Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Independente da sua origem, os fertilizantes orgânicos ou se preferir, o esterco, vem sendo muito utilizando nos jardins e até mesmo nas horas. Na verdade, o orgânico, segundo especialistas em plantações é bem mais eficaz do que o esterco fresco. A explicação da preferência de um e não de outro é pelo fato do segundo atrair moscas, sem falar, que o esterco fresco pode acabar queimando as pequenas plantas e ter agentes patogênicos.

Podemos dizer que o esterco do gado é o melhor fertilizante, baseando no que falam os especialistas em cuidados com jardim, isso porque se trata de um composto cheio de nutrientes.

esterco de gado

O esterco produzido por gado
Como foi dito anteriormente, o esterco do gado é considerado o melhor e se ele for um gado leiteiro, passar a ser melhor ainda. Com esse tipo de adubo as plantas do jardim receberão ainda mais nutrientes, tais que são necessários para grande maioria das espécies. Porém, é necessário fazer uma verificação do solo periodicamente e é recomendado o seu uso somente antes de plantar.

Observando esses detalhes é garantindo que a maior produção de nitrogênio possível e isso é essencial, principalmente, para que as pequenas plantas ganhem força e cresçam. Quando se usa o esterco fresco e um gado leiteiro é minimizada a absorção que vem da água no solo, uma vez que o fertilizante de origem orgânica vai lentamente se decompondo e passando os seus nutrientes para o solo. Essa decomposição pode durar anos favorecendo o crescimento da planta.

esterco de aves

O esterco produzidos por aves de criação
Outras fontes de um esterco de boa qualidade para o jardim são as aves de criação. Esse esterco também é rico em nutrientes que favorecem o crescimento das plantas. O esterco das aves é derivado de penas, serragem, ração, fezes e restos de alimentos. Porém, a composição não é a mesma sempre, pode variar, o que é comum, por isso, é necessário avaliar o esterco antes de usá-lo. Normalmente, o esterco das aves é usado para redução de um alto índice de nitrogênio. Quando isso acontece, uma planta pode acabar morrendo.

estercocoelho

O esterco produzido pelo coelho
Apesar de não ser muito comum, o esterco do coelho também é muito usado por muitas pessoas no próprio jardim. E segundo dados oficiais sobre o estudo do esterco para o crescimento das plantas, o do coelho tem muito mais nutriente do que o o do cavalo ou gado, cerca de 4 vezes mais e no caso das aves, o dobro a mais. Outro fator que merece destaque é que o esterco do coelho pode ser usado fresco, enquanto o mesmo não é aconselhado para os demais. Segundo as pesquisas o esterco do coelho possui: 1% de fósforo, 1% de potássio e 2% de nitrogênio.

Outros tipos de esterco para o jardim
Muito menos comum do que o esterco do coelho, alguns especialistas de jardinagem garantem que os resultados com esterco de bode são ótimos. Segundo eles, existe uma grande semelhança com esse tipo de esterco e aquele do coelho. Eles dizem ainda, que cheiro do esterco de bode é mais fraco do que aquele do coelho e por isso, não atrai tanto os insetos.

Outro esterco usado, porém, em escala bem menor é o chamado guano, que é uma mistura de restos secos das fezes dos pássaros e dos morcegos. Porém, vale ressaltar que a qualidade de um esterco não será sempre a mesma. Depende do que os animais se alimentam.

Estercos de origem de porco, gato e cachorro não são recomendados porque podem conter doenças que passem para os seres humanos.

estercocavalo

Veja como usar esterco de cavalo e vaca na sua horta
Cultivar uma horta em casa virou quase mania, quem tem espaço faz questão de ter alimentos frescos e bem fáceis de serem pegos, no quintal ou no jardim. Até mesmo quem não tem espaço porque mora em apartamento, adota uma horta vertical, por menor que seja, faz questão de ter uma.

E para uma horta dar certo e você conseguir cultivar produtos de qualidade é necessário saber usar o fertilizante, que ajuda no bom crescimento. Os mais comuns são os de cavalos e de vacas.

Veja como usar o esterco de forma correta
* A limpeza da sua horta deve acontecer durante o outono, de preferência quando tiver terminado a produção de todas as suas plantas.

* Faça a remoção das ervas daninhas deixando tudo limpinho.

* O esterco deverá ser espalhado em cima da horta com a ajuda de uma pá. O ideal é fazer uma camada sobre a terra que fique entre 1,25 ou 2,5 cm de espessura.

