2017 May 15 - PlantaSonya - O seu blog sobre cultivo de plantas e flores
Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




cattleya híbrida

Orquídea híbrida é basicamente é o cruzamento de duas espécies diferentes. Porque, em geral as espécies já estão quase todas registradas pelos orquidófilos, pesquisadores ou não. É obra da natureza e não pode ser criada pelos homens. Isto significa que terá sempre o seu valor, mesmo que não seja tão bela.

As possibilidades de cruzamento são tantas que a cada ano surgem novas flores supervalorizadas em detrimento das dos anos anteriores que deixaram de ser novidades. Claro que só são divulgados e multiplicados os cruzamentos que dão certo, ou seja, que atingem o objetivo. Mas atrás deles há inúmeros fracassos.

cattleya dolosa x cattleya walqueriana  )

Uma orquídea híbrida é a combinação das características de cada um de seus genitores. Assim, os cultivadores primeiro analisam que tipos de flor gostariam de produzir. Eles talvez estejam pensando em determinadas cores, listras ou manchas.

Pode ser que queiram combinar essas características numa planta com flores pequenas ou grandes. A fragrância é um outro fator. Com esses pontos em mente, eles escolhem duas orquídeas com as características que desejam passar para a nova planta.

Se a fertilização for bem-sucedida, ocorrerá algo fenomenal na flor da planta receptora de pólen. Tubos afilados se projetam da coluna em direção a uma parte da flor conhecida como ovário. Daí, o ovário incha e forma uma cápsula de sementes.

Dentro dela, centenas de milhares de minúsculas sementes estão sendo formadas, cada uma ligada a um tubo polínico. Pode levar meses ou até mais de um ano para que a cápsula de sementes amadureça. Nesse ponto, os cultivadores ajuntam as sementes da cápsula.

Cattleya Leopoldii x Cattleya Warneri

Eles as colocam num frasco esterilizado com uma solução de ágar e nutrientes. Se as sementes germinarem, orquídeas bem pequenas logo aparecerão como um carpete de grama verde.

Depois de alguns meses, os cultivadores removem as mudas do frasco e as colocam perto umas das outras num vaso comunitário. Eles cuidam bem das mudas, regando-as com frequência para que não sequem.

Com o tempo, eles transferem suas novas orquídeas para vasos individuais. A esta altura, a paciência se mostra uma verdadeira virtude. As orquídeas podem levar alguns anos ou até mais de uma década para florir.

alameda chuvosa

Zygopetalum maculatum

Zygopetalum é um gênero botânico pertencente à família Orchidaceae. O nome do gênero vem da palavra grega zygon, par e petalon, no caso pétalas, em referência às suas flores conterem apenas duas pétalas iguais, fato compartilhado por todas as orquídeas. Outra interpretação seria considerada a partir de outro significado de “zygon”, que também significa jugo, referindo-se então à fusão dos elementos na base do labelo criando uma saliência característica.

Este gênero agrupa cerca de quinze plantas terrestres, ocasionalmente epífitas ou rupícolas, em regra de crescimento cespitoso, porém há algumas espécies de crescimento escandente ou reptante.

Existem desde o Peru, Bolívia até o Paraguai e nordeste da Argentina, sendo que o Brasil, onde todas as espécies se fazem presentes, pode ser considerado seu centro de dispersão. Comuns nas regiões sul, sudeste e centro oeste, são encontrados em locais saturados de umidade, em meio ao capim, sobre diversas espécies de samambaias, em frestas de rochas onde se acumulam detritos vegetais e mesmo eventualmente sobre troncos de árvores. Ocorrem em regiões de baixa e média altitude.

Zygopetalum maculatum

Algumas espécies de plantas são bastante robustas. Possuem rizomas longos com pseudobulbos espaçados, outras têm rizomas bastante curtos e há ainda uma que cresce monopodialmente e neste caso apresenta caule alongado às vezes ramoso, com folhas dísticas, sem pseudobulbos aparentes.

Os pseudobulbos normalmente são ovóides ou de secção redonda, grandes ou pequenos. A maioria das espécies apresenta folhas que vagamente se parecem com capim, verde claras, multi nervuradas longitudinalmente, lustrosas, alongadas, apicais, oblongas ou elíticas-lanceoladas, pouco espessas, herbáceas.

