organize o intervalo entre as regas se as folhas começarem a cair ou ficarem amareladas
Regar demais ou não regar o suficiente faz a planta murchar. Descubra se ela precisa de mais ou de menos água colocando o dedo a uns 3 cm de profundidade na terra para ver se ela está seca antes de regar.

Não coloque água a menos que a terra esteja seca.
* Monitore a umidade do solo facilmente usando um medidor de umidade que você encontra em lojas de jardinagem ou na internet. Insira o medidor na terra da planta para ver se ela está molhada ou não. O ideal é que o leitor fique na parte mais úmida.

Dica: as folhas podem ficar amareladas se a planta não estiver recebendo luz solar suficiente. Se as folhas estiverem amarelas mesmo com o solo úmido, coloque-a em um lugar mais ensolarado.

Dê mais luz e fertilizante para a planta se ela não estiver florescendo
A planta-batom pode não criar flores se estiver com poucos nutrientes. Geralmente, ela está sentindo falta de luz e de fertilizante.

Coloque-a em um lugar que receba mais luz do sol para ver se as flores nascem. Caso isso não aconteça, passe a aplicar o fertilizante a cada 15 dias.

* Se as folhas começarem a ficar queimadas, coloque a planta em um lugar com um pouco mais de sombra e veja se o fertilizante ajuda.

Use óleo de nim para proteger a planta de pestes
As flores-batom atraem pulgões, tripes, insetos-escama e cochonilhas. Dê uma boa olhada na planta uma vez por semana, pelo menos.

Se notar que ela tem alguma infestação, use um spray de óleo de nim. Talvez isso não aconteça com a planta se ela fica dentro de casa, mas, se você a vir soltando uma gosma transparente e grudenta, provavelmente alguma peste está se alimentando da seiva da planta.

Esses insetos expelem uma substância pegajosa que é chamada de melado, que é o que você está vendo.
* Compre o óleo de sim em lojas de artigos para jardinagem ou pela internet. Ele é usado como um tratamento orgânico para pestes e costuma ser seguro.

Opções: você também pode matar pestes com sabão inseticida, repelente de cera de pimenta ou óleo hortícola. Eles podem ser adquiridos em lojas de artigos para jardinagem ou na internet.

Passe um fungicida de cobre se notar que a planta está com pontos pretos
As plantas-batom podem criar fungos se ficarem molhadas demais. Quando isso acontecer, você verá pontos pretos e até alguns machucados nas folhas ou no caule.

Trate o fungo diminuindo a umidade em volta da planta, regando com menos frequência e colocando-a em um lugar menos úmido. Aplique também um fungicida de cobre.
* Você encontra esse produto em lojas de jardinagem ou pela internet. Siga as instruções na embalagem para usá-lo da forma certa.
* A planta tem mais chances de criar fungos durante o inverno ou se você costuma regar à noite. Sempre coloque água durante o dia para que ela possa evaporar no sol.

janela-flor

othono_ruby

A suculenta colar de rubi, apelido pelo qual é conhecida a espécie botânica Othonna capensis, é um belo exemplo de planta pendente, de crescimento rápido e vigoroso, bastante ornamental.

O nome popular faz alusão à coloração púrpura avermelhada do caule desta suculenta, que se torna mais acentuada quando a planta é cultivada sob elevados níveis de luminosidade.

As folhas em tom de verde jade contrastam com o colar de rubi. Elas apresentam o formato de um zeppelin, distribuindo-se alternadamente ao longo de todo o caule e podem se tornar avermelhadas com o sol.

Para completar esta interessante paleta de cores, as flores surgem em um amarelo brilhante, como pequenas margaridas, no topo de hastes também na coloração púrpura, como o caule.

A Othonna capensis pertence à família Asteraceae, a mesma que abriga as suculentas do gênero Senecio. De fato, tanto as folhas como as flores da suculenta colar de rubi apresentam formatos semelhantes aos encontrados em várias espécies de Senecio.

Além disso, e não por acaso, o colar de rubi é parente da famosa suculenta colar-de-pérolas (Senecio rowleyanus), bem como do cobiçado colar-de-golfinhos (Senecio peregrinus). Todos estes colares são suculentas pendentes bastante apreciadas pelos colecionadores.

A suculenta colar de rubi é bastante versátil, uma vez que pode ser utilizada como forração ou planta pendente. Assim como muitas plantas suculentas cultivadas com fins ornamentais, a Othonna capensis é originária da África do Sul.

Em seu habitat natural, o colar-de-rubi vive em ambientes áridos, sobre rochas, acostumado a pouca água e bastante sol.