* Depois pegue uma enxada rotativa e vire o esterco começando pelo comprimento do solo e seguindo com a largura. Nessa fase que o esterco tem que ser distribuído igualmente.

* Deixe a horta parada e não faça nada enquanto o inverno não terminar. Neste período o solo estará se encarregando de pegar o melhor do esterco colocado.

* Quando chegar a primavera repita o processo e depois pode plantar e replantar.

composto

Como se adiciona esterco ao composto
*
Você precisa de uma caixa mas conserve somente 3 lados dela. Acrescente resíduos de cozinha, esterco de cavalo ou vaca e ervas.

* Molhe bem todos os ingredientes garantindo que tudo esteja bem molhado.

* Pelo menos duas vezes por semana, com a ajuda de uma forquilha, veja se o composto está pronto. Depois de decomposto ele deverá assumir cor mais escura do que o solo.

* Agora você já poderá usar o composto na horta ou no jardim, caso ache que já está na hora de aplicá-lo.

jardim

Algumas dicas de uso de esterco no jardim
*
Se você mora perto de uma fazenda, a melhor maneira de ter esterco de qualidade é pedindo ao fazendeiro um pouco do esterco dos animais dele. É bem provável que eles nem te cobrem pelo esterco.

* Na hora de virar e misturar o esterco faça isso com a ajuda de forquilha. Principalmente se você não tiver uma enxada rotatória e se a sua horta ou jardim for de média para pequena.

* Não adicione jamais fezes de cão ou gatos para fazer o seu esterco orgânico.

lagoinha

herbicida_22

Se você gosta de plantas e tem um jardim no seu quintal sabe que é necessário protegê-lo das pragas e dá para fazer isso de forma natural. Isso mesmo, usando herbicida caseiro, que são feitos com ingredientes naturais e dão o mesmo resultado que os produtos comprados no supermercado ou em lojas especializadas.

Além da vantagem de custarem muito menos, pelo tipo de ingredientes que são usados para produzir um herbicida caseiro, eles não são nocivos como os produtos químicos. Vamos começar com uma mistura bem simples, que vai manter as pragas bem distantes da sua plantação ou do seu jardim. Veja receita!

Você vai precisar somente dos seguintes ingredientes: sal, água e vinagre. Com esses três ingredientes simples dá para fazer um herbicida de ótima qualidade. Ele  fará o mesmo efeito do produto de supermercado, porém, sem causar nenhum espécie de dano para a sua planta e para quem irá ingerir as folhas depois, no caso de comestíveis. Veja como fazer:

Coloque a água para ferver, pelo menos cinco litros para ter uma boa quantidade, o que pode variar de acordo com o tamanho do seu jardim. Para cada 5 litros de água fervida coloque um quilo de sal refinado e mexa bem para que ele se dissolva por completo na água.

Com a mistura ainda no fogo, acrescente um copo grande de vinagre e mexa bem. Faça isso por alguns minutos para ter certeza de que os três ingredientes ficaram muito bem misturados. Apague o fogo e deixe esfriando por 1 hora ou até um pouco menos, não menos de 30 minutos. E pronto! Você acabou de fazer um herbicida caseiro! Mas, atenção, essa mistura só pode ser usada, para que seja eficaz durante uma semana, passado isso, se sobrou, jogue fora e faça outro produto caseiro de novo.

HERBICIDACASEIRO

Mais dicas para combater ervas-daninhas com herbicidas caseiros ou orgânicos
O uso de herbicidas caseiros tem várias vantagens para nós, em relação a preço, a qualidade, a não ser um produto nocivo e principalmente, para o meio ambiente, é uma solução que ajuda a preservar à natureza. Trocar produtos químicos por produtos caseiros é um bom modo de contribuir para a preservação do meio ambiente.

Pode ter certeza que na nossa casa, do uso do dia a dia, temos vários produtos que podem combater as ervas daninha e também manter afastadas algumas pragas. Veja dicas de alguns desses ingredientes e comece a mudar os seus hábitos para ter uma alimentação mais saudável, no caso de folhas, por exemplo, que são usadas para refeição.

1 - O vinagre pode ser considerado o mais potente herbicida natural, chamado de pós-emergente orgânico. O que faz desse produto natural ser tão potente na hora de proteger as plantas é o fato de ele ser muito ácido e forte. Ele pode ser encontrado em duas versões e com isso tem mais acidez ou menos. Por exemplo, o vinagre que compras no supermercado normalmente supera os 10% de acidez, enquanto um vinagre de horticultura supera os 20% e ambos podem ser diluídos e usados diretamente como herbicida.