A inflorescência é racemosa, normalmente longa e ereta, mais longa que as folhas, ocasionalmente horizontal, brotam da base do pseudobulbo apresentando de quatro a quinze flores médias ou grandes. Estas costumam ser vistosas, possuem um aspecto ceroso ou aveludado e são muito duráveis, suavemente perfumadas em algumas espécies.

Orchid 3

Com pétalas esverdeadas esverdeadas, pouco ou intensamente maculadas de marrom e labelo branco, ou lilás, quase sempre estriado de roxo azulado, inteiro, comum pubescente, pouco ou muito trilobado, mas sempre com lobo mediano muito maior, quase plano ou algo conchado, e um calo transversal alto e variável, frequentemente e nervurado ou bilobulado, próximo à base da coluna. A coluna é curta e grossa, sem apêndices, tem pé, e contém quatro políneas cerosas.

São plantas fáceis de cultivar. Os vasos podem ser variados e a gosto de quem cultiva, desde os simples vasos de plástico, passando pelos vasos de barro e cestos. Não são plantas exigentes nesse aspecto.

Os seus requisitos são mais no que conta ao substrato e à drenagem do mesmo. São plantas que gostam de estar sempre meio úmidas, mas sem que o substrato esteja empapado em água. As raízes precisam respirar. Muitas vezes crescem até para fora do vaso, onde devem permanecer.

Zygopetalum_22

Assim, o substrato deverá reter alguma umidade mas tendo um bom arejamento e drenagem. Usam-se materiais como casca de pinheiro média (2-3cm), fibra de coco grossa e podemos juntar um pouco de perlite ou musgo de esfagno. Quando esses materiais ficam muito decompostos, com o passar do tempo, é altura de serem substituídos por novos.

Os Zygopetalum são orquídeas que não têm período de repouso. A planta ou está a florir ou a desenvolver novos pseudobolbos e folhas.

Plantio:
1. Em vaso: O ideal é usar vaso terracota específico para orquídea á venda em garden center .Este vaso já vem com vários furos tanto no fundo quanto na lateral. Para melhorar a drenagem, no fundo do vaso coloque um pouco de argila expandida, pedra ou caco de telha.

Como substrato use a casca de pinheiro, que é um material renovado. Fibra de coco também pode ser utilizado. Em supermercados e garden center existem substratos prontos específicos para o plantio de orquídeas.

2. Em árvore: Para fixar a muda no tronco de uma árvore, envolva a muda na fibra de coco e amarre com um cordão. Isso protege a muda e mantém a umidade necessária até o orquídea enraizar

Zygopetalum

Local
Coloque a muda em local arejado livre de corrente de vento  e que receba luz indireta do sol preferencialmente ao amanhecer ou entardecer. Algumas espécies de orquídea não toleram luz solar, queimando as folhas e chegando a matar a muda. Atenção especial é necessária para as mudas plantadas nas árvores.

Observe por alguns dias e por períodos alternados se o sol não está sendo excessivo para a planta. Manchas amareladas nas folhas ou ausência de enraizamento, são indícios que a orquídea não está se adaptando. Neste caso outro local deve ser escolhido.

Rega
O modo mais fácil de matar uma orquídea é molhando-a demais. Umidade em excesso provoca o apodrecimento das raízes e os fungos se proliferam de forma descontrolada. A melhor maneira de checar se  o vaso está úmido, é pressionar com o dedo o substrato. Se ainda estiver úmido, não regue, espere até secar. Regue até que a água comece a escorrer por baixo do vaso. Verifique a umidade á cada 2 dias.

Para as mudas que estão nas árvores a umidade se equilibra naturalmente. Redobrar a atenção apenas nos períodos mais secos do ano. Importante : Para a orquídea é melhor faltar água do que sobrar.

Zygopetalum-1t

Adubação
A orquídea como qualquer outra planta precisa de nutrientes para crescer. Mas cuidado , o exagero de adubo é pior do que a falta. Cada tipo de adubo exige dosagens e aplicações diferentes, por isso leia atentamente as instruções contidas nas embalagens dos produtos.

Adubação de solo: Pode ser feita ao amanhecer ou entardecer. Dependendo do tipo de fertilizante, você poderá aplicá-lo de duas maneiras:
* Colocando a quantidade recomendada num canto do vaso,  Desta forma o  adubo irá dissolver-se aos poucos, liberando nutrientes a cada irrigação.
* Diluindo a quantidade recomendada: Aplicando como rega, diretamente no solo.