Em países do hemisfério norte, a Othonna capensis costuma entrar em dormência durante os meses mais quentes do ano, no verão. Neste período, os cultivadores reduzem as regas, uma vez que o metabolismo da planta se torna mais lento.

Aqui no Brasil, como as diferenças climáticas entre as estações são menos pronunciadas, a suculenta colar-de-rubi cresce normalmente ao longo de todo o ano, sem um descanso perceptível.

colar-de-rubi

Cuidados
Cuidar da suculenta colar-de-rubi é bastante tranquilo. Quanto à luminosidade, trata-se de uma planta que pode tolerar sol pleno, mas deve ser protegida por uma tela de sombreamento durante os dias mais quentes do verão.

Alternativamente, a Othonna capensis também pode ser cultivada em interiores, casas e apartamentos, desde que receba luz indireta em níveis adequados.

Um local próximo a uma janela ensolarada, face norte, leste ou oeste, é suficiente para garantir um bom desenvolvimento do colar-de-rubi.

Como ocorre com toda planta suculenta, o colar de rubi tende a ficar estiolado se cultivado em locais muito sombreado.

Isto significa que seu caule vai crescer aceleradamente, ficando mais fino e comprido, com um grande espaço entre as folhas. A planta adquire este padrão anormal de crescimento em busca de mais luz.

Quanto mais luminosidade puder ser fornecida a esta suculenta, mais frequentes serão suas florações, que podem ocorrer ao longo de todo o ano. Além disso, em ambientes bem iluminados, a coloração púrpura de seu caule, que é a marca registrada do colar de rubi, ficará mais acentuada.

As folhas cilíndricas também poderão adquirir uma tonalidade mais avermelhada. No jargão adotado pelos cultivadores de suculentas, no entanto, a planta com coloridos intensos, principalmente bem avermelhados, é considerada estressada.

Como toda suculenta, o colar-de-rubi precisa de um solo bastante drenável, de natureza arenosa, como encontrado em seu habitat de origem.

Não é necessário preocupar-se com a adição de material orgânico em proporções elevadas, já que o ambiente desértico proporciona um solo pobre em nutrientes.

colarderubi

Existem substratos próprios para o cultivo de cactos e suculentas, que são vendidos prontos no mercado especializado. Alternativamente, uma mistura de terra vegetal e areia grossa, em partes iguais, será apropriada para o cultivo da suculenta colar-de-rubi.

É importante que o vaso tenha uma boa camada de drenagem no fundo, composta por brita, argila expandida ou pedrisco. Embora seja tentador plantar suculentas em xícaras, bules e cachepots sem furos, é sempre melhor optar por vasos com drenagem, para evitar o acúmulo de água em torno das raízes, que pode matar o colar-de-rubi.

Há quem diga que a Othonna capensis é mais tolerante ao excesso de regas, mas eu prefiro não arriscar. Sempre rego quando o substrato já está bem seco.

Um método interessante para saber quando é hora de regar a suculenta colar de rubi consiste em testar o nível de turgidez de suas folhas.

À medida que o substrato vai secando, as folhas do colar-de-rubi vão ficando sutilmente mais macias, como pequenas bexigas que vão murchando, perdendo o turgor.

Claro que não é bom esperar até que as folhas murchem demais, mas este feeling obtido ao tocar estas estruturas ajuda a perceber quando é hora de regar a Othonna capensis.

A propagação da suculenta colar de rubi é bastante rápida e fácil de ser implementada. Como os caules crescem em profusão, para todos os lados, e se ramificam com frequência, basta cortar um ramo e plantá-lo separadamente.

othoma capensis

Em pouco tempo, este corte irá se enraizar e produzirá uma nova muda. O ideal é assentar o segmento cortado sobre a terra preparada, na horizontal, de forma que as bases das folhas fiquem em contato com o solo, o que facilita o enraizamento.

Estes cortes para multiplicação do colar-de-rubi podem ser obtidos através das podas ocasionais de manutenção. Com o tempo, a planta vai se tornando cada vez mais comprida, além de descabelada.

Uma poda básica, para remoção de hastes florais secas e ramos excedentes, pode ser necessária, de tempos em tempos. Este procedimento evita que pragas como cochonilhas encontrem locais para se proliferarem.

Resumindo, o colar de rubi é um belíssimo exemplo de planta suculenta pendente, bastante apreciada pelos colecionadores.

Trata-se de uma espécie de fácil cultivo e baixa manutenção, que pode ser cultivada dentro de casas e apartamentos, desde que em locais com boa iluminação.

O colar-de-rubi é uma excelente opção para diversificar a coleção de suculentas, frequentemente dominada pelas tradicionais rosas do deserto.

cerejeira