Você pode fazer a seguinte mistura para torná-lo ainda mais potente: a quantidade de 5 litros de vinagre misturado com óleo de laranja e mais sabão líquido. Também é recomendado pulverizar o vinagre sem mais nada, porém, que isso seja feito durante dias mornos ou quentes e nunca em diz frio, que o efeito é bem menor.

2 - Bórax é uma solução caseira que tem base científica, segundo a revelação da cooperativa americana da Universidade do Estado de Iowa. Segundo o resultado dos estudos feitos pela instituição, que comprovam a eficiência do bórax como solução caseira para combater as pragas nas plantas, são necessários 10 gramas do produto para cada mil metros quadrados de grama. A mistura é feita com 10 gramas de bórax diluídas em 2, 5 litros de água. Depois é só colocar numa embalagem spray para usar nas plantas ou ir jogando no caso de um grande gramado.

3 - Água em alta pressão. Sim estamos falando mesmo somente de água, pois saiba, que ela também uma um herbicida natural quando é jogada em alta pressão. Dessa forma, as ervas daninha são destruídas pelo poder de força e por isso, pode ser a solução para combatê-las em caminhos ou nos cantos das calçadas. Com a pressão da água elas têm as suas raízes e caules danificados e isso faz com que muitas delas acabem morrendo de vez e demore muito para aparecer outras.

herbicida_11

4 - Alopatia é quando usamos coberturas para garantir o melhor para as nossas plantações, que na prática, significa usar plantas de outras espécies para combater os males daquelas que queremos cultivar. Isso é feito usando plantas que exalam substâncias tóxicas e com isso não deixam que ervas daninha cresçam e atrapalhem o crescimento da sua planta. Porém, não é muito simples usar esse tipo de processo, é necessário conhecer muito bem as plantas para saber o que elas precisam e o que fazem mal a elas.

Uma segunda vantagem de usar a técnica de cobertura é que além de proteger as plantas, criar uma espécie de barreira, ela também dá matéria orgânica durante a decomposição. Sem falar que não é um problema colocar plantas muito jovens num solo que foi feito a cobertura, porque ele as protege.

5 - Tampas que pode se dizer que trata-se de uma “arma” no combate orgânico no jardim, principal se estamos falando das ervas daninhas. Isso se faz acabando com a luz do sol que fica em volta do jardim em questão. Para fazer o bloqueio da iluminação natural pode ser usado: lonas, palha em lascas coberturas de recortes de grama, casca de palha ou plástico de lixo preto. Qualquer um desses materiais deve ser colocado em volta da plantação de modo que se crie uma sombra em volta, porém, se trata de uma técnica que deve ser moderada para evitar que as plantas do jardim também acabem morrendo. A sombra deve ser feita somente ao redor delas e não fazendo com que o sol não chegue até elas.

47

caladium

Hoje em dia a quantidade de plantas ornamentais que existem no mundo é bastante grande. Pesquisadores vêm descobrindo novas espécies para tal fim e a maioria delas possui as folhas como elemento principal na decoração. Este é o caso do caládio, predominante nas regiões tropicais como o Brasil.

A planta pode decorar jardins mais amplos. Porém, há quem diga que ela também é uma ótima opção para ambientes internos. Seja lá qual for a sua principal função, é hora de saber todas as informações sobre a caládio.

Informações botânicas
Os nomes populares dessa planta são dos mais diversos, ela pode ser conhecida popularmente como tinhorão, tajá, taiá e coração-de-jesus. Da família Araceae a espécie é considerada bulbosa. Sua origem é brasileira e pode se adaptar a toda a região tropical do sudeste do país.

Quase toda a América Tropical é presenteada com a presença dessa planta tão ornamental quanto todas as que já existem em território nacional. Seu ciclo de vida é considerado anual e a cada ano que se passa, novas flores e folhas surgem na espécie.

Caladium bicolor

Folhas
A planta bulbosa conhecida por caládio possui todas as folhas muito ornamentais devido ao aspecto físico da mesma. As folhas costumam ser grande e rajadas possuindo diversas tonalidade para design de exteriores e interiores. A folhagem também pode aparece de forma  pintalgada, com cores que englobam o branco, rosa, verde e o vermelho. A importância ornamental das folhas é primária, diferente do que ocorre com as flores da espécie.

Flores
As flores do caládio têm uma importância ornamental quase que secundária, apesar de serem consideradas muito belas. Estudiosos sempre comparam as flores da planta com o famoso  lírio-da-paz (Spathiphyllum wallisi). Elas crescem também em diversas tonalidades, sendo brancas ou esverdeadas na maioria das vezes.