Adubação foliar: Deverá ser feita somente ao entardecer. Quinze minutos antes da adubação pulverize com água toda a planta. Este procedimento faz com que as células das folhas responsáveis pela absorção dos nutrientes se abram.  Depois pulverize com adubo nas dosagens recomendadas pelo fabricante, toda a planta, com exceção das flores.

Adubos orgânicos: Estes adubos são mais seguros e com riscos muito menores de você matar a planta por excesso de adubação. Os mais indicados são a torta de mamona e a farinha de osso.

moinho_33

orquídea Cattleya

As orquídeas estão entre as plantas mais popularmente comercializadas do mundo. Aqui no Brasil elas são muito comuns devido o seu colorido que combina sempre com as nossas estações relativamente tropicais. Para cultivar as orquídeas é preciso conhecer alguns detalhes sobre a planta que muitas vezes deixamos passar achando que não têm tanta importância assim.

Para que suas orquídeas sejam então flores bonitas e saudáveis sempre, vamos conhecer algumas dicas simples e eficientes que podem dar essa melhoria no seu cultivo.

Características gerais da orquídea
Na natureza existem uma quantidade praticamente incontável de orquídeas. Todas as espécies dessa flor fazem parte da família das Orchidaceae e da ordem das Asparagales, que é uma das maiores famílias de planta no mundo. Falar das características das orquídeas se torna algo muito superficial já que cada uma de suas variações possui características incríveis e bem particulares.

Podemos então caracterizar as orquídeas como sendo flores encontradas em quase todo o mundo já que somente na Antártida elas não conseguem sobreviver. Essas flores são,  em sua maioria, caracterizadas como epífitas, que são flores que crescem sobre as árvores. Elas usam esse outro tipo de planta como suporte para absorver a luz do sol e outros nutrientes, mas em nenhuma condição agem como parasitas.

Então como a variação de orquídeas é grande, as dicas de cultivo também variam muito, mas vamos usar detalhes de uma forma bem geral e que você possa utilizar com a maioria das orquídeas que tem em seu jardim.

oncidium

Escolha a orquídea ideal para a sua região
Devido a sua grande variação no mundo inteiro, você provavelmente vai encontrar uma orquídea que não se desenvolve sob as condições de clima e solo de sua região. Então, antes de sair optando por qualquer flor porque é mais ou menos bonita, veja se o tipo de cultivo que ela exige como mínimo, é possível existir em sua região.

Plante orquídeas de diversos florescimentos
Todas as plantas possuem um ciclo de vida que varia de espécie para espécie e no caso das orquídeas não poderia ser diferente. Como um jardim de flores bonito é aquele você vai de fato encontrar flor sempre que chegar, então escolha orquídeas com diferentes ciclos de florescimento para então ter flores brotando durante o ano inteiro e um jardim sempre bonito e colorido.

Utilize fertilizantes
Usar fertilizantes em qualquer planta é algo obrigatório porque são eles que ajudam a repor os nutrientes que as plantas gastam durante o seu crescimento. Como existem orquídeas que possuem ciclo de vida maior e outras com ciclo de vida menor como citamos no tópico anterior, você pode usar fertilizantes para acelerar de forma positiva o crescimento dos brotos e com isso não precisa esperar tanto para ter lindas orquídeas em seu jardim.

Claro que o uso deve ser feito de forma consciente para não prejudicar o seu cultivo e somente em casos esporádicos. O melhor fertilizante é o que possui formulação NPK de 10-30-10, usados sempre uma vez três meses antes que começar a época de florescimento da sua orquídea.

Orquídea Cymbidium

O local onde plantará sua orquídea é importante
Esta afirmação é muito certa porque as orquídeas não florescem em qualquer tipo de ambiente. Caso você queira planta uma orquídea em vaso para usar como arranjo da sua sala ou de qualquer outro cômodo da sua casa, elas ficarão muito bonitas, porém se o ambiente tiver climatizadores como ar condicionado, por exemplo, ou então em um ambiente onde corra muito vento, com certeza a sua orquídea não florescerá ou sentirá muita dificuldade de completar o seu ciclo, podendo resultar em flores deficientes.

O melhor lugar para sua orquídea vai ser um local bem protegido desses dois fatores, sem calor, mas com acesso controlado da luz do sol (que ela fique exposta sempre de manhã cedo e no final da tarde).

Verifique a origem da sua orquídea
Por serem flores de variedade muito grande, existem aquelas orquídeas mais populares e outras que são mantenedoras de suas espécies, portanto devem ser respeitadas como tal. Mesmo sendo um grande fã e colecionador desse tipo de flor, evite aquelas que possuem origem de matas porque você vai contribuir para o tráfico da espécie assim como para sua extinção.

O mais indicado é sempre adquirir suas orquídeas de lojas ou fornecedores totalmente legalizados com produção pessoal ou orquidófilos.

Sophronitis wittigiana

Saiba como e quando regar as suas orquídeas
Saber regar qualquer planta é importante na verdade, mas no caso das orquídeas todo cuidado e atenção é primordial. Esse tipo de planta gosta de manter-se em um vaso com areia mais úmida, porém ela não pode ficar jamais encharcada porque você com certeza matará a sua flor.

Normalmente também usamos pratinhos embaixo dos vasos para manter um pouco a umidade da terra e também evitar que a água que escoa suje o ambiente. No caso de um vaso com orquídeas, esse pratinho jamais deve ser utilizado porque o acúmulo de água pode apodrecer as raízes da planta facilmente.

A quantidade de regas ideal é de 2 a 3 vezes por semana e para não acumular água, você deve tirar o vaso do local e colocar em um ambiente onde ele possa ficar até a água da sua rega escorra por completo.

Sophronitis cernua mineira var. amarela

Os cuidados com as pragas e doenças
Toda planta está sujeita à sofrer com pragas e doenças mesmo quando cuidamos bem delas. O aparecimento dessas pestes se dá por motivos tão diversos que muitas vezes esquecemos que o tratamento intensivo pode favorecer o seu aparecimento e não o contrário. Quando falamos em orquídeas o cuidado deve ser dobrado porque elas são muito delicadas e conseguem absorver esse tipo de praga com mais facilidade.

Atente-se com a quantidade de umidade, como citado mais acima, porque além de colocar a saúde e vitalidade da planta em risco, ainda facilita o aparecimento de fungos quando a planta fica muito tempo úmida. Quando se fala em pragas para essa planta, as cochonilhas são sempre citadas porque são as que mais aparecem na espécie.

Observe sempre a sua planta e veja se ela não possui nenhum tipo de praga. Caso as encontre, busque combatê-las de imediato.

As orquídeas estão entre as flores mais conhecidas do mundo. Elas se destacam por apresentarem grande beleza e diversas cores. Graças a isso acabam chamando a atenção das pessoas e se enquadrando como uma das espécies vegetais mais comercializadas em todo o mundo.

Sophronitis cernua vermelha

A luminosidade do local
Procure colocar as suas orquídeas em locais que ela possa receber a incidência dos raios do sol no inicio da manhã (até as 09:00 horas) e no fim da tarde (a partir das 16:00 horas).

A orquídea precisa receber incidência dos raios do sol para florescer, portanto é importante encontrar o local correto para que seja evitada a troca de local de sua planta com regularidade.

Identifique a sua orquídea
Procure identificar suas orquídeas através de placas, com isso facilita o seu trabalho para gerar as condições adequadas (ventilação, irrigação, adubação, luminosidade e etc.) para cada uma das variedades que você cultiva.

Participe de grupos de orquidofilia
Procure participar de grupos e associações que agrupam pessoas que também cultivam orquídeas. Essa situação é interessante para troca de ideias e experiências no trato com as flores, além de desenvolver um novo ciclo de amizades.

chuva_22

Digitalis_purpurea_003

A dedaleira é uma espécie vegetal também é popularmente conhecida pelo nome de abeloura, digital, erva-albiloura, erva-dedal e digitalina. A dedaleira é uma espécie vegetal originada do continente europeu e que pertence a família botânica Plantaginaceae.

Essa espécie vegetal pode ser cultivada tanto como planta com fins medicinais como também com planta de fins ornamentais. Contudo, se consumida em alta dosagem pode se tornar letal, pois é uma espécie vegetal venenosa.

Uma curiosidade dobre a dedaleira é que ela pode servir como um medicamento (uma espécie de fortificante e tonificante) para as espécies vegetais que são cultivadas ao seu redor. Normalmente, nos locais em que encontramos dedaleiras sendo cultivadas, as demais plantas crescem, se desenvolvem e se manter fortes e vigorosas.