Vale lembrar que as inflorescências podem ser também pintalgadas, assim como a folhagem da planta. É na época do verão que as flores começam a aparecer e ao longo do ano, elas vão se desenvolvendo maravilhosamente com o cultivo correto.

120-Caladium_bicolo

Cultivo
Como existem mais 1000 variedades de caládio no mundo, existem também muito tipos de cultivos diferentes que vão depender de cada variante. Por isso, os pesquisadores costumam afirmar que várias das espécies podem decorar jardins e quintais, pequenos ou grandes.

Mesmo assim, grande parte das variações da espécie também pode ser cultivada em locais internos, desde que se adaptem a quaisquer condições. A espécie é ótima para formar grandes maciços e bordaduras, além de poder ser plantada em vasos de vários tamanhos e jardineiras  para enfeitar qualquer ambiente.

Curiosidades
A caládio é uma espécie de comportamento exótico e misterioso e que muitas vezes pode alterar a sua forma de desenvolvimento. Na época do inverno a planta entra em processo de repouso e aparenta estar morto. Porém, na primavera, a espécie começa a formar lindas brotações.

No período de descanso da espécie, as adubações devem ser devidamente suspensas. É nesta época também que os bulbos podem ser removidos da planta e guardados em locais bem secos, sombreados e frescos.

Caladium bicolor - Caladium x hortulanum

Toxidade
A espécie pode ser considerada bastante tóxica por causa de uma substancia danosa que existe em sua bela folhagem. Por isso, é preciso tomar muito cuidado na hora de cultivar a espécie, especialmente se esta for colocada em ambientes externos, onde há a presença de crianças.

Por causa da grande concentração de  cristais de oxalato de cálcio e saponinas na folhagem é preciso estar sempre atento durante o desenvolvimento do caládio, manuseando a planta de forma segura. As maiores consequências do contato de mãos humanas, ou da pele em geral, com a substância presente nas folhas da espécie são a intensa ardência, inflamação e vermelhidão nos olhos ou nas mucosas da pele que entrarem em contato com o oxalato de cálcio.

Quando a planta, por algum acaso, é ingerida, pode causar um grave edema de glote. Este pode acabar provando um quadro de asfixia e a morte posterior. Por isso, mantenha o caládio afastado de crianças pequenas e animais domésticos que possam vir a ingerir algumas das folhas da espécie.

Plantio
Apesar de todos os cuidados que se deve ter com a espécie, ela é de fácil cultivo, não sendo considerada uma planta exigente.

Para que o seu plantio seja feito de forma correta em qualquer local da casa, basta seguir as seguintes instruções.
* Primeiro, pesquise sobre a variedade com que você está lidando para plantar. Depois que todas as características da espécie forem bem observadas, procure colocar os vasinhos ou a própria planta sob luminosidade difusa, pleno sol ou meia-sombra. Essas condições só serão estabelecidas corretamente quando a variedade de caládio for identificada.

* Leve a mudinha a um solo bastante fértil, totalmente enriquecido com muita matéria orgânica. A terra deverá ter leveza para que a planta cresça com saúde. Mesmo assim, as regas devem ser regulares para que o desenvolvimento não seja prejudicado, mesmo com o solo estando nas condições adequadas ao plantio de qualquer variedade de caládio.

Caladium bicolor 'Candidum'

* A umidade é uma das condições mais favoráveis para o crescimento sadio do caládio. Mesmo assim, a espécie não tolera qualquer tipo de encharcamento. Portanto, na época de chuvas constantes, procure diminuir a quantidade de regas diárias. Se a planta for cultivada em ambientes internos, mantenha a quantidade de regas de forma constante.

* A multiplicação da espécie é feita de diversas maneiras: Uma das principais formas é a multiplicação por seus bulbos. É quando a planta entra em seu período de repouso, que ela começa a de se propagar. É preciso tomar cuidado para que ela não se torne invasiva.

51

Caesalpinia-pulcherrima-22

A planta possui diversos nomes populares conhecidos no mundo inteiro. São eles: flamboyanzinho, barba-de-barata, poinciana-anã, flor-de-pavão, baio-de-estudante, orgulho-de-barbados, chagueira, chagas-de-jesus, flor-do-paraíso e flaboyam-de-jardim

A principal origem da espécie foi identificada há muitos anos nas Antilhas, porém, hoje em dia, a planta já se espalhou por diversas partes do mundo, principalmente naqueles climas e terras onde ela consegue se adaptar bem melhor, fora de seu local de origem histórica.