A família botânica Plantaginaceae
A família Plantaginaceae possuem em torno de 1855 espécies abrigadas em 97 diferentes gêneros. Essa família botânica se caracteriza por se adaptar com facilidade a diversas localidades do planeta, no entanto são encontradas com maior facilidade nos locais de clima temperado, pois nesse tipo de clima as espécies vegetais dessa família conseguem se desenvolver melhor.

São encontradas com maior frequência em formato de arbusto e de ervas, sendo encontradas com menor frequência em forma de plantas aquáticas. As espécies vegetais dessa família possuem grande importância econômica, pois elas produzem substancia capazes de ajudar no tratamento de varias doenças, como por exemplo: leishmaniose e doenças cardíacas.

digitalis_YY

As características da dedaleira
A dedaleira é uma espécie vegetal que possui esse nome popular, pelo fato de suas flores se apresentarem em forma de dedal. Essa planta pode ser cultivada tanto para fins ornamentais quanto terapêutico ou medicinal, no entanto, o seu uso para esse fim precisa passar por supervisão e orientação médica, pois a dedaleira é uma espécie vegetal venenosa que pode chegar a ser mortal para os seres humanos e para os animais, conforme a quantidade de substância ingerida.

A dedaleira é uma planta herbácea, perene e arbustiva. Essa espécie vegetal se caracteriza por apresentar caule ereto e liso. O caule da dedaleira pode apresentar estrutura lenhosa ou semi lenhosa, isto significa, que essa espécie vegetal possui lignina em sua composição para que o caule consiga ter esse tipo de estrutura (lenho).

O ciclo de vida da dedaleira é bienal, isto é, a planta vivem em média por 2 anos. É  dedaleira é uma espécie vegetal de médio porte que apresenta uma altura média que varia de 90 cm a 1,20 m. As folhas da dedaleira são rugosas e se apresentam em forma de roseta, e possuem nervuras que são elevadas em sua parte interior, apresentando uma cor mais clara.

A inflorescência desta espécie vegetal se caracteriza por ser longa e as suas flores apresentam formato de dedal, e podem apresentar coloração branca, rosa e roxa, podendo ter pequenas pintas em sua parte interior. Essa variação de cor acontece conforme a variedade da dedaleira cultivada. É uma espécie vegetal que floresce normalmente nos períodos da primavera e do verão.

digitalis-purpurea_11

Cultivo
A dedaleira é uma espécie vegetal nativa da Europa, sendo cultivada principalmente nas regiões mais altas (locais que sejam acima do nível do mar – com altitude) e que apresentam um clima mais ameno.

A planta pode tranquilamente ser cultivada em regiões que apresentam os climas temperado, subtropical e mediterrâneo. A dedaleira deve ser cultivada a sol pleno e nos casos de locais que apresentem temperaturas um pouco mais elevadas das localidades onde é comumente cultivada, em meia sombra.

O solo para cultivo deve ser fértil, e para a manutenção do solo fértil, capaz de gerar os nutrientes necessários para o bom desenvolvimento da planta, pode ser feita a fertilização do solo através da aplicação de adubos (orgânicos e inorgânicos).

A espécie vegetal pode ser cultivada em vasos, jardineiras e podem compor maciços e bordaduras com muita facilidade. É necessário que seja renovada a cada dois anos, por isso no período bienal, os canteiros precisam ser completamente limpos e reformados para a renovação das espécies vegetais cultivadas.

digitalis

A multiplicação da dedaleira
A espécie se multiplica de 2 formas: pela dispersão de suas sementes e pela divisão das plantas.

A multiplicação de plantas por dispersão das sementes é um dos meios mais comuns de propagação das espécies vegetais. Nesta situação, é necessário que as sementes sejam espalhadas (seja naturalmente – pelo vento, por exemplo – ou pela ação humana) pelo solo, e encontre condições favoráveis de desenvolvimento (iluminação, água, nutrientes e etc.).

Na multiplicação por divisão da planta, ou como popularmente é chamada – pega de galho, ocorre a divisão de ramos com a presença raízes (principalmente no caso das espécies vegetais que apresentam bulbos ou rizomas), e estes são plantados em novas covas, de forma que a nova planta se desenvolva.

Digitalis_Purpurea_3

A utilização da dedaleira
A dedaleira é uma espécie vegetal que pode ser utilizada para ornamentar os ambientes, pois é uma planta muito bonita e graciosa. A sua inflorescência se caracteriza por ser graciosa e imponente, se destacando no ambiente em que a planta é cultivada.

195