Foi nas Antilhas que os primeiros registros da espécie foram descobertos. Depois que suas principais características foram descobertas, suas sementes passaram a ser exportadas para diversas partes do mundo.

Características gerais da espécie
O flamboianzinho é uma planta dita como perene e registrada como um pequeno arbusto lenhoso. Seu porte é ereto, ramificado e com a presença de alguns espinhos. Sua altura pode chegar até 4 metros, sendo o tamanho mínimo de quase 3 m de altura.

caesalpinia

Folhagem
As folhas da espécie são consideradas bastante ornamentais, embora suas características sejam secundárias em relação às belas flores que se desenvolvem. A folhagem é considerada pelos pesquisadores como sendo bipinadas e de coloração esverdeada. Elas possuem numerosos folíolos ovalados, sendo isto uma de suas principais características que acabam por diferencias as várias variações da planta.

Flores
O florescimento da espécie é considerado exuberante, sendo as flores o principal motivo pelo qual o arbusto foi considerado uma espécie para ornamentação. As  inflorescências costumam ser terminais sobre brotações novas a cada ano ou dependendo da época em que as flores começam a aparecer. Em si, as pétalas tendem a ser vermelhas e com longos estames que começam a brotar na primavera e no verão, já estão muito bem desenvolvidas.

Frutos
Além das épocas de floração, existe o período em que determinados frutos começam a surgir na espécie. No outono, é onde existe a maior incidência desses frutos e é quando os mesmos estão na sua melhor fase de desenvolvimento. Eles são de formato tipo legume e chamam a atenção de alguns pássaros e insetos no geral.

66-caesalpiniapulcherrima

Cultivo
As condições de cultivo da espécie são simples e não exigem grandes cuidados. Porém, é preciso obedecer as regras de plantio para que as folhas, flores e frutos cresçam adequadamente em qualquer local.

O flamboianzinho deverá ser cultivado em pleno sol ou meia sombra e dai a importância dele poder crescer fortemente dentro de casa. Em solo enriquecido com matéria orgânica fértil e bem drenado, a planta de desenvolve de forma eficaz, sendo que nas épocas determinadas, vão nascendo os seus principais componentes.

Para estimular a floração na época esperada, basta fazer as adubações regulares e a cada ano. Não esqueça de usar os materiais necessários para produzir bem o seu adubo.

A espécie se desenvolve bem em climas em que o frio predomina levemente, mas pode ser cultivada em regiões tropicais. Um comportamento muito curioso da espécie é que em determinados climas, como os subtropicais e mediterrâneos, a planta pode se tornar uma simples caducifólia.

Caesalpinia pulcherrima

Multiplicação
Por ser uma espécie simples, a multiplicação das mesmas também é feita dessa mesma forma. Um das principais maneiras de multiplicação é por sementes. A espécie também pode se propagar através de estacas.

Uso da espécie
A espécie pode ser usada para formar vários arranjos na jardinagem e um deles são os belos maciços que elas podem desenvolver. As cercas-vivas informais e os chamados grupos lineares também podem ser construídos através do flamboianzinho. Cultivado como uma arvoreta para plantio em passeios ou em vasos grandes, a planta pode se desenvolver muito bem se as regras de plantio forem devidamente obedecidas.

Mesmo sendo amplamente usado para decoração de ruas, plantada em pleno asfalto, a espécie não é muito indicada para tal fim. O seu porte elevado pode prejudicar os habitantes, bem como a visibilidade de carros e outros meios de transporte.

Curiosidades
Como muitas plantas que existem hoje em dia, o flamboianzinho pode ser usado para fins medicinais. Suas folhas possuem propriedades consideradas anti-inflamatórias. Porém, como todo cuidado é pouco, a espécie pode apresentar quadros tóxicos. A espécie foi considerada abortiva depois de longos estudos por partes de botânicos especializados.

Com a sua folhagem se pode fazer um suco muito usado para curar febres. Já o sumo produzido com as flores do flamboianzinho podem proteger o organismo contra dores, tosses e qualquer dificuldade na respiração.

Caesalpinia pulcherrima v. flava

Variedade
Existe ainda, uma variedade muito rara da espécie, localizada no meio de África do Sul. As folhas deste tipo de variante são consideradas encarnadas e na cultivar “Flava”. As flores que crescem em meia a esta variedade africana geralmente abandonam o vermelho para se desenvolverem com um belo amarelo gritante, atraindo borboletas de forma frequente.

